segunda-feira, 20 de julho de 2015

Petrópolis: A Cidade Imperial - Mini Guia, Dicas e Muito Mais!

Petrópolis, a Cidade Imperial, Cidade de Pedro, é bastante conhecida dentre os cariocas e fluminenses. Eu confesso que a primeira recordação que tenho de Petrópolis é de uma excursão do meu colégio, quando eu tinha uns 8 anos, e visitamos as principais atrações turísticas, como o Museu de Santos Dumont, Museu Imperial, Quitandinha, Palácio de Cristal e a Catedral.

Os anos passaram-se e eu tive diversas outras oportunidades de retornar a Petrópolis, a passeio ou para visitar parentes que lá moraram um tempo.

Uma cidade agradável, com clima ameno no verão e um friozinho gostoso no inverno, localizada na serra da Estrela, a cerca de 1 hora do centro do Rio de Janeiro (em condições normais de trânsito), é durante o inverno que a cidade recebe mais atenção e muitos turistas também.

Catedral de Petrópolis
Recentemente, há duas semanas, ocorreu a famosa festa do Colono Alemão - a Bauernfest, que comemorou a sua 26ª edição! (sempre acontece no mês de julho)

Eu tive o prazer de ir à Bauernfest de 2014, pois estive na cidade, por 3 dias, no feriado de um jogo da Copa do Mundo, que coincidiu com a festa. A cidade fica muito enfeitada, alegre e uma gracinha!! O problema mesmo é ter paciência para a multidão, pois a festa é um sucesso e é comum ver muita gente subindo a serra para curtir os festejos alemães em um bate-e-volta.






Esse ano, pelo que soube, foi ainda pior. O sucesso foi tamanho que muita gente nem conseguiu circular direito nos arredores da festa, que acontece no Centro Histórico da Cidade, nas imediações do Palácio de Cristal e da Fábrica da Bohemia.

E como esse post trata de um Mini-Guia, com mais dicas, vamos primeiro relembrar tudo o que já dissemos aqui sobre Petrópolis e também a vizinha Itaipava, que é um excelente pólo gastronômico e distrito de Petrópolis?

Passeios em Petrópolis e Itaipava

Sugestões de Hospedagem e Dicas para Petrópolis e Itaipava

Hotel Pedra Bonita

Comprinhas em Petrópolis e Itaipava

Fábrica da Bohemia, em Petrópolis

Sugestões de restaurantes em Petrópolis e Itaipava

Restaurante Farfarello

Festival de Inverno, em Petrópolis

Petrópolis, na retrospectiva do 1º semestre de 2014

Petrópolis, na retrospectiva de 2014

Petrópolis, na retrospectiva de 2013

A própria subida pela Serra já é um passeio lindo, com paisagens incríveis das montanhas, com uma natureza bastante exuberante, deixando o Rio de Janeiro cada vez mais ao longe. Pequenas cascatas, Mata Atlântica, o ar da serra mais fresco, as hortênsias... tudo transforma a subida ainda mais bonita!

Subida da Serra

Mirante na Serra de Petrópolis

Mirante na Serra 
Existem alguns mirantes pelo caminho, se você quiser parar para contemplar e fotografar a vista.

Ah, lembrem-se do pedágio também! Tem pedágio na subida e descida.

Como disse logo no início do post, ano passado eu pude participar da Bauernfest - a Festa do Colono Alemão, e foi bem divertida a festa. O grande problema é que ela já ficou famosa e pop rsrs... ou seja, uma multidão de pessoas circula pela festa durante o dia e a noite. Ainda assim, nós conseguimos curtir a festa. Comemos muitos salsichões, joelhos de porco, chucrute, doces típicos e maravilhosos e assistimos a apresentações de danças típicas alemãs.




Estávamos em clima de Copa do Mundo! Ou seja, a festa ainda era maior por isso.



Bauernfest e Palácio de Cristal ao fundo


E foi bem legal poder assistir ao jogo do Brasil diretamente do barzinho da Fábrica da Bohemia, onde, após o jogo, teve também uma banda com música bem animada. Aliás, a Fábrica da Bohemia não tem como atrativo apenas a visita com degustação, mas também o seu barzinho e seu restaurante são bem bacanas. Veja mais sobre a Fábrica da Bohemia aqui.

Copa do Mundo de 2014

Telão para assistir aos jogos da Copa na Fábrica da Bohemia

Sobre os possíveis passeios em Petrópolis, nós já falamos sobre eles aqui, mas vamos relembrar um pouco os principais?

