segunda-feira, 21 de março de 2016

Melhores Hotéis do RJ: Pousada Pouso Verde Bed & Breakfast

Como vocês sabem, eu e Julio moramos no Rio de Janeiro, embora não sejamos naturais da cidade. Julio é do Paraná e eu nasci e morei até os 15 anos em Duque de Caxias e depois me mudei para a Cidade Maravilhosa.




E, provavelmente, vocês já devem ter percebido que nós amamos a nossa cidade, apesar de todos os pesares, a gente curte morar aqui e tenta aproveitar ao máximo o que a cidade oferece de melhor em termos turísticos todos os finais de semana quando não estamos viajando e quando o tempo está favorável a isso.

Trilhas, nascer do sol, pôr do sol, praias, cinema, teatro, museus, restaurantes, bares, correr na orla, SUP... esse lifestyle carioca é encantador e um - senão o principal - dos motivos para permanecermos por aqui. Afinal de contas, não é todo mundo que tem o privilégio de morar em uma das cidades mais visadas no mundo inteiro como destino turístico para passar as férias. 

Portanto, não negamos que seja bom demais sentir-se um pouco de férias a cada final de semana!

Acontece que a gente, justamente por morar aqui, nunca precisou se hospedar em hotéis ou pousadas da cidade, salvo no nosso casamento. Logo, sempre quando fomos indagados sobre recomendações de hospedagens no Rio de Janeiro por amigos, parentes, leitores do blog ou seguidores do instagram, a resposta era mais ou menos a mesma: a gente não tem muita experiência neste assunto, mas sugerimos que vocês pesquisem no Booking.com e no TripAdvisor para verificarem os hotéis na localização que vocês desejam, as pontuações, classificação no ranking e, mais importante de tudo, as resenhas mais recentes para ver os possíveis problemas ou elogios apontados.



Pois bem, eu resolvi seguir o meu próprio conselho e fiz uma criteriosa e bem seleta lista dos MELHORES HOTÉIS DO RIO DE JANEIRO. Dentre os que selecionei, alguns curtiram a ideia e toparam participar! Aos poucos, visitaremos estes hotéis que nos receberão para que os conheçamos, hospedando-nos neles, avaliando suas funcionalidades, conhecendo sua história e traremos para vocês não apenas uma dica vazia baseada em uma pesquisa de sites reconhecidos pelas avaliações de hotéis, mas sim a nossa própria experiência! Esperamos que seja útil para todos e que o GUIA perpetue-se e ajude na hora de você planejar a sua vinda ao Rio.




Nós, portanto, inauguramos nossas visitas em um lugar muito especial e que nos cativou! Estivemos neste final de semana, de 18 para 19 de março, hospedados na POUSADA POUSO VERDE BED & BREAKFAST.



Localizada no bairro Jardim Botânico, já quase no Horto, a pousada fica em uma rua perpendicular à Pacheco Leão, que é uma das ruas limítrofes do parque Jardim Botânico. Ou seja, está a poucos passos do parque, em um lugar muito calmo, seguro, rodeado por vilas e casas do século XIX, sendo que muitas são tombadas pelo IPHAN como Patrimônio Histórico e Cultural e, no passado, faziam parte da Chácara do Algodão... a sensação que tivemos é de que não estávamos mais no Rio de Janeiro, mas sim em alguma cidade pequena de interior. 



A própria pousada foi elaborada dentro de um casarão de 1892, que estava abandonado e foi comprado pelo Marcos e pela Monica há quase 20 anos. A verdade é que não tenho como falar da pousada para vocês sem falar da história por trás dela. Seus proprietários, Marcos e Monica, são dois Apaixonados por Viagens e, quando estavam na Bélgica, hospedaram-se em um hostel que tinha esse conceito de bed and breakfast que eles adoraram e tiveram lá esse insight de transformar o casarão abandonado e, até então, sem destinação em um pousada que seguisse essa proposta mais europeia.


Eles tiveram trabalho, mas dedicaram-se bastante nas obras do casarão que possuía dois andares, com um pé direito muito alto, transformando-os em 4 andares. Aterram a piscina e colocaram uma palmeira no meio da área do café da manhã e aos poucos a pousada foi ganhando seus contornos, com o aproveitamento de algumas paredes de pedras e granito originais, além da madeira de pinho de riga, que é altamente resistente e sobreviveu ao abandono do local, embora as marcas do tempo possam ser vistas. Tudo isso foi um grande desafio para o Marcos, que é engenheiro civil. Monica, por sua vez, ficou encarregada pela decoração da pousada que traz elementos mesclados de viagens que eles já fizeram, como os ímas que estão em uma geladeira bem retrô no salão do café da manhã, ou os elefantes que se encontram na sala de estar...



A decoração predominante tem ares vintages e retrôs o que harmoniza muito bem com um casarão do século XIX: sofás em tons escuros, tapeçaria, estantes em madeira escura...




A área do café da manhã foi a que eu achei mais fofa e com um paisagismo também muito adequado para o ambiente.




