quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Retrospectiva 2014/1 - O que fizemos de bom no primeiro semestre!!

A Copa do Mundo Acabou... o Brasil não Levou ... E o Ano finalmente Começou! rsrs... Será???

Que nada!! Já rolou muita coisa bacana nesse primeiro semestre de 2014!! 

Quer saber o que andamos aprontando por aí?? Veja só um resuminho de nossas viagens com dicas rapidinhas dos melhores momentos: Mendoza, Angra dos Reis, Porto de Galinhas e litoral pernambucano, Búzios, Los Roques, Ceará, Belo Horizonte, Instituto Inhotim, Ouro Preto, Mariana, Paraná, Paraguai, Petrópolis... tudo junto para fazer o nosso ano ainda mais alegre e desbravador de novas experiências e mais histórias para contar!






- JANEIRO DE 2014:

Passamos um excelente reveillón em Mendoza! Fez muito calor, aproveitamos muito as vinícolas (bodegas), subimos os Andes e nos deslumbramos com paisagens cinematográficas das montanhas e, principalmente, do Aconcágua, a Sentinela das Pedras, o mais alto pico das Américas. Uma viagem incrível que recomendo a todos.

Ver o Aconcágua de perto, a 3.200 metros de altura foi uma experiência incrível!!

Para saber mais informações, veja o nosso GUIA DE MENDOZA que conta para vocês como foi, recheado de dicas deliciosas!



- FEVEREIRO DE 2014:

Estivemos em Angra dos Reis, em uma viagem bem bacana que fiz com amigos do GVBB - Rafael do blog Andando por Aí e Kátia do blog Cruzando Mundo.

Eu adoro a Costa Verde Fluminense e já estive em Angra dos Reis, Paraty e Trindade algumas vezes. Sobre Paraty, não deixe de consultar o nosso GUIA DE PARATY.

Em Angra dos Reis, pela primeira vez eu me hospedei em uma pousada. Nas vezes anteriores, acabei ficando em casa de amigos e, por isso mesmo, não tinha tanta programação assim rsrs...

O que mais me atrai nessas cidades é a harmonia perfeita entre a Serra e a Mata Atlântica e o Mar! Ilhas, ilhotas, enseadas entrecortadas fazem desse litoral um verdadeiro paraíso! E não é a toa que vários artistas "compram" suas próprias ilhas, para terem um pedacinho desse paraíso só para eles.

Bem, juntando todas as minhas experiências em Angra, vou dar algumas dicas rapidinhas e, em breve, escrevo um post aqui mais detalhado, ok?

Ilha da Gipóia em Angra dos Reis, um dos paraísos da Baía de Ilha Grande. Faça passeio de barco!

. Acesso pela estrada Rio-Santos, para quem vai do Rio de Janeiro, em cerca de 3 horas de viagem, com o tânsito a favor. De ônibus, pode-se comprar pela internet com a Viação Costa Verde, que sai da Rodoviária Novo Rio e faz uma pausa no meio do trajeto. A rodoviária em Angra fica bem no centrinho da cidade é servida de táxis que levam aos destinos finais.

. Hospedei-me na Pousada Jamanta, que também é uma Operadora de Mergulho credenciada. Grande, com ótima infraestrutura, uma área de piscina maravilhosa, conta com quartos que vão desde os espartanos até os mais amplos. Eu fiquei em um apartamento duplo, bem cômodo, com dois quartos, sala de estar, cozinha equipada.

Destaques da pousada são: a piscina, o caiaque à disposição dos hóspedes, o café da manhã, a localização próxima ao centro mas distante o suficiente para se sentir mais inserida na natureza (o centro de Angra é feio), o fato de a Pousada possuir barco que pode ser alugado pelos hóspedes e também barco para mergulho de cilindro. Ou seja, se você não quiser, não precisa sair da pousada para nada além dos passeios que ela mesmo organiza para você. Além disso tudo, ela tem um bom restaurante, cujo único porém é fechar cedo. Em todo caso, eles também oferecem telefones para pedir pizza, se precisar.

. Passeios: o melhor de Angra é explorar a Baía de Ilha Grande! Ou seja, tem que fazer passeio de barco! Se o orçamento estiver curto, vá ao cais, no centro da cidade, de onde saem as escunas em grupos abertos. Se o orçamento estiver mais folgado, então alugue um barco e faça um passeio privado que, de preferência, siga em rotas diferentes e opostas às das escunas, que tendem a ficar cheias e, assim, você poderá ter praias e ilhas exclusivas para curtir!

Os principais roteiros são os que vão até Ilha Grande para um day trip ou passeios que percorram as ilhas mais próximas da cidade, como a Ilha da Gipóia.

E, se já tiver feito muitos passeios de barco pelas ilhas e quiser inovar, aventure-se na serra em busca de belas cachoeiras!

