sexta-feira, 3 de março de 2017

Singapura: Dicas, Passeios e Marina Bay Sands Hotel!

Estivemos em SINGAPURA entre os dias 25/02 a 27/02. Foi uma passagem rápida, de cerca de 3 dias, mas deu para vermos porque esta Cidade Estado é um Tigre Asiático! Modernidade, educação, respeito, leis deveras, organização e segurança fazem de Singapura um lugar incrível!



Como Chegar: como estávamos em Kuala Lumpur, praticamente ao lado, fomos de avião num voo curto de 1h, com a Tiger Air, que saiu às 10:55 e chegou às 12:05, e que custou no total, para 2, 329MYR, que são mais ou menos 237 reais, com direito a 10kg de bagagem de mão e 20kg de bagagem despachada.


Também como opção, há a Singapore Airlines que é umas das melhores do mundo, voando para mais de 100 destinos. Já a AirAsia, com sede em Kuala Lumpur, é considerada a melhor empresa low cost da Ásia.

. Aeroporto de Singapura (Changi): 

- De Metrô (MRT – Mass Rapid Transit): tem uma estação dentro do aeroporto. Dá para pegar o SkyTrain para a linha de metrô - linha East West line (verde) e é necessário fazer uma conexão na estação Tanah Merah no meio do caminho para chegar no centro. A passagem até o centro custa cerca de 1,70 SGD até a estação Orchard. Os trens operam mais ou menos entre 5:25 e 23h, mas sugiro consultar o site do MRT para confirmar. Esta é sem dúvida uma opção barata, rápida e segura de chegar na cidade, especialmente para quem viaja com pouca bagagem.

- De Táxi: existem dois tipos - o comum e o limo taxi (Mercedes e carros maiores). Esses últimos podem ser contratados no balcão do Ground Transport Desk, localizado no hall do desembarque de cada terminal. A viagem dura cerca de 20-25 minutos (com trânsito bom) e custa em torno de 20/25 SGD nos táxis comuns e de 55 a 60 SGD (preço fixo) nos Limo Taxis, para as áreas mais centrais em horários normais. Se seu destino ficar dentro da região central de Singapura, o motorista poderá repassar o custo do pedágio (a cidade cobra pedágio de quem circular dentro de um determinado perímetro central durante as horas comerciais).

Saindo do aeroporto de táxi comum, paga-se uma taxa de 5 SGD das 17h às 0h de sexta a domingo e de 3 SGD nos demais horários. De 0h às 6h da manhã é cobrada bandeira dois nas corridas, de cerca de 50% do valor da tarifa. Sempre que passar por um pedágio no centro da cidade, será cobrado também.

- De Ônibus: os ônibus públicos de número 36, que saem de todos os terminais, ligam a cidade ao aeroporto. Ele vai para a área Suntec, onde fica a Marina Bay. O custo é de 2 SGD (tenha o dinheiro trocado ou um cartão EZ link, pois não dão troco) e gasta cerca de 1 hora no trajeto. É ônibus comum e não tem muito espaço para bagagem.

- Transfer por Vans ou Micro-ônibus: há um serviço por 9 SGD para adultos e 6 SGD para menores de 12 anos que liga o aeroporto aos hotéis na cidade. Procurar o balcão do Ground Transport Desk na área pública do piso de desembarque para contratar um desses serviços e conhecer as rotas disponíveis

*SOBRE SINGAPURA* 



Como dito, trata-se de um dos Tigres-Asiáticos, junto com Hong Kong, Taiwan e Coreia do Sul,  territórios e países no sudeste da Ásia que apresentaram grandes taxas de crescimento e rápida industrialização entre as décadas de 1960 e 1990. Portanto, sinônimo de prosperidade, riqueza e modernidade.

- CURIOSIDADE: Você sabia que Singapura, Mônaco e Vaticano são as três únicas cidades-estados do mundo? E que Singapura é o país número um do mundo em quantidade de famílias milionárias per capita?

- GEOGRAFIA: é um país insular, composto por 63 ilhas, no Sudeste Asiático.  Fica na Península Malaia, separada da Malásia por um estreito, o estreito de Johor. Possui uma população de 5 milhões de habitantes. A maioria é chinesa, seguida por malaios e indianos.

