quarta-feira, 30 de abril de 2014

GUIA DE LOS ROQUES: Entenda o Arquipélago e sua Dinâmica

Cayo de Água

Los Roques: Dicas e Informações para você Entender e Conhecer

Estive em Los Roques durante 10 dias, ao longo do mês de abril de 2014. Alguns acompanharam por aqui, no blog, essa minha aventura, realizada entre os dias 05 e 15 de abril, pois consegui fazer um Diário de Viagem, contando, ao vivo, o que de bom eu andava fazendo por lá (graças ao wifi da Posada La Cigala).


Apaixonados por Viagens em Madrisquí
  
Los Roques é um arquipélago caribenho rústico, com estrutura de Atol, que pertence à Venezuela, país da América do Sul, e faz parte das Dependências Federais da Venezuela. Fica a uns 35 minutos de Caracas/Maiquetia, de avião, cerca de 176 km ao norte da capital. Com superfície estimada em 40,60 km², cercado por duas grandes barreira de recifes que rodeiam uma laguna central de 400 km², trata-se do Maior Parque Marinho da América Latina, compreendido por um Parque Nacional e abrangendo nada mais nada menos do que 300 bancos de areia, ilhas e cayos.



Madrisquí

É um dos mais importantes pontos turísticos do país, que também oferece como passeio incrível (mas que ainda não conheço) o Salto Ángel, a maior queda do mundo, com 979 metros de altura, localizado no Parque Nacional da Canaima, perto da fronteira Brasil-Guiana.

Perto de Los Roques está outra ilha famosa, que é a Isla Margarita. É bastante comum as pessoas conjugarem os dois passeios, indo a Los Roques e a Isla Margarita de uma só vez. A vantagem oferecida em Isla Margarita é poder fazer compras sem impostos e a preços bem convidativos (espécie de Zona Franca).

Até onde eu sei, para chegar ou sair de Los Roques, somente de avião ou barco. Portanto, desconheço a existência de voo direto entre Los Roques e Isla Margarita, por enquanto, pelas companhias aéreas conhecidas, mas pode haver voo fretado. Em todo caso, li no blog da amiga Sy - www.viajandocomsy.com.br - que ela soube com os moradores de Los Roques sobre uma cia aérea chamada Albatroz que faria esse trecho. 



Carenero - a praia predileta de muitos


** Caracas:

Cheguei em Caracas, na verdade, em Maiquetía, onde está localizado o Aeroporto Internacional Simón Bolívar, no dia 05 de abril. 


Aeroporto Internacional de Caracas
Consegui resgatar minhas passagens aéreas - ida e volta - com milhas. A ida foi com a Gol e a volta foi com a Tam.

Infelizmente, ambas companhias aéreas cancelaram seus voos, obrigando-me a remarcar as datas e a pernoitar em Maiquetia, o que não estava nos meus planos. No final, deu tudo certo e ainda consegui prolongar minha estada em Los Roques, pois antecipei a ida e adiei a volta.

Tem sido cada vez mais difícil chegar em Caracas e embarcar na sequência para Los Roques. A grande maioria das pessoas acaba pernoitando em Caracas/Maiquetía e voando para Los Roques no dia seguinte.

Qualquer voo que chegue em Caracas depois das 15h já não permite mais voar para Los Roques.


* Algumas questões relevantes sobre essa chegada em Caracas são:

- Aeroporto: o assédio para trocar dinheiro é grande, inclusive funcionários do aeroporto vão te abordar para perguntar se deseja trocar dólares. Atenção para os golpes. De preferência, tenha notas de dólares em valores baixos, pois essa medida já afasta grande parte dos golpes. Recomendo viajar com notas de 10usd ou 20usd.

Quanto ao câmbio, não troque muito dinheiro no aeroporto, primeiro, porque não será a melhor cotação, segundo, porque você não precisará de tanto assim se já tiver o hotel em Maiquetía pago. O dinheiro a ser trocado servirá basicamente para pagar a taxa de embarque para voos nacionais, a taxa de preservação do Parque Nacional ao desembarcar em Los Roques e para eventuais refeições enquanto estiver no aeroporto ou no hotel. Eu troquei apenas 100usd e foi muito mais do que o suficiente. Não precisava disso tudo.

Evite usar cartão de crédito já que nele incidirá a cotação oficial.

Os dois aeroportos, Internacional e Nacional, são bons, limpos e até mais modernos do que eu esperava. O Nacional tem uma variedade incrível de lanchonetes, lojas, farmácias na área de embarque/desembarque. Em relação ao Internacional, a pergunta mais frequente é sobre o Duty Free. Realmente, com a crise e a escassez de dólares no mercado interno, o Duty Free do Aeroporto Internacional da Venezuela é uma piada - no lugar de produtos da Dior ou Clinique (ou qualquer outra grife internacional) você encontrará chocolates venezuelanos e muito rum (achei engraçado o chocolate da Nestlé chamado Cocosete).

Os arredores do aeroporto são estranhos. O pouco que vi, pareceu ser de comunidade bem carente - favela. Não recomendo andar a pé por ali nem pegar táxi comum, sem ter previamente agendado com alguém. Há muitos relatos de turistas que sofreram sequestros relâmpagos por terem pegado táxi na rua, saindo do aeroporto. Cuidado!

Existe uma passagem interna que liga os dois aeroportos, Internacional e Nacional. Essa passagem é localizada no desembarque, ou seja, antes de sair do portão de desembarque, procure por ela. Depois que sair desse portão, se estiver no salão do aeroporto, já não conseguirá achar esse caminho que liga os dois (isso aconteceu comigo e tive que ir caminhando por fora do aeroporto. Não gostei e não recomendo.).


- Hospedagem em Maiquetia: fiquei hospedada no Hotel Catimar, na região de Catia la Mar - Puerto Viejo, em Maiquetia, que faz parte da Grande Caracas. Lá pernoitei e jantei também. Não tive interesse em andar pela região, menos ainda de ir a Caracas. Com as manifestações que ocorrem no país, eu confesso que fiquei com medo e não me animei.

No Catimar, os quartos eram simples, limpos, com TV, ar condicionado split e forte, banheiro digno e água quente. O suficiente para passar uma noite. Ele oferece incluído na diária serviço de transfer aeroporto-hotel que funciona a cada 1h. Fiz o contato com o hotel por meio do seu site e e-mail. Paguei 30usd via PayPayl e deu tudo certo (eu pedi para pagar via PayPal e eles aceitaram sem problemas). Leia Mais aqui sobre a nossa experiência no Hotel Catimar, em Maiquetia.

Quarto do Hotel Catimar em Maiquetía - Caracas

Seguro Viagem Obrigatório: começaria a ser cobrado a partir de 01° de abril, mas foi adiado. Tem que acompanhar essa questão. Sugiro ler o site La Verdad de La Guaira para informações supostamente mais atualizadas. 



- Taxa de Embarque para Voos Nacionais: paguei uma taxa de embarque, no guichê da Aerotuy, no momento do check in, no valor aproximado de 150 bolívares. Naquela ocasião, imaginei até que essa cobrança fosse referente à antecipação do meu voo, já que eu havia comprado um voo que saía para Los Roques às 07:30, mas depois a Aerotuy adiou para às 13:40. Como madruguei no aeroporto (cheguei às 05:20), fiz "marcação cerrada" no guichê da Aerotuy para tentar um encaixe e embarcar antes. Minha insistência foi válida e embarquei no voo que saiu por volta das 08:30. Ou seja, eu achei que estava pagando algo relacionado a essa remarcação do voo, mas não foi. O que paguei foi efetivamente a taxa de embarque para voos nacionais. 


Diferença de Taxa Aeroportuária: essa é outra questão confusa. Depende de alguns fatores como a data de compra da sua passagem, a inflação no período entre a compra da sua passagem e a data do voo, a cia aérea que fez o trajeto Brasil-Caracas-Brasil, do valor pago na passagem e da cotação de bolívares em dólares. Muito louco. Eu tive que pagar 276 bolivares antes de pegar o meu cartão de embarque de volta para o Brasil.  Ou seja, deixe também um pouco de bolivares para isso e não tente entender muito essa questão, pois é confusa mesmo.



- Fuso Horário: a diferença de fuso é curiosa, de 1:30. Sim, não entendi essa meia hora aí, mas é isso mesmo!




- Vacina contra a Febre Amarela: eu tomei a vacina e obtive o Certificado Internacional de validação da mesma, emitida pela Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Não me foi cobrado o certificado na entrada do país, mas, pelo que li antes de viajar, ter a vacina válida e o certificado eram exigências do governo da Venezuela. Lembrar que a vacina contra a febra amarela tem validade de 10 anos. Não é aconselhável tomar nova dose antes de findar esse prazo. Ela é aplicada de forma gratuita no Brasil em postos de vacinação. No Rio de Janeiro, o posto de Vacinação localizado na Rua Evaristo da Veiga (perto do Teatro Municipal) emite o certificado da Anvisa. A vacina deve ser tomada com pelo menos 10 dias de antecedência da data da viagem.



- Passaporte ou Identidade: ambos válidos para entrar em território venezuelano. Se sua identidade for antiga, com mais de 10 anos de expedição, recomendo fazer uma nova ou levar o passaporte, que não precisa de visto.


- Idioma: há muitos venezuelanos em Los Roques, que conta com uma população aproximada de 2mil habitantes, concentrados principalmente na ilha principal, a Gran Roque. Portanto, o idioma oficial, inclusive por fazer parte da Venezuela, é o Espanhol. Mas há muitos italianos, que, ao que me parece, foram os que, no passado, elevaram o arquipélago a destino internacionalmente conhecido com seus investimentos em pousadas. Muitos italianos já foram embora, talvez por conta do somatório de crises tanto na Europa como na Venezuela. Mas ainda se percebe muita referência à Itália, notadamente na culinária de muitas pousadas e também em palavras usadas e donos de pousadas. 


