22 setembro 2018

Estrasburgo, na bela região da Alsácia

Estrasburgo, na bela região da Alsácia

Eu estive na região da Alsácia em abril de 2013... e lá se vão uns 5 anos e meio, mas algumas dicas não mudam mesmo e por isso vou deixar aqui compartilhado com vocês um roteiro para curtir Estrasburdo em 2 dias.


Dica: sei que muita gente opta por fazer um passeio bate-e-volta de Paris a Estrasburgo. De trem - TGV - leva uma média de 1:45 a viagem entre as duas cidades, ou seja, é de fato perfeito para um daytrip. Porém, a dica é ficar em Estrasburgo ao menos 2 noites.  
Para conhecer melhor a cidade e aproveitar para visitar a sua belíssima vizinha Colmar, vale a pena colocar uns dias na região. Não deixem de ir também a Colmar que, junto com Estrasburgo, é daquelas cidades fofas que a gente gostaria de dobrar e guardar no bolso para levar para sempre conosco. E, se eu te convenci a ficar um pouco mais na Alsácia, que tal também conhecer a cidade de Lorraine? Infelizmente, eu não consegui ir, mas morro de vontade de voltar para também fazer a famosa rota dos vinhos.

comuna de Estrasburgo é também muito famosa por contar com um dos mais antigos mercados de Natal da França, que existe há mais de 500 anos. A Praça Broglie torna-se em uma verdadeira feira aberta em que são encontrados diversos artefatos, opções gastronômicas e adornos relacionados à festividade natalina. Portanto, se você estiver planejando uma EuroTrip para o final do ano e se curtir a decoração natalina, os festejos, as feiras e bazares de Natal, tente encaixar uma visita a Estrasburgo, porque a cidade fica ainda mais linda, toda iluminada para as festas da estação, ao som dos sinos e dos corais com crianças realizados pela igreja... tudo isso deixa experiência na cidade ainda mais especial. 

- Quanto tempo ficar em Estrasburgo: 

Eu fiquei apenas 2 noites, mas dá para ficar umas 4 noites em Estrasburgo, se usar a cidade como base para explorar a região da Alsácia e aproveitar para fazer uns dois ou três passeios no estilo bate e volta. Mas minha sugestão é que fique 2 noites em Estrasburgo e 2 noites em Colmar, se for possível e se você for, assim como eu, apaixonado por cidades fofas e altamente fotogênicas.

- Melhor Época do Ano para visitar Estrasburgo:


Pergunta cruel, né? Eu fui no início da primavera, em abril de 2013, com a intenção de ver tudo muito florido. Vocês sabiam que na Alsácia rola até competição para premiar a cidade mais florida da primavera? Pois é, eles levam isso bem a sério mesmo e eu estava doida para ver. Porém, como fui no início da primavera e como naquele ano o inverno tinha sido bastante rigoroso, eu não vi tantas flores quanto gostaria de ver.

Portanto, as dicas são:

. Se quer ver as cidades da Alsácia floridas, opte por final de abril até meados de maio ou, no máximo, início de junho.

. O verão costuma ser bastante quente nesta região, com a desvantagem de não ter praia. Por isso, eu não iria no verão.

. O outono é uma das épocas mais lindas, na minha opinião, para ir para a Europa: temperaturas amenas, dias mais ensolarados, aquela paisagem em tons alaranjados que amo... masssss, vamos lá, especificamente em se tratando da Alsácia, sabendo que Estrasburgo tem um dos Mercados de Natal mais lindos da Europa, eu deixaria para ir em dezembro, para contemplar essa paisagem invernal, ver a neve, curtir essa magia dos bazares natalinos.

E aí, qual a melhor época para vocês?

- Onde se hospedar em Estrasburgo: 


Como a viagem de 2013 pela Europa teve seus deslocamentos realizados principalmente de trem, eu preferi ficar hospedada em um hotel próximo à principal estação de trem da cidade.

Com isso em mente, em Estrasburgo, escolhi o Hotel Victoria, que hoje conta com nota 8,1 e mais de 2000 avaliações no Booking.com, a 3 minutos a pé da estação de trem e a passos do Centro Histórico e das casas fofas.

O hotel é simples, mas atendeu aos nossos propósitos. Estávamos em 3 (eu e meus pais) e o quarto acabou sendo pequeno. Porém, eram apenas 2 noites e deu para o gasto. 