- Idioma: são quatro os idiomas oficiais: Inglês, Chinês, Malaio e Tâmil (este último é o idioma utilizado no sul da Índia e no Ski Lanka).

A influência inglesa (notada no idioma, já que falam inglês fluentemente) adveio da chegada da Companhia das Índias Orientais Britânicas em 1819. E, em 1824, tornaram-se soberanos.

- Melhor Época para visitar Singapura: por estar um pouco em cima da linha do Equador, seu clima é quente e úmido o ano todo, bem tropical. As médias anuais vão desde 25 até 30ºC. O período mais quente vai de Abril a Maio. 

De modo geral, o mês de Abril é tido como o mais quente nos países do sudeste asiático.

*Novembro a Janeiro – meses com menos chuvas, mas quando chove costuma ser uma chuva mais forte. 

*Fevereiro a Outubro – temporada das monções do Sul. O volume de milímetro de chuva é menor, mas a ocorrência dela é maior. Porém as temperaturas são basicamente as mesmas.

- Visto para Cingapura: são concedidos na chegada ao país.  A validade do visto de turista é de 30 dias corridos contando a partir do dia em que você entrou. Os documentos necessários são:

. Passaporte com no mínimo 6 meses de validade, em relação ao dia da entrada no país;

. Certificado Internacional de Vacina Contra a Febre Amarela – Esse certificado é expedido única e exclusivamente pela ANVISA (tem que ir ao stand/sala do Health Control antes de fazer a imigração);

. Passagem de saída de Cingapura. Pode ser a volta para o seu país ou de ida para o próximo destino (não exigiram isso da gente quando chegamos, mas é bom ter).

- COMO IR DO AEROPORTO AO HOTEL MARINA BAY SANDS: 

. Se for de táxi, pedir para o taxista levar para o Marina Bay Sands, Tower 1 entrance (entrada na Torre 1). 

São 4 os pontos de chegada e partida de táxis no Marina Bay Sands: Sheares Link do lado de fora do lobby da Torre I, ao longo da BayFront Avenue na direção do lobby da Torre 3, do lado de fora da Sands Expo & Convention Centre e do lado de fora do The Shoppes.

. Se for de MRT Train Services (metrô): o Marina Bay Sands está diretamente conectado com o CE1/DT16 Bayfront Station no Circle Line e Downtown Line do Mass Rapid Transit (MRT) sistema de trem super eficiente, que opera todo dia, aproximadamente das 6h da manhã até a meia noite. A Saída A na Bayfront Station leva para a Bayfront Avenue no nível da rua e também conecta com o Gardens by the Bay. As saídas C e D levam para o The Shoppes (1 minuto de caminhada), para a Sands Expo & Convention Centre (3 minutos de caminhada), ao Hotel (5 minutos de caminhada) e ao ArtScience Museu (10 minutos de caminhada). 

**Nós fomos de Uber, aproveitando o Wi-Fi do aeroporto. Custou 18sgd.**

- Hospedagem: SOBRE O MARINA BAY SANDS

Ícone e verdadeiro cartão postal de Singapura, doeu no bolso, mas a gente esteve lá por 2 noites (2 dias e meio) para ver se o hotel é tudo isso mesmo que dizem.

A reserva foi feita via Booking.com e pedimos o quarto com vista para o Gardens by the Bay, já que, no Booking.com não tem essa informação e eu queria muito ver o Gardens by the Bay à noite e do alto.

Duas diárias, SEM café da manhã (quase tive um treco quando vi isso) custaram a bagatela de 872usd (+iof no cartão de crédito), no Quarto Premier King Size. E ainda tivemos os gastos com café da manhã na piscina  (literalmente servido nas espreguiçadeiras da piscina) que custava algo em torno dos 30sgd (*lá no final do post eu coloco alguns gastos que tivemos para vocês terem ideia).

Dica: se quiser economizar uns $$, tem uma loja do 7Eleven bem no caminho para o MRT que fica embaixo do Marina Bay Sands.

O hotel está localizado na baía formada pela foz do Singapore River,  uma região ótima de hospedagem para quem está com um orçamento folgado para gastar, já que concentra a maioria dos hotéis 5 estrelas e também os pontos de interesse turístico modernos.

Vale lembrar que o Marina Bay Sands Hotel é um mundo e não é a toa que hoje ele é o maior hotel de Singapura!

Compõem o complexo Marina Bay Sands: unm shopping, um cassino, um centro de convenções e um museu.

Formado por 3 torres de 55 andares cada (com arquitetura inspirada em uma torre de cartas), abriga 2561 quartos, sendo que 230 são suítes que oferecem um serviço de mordomo e acesso privilegiado a certas áreas do hotel (Vip Club). 

Existem 18 tipos de quartos. Cada torre tem duas porções que se unem formando uma construção única na altura do 23º andar. 

Ficou famoso por ter a mais alta piscina de borda infinita do mundo!

As três torres comungam um grande e luxuoso lobby no ground floor, repleto de bares, restaurantes, acesso direto ao Shopping e Cassino... tudo muito moderno! Reparem nos vasos gigantes que decoram o ambiente!

É neste lugar que é feito o check in e o check out. O movimento é intenso (lembra uma fila de check in de aeroporto rsrs. ..) porque há alguns milhares de hóspedes que chegam e saem todo dia e há também os curiosos que vão ali ter uma ideia do que é o hotel. Além disso, os restaurantes do lobby e alguns poucos outros espalhados pelas torres são abertos ao público em geral.

Confesso que mesmo ficando 2 dias e meio, eu não localizei tudo e era bem fácil se perder entre as torres kkkk

Já no check in, serviram sucos naturais e foram todos muito simpáticos conosco. 

As três torres são unidas em seu topo por uma plataforma, o Sands SkyPark, que abriga a mais longa piscina de borda infinita e mais alta piscina aberta do mundo, no 57° andar!

Construída a 200 metros do solo e de acesso exclusivo aos hóspedes (há catracas que só permitem acesso a quem esteja portando o cartão/chave do quarto), ela oferece uma vista espetacular da cidade. 

Ela por si só vale a hospedagem no local, já que conquista de imediato quem por lá passa. Foi o grande atrativo para a mídia internacional e o maior motivo para termos nos hospedado por lá. 

Mas aviso logo a todos que A ÁGUA DA PISCINA É FRIA! Foi a minha grande decepção.


O serviço é constante, o dia inteiro! Sempre há alguém perguntando se está tudo bem, se deseja algo. Todos muito gentis e simpáticos. Na área da piscina há um bar bem descolado com músicas legais o dia inteiro. 

É legal observar que todo mundo vai de roupão com sua roupa de banho por baixo, sem vergonha de andar assim nos elevadores. Até no lobby eu vi pessoas de roupões. Os roupões estão nos quartos. Já na piscina, há toalhas também disponíveis e bebedouro de água potável espalhados em todos os cantos.

Como a piscina tem água fria, uma boa alternativa é a jacuzzi, que é quentíssima! Nós demos sorte de no último dia de manhã cedo  (sempre chegávamos às 8h) pegar a jacuzzi - a última, perto da Torre 3 - praticamente vazia. A jacuzzi você compartilha com outras pessoas. Mas a maioria das pessoas só quer mesmo saber da piscina kkkk

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DA PISCINA E JACUZZI: das 6h às 23h

A mesma plataforma ainda abriga o  Sands SkyPark (aberta ao público com as vistas mais privilegiadas vistas da cidade) cujo acesso é liberado sem custo aos hóspedes.

O Ku Dé Ta é uma franquia de lounge/restaurante localizado no topo da torre 3 e próximo à piscina Se preferir e não estiver hospedado no Marina Bay Sands, ao invés de pagar para ir ao observatório localizado no 57º andar, vale muito mais a pena ir de graça ao restaurante Ku De Ta, ou o restaurante da piscina. 

Dica: Se for de tarde, use roupas mais arrumadas. Agora, se for à noite, aí tem que ir mais chique.  Não pode chegar de havaianas em horário algum. 

Já o Sky on 57 está localizado no topo da torre 1, no ponto mais alto do complexo. Serve uma culinária asiática moderna, bem como reinterpretações de pratos clássicos. 

O The Club está no topo da torre 2 e a partir das 20hs é aberto ao público e oferece um chocolate bar, com um buffet de pratos usando esse ingrediente. Como todos são abertos ao público (o The Club só à noite), é uma forma de chegar ao alto sem que se tenha que vir pelo Sands SkyPark (mas, em todos os casos, sem acesso à piscina).

São quatro tipos principais de quartos e cinco tipos de suítes. Todos com decorações modernas, com cores mais suaves nas paredes, amplas janelas de vidro que vão do teto ao chão, móveis com madeiras de tons variáveis e carpetes em tons mais escuros. Não sou fã de carpetes, mas estava tudo limpinho. 

Nossa suíte, que tinha vista para o Gardens by the Bay, assim que chegamos, estava com odor desagradável de cigarro, embora seja proibido fumar. Abrimos as janelas e já de noite não havia mais o cheiro. O legal de ter a vista para o Gardens by the Bay é poder vê-lo iluminado à noite e também ver o sol nascer nesta direção  (ao menos na época do ano que fomos). 


Todos os quartos possuem Internet Wi-Fi sem custo extra, mesa para trabalho, mini bar, cafeteira, cofre, tábua e ferro de passar roupa e tv de LCD de pelo menos 42 polegadas… Nosso quarto foi o Premier King Size, na Torre 1 - n. 3683 (é restrito às torres 1 e 2, cujo diferencial também é ter banheiro com chuveiro e banheira separados, mas usamos a banheira).

COMPRAS: Não fizemos e achamos Singapura uma cidade carinha. Pensem bem que meu hamburguer no Marina Bay Sands custou 30sgd, o que dá mais ou menos uns 85 reais (1 hambúrguer!!) Porém, se você tem $$ sobrando, aproveite para fazer compras no Shopes, que é o Shopping do complexo Maria Bay Sands e um ótimo lugar se você procura pelas lojas famosas como Loius Vitton, Miu Miu, Prada, Channel, Gucci... (não, eu não costumo procurar essas lojas, mas fica a dica para quem pode ga$$$tar). O Shoppes também parece uma boa opção para fazer refeições. Em nosso caso, só serviu mesmo como passagem para caminharmos do outro lado.

PRINCIPAIS ATRAÇÕES EM SINGAPURA:

Há mais o que fazer em Singapura além do Marina Bay Sands, apesar de ser bem difícil sair da piscina, especialmente considerando todos os $$$ gastos para estar ali.

Uma dica que recebi e não usei, mas acho válido, é dividir a hospedagem, ficando 1 ou 2 noites no Marina Bay Center e 1 noite em um hotel menos caro para poder andar por Singapura sem pena rsrs 

Nós recebemos como sugestão também, para sair à noite, andar pela Chinatown, pela Clarke Quay... 

Conseguimos ir à Chinatown de metro e foi ótimo! Comemos muito bem no Restaurante Chengdu e fomos muito rápido a partir do hotel (vejam os valores lá embaixo). 

Achei fácil andar de metro em Singapura. O sistema é bem inteligente e você compra o bilhete já colocando a estação para onde vai e o valor é calculado em cima da quantidade de estações que você anda. Tudo muito moderno e eficiente! Lembre de guardar o ticket para passar na catraca para sair da estação de metro  (MRT). 

Principais atrações de Singapura: 



. Complexo do Marina Bay, 

. Merlion (que é o símbolo da cidade), 

. Roda Gigante (não fomos... mas com a vista lá do alto do Marina, acho que a roda gigante não superaria), 

. Chinatown (fomos para jantar e achei os preços melhores para comprar lembrancinhas e para comer, além de ter uma decoração muito fofa! Localizada no coração da cidade, é super organizada, limpa e agradável. 

Também pudera, já que as leis em Singapura são bem severas. A gente via placas para todos os lados alertando sobre as multas se sujasse o chão, se cuspisse, se pescasse.... e as multas eram bem altas.