- Moeda: a moeda nacional da Venezuela chama-se Bolívar Fuerte (plural - Bolívares), muito desvalorizada diante da crise pela qual passa o país e inflação progressiva. Aconselho levar dólares para trocar. 

O câmbio oficial, em abril de 2014, era de 6,5 bolívares para 1usd.

O câmbio negro (não oficial e, a princípio, proibido), em abril de 2014, variava de 50 a 60 bolívares para 1usd.

O melhor câmbio que eu fiz foi  na Farmácia de Los Roques, localizada na Praça da ilha de Gran Roque, por 56 bolívares para 1usd. A Posada La Cigala e o barzinho Aquarena também faziam o câmbio.

Atenção para o câmbio negro praticado pelo aeroporto. Você certamente será abordado, inclusive por funcionários do aeroporto. Esteja atento aos golpes e também aos policiais para não ter problemas. O golpe mais comum é quando, no momento da troca de dinheiro, você entrega uma nota em dólar maior do que deseja trocar para bolívares e, como troco, em dólares, são devolvidos dólares falsos. Todo cuidado é pouco!



** Como Chegar em Los Roques: 



A bóia em Madrisquí
Indo para Los Roques - Eu organizei minha viagem a Los Roques sozinha, sem ajuda de agência de turismo. Mas contei sim com a colaboração da Posada La Cigala e com a ajuda do Miguel, venezuelano, que mora perto do aeroporto internacional Simon Bolívar-Maiquetia. 

O planejamento começou com quase 5 meses de antecedência. As passagens foram resgatadas com milhas em novembro de 2013, a Posada La Cigala foi reservada em dezembro de 2013, as passagens com a Aerotuy foram compradas em março de 2014, o hotel Catimar foi reservado duas semanas antes da viagem, que ocorreu início de abril de 2014.


- Avião: ou melhor, teco-teco


Los Roques vista do alto
Atualmente, chega-se em Los Roques com duas principais aerolineas nacionais: Chapi Air e Aerotuy, que voam a partir de Caracas (Maiquetia) ou Higuerote.

A Chapi Air respondeu os meus e-mails com rapidez. Já a Aerotuy, nem com muita insistência (e eu sei ser insistente), respondeu meus contatos. 

Meus voos de ida e volta foram comprados pela Posada La Cigala, onde fiquei hospedada, com a cia Aerotuy, por 160usd. Diante da crise do setor aéreo nacional, resolvi comprar uma passagem extra com a Chapi Air, que foi adquirida pelo Miguel (miguelserrano10@gmail.com), venezuelano famoso no grupo Dicas de Los Roques no Facebook, com quem negociei também a troca de bolívares na chegada do aeroporto em Caracas/Maiquetia. 

Soube, contudo, com o staff da Posada La Cigala, onde fiquei hospedada, que existe uma cia aérea caribenha, com aviões novos, que está entrando no mercado e, por ora, opera em 3 ou 4 horários durante a semana (acho que quarta, sexta e domingo). A tendência é que venha a crescer, principalmente diante da mudança da Chapi Air (que tem aviões de 9 ou 14 passageiros) para Higuerote, um aeroporto distante de Maiquetia (onde fica o aeroporto internacional) cerca de 2 a 3 horas, a depender do trânsito. A partir de maio, inclusive, a Chapi Air deve operar somente por Higuerote.
Aviãozinho da Aerotuy chegando em Los Roques

Os voos com a Aerotuy foram bem tranquilos e sem turbulência. Consegui fotografar e fazer belos registros do arquipélago visto do alto. Dá até um medinho leve, sabe? Mas quando percebemos que estamos chegando no paraíso... ai ai ai ... haja emoção para ver lugares como esse, em Cayo de Água:



Cayo de Água
- Barco/Lancha/Escuna/Cruzeiro:

Ainda, pode-se também chegar em Los Roques de barco. O porto de saída desses barcos fica a mais ou menos 1 hora de Maiquetia e a duração do trajeto pode ser de 5h com lancha rápida ou umas 10h de escuna, com possíveis ondas pelo caminho.

Em relação aos Cruzeiros, eu vi ao menos 2 pernoitando em Los Roques. Indagando aos locais sobre os Cruzeiros, disseram-me que eram até comuns por lá, mas que ficavam no máximo 1 dia e depois seguiam viagem pelo Caribe. Ou seja, não recomendo! Um dia apenas em Los Roques não é suficiente para curtir a magnitude de tanta beleza que o arquipélago oferece.


** A Venezuela e o Parque Nacional de Los Roques:


Vila de Gran Roque, vista do Morro do Farol
- Deve-se pagar a taxa de 254 bolivares - valor para estrangeiros - para entrar no Parque Nacional (em moeda local e não dá para trocar o dólar na hora - esse valor é de abril de 2014). Recomendo ter o dinheiro nacional já trocado antes de desembarcar em Los Roques.


- Furacão: Los Roques, assim como Aruba e Curaçao, está fora da rota de furacões. Porém, disseram que no mês de novembro, se ocorrer algum furacão em outro lugar do Caribe, pode haver reflexo dos ventos fortes em Los Roques, impedindo alguns passeios para locais mais distantes, como Cayo de Água. 


- Vento: em abril, mês em que lá estive, ventou forte em Los Roques. Isso é ótimo para os kitesurfistas e ruim para os turistas que querem conhecer as ilhas e cayos mais distantes.

Por exemplo, para Carenero e Cayo de Água, é melhor que o vento esteja mais fraco para a lancha não bater muito com as ondas. No início de abril, no caminho para Cayo de Água, chegou a formar ondas de 3 metros e os barcos nem saíram de Gran Roque para lá.



Cayo de Água

Carenero

O barqueiro da Posada La Cigala, John Davis, informou que de julho a meados de setembro é uma época de pouco vento, porém, os mosquitos - borrachudos podem surgir com tudo e ele disse que é comum ver os turistas empolados de picadas. 

Eu não levei repelente e não senti falta dele (fui em abril de 2014).

Ou seja, tem que arriscar uma época e contar que dará certo porque, em matéria de Natureza, tudo é uma tendência e não certeza. A Natureza reina soberana e é imprevisível muitas vezes. 

Para entender um pouco mais sobre os ventos, recomendo consultar o site WindGuru para verificar se você terá sorte ou  não com os ventos. Rajadas acima de 20 são bem fortes. A velocidade do vento em nós ideal é até 15. Para verificar o horário, tenha em mente que os passeios costumam sair do píer de Gran Roque por volta das 09:30 e voltam até umas 17:00. 


Bem vindo a Los Roques!

- Temperatura: em Los Roques faz calor o ano inteiro. Temperatura média em torno dos 28°. Com os ventos do mês de abril, às vezes sentíamos até frio, principalmente à notie. O índice pluviométrico é bem baixo.

Abril, de acordo com o Praiômetro elaborado pelo Ricardo Freire, no blog www.viajenaviagem.com.br,  é um dos meses de mais baixa probabilidade de chuvas. Ou seja,  muito seco.

Porém, em novembro e dezembro, existe a possibilidade de chover. Mais uma vez, é apenas uma tendência e não uma certeza absoluta.

O sol é forte. Afinal, é sol da linha do Equador, com incidência mais direta. Usar e abusar de protetor solar com fator alto é mais que necessário. Sugiro também usar roupas leves e com manga durante os passeios de barco, além de chapéus e bonés.


Francisquí de Arriba


- Água: a temperatura da água em abril é mais gelada do que eu imaginava, em torno dos 23°. Nem esperem as águas quentinhas do Nordeste nessa época em que fui.  Em agosto, a previsão é que esquente e pode chegar aos 27° ou mais.

Em Gran Roque, o abastecimento de água é feito a partir de processos de dessanilização. Foi-nos pedido para sempre usar a água com moderação e sem desperdícios, já que não é fácil obtê-la. Na Pousada La Cigala, tínhamos o luxo de tomar banho quente, embora a água que saísse do chuveiro fosse pouca.


- Voltagem: 110 volts e tomada de pinos chatos.


- Temporada e Preços: 

. As altas temporadas no arquipélago são no meio do ano - julho e agosto - porque coincidem com as férias dos europeus e venezuelanos, grande público de Los Roques, embora eu tenha visto MUITOS brasileiros o tempo todo.

Feriados como a Páscoa também são muito visados e os preços sobem, além de Carnaval e Réveillon, considerados alta temporada. Aliás, na Páscoa, para os venezuelanos e em muitos países da Europa, há pelo menos 1 semana de feriado, o que torna o lugar muito atrativo e causa o aumento de preços. 

Los Roques já é um destino pop entre os brasileiros. Logo, pode esperar ouvir bastante português por lá também. 


- Estada Mínima: eu fiquei 10 dias e 9 noites em Los Roques. Sim, eu ficaria mais uns 2 dias se pudesse e mal repeti lugares. Eu praticamente fiz um passeio diferente a cada dia e ainda teria outros lugares novos para conhecer. Mas, considerando que se trata de um lugar rústico e simples e que muita gente não gosta de mergulhar como eu, acredito que pelo menos 6 dias inteiros seja a quantidade ideal para ficar em Los Roques. Menos do que isso eu não recomendo. Tenham também em mente que a confusão do setor aéreo pode obrigar que o turista antecipe sua volta ou adie a ida. Por isso, também recomendo uns dias extras, uma margem de flexibilidade para pernoitar em Caracas, se ocorrer algum imprevisto. 



Mais uma de Cayo de Água, para mim, a mais bonita!

- Recomendado a todos: já me perguntaram se eu recomendo a viagem a Los Roques a crianças e idosos. Bem, a princípio, na época em que fui, com fortes ventos, eu não recomendo, a não ser que a pessoa fique satisfeita em conhecer apenas as ilhas e cayos próximos, pois, para os distantes, com vento e mar agitado, a lancha bate muito nas ondas, quase que voa, e várias vezes tivemos que fazer o passeio quicando no barco por conta disso. E haja bumbum para amortecer essas pancadas, viu? Então, se você não tem problema na coluna, se não tem medo de água, se sabe nadar, se tem espírito mais aventureiro e gosta de lugares rústicos, vai amar Los Roques!! Eu, Lily Pestana, se tivesse filhos pequenos, não iria nessa época do ano com ventos fortes. Em agosto e setembro, com ventos mais calmos, acho mais interessante para levar crianças, lembrando de dar banhos de repelente e de protetor solar, porque, sem vento, as chances de os borrachudos aparecerem em massa são grandes. 