- Sobre Estrasburgo: 



Patrimônio Mundial da Unesco desde 1988, na margem esquerda do importantíssimo rio Reno, a cidade é a capital da Alsácia e sua história remonta a uma vila celta que foi conquistada por romanos, onde ficaram por cinco séculos devido ao lugar estratégico que era, próximo a um rio navegável, na divisão dos reinos dos francos e germanos. A vila de Strateburgum foi fundada em 496 d.C. Oficialmente, apenas com a construção do sistema de defesa da cidade e construção das torres é que, com base nesses registros, pode-se dizer que a cidade foi fundada no século XII.


Região de grande disputa entre Alemanha e França, já foi bombardeada por ambos, até mesmo por americanos. Justamente por estar na divisa entre os dois países, já pertenceu diversas vezes à Alemanha para depois ser integrada à França. Nesse vai-e-vem entre os países, após a 2ª Guerra Mundial, voltou para o território francês.

O Idioma oficial é o francês, mas o dialeto alsaciano é totalmente germânico e sua arquitetura guarda forte influência alemã, notadamente do estilo enxamel.


- Atrações Turísticas em Estrasburgo: 



. Catedral de Notre Dame: uma das mais belas catedrais góticas da Europa e uma das mais famosas da França, foi construída entre 1176 e 1439 com pedras avermelhadas trazidas das montanhas dos Vosges.

Sua torre tem 142 metros de altura e a Catedral conta com 51 metros de largura e 111 de profundidade. Foi a mais alta igreja da Europa até 1880, quando superada pela Catedral de Colônia, na Alemanha. Hoje é a quarta mais alta do mundo. Horário de Funcionamento: das 7:00 às 11:20 e das 12:30 às 19:00. É altamente recomendado subir a sua torre para conferir uma bela vista da cidade, se você tiver disposição e fôlego. Meus pais, por exemplo, foram vencidos pela preguiça e ficaram na praça me esperando rsrs


. Relógio Astronômico, cujo mecanismo data de 1842, encontra-se dentro da Catedral de Notre Dame e só pode ser visto em funcionamento às 12:30. A entrada na Igreja ocorre às 11:30 e somente ficam dentro dela os que possuem ingresso para ver o relógio.

Os carrilhões são esculturas móveis que, a cada cinco minutos, mexem-se. O relógio gigante marca os anos bissextos, os equinócios, a hora solar, meses do ano, signos do zodíaco, dias da semana, fases da lua, os eclipses da lua e do sol e ainda exibe um planetário de Copérnico (a posição de vários planetas), com precisão ao marcar a hora.

. Place de la Cathédrale: onde acontece o famoso Mercado de Natal e onde se encontra a Casa Kammerzell, um edifício histórico tipicamente alsaciano do século XV, onde funcionou um mercado no passado e hoje abriga um restaurante. Nessa praça também funciona a oficina de turismo da cidade, local perfeito para iniciar seus passeios, pegar informações e mapas.

. Pontes Cobertas - Ponts Couverts: são fortificações medievais outrora utilizadas para a proteger a cidade, localizadas sobre o Rio III.

Hoje em dia, não estão mais cobertas. Infelizmente, das 80 torres que existiam restaram apenas 4 do século XIV, utilizadas para a proteção da cidade. As pontes perderam sua cobertura no século XVIII.


. Um Must See em Estrasburgo: Petit France! Uma pequena área entre os rios ao sul da Grande Île, que é provavelmente o lugar mais fofo da cidade, com sua arquitetura vernacular, é o ponto turístico mais famoso e que rende altas fotos lincas, aquelas bem clássicas, estilo cartão postal.

Rodeado por canais e pontes floridas, trata-se de um dos lugares mais pitorescos da cidade, que representa o melhor dos seus encantos com alguns dos edifícios medievais, com arquitetura em enxamel... o lugar é lindo!

Na Idade Média, era uma região de comércio de curtume e de matadouros... curioso, não é? E, hoje em dia, além de toda a fofurice, a Petit France é bastante procurada por seus cafés, restaurantes, lojas de lembrancinhas. Vale passar pela Vauban Dam, a represa perto do Petit France, e observar o sistema das eclusas e o mecanismo de passagem dos barcos de passeio. Espere um pouco para ver uns dos barquinhos passarem, pois valerá a pena.



. Bairro Europeu: Sede do Conselho da Europa + Corte Européia dos Direitos Humanos + Parlamento Europeu

. Museu de Arte Moderna e Contemporânea de Estrasburgo

. Passeio de barco: por ser cortada pelo Rio Reno e seus afluentes, que atravessam a cidade e rodeiam o seu centro por canais e sistemas de eclusas, lembrando um pouco Amsterdã nesse sentido, o passeio de barco é bem comum por lá e vale a pena também.

