23 agosto 2018

BAHAMAS: GRAND HYATT BAHA MAR

BAHAMAS: GRAND HYATT BAHA MAR

Nós chegamos nas Bahamas por sua capital, a cidade de Nassau. As Bahamas são um país insular, formado por mais de 700 ilhas, cayos, ilhéus, no meio do mar Caribenho, que faz parte do Oceano Atlântico. Ou seja, é um graaaande arquipélago!!



Como chegamos: voamos da Cidade do Panamá com a Copa Airlines, em voo direto com duração de quase 3 horas, passando pelo Mar do Caribe e sobrevoando Cuba até chegar na ilha de New Providence, onde fica a cidade de Nassau, com aeroporto internacional que atende a várias rotas, especialmente bem conectado com diversas cidades dos EUA.



Foi um voo bem tranquilo, com serviço de bordo razoável (estávamos na classe econômica) e deu tempo de descansar, dormir, curtir o mar azul turquesa que nos dava boas vindas... mas, tinha um silver tape na asa do avião que me deixou bem desconfiada. Foi até engraçado porque o Julio tirou foto e mandou depois para os amigos da Embraer, já que a aeronave da Copa era da Embraer, e.... pasmem: seus amigos disseram que o silver tape pode ser usado em até 50 voos!!! E aí, vocês seguiriam no voo se vissem a fita adesiva na asa??



Geografia: como já adiantado, as Bahamas são compostas por mais de 700 ilhas, cayos e ilhéus, localizada ao norte de Cuba e 160 km ao sudeste da Flórida. Geograficamente, podemos dizer que as Bahamas situam-se no mesmo arquipélago de Cuba, República Dominicana e Haiti, Turks e Caicos.




A maior ilha das Bahamas é a ilha de Andros, mas a ilha mais importante é a de New Providence, a leste de Andros, onde se localiza a capital Nassau e onde mora cerca de dois terços de toda a população do país. A maior parte das ilhas tem um relevo mais plano e formação de coral, uma das razões para ter um mar cristalino de águas azuis turquesa e praias de areia branca perolada, com alguns poucos montes baixos.




O clima local é tropical, moderado pelas águas quentes da corrente do Golfo, com média mensal de pouco mais de 32 °C. Porém, nós fomos em março e pegamos um pouco de vento frio nos primeiros dias em razão de uma frente fria vinda do norte dos EUA. Afinal de contas, vale lembrar que as Bahamas estão situadas no Hemisfério Norte o que significa que o inverno vai de dezembro a março.





Melhor Época: o período mais seco e sem riscos de furacão vai de novembro a abril. 

A temporada de furacões começa oficialmente em junho e vai até novembro. Nos últimos anos, sem fugir à regra, os segundos semestres têm sido marcados por violentos furacões, especialmente entre os meses de outubro e novembro, que são os meses que eu indicaria riscar do seu planejamento.


História Resumida: trata-se do primeiro lugar de chegada de Cristóvão Colombo no Novo Mundo, em 1492! Contudo, apesar da descoberta histórica, os espanhóis não se interessaram em colonizar muitas ilhas, mas sim em transportar os habitantes nativos, os lucaicano, como escravos para outras ilhas que passaram a ser colonizadas. 

Assim, as Bahamas ficaram quase despovoadas entre 1513 e 1648, quando então chegaram os colonos britânicos vindo de Bermuda e por lá se estabeleceram. Em 1718, as Bahamas passaram para o poderio da Coroa Britânica e, após a Guerra da Independência dos EUA, os que se mantiveram leais à Coroa, além de escravos africanos, acabaram migrando para as Bahamas e implantaram uma economia com base em plantações. 

O tráfico foi abolido pelo Império Britânico em 1807 e muitos africanos libertados de navios negreiros pela Marinha Real foram levados para as Bahamas durante o século XIX, mas a escravatura em si só foi abolida mesmo em 1834, razão pela qual muitos descendentes destes escravos por lá permaneceram e se estabeleceram, constituindo a maioria da população bahamense atual, que é composta, no total, por 85% de afrodescendente.