Dica: se estiver de carro, deixe-o no Centro Histórico de Petrópolis, perto de alguma das atrações, como, por exemplo, a Catedral, e faça as principais atrações turísticas a pé.

- Museu Imperial de Petrópolis, localizado no Centro Histórico da Cidade, é uma visita muito legal e eu ousaria dizer que é obrigatória para os que gostam de história, com quadros da época, mobília e muito de um Brasil Imperial que se perdeu no tempo. Andar de chinelos de pano é bem engraçado também rsrs...





O museu não é muito grande (e não pode tirar fotos dentro museu =(( ... somente na parte das carruagens), portanto, você pode reservar pelo menos 2 horas para visitá-lo por completo, incluindo as carruagens e, de quebra, se desejar, você pode também tomar um café no seu bistrô, que fica do lado de fora, no caminho de chegada.




O bistrô/café é uma gracinha e vale uma visita para relaxar um pouco.




- Catedral de São Pedro, localizada também no Centro Histórico, bem próximo ao Museu Imperial, é majestosa e avistada de longe, com sua torre em estilo gótico que chama atenção e ganha destaque no céu petropolitano.





Ela é bem bonita por dentro, com nave central ornamentada, órgãos que impressionam, vitrais belíssimos e toda uma composição bem elegante. Reparem nos restos mortais do Imperador Don Pedro II, Imperatriz Dona Tereza Cristina, da Princesa Izabel e seu marido Conde D'Eu.






- Casa da Ipiranga e Restaurante Bordeaux. A Casa da Ipiranga é mais conhecida como Casa dos 7 Erros, está localizada na Rua Ipiranga, pouca coisa afastada do Centro Histórico da cidade. A casa já surpreende pelo seu jardim e lago muito bem cuidados e com um belo paisagismo.



A curiosidade para descobrir os erros existentes entre os dois lados da casa despertou o desejo de conhecer o seu interior. Eu já havia visitado a casa em outras oportunidades até porque ali funciona, na sua antiga cocheira, o excelente restaurante Bordeaux, que possui uma variedade de vinhos muito interessante para consumo na casa e para venda também.

Bordeaux, visto de dentro da Casa da Ipiranga





Mesas colocadas dentro da Antiga Cocheira


Dessa vez, além de fazermos uma refeição no Bordeaux, nós resolvemos entrar e conhecer a história da Casa da Ipiranga.



A nossa visita à Casa da Ipiranga foi guiada pelo tataraneto dos que construíram a casa. Com muita paixão pela história da sua família, pelo palacete e pela época de ouro do império brasileiro, além, é claro, da história da sua família. José Tavares Guerra idealizou a construção do palacete no final do século XIX, em estilo Vitoriano, mas trazendo diversos outros elementos da cultura e arte asiática, por exemplo, pois boa parte dos objetos de decoração foram trazidos por José Tavares de suas viagens pelo mundo. Observem as cortinas bordadas com ouro!



E não deixem de reparar nas referências à maçonaria. Afinal, Don Pedro II foi Grão-Mestre da maçonaria da época, o que transmite um clima mais misterioso.




A mansão é uma das poucas propriedades do século XIX mantidas em estado original.

A visita é paga - R$10,00 - e acontece aos finais de semana das 13h às 18h. Eu recomendo! A riqueza interna da decoração do palacete, seus diversos salões, tapeçaria, cortinas, mármores e telas realmente impressiona.




E é claro que perguntei a razão de construir uma mansão tão linda com dois lados diferentes, os "erros". Segundo o guia, a inspiração do José Tavares foi a sua noiva e futura esposa, no sentido de que as formas femininas não precisam ser perfeitas e simétricas para que a a mulher seja linda.... bonito, não? No mínimo, bem romântico.




A Casa da Ipiranga também abre suas portas para concertos, saraus, recitais e outras apresentações musicais. A acústica da sala de apresentações, toda revestida em madeira, é excelente.







- Palácio de Cristal, também no Centro Histórico de Petrópolis, inaugurado em 1884, foi encomendado pelo Conde D'Eu, tendo sua estrutura sido pré montada na França, porém, com inspiração do Palácio de Cristal de Londres e do Porto. O objetivo era de realizar exposição de flores, frutos e pássaros. Hoje, ele continua abrigando exposições e, no ano passado, quando eu visitei a cidade em plena Copa do Mundo (2014) e durante a Bauernfest, ele estava todo decorado para o evento.