Os barcos Batorama saem a cada meia hora do Palácio Rohan, com duração de 1h passeio. Costumam ser dois tipos de barcos, um aberto e um fechado. Os fechados são mais confortáveis e, como eu fui no mês de abril e ainda fazia frio, não pensei duas vezes e escolhi o fechado mesmo.

O roteiro inclui uma volta na Ïle-de-Strasbourg, uma verdadeira ilha onde a cidade foi fundada, passando pelos prédios do Parlamento Europeu e Conselho da Europa.... é bem legar observar a cidade com essa outra perspectiva.


. Palácio Rohan: em estilo barroco, localizado perto da Catedral, foi construído entre 1728 e 1741. Recebeu Luís XV em 1744 e Maria Antonieta em 1770, além de Napoleão, em 1805, 1806 e 1809. Danificado com bombas em 1944, passou por restauração cuja obra foi finalizada somente em 1990.

Em seu interior, encontram-se três importantes museus: Museu Arqueológico que fica no subsolo, é um dos mais ricos da França e apresenta coleções desde a pré-história. Museu de Artes Decorativas, no primeiro andar, que apresenta apartamentos suntuosos do cardeal de Rohan e também coleções de 1681 até século XIX. Museu de Belas Artes, no primeiro e segundo andares, apresenta pinturas europeias desde a Idade Média, Renascimento com Botticelli, Raphael, barroco com El Greco, obras dos séculos XVII, XVIII e XIX, com Coubert e Delacorix.

- Gastronomia em Estrasburgo: 




Estrasburgo é famosa por suas centenas de restaurantes e brasseries. Portanto, você terá que se esforçar muito para comer mal por lá rsrs... eu só sei que tenho ótimas recordações!

. Não deixe de comer o Tartes Flambées (Flammeküche ouflams) que é uma espécie de pizza com massa fina, recheada com creme de cebola e ensopado de carne de porco cozida, com batatas e cenouras, geralmente servido para duas ou mais pessoas.

Eu achei uma delícia, mas meus pais acharam apimentada além da conta para o paladar deles. Uma boa sugestão para apreciar essas delícias é procurar um Winstub, espécie de taberna local da Alsácia - Restaurante Winstub L’Ami Schutz na 1 Pont Couverts.


. Recomendo Comer biscoito amanteigado, tipo um sequilho, que é um símbolo da região da Alsácia

. Vale também experimentar a variedade de Cervejas de Estrasburgo, já que, dada à sua proximidade e influência cultural germânica, a Alsácia acabou sendo a maior produtora de cerveja da França. Cervejarias: Kronenbourg, Fischer, Météor e Katerbräu.

. E, apesar de tipicamente alemão, não deixe de experimentar o Choucrute de Estrasburgo - Choucroute aux poissons (chucrute de três peixes) que é bem tradicional por lá e geralmente vem servido acompanhado de embutidos de carne de porco.

. Entrar nas Boulangeries para experimentar seus deliciosos pães também faz parte da experiência gastronômica.

. Por lei, os vinhos da Alsácia devem ser engarrafados onde são produzidos e os mais famosos são os vinhos brancos secos. 

- Dica: a uva Pinot Gris dá origem a vinhos frutados e mais secos, fazendo um meio termo delicioso com a Riesling, que acompanha a maioria dos pratos alsacianos. Riesling é a mais nobre das castas alsacianas e produz vinhos secos e muito aromáticos.

Os vinhos populares são o Muscat (levemente adocicado) e o Gewürztraminer (muito doce). A cidra, que não é especialidade alsaciana, também é bastante servida. Doux é a versão mais doce e o Brut é o mais seco.

É um hábito comum na França apreciar crepes com cidra.

. Não deixe de provar os chocolates! Caminhe pela Rue des Ofèvres até Place Kléber, uma rua típica com várias lojas, inclusive de chocolate. A Place Kléber é a principal praça comercial da cidade, onde estão as principais lojas e galerias, como a Galeria Lafayette, Printemps e Monoprix.


. Becos ao redor da Catedral: os famosos Winstubs, onde se pode encontrar a gastronomia mais típica da Alsácia, estão localizados em algumas das ruas mais conhecidas: Rue dês Orfèvres, Rue Du Chaudron e Rue dês Hallebardes. Elas estão repletas de lojas e restaurantes. Outro lugar incrível é a Place Du Marché Gayot, onde os residentes de Strasbourg fazem suas compras.

E é isso! Viram só como há bastante o que ver e fazer e comer em Estrasburgo? Isso porque eu nem falei sobre Colmar ainda, hein?? Portanto, se tiverem a oportunidade, não deixem de incluir essa linda cidade no seu roteiro.

Booking.com


Postar um comentário

Botão do Whatsapp só funciona no celular

Digite o que procura e tecle "enter" para buscar