E não deixem de reparar nas remissões energéticas e espirituais espalhadas pela pousada, como os olhos gregos nas portas, a estátua do Buda... segundo o Marcos, essa foi uma preocupação dele para manter o ambiente todo bem equilibrado, com uma energia positiva e boa, principalmente pelo fato de ele, a Monica e seus dois filhos residem por lá também.



Ele separou um espaço do casarão para fazer um loft para ele, com cozinha, e reservou dois quartos para seus filhos. 

A Pousada está aberta há cerca de 2 anos e meio e já ganhou um grande reconhecimento dentre os que nela se hospedaram e que a elevaram dentre as melhores do Rio de Janeiro com seus comentários e suas notas. No Booking.com, a pousada conta com nota 9.4 e 163 comentários

No site TripAdvisor, a pousada ocupa o nº 8 no ranking de 291 pousadas listadas para a cidade do Rio de Janeiro, com 41 avaliações e nota 10.




Bem, vocês então já repararam que ela é boa de verdade, não é mesmo? Mas ela possui esse conceito bem funcional e prático por ser um Bed & Breakfast, inspirado nos hotéis europeus. Dessa forma, não espere luxo, mas sim conforto na medida certa e muita - MUITA - atenção por parte dos seus proprietários.

Nós ficamos em um quarto triplo superior - n. 34, com uma cama de casal e um de solteiro, no 4º andar, de cujo corredor era possível ver o Cristo Redentor com muita nitidez, além de muita Mata Atlântica da Floresta da Tijuca (sem contar as casas de famosos como Toni Guarrido, Eike Batista rsrs).





Os 11 quartos estão distribuídos dentre esses 4 andares, havendo quartos single, duplo e triplo. Nós visitamos, além do nosso quarto quarto, um single e um duplo standard. 

Esye é single:



Cuidadosamente limpos, todos os quartos possuem banheiro privativo, ar condicionado split de última geração, TVs de Led com todos os canais em HD, frigobar, wifi, mesa para trabalho e wifi gratuito, embora o wifi não tenha funcionado muito bem para a gente no nosso quarto. 

Esse é o quarto duplo:




Destaque para a limpeza que é feita por por ozonização para esterilizar o ambiente. 

Nossa opinião: o quarto no qual ficamos é muito moderno e muito funcional. Abajur, muitas tomadas, prateleiras para colocar nossas coisas, pufe, mesa de escritório, com janela, espelho de corpo inteiro, TV em tamanho muito bom e ótima qualidade de imagem... o quarto nos atenderia perfeitamente se nós estivéssemos viajando pela cidade.



Não tem propriamente um armário, mas foi adaptada uma haste com cabides para colocar algumas roupas.

Reparem nos quadros fofos com imagens do Jardim Botânico!! Aliás, vocês encontrarão em outros lugares imagens do Jardim Botânico, como no ambiente do café da manhã. 




Outra questão é o banheiro, que em um ótimo tamanho, bem arejado e iluminado. Não há box tipo blindex, mas sim cortininha. Eu perguntei ao Marcos o porquê de não ter colocado box e ele me disse que originalmente era assim, mas que percebeu que o trabalho em fazer uma higienização perfeita e adequada aos seus padrões de qualidade era muito complicada e trocou tudo para cortina que, segundo ele, é trocada com muita frequência assim como lavada.



De fato, não nego que eu não curto cortina no banheiro exatamente por essa questão da limpeza. Mas a cortina do nosso quarto e as dos quartos onde eu entrei para conhecer estavam simplesmente impecáveis. Muito limpas!


Uma questão que incomodou o Julio foi a claridade do quarto pela manhã. Apesar de haver cortina e blackout, a luz é intensa e realmente não permitiu que o quarto permanecesse escuro por muito tempo. Só que isso é uma observação dele porque não me incomodou. O que me chamou a atenção é o silêncio da pousada.

Eles também oferecem amenities e dão para os hóspedes um kit muito muito fofo com toalhinha de rosto, sabonete e shampoo.



As toalhas do hotel são "terceirizadas" no sentido de que eles recebem de uma empresa as toalhas que são lavadas e chegam lacradas em sacolas de plástico. As toalhas também eram boas, tamanho adequado e secavam muito bem. 

Sobre as áreas comuns da pousada, como já adiantei quando falei da decoração , há lounges, o salão do café da manhã e muitas opções para passar o tempo, ler um jornal, uma revista ou um livro. Todo o espaço do primeiro andar é muito agradável e muito fofo. E, com esse calor que faz na cidade, a boa notícia é que o ar condicionado nos quartos e no lounge de entrada da pousada é bem potente.








O café da manhã também é, como todo o tratamento recebido na pousada, bastante personalizado e individualizado. Cada hóspede recebe em sua mesa itens preparados para o seu café da manhã. Ou seja, não é um buffet para você se servir. 



