sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Como é voar com a Ethiopian Airlines

"Estou a dois passos do paraíso..." rsrs, quem me dera! Estávamos a muitas e muitas horas do nosso destino final. Sabe aquela cena do burrinho do filme do Shreck perguntando o tempo todo se estavam chegando em Far Far Away? Essa foi a sensação marcante neste voo com a Ethiopian Airlines, de que chegava nunca kkkk...



Se vocês leram o post anterior - caso não, vejam lá para me darem uma moralzinha kkkk- nele eu contei que as nossas passagens para o Sudeste Asiático foram compradas "no susto", sem pensar muito.

Usamos o site da Viajanet para comprar as passagens com saída do RJ para Kuala Lumpur com a cia aérea Ethiopian Airlines. 

Minha amiga Tati  (@tattytoptrips) havia voado com eles meses antes e disse que foi tranquilo, sem percalços... então comprei! Não foi um "negócio da China" rsrs, mas considerando o período do carnaval, que era o que tínhamos em mente para emendar férias com carnaval e aproveitar bem a oportunidade, como eu já vinha acompanhando os valores, achei o preço bom, sem ser extorsivo e quis logo garantir (R$3.150,00 cada uma).

Quando compramos as passagens, no site da Viajanet só mostrava que seria um voo Rio - Guarulhos/SP - Addis Ababa/Etiópia - Kuala Lumpur/Malásia. Não era dos melhores, mas dava para encarar. 

Compramos as passagens em Junho de 2016. Início de Janeiro de 2017, ou seja, cerca de 1 mês e meio antes de viajar, resolvi enviar email para a Viajanet para confirmar o voo e horários. Não me responderam. Mas no site tem uma opção para reenvio da passagem e pedi. Estava tudo igual.


Não satisfeita, até porque a esta altura do campeonato eu já estava fechando o roteiro super atrasada porque fiquei 2 meses sem Internet em casa e foi complicado pesquisar sobre a viagem só com o celular... pois bem, já começando a comprar os voos internos da viagem, eu entrei no site da Ethiopian Airlines para me certificar de que realmente estava tudo igual conforme dito pela Viajanet.

Não! Não estava, para minha "alegria", o voo tinha sido alterado e ficado mais longo em cerca de 5:30 de tempo a mais de viagem, com inclusão de conexão/escala em Lomé e em Bangkok. 

Eu até tive que ir para o Dr. Google para descobrir onde ficava Lomé rsrs. Passado o susto, a descoberta de que Lomé é capital do Togo e a raiva da Viajanet que não me informou sobre isso, iniciei minha guerra com ela que durou quase 1 mês! 

Pois é. .. fortes emoções! Eu só consegui resolver essa questão em definitivo, com o recebimento dos bilhetes eletrônicos já no início de Fevereiro, faltando 20 dias para viagem. Peeeeeeeeeennnnseeeeemmm numa pessoa que se estressou muito?? Prazer!

Bem, as brilhantes opções dadas pela Viajanet foram:

- entubar os novos horário e o voo de cuerno dando a volta ao mundo 
- pedir o cancelamento das passagens e reembolso  (sério,  foi isso mesmo!).

Aí a briga ficou feia! Tentei várias outras alternativas menos ridículas do que essas apresentadas, como ficar em Bangkok na ida e voltar por Kuala Lumpur para diminuir o tempo de voo na ida, já que Bangkok está mesmo no meu roteiro. Só que disseram - tiveram essa cara de pau - que esse seria o caso de "múltiplas cidades" que exigiria emitir novas passagens e pagar a diferença de preço. 

Receber um upgrade de classe para amenizar o desconforto desse voo que ficou longo e cansativo. Mas não rolou.

Voas com empresas parceiras da Ethiopian.

O atendimento da Viajanet foi péssimo e, após perder muito tempo e certamente ganhar uns fios de cabelo branco, entubamos a ida de corno e conseguimos uma melhoria no da volta, em que faremos Kuala Lumpur - Bangkok com a Ethiopian Airlines e depois, a partir de Bangkok, a gente segue de volta com a Emirates, via Dubai.