Curiosidade: a origem do nome Bahamas deriva da língua espanhola, que seria “baja mar” em razão dos cayos, bancos de areia que levaram a chamar a região de Mar Raso ou Baixo.

Economia: o país é um dos mais ricos da América em relação ao PIB per capita e suas ilhas são um dos principais destinos turísticos mundiais, portanto, não fica difícil de deduzir que o turismo é uma atividade muito relevante para sua economia.

Além do turismo, a indústria pesqueira também é relevante, além da indústria do sal e do extrativismo mineral de aragonita. Já a produção agrícola é mais destinada ao consumo local com algumas lavouras de destaque como milho, trilho e frutas, aproveitando o clima mais próximo ao tropical. Voltada para a exportação, temos a cana de açúcar, banana, algodão, sisal e verduras.

Mas, de modo geral, a indústria é pouco desenvolvida, bem diferente de outras ilhas caribenhas em que estivemos, como Aruba e Curação, onde pudemos perceber de forma mais marcante a presença de atividade industrial movimentando a economia. Por fim, como boa ilha caribenha, não podemos nos esquecer da produção de rum e outras bebidas que complementam a base da economia, assim como o refino de petróleo.


Política: com independência conquistada somente em 1973 da Coroa Britânica, as Bahamas hoje em dia continuam sob a tutela política do Reino Unido e fazem parte da Commonwealth of Nations (Comunidade das Nações), com políticas e tradições similares às da Grã Bretanha.

Assim, a Rainha Elizabeth II comanda o estado, enquanto que, nas Bahamas em si, quem comanda o governo local é o Primeiro-Ministro, líder do partido com mais assentos no Parlamento, além de ter também a figura do Governador-Geral. Os senadores são nomeados e o Poder Executivo é exercido pelo Gabinete. O Poder Legislativo é investido por dois membros do Parlamento.



Moeda: a moeda oficial é o BSD (dólar de Bahamas) que está equiparado a 1 USD. Você não precisa fazer câmbio se não desejar, pois o dólar americano é amplamente aceito em todos os lugares, o que facilita bastante a nossa vida de turista, não acham?

Documentos Necessários: Brasileiros não precisam de visto para entrar nas Bahamas, mas sim passaporte válido e Certificado Internacional de Vacinação contra a Febre Amarela. No aeroporto, quando desembarcamos, não nos foi solicitado o comprovante da vacina, mas a gente sempre carrega para não correr o risco.

Por outro lado, curiosamente, ao pergunatarem nossa nacionalidade, pediram para revistar nossa mala. Não nos sentimos muito bem recebidos no país, de modo geral e tivermos muitos incidentes a partir dos quais concluímos que eles talvez não sejam tão receptivos assim aos latino americanos ou que, talvez (aí é uma questão bem delicada e até complicada de colocar aqui no blog, mas vamos colocar mesmo mesmo porque foi uma impressão constatada em diversas ocasiões), pelo fato de sermos brancos, o tratamento era outro nos serviços de modo geral. 





Em verdade, foram bem poucos os momentos em as pessoas se dirigiam para a gente com simpatia no tocante aos serviços em geral, ou com alegria e gentileza. A impressão que ficou é que eles sabem que o turismo é importante para movimentar a economia do país, mas que quase que fazem isso como um favor, entende? 

Bem... que fique claro que isso foi constatado no trato com serviços de táxi, dentro dos aeroportos, em alguns restaurantes nas Exumas... mas nossa experiência no Grand Hyatt Baha Mar foi impecável! Lá dentro, nós não tivemos quaisquer problemas! Inclusive, por conta disso mesmo, a vontade era de nem sair de lá mesmo para explorar um pouco mais de Nassau porque até desanimamos e, de fato, foi o que fizemos. 

**Nossa experiência em Nassau resumiu-se no tempo em que passamos dentro do Grand Hyatt Baha Mar**

Idioma: como ex-colônia britânica e membro do Commonwealth, Bahamas tem a língua inglesa por idioma oficial, mas é um inglês um pouco complicado de entender e por diversas vezes, embora a gente fale inglês com certa facilidade, a impressão que dava é que eles falavam um dialeto local entre si... qualquer coisa, menos inglês rsrs... ao menos, não era compreensível para nossos ouvidos.

Direção: atentar para o fato de ser mão inglesa.




Quanto tempo ficar: Nas Bahamas, como um todo, nós ficamos de 04 a 10 de março, ou seja 6 noites! Foi 1 noite em Nassau e 5 noites nas Exumas. Nosso foco não era Nassau, mas sim as Exumas, por isso fizemos essa distribuição de noites, para também facilitar a logística de deslocamentos, já que, em razão dos horários de voos de saída das Bahamas para seguirmos viagem para a Cuba, a gente era obrigado a necessariamente dormir em Nassau uma noite pelo menos para não corrermos o risco de perder o voo. 

Mas, já que passaríamos por Nassau, tanto na chegada quanto na saída, nós aproveitamos a oportunidade para conhecer o magnífico hotel Grand Hyatt Baha Mar! No dia de chegada, teríamos pelo menos umas 5 horas líquidas livres em Nassau, tempo suficiente para a gente curtir um bocado do hotel e, no retorno das Exumas, teríamos então essa noite em Nassau, em que dormirmos no Baha Mar e pudemos aproveitar seus restaurantes, bares, boate, cassino e conhecer mais suas instalações e suíte!

Quem nos acompanha há tempos sabe bem que esse turismo de Resort e Cruzeiro não nos atrai tanto porque gostamos de ficar mais livres para explorar os arredores. Porém, não vou negar que vez ou outra, ter toda mordomia de estar em um Resort absolutamente completo e bem equipado, daqueles lugares onde você nem pensa em sair de lá para fazer outra coisa porque ele se basta pela diversidade de atrativos... bem, isso às vezes cai bem, ainda mais para dar aquela pausa no roteiro, para você relaxar e não precisar se preocupar em fazer planos de passeios e etc... a nossa única preocupação no Grand Hyatt Baha Mar era a de curtir ao máximo tudo o que o hotel oferece aos seus hóspedes.


E, como nosso tempo acabou sendo curto, é claro que não conseguimos aproveitar tudo tudo que o hotel oferece. Assim, recomendo que fique ao menos 2 noites no Baha Mar só para aproveitar o hotel e depois mais uns 2 dias para curtir Nassau e seus passeios. Em todo caso, como andamos muito pelas instalações do hotel, tivemos aquela boa ideia de quão maravilhoso ele é para contar aqui para vocês!

Nossa Experiência no Grand Hyatt Baha Mar

Chegamos em Nassau com a Copa Airlines às 10:30 da manhã do dia 04 de março e tivemos até o fim do dia para curtir o hotel. Depois voltamos para dormir de 9 para 10 de março, porém, como chegamos de tarde e houve atrasos no voo, o que aproveitamos mesmo foi a noite no hotel, seus restaurantes, bares, boate e dormimos bem pouco, inclusive rsrs... mas o suficiente para poder recomendar a suíte para uma noite de sono revigorante. Além disso, no dia seguinte, ainda tomamos um café da manhã delicioso antes de partirmos para o aeroporto rumo a Cuba. 

- Endereço do Grand Hyatt Baha Mar Nassau: One Baha Mar Boulevard

- Site:

- Instagram:
. @grandhyattbahamar
. @bahamarresorts

- Telefone: +1 242 788 1234

- Email: bahamar.grand@hyatt.com

- Booking.com: nota 8,8, com mais de 680 avaliações. Clique aqui e confira

- TripAdvisor: nota 8,0, com mais de 1.700 avaliações e Certificado de Excelência. Clique aqui e confira

O hotel Grand Hyatt Baha Mar encontra-se a 9km do Aeroporto Internacional de Nassau, ou seja, bem pertinho e, em cerca de 15 minutos, chegamos lá no hotel.




Logo que saímos do aeroporto, estranhamos um bocado a forma de abordagem dos taxistas. Não cogitamos de alugar carro em Nassau porque nossa passagem pela cidade se resumiria a curtir o hotel Baha Mar mesmo e não usaríamos o carro para mais nada. 

Contudo, achei péssimo esse atendimento do aeroporto para o serviço de táxi, impondo que as pessoas paguem preços tabelados, sem taxímetro e, pior do que isso, você é praticamente forçado a dividir o táxi com outra pessoa. Chegamos a argumentar que gostaríamos de ir sozinhos, mas não teve jeito e botaram outras 2 pessoas conosco no mesmo táxi, que era um carro normal, de tamanho normal. Ou seja, éramos eu, Julio, mais dois homens com suas mochilas e bagagens, todo mundo imprensado. Pelo menos o trajeto era curto, de uns 15 minutos apenas. E não pensem que teve desconto por colocarem as pessoas a mais. Nada disso!!! O preço já havia sido negociado antes de entrarmos no carro e, enquanto nos ajeitávamos, chamaram essas outras pessoas. Pagamos 22 dólares americanos (usd) para nós dois (11 usd por pessoa) numa corrida de 15 minutos!! 

Já não gostei de cara dessa abordagem no aeroporto e acho que foi a partir daí que comecei a pegar ranço com algumas coisas nas Bahamas. 

Graças a Deus que, ao chegarmos no Grand Hyatt Baha Mar, fomos muito bem acolhidos e ficamos impressionados com as suas dimensões e a quantidade de oferta de lazer é uma loucura! Vontade de ver tudo, de fazer tudo, mas a gente tinha que focar em algumas atividades apenas porque não daria tempo de curtir todos os atrativos. 





Localizado bem de frente para uma das praias mais lindas da Ilha, a Cable Beach, com areias branquinhas, mar bem azul turquesa, bem daquele jeito paradisíaco que esperamos encontrar quando pensamos em Caribe, a região encontra-se na Baía Goodman e todo esse cenário composto com o hotel formam um ambiente perfeito para proporcionar aos seus hóspedes experiências inesquecíveis que esbanjam muito luxo e elegância...



Relaxar é a palavra de ordem neste pequeno pedaço de paraíso! Recarregar suas energias e aproveitar cada segundo.

Embora o hotel não trabalhe com DayUse, para fins de divulgação e como nós voltaríamos depois para pernoitar em outro dia, neste primeiro momento e primeiro contato com o Hyatt Baha Mar, foi-nos oferecido uma espécie de dayuse em uma Cabana super charmosa em uma de suas 6 piscinas! 





Obs: as piscinas e os serviços de praia são exclusivos para os hóspedes do Grand Hyatt Baha Mar. Porém, se você não for e desejar conhecer o hotel, poderá curtir diversos outros ambientes, como seus restaurantes, bares, Cassino e até mesmo a boate, mediante pagamento do consumo e eventual entrada para alguma festa que esteja relando na boate. Se estiver com tempo sobrando e quiser conhecer de perto um hotel de luxo com uma infraestrutura Top, recomendo que vá lá, mesmo que não esteja hospedado. 





O resort é completo e realmente encanta de cara pela magnitude de tudo! Tudo é grandioso! Realmente, é perfeito para passar férias com amigos, em família, para se permitir um pouco de luxo e glamour, para comemorar lua de mel ou bodas!!



Os hóspedes têm acesso, de forma gratuita, a inúmeras facilidades para praticarem atividades neste mar lindo. Dentre elas, SUP (stand-up paddle), Kayaks (individuais ou duplos, com o fundo transparente), lounges flutuantes, máscaras e snorkel... excelente para explorar o mar caribenho de Nassau.





Mas também conta com quadras de tênis, aulas de Golf, SPA, Cassino... ou seja, para agradar a todos e para ninguém ficar parado por lá. Aliás, só fica parado e relaxando quem quiser, né?






Serviços: wi-fi, serviço de concierge, serviço de quarto 24h, fitness center, máquinas para sacar dinheiro ATM, Valet Parking, câmbio de dinheiro, serviços de lavanderia, staff multilíngue e muito mais!


O hotel é muito cuidado em todos os detalhes. Algo que me chamou a atenção foi haver em todos os quiosques nas áreas das piscinas, disponíveis para todos os hóspedes, toalhas secas, água, água saborizada, filtro solar... achei realmente incrível toda essa atenção e tratamento dispensados para que realmente não falte nada para as pessoas. 


Atividades: o hotel disponibiliza aos seus hóspedes facilidades para praticarem atividades na praia, como já mencionamos, mas também há outros atrativos, como:





. Baha Mar Casino, destinado para todos os jogadores, desde os mais amadores até os mais profissionais.



. ESPA Baha Mar, com 24 luxuosas salas privadas que oferecem uma seleção de tratamentos e terapias corporais para todos (homens e mulheres, adolescentes...), oferecendo uma autêntica experiência holística das Bahamas aos seus clientes, com vista para o mar, num ambiente que inspira paz de espírito.

. Jack Nicklaus Signature – Aulas de Golfe

. 6 Piscinas e Palapas: com destaque para toda a enooorme equipe de funcionários e salva-vidas que estão a postos nas áreas das piscinas. 

. 9 Quadras de Tênis – Racquet Club




Uma atmosfera sofisticada que não mede esforços em oferecer espaços de muito lazer sem dispensar um toque especial de tratamento pessoal e bastante conforto. 

Ou seja, a ideia não é ser mais um resort com serviços massificados, mas sim, consolidar-se como resort de luxo que prioriza o turismo de experiência e os interesses individuais de seus hóspedes.





Eu simplesmente amei curtir essa Palapa completa, que dispunha até de TV, música, sofá, frigobar... foi uma experiência digna de uma Diva!





E foi bem assim que me senti mesmo, divando nas Bahamas com esse cenário cinematográfico ao meu redor, essa piscina sensacional e essa vista para o mar de tirar o fôlego! Isso sem contar os lanches deliciosos que experimentamos e os drinks coloridos que tem tudo a ver! Aliás, já foi amor à primeira vista com o Bolinho de Conch!!




Só não aproveitamos mais a praia porque estava ventando muito e aí, mesmo com sol, a gente sentia frio.

Por isso mesmo estar em um hotel bem equipado, com piscinas bacanas, pode ser sempre uma boa pedida para o caso de você ter que se adequar às intempéries climáticas, se virar o tempo, se chover, se esfriar, ao menos você terá várias outras opções de lazer para ocupar o seu tempo e aproveitar suas férias.




Vale destacar outro ambiente lindo do hotel é o seu píer! Rende cada foto belíssima, não acham?



Além disso, recomendo caminhar até o final do píer, pois é possível ter uma ideia do tamanho do hotel! É ou não é impressionante?



Suítes: são 1.800 quartos e suítes, luxuosas acomodações que impressionam com sua decoração moderna, elegantes e com vista do mar. 



Todos os tipos de acomodações dão acesso completo ao The Sanctuary (na praia – espécie de aquário natural, exclusivo aos hóspedes), ao Clube de Exploradores para as Crianças, Baha Mar Casino, aulas de Golfe, piscinas, restaurantes, bares e muito mais. 

Os quartos são modernos, completos e apresentam ar condicionado, frigobar, mesa de escritório, cofre, banheiros privativos com banheira ou chuveiro, completos com amenities, secador de cabelo e roupões de banho.




Ficamos em uma suíte Ocean View, com varanda e vista para o mar e para a lateral do Resort. 




Eu juro que tentei madrugar para assistir ao nascer do sol, mas, como a gente queria aproveitar ao máximo tudo o que o hotel oferece à noite, no dia em que dormimos por lá, acabamos dormindo bem tarde e tínhamos que acordar cedo de qualquer forma porque íamos para o aeroporto por volta das 11h da manhã. Moral da história, isso aí foi o máximo que conseguir ver do dia raiando rsrs... perdi o nascer do sol propriamente por cerca de uns 40 minutos.



Com cores claras, ambiente mais clean e aquele toque de sofisticação que amo, a suíte era equipada com tudo de que precisamos e um pouco mais, além de espaçosa, confortável, com decoração aconchegante e alguns toques super modernos que me chamaram a atenção, como o tablet ao lado da cama com todas as informações sobre o hotel, horários de funcionamento dos restaurantes e bares, mapas, dentre outros dados importantes.




Observação: atenção para a questão do frigobar. Ele tem um sensor interno e, ao retirar um dos produtos do seu local, mesmo que você não vá consumi-lo, ele identifica que o produto foi retirado e isso será cobrado de você ao final, mesmo que você só tenha retirado para olhar, por curiosidade.





Aliás, tudo no hotel é controlado por meio do número do seu quarto, usando o seu cartão de acesso e nós recebemos pulseiras que sinalizavam estarmos hospedados no hotel, o que facilitava o atendimento e também o direcionamento dos gastos de consumo para a conta do nosso quarto. Mas se você preferir, até mesmo para ter um controle melhor do seu consumo e não ter surpresas ao final, no check out, você pode pagar o que consumir em cada local, restaurante e bar, no ato. 




Portanto, também merece deixar claro que não se trata de um resort all inclusive, ok? 

Gastronomia: a vibrante e diversificada cozinha bahamense, com ingredientes locais frescos e bem selecionados, marca sua presenta nos restaurantes do Grand Hyatt Baha Mar, com destaque, é claro, para os frutos do mar... afinal de contas, estamos no meio do Caribe em uma ilha, certo?





Provavelmente o fruto do mar mais famoso das Bahamas seja o Conch, espécie de caramujo que vive numa concha e que é preparado de várias formas. 

As frutas, em abundância na região dado ao clima tropical, também estão presentes nos cardápios bahamenses, como o abacaxi, a manda, coco, bananas, mamão, dentre outras. 




Que tal um cocktail de frutas ou um daiquiri? E se o assunto é Drink, não deixe o Rum de fora, a bebida mais tradicional do Caribe desde os tempos dos piratas. Experimente o Goombay Smash, uma combinação de rum com suco de abacaxi e coco. Ou até mesmo uma torta de rum como sobremesa, hein? 




Os restaurantes:

. 3 Tides (fechado entre janeiro e meados de março de 2018)

. Drift: um café casual ao lado da piscina que oferece as especialidades norte americanas favoritas: funciona das 10:00 até o pôr do sol, todos os dias

. El Jefe: o nome não é a toa, pois sua inspiração é mexicana mesmo. Excelente para provar algumas Margaritas com os pés na areia: funciona das 8:00 às 18:00, mas as bebidas são servidas até às 19:00

. Katsuya: para os amantes da cozinha japonesa.
Almoço: de terça a sábado, das 11:00 às 14:30 - Tuesday - Saturday
Jantar: das 17:30 às 23:00

. Royal Blue Tavern: funciona de segunda a quinta, das 11h às 18h

. The Palms: escolha um dos 12 frozen cocktails neste café – das 10h até o pôr do sol, diariamente

. Regatta Buffet: um buffet com diversos pratos à sua escolha
Café da manhã: das 7h às 11h, todos os dias
Jantar: das 18h às 23h, todos os dias

. Sandy Dog: para quem prefere um lance rápido, vai um cachorro-quente na praia? É muita mordomia, hein? Mas calma aí que são hot dogs gourmets, viu? Das 8h às 18h, diariamente.

. Shuang Ba: aprecie uma gastronomia chinesa rica e refinada em um jantar de imersão cuja experiência para te transportar para o outro lado do mundo. Das 18h às 23h, de terça a sábado

. Stix: para os fãs da cozinha asiática, um noodle bar localizado perto do Cassino também estará ao seu serviço, das 11h até a Meia noite.





Como o Stix funciona até mais tarde (repare que poucos vão até a meia noite) foi o nosso escolhido para o jantar! 