Quanto aos restaurantes, como disse antes, quando eu ia para Angra, costumava ficar em casa de amigos e por lá mesmo nós preparávamos as refeições. Mas, na hora do aperto e da preguiça, a gente costumava recorrer ao Pirata's Mall, o Shopping que tem em Angra. Nessa última ida, as refeições foram feitas na Pousada Jamanta e na Ilha da Gipóia, no Restaurante Canto das Canoas. Gostei muito dos dois, embora o Canto das Canoas seja muito caro. 



- MARÇO DE 2014

Em março, nós passamos o carnaval em Porto de Galinhas! Foi uma viagem maravilhosa que fiz com meu noivo e minha amiga Tati (Instagram @tattytoptrips).

Praia de Carneiros, litoral Pernambucano, uma das mais belas! Visite o restaurante Beijupirá de lá.

Já conhecia Porto de Galinhas, onde estive em 2007, mas, passado tanto tempo, devo dizer que vi praticamente uma nova cidade! Como cresceu!

Localizada no estado de Pernambuco, a cerca de 1 hora de Recife depois das melhorias realizadas nas estradas em razão das obras para expansão do Porto de SUAPE e também para construção de pólo Petro-Químico na região entre Recife e Porto, realmente foi bem tranquilo o deslocamento desde o aeroporto até o vilarejo.

Porto de Galinhas, portanto, é um vilarejo bem conhecido do município de Ipojuca, é bem procurado nessas épocas de feriados e festas, como carnaval. Confesso que logo no sábado de carnaval, como estava tudo ainda bem tranquilo e sem sinais de hiper lotação, até acreditei que seria um carnaval tranquilo. Ledo engano! Já no domingo de carnaval, a cidade encheu e a sua praia principal ficou insuportável de cheia. Logo, se você não suporta lugares muito cheios, fuja de Porto de Galinhas nessas épocas.

Algumas dicas rápidas para ajudar no planejamento da viagem:

. Acesso: fui de avião e desembarquei no aeroporto de Recife. Contratei um transfer diretamente com a pousada e custou R$140,00 cada trecho.

. Hospedei-me na Pousada Manamar (em 2007, eu fiquei em outra pousada, mas confesso que não me lembro mais do nome). A Pousada Manamar fica bem perto das principais ruas do vilarejo, perto de restaurantes, na Praça nº4. Fácil de chegar e de se locomover, perto também da praia e das piscinas naturais de Porto de Galinhas. Atendeu bem aos nossos anseios, que era o de não gastar milhares de "dilmas" na viagem. Priorizei contratar passeios privativos e, por isso, ao escolher a pousada, optei por uma que fosse bem localizada, limpa, aconchegante e com café da manhã. A Maremansa cumpriu seu papel. Uma pousada simples, cujos donos são simpáticos argentinos radicados em Porto de Galinhas. Tudo bem cuidado, dentro da simplicidade. Ou seja, não esperem luxo.

. Contratamos os passeios privativos com o Alex (telefone: +55 81 9754-5861 - tem whatsapp) que organizou tudo para a gente, dividindo os passeios que foram conduzidos por ele próprio, em carro fechado, e pelo Marcelo, em buggy. Alex foi-me indicado pelo casal de amigos Aline e Thiago do blog O Tour Nosso de Cada Dia e foi uma excelente dica que compartilho com vocês.

**Fizemos os seguintes passeios**

- Buggy Ponta a Ponta, com destaques para Pontal do Cupe, Muro Alto e almoço no Pontal de Maracaípe. Em Muro Alto, fique na Barraca da Ana e aproveite para nadar até a barreira de recife ou vá de caiaque que é bem divertido! Ah, também pode alugar prancha de SUP - Stand Up Paddle.

- Praia dos Carneiros, com direito ao passeio de lancha e banho de argila. Em Carneiros, nós ficamos na estrutura do restaurante Beijupirá. Mas lá tem pousada e muitos preferem ficar por lá direto.

- Buggy para Serrambi e suas praias

- Buggy para o banho de argila, Enseada dos Corais e Praia de Calhetas. Em Calhetas, ficamos no Bar do Arthur.

Obs.: Por políticas ambientais e avanço do mar na praia, muitos passeios de buggy são feitos pela estrada ou ruas mesmo e não pelas praias, como pensávamos que seria, pois, em 2007, fiz a maioria pela praia como no caso do Pontal do Maracaípe, onde não se chega mais de buggy pela praia para fazer o passeio de jangada dos cavalos-marinhos (eu fiz esse passeio em 2007. Não repeti em 2014 porque li muitos relatos de que é um passeio "armado", pois os ribeirinhos mantêm os cavalos-marinhos "presos" em lugares já sabidos. E, de certa forma, conversando com o pessoal de lá, isso "meio que" foi confirmado. Sabe quando a pessoa não quer confirmar mas dá a entender que eu estou certa? rsrs)

De todos os passeios, devo dizer que as praias que mais me encantaram são: Carneiros, Calhetas e Muro Alto!

Reservamos um dia para Porto de Galinhas, para ficar em sua praia e passear nas piscinas naturais. Como a maré estava bem baixa pela manhã, em torno de 0.1, nem precisamos usar as jangadas para nos aproximarmos das piscinas naturais. Fomos literalmente caminhando pela praia e pela água. Impressionante perceber que a maré sobe bem rápido.

Dica: consulte a Tábua das Marés antes de viajar (procure a Capitania dos Portos mais próxima para ter uma ideia) e veja qual o horários das marés mais baixas. Entre 0 e 0.4 é propício para aproveitar as piscinas naturais. Então, sabendo o horário da maré mais baixa, vá para as piscinas naturais pelo menos 1hora antes de começar a encher, porque é mais interessante curtir as piscinas com a maré "secando" do que com a maré enchendo, pois, enchendo, acaba formando uma certa correnteza.

. Dicas de Restaurantes em Porto de Galinhas:
- Restaurante Beijupirá, em Porto de Galinhas ou Carneiros (na Rua do Beijupirá há muitos restaurantes e galeria cheia de opções, como sorveterias, onde também estivemos e provamos o sorvete do John`s Sorvetes)
- Barcaxeira, em Porto de Galinhas (o carro-chefe são os super bem servidos escondidinhos!)
- La Crèperie, em Porto de Galinhas
- Barraca da Ana, em Muro Alto
- Barraca do Wilson, em Calhetas (experimente o famoso camarão no coco!)
- Munganga Bistrô, em Porto de Galinhas
- Porto Barracuda Restaurante, em Pontal de Maracaípe (onde há vários outros restaurantes bem interessantes!)

OBS.: em termos de Carnaval, Porto de Galinhas ficou até bastante cheia de gente, movimentada. Mas não há muito agito de Carnaval (ao menos eu não vi) além de alguns bloquinhos formados, em grande parte, por moradores da região, que desfilavam pela cidade! Ou seja, não espere ver algo como Salvador ou Olinda. Inclusive, se você quiser curtir o carnaval em Olinda, é bem perto. Sem trânsito (se você for de madrugada e der sorte), gasta-se algo em torno de 1  hora e meia. Portanto, é uma ótima opção de day trip também para aproveitar o famoso carnaval de rua de Olinda e seus bonecos, além do já tradicional Galo da Madrugada que arrasta milhões de foliões!


Ainda em MARÇO DE 2014, nós fomos para Búzios. Fizemos um super encontro com os membros do GVBB - Grupo de Viajantes e Blogueiros do Brasil, do qual tivemos o prazer e o orgulho de sermos co-fundadores.



Passeio de barco ou escuna até a Ilha Feia é muito bacana!

Em Búzios, balneário mais que querido do litoral fluminense, eternizado pela ilustre presença da sexy symbol Brigitte Bardot, tivemos um ótimo final de semana, com passeios de barco e trolley, além de curtirmos a night na boate Privigele e nos deliciarmos com os crepes do Chez Michou.

Muitas dicas de Búzios você encontrará no GUIA DE BÚZIOS que elaboramos com muito carinho.



- ABRIL DE 2014

Abril foi nosso mês de férias e muitas viagens incríveis!

Finalmente realizei um grande sonho, o de conhecer o paraíso chamado Los Roques!! Caribe venezuelano, esse arquipélago em formato de atol, que fica a cerca de 45 minutos de voo da capital Caracas, conquistou meu coração!

Eu me estressei com a crise pela qual passava - ainda passa - o país. Os cancelamentos de voos, as dificuldades de comunicação com o pessoal de lá, os problemas com as companhias aéreas locais... enfim, foi um planejamento difícil que levou 4 meses. No fim, deu tudo certo e foi lindo demais!

Delícia de dia na ilha de Francisky de Arriba

E se tiver vontade de conhecer esse verdadeiro paraíso, rústico, maravilhoso, com um povo muito simpático e acolhedor, veja tudo e mais um pouco no nosso GUIA DE LOS ROQUES!

Na sequência de Los Roques, ainda em ritmo de férias, fomos passar uns dias no Ceará! Oh delícia de terra!

estive no Ceará, no total, por 4 vezes e não me canso! Dessa vez foi bem corrido fazer tudo que gostaríamos e nem sempre o tempo ajudava, pois, em abril, costuma ser a temporada das chuvinhas por lá.

Ainda assim, passeamos bastante por FORTALEZA, CUMBUCO, CANOA QUEBRADA, JERICOACOARA e pude conhecer o BEACH PARK Até que aproveitamos muito, não?

Ahhh... Jeri! Nada como relaxar nas suas redes.... Lagoa do Paraíso - Jericoacoara

Se quiser mais dicas dos encantos cearenses, confira também os nossos posts sobre MORRO BRANCO e LAGOINHA. Tenho certeza de que você vai adorar!!



** CEARÁ:









- MAIO DE 2014

Aproveitando o feriadinho do dia 01º de maio - pausa: muita gente me pergunta como consigo fazer tantas viagens ao longo do ano. Gente, eu só tenho 1 mês de férias, viu? A estratégia é tentar viajar nos feriados prolongados e buscar encaixar férias com alguns feriados para aumentar os seus dias. Nada demais e sem mistérios, viram? - então, aproveitando o feriado prolongado de maio, eu fui ali rapidinho conhecer alguns destinos mineiros.

Acreditam que eu não conhecia Belo Horizonte, Ouro Preto nem Inhotim? Um pecado, né? Ainda mais sendo destinos tão próximos do Rio de Janeiro. Portanto, lá fomos nós explorar as delícias mineiras.

E antes de falar um pouco dos lugares, devo confessar todo o meu amor pela culinária mineira! Pão de queijo recheado de pernil ou linguiça, feijão tropeiro, torresmo, linguiças, cachacinha ... hummmmm.. uma perdição! Engordo só de pensar rsrsrs...

Em Belo Horizonte, infelizmente, foi uma passagem muito rápida e fiquei devendo voltar com calma para conhecer melhor. Portanto, não tenho muito a dizer além do seguinte:

- Hospedagem: fiquei no Ibis Budget da Av. Bias Fortes, em região central na cidade, perto do Mercado e da Praça da Praça da Liberdade.

- Mercado Central: visita obrigatória para comer o melhor bolo de milho (com pedacinhos de queijo por dentro) e o famoso pão de queijo recheado de pernil ou linguiça!

- Botecos: em Belzonte, o programa noturno mais típico e gostoso é Botecar! E, por coincidência, durante a nossa estada por lá estava justamente rolando o festival Botecar, que reúne vários bares e botecos da cidade. A ideia é oferecer pratos de petiscos diferentes e novos para o festival. Aprendi que Savassi não é bem um bairro, mas é tão famoso quanto um e é o point quando o assunto é tomar uns golos e botecar. Nós fomos ao Bar Via Cristina, no bairro Santo Antônio, que possui um acervo de quase 1 mil rótulos de cachaças! Sim, Mil! Impressiona realmente pela quantidade. E eles já reivindicaram o recorde registrado no livro Guinness. Atendimento muito simpático e solícito (comum em Minas Gerais), os petiscos estavam bem saborosos.

E foi uma ótima oportunidade para conhecer e reunir amigos blogueiros. Na ocasião, estiveram presentes a Fabi do blog Viagens e Vivências, o Clayton do blog Rock and Road, o Rafael do blog Andando por Aí e o casal Lílian e Helder do blog Nerds Viajantes. Foi uma reunião bem animada e divertida.

- Praça da Liberdade: ficava bem perto do hotel Ibis Budget e lá estivemos só um pouquinho para conhecer. Como disse, minha passagem por Belo Horizonte foi relâmpago e pretendo voltar! Mas a praça é linda, enorme, muito bem preservada e cuidada, encanta pela arquitetura dos prédios que a cercam, pela presença de coretos e chafarizes e realmente é um destaque na cidade a conhecer.

Em seguida, passamos um dia no Instituto Inhotim, na cidade de Brumadinho, a cerca de 1:30h de distância de Belo Horizonte (pegamos um pouquinho de engarrafamento e muitos caminhões pela estrada). Puxa, falar rapidinho do Inhotim é até um sacrilégio, porque o lugar é tão grande, tão encantador e tão belo que não caberia em uma resenha. Portanto, aguardem uma matéria sobre lá que eu prometo escrever contando os detalhes do Instituto.

Por ora, vejamos algumas dicas rapidinhas do Inhotim:

O paisagismo incrível e belo do Inhotim

- Há hospedagem em Brumadinho e, quando lá estive, estava em andamento a construção de um resort. Ainda assim, não vejo necessidade pois um bate-e-volta de Belo Horizonte atende bem. Eu visitei o Instituto em apenas 1 dia e pude conhecer muita coisa. Há que prefira ir em dois dias, mas isso é pessoal. Para mim, 1 dia foi suficiente para ter uma ampla noção do Instituto e voltar mais para frente. Acho que fazer em dois dias seguidos a visita pode ser cansativo (é só a minha opinião). O meio mais fácil é de carro, mas também há ônibus que vai da rodoviária de BH para Brumadinho.

- Chegue cedo, de preferência, antes de abrir o Instituto, às 09:30. Aproveite ao máximo o dia por lá. Inhotim tem um uma excelente infraestrutura com restaurantes, lanchonetes, banheiros, tudo bem organizado e limpo. Os preços não são exorbitantes. Vale a pena passar o dia por lá e curtir bem os ambiente.

- O que mais me impressionou no Instituto Inhotim foi o seu paisagismo e as obras de arte a céu aberto. Há muitas, muitas mesmo. Além delas, há também muitas galerias de arte, assinadas por artistas como Adriana Varejão (sua galeria é muito interessante). Para quem é fã de arte pós moderna contemporânea, vai gostar ainda mais. Eu, na minha humilde ignorância para arte pós moderna, tive dificuldade de apreciar algumas das galerias que visitei. Por isso preferi as obras de arte ao ar livre e o incrível paisagismo de lá.

- Pegue um mapa e selecione as galerias e obras de arte que deseja conhecer. Um dia é pouco para ver absolutamente tudo com o ritmo contemplativo que o lugar merece. Portanto, seja objetivo e trace suas rotas pelo Instituto, que é enorme e você precisará caminhar bastante. Mas também há opção de um carrinho para pessoas com dificuldade de locomoção, pago à parte.

- Observe os bancos de madeira que são sensacionais!

- Por fim, interessante notar que o Inhotim, hoje, pelo destaque cultural que conquistou no mundo, recebe praticamente o dobro de turistas estrangeiros que a capital BH recebe.


Daí, partimos rumo às cidades históricas de Ouro Preto e Mariana. Ficamos hospedados em Ouro Preto por 3 noites e, como Mariana é bem pertinho, tiramos um dia para fazer day trip por lá.

Mirante de onde se avista Ouro Preto. Procure os Mirantes. Eles conferem paisagens maravilhosas da cidade.

** Resuminho de Ouro Preto **

- Hospedagem: ficamos no Grande Hotel Ouro Preto, projetado pelo mestre e genial Oscar Niemeyer e foi o primeiro hotel de turismo em Ouro Preto. Em termos de arquitetura, é bem ousado e destoa da cidade histórica, dos casarios antigos com eiras e beiras no telhado. Muito bom atendimento, quarto standard suficiente. Café da manhã bom e simples. Muito bem localizado, para variar, em uma ladeira (só tem ladeira em Ouro Preto rsrs), bem pertinho da principal praça, a Praça Tiradentes. O hotel tem piscina (que não usamos porque estava frio) e tem dois mirantes lindinhos para a cidade, que conferem ótimas fotos. Só tivemos problema no primeiro dia, à noite, com água quente. Depois, tudo ficou normalizado.

- Caminhamos bastante pelo Centro Histórico de Ouro Preto e devo dizer que nunca na vida subi e desci tanta ladeira. Portanto, nada de salto, viram? Sapatos confortáveis e sem salto!

- Contratamos um excelente guia de turismo. Na Praça Tiradentes há um Bureau de Turismo e lá encontramos o guia Manteiga que, além de guia de turismo credenciado junto ao Ministério do Turismo, também trabalha com restauração e sabe tudo sobre a maçonaria mineira! rsrsrs... Tivemos uma verdadeira aula com ele em Ouro Preto e, juntos, percorremos diversos lugares (se você gosta de Igrejas e História, aqui você vai se fartar!!):

- Casa dos Contos (entrada gratuita)
- Praça Tiradentes
- Museu da Inconfidência
- Igreja Nossa Senhora do Carmo (onde entramos e tivemos uma aula de restauração com o guia Mantega, além de seguirmos os passos dos inconfidentes e maçons que deixaram seus rastros - estilo Código Da Vinci, sabe?)
- Igreja de São Francisco de Assis, cuja fachada é do mestre Aleijadinho (entramos para visita com o guia Mantega) e ao lado tem a famosa feirinha de pedra sabão (eu queria comprar tanta coisa... pena que é pesado!)
- Igreja Matriz Nossa Senhora do Pilar (R$10.00 a entrada, em algumas igrejas, a entrada é paga)
- Capelas (são várias espalhadas pela cidade, como as Capelas Passo, que abrem durante a procissão da Semana Santa). Eu entrei na Capela Bom Jesus dos Passos, que estava aberta.
- Igreja Nossa Senhora do Rosário (entramos para visita com o guia Mantega)
- Igreja Nossa Senhora Mercês e Misericórdia (fomos por conta própria e assistimos a um pedacinho da missa)
- A Casa onde residiu o Alferes Joaquim José da Silva Xavier, mais conhecido como Tiradentes
- Também fizemos uma visita à Mina de Ouro Jeje, desativada, do século XVIII
- Igreja da Sé (fica no alto da colina, bem íngreme! A subida é um desafio e nós fomos!!)
- Igreja São José

- Assistimos à festa do Congado da Comunidade de Antonio Dias que foi uma experiência fantástica.

- Fábrica de Chocolates Ouro Preto (bem na pracinha principal, a Tiradentes. Os chocolates são deliciosos. Prove a gelatina de Cachaça. Muito boa!)
- Amazonia Artesanatos na Praça Tiradentes

Obs.: é muito difícil conseguir tirar fotos dentro das Igrejas. Geralmente, não é permitido. Verifique os horários, pois elas fecham em horário próximo ao almoço). Em Ouro Preto, as igrejas, como praticamente tudo, foram construídas por escravos. A escravidão foi muito marcante na história da cidade. Aliás, história é o que não falta por lá, pois a cidade foi uma das mais importantes do Brasil, quiçá a mais importante, do período colonial na época do Ciclo de Exploração do Ouro e Pedras Preciosas. Logo, se você gosta de história tanto quanto eu, vai se comover em imaginar a degradação humana a que eram submetidos os escravos e ver ao vivo muito do que aprendemos no colégio sobre a Inconfidência Mineira, uma quase manifestação de jovens motivados pelos ideias do Iluminismo.

- Restaurantes:
. Chalet dos Caldos (aprecie os caldos, pois faz frio à noite em Ouro Preto no outono e inverno, frio de verdade!)
. Experimente o chope Ouropretana no Escadabaixo (mix de pub, restaurante, barzinho, muito difernte e descolado)
. Restaurante O Passo, perto da Casa dos Contos (onde comemos uma ótima pizza. Só perdeu pontos pela fila gigante que enfrentamos)
. Restaurante Acaso 85, perto da Igreja Nossa Senhora do Carmo (o ambiente é muito diferente, mas o atendimento foi enrolado)
. Coma pão de queijo recheado de pernil ou linguiça sem culpa! Na Praça Tiradentes há algumas padarias/lanchonetes que vendem.
. Compre e coma muito doce de leite. Na loja Garapinha, perto da Casa dos Contos, eles oferecem para degustar e vendem vários tipos e marcas de doce de leite.


** Resuminho de Mariana ** 

Fizemos um day trip a Mariana. Fica bem pertinho de Ouro Preto, a cerca de 30 minutos de trem. Nós fomos de carro porque paramos na Mina da Passagem para conhecer. Uma pena que estava fechada naquela hora por problemas internos de iluminação. Essa é outra mina desativada, onde você desce de vagão, no melhor estilo Sete Anões, até um lago azul. E voltamos no Trem da Vale. Optamos voltar no vagão panorâmico da Maria Fumaça, que tem janelas grandes de vidro para apreciarmos a paisagem. Custou cerca de R$60,00 só um trecho e acho que valeu a pena para conhecer e apreciar a paisagem das montanhas, com cachoeiras, e fazer um passeio diferente. Mas creio que eu não repetira.

Em Mariana, nós fomos até o Centro de Informações Turísticas, perto da Rua Direita e lá contratamos novamente um guia, o Luciano, que nos acompanhou durante o passeio pela cidade.

E mais ladeiras pela frente (de forma mais tímida do que Ouro Preto, onde as ladeiras são são brincadeira), conhecemos o seguinte em Mariana:

- Praça Minas Gerais: belíssima, onde estão as Igrejas São Francisco de Assis e Nossa Senhora do Carmo, além da Câmara Municipal, antiga cadeia da cidade, e o Pelourinho no centro.
- Igreja São Pedro dos Clérigos
- Catedral Basílica Nossa Senhora da Assunção - Sé (onde está enterrado o corpo do mestre Ataíde)

Em termos de beleza interior das Igrejas, as de Ouro Preto impressionam mais.

Recomendo o Restaurante Rancho, localizado em uma pracinha linda com coreto, jardim - Praça Gomes Freire.

Também ficamos um pouco no espaço que a Vale do Rio Doce fez na estação de trem. Bastante interativo, é repleto de atrações para crianças. Muito bacana.


- JUNHO DE 2014

No mês de junho, com o começo da Copa do Mundo (cuja abertura estragou o nosso dia dos Namorados kkk), eu fui finalmente conhecer meu sogro lá no interiorzão do Paraná! Foi uma viagem extremamente bucólica, momentos de família e emoção.

Fazendas, gado, pasto... uma vida bucólica tão diferente do nosso agito urbano do Rio de Janeiro.

Também atravessei a fronteira e fui ao Paraguai, que fica perto da cidade natal do namorado. Fui até Salto del Guairá, cidade paraguaia que faz fronteira com o Brasil e com os estados do Paraná e Mato Grosso do Sul.

Fiquei encantada com a organização dessa cidade. Fazendo jus à fama, essa cidade não fica atrás de Ciudad del Este em termos de ofertas incríveis de produtos, sem impostos, a preços que chegam a ser menos da metade dos que vemos aqui no Brasil.

Acabei passando praticamente o dia inteiro no Shopping China. Enorme, é um lugar para ir com calma, paciência, pegar o carrinho de supermercado e fazer suas compras. E tudo me pareceu em ótimo estado, ou seja, legítimo. Sem essa de "la garantia soy yo"! kkkk... Outro lugar que pareceu bem interessante é o Shopping MercoSur. Mas nem deu tempo de conhecer.

E, para completar a imersão na natureza, a travessia do Rio Paraná também foi uma surpresa boa, quando fomos ao Paraguai, cheio de paisagens belas.


- JULHO DE 2014

Por fim, encerrando o primeiro semestre do ano, chegamos ao mês de julho de 2014!

A Copa do Mundo acabou, o Brasil perdeu feio para a Alemanha (algo que vai marcar nossa memória para sempre), o Rio de Janeiro recebeu milhares de turistas, fizemos vários encontros com amigos para assistirmos juntos aos jogos... e a Copa realmente deixou saudades!

E o que eu fiz em Julho de 2014?

Eu fui a Petrópolis, cidade serrana do Rio de Janeiro, a Cidade Pedro, onde morou Dom Pedro II e sua família. Por lá passeamos bastante também!! Adoro Petrópolis e seu clima provinciano, o clima de montanha, o friozinho delicioso para onde podemos escapar no inverno e sentir realmente o verdadeiro inverno. A cerca de 1 hora do Rio de Janeiro (nas condições normais de trânsito) a cidade é um ótimo refúgio para quem quer ficar mais perto da natureza e descansar.


Catedral de Dom Pedro de Alcântara

Quer saber um pouco mais sobre Petrópolis e Itaipava, que é seu distrito e também um ótimo pólo gastronômico? Veja aqui essas dicas:

- SERRA FLUMINENSE:



Dessa vez, como diferencial, nós pudemos curtir a divertida festa do Colono Alemão de Petrópolis: Bauernfest. A festa que acontece desde 1990, encheu de cores o entorno do Palácio de Cristal, com várias barraquinhas, muito salsichão e linguiça, chucrute e cerveja! A festa estava muito bonita e, mais ainda, depois que a Alemanha ganhou da França. Como eu fui justamente no dia do jogo do Brasil contra a Colômbia, pois foi feriado no Rio de Janeiro, curti também a alegria dos descendentes de alemães. Apresentações com dancinhas típicas, muitos doces também fizeram a nossa alegria. Hummmm... strudel de maçã! Delicioso!

Vale a pena conhecer a festa que acontece todo ano nessa época, nos meses de junho e julho.

E como nosso objetivo era reunir os amigos para assistirmos ao jogo do Brasil juntos e também passearmos em Petrópolis, fizemos alguns passeios legais por lá. Alguns, que eu já conhecia (estou careca de ir a Petrópolis kkkkk), outros foram novidade!

Assistimos ao jogo do Brasil no bar da Fábrica da cerveja Bohemia

Vale muito a pena conhecer a Fábrica da Bohemia. Aproveite para também conhecer seu restaurante e bar

Também, pela segunda fez, fiz a visita à Cervejaria Bohemia. Uma visita completa, rica em informações, interativa, com vários ambientes e muitos detalhes sobre a feitura dessa bebida milenar, o pão líquido é o grande astro e realmente encanta percorrer a fábrica que está muito bem organizada e moderna.

Aos que já visitaram Amsterdam e fizeram a Heineken Experience, perceberão a diferença. Enquanto lá na Heineken o foco é grande na sua própria história, na Bohemia o foco é na cerveja em si, na história da cerveja, na produção de uma boa cerveja. Ambas incluem degustação! O que talvez falte aqui na nossa seja uma boa loja de produtos da Bohemia e de souvernirs, além de um espaço melhor e mais animado para a degustação, a exemplo de como acontece na Heineken. 

Por outro lado, a Bohemia inaugurou há pouco tempo um excelente restaurante no interior da fábrica. Enorme e muito bem decorado, o restaurante costuma ter fila de espera, mas compensa. Vale a pena mesmo. A comida, embora eu só tenha experimentado um prato de entrada, estava deliciosa. E, o melhor de tudo, é poder continuar degustando as suas cervejas. A cerveja Confraria e a Weiss, para mim, são as melhores! 

De todo modo, estamos de parabéns porque a nossa Fábrica, tupiniquim, dá um show de modernidade, interatividade de riqueza de conteúdo! Sugiro ficar pelos menos 2 hora lá dentro e aproveite para tirar as fotos nas maquininhas deles! É tão moderno, que você já envia direto para o seu e-mail, ou compartilha nas redes sociais!

Além da Festa do Colono Alemão e da Cervejaria Bohemia, outra novidade para mim foi fazer a visita guiada na Casa da Ipiranga, localizada na Avenida Ipiranga, próximo ao Centro Histórico, mais conhecida como a Casa dos 7 Erros. Praticamente intacta, hoje ela é um Centro Cultural. A visita guiada foi conduzida pelo herdeiro da família que a construiu, nos meados do século XIX, família que foi muito amiga da família imperial, tanto que o jardim da casa, espetacular (diga-se de passagem) foi projetado por Auguste Glaziou, paisagista e botânico da Casa Imperial Brasileira e da Quinta da Boa Vista. Riqueza na decoração, em estilo europeu, o interior surpreende pelos detalhes, beleza e pelas histórias que o guia nos conta. Vale muito a pena a visita. 

E quando for à Casa da Ipiranga, aproveite para também desfrutar do Restaurante Bordeaux, que fica no antigo estábulo da Casa. Um restaurante delicioso, aconchegante, com ótimo atendimento e comida deliciosa. O lugar, além de tudo, é lindo e romântico!

Por fim, também estivemos no Hotel Solar do Império, no Centro Histórico de Petrópolis, um lugar belíssimo, diferenciado e com uma decoração que chama atenção pelos traços renascentistas da sua arquetura. Aproveitamos para apreciar o lugar e também conhecer o seu café da manhã que é aberto ao público (mas faça reserva antes e confirme). Quanto ao café da manhã, em si, tudo que foi servido estava muito gostoso. Mas devo alertar que o serviço foi demorado e enrolado (estávamos em uma mesa grande de amigos, com cerca de 12 pessoas e acreditamos que isso possa ter sido o motivo). Não deixe de provar a Torrada Petrópolis recheada de queijo, presunto e/ou ovo! Sublime!

Outros passeios em Petrópolis que sempre recomendo são:

- Museu Imperial (para conhecer um pouco mais da nossa história)
- Casa de Santos Dumont
- Quitandinha (hoje em dia funciona como um centro cultural do SESC)
- Catedral de Dom Pedro de Alcântara
- Caminhar pela Avenida Koeler (lindíssima e cercada de casarios antigos)
- Museu de Cera (eu ainda não fui) que fica na praça da Casa de Santos Dumont e da Universidade Católica de Petrópolis, onde há um belo relógio de flores.


Agora sim, encerrando o primeiro semestre, ainda em JULHO, estivemos novamente em Búzios para conferir, a convite do Búzios Convention & Bureau de Turismo, o Festival Gastronômico da cidade, sobre o qual já comentamos aqui no Apaixonados por Viagens.

O Festival é realmente muito interessante. Uma proposta talvez única no Brasil, que proporciona uma imersão de sabores e aromas. É irresisível não querer degustar ao máximo. Aliás, a ideia é justamente essa: degustar! 

Um pouco das delícias que provamos no Festival Gastronômico de Búzios

Pratos pequenos, barracas na rua, cidade cheia, chefs que saem dos bastidores e se apresentam, bandeirinhas que fazem levar uma festa junina, os principais lugares do festival - Rua das Pedras, Rua Manoel Turíbio e Porto da Barra - estavam enfeitados, animados e convidativos! 

O friozinho dessa época do ano contribuiu para apetecer ainda mais o evento. Infelizmente, no segundo final de semana (ele ocorreu em apenas 4 dias), quando eu fui, São Pedro não ajudou muito e choveu. Fez muito frio! Mas isso não atrapalhou o Festival já que à noite o tempo ficava mais firme e, embora o frio aumentasse, foi muto tranquilo percorrer suas ruas e abrir novos horizontes para paladares e misturas diferentes e inusitadas. 

Restaurante Donna Jô, no Porto da Barra, em Manguinhos, foi o campeão na minha opinião com esse camarão na moranga e fafora de coco perfeitos e deliciosos

Gostei bastante do Festival, que já está na sua décima terceira edição e promete seguir firme e forte. Portanto, já deixem anotado: ele costuma ocorrer todo ano em julho, durante apenas 2 finais de semana! Ano que vem tem mais!! 

E vamos que vamos para o Segundo Semestre!! Que bons ventos soprem para todos nós!! 




4 comentários:

  1. Ola Lily, tudo bem??
    Parabéns pelo blog. As matérias são sempre bem detalhadas.
    Por coincidência estava em BH em maio também.
    Agradeço sua atenção e que venha muitas viagens para nós!!!
    Beijos
    Thais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thais, tudo ótimo! E você?
      Jura? Que coincidência!!!
      Menina, eu não conhecia BH... um pecado! E sou grande fã da culinária mineira... amo de paixão!
      A casa está sempre aberta para você! Seja bem vinda!
      No que eu puder ajudar, conte comigo! Estou na correria agora, mas quando eu voltar de férias, a gente com certeza poderá trocar mais figurinhas!
      Beijinhos e que bons ventos tragam lindas viagens para a gente!!
      Lily Pestana

      Excluir
    2. Oie Lily,
      Eu também não conhecia BH e adorei!!!! E os barzinhos e comidas di buteco.....super legal!!!
      Obrigada pelo seu carinho e também estou á disposição para o que precisar.
      Boa viagem!!!!
      ;) beijos
      Thais

      Excluir
    3. Olá, Thais! Pois é.. comida de boteco, uma cachacinha, um torresminho hummmmm... delícia! Adorei muito aquele lugar! E o pão de queijo recheado de pernil? kkkk.. deu até fome!
      Obrigada você, Thais!
      Desejo-lhe muito sucesso!
      beijos,
      Lily

      Excluir