Dedico aos Casais Românticos - Que tal ser pedida em casamento em Los Roques? Eu fui!


** Hospedagem em Los Roques:


Posada La Cigala, depois de muito ler a respeito das pousadas em Los Roques, foi a minha escolhida. Como a grande maioria das pousadas, ela fica na pequena vila de Gran Roque, onde tudo acontece em Los Roques (tudo mais ou menos, pois o clima é de muito relax por lá rsrs... )

Posada La Cigala

Ela está muito bem avaliada no site TripAdvisor, encontrando-se em Primeiro Lugar no Ranking de Hotéis de Los Roques. 

Acredito ser equivocada essa classificação da La Cigala em hotel, até porque não há hotéis em Los Roques. Todas as hospedagens são pousadas, umas mais simples, outras mais requintadas, mas sem grandes luxos.


Da esquerda para a direita: Dani, Alejandro, eu, Joel e Symone


Para mim, os grandes diferenciais da Posada La Cigala foram:

1) Solicitude, simpatia, apoio e atenção dos funcionários da Pousada, em destaque para o Alejandro e o Joel, figuras importantíssimas no dia a dia e na dinâmica da pousada. Joel nos emprestou sua mochila impermeável para fazermos nossos passeios passeios de barco sem qualquer risco de molhar a câmera e também emprestava suas raquetes de frescobol! Um fofo!

Nosso amigo Joel, que nos emprestou uma mochila impermeável durante nossa estada, para levar a câmera para o passeio


2) Bem localizada, logo na chegada, perto do píer, embora Gran Roque, onde estão as pousadas, seja uma vila pequena, era sempre bom chegar dos passeios, que duravam o dia inteiro, cansados, e logo logo estar na pousada.

3) Água Quente para banho.

4) Wi-Fi, cujo sinal não funcionava o dia inteiro, mas funcionava todo dia (para uma blogueira de viagens, ter o wifi foi ótimo para poder publicar aqui no blog e contar para vocês a viagem ao vivo! rsrs... ).

5) Suíte, em que fiquei, era muito espaçosa, com cama de casal e uma cama de solteiro. Faltou apenas um frigobar, mas isso também não foi tão grave. Ar condicionado split, banheiro em tamanho adequado, cama confortável, janela para a rua com tela que impedia mosquitos... foi tudo ótimo. Se eu tiver que reclamar de alguma coisa no quarto, talvez seja da falta de um armário mais prático para colocar as roupas. O armário do quarto era complicado para abrir e guardar as coisas.

Nossa Suíte na Posada la Cigala

6) Jantar absolutamente maravilhoso!! Em 4 etapas: aperitivo, entrada, principal e sobremesa! Era a principal refeição do dia.

Apenas a entrada do jantar na La Cigala

Prato Principal

7) O estrutura da pousada é excelente! Tudo muito bonito. O terraço dela é uma graça e um convite para passar um tempinho lá no sofá ou rede. Foi no terraço que eu pude contemplar o Eclipse da Lua que aconteceu  na madrugada do dia 15 de abril! Foi muito lindo.

Mesas prontas para o jantar



Terraço da La Cigala

Terraço da La Cigala

Do que não gostei:

- o contato inicial, por e-mail, foi feito com a Liana, proprietária da pousada. É um contato demorado. Nem sempre ela respondia, porque tem por hábito velejar bastante com seu marido, Enrico, também dono da pousada. Precisei de muita paciência. Em alguns momentos, a resposta não era sobre o que eu perguntava e ficava bastante confuso. No fim, deu tudo certo, mas foi complicado.

- o café da manhã, embora tivesse tudo o que era necessário, poderia ser um pouco mais variado. Como fiquei 10 dias e 9 noites hospedada, eu cansei um pouco das mesmas coisas do café da manhã.

- creio que a Pousada tenha condições de caprichar mais no lanchinho oferecido no retorno dos passeios de barco. Eram servidos apenas um chá gelado e biscoitos, com geleia. Uma única vez, durante minha hospedagem, teve panqueca com geleia.

- por duas ou três ocasiões, o almoço preparado não me agradou muito.

- podia alugar prancha de SUP para os hóspedes (havia umas três pranchas lá na pousada, mas eram dos funcionários).

No fim, pela experiência foi bem positiva e recomendo a Posada La Cigala para quem tiver vontade de conhecer Los Roques. Se quiser ler mais sobre as pousadas, indico o site Viaje na Viagem, do Ricardo Freire, lembrando que em sua primeira viagem a Los Roques, lugar onde ele tirou a famosa foto da bóia que é o grande símbolo do seu site, o Ricardo freire hospedou-se na Posada La Cigala.

Leia mais aqui sobre a nossa experiência na Posada La Cigala.


Da esquerda para a direita: Alejandro, casal de argentinos Luca e Maria, casal de mineiros Symone e Júnior, eu e Julio - e fizemos muitos amigos!


** A Dinâmica dos Passeios em Los Roques:


O Parque Nacional de Los Roques, à semelhança do Brasil, tem suas áreas destinadas para o turismo e as regiões de proteção integral, onde não se pode praticar o turismo. 

Logo, olhando um mapa do arquipélago, percebe-se que onde está escrito PI não poderá haver passeio. 


Mapa de Los Roques

Como a geografia de Los Roques lembra a de um Atol, aliás, diga-se de passagem, geografia esta um tanto quanto peculiar no mar do Caribe e mais comum de se ver no Pacífico, Los Roques está protegido por duas Grandes Barreiras de Corais, que cercam o Arquipélago. 

Do alto, durante o voo de chegada e partida, identifica-se muito bem essa grande barreira que possui algumas entradas, chamadas de Bocas. 



Grande Barreira, vista do alto

Eu estive em três Bocas: Sebastopol, de Cote e del Medio. A única Boca por onde os barcos maiores entram é a de Sebastopol.


- Passeios: a Posada La Cigala, assim como algumas outras, tem seu barco/lancha próprio. O capitão é o John Davis. Os passeios dependiam muito do vento.



Lancha da Posada La Cigala

Obs.: Tivemos problemas com o capitão do barco Waikiki Tour. Contratamos dois passeios à parte, não oferecidos pela Posada La Cigala porque eram para ilhas distantes e o capitão, por deliberação própria e sem avisar o grupo, alterou parte do itinerário. Não gostamos e não recomendamos.

Para quem estiver hospedado em pousada que não possua barco, sugerimos combinar ou diretamente com a pousada, se ela puder intermediar o agendamento do passeio, ou com o Dani, no Píer de Gran Roque, de onde saem quase todos os passeios. Também no píer é possível alugar nadadeiras, máscara e snorkel. O pé de pato custava 150 bolívares fuertes. Meu pé é pequeno e minha pousada não tinha o pé de pato adequado. Portanto, aluguei muitas vezes no píer.

Geralmente, no meu caso, já que a La Cigala dispunha de lancha, os passeios eram combinados à noite, durante o jantar, ou de dia, no café da manhã. Na verdade, foi quase sempre no café da manhã.

A dinâmica era: acordávamos cedo (café da manhã na La Cigala era servido das 8h às 9h), observávamos a questão do vento e decidíamos para onde íamos, se lugar perto ou distante.

Os passeios saem por volta das 9:30 / 10:00 do píer de Gran Roque

A La Cigala oferece aos seus hóspedes os passeios às ilhas cercanas/próximas já incluídas no valor da diária no esquema pensão completa (Francisquí, Madrisquí, Cayo Pirata, Cayo Vapor) e também três das distantes/lejanas (Crasquí, Noronquí e Rabusquí).

Todo dia, a pousada preparava nossa cava/cooler com o almoço do dia e bebidas não alcoólicas. O almoço, incluso na pensão completa, geralmente consistia em algo frio, como salada, sanduíche ou torta. Quase sempre foi satisfatório e alimentava direitinho. Houve talvez 3 ocasiões em que o almoço não me agradou por conter algum item que não combinava muito com meu gosto.


A cava variava todo dia. Cerveja Solera, da Venezuela, é bem gostosa!

Cooler/Cava preparada pela La Cigala

Para levar algo alcoólico, bastava pedir para a Pousada providenciar, se tivessem lá (pago à parte) ou comprar no Mercado ou Distribuidora de Bebidas de Gran Roque e pedir para colocar no cooler. 

Alguns preços de bebidas na Distribuidora:
. Cerveja Solera: 35 bolívares
. Cerveja Polar: 25 bolívares
. Smirnoff Ice: 50 bolívares
. Espumante Chandon: 900 bolívares
. Vinho Chileno: 600 bolívares

- Pode-se alugar o cooler/cava no Píer de embarque dos barcos por 250 bolívares, que já vem com gelo. 

A barraca de sol da Posada La Cigala e suas cadeiras de praia eram diferenciadas. Destaque para as cadeiras, que eram ótimas, novas e confortáveis. Uma pena que nos passeios pagos à parte, aqueles que a La Cigala não oferecia, a gente tinha que se valer das barracas e cadeiras mais simples que os barcos contratados ofereciam.



Cadeiras e Barraca da La Cigala


Então... o barco levava as pessoas para as ilhas, montava a barraca, colocava as cadeiras, combinava o horário de retorno e "largava" a gente lá!! Delícia, né? Apenas em alguns passeios que o barco ficava aguardando a gente, como em Cayo de Água e Boca de Sebastopol, por serem distantes. Nos demais lugares, eles combinavam o horário de retorno e nos deixavam à vontade. 