- Museu Santos Dumont, que fica bem perto das principais atrações turísticas do Centro Histórico de Petrópolis, é uma visita também obrigatória e está ainda mais incrementada, com um anexo na parte da superior que conta sobre a trajetória de vida do nosso ilustre aviador, suas conquistas e decepções, com direito a assistir a um vídeo da época e relembrar seus grandes feitos.




Subir escada com o pé direito, não ter cozinha na casa, a engenhoca do banheiro que misturava água quente com água fria, o relógio de pulso... tudo isso e muito mais vai te encantar e fazer perceber o tamanho da genialidade desse brasileiro que não apenas foi um grande inventor da aviação, como também foi uma mente brilhante.



Reparem que bem ao lado da Casa de Santos Dumont está o belíssimo Relógio das Flores, em frente à Universidade Católica de Petrópolis.


- Museu de Cera de Petrópolis - neste eu ainda não fui, mas amigos que estavam conosco no ano passado, em nossa última visita à Cidade de Pedro, foram conhecer o Museu de Cera, que fica bem perto também da Casa de Santos Dumont, e disseram que era legal. Mas pelo amor de Deus, não vá esperando um Madame Tussauds, ok? rsrs... deve ser um bom programa para levar os pimpolhos!


- Hotel Solar do Império, em Petrópolis, foi o local por nós escolhido para tomarmos café da manhã, ou melhor, um brunch, no domingo. Em plena Avenida Koeller, no coração do Centro Histórico, o hotel encanta pela beleza dos seus edifícios, em estilo NeoClássico em ares romanos, com jardins lindos e muito bem cuidados. Diga-se de passagem, embora não tenhamos nos hospedado nele, deve ser uma ótima opção para os que não dispensam requinte e preferem ficar hospedados próximos às principais atrações turísticas.




Abrigando dois casarões do século XIX, tombados pelo IPHAN (aliás, a própria Avenida Koeller é um espetáculo à parte! Merece uma caminhada contemplativa para admirar os palacetes que, hoje em dia, em maioria, abrigam órgãos públicos, e ver, ao final, a belíssima Catedral e toda a sua majestosidade), o Hotel Solar do Império é um lugar para se observar, em todos os detalhes e, para quem gosta de fotografia, eis um belo cenário para fotos com os amigos, com os namorados, com a família... a composição fica muito bonita!




Em relação ao brunch, tenho algumas observações: primeiramente, éramos muitas pessoas, uns 15 no total. Não sei se por conta disso, mas o serviço foi lento, enrolado e confuso. O buffet disponível para self service não oferecia várias opções, mas sim o básico de pães, sucos, frutas, iogurte, bolos... tudo gostoso, mas eu esperava uma variedade maior. O diferencial, todavia, são os pedidos que podemos fazer diretamente aos garçons, como chocolate quente, waffle, torradas Petrópolis recheadas ou não (peçam as recheadas que são divinas!), omeletes, dentre outros, que aí sim compensam e fazem o brunch valer a pena. Em julho de 2014, ou seja, há 1 ano, nós pagamos cerca de R$50,00 por pessoa para passarmos a manhã por lá e foi muito agradável, tirando a aparente enrolação no atendimento pelos garçons. (Obs.: uma das minhas amigas que estava presente neste momento, após um tempo retornou ao Solar do Império para almoçar, pois ele está contemplado no Guia Gastronômico Eat in Rio Serra, e me contou que foi outra coisa: atendimento muito bom, ótimos pratos, e que tirou a má impressão do atendimento confuso do nosso brunch, o que nos leva a concluir que, provavelmente, tenha sido confuso em razão da mesa grande e muitas pessoas).


E se vocês ficaram interessados por essa bela cidade, convido-os a lerem os outros textos e planejarem logo uma viagem para lá, aproveitando o inverno (durante o dia fica fresquinho e à noite faz muito frio durante o inverno) para passearem, andarem de charrete, comerem um bom fondue, fazerem trilhas pelas cachoeiras da Serra, visitarem os mirantes... há muito ecoturismo para fazer por lá! Mas se essa não for a sua praia, ou melhor dizendo, não for a sua serra rsrsrs... aproveite para tomar um bom vinho, curtir uma lareira com o seu amor, dar gargalhadas com seus amigos, conhecer mais da história do Brasil e respirar um ar mais puro e tranquilo da região serrana fluminense. 






2 comentários: