terça-feira, 27 de março de 2018

Rio Grande do Norte: piscinas naturais de Perobas e Barra de Punaú

Nosso roteiro de passeios pelo litoral do Rio Grande do Norte foi assim:


. 02/11 (quinta) - Praia de Pipa (clique aqui e veja como foi)

. 03/11 (sexta) - Galinhos (clique aqui e veja como foi)

. 04/11 (sábado) - Perobas + Barra de Punaú 

. 05/11 (domingo) - Maracajaú + Beach Park Ma-Noa (clique aqui e veja como foi)



CLIQUE AQUI e leia o post introdutório sobre essa viagem feita ao Rio Grande do Norte, em novembro de 2017, que teve Natal como base para passeios no esquema daytrip (bate e volta). Os passeios foram organizados pela agência de turismo Natal Praias e nossa hospedagem foi no Pizzato Praia Hotel (clique aqui e veja nosso relato)

** PEROBAS E BARRA DE PUNAÚ **

Agora sim vamos falar de algo que muiiiiito nos agrada: PISCINAS NATURAIS!

E se tem uma coisa que o Nordeste brasileiro não deixa a desejar aos destinos mais cobiçados do Caribe, por exemplo, são justamente essas maravilhas da natureza que nos encantam. 



Para quem gosta de mergulhar, de fazer flutuação, de observar a vida marinha, corais, peixinhos e peixões, fique ligado aqui nas dicas sobre esse destino do litoral potiguar que vai te conquistar e aproveite que ele ainda não é dos mais badalados, como Maragogi, no litoral alagoano.

Estamos falando de Perobas! Quem já ouviu falar? Quem conhece? 

Eu confesso que, mesmo sendo esta a minha quarta vista ao Estado, foi a primeira vez que ouvi falar em Perobas e suas piscinas naturais, quando o pessoal da Natal Praias me ofereceu como sugestão de passeios.





Obviamente que fui pesquisar a respeito para saber se valeria a pena ou não. Prooooonto, bastou eu ver as palavras Azul, piscinas naturais tranquilas, corais para já ter certeza de que iria gostar.

Agora só faltava mesmo São Pedro colaborar na parceria e fazer um dia lindo de sol para a gente e, é claro, ficar de olho na Tábua das Marés para a gente chegar lá com a maré baixando ou no máximo perto de subir. 

O ideal, ao se visitar as piscinas naturais, é sempre verificar a Tábua das Marés e o momento do dia de maré mais baixa para chegar nas piscinas e fazer seu mergulho um pouco antes da maré começar a subir, pois assim será mais proveitoso.

Obs: Você entende sobre a Tábua das Marés? Sabe que ela influencia diretamente o seu passeio quando envolve mergulho em piscinas naturais? Se não sabia disso e se o foco da sua viagem para o Nordeste é justamente fazer o passeio em piscinais naturais com mergulho, você precisa ler a nossa matéria que explica direitinho sobre como planejar o melhor dia para você fazer esse passeio. CLIQUE AQUI e não deixe de perguntar para a agência de passeios que você contratar, ou o barqueiro ou jangadeiro, qual o melhor horário do dia para fazer a visita às piscinas naturais e ter a melhor experiência, ok?




E assim fomos nós para os belíssimos parrachos de Perobas, região de praias cercadas por coqueirais que pertence ao município de Touros a mais ou menos 80km de Natal, no litoral norte do Rio Grande do Norte, o que deu cerca de 1:30h de distância. 

Trata-se de um destino ainda não muito divulgado, já que a maioria das pessoas, quando visita o Rio Grande do Norte, acaba escolhendo somente um lugar para fazer mergulho em piscinas naturais e  opta por Maracajaú, por ser mais famoso. Nem sempre o mais famoso é o mais bonito! 




No caso, ambos são lindos com suas vantagens e desvantagens, a ver:

Perobas está pouco mais distante de Natal, mas nem por isso a viagem de bate-e-volta é desconfortável, já que o deslocamento dura nem 1:30h. Uma vantagem é que os parrachos de Perobas (parrachos significam piscinas naturais) são mais rasos. Isso é bom para crianças, idosos e pessoas que não sabem nadar muito bem ou que sentem medo.

Para mim e o Julio, que já temos certa experiência no mergulho em piscinais naturais, isso nem é muita vantagem. Na verdade, quanto mais raso é pior para a gente porque temos que nos afastar das pessoas que justamente ficam em pé, por ser mais cômodo, mas que acabam por levantar muita areia e deixando a visibilidade prejudicada com água turva da areia suspensa. 