Assim ficamos e agora falarei um pouco sobre a experiência de voar com a Ethiopian por quase 2 dias! Eu juro que nem tive coragem de contar quantas horas de voo kkkkk. .. sempre que me perguntam eu respondo "são muitas". Isso sem contar o fuso. Saímos às 21:45 do Rio no dia 22/2 e chegamos às 17:45 em Kuala Lumpur no dia 24/2. Haja coragem e disposição. 

E as emoções não terminaram kkkkk. .. mas eu juro que desejo que tenham acabado. Nós então embarcamos no Rio e fizemos o trecho GIG - GRU com a LATAM.

No check in, somente foram emitidas as passagens Rio - SP e a de SP - ADD  (Addis Ababa). Questionamos o atendente que nos informou que teríamos que desembacar lá e fazer novo check in por estarmos entrando no território do país sede da cia aérea. OK. 

Em SP, contudo, nossos nomes foram anunciados e já achei estranho. Quando chegamos no portão de embarque, perguntaram qual o nosso destino final e informamos que era Kuala Lumpur. Explicaram que as malas estavam com etiqueta para Addis Ababa e que não poderiam ir neste voo, mas somente no próximo voo da Ethiopian, que só sai no sábado para cegar na segunda. 

Hein? Eu ouvi direito? Eu teria que ficar sem mala até segunda ou mais tempo ainda já que na segunda eu estarei, se Deus quiser, nas Filipinas. Aí não, né? Tá de sacanagem. Perceberam que a chapa ficou quente e eu acabei fazendo um pequeno escândalo por ser um absurdo isso. Nós teríamos 2 opções:

- embarcar sem malas e aguardar que elas chegassem para a gente no endereço onde estaremos, com um detalhe de que, a cada mudança de país/cidade/aeroporto nosso, teríamos que ir ao escritório da Ethiopian informar sobre a mudança de destino e atualizar o endereço de entrega das malas até chegarem para a gente .

- não embarcar, esperar as malas para ir com elas no próximo voo - no sábado  (Ethiopian só boa 3x na semana a partir de SP) e ainda teríamos que pagar a diferença de passagem neste caso. 

Perguntamos se não dava para as malas irem para Addis Ababa, onde a conexão é de quase 3h, e tentaria mos desenrolar lá com eles a liberação delas para seguirem conosco. Disseram que não porque lá ela seria tratada como mala extraviada.  

Sentiram o drama?

Raiva foi pouco o que senti. E a pressão para a gente dizer se ia embarcar com as malas foi grande, até informarem que estavam tentando retirar as malas para receberem novas etiquetas para o destino final certo. O problema é que dependia de passar pela Polícia Federal, Receita Federal e raixo X, num prazo de menos de 1h. Que tenso! 

E sabem o pior? ANAC, PF e qualquer outro órgão ao qual pudéssemos pedir ajuda fica do lado de fora do embarque, o que impossibilita numa situação dessas pedir ajuda e você tem que se virar sozinho. Mas a gente não respondia se ia sem mala e disse que só daria essa resposta no último segundo até saber o paradeiro das malas. Achamos que se falássemos de cara que aceitaríamos ir sem malas que talvez eles não teriam se empenhado tanto em resolver.

Fato é que os funcionários da Ethiopian disseram que a culpa foi da LATAM que etiquetou errado. Mas no sistema da LATAM não dava para imprimir todas as passagens. 

Achei tudo muito estranho, mal explicado e senti um empurra-empurra de responsabilidade e culpa. Mas só para vocês entenderem, a passagem comprada pela Viajanet foi uma só. Eu não comprei duas passagens, tanto que a LATAM no Rio já tinha feito meu check in até Addis Ababa. O problema foi a partir daí até Kuala Lumpur.

Enfim, seja como for, com emoção e tensão, deu certo!

Agora, a respeito especificamente do voo com a Ethiopian:

- voamos com Boeings 787, os quais, segundo o Julio (que já trabalhou na Embraer), são os que menos sofrem acidentes.


- fomos de classe econômica que em assentos normais para a classe, ou seja, apertados kkkkk mas para uma pessoa do meu porte físico até que não é tão ruim. Já para o Julio é desconfortável, ainda mais num voo longo. E as cadeiras reclinavam bem, mais do que a média. 