No nosso caso, foram-nos servidos pães de sal e doce, bolo e muffin, geleias, mel, cream chease, suco natural de laranja, salada de frutas e iogurte, pizza, frios (presunto e queijo amarelo), alguns itens mais industrializados e servidos em suas embalagens, tipo torradas, biscoitos, sequilhos... para ser absolutamente perfeito, dentro do meu gosto, só faltou o ovo (mexido, omelete..) e o queijo branco. 




Não é um café da manhã hiper farto, mas é plenamente suficiente e satisfatório.



O café pode ser o coado ou pode ser o expresso da máquina. Eles também oferecem leite quente ou gelado, chocolate quente ou gelado e chás. 

Como chegamos na noite de sexta-feira, aproveitamos para dar uma volta pelos bares da região já que na Rua Pacheco Leão há uma boa variedade para escolher. Aliás, todo o lugar à noite, seja a própria rua da pousada ou a Pacheco Leão, é tão bonita à noite, tão graciosa, que mereceu registros também.


Resolvemos jantar no restaurante japonês Yumê, lugar que eu frequentavam muito há uns 10 anos, quando ele se chamava Miss Tanaka

Foi muito bacana revisitar o local e relembrar o seu ambiente que não mudou muito nos últimos anos. Adoro o fato de ter a a cozinha aberta para que vejamos o preparo dos pratos. Também adoro a sua decoração com tatames e, principalmente, os seus fundos, onde há um piso de aquário e um teto de vidro retrátil.



Pedimos um combinado mini de 34 peças e estava tudo muito bem feito. Mas não se trata de um restaurante para gastar pouco, viu? A não ser que você não esteja com fome. O preço médio do combinado pequeno é em torno de R$120,00.



Depois, nós ainda esticamos lá no Jojo Bistrô, onde sentamos na calçada e pedimos uma entrada de polentas recheadas de queijos e uma sobremesa que era um brigadeiro de colher de capim santo. Há vários pratos em torno dos R$30,00 - R$40,00, mas, pelo que pudemos perceber, o bistrô segue uma linha de finger foods, ou seja, pequenas porções. Achei legal que lá, às quintas, eles recebem ostras fresquinhas vindas de Florianópolis e fazem a Quinta das Ostras com Espumante! Chique, né? 

No dia seguinte, pela manhã, nós ainda caminhamos um pouco pelas redondezas e encontramos pelo caminho, além de diversos restaurantes, uma padaria e as bicicletas laranjinhas para alugar (no sentido do prédio da Rede Globo).

Jardim Botânico - Orquidário

Jardim Botânico

Também fomos ao Jardim Botânico que é outra facilidade da Pousada Pouso Verde, já que o jardim está a passos da pousada e porque seus donos são sócios do Parque e oferecem aos hóspedes seus cartões de sócios para quem possamos passear sem pagar a entrada. Como há uma entrada na rua Pacheco Leão bem perto da pousada (no sentido da subida da Vista Chinesa), a gente foi até o Bromelilário e Orquidário, que tanto amo.


Veja mais dicas aqui:





E assim foi a nossa experiência na primeira hospedagem que nos recebeu em parceria para fins de divulgação e participação no GUIA MELHORES HOTÉIS DO RIO DE JANEIRO!! Agradeço pela bela recepção e carinho recebidos pelos donos, Marcos e Monica, que são a alma da pousada e o seu grande diferencial!!! 



Todo hóspede sente-se vip com todos os cuidados recebem desse casal tão simpático e gentil e que os fazem merecer as excelentes notas que recebem nos sites de indicação do hotel e, exatamente por isso, eles não poderiam ficar de fora do nosso guia. Parabéns!

Rua Pacheco Leão

Com Marcos e Monica


** FICHA TÉCNICA **

Pousada Pouso Verde Bed & Breakfast
Endereço: R. Caminhoá, 14 - Jardim Botânico, Rio de Janeiro - RJ, 22460-230
Telefone:  +55 21-25292942 / +55 21 999710511
Crianças: somente a partir de 12 anos
Animais de estimação não são aceitos. O cachorrinho que aparece nas fotos é dos donos e fica grande parte do tempo dentro do loft dos proprietários.
Quantidade de quartos: 11
Site: http://www.pousoverde.com/
Atrações turísticas próximas: está a 4km das praias do Leblon e Ipanema, ao lado do Jardim Botânico, muito próximo do Parque Lage, possível também caminhar até a Vista Chinesa (mas é uma boa caminhada de cerca de 1 hora), Lagoa Rodrigo de Freitas...
Restaurantes próximos: a Pousada está a poucos passos do Sobe Bar, Jojö Café Bistrô, Restaurante Couve Flor que é um excelente self service, Do Horto que oferece música ao vivo aos finais de semana, Restaurante Yumê que é um dos melhores japoneses da cidade, Borogodó Bar e Restaurante que é uma ótima opção para almoço.

Restaurante Borogodó

Jojo Bistro

Restaurante Do Horto

Restaurante japonês Yumê

Sobe Bar e Couve-Flor

Veja aqui nossos Guias sobre o Rio de Janeiro. 





Visto por todos os lados

Sensação de estarmos em uma cidade do interior


Nenhum comentário:

Postar um comentário