Os passeios mais distantes dependem do vento a favor. Muito vento deixa o mar agitado e com muitas ondas, o que torna a viagem desconfortável, uma montanha russa.

De Gran Roque, que é a Isla principal, até Cayo de Água demora-se mais ou menos 1h de viagem.


** Passeios aos Cayos e Ilhas Próximas a Gran Roque:

O interessante para ver nos passeios mais próximos a Gran Roque é:

- Francisquí de Arriba: tem banco de areia, alguns guaripetes (uns calangos locais, tipo lagartos) e a Laguna que é imperdíve para mergulhol!


Francisquí de Arriba
O Javier, um senhor que está sempre lá na praia, aluga máscara/snorkel e também nadadeiras por 100 bolivares cada. Ele também guia o passeio na Laguna o que facilita saber por onde nadar, já que a correnteza jogava a gente na direção dos corais, e também nos mostrou onde fica a estátua de Nossa Senhora em Bronze, no fundo da Laguna. Segundo o Javier, só pode entrar na laguna com pé de pato.

Ainda em Francisquí de Arriba, há também um famoso restaurante que serve lagosta. Ele fecha para descanso às terças. A temporada para comer Lagosta em Los Roques é de novembro a dezembro.

Como fica bem perto de Gran Roque, a cerca de 10 minutos, é o lugar predileto para os saveiros e barcos dos locais dormirem. Inclusive, os donos da Posada La Cigala, Enrico e Liana, que passam bom tempo morando em um veleiro, deixam o seu barco por lá. A praia, portanto, recebe muitos turistas e muitos barcos. 


- Francisquí de Abajo: lembra um banco de areia mais comprido. Tem escola de esportes aquáticos, como Kitesurf e Windsurf, e aluga equipamentos para os interessados, com aulas para os iniciantes. 

O aluguel do caiaque para ficar o dia inteiro estava por 1mil bolívares em abril de 2014 e o da prancha para praticar Stand Up Paddle era de 2mil bolívares. 


- Francisquí del Medio: estive nela por pouco tempo, cerca de 1h apenas para conhecer. Caminhamos e fotografei seus cantinhos. Meu namorado tentou fazer snorkel perto das pedras, quando foi surpreendido por uma moreia, que se armou em posição de ataque. Ele achou melhor voltar (e eu também!) e, por isso, nem sabemos como é o mergulho por lá. A praia é bem bonita e tem menos frequência do que as vizinhas Arriba e Abajo. Se quiser mais exclusividade, vá nessa. Eu, contudo, achei a Arriba mais bonita e com mais atrativos. 



Francisquí del Medio

- Madrisquí: é a ilha mais próxima de Gran Roque, a cerca de 5 minutos, onde estive por duas vezes - na chegada e na saída. Um mar em tom de azul fluorescente que é inesquecível! Praia tranquila. Muitos pelicanos e gaivotas. A partir dela chega-se em Cayo Pirata por meio de um filete de banco de areia. (veja mais sobre Madrisquí).





Madrisquí e seu mar com cores fluorescentes

Tivemos uma oportunidade incrível de assistir a um pôr do sol diretamente de Madrisquí. Não é comum os passeios estenderem-se para assistir ao pôr do sol em alguma das praias/ilhas. O normal, é que o regresso ao píer de Gran Roque ocorra por volta das 17:00. Mas, ganhamos esse presente do capitão Franklin, do Barco Fama, que nos levou a Madrisquí para contemplarmos a despedida do Astro Rei de forma diferente e especial! Foi lindo demais!! (Veja mais aqui sobre essa nossa experiência!)


- Cayo Pirata: tem praia de um lado, com pedras e azul incrível, e casas de pescadores do outro. Seguindo no sentido das casas dos pescadores,  chega-se em uma lagoa ótima para snorkeling. É rasa e recomendo o uso de sapatilha de neoprene. Muitos corais e peixinhos!! Ah, aconselho a não passar da barreira dos corais, pois, na parte do mar, é rota de lanchas.


- Crasky: linda ilha com pelo menos 3 opções de praias. Em uma delas, que fica mais afastada do local onde colocam nosso guarda sol, pode-se fazer snorkel. Recomendo o uso de sapatilha de neoprene porque há pedras e ouriços no caminho para chegar nos corais e peixes (vá caminhando pelas praias até chegar no caminho repleto de conchas de botuto/moluscos/caracol. (veja mais aqui sobre Crasky - ou Crasquí)



Crasquí
 É possível fazer pequenos lanches na praia pagos à parte, como o espeto de peixe e legumes por 100 bolivares.


- Rabusky: é um enorme mangue no meio do oceano. Impressiona pelo tamanho. Eu nunca tinha visto um mangue no meio do mar!! Fiquei encantada! Lá é onde se pode ver com facilidade muitas estrelas do mar na lagoa, uma parte rasinha, tipo banco de areia, onde há várias estrelas do mar. Esse passeio é comumente conjugado com Crasky pela proximidade entre essas duas ilhas. 



Estrelas do Mar em Rabusquí



- Pelona de Rabusky: é um banco de areia cercado de corais e pedras. Fiz mergulho com snorkel ao seu redor. Na frente, onde o barco nos deixa, é tranquilo para mergulhar. Nos fundos, um mar agitado, com correnteza e ondas, onde tive dificuldade de nadar e recomendo voltar desse ponto. Não curti dar a volta mergulhando na Pelona porque, nessa parte de trás, fiquei realmente com medo de ser jogada em cima dos corais. Por ser um banco de areia pequeno - bem pequeno - eu não sei se conseguiria passar um dia inteiro por lá. Mas, para quem procura a sua ilha deserta apenas para você, esse pode ser um bom lugar!!


- Noronquises: conheci só uma delas, onde tem uma palafita. É muito bonita e rende ótimas fotos. Mas não ficaria um dia inteiro por lá. As demais ilhas de Noronquí, pelo que entendi, não são indicadas para passeios. 


- Cayo Vapor: excelente para mergulho perto da barreira de corais. Muitos peixes coloridos e de diversos tamanhos. A ilha em si é pequena, podendo-se percorrê-la toda em menos de 10 minutos. Leve também sapatilhas de neoprene para os pés e snorkel. Corais, peixinhos e até lagosta nós vimos por lá! 



Cayo Vapor


- Bajo Fabian: é um banco de areia, no meio do nada rsrs... Ideal para tentar ter uma ilha só para você e seu amor! Super romântico, não? Eu fiz o passeio a Boca de Sebastopol e, na volta, como o grupo ficou em Cayo Vapor e eu já conhecia, pedi ao capitão do barco que me deixasse em outro lugar e ele sugeriu o Bajo Fabian, que ainda não tínhamos visitado. Gostei porque não fiquei o dia inteiro lá. Acho que para passar um dia inteiro seria complicado e talvez entediante. Para completar a minha "distração", dividimos o banco de areia com outro casal, aparentemente venezuelanos, que estava bastante à vontade. Inclusive, a moça fez topless e assim ficou. Foi interessante conhecer.



Bajo Fabian

- Nordensky: depois que perguntei ao Joel, funcionário da Posada La Cigala, qual era a sua ilha/cayo predileto em Los Roques, e que ele me disse que era Nordensky, fiquei super interessada em conhecer essa ilha. Ela fica bem perto de Cayo Vapor. Com a maré rasa, é possível caminhar de uma para outra. Mas é uma caminhada que eu estimo durar cerca de 1h para cada trecho, pelo menos. Os barqueiros, no início da semana em que estive em Los Roques, não queriam ir para lá porque a maré estava rasa demais e o risco de o barco encalhar era grande. No penúltimo dia, então, quando contratei um barco para fazer um passeio privado-fretado, pedi para ele passar por lá para conhecermos. Percebi a dificuldade em se atracar o barco sem encalhar e verifiquei estava mesmo bem rasinho. Conseguimos desembarcar lá e ficamos um tempo para caminhar, fotografar e conhecer a linda predileta do Joel. Ela é realmente linda! Tantos tons de azuis que a torna ainda mais deslumbrante!! Mas é cercada de muitas pedras e o trecho de praia com areia é curtinho. Talvez seja essa a razão de não ser procurada (estava vazia!). Mas eu recomendo conhecê-la. 



Nordensky

Nordensky

- Isla de Botoquí: uma pequena ilha localizada no caminho de Boca de Cote. De longe, ela é uma graça e muito lindinha. Mas, conhecendo de perto e caminhando na areia, percebi o porquê de não ser tão turística: muitas algas para chegar até a praia e muitas - MUITAS - moscas! Dentro da ilha tem tipo um mangue e também vimos churrasqueira, embora seja proibido fazer churrasco nas ilhas, por questões de preservação do meio ambiente, a Ilha de Botoquí é muito usada pelos nativos, os Roquenhos, que para lá vão, fugindo dos turistas, e fazem suas programações, pescam e assam os peixes lá mesmo. Resumindo, não recomendo a visita. 


** Passeios aos Cayos e Ilhas Distantes de Gran Roque:

- Cayo de Água: é o verdadeiro Cartão-Postal de Los Roques! Na minha humilde opinião, é a praia mais bonita também! O encontro entre as praias no estreito de areia que liga os dois lados da ilha é de uma beleza rara e impressionante! E o que dizer sobre o azul fluorescente de Cayo de Água? Indescritível!! Não há câmera que consiga registrar a sua beleza em completude. E tinha que ser também o passeio mais distante, certo? Fica a cerca de 1h ou mais ou pouco (a depender do vento) de Gran Roque, que é a ilha principal. Por lá, além de contemplar a beleza, pode-se fazer caminhadas até o farol ou também snorkel na piscina natural. Não fizemos snorkel porque havia um barco perto e, como o tempo por lá passou muito rápido, preferi caminhar e fotografar. Demos a volta até o Farol e, no sentido oposto, caminhamos para bem depois da piscina natural, passando por outros cantinhos maravilhosos. Havia um kitesurfista brincando por lá e, infelizmente, muuuuitos guaripetes na areia! Era uma briga afastar os guaripetes da nossa cava/cooler. Valeu a pena cada batida da lancha nas ondas, viu?



Cayo de Água

Cantinhos de Cayo de Água

- Dos Mosquises: é um lugar que se conhece no percurso ao passeio para Cayo de Água, ou na ida ou na volta. No meu caso, foi na ida. Paramos por cerca de 1h em Dos Mosquises para o grupo conhecer o projeto de proteção das Tartarugas Marinhas, espécie de Projeto Tamar local, mas em proporções menores e bem modestas. Paga-se 20 bolívares para conhecer o lugar do projeto. Eu não paguei porque preferi caminhar pela ilha, fotografar, tomar um banho. A praia é muito bonita e vi muitas estrelas do mar nela. Do lado de fora, vi um pouquinho dos tanques das tartarugas marinhas e alguma explicações. Como é simples e é baratinho, para quem tiver interesse, vale a pena. No meu caso, depois de conhecer várias sedes do Projeto Tamar no Brasil, achei que curtir a praia era mais jogo.



Dos Mosquises e o Projeto "TAMAR" local

Dos Mosquises

- Carenero: eis a praia preferida de muitos que vão a Los Roques! É realmente um lugar lindo e talvez, na minha opinião, a segunda praia mais bonita. É também um passeio muito completo, pois em Carenero pode-se curtir a praia, o mar, caminhadas, bancos de areia e, pelo menos, 3 bons pontos de mergulho com snorkel. Mais um vez, recomendo uma sapatilha de neoprene para mergulhar. Atenção aos corais para não se machucar e nem machucá-los, bem como cuidado com os ouriços e pedras. Em Carenero, também há algumas casas de pescadores e pequenos restaurantes onde se pode comprar pescado por 300 bolívares, na chapa, que serve 2 pessoas. Ahhhh... e presença certa em Carenero são os cachorros que lá vivem e são super acostumados aos turistas. Com cara de pidões e dóceis, eles ficam por perto, abrigando-se em nossas sombras, querendo água e comida. Talvez por causa da presença deles, não haja tantos guaripetes por lá. Acho que eles os afastam um pouco. Por outro lado, eles parecem enlouquecer quando vêem algum kitesurfista. Vai saber a razão, né? Inclusive, disseram-me que eles correm atrás do kite (já que lá é raso e eles ficam muito na água também) e já atacaram alguns kitesurfistas por lá. Cachorros doidinhos, não?



Carenero

- Sarquí: nossa passagem em Sarquí foi ligeira. No retorno de Carenero, paramos rapidinho em Sarquí para 



** Passeios para Mergulho com Snorkel:


Mergulho em Cayo Pirata
Eu levei meu snorkel e foi ótimo! Usei quase todos os dias. Mas é possível e bem fácil alugar snorkel e nadadeiras em Los Roques. No píer e na Posada La Cigala, custavam 150 bolívares o snorkel (máscara e respirador) e 150 bolívares o par de nadadeiras. 

Píer de Gran Roque

Já com o Javier, que fica em Francisquí de Arriba, o aluguel dos mesmos sai por 100 bolívares cada (snorkel e pé de pato). 

Como eu tenho pé pequeno, tive que alugar nadadeiras no píer e com o Javier, já que a La Cigala não tinha o meu número. De modo geral, achei que todo o equipamento alugado era de qualidade.

A dica para mergulhar e evitar embaçar muito a sua máscara é lavá-la antes com um pouco de detergente ou um shampoo biodegradável. Vai facilitar muito o seu mergulho.

E, é claro, não deixem de levar câmera aquática ou equipamento próprio para fotografar debaixo de água. Em Los  Roques, não alugam esse tipo de equipamento e o fundo do mar de lá é absurdamente lindo, transparente, cristalino e vale muito a pena mesmo registrar seus momentos embaixo da água também!! Aliás, ouso comparar a cristalinidade de Los Roques com Fernando de Noronha e Bonito, ambos lugares incríveis para mergulho e por serem notoriamente conhecidos por suas águas transparentes!! Já perceberam que não é pouca coisa, né??



Boca de Sebastopol

Por fim, em alguns lugares, nem precisa ter nadadeira, mas acho altamente recomendado ter sapatilha de neoprene para não se machucar. Comprei as minhas na vila de Gran Roque em uma lojinha perto da Distribuidora de Bebidas por 650 bolívares. Eu as vi em pelo menos 3 lojinhas. 


Minhas sapatilhas de neoprene

Não vejo a necessidade de usar roupa de neoprene porque a água não é quentiiiiiinha, mas não chega a ser fria.

OBS.: Ao mergulhar, você perceberá que em Los Roques não há uma vida marinha deslumbrante como em Fernando de Noronha. Diferentemente de Noronha, você verá muitos corais, de diversos tamanhos e formatos. É uma coisa linda de se admirar! E, para manter essa beleza, tenhamos a consciência de mergulhar com cuidado. Um coral cresce poucos milímetros a cada ano. Muito pouco mesmo! Imaginem então quantos anos, ou milhares de anos, não levaram para um coral enorme se formar? Logo, não encoste nele, não pise nos corais, evite tocar, pois você poderá contribuir para a morte do coral agindo assim. Tenha cuidado para não se machucar com corais de fogo e para não matar esse animal, pois o coral é uma espécie de animal, é um ser vivo.


- Boca de Sebastopol: MA-RA-VI-LHO-SO!! O melhor snorkel que fizemos, na minha opinião, foi em Boca de Sebastopol. Foi incrível! Peixes, peixões, corais, arraia... nossa, que snorkel incrível!!! Lá é raso e, em alguns lugares, há forte correnteza por se tratar de uma boca para o mar. Vale a pena!



Boca de Sebastopol


- Boca de Cote: outra boca, ou seja, entrada na grande barreira de corais, também fiquei encantada com a cristalinidade desse local de mergulho. Peixinhos e corais sempre presentes.

Na ida para Boca de Cote, nós passamos pelo Palafito (costuma ser um passeio conjugado). O Palafito é um lugar de abrigo para os pescadores, onde dormem e descansam para seguirem na sua labuta diária de pesca. É curioso observar a sua construção em cima de um banco de areia e também a forma rústica como foi feita, como quase tudo em Los Roques. 



Palafito, em Los Roques

Palafito
  
Reparem no banheiro do Palafito. Sim, existe um banheiro! E na quantidade de cascas de botutos, espécie de caramujo/caracol que vive no mar e que os roquenos gostam de comer como ceviche. Soube que está correndo risco de extinção. 



Botuto é esse caramujo/caracol tipo lesma


- Boca del Medio: também foi um snorkel incrível que fizemos, com uma transparência da água sensacional e um aquário de corais e algas de tirar o fôlego de tão belos!! 



Boca del Medio

Peixes papagaio, barracudas, balão, lagostas, arraias, entre outros, são comuns nos mergulhos em Los Roques. Quanto à barracuda, é um peixe grande e até me assustei quando a vi pela primeira vez. Normalmente, ela não ataca, segundo os roquenhos. Mas se estiver velha e cega, pode sim atacar. Portanto, cuidado.

Para mergulho com cilindro, também há naufrágios e pontos ótimos em Los Roques. Não fiz dessa vez porque achei o mar agitado em razão dos ventos para esse tipo de mergulho. Não me senti segura. Mas conheci pessoas que fizeram. Há um naufrágio (todos os roquenhos falam desse mergulho) perto de Gran Roque onde mora uma morea verde gigante que quem viu disse ser assustadora. Parece que só é possível vê-la em mergulhos noturnos. 




** Barco Fretado para Passeio:

No penúltimo dia de passeio, resolvemos fretar um barco para fazermos um passeio diferenciado, reunindo, em grande parte, lugares por onde não havíamos ainda passado. 

Juntamente com um casal muito simpático de São Paulo, a Adriana e o Aluísio, exímios mergulhadores (com mais de 50 mergulhos com cilindro no currículo), traçamos um roteiro exclusivo, só nosso, que foi maravilhosamente executado pelo barqueiro Franklin, do Barco Fama

Nós fechamos um passeio de dia inteiro por 5.000 bolívares. Saímos por volta das 9:15 da manhã e voltamos pouco depois das 17:00. 

O capitão Franklin é Dive Master e, aproveitando a sua expertise, escolhemos um itinerário pelos melhores pontos de snorkel que ainda não tínhamos visitado. Fizemos assim:

- Rabusquí: passeio pelo manguezal
- Pelona de Rabusquí: para snorkel
- Botoquí: descemos e conhecemos um pouco da ilha, que é linda de longe e mais ou menos de perto. Cheia de moscas.
- Boca del Medio: o ponto alto do passeio, uma das bocas da grande barreira e um lugar incrível para snorkel, de grande cristalinidade das águas.
- Cayo Vapor: para fotos e rápida pausa, onde aproveitamos para degustar um delicioso ceviche de botuto. O botuto, aquela lesminha que vive dentro do caracol, já foi muito usada para refeições no passado. Hoje em dia, o seu consumo é controlado pelo risco de extinção que ela sofre. 
- Nordensquí: fizemos uma pausa com caminhadas e fotos
- Francisquí de Abajo: pausa para caminhada e fotos
- Francisquí de Arriba: com direito a novo mergulho na Laguna de Francisquí e a curtir o fim da tarde por lá. 


** Aluguel de SUP e Caiaque:

Para quem curte praticar Stand Up Paddle ou andar de Caiaque, em Los Roques é altamente recomendável e é uma delícia!!



SUP em Crasquí


Nós não alugamos, mas "filamos" um pouco do SUP alugado pelos colegadas Posada La Corsária, que levaram-no ao passeio de Boca de Cota e Crasquí. Eles pagaram 1mil bolívares pelo aluguel de dia inteiro do SUP mais 300 bolívares para o barco levar a prança e remo. 

Praticamos um pouco de SUP em Crasquí! Foi muito gostoso!!