. Little India (não fomos)

. Clarke Quay é bem animada à noite  (não fomos)

. ArtScience Museum: é um museu em forma de flor de lótus que faz parte do complexo do Marina Bay Sands.

. Wonder Full Light and Water Show: É um show de laser, água e música que ocorre todos os dias às 20h; 21:30 e 23h, em frente ao shopping “Shoppes” do Marina Bay Sands. É de graça. Nós fomos e curtimos. É bem bonito.

. Gardens By The Bay: É um parque que tem 101 ha de aterro marítimo no centro de Singapura. O lugar é incrível!!!! Jardins com vegetação de vários lugares do mundo, duas estufas gigantes: Flower Dome (Cúpula das Flores) e a Cloud Forest (Floresta das Nuvens), isso sem contar as Super Trees, no melhor estilo Avatar!


É sem dúvidas um Must Go! No fim de tarde é mais legal para pegar as Super Trees acendendo e ver o show de luzes eu músicas à noite, que acontece todos os dias, às 19:45 e 20:45, todos os dias, nas Supertree Grove.

Também visitamos o Flower Dome que impressiona pelo tamanho, pela quantidade e diversidade de espécies e pela arquitetura e organização! Eu amei ver os baobás de perto, além de uma centena de flores lindas!

** Curiosidade: eu li antes de viajar que não era permitida a venda de chiclete no país, só que vimos sim sendo vendidos. Agora, se cuspir no chão, vai pagar multa. 

. Riverside: uma região bem jovem e onde fica a maior parte da vida noturna na cidade na Clarke Quay, Boat Quay e Robertson Quay. Com acesso pelo metrô, o que ajuda bastante para fazer turismo pela cidade.

. Orchard: é parte chique de compras de Singapura. Encontra-se bem servida de metrô e a uma curta distância dos pontos turísticos da cidade.

. Kallang e Geyland: São conhecidas pela quantidade de ofertas gastronômicas, principalmente da cultura chinesa, mais tradicional e/ou com bons pratos de frutos do mar. Seguida pela indiana.

. Changi: nome do aeroporto e da região em que ele fica, que é longe do centro.

. Merlion Park: O Símbolo de Singapura é o Merlion, um animal com a cabeça de um leão e o corpo de um peixe que fica em frente ao complexo histórico do Fullerton. Há várias lojas para lanches e uma loja só de souvenirs de Singapura. Lá também é um ótimo lugar para fazer boas fotos do Marina Bay Sands, do outro lado da baía, junto com a Roda Gigante, além de proporcionar ótimas fotos de ilusão ótica com o Merion. 

. Singapore Flyer: a maior roda gigante do mundo. Dizem que em dias com boa visibilidade da para enxergar a Indonésia e a Malásia. Nós não fomos.

. Orchard Road: Assim como Nova Iorque tem a 5th avenida e Paris tem a Champs-Élysées, Singapura não fica para trás com a sua elegante e chique Orchard Road. Detalhe: você não precisa sair de um shopping para entrar em outro, pois os que ficam lado a lado comunicam-se e você não precisa ir para a calçada para entrar no próximo. Basta passar por dentro. Também é um lugar ideal para fazer compras. 

. Botanic Garden: enorme, muito bem cuidado e de graça. Só precisa pagar se for ao Orquidário.

. Singapore Zoo: localizado na ilha de Sentosa. Ele sempre está entre os melhores zoológicos do mundo nos rankings do TripAdivisor

. Jurong Bird Park: trata-se do maior parque de aves do mundo.

. National Museum of Singapore: sobre a história de Singapura desde quando era apenas uma vila malaia.

. Fonte da Riqueza: A maior fonte do mundo. Fica em frente ao Shopping Suntec City.

. Singapore River Cruise: Passeio de barco pelo rio e você pode descer na Clarke Quay. É ótimo para ver a cidade por um outro ângulo

. Clarke Quay: lugar para curtir a noite de Singpura, com bares e música que trazem um astral ótimo para a região. Lugar ideal para tomar uma cerveja e jantar por lá antes de voltar para o Hotel.