- tem entretenimento individual de bordo com telas em tamanho adequado e alguns filmes para ver. A oferta de filmes é pequena, mas deu para o gasto. O ruim é que não consegui configurar nem a legenda em inglês e tive que ver em inglês mesmo e sem legenda. Valeu para treinar a audição e o inglês rsrs.

- o kit de voo é bem completo, com manta, travesseiro, tapa-olho, meias, escova e pasta de dente.


- foram servidas até Lomé 2 refeições: jantar e café da manhã. Tudo razoável, quentinho e satisfatório.



- entre Lomé e Addis Ababa foi servido almoço. 



- Entre Addis Ababa e Bangkok tivemos jantar e café da manhã. 



- Entre Bangkok e Kuala Lumpur tivemos almoço. 


Portanto, percebam que foi uma fartura de comidas!

- as comissários de bordo falam bem inglês e são muito simpáticas e solícitas.

- os anúncios no primeiro voo eram em inglês, francês e idioma nativo. No segundo voo; os anúncios passaram a ser também em português.

- o voo foi até quente para o um voo internacional. Fiquei maior parte sem manta nem casaco. 

- poucas turbulências. Bem poucas mesmo.

Os únicos problemas foram: as janelas da aeronave são escurecidas por meio de comando eletrônico (o que é bem moderno), mas no primeiro voo, a minha onde sentei não funcionou direito ou eu que achei que ainda estava claro demais. 

Ainda neste primeiro voo, as pias de 2 banheiros estavam cheias de água e entupidas. Só tive sorte no terceiro banheiro para escovar meus dentes e assim permaneceram até Addis Ababa.

Foram mais ou menos 7:30 de GRU ao Togo. Cerca de 1h de escala em Lomé. Depois seguimos para Addis Ababa. 

Entre Lomé e Addis Ababa foram cerca de 5h de voo. Chegando em Addis Ababa, a gente fez uma conexão de cerca de 3h, trocou de aeronave e seguiu para Bangkok.

O aeroporto de Addis Ababa é  pequeno e super curioso. Alguns banheiros estão em cabines químicas, mas daquelas melhores com pia de lavar mão, que nem as de trailer no carnaval. 


Andamos pelo Duty Free atrás dos bons preços que várias pessoas haviam comentado, mas fiquei decepcionada e encontrei nada disso.

Como o Wi-Fi no aeroporto funcionou muito mal, compramos uma cerveja no café London  (6usd) para usar o Wi-Fi deles, que estava muito fraco.


Todos os produtos no aeroporto de Addis Ababa são vendidos em dólar. Fiquei morrendo de vontade de pagar para ficar em um dos lounges da Ethiopian Airlines, que é a companhia que domina esse aeroporto. Mas a fila para perguntar o valor estava grande e desistimos. No mais, matamos o tempo no London e conseguimos, com muito custo, mandar umas mensagens para a família e amigos. 


O voo entre Addis Abeba e Bangkok foi de 8h.

Em Bangkok foi uma escala de 1h até FINALMENTE seguirmos para Kuala Lumpur.

*Curiosidades* 

- O fuso de Addis Ababa em relação ao horário de Brasília é de 6h à frente.

- O fuso de Bangkok em relação ao horário de Brasília é de 10h à frente. 

- O fuso de Kuala Lumpur, Singapura e Manila em relação ao horário de Brasília é de 11h à frente.

*Dicas para Longas Viagens de Avião*

1) A mais importante dica é: evite! Kkkk.... Mas se não der para evitar, relaxe e aceite que dói menos.

2) Eu uso meias compressoras nas pernas para reduzir os efeitos colaterais de inchaço e problemas com circulação na perna. A minha foi recomendada por um cirurgião vascular e é muito importante fazer um check up para saber se a saúde está 100%.

3) Tentar levantar durante o voo o máximo que conseguir. Já li que o ideal é de 3 em 3 horas. Mas é bom sempre conversar com seu médico para ter uma orientação mais precisa.

4) Beber água e não abusar dos alcoólicos.