SUP em Crasquí

Outro lugar comum para praticar SUP é em Francisquí, inclusive porque em Francisquí de Abajo há uma escola de esportes aquáticos muito procurada que também aluga os equipamentos. Em abril, o aluguel do SUP lá custava 2mil bolívares e do Caiaque 1mil bolívares. Ambos muito indicados para praticar nas redondezas das ilhas Francisquíses por causa do mar calmo e bancos de areia nos arredores delas. 


*** RECOMENDAÇÕES ***

- Use e abuse de protetor solar com fator alto! Na farmácia de Los Roques encontram-se filtros das marcas Eucerin, La Roche Posay, Vichy, Bioderma, No-Ad, Heliocare e Nivea com valores que variam de 500 a 1000 bolivares. As mercadorias chegam na Farmácia pelo menos 1x na semana, por meio de carregamento de produtos que abastece a ilha. 

Aliás, o abastecimento na ilha costuma ocorrer ao menos uma vez na semana, com chegada de produtos novos. Eu dei sorte tanto na farmácia como nas lojinhas e consegui comprar algumas coisas bem bacanas a preços baratinhos.

- Tenha snorkel e sapatilhas de neoprene (ou crocs) para os mergulhos. Em alguns lugares, por causa da correnteza, ter o pé de pato ajuda bastante. Pode-se alugar alguns equipamentos. Snorkel e Nadadeiras custam 300 bolivares o conjunto na Posada La Cigala. As sapatilhas de neoprene eu comprei em lojinha perto da Distribuidora de Bebidas por 650 bolívares o par. 

- Bolsa impermeável para seus equipamentos fotográficos e demais itens que não possa molhar. Como os passeios de barco acontecem todos os dias, é sempre possível levar banhos de água durante os trajetos, ainda mais se tiver vento e o barco bater nas ondas. Proteja suas câmeras! Eu usei uma mochila impermeável que o Joel da Posada La Cigala emprestou para a gente. 

- Passar o Tempo nas Ilhas e Cayos: a gente mal parava durante os passeios porque fazíamos caminhadas, mergulhávamos com snorkel, ficávamos de bobeira na água... mas levei uma bóia que foi útil em muitos momentos para relaxar e curtir a praia! Inspiração total do Ricardo Freire, do site www.viajenaviagem.com.br 



Boiando em Los Roques, Cayo Vapor


Outros itens sugeridos que podem tornar seu passeio agradável são: livros, frescobol, peteca, iPod com música... era comum haver algum perto com música nas praias mais movimentadas, como Francisquí. A música era bem latina rsrs... 



Frescobol em Francisquí de Arriba. Eu juro que estava jogando bem!

Eu  peguei emprestado o frescobol com o Joel, da Posada La Cigala, e levei em alguns passeios! Não é que melhorei muito o meu desempenho? rsrs... 

- Leve chapéu, boné, roupas  leves com manga e camiseta de manga para fazer snorkel porque o sol é intenso. Tudo que você puder levar para se proteger do sol valerá a pena.

- Guaripetes (espécie de calangos) e cachorros e estão para todos os lados. A quantidade de cachorros com sarna e doentes impressiona e entristece. 



Guaripetes chatinhos


- Observe os pássaros em Los Roques, que dão seu show no píer e, principalmente, no anoitecer! Pelicanos e Gaivotas são presença certa! 



As gaivotas adoram "roubar" nossas comidinhas

Pelicanos sempre presentes

- Ambulatório em Los Roques foi muito eficiente no meu atendimento, pois tive uma lesão na boca provocada pelo sol. Deram os medicamentos para eu usar, que no Brasil custam na faixa de R$100,00. Lá foram de graça. 

- Cabelos compridos sofrem muito rsrs. Vento, sal, praia... uma loucura e muitos nós! Mas dá para comprar os cremes na vila de Los Roques também. Comprei um creme para pentear da marca Seda por 100 bolivares na Farmácia. 

- O câmbio de dólar para bolivares pode ser feito na farmácia em pequenas quantidades ou na sua própria pousada. Na La Cigala, onde fiquei hospedada, dá para trocar também. 

- Preço de alguns passeios distantes (abril de 2014) que podem ser contratados no píer ou com sua Pousada:

. Carenero: 450 bolivares
. Cayo de Água: 600 bolivares
. Boca de Cote: 600 bolivares
. Sebastopol: 600 bolivares
. Espenky: 400 bolivares

- Pôr do Sol em Los Roques: é inesquecível!! Veja o Pôr do Sol todo dia, se puder. Eu gostei muito de ver da praia de Gran Roque, pois a presença de pelicanos, gaivotas e barcos dava um charme mais especial ao espetáculo da despedida do Astro Rei. Sensacional!!






Também tive a oportunidade de ver o Pôr do Sol diretamente da praia de Madrisky, presente dado pelo barqueiro Franklin, com quem fizemos 2 passeios. Muito especial de se ver!!


Pôr do Sol em Madrisquí

- Farol de Gran Roque: é um lugar indicado para ver o Pôr do Sol. Em abril, quando eu fui, o sol estava se escondendo, visto do Farol, atrás das montanhas e não gostei tanto de ver como vi na praia. Lá do alto do morro do Farol é muito bacana ver a vila e as ilhas e cayos próximos de Gran Roque e identificá-las. Vale a pena subir e contemplar do alto os arredores. 

- Agito em Los Roques: se esse é o seu objetivo de viagem caribenha, você com certeza errou de destino rsrs... Sugiro outros mais badalados e agitados, como a famosa Cancún, onde a night ferve! Em Los Roques, não há muito o que fazer à noite depois ou antes de jantar. Antes de jantar, sugiro contemplar o pôr do sol da praia ou do morro do Farol (embora, em abril, quando eu fui, o pôr do sol do morro do farol não estivesse muito bonito, pois estava se escondendo atrás dos morros... desci correndo e fui para a praia ver o pôr do sol de lá). Depois do jantar, dê uma volta pela vila, pela pracinha, conheça o Gustavo, que vende pérolas e outras pedras preciosas, passeie na Farmácia para fazer algumas comprinhas, ou vá ao Aquarena para tomar uns bons drinks na areia da praia (outro bom lugar para ficar durante o entardecer), ou ao Canto de la Ballena também para drinks e aperitivos... o Arrecife, outro point para drinks, quando eu fui, só estava servindo cerveja, mas o lugar é uma graça, no estilo do Aquarena, e vale a visita. Todos esses lugares servem comidinhas e são boas opções alternativas ao jantar, caso você não opte pelo all inclusive da sua pousada.


Arrecife, em Los Roques


Canto de la Ballena, em Los Roques

Aquarena, em Los Roques

- Jantar: se você não optar pelo all inclusive da sua pousada, para jantar em algum outro lugar em Gran Roque, aconselho que você faça a reserva com antecedência. As pousadas, de modo geral, servem jantar aos seus hóspedes e abrem suas portas para convidados de fora.

Na Posada La Cigala, o jantar de 4 passos/etapas (aperitivo, entrada, principal e sobremesa, mais água e sucos) custava 1.200 bolívares por pessoa. A garrafa de vinho era na faixa dos 700 bolívares.

Eu escolhi a pensão completa e não me arrependo. Era muito bom, cômodo e confortável não ter que me preocupar durante o dia em buscar uma outra pousada para reservar o jantar e, fazendo as contas, se eu pagasse o jantar à parte na La Cigala, onde fiquei, não valeria à pena. 

- Compras: não se empolgue muito nesse quesito. Você pode dar sorte de estar lá em um período de chegada de carregamento bom de produtos ou  não. Eu, que fiquei 10 dias, tive a sorte de encontrar coisas bem legais para comprar, principalmente na farmácia e também com o famoso Gustavo, corintiano, que vende suas pérolas e outras pedras preciosas (produtos entre 80 e 4.500 bolívares, a depender do tamanho da pérola e do polimento), na pracinha principal da vila de Gran Roque. Lembrando que os abastecimentos da cidade acontecem cerca de uma vez na semana apenas. 



Com o Gustavo e suas pérolas

- Lanchinhos e Carne Vermelha: bem... se você for do tipo carnívoro, prepare-se para uma pequena abstinência. Como eu não ligo muito para carne vermelha, não sofri. Mas vi pessoas por lá, depois de 8 dias de estada na ilha, já delirando por uma picanha rsrs... Dificilmente você conseguirá comer carne boa em Los Roques. Só mesmo peixes e frutos do mar. Na pracinha principal, tem uma famosa pizzaria que atende bem na hora do sufoco, no dia de saída, por exemplo, se você não quiser pagar o late check out. 



*** POUSADAS ***

. Mais Econômicas: de 50 a 80 usd por pessoa

- Casa del Sol - 80 dólares a diária para o casal, com cooler e jantar.
- Gremary - indicada no Grupo Dicas de Los Roques do Facebook
- Tsunami
- Sol y Luna - essa é do brasileiro, Fabio Blinder, que também é dono da Posada Eva e La Corsária. Juntamente com sua irmã, Mariana Blinder, oferecem serviços de agência de turismo por meio do site VeneBrasil, que auxiliam os turistas a fazer suas reservas.


. Nível Intermediário: de 100 a 150 usd por pessoa

- La Cigala - onde me hospedei. Diárias variam de 110 a 150 dólares por pessoa, a depender do quarto e do tipo de pensão (se completa ou não).
- Guaripete - de italianos e muito famosa entre brasileiros por causa do barqueiro Chichi.
- La Movida
- La Rosadela
- La Corsaria - muito famosa entre os brasileiros e oferecida pela agência VeneBrasil. 
- Caracol
- Posada Piano y Papaya - indicada principalmente para quem deseja meia pensão. Essa é uma pousada que estimula a jantar em outros lugares. 
- El Pelicano


. Mais Caras: acima de 150 usd por pessoa

- Natura Viva
- Malibu
- Macanao Lodge
- Mediterraneo
- Acuarela

Obs.: a maioria das pousadas acima listadas têm site e e-mail para contato. Muitas aceitam pagamento via PayPal, forma bastante comum de fazer as transações por lá.

Nós não recomendamos que se deixe para negociar tudo quando chegar diante da crise que o país enfrenta. Acredito que ter um apoio local é um bom começo para ajudar, se houver imprevistos. Mas, não podemos deixar de registrar que, em razão do câmbio negro do dólar, aos corajosos que deixarem para decidir onde ficarão apenas depois de chegar em Gran Roque, certamente economizarão mais dinheiro se pagarem em bolívares fuertes, moeda local, e não em dólares.

Para saber mais sobre as pousadas de Los Roques, aconselho dar uma olhada nos comentários do site TripAdvisor e também no site do Ricardo Freire, Viaje na Viagem, que conta com uma gama considerável de resenhas de pousadas. 

** GUEST POST DO APAIXONADOS NO BLOG VIAGENS E VIVÊNCIAS:

- O Melhor de Los Roques


** SITES QUE RECOMENDO PARA PESQUISA ANTES DE VIAJAR A LOS ROQUES:

- Viaje na Viagem, do Ricardo Freire








** LEIA MAIS SOBRE LOS ROQUES NO DIÁRIO DE VIAGEM QUE FIZ, DURANTE A MINHA ESTADA NO PARAÍSO:

- Férias do Apaixonados por Viagens

- Voo Internacional da Gol: Brasil - Venezuela

- Estou a Dois Passos do Paraíso

- Hotel Review: Hotel Catimar em Maiquetía

- Indo para Los Roques

- Primeiro em Dia em Madrisquí e a Posada La Cigala

- Por que Los Roques?

- Segundo Dia em Noronquí, Crasquí e Rabusquí

- Terceiro Dia em Francisquí de Arriba

- Quarto Dia em Cayo Vapor e Francisquí del Medio

- Quinto Dia em Dos Mosquises, Cayo de Água e Carenero

- Sexto Dia em Carenero

- Sétimo Dia em Boca de Sebastopol e Bajo Fabian

- Oitavo Dia em Palafito, Boca de Cote e Crasquí

Nono Dia - Passeio Fretado de Barco com o Capitão Franklin e o Barco Fama

- Décimo Dia em Madrisquí e Snorkel em Cayo Pirata


** VEJAM MAIS MOMENTOS FELIZES EM LOS ROQUES, UM LUGAR PARA SE APAIXONAR!! **

Espantando gaivotas em Madrisquí

Vamos Pular? Porque nós adoramos pular! Em Madrisquí!

Pobres Gaivotas rsrs... em Madrisquí


Pulando eu sigo Feliz! Em Cayo de Água


Francisquí de Arriba


Nossos jantares na Posada La Cigala, tempo de fazer novos amigos!



33 comentários:

  1. Lily amei!
    Tudo perfeito!
    Adorei nossas fotos...bons momentos para relembrar!
    beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sy querida, tivemos momentos lindos e perfeitos em Los Roques, não é?
      Que lugar maravihoso! E foi muito bom te conhecer!!
      Beijokas mil,
      Lily

      Excluir
  2. Estou encantada com a riqueza de detalhes que vc descreveu!!! muito obg pela dedicação!!!
    Eu não vou ler tudo agora, pq me conheço, e sei que já vou querer ir amanha mesmo kkkkk
    Mas esta muito TOP!!! vou salvar e compartilhar!!!
    uma pergunta: As fotos foram tiradas com qual maquina?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pâmela, tudo bem?
      Muito obrigada pelo comentário e desculpe-me pela demora em responder!
      Los Roques foi um sonho realizado! Lindo demais!
      Quanto à câmera, eu usei aqui no post fotos que tirem em 3: Canon T5i, Aquática da Sony a Tx20 e do meu celular que é um Samsung Galaxy Grand. Que bom que gostou! Adoro fotos!!! =)
      Bjos e seja sempre bem vinda aqui com comentários!!
      Lily

      Excluir
  3. Lily!! que relato mais lindo e completo!! amei!!
    lembro quando começamos a papear sobre los roques e todas as pesquisas que fez para deixar sua viagem perfeita! e hoje você trouxe pra gente tudo que precisamos saber!
    parabéns pela riqueza do texto!!!

    Bjinhos, quel (vamospraonde)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel!
      Que bom ver seu comentário aqui! Você também me ajudou muito a montar meu roteiro e a definir a minha viagem para Los Roques! Sou muito grata a você e às fotos lindas e inspiradoras que o VamospraOnde publicou e ainda publica no Instagram!
      Los Roques é um paraíso e foi um desejo de longa data (desde 2009) finalmente realizado!
      Muito obrigada pelo carinho e seja sempre bem vinda aqui!!
      E quando vamos voltar a Los Roques, hein?
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  4. completaço teu post!!!! parabens!!!! casei lá! INESQUECIVEL!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Fabio Zenker!
      Feliz por seu comentário e por ter gostado!
      Los Roques realmente é um lugar inesquecível!!
      Abraços,
      Lily

      Excluir
  5. Que maravilha de relato! Preciso fazer essa viagem depois de tantas informações, não há como não sentir-me mais segura (diga-se de passagem,,, é Venezuela).
    Obrigada Lily!!!
    Bjs, Juliana (viagem_etc)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juli!!! Tudo bom?
      Que surpresa boa ter seu comentário aqui!
      Muito feliz!!! Seja sempre muito bem vinda, viu?
      Você pretende ir a Los Roques quando? No que precisar de ajuda para planejar, fique à vontade! Ajudarei com muito prazer! Los Roques é um paraíso! A parte do planejamento que é chata porque temos que nos cercar de certos cuidados já que a Venezuela, como vc mesma disse, é a Venezuela... kkkk... mas, lá mesmo no arquipélago, não se sente muita da crise, a não ser na parte do abastecimento... de resto, muita segurança e paz em Los Roques!
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  6. Oi Lily,
    Adorei o post mas me tira uma dúvida, qnto mais ou menos vc gastou lá?! tem como passar uma média?
    Bjos e Obrigada
    Débora Ferreira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Debora!
      Tudo bom?
      Olha, em uma média bem média mesmo (pq agora eu não sei o valor exato... mas em cada post eu fui escrevendo os preços das coisas), considerando que meu voo do Br para Caracas foi com milhas, gastei algo na casa dos R$4mil.
      Espero ter ajudado!!
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  7. Oi Lily, sou a Ketrin do Instagram @viagemadois, tudo bem??? Eu tenho uma dúvida... todos dizem que o câmbio na ilha é mais vantajoso que o câmbio ainda em Maiquetia com Miguel. Li que atualmente na ilha o câmbio está 70X1 ou 72X1, o Miguel no momento está fazendo 65X1, minha dúvida é quanto cambiar com Miguel??? Gostaria de cambiar com ele somente o essencial já q o câmbio na ilha é melhor! O que eu combinei com ele foi o transfer aeroporto/hotel Miramar/aeroporto de Higuerote (por isso nos cobrou 90,00 usd para 2 pessoas) + a diária no Hotel Miramar 40,00usd para 2 pessoas + as passagens ida e volta com ChapAir 170,00usd por pessoa! Quanto você cambiou com o Miguel??? Quanto vc acha que devo cambiar com ele???

    Obrigadaaaa!
    Bjim, Ketrin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ketrin! Tudo bom?
      Obrigada por acompanhar o Apaixonados por Viagens e pelo comentário aqui no blog!
      Cada pergunta ou dúvida é sempre bacana para enriquecer ainda mais o post... afinal, nem sempre lembramos de tudo, né?
      Quanto ao câmbio inicial com o Miguel, eu troquei apenas 100usd (total mesmo, para mim e Julio). Como fiquei no Hotel Catimar, foi beeeem mais baratinho rsrs... 15 usd a diária, com café da manhã e transfer incluído do aeroporto. Mas já li relatos de que o Miramar é melhor. O Catimar é realmente muito simples e o Miguel teve problemas com o Catimar (ele levava clientes para lá, depois teve problemas, sabe?)... daí, o Miguel só trabalhar com o Miramar (detalhe: o Miguel mora praticamente ao lado do Catimar rsrs...).

      Higuerote fica meio longe mesmo, podendo levar até 3 horas, a depender do trânsito/horário. Acho que o valor acaba sendo por aí, em termos de transfer.

      Você precisará pagar umas taxas de embarque e a taxa de entrada no parque em bolívares. Além disso, é bom ter um $$ para jantar, comprar água, um lanchinho no aeroporto. Os nossos 100usd trocados foram mais que suficientes. Deu para tudo isso e sobrou metade (ou mais da metade!).

      Que bacana que será a viagem de vocês! Curtam muito e coloque muitas fotos, viu? Vou acompanhar e sonhar com o dia em que retornarei! Quer me levar na mala? Eu faço jejum até lá! kkkk..

      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
    2. Oi Lily,
      Obrigada por toda a ajuda e resposta super rápida! Vou trocar apenas uns 60,00 dólares com o Miguel então, o resto troca na ilha! Mais uma pergunta rsrsrs (tô abusando de você) na volta à Caracas vc voltou com ChapAir, foi isso??? O Miguel estava lá no aeroporto de Higuerote aguardando vcs pra levá-los ao aeroporto Simon Bolivar?? Foi tranquilo??

      Obs: Faz dias que não saio do teu blog, tem alguns posts que já li e reli vááárias vezes, muito bons! E até o dia da viagem (13/09) eu acho que ainda vou vir aqui muuuuitas vezes!!!


      (tô guardando o teu cantinho na mala hehhe)

      Bjim,

      Ketrin

      Excluir
    3. Oi Ketrin!! Imagine... eu só demoro a responder quando estou sem muito acesso rsrs... por exemplo, viajando... aí fica difícil acessar o blog ... mas vamos que vamos! E sua viagem será fantástica e linda!!