. Passeio a Sentosa: é uma ilha cujo nome quer dizer paz e tranquilidade em Malaio, de cerca de 5 Km², situada na costa sul de Singapura. 70% de sua superfície é coberta por floresta tropical, onde ainda se pode ver macacos e lagartos. Na Segunda Guerra Mundial, serviu como ponto de defesa da cidade e base militar.

A 15 minutos do centro de Singapura – é um lugar repleto de atrativos, como: Madame Tussaud’s, Universal Studios, praias, arvorismo, tirolesa, aquário, cassino, Zoo... dá para passar o dia lá. É um verdadeiro polo gastronômico e hoteleiro. O RWS (Resorts World Sentosa) é o mais conhecido.

**Como chegar: Sentosa está conectada a Singapura por um ponte, um teleférico e um trem. 

A opção mais cômoda: o ônibus direto parte das principais áreas turísticas de Singapura e chama-se Sentosa Rider. Passa pela Orchard, Chinatown, Marina Bay Sands, Singapore Flyer, Suntec City e hotel Raffles. Dentro da ilha, possui paradas nas principais atrações. 

A opção mais “aérea”, mais legal e também mais cara: o teleférico. O Singapore Cable Car permite entrar em Sentosa pelo alto. A viagem começa mesmo na estação localizada no Mount Faber, onde nós embarcamos, mas é possível embarcar também no teleférico na estação seguinte anexa a Harbour Front. 

Nós fomos pelo Mount Faber e voltamos pelo Harbour Front. Fomos de Uber até o Mount Faber já que lá não tem acesso por MRT.

Na volta foi simples, pois pegamos o metrô na estação Harbour Front (nas linhas laranja e violeta), e rapidinho chegamos no Marina Bay Sands. 

A última parada do teleférico é a estação Imbiah Lookout, no coração de Sentosa. O teleférico funciona das 8:45h a 22:00h, todos os dias. 

A opção mais econômica: combinação de metrô e transporte público O principal ponto de acesso a Sentosa é a estação do metrô Harbour Front (nas linhas laranja e violeta) anexa ao shopping  Vivo City (o maior shopping center da cidade). Chega-se ao Vivo City também usando uma das várias linhas de ônibus convencional (65, 80, 93, 188, 855, 10, 30, 97, 100, 131, 143, 145, 166). Partindo da Harbour Front ou do anexo Vivo City, chega-se a Sentosa de duas formas diferentes. Uma opção é ir a pé pela passarela conhecida como Sentosa Boardwalk, que foi inaugurada em 2011 e que corre em paralelo à ponte de veículos. É uma passarela coberta (que proteje o pedestre da chuva) com várias esteiras deslizantes para quem ninguém se canse. O acesso a ela custa SGD$1 (paga-se só na ida). Está aberta 24 horas por dia, ainda que as esteiras deslizantes funcionem das 7 da manhã à meia noite.

A outra opção é embarcar no Sentosa Express, o monorail que parte do Vivo City e que cruza a ilha. Dentro de Sentosa, o monorail tem 3 estações: a Waterfront Station (que dá acesso ao complexo Resorts World), a Imbiah Lookout (que permite acesso as várias atrações localizadas no ponto mais alto da ilha - é a porta de entrada para ver o Merlion e onde tem uma obra de arte do Romero Brito, além de acesso à Universal Studios) e a Beach Station (que dá acesso às praias, alguns restaurantes, lojas e outras atrações localizadas próximo a beira mar). O monorail Sentosa Express funciona das 7 da manhã até meia noite. 

Outras opções: dá para ir de carro/táxi pela ponte que liga a ilha a Singapura. 

São 3 praias: Praia de Palawan, Praia de Tanjong e Siloso. Uma sugestão é caminhar até Siloso para ver o letreiro colorido de mesmo nome. Há um mini ônibus que faz o trajeto para quem preferir evitar a fadiga. 

São 3 linhas gratuitas de ônibus que facilitam o deslocamento dentro da ilha (azul, amarela e vermelha)

A ilha pode ser dividida em 12 áreas: Tanjong Beach, Palawan Beach, Sentosa Golf Club, Sentosa Cove, Serapong, Beach Station, Merlion Plaza, Sentosa Boardwalk, Resorts World Sentosa, Imbiah Lookout, Siloso Beach e Siloso Point.