Vejam como é raso por lá:





Assim, quando as piscinas naturais são rasas ao ponto de "dar pé", a gente se afasta bem das pessoas e faz a nossa flutuação em lugares com água mais cristalina e melhor visibilidade e foi exatamente assim que aconteceu em Perobas. 

Porém, eu sei que isso é importante para muita gente que se sente mal e desconfortável quando as piscinais naturais são mais profundas, que é o caso de Maracajaú.

Ao meu ver, a grande vantagem mesmo é o fato de ser um destino menos conhecido, menos assediado de turistas, com menos gente disputando lá os corais, o que torna o passeio mais agradável, sem aquela sensação de turismo em massa e muito comercial, sabe? Por isso que curti bastante!

Olhem só como havia poucas lanchas e poucas pessoas, isso em pleno feriado de Finados no mês de Novembro de 2017:





Então foi assim que fizemos: Saímos cedo, às 7:20h, o que foi uma praxe durante todos os dias de hospedagem, e graças a Deus que o Pizzato Praia Hotel servia café da manhã desde bem cedo porque sempre dava tempo de tomar café da manhã antes. 

Chegamos em Perobas cedo ainda e usamos um restaurante local como ponto de apoio para passar filtro solar e nos prepararmos para embarcar na lancha. 




Pudemos perceber que o lugar é bem simples ainda, uma vila de pescadores que ainda não se desenvolveu muito para o turismo. Se você curte a simplicidade de lugares assim, pode até passar o dia por lá depois de fazer o passeio de barco. Mas a praia em si não é tããããããooo bonita assim.




Um aviso importante: para chegar nessas piscinas naturais, tem que encarar a emoção de se deslocar de lancha por 5km a partir da costa, o que deu mais ou menos 15 minutos num trajeto que bateu muito!




Mas peeeeense em jatos d'água na sua cara o tempo todo!! Não sei dizer se sempre é assim, se demos azar com um mar mais mexido ou se é aquela "pegadinha" do Nordeste de fazer passeio com emoção, sabe? kkkk

Só sei que a gente já chegou nos parrachos tão molhado que estávamos prontos para para mergulhar kkkk

DICA: leve o mínimo necessário na lancha e, de preferência, em bolsa estanque, à prova d'água porque tudo molha, e molha muito mesmo! 

Ao longo do caminho, fomos brindados com a imagem do Farol no meio do mar azul... que coisa mais linda!! A gente realmente se sente no Caribe!! 




Afinal de contas, quem disse que você tem que ir tão longe para curtir um Caribe, hein? Brasil tem o seu Caribe, de águas cristalinas, azuis turquesa e morninha... perfeição divina!!

Pudemos ficar 1:30 curtindo os parrachos, tempo suficiente para tirar muitas fotos, fazer vídeos, contemplar os corais e peixinhos.




E quando eu digo que é suficiente, podem acreditar em mim porque eu sou chata com isso! Odeio essa história de chegar e ficar um cadinho de nada e já ter que ir embora com aquela sensação de ter passado pelo lugar, sabe?



Mais uma vez, lembro da importância também de observar a Tábua das Marés, principalmente se você resolver ir por conta própria, para não chegar lá e de repente nem ter passeio saindo porque eles dependem de autorização da Marinha que impõe um limite máximo da maré cheia para as embarcações poderem sair com segurança.




Em termos de vida marinha, os corais destacam-se pelos tamanhos, cores e formatos. Quanto aos peixinhos, ficamos mais no "inhos" mesmo rsrs... não havia grandes cardumes nem algo assim muito exuberante.






No geral, mesmo com os jatos de água na cara ao longo do trajeto de lancha, Valeu muito a pena! 

Agora, não pensem que o passeio foi só isso, né? Ôxi, sair de Natal, ficar 1:30 na estrada, depois fazer o passeio de lancha, mais 1:30 de mergulho, para voltar para Natal? Nada disso!





Na sequência, fomos para Punaú, localizada a 70km de Natal, no litoral Norte, em área de coqueiral onde há um belíssimo encontro do Rio Punaú com o mar, já no Município de Rio do Fogo.

Ficamos até quase às 16h por lá, relaxando e curtindo a natureza que nos brindou paisagens de dunas, rio, mar... muito bonito!