      Quanto aos meus voos, eu fui e voltei de Aerotuy, por Maiquetía! Graças a Deus. Só vi o Miguel quando cheguei, pois ele fez questão de me buscar no aeroporto, embora o meu hotel tivesse transfer gratuito e incluído. Aí aceitei. Quando eu o vi, trocamos o $$ disfarçadamente dentro do carro e ele me entregou as passagens com a Chapi. Explico: eu comprei 2 PASSAGENS de volta, uma com Chapi e outra com a Aerotuy (a louca! eu sei .. rsrs...) porque estava com medo de a Aerotuy ter problema. Antes de eu ir para Los Roques, por cerca de quase 40 dias, a Aerotuy ficou parada, para manutenção (eu fui em abril e o fato ocorreu em fevereiro e meados de março... aí fiquei tensa!). Mas deu tudo certo e voltei de Aerotuy mesmo, que tinha o melhor horário de volta. Saí às 17h e curti muito meu último dia no paraíso! Ah, quanto às passagens da Chapi, consegui um reembolso parcial, cerca de 70%... mas tudo bem, era o risco a correr e a minha tranquilidade em jogo... e isso não tem preço, né?

      Quanto aos dólares, acho que 60usd serão suficientes sim. Se quiser se resguardar, troque uns 80usd. Eu troquei 100usd e, como te disse, sobrou cerca de metade. Mas também não jantei nada muito caro, viu? e fazia lanchinhos simples.

      Que bom que o blog está te ajudando! Essa é a minha maior recompensa pelo trabalho, saber que tem leitor como você que gosta, curte, acompanha e viaja com as dicas! Muito obrigada mesmo!

      Beijo grande!

      Lily Pestana (olha que eu vou mesmo nessa mala, viu?rsrs)

      Excluir
  8. Oi Lily,


    Obrigada por todas as respostas e disponibilidade em ajudar! Sou fão do teu blog, os posts são muito completos e eu recomendo com frequência a outros amigos q estão em fase de pré viagem! Todos adoram! Parabéns!!!!

    Bjs, bjs, bjs

    Ketrin - @viagemadois

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ketrin,
      até eu estou doida para ir e postar as fotos lindas de lá!
      Falta pouco!!
      Vai ser tudo lindo e dará tudo certo!
      Beijo grande,
      Lily

      Excluir
  9. Ola... Adorei seu blog... Ajuda muitoooo... Bom, meus voos nao encaixam no retorno... Acha que vale passar um dia em Higuerote ou melhor ir direto ao aeroporto?

    Caracas, vc conhece? Deixei 2 dias para visitar a capital... Vale a pena?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda,
      bom dia!
      Muito obrigada! Fico super feliz por ter gostado!
      Então, eu não passaria um dia em Higuerote de jeito algum. Eu fui numa época muito complicada, das manifestações. A Venezuela ainda enfrenta grave crise econômica, financeira, política. As coisas por lá só estão sendo "abafadas" na mídia ou por falta de interesse em divulgar ou por proibição de divulgar. Mas eu não me arriscaria muito. Turistas são muito visados. Tem toque recolher sim. Ocorrem ainda sequestros. Eu fiz de tudo para chegar logo em Los Roques e ficar o mínimo em Caracas. Não conheci a capital. Não fiz questão e estava com medo.
      Você tem acompanhado as notícias? Se você achar que está tranquilo, então aproveite a oportunidade, Mas não vá sozinha, tá? E fiquei atenta.
      Los Roques é o paraíso! Você vai amar!
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Amei as suas dicas, como voçê disse que o forte é peixes e frutos do mar, meu noivo não come nada disso (rsrs) teria outras opções de comidas? Estamos encantados pelo lugar, mas a questão da alimentação é que está pegando para a nossa escolha de ir ou não :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pricila! Tudo bom?
      Fico muito feliz que você tenha gostado!
      Então, quando eu fui ano passado a Los Roques, principalmente por causa da crise, não estava chegando carne na ilha e lá eles não criam gado. A ilha sobrevive da pesca mesmo e do que eles conseguem trazer do continente. O que tem lá é pizza e algumas massas que pousadas servem às vezes com legumes e molhos. É algo a se pensar com carinho mesmo e, de repente, verificar com a pousada antes de fechar qualquer coisa se ela oferece algo diferente de peixe e frutos do mar.
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  12. Olá! A intenção era Cancún, mas ao começar a estudar um pouco sobre o Caribe, eu e meu marido estamos tentados a conhecer Los Roques! Ainda não li todo o seu maravilhoso post, pois um detalhe no meio da leitura acelerou um pouco meu coração! E a ansiedade já me trouxe aqui para perguntar: Los Roques é um destino para quem não sabe nadar? rsrs! Quando li sobre o pé de pato, gelei! rsrs! Ñ que eu não saiba nadar: numa piscina, eu me viro, brinco, bóio! rsrs! Até pulo num mergulho! rsrs! Mas só vou até onde dá pé! No mar, no máximo, vou até onde a água bata na altura do peito! Sou bem pata mesmo... aliás, eu e meu marido somos! Já fiz mergulho com cilindro, mas grudada no instrutor. Ou seja, não é medo... é ter ciência de até onde posso chegar sozinha.
    Podem me dar um conselho em relação a isso?
    Enquanto isso, vou terminar de ler o post! rs! Amando o relato!
    Bjos no coração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Juliana!
      Tudo certinho? Como vai?
      Olha, nem sei o que te dizer porque eu amo tanto mergulhar e nadar que ficava horas e horas em Los Roques fazendo snorkel, já que a vida marinha de lá, os corais são magníficos. Em outras palavras, eu não conseguiria ME IMAGINAR indo para Los Roques para ficar apenas na areia, sem mergulhar/nadar e fazer snorkel.
      O mais importante para você saber é que em Los Roques você vai pegar barco todo dia para ir para uma ilha ou banco de areia. O barco te deixa na ilha sem que você precise nadar para chegar na areia. Não há praia decente na ilha principal de Gran Roque! Eu praticamente não usei nadadeira... nem gosto, para ser sincera porque elas me dão cãibra. Há também passeios de mergulho de cilindro, que eu não fiz. Eu realmente fiz só snorkel/flutuação. Então, se é que eu posso realmente te dar um conselho, que tal você e seu marido de repente entrarem em uma aula de natação até a viagem? Na minha opinião, vocês vão aproveitar muito mais se conseguirem fazer flutuação para verem os corais e peixinhos. Já que não se trata de medo, mas sim, pelo que me parece, falta de prática, acho que vocês vão se dar bem sim. Em último caso, uma dica que vi muita gente fazendo recentemente na Bahia, em Taipus de Fora, é levar um colete salva vidas para você fazer fazer a flutuação com snorkel com tranquilidade.
      Espero ter ajudado,
      Los Roques é um paraíso!
      Beijo grande,
      Lily

      Excluir
  13. Olá, Lily Pestana!

    Eu tenho muita vontade de visitar um amigo que mora na Venezuela. Ele mora na cidade de Carúpano que fica no estado sucre a 530km de Caracas. Eu não tenho muita idéia de como fazer para chegar lá. Você teria alguma dica pra mim, na questão de locomoção? Tem alguma idéia de quanto de dinheiro eu deveria reservar mais ou menos para essa viagem? seria apenas este o destino, sem fazer outros passeios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Robson,
      tudo bom?
      Puxa vida... minha experiência na Venezuela foi tão focada em Los Roques porque eu estava com medo das manifestações, estradas interditadas, ondas de violência, sequestros etc... eu não me animei nem a ir até Caracas, para você ter ideia. Portanto, realmente, não tenho como te ajudar, infelizmente. Mas olhe, o lugar onde de repente você pode encontrar ajuda é o site dos Mochileiros.com ... dê uma olhada lá =)
      O que eu posso te dizer que é fiz o deslocamento do aeroporto para o hotel com o Miguel, que é um local que ajudou muito (miguelserrano10@gmail.com). De repente ele também pode te ajudar.
      Boa sorte!
      Abraços,
      Lily

      Excluir
  14. Excelente escolha para o Caribe. Praias belíssimas: https://www.flickr.com/photos/ricardoviana/albums/72157644025774883
    Ricardo

    ResponderExcluir
  15. Minha amiga quer saber se é perigoso em algum sentido.. Pois quer ir para lá na época de maio. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bruna!
      Lá em Los Roques não. É um paraíso. Um lugar como nenhum outro que já visitei.
      Mas chegar lá é o complicado e não vou mentir. A Venezuela segue enfrentando uma crise muito forte e nada melhorou desde que eu fui, há 3 anos.
      Portanto, tem que pensar direitinho se valerá a pena passar por eventuais estresses para chegar lá. Mas uma vez que você esteja em Los Roques, terá valido muito a pena porque o lugar é um paraíso!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  16. oi! Estive em los roques de 14/02 a 22/02/2017.Eu não precisei dormir em caracas. Fui para lá de Copa. Meu vôo chegou em Caracas às 12h30pm e o vôo para los roques saiu às 16h do próprio dia, pela companhia Fly to Los Roques. Fiquei 8 noites no paraíso na pousada La Corsaria, que é do brasileiro Fábio blinder. A pousada é boa, mas não recomendo, pq achei um pouco cara e não tem água quente! Saímos de los roques às 9h e nosso vôo sairia de caracas para o Panamá às 18h. Nesse meio tempo pegamos um táxi e fomos para Catia del Mar, para almoçar e conhecer um pouco a cidade. Lá é mar do caribe tb, tem uns hotéis lindos e restaurantes ótimos, nem dá para sentir a crise. Foi tudo bem tranquilo e eu tô com a pior depressão pós viagem da vida rs rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei saber as novidades! Essa empresa Fly to Los Roques é nova! Graças a Deus que tem cia nova voando para lá!! Nós passamos lá na La Corsaria! Fábio é um baiano bem famoso na ilha! Nós amamos a La Cigala, então sou suspeita para indicar outra. E tinha água quente rsrs... Que bom que deu tudo certo! Assim você até me anima a pensar em voltar um dia. Quem sabe? Obrigada por compartilhar conosco a sua experiência!

      Beijos,
      Lily

      Excluir