quarta-feira, 24 de maio de 2017

Tailândia: impressões, dicas e roteiro

Tailândia
Ilha de Poda
Quem acompanhou nossa viagem pela Ásia, início do ano de 2017, principalmente pelo instagram, sabe que nós rodamos um bocado por lá ao longo dos nossos 38 dias de passeios! Foi um momento incrível que nós nos permitimos tirar para realmente termos uma inserção maior na cultura, na religião, na gastronomia, nos costumes dos países que visitamos, principalmente Filipinas, onde ficamos 11 dias e, principalmente, a Tailândia, onde passamos 17 dias.

Poda Island
Ayutthaya
Nós já compartilhamos aqui com vocês muitas dicas, roteiro, informações sobre voos, como comprar as passagens aéreas, mas ainda não detalhamos nossas impressões sobre a Tailândia, país onde ficamos mais tempo. Para relembrar, vejam aqui alguns posts bem legais que ajudarão a planejar a sua viagem:


- Nosso roteiro na Ásia

- Dicas para planejar sua viagem para a Ásia com segurança

- Filipinas: roteiro completo e muitas dicas




- Chegando em Kuala Lumpur

- Hospedando-se em Kuala Lumpur: conheça o The Face Suites

Patara Elephant Farm

Maya Bay

Maya Bay

Após participar da blogagem coletiva, organizada pela Ana Paula Fidélis do blog Entre Viagens, relatando um pouco sobre nossa experiência na Tailândia - cliquem aqui e confiram o resultado desta matéria que ficou bem bacana - resolvi que poderia fazer o mesmo aqui com vocês e voltar a postar sobre a Ásia, começando a falar sobre a Tailândia, justamente apresentando para vocês algumas de nossas impressões sobre o país e lugares que visitamos.

Confiram todas as fotos e dicas desta viagem clicando na hashtag #ApaixonadosporViagensÁsia17

** NOSSO ROTEIRO NA TAILÂNDIA **


Koh Lipe

Wat Poh - Bangkok

Bangkok

- Total de dias: 17
Chegamos no dia 10/03 e ficamos até o dia 27/03


- 10/03 – Viagem de Boracay (Filipinas) para Bangkok com a Cebu Pacific (4 noites em Bangkok)

. Boracay – Bangkok (Cebu Pacific, com conexão em Manila) - 17:05/18:05 5J906, conexão em Manila – 5J931 21:00/23:25 - Bangkok (franquia de 20kg despachado e 7kg na mão) – 217 euros + iof, por pessoa (para 2 = 1.500 reais)

Bangkok (dois hotéis):
- 10 a 12 de março: Riva Arun (parceria / cortesia, nota 9,2 no Booking.com)
- 12 a 14 de março: Dusit Thani (cortesia/parceria, nota 8,5 no Booking.com)

- 14/03 – Viagem de Bangkok para Koh Lipe com a Air Asia (3 noites em Koh Lipe)

. Bangkok – Koh Lipe (voo + carro + ferry – combo comprado com a Air Asia) - 6:30 da manhã  do aeroporto Don Mueang para o aeroporto de Hat Yai, chegada às 8:00 – depois tem transfer incluso na passagem com a Air Asia que sai às 9:00 e vai para o píer de Pak Bara, com chegada às 10:30 – pegar o ferry às 11:30 para Koh Lipe, com chegada às 13:00 – com bagagem para os dois (Sunrise Beach) - 143.42 dólares + iof (inclui refeição) – bagagem despachada de 20kg

Koh Lipe de 14 a 17 de março: Bella Vista Beach Resort – 3 diárias – R$957.00 (nota 7,7, no Booking.com)

- 17/03 – Viagem de Koh Lipe para Phi Phi Don com speed boat (3 noites em Phi Phi)

. Koh Lipe – Koh Phi Phi: Speed Boat arunsiri.travel@gmail.com – 2.600 THB por pessoa (250 reais por pessoa - cerca de 5h de viagem)

Koh Phi Phi de 17 a 20 de março: Mama Beach Residence – 3 diárias – R$1310,00 (nota 7,9 no Booking.com)

- 20/03 – Viagem de Phi Phi Don para Railay de ferry (3 noites em Railay)

. Koh Phi Phi – Railay/Krabi: http://www.phiphi-ferry.com/- 12.5 euros

Railay Beach (em Krabi) de 20 a 23 de março: Avatar Raylay – 3 diárias – R$747.00 + iof

- 23/03 – Viagem de Railay para Krabi de barco/carro – transfer, e de Krabi para Chiang Mai (4 noites em Chiang Mai)

. Krabi – Chiang Mai (AirAsia – voo direto) - 20:40 / 22:10 (5.640 baths = 502 reais + iof) e 25kg de bagagem despachada

Chiang Mai:
- De 23 a 25 de Março: Dusit D2 (parceria/cortesia)
De 25 a 27 de Março: 137 Pillars (parceria / cortesia – com café da manhã, duas massagens e um almoço ou jantar, transfer de saída do hotel)

- Gastos aproximados com hospedagem, passeios, refeições, para 36 dias líquidos de viagem: R$20.000,00
- Gastos aproximados com a compra de dólares para usar durante a viagem: R$16.000,00 (dólar a R$3,19).
- Gastos com a passagem aérea Brasil – Ásia: R$6.400,00

- Total aproximado de gastos da viagem para 2 pessoas: R$42.000,00 (cerca de R$20.000,00 para cada um, por 36 dias inteiros de passeios)

Obs: nós retornarmos ao Brasil com cerca de 500 usd em espécie, mas também usamos o cartão de crédito em algumas situações por lá. Então, apesar de não ter feito as contas certinhas, dá para estimar que gastamos o que está descrito acima.

Bamboo Island

Koh Phi Phi

Chiang Rai

Vou me valer das perguntas elaboradas pela Ana Paula e reproduzir aqui para vocês as nossas principais impressões sobre a Tailândia.

1) Qual era a nossa expectativa em visitar a Tailândia?

Altíssima, apesar de ser um sonho maior do Julio do que meu Lily.

O meu grande problema com a Ásia, de modo geral, é que eu sempre tive um pouco de medo de desbravar esse continente em razão de terremotos e tsunamis, razão pela qual adiei muito sequer considerar uma viagem para lá. Eu preferia nem pensar a respeito e fui optando nos últimos anos a fazer viagens para lugares mais próximos, dentro das Américas e Europa.




Por outro lado, acompanhando tantos colegas viajando para esse país nos últimos anos (MUITA GENTE MESMO!), eu realmente me animei bastante e resolvi realizar esse sonho do Julio que acabou virando meu também.

Estudei um pouco sobre o budismo antes de viajar, pois tinha muita curiosidade sobre a religião e estava muito ansiosa para provar os pratos típicos e genuínos do país, cuja gastronomia há tempos me encanta. Eu adoro frequentar restaurantes tailandeses aqui no Rio, como o Nam Thai e o Sawasdee, ambos no Leblon, mas a gente sabe bem que os pratos acabam sendo adaptados, ainda que de forma sutil, ao paladar brasileiro.

Wat Poh - Bangkok

Wat Poh - Bangkok

Wat Poh - Bangkok

Wat Arun - Bangkok

Sobre a comida, de modo geral, eu achei mais gordurosa e mais apimentada do que eu esperava e do que estou acostumada.

Sobre o budismo, pude perceber que a filosofia é linda, mas na prática há muitas distorções que eu acho que Buda, se vivo estivesse, não concordaria muito, principalmente envolvendo dinheiro. Não gostei muito de ver dinheiro pendura nos tetos dos templos e tampouco concordo com a posição inferiorizada da mulher dentro desse universo. Fiquei sabendo que uma mulher não deve dirigir a palavra ao monge, salvo durante o Monk Talk, ocasião em que os monges estão abertos a conversar, fazer suas bênçãos, mas sempre fica implícito que eles querem uma doação em troca.

Chiang Mai

Chiang Mai

Chiang Mai

Chiang Mai

Em relação às belezas naturais, foi tudo espetacular! Realmente, é um país incrível, cada vez mais aberto ao turismo, que cresce exponencialmente e tem muito a oferecer em vários aspectos do turismo.

2) Qual é a melhor época para visitar?

Resumo da melhor época para ir para a Tailândia

Bangkok, Chiang Mai e Koh Phi Phi (e arredores) entre dezembro e fevereiro.
Bangkok, Chiang Mai e Koh Samui (e arredores): entre fevereiro e março.
Koh Phi Phi (e arredores), entre dezembro e fevereiro.
Koh Samui (e arredores), entre maio e setembro.

Melhor site para entender a melhor época do ano para visitar cada país no Sudeste Asiático: clique aqui

Maya Bay - Phi Phi

Phi Leh Bay - Phi Phi

Phi Leh Bay - Phi Phi

Phi Leh Bay - Phi Phi

Após pesquisar muito a respeito e tentar fazer coincidir a época para pelo menos a maioria dos países que visitaríamos, nós escolhemos a viagem para ser entre fevereiro e março.

Chegamos na Tailândia em março e adorei essa escolha!

Pegamos dias lindos, na grande maioria... passamos 17 dias na Tailândia e somente pegamos 1 chuva à noite num dia, 1 chuva na tarde de outro dia e 1 manhã nublada.

Achei o saldo bem positivo, em termos de "dias de sol". Porém, o calor foi grande e, por diversas vezes, vivenciamos verdadeiros testes de resistência, como fazer a trilha para o point view de Phi Phi ou visitar os templos em Bangkok e Chiang Mai.

Phi Phi

Phi Phi

Bamboo Island

Como um clima mais úmido, no melhor estilo amazônico, a gente transpirava de escorrer suor pelo corpo.

Em outras palavras, nós recomendamos sim o mês de março e sugerimos que evitem os meses das monções chuvosas. Apesar de o clima no planeta inteiro estar bem louco e hoje em dia trabalharmos mais com tendências e probabilidades do que com certezas, eu não indico de jeito nenhum que vocês vão para as ilhas do Mar de Andaman (Koh Phi Phi, Krabi, Koh Lipe, Koh Lanta...) entre junho e novembro, bem como não indico que visitem as ilhas do Golfo da Tailândia (Koh Samui, Koh Tao...) entre os meses de dezembro a fevereiro, pois os índices de chuva são altos nessa época do ano.

Maya Bay - Phi Phi

Bamboo Island - Phi Phi


Koh Lipe

Digo mais: é sempre comum ver as pessoas indicando o mês de janeiro para visitar a Tailândia como um todo, mas nos últimos anos tem chovido bastante entre novembro até janeiro. Portanto, se puder realmente planejar sua viagem entre fevereiro e abril, tanto melhor.

Ainda por cima, nessa época de março e abril há uma janela ótima que coincide o tempo bom no Mar de Andaman e no Golfo da Tailândia. Portanto, dá até para visitar os dois lados sem tanto risco de pegar chuva.

Monkey Bay - Phi Phi

Phi Phi

Railay - Krabi

Vamos combinar que ninguém quer visitar um paraíso como esse com chuva, certo? Você não vai se despencar para o outro lado do mundo, viajar horas e horas e mais horas, encarar um fuso horário de 10 a 12 horas para pegar chuva em praias paradisíacas, não é mesmo?

Long Beach - Phi Phi

Koh Tup - Railay

3) Qual foi a primeira impressão ao pisar em solo tailandês?

Nós chegamos bem tarde em Bangkok, às 23h. Logo, de cara, enfrentamos muita fila no aeroporto de na imigração e, antes mesmo disso, no quiosque do Health Quarentene (controle sanitário), achei super curioso haver um recado escrito em português diretamente voltado aos brasileiros, no tocante à apresentação do Certificado Internacional da Vacina da Febre Amarela. Ou seja, duas conclusões a partir daí:

Bangkok - Wat Poh e Grand Palace

Chinatown - Bangkok

Bangkok

Bangkok

a) tem realmente muito brasileiro viajando para a Tailândia ao ponto de ter um recado em português rsrs.. e de fato tem! Phi Phi já é mais brasileira do que asiática kkkk...

b) eles levam bem a sério isso da prevenção contra a Febre Amarela e, a bem da verdade, nós representamos de certa foma uma ameaça a eles, principalmente esse ano que teve novo surto da Febre Amarela.

Ayutthaya

Como chegamos tarde, não tivemos problema com o caótico trânsito de Bangkok sobre o qual todo mundo reclama. Para ser sincera, isso realmente não nos atrapalhou porque chegamos em uma sexta feira à noite. No sábado, nós fizemos passeios pelos templos para os quais nós nos deslocamos a pé porque ficavam bem perto do hotel onde estávamos. No domingo, a gente seguiu passeando pela manhã em templo perto da gente e de tarde fomos para Ayuttthaya, sem trânsito por ser domingo. Na segunda, saímos bem cedo e fomos para o Floating Market e Train Market, a mais ou menos 1h de Bangkok e só sentimos um pouco o trânsito na hora de voltar, pois ficamos em Chinatown e depois teve ainda esse deslocamento dentro de Bangkok da Chinatown para o hotel, que até que foi bem tranquilo.

Logo, tivemos sorte neste quesito! rsrs...

Chiang Mai

Chiang Mai

Gran Palace - Bangkok

4) Como foi a experiência com a comida?

Eu amo comida tailandesa, de verdade, mas tenho um  limite para tolerar comidas muito apimentadas. Se passar desse limite, eu não consigo comer, até porque já nem consigo sentir o sabor verdadeiro da comida.

Eu já fui bem preparada para lidar com isso, mas confesso que me surpreendi em um voo interno com a Air Asia, em que pedi um pad thai (o macarrão de arroz tailandês) com camarões, de serviço de bordo, que era tão, mas tão apimentado que eu suei para comer 4 colheres e desisti! Julio se deu bem porque conseguiu comer o dele e o meu!!!

Maya Bay - Phi Phi

Koh Lipe

Koh Lipe

Koh Lipe

De modo geral, eu sempre perguntava se era apimentada e pedia o prato que supostamente não tinha pimenta, mas sempre tinha um pouco. Acho que esse conceito de "sem pimenta"não existe opr lá e, por isso mesmo, minha dica a quem não suporta mesmo pimenta é dizer que tem alergia e pode morrer rsrs... Sério! Parece exagero, mas só assim para eles entenderem que não pode ter pimenta de verdade.

Ainda na parte gastronômica, adoramos as cervejas Singha e Chang Beer, que são leves e combinaram com o calor dos infernos que fazia. E também tomamos muitos shakes de frutas, com iogurte ou sem. Eram bem refrescantes e muitas vezes serviam para dar aquela sustância de tarde rsrs...

Nós não nos cercamos de taaaaaantos cuidados em relação à alimentação. Não foi a toa que passei mal e tive até febre... provavelmente tive uma intoxicação alimentar. Fiquei com estômago e intestino bem desregulados durante toda a viagem, mas cheguei a passar mal mesmo, de ficar com dor, prostrada e febril por 1 dia e meio na Tailândia e 2 dias nas Filipinas.

Chiang Mai

Chiang Mai

Chiang Rai

Chiang Rai

A gente meio que abusou e comeu street food (comida de rua) sem muitos pudores, como pad thai na Kahosan Road (a rua mais famosa e mais agitada de Bangkok), tomamos sorvete frito em Koh Lipe (uma delícia), o sorvete de coco do latão de alumínio (por diversas vezes e em vários lugares), água de coco, shakes de rua e de restaurantes, frutas frescas em feiras, como a do Floating Market (experimentamos algumas diferentes, que nunca tínhamos visto antes)... enfim, a gente adora experimentar coisas novas, provar e pagamos o preço por isso. Portanto, se você já se conhece, sabe que tem um organismo mais sensível, eu sugiro agir com mais cautela e, apesar de triste o que direi, procure não comer nada diferente e beba somente o que estiver em recipiente lacrado.

5) O que mais chamou a atenção nesta viagem?

Nossa... posso dizer simplesmente: TUDO? rsrs...

Maya Bay - Phi Phi

Tudo muito diferente da gente, tudo munto novo, tudo muito colorido, tudo muito exuberante... tipo assim.. TUDO! Foi minha primeira vez na Ásia, logo, eu ficava impressionada o tempo todo com TUDO o que via, coisas boas e ruins, como, por exemplo, como os chineses, que estão por lá em grande maioria, na minha opinião, porque eu só via chineses para todos os lados rsrs, como eles realmente, e com base na cultura deles, têm dificuldade com filas, se metiam na minha frente quando eu estava "posando" para fotos e como era engraçado ver os orientais, de modo geral chineses, japoneses e sul coreanos, na praia, todos cobertos com blusas de manga comprida e às vezes até calças, para não se bronzearem... eu muitas vezes me pegava pensando em qual deveria ser a graça de ir à praia toda coberta de roupa e deixar em uma espreguiçadeira para "pegar sol"? rsrs... mas é cultural.

Ayutthaya

Inclusive, chamou minha atenção ver que os filtros solares e outros produtos dermocosméticos vêm com um Whitening Factor, ou seja, um ingrediente embraquecedor na sua fórmula e isso realmente chamou minha atenção. Inclusive, depois procurei saber a razão e uma das explicações mais convincentes que recebi foi a no sentido de que os orientais associam as pessoas com a pele mais branca a ter um status melhor na sociedade, já que, quem tem a pele mais bronzeada, ou morena, seriam os trabalhadores rurais os quais, quase sempre, são pessoas de baixa renda social. Interessante, não acha?

Koh Lipe

Koh Lipe

Koh Lipe

Outra coisa foi a segurança pública que chamou minha atenção, pois, apesar de ser um país de Terceiro Mundo, como o Brasil, considerado subdesenvolvido, eu me senti segura o tempo todo. Claro que, como boa carioca, eu não me desligo e fico sempre atenta, em alerta, mas absolutamente nada aconteceu que pudesse me deixar preocupada, sabe? E assim foi em Bangkok, em Chiang Mai, que são cidades grandes e movimentadas, onde eu andava com a minha Cannon T5i (uma câmera semi profissional) pendurada no pescoço, da mesma forma em que nas ilhas e praias que visitamos, diversas vezes a gente ia mergulhar, eu e Julio, e deixávamos as coisas na areia. Nada aconteceu e a gente se sentiu seguro para agir assim. Achei incrível!




6) Qual é o passeio mais imperdível?

Eita... eu achei tudo o que fiz imperdível e faria de novo kkkk... mas aí precisaria ver se seria um passeio em relação às praias ou aos templos, que são os principais atrativos do país...

Phi Phi

Phi Phi

Phi Phi

Bem, em relação às praias, apesar de ser clichê e já turistão e batido, de fato, ir à Maya Bay (a praia do filme "A Praia" do di Caprio) é sim imperdível. Mas há outras praias tão maravilhosas quanto, de azul absurdamente neon, como a Bamboo Island e a Poda Island! Essas duas foram incríveis! Eu também me apaixonei por Koh Lipe, um destino ainda não muito popular dentre brasileiros. Talvez por isso mesmo.. quase não vimos brasileiros por lá. E a sua atmosfera ainda mais pacata era um charme.

Maya Bay

Bamboo Island

Poda Island

Em relação aos templos, em Bangkok, o Gran Palace é de fato imperdível! Vale a pena dedicar de 2 a 3h para percorrer o seu interior e pagar o equivalente a R$50.00 por pessoa para percorrer seu esplendoroso interior.





E, se tiver um tempinho sobrando em Bangkok, o segundo templo que mais curti foi o Wat Poh, onde fica o maior Buda inclinado do mundo.



Obs: você sabia que cada posição do Buda representa um estágio da sua vida até alcançar o Nirvana? No caso do Buda Inclinado, essa posição significa que Buda já está praticamente desencarnando do mundo.


Já em Chiang Mai, cidade considerada por muitos como a essência espiritual da Tailândia, o Doi Suthep, apesar de mais distante (quase 1h de carro do centrinho de Chiang Mai), é incrível!




E foi também em Chiang Mai que tivemos a experiência única (e cara! Cerca de 650 reais para cada) de conviver durante um dia com elefantes, no Patara Elephant Farm, uma fazenda de elefantes que foram resgatados de maus tratos de circos, de apresentações e de outros passeios, onde eles são cuidados para se recuperarem dos traumas e lesões e tivemos essa oportunidade indescritível de passar um dia cuidando deles também, desde alimentar, até dar banho e também demos uma voltinha com eles.



Eles não usam cadeirinhas nos elefantes e todos os comandos são feitos por voz, ou seja, não há nenhum tipo de instrumento (chicote, por exemplo) para obrigar o elefante a fazer algo que não queira.




À parte de qualquer crítica, pois sei que o assunto é super polêmico e tem gente que defende que nem deveríamos visitar essas fazendas, independentemente de elas dizerem que cuidam dos animais (e, de fato, não dormimos lá para ver o que realmente acontece com os animais, mas pudemos observar - e eles ensinam a verificar os sinais - que os elefantes estavam bem à vontade, tranquilos, comendo o dia todo...) sei que tem quem recomende outras fazendas onde é proibido andar em cima dos elefantes, mesmo que sem cadeirinha, sei que às vezes a gente tenta acreditar que haja pessoas boas fazendo o bem e nem sempre estão, mas só querem mesmo o nosso dinheiro enquanto turista bobão... mas, apesar disso tudo, pelo que vi, com base no que senti, eu realmente indico o Patara Elephant Farm e achei o trabalho desenvolvido por eles sério e comprometido.



Apenas deixo aqui o pedido para que vocês sempre tentem investigar antes de fazer qualquer passeio que envolva animais, por favor. No caso dos elefantes na Tailândia, o que mais vocês verão serão apresentações e passeios com elefantes. Durante a viagem mesmo eu conheci pessoas que me contaram que andaram de elefante em Ayutthaya, por exemplo, ou até perto de Bangkok, onde os condutores do passeio feriam o animal com espetos para ele andar, ao ponto de verem sangrar. Isso é um crime e é desumano. Logo, esse é o recadinho que gostaria de deixar para que tenham esse cuidado, busquem informações antes e, se for o caso de verem algo assim, por favor, façam a sua parte e filmem, denunciem, tirem fotos e depois divulguem para as pessoas não irem nesse lugar.

Por fim, a melhor dica que dou ainda dentro da pergunta sobre o que é imperdível na Tailândia é: faça tudo que suas pernas e seu bolso puderem suportar e você não vai se arrepender! Deixe para descansar quando voltar para sua casa rsrsrs...


Railay - Pranang Beach

Phi Phi

Maya Bay

7) Depois desta viagem, se alguém perguntar agora "Por que visitar a Tailândia?" o que responderia?

Porque você terá a oportunidade ímpar de visitar um país incrível, onde cultura, religião, gastronomia e ecoturismo, com praias estonteantes, encontram-se em uma harmonia perfeita e indescritível, com a chance de conhecer um povo muito simpático e muito receptivo aos turistas e fazer uma imersão completa em algo muito diferente do que estamos acostumados.

Pranang Beach - Railay

Pranang Beach - Railay

Railay - Krabi

E, por favor, levem a gente na mala de volta!! A gente jura que faz dieta, para de ir aos eventos gastronômicos no Rio kkkk... e vamos todos visitar esse país lindo!




10 comentários:

  1. Ola adorei as dicas....no item 5 vc postou fotos com monte pejxes....to louco pra visitar lugar assim onde foi? Estou indo agora junho e rezando pra sao pedro e todos budas pra nao chover muito kkkk. Parabnes pelo blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcos! tudo bom?

      Obrigada pelo comentário! Tomara mesmo que o tempo ajude kkkk.. não custa rezar para todos os santos e para Buda, não é mesmo? O tempo anda louco no mundo inteiro e tudo hoje em dia são tendências... fator sorte vale mais que qualquer coisa!

      Foram várias fotos com peixinhos kkk... tivemos essa experiência em Koh Lipe, no passeio de barco (é bem fácil... só pedir para o capitão te levar para os lugares com corais e peixinhos) e também nos passeios que fizemos a partir de Phi Phi... neste caso, em especial, foi o passeio que fizemos para Bamboo Island que parou em uma enseada linda cheia de peixes... mais uma vez, basta pedir que eles sabem muito bem para onde levar para ver os peixes! Eles não são bobos e querem mais é ver os turistas felizes para divulgar o destino e terem mais empregos!

      Aproveite muito este paraíso!

      Abraços,
      Lily

      Excluir
  2. Respostas
    1. Que bom que gostou! Espero que tenha te animado a ir para lá também para tirar fotos lindas para a gente ver!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  3. Muito legal o post Lily! Amei a Tailândia, um dos países mais lindos do Sudeste Asiático.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Marcio! Vindo de você que é um expert quando o assunto é Ásia, fico extremamente honrada!
      Que bom que gostou da matéria. A Tailândia realmente nos encantou muito!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  4. Eu que quero muito ir para Tailândia, vai me ajudar e muito esse guia completo. Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carlos! tudo bom? Que legal que você está pensando em visitar a Tailândia! Vale muito a pena. Dureza é chegar e enfrentar as várias horas de voo e o fuso horário que pode ser cruel nos primeiros dias... de resto, tudo bem tranquilo! Você com certeza vai adorar e tirar de letra!
      Qualquer coisa, estamos às ordens!
      Bjs,
      Lily

      Excluir
  5. Como sempre arrasou no post Lily, bem completo. Eu amei acompanhar sua viagem, quero fazer uma igual, mas em 17 dias kkkk
    Brincadeira, sei que é impossível!
    Beijos Sy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei amiga! Muito obrigada. Puxa... 17 dias foi o tempo todo que fiquei na Tailândia kkkk... aí você complica... mas se for para fazer Tailândia e Camboja em 17 dias, fica um pouco mais corrido, mas dá também! Pense sim com carinho que tenho certeza de que você vai amar!

      Beijinhos,
      Lily

      Excluir