* Imbiah Lookout/Merlion Plaza: Butterfly Park & Insect Kingdom, Madame Tussauds, Megazip Adventure Park, Merlion Plaza, Nature Walk, Sentosa 4D Adventure Land, Sentosa Merlion, Sentosa Natural Discovery, Singapore Cable Car e Tiger Sky Tower.

RECOMENDAÇÃO: vale mais a pena visitar Sentosa se estiver com crianças ou com tempo sobrando. Nós fomos para andar no teleférico, eu confesso.

Gostamos, até porque estávamos com tempo. Mas ficamos com aquela sensação de que talvez tivesse sido mais legal visitar o Art Science Museum.

** ALGUNS GASTOS E PREÇOS*

Para vocês terem uma ideia de valores, seguem alguns gastos que tivemos em Singapura.

- Câmbio que fizemos no Marina Bay Sands Hotel (Fevereiro de 2017) - 1usd = 1.35sgd

- 7Eleven sanduíche por 3.20sgd 

- Marina Bay Pool Bar - hamburger 30sgd,  5 sortidos (muffins, croissant e danish) por 12sgd, combo café da manhã por 26sgd  (comida típica + bebida), todos os valores são acrescidos de taxas (7%) na hora de pagar no check out.

- Média de valor dos drinks na piscina do Marina Bay Sands - 25 a 30sgd

- Chinatown, restaurant Old Chengdo - jantar com 2 pratos e 2 sucos por 60sgd

- Metrô - single ride 1.50sgd (esse é o valor para 3 estações. O valor varia de acordo com o número de estações que vai percorrer).

- Ímã em Chinatown - 2sgd

- Frappuccino no Starbucks de Sentosa: 9.20sgd (tamanho Venti)

- Passeio a Sentosa - ticket do cable car combinado com o monorail dentro de Sentosa: 30sgd para cada

- Teleférico dentro de Sentosa - 11sgd  para 1 trecho, por pessoa 

- Flower Dome: 14sgd por pessoa 

- Uber na chegada: 18sgd

- Uber na saída: 20sgd

- Uber para ir ao Mount Faber: 8sgd

*RESUMO SOBRE SINGAPURA*

✔- Como Chegar: viemos de Tiger Air, uma cia aérea  low cost. Para achar os voos internos, usamos os sites do Skyscanner, Kayak e Google Flights .
Moeda: 1usd = 1.35sgd (sgd é a moeda de Singapura)

✔Hospedagem: o icônico @marinabaysands 💸💸 Fizemos a reserva pelo Booking.com, sem café da manhã incluído e foi um rim kkkk. A sua infinity pool é considerada a mais alta do mundo, no seu 57° andar. Pagamos 2 diárias, mas como chegamos cedo e fomos embora tarde, tivemos praticamente 3 dias inteiros para curtir.

✔Como se deslocar: usamos Uber, metrô (MRT) e Teleférico para Sentosa .

✔O que fazer: por mais irresistível que seja ficar no hotel e curtir a sua piscina para justificar os muitos 💰💰 gastos, Singapura tem mais que isso para ver: Art Science Museum, Gardens by the Bay, Merlion, Sentosa, Chinatown...

✔Curiosidades: a maioria fala inglês muito bem, a mão de direção é a inglesa, trata-se de uma Cidade-Estado considerada como um dos lugares mais seguros do mundo, todos são muito educados e gentis.

✔Clima: pela proximidade com a linha do Equador, é bem tropical. Chove, faz sol, fica nublado, abre sol de novo... tudo no mesmo dia e sempre com calor. Esse é o inverno de Singapura, lembrando que está localizado no Hemisfério Norte. 

- SUNSET: 19:15 (Fevereiro de 2017)

- SUNRISE: 7:15 (Fevereiro de 2017)

OBSERVAÇÃO: O POST ESTÁ SENDO PUBLICADO DURANTE A VIAGEM COM UMA INTERNET MUITO LIMITADA, DO CELULAR. QUANDO VOLTARMOS AO BRASIL, EDITAREMOS E COLOCAREMOS MAIS FOTOS!


Nenhum comentário:

Postar um comentário