5) Se tiver dificuldade para dormir, veja com seu médico também se pode tomar algo para relaxar.

6) Kit Frescura: umidificador de narinas, cremes para as mãos,  água termal para o rosto, balm para os lábios  (todos os  recipientes líquidos devem ter até 100ml cada). É um kit frescurinha que ajuda a manter a dignidade nos voos longos rsrs. 

TOTAL DE HORAS VOADAS, sem considerar escalas nem conexões: 24h

Com escalas e conexão: total de 31h de voo (mais ou menos), desde a saída do Rio. 

Acabei fazendo as contas kkkk... prometi que não faria, mas não resisti.

14 comentários:

  1. Lily e Julio, depois deste sufoco, aproveitem e divirtam-se. Estarei acompanhando daqui, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! Foi estresse na ida e na volta, viu? Mas, pelo menos durante a viagem deu tudo certo, graças a Deus!
      Beijo grande,
      Lily

      Excluir
  2. Ufffa...que sufoco!

    Eu tô aqui torcendo para que nós não venhamos a passar por esses tipos de perrengues. Nosso voo também foi comprado pela Viajanet, e a cia aérea é a Ethiopian (medo). Já vamos verificar se não houve mudanças nele.
    Tempo total de voo estimado GRU-BKK: 26 horas. Já tô preparando o psicológico..rs

    No mais, divirtam-se!! Espero que a gte consiga se encontrar na Tai! :)
    De agora pra frente, só alegria!rsrs

    bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, lindona! Muito obrigada pela torcida! Graças a Deus, durante a viagem deu tudo muito certo!!

      Mas tivemos estresse na ida e na volta, viu? Não recomendo a Ethiopian para ninguém!

      E com vocês? Deu tudo certo? Como foi? Espero que sim!

      Beijinhos e obrigada pela força!

      Lily

      Excluir
  3. Quanta coisa, hein!!!!!! mas a viagem em si compensa. Então, vale a pena. Aproveitem.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Daniela! Tudo certinho?
      Muito obrigada pela mensagem!
      Pois é, foi um estresse na ida e na volta, viu?
      Mas é claro que compensa! Foi um sonho realizado. Apenas, definitivamente, em uma próxima oportunidade de ir para as bandas de lá, eu não vou de Ethiopian e isso é fato! kkkk
      Beijo grande,
      Lily

      Excluir
  4. Respostas
    1. Aproveitei muito muito! Graças a Deus, foram bem poucos os imprevistos. Posso dizer que deu tudo certo!
      Obrigadinha pelo carinho!
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  5. Caraca fiquei estressada só de ler o relato! Agora é relaxar e aproveitar a viagem chefitiaa!!! Beijinhosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahah... pois é, foi tenso! E ainda não desisti de recorrer às vias judiciais cabíveis. Mas vamos avaliar direitinho e ver se vale a pena. Em todo caso, considerando todas as inúmeras possibilidades de estresses, problemas e imprevistos que poderiam ter ocorrido, até que posso dizer que deu tudo certo, graças a Deus! Aproveitamos muito e já quero voltar... mas não de Ethiopian!

      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  6. Li!!!Que desespero com essas malas!Minha mala,minha vida!Vc deve ter ficado brava total!Kkkkkkk Estou acompanhando vcs!😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Miriam! Tudo bom?
      Muito obrigada pelo recado aqui!
      foi um desespero mesmo e eu sabia que se embarcasse sem as malas eu ficaria muitos dias, talvez semanas ou até a viagem inteira sem minhas roupas. Eu nem consigo imaginar como teria sido. Eu fiquei histérica e furiosa kkkk... graças a Deus, no fim deu tudo certo!
      Espero que tenha gostado de acompanhar nossas aventuras!
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  7. JÁ FIQUEI PREOCUPADA. POIS COMPREI FORTALEZA BANGKOK PELO VIAJANET.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Karoline

      fique assim não! vai dar tudo certo, viu? Eu posso ter tido um azar danado com a Ethiopian... mas fique esperta para acompanhar os horários das passagens, se houver algum tipo de alteração, pois, no meu caso, a Viajanet falhou em avisar com antecedência.

      Beijos,
      Lily

      Excluir