Como a gente não é de ficar parado muito tempo, demos uma voltinha pelas instalações do Punaú Praia Hotel (http://www.punaupraiahotel.com.br/) que nos serviu como ponto de apoio e para almoço em Punaú. Bem gostosinho o ambiente... e há opções de hospedagem também, para quem desejar fazer um detox em um dos 13 chalés que são oferecidos!




E bote detox nisso porque a internet não pegava por lá no meu celular que é da Claro nem do Julio que é da Vivo.

Mas também, neste cenário de harmonia único de encontro do rio com o mar, para que você vai querer internet, né? Bora curtir, namorar, descansar... eita natureza linda!




Assim, a gente foi caminhando pelo rio e observando a paisagem praticamente deserta ao nosso redor. Poucas pessoas foram caminhando até lá... mas a caminhada foi muito tranquila, seguindo pelo rio mesmo. 


Quem desejar fazer um passeio opcional, como o de quadriciclo, caiaque ou sobrevoo de helicóptero, basta contratar por lá. A gente preferiu caminhar e tomar banho de rio!






Como no exato encontro do rio com o mar tem uma correnteza forte, mas nada assustadora, que faz lembrar aqueles rios com correnteza de parques aquáticos, sabe? Então, foi bem legal boiar por lá ou se jogar e deixar o rio levar por um pedaço. Uma delícia mesmo. 




E não oferece qualquer tipo de perigo latente já que é raso, bem assoreado mesmo, dando pé tranquilamente... 





Caminhamos de volta e pudemos já notar a diferença de paisagem com o rio mais cheio e algumas "ilhotas" no meio do rio que já estavam cobertas de água (nossa caminhada foi bem contemplativa e por isso não sei dizer ao certo quanto tempo daria uma caminhada sem pausas... algo em torno de 30 minutos talvez).

Aproveitamos o tempo restante para comer um petisco no restaurante do Hotel Punaú Praia e assim encerramos o passeio, retornando a Natal.




Descrição do Passeio com a Natal Praias: com saídas diárias, o tour para Perobas e Barra do Punaú (Rio do Fogo) custava na época em que fomos (novembro de 2017) R$140,00 por pessoa em dinheiro ou R$160,00 no cartão de crédito. 

Lembrem sempre de consultar antes os valores porque essas tabelas sempre sofrem atualizações. 


O passeio dura em média umas 7h. No nosso caso, fomos buscados no hotel às 7:20 da manhã e chegamos de volta em torno das 17:45. Esse processo de buscar e depois deixar de volta sempre demora um pouco mais porque eles vão passando de hotel em hotel. O bom é que dá para descansar e dormir um pouco no trajeto. 


O passeio inclui neste valor os deslocamentos de van ou mico-ônibus, bem como a lancha para os parrachos de Perobas, que oferece máscara e snorkel para quem não tiver a sua própria. 


Nós sempre levamos a nossa porque eu tenho nojinho de compartilhar meu respirador. Não curto mesmo! Mas isso é de cada um e pessoal. Como vira e mexe a gente faz passeio com mergulho, vale a pena ter o nosso próprio.


O passeio não inclui o mergulho com cilindro que custa R$130,00 por pessoa (e eu acho que nem vale a pena fazer em Perobas porque lá é bem rasinho mesmo. Se tiver esse desejo e curiosidade, deixe para fazer o mergulho com cilindro em Maracajaú, onde é mais profundo), tampouco inclui os passeios de quadriciclo, caiaque ou sobrevoo, em Punaú, além de alimentos e bebidas que também são extras. Confirmem sempre os valores antes.


Dica: se quiser dar aquela economizada, leve água e lanchinhos/snacks. A gente sempre leva a nossa água!


E não deixem de ler as dicas que já mostramos aqui no blog:





Quem nos recebeu muito bem em Natal e organizou absolutamente tudo para a gente, desde passeios até a hospedagem foi a agência de turismo local, a Natal Praias. Inclusive, além das matérias que vocês encontrarão aqui no Apaixonados, também indico para vocês o portal da Natal Praias, que está muito bem estruturado e de fácil pesquisa para complementar na organização e no planejamento de vocês na próxima sua viagem que fizerem para Natal e região, tornando muito tranquila a tarefa de montar seus roteiros de passeios!

Passeios em Natal

Passeios pelo Rio Grande do Norte

Passeio para Maracajaú

** SERVIÇO **

Os passeios foram feitos com a Natal Praias, a convite.

Para mais informações, visite o site da agência de passeios: https://www.natalpraias.com.br/  


O que fazer em Natal

Posts no Instagram na Tag #apaixonadosporviagensnatal17 



Nenhum comentário:

Postar um comentário