Foi maravilhoso poder matar as saudades da gastronomia asiática. Eu simplesmente amei o meu Pad Thai, um dos mais maravilhosos que já provei!




. The Swimming Pig: serve café da manhã e os favoritos de um pub, como 24 cervejas on tap.
Café da manhã das 7 às 10:30
Almoço: das 10:30 às 16:30
Jantar: das 16h às 23h
Late Night: das 23h às 7:00 (para quem quiser virar a noite acordado)



O som vindo dele estava animado e, como também fica aberto até mais tarde (lembram que disse que a gente praticamente não dormiu?? É verdade!!!), nós estivemos por lá também para conferir o ambiente e tomar um drink!





Adorei a decoração do restaurante que lembra aqueles pubs norte americanos, novaiorquinos... achei o máximo!


. Bar Noir: com decoração em P&B e 52 lugares, o bar está perto do Cassino e serve cocktails além dos petiscos bahamenses favoritos, das 11h até a Meia Noite, todos os dias



Lindo de morrer! Esse bar, no meio do Cassino, é muito fashion! Não cheguei a ficar nele, mas passei na frente várias vezes e me apaixonei por sua decoração.

. Blue Note Lounge: para os fãs de jazz, esse lounge traz em sua essência toda a inspiração do passado, harmonizando a arte bahamense com o jazz. Mixologistas apresentam suas criações, mas os clássicos também estão no cardápio, sim como aperitivos e tapas. Funciona das 16h às 2:00, todos os dias





Apreciamos um pouco das apresentações do Blue Note. Não chegamos a sentar para comer nem tomar um drink, até porque, pelo que percebi, você pode simplesmente ficar em pé ali apenas curtindo o som, deixando-se embalar pela musicalidade gostosa do jazz e blues... amei também!

. T²: para quem quiser curtir um ambiente que resgata a tradição do passado das salas para fumantes, música ao vivo e mais de 40 tipos de Rums no seu bar, fazem parte desse ambiente onde fumar é permitido. Das 16h às 2:00 da manhã, todos os dias.

. Conch Shack: localizado no píer, que tal a brisa do mar com uma salada ou um ceviche? Funciona das 10h até o pôr do sol, diariamente.

. Daqs: nenhuma férias nas Bahamas será igual sem daiquiri! Portanto, aqui será o seu local para experimentar do mais tradicional drink aos mais estilosos, perto do píer. Das 10h até o pôr do sol.

. Elixir: convenientemente localizado no deck da piscina, perfeito para pedir um um drink refrescante. Das 10h ao pôr do sol.

. H2O: diretamente na piscina, você poderá pedir as delícias locais e mais cocktails, das 10h ao pôr do sol



. The Lynden: um design sofisticado, inspirado no art déco, cocktails, whiskeys, boubons e outros drinks especiais te esperam por lá, das 11 da manhã às 4h da madrugada, de Domingo a Quinta, e das 11h às 6h da manhã de Sexta a Sábado.




. Out Island Bar: com vista incrível para o mar. Das 11h ao pôr do sol

. Reflections: vista para a piscina e o oceano, fumar é permitido. Das 11h às 02h, todos os dias.

. Bond: é a boate da casa e estava super animada quando fomos! Não pagamos entrada porque estávamos com a pulseira da estadia.



Tinha bastante gente por lá. A música era excelente e era bem engraçado observar o pessoal dançando rsrs...



. Cafés: 

- Starbucks® (para ninguém sentir falta da mais famosa rede de cafés do mundo)


- Cafe Madeleine (uma patisserie francesa com produtos caseiros)


Posso dizer que foi o ambiente mais fofo e charmoso do Grand Hyatt Baha Mar? 




Eu fiquei encantada com a riqueza em detalhes da decoração do Cafe Madeleine que me transportaram diretamente para Paris e fizeram do meu café da manhã uma experiência que foi deliciosa e inesquecível!



O café da manhã, diga-se de passagem, servido no Madeleine tem nada a ver com o café da manhã que se imagina em grandes resorts com self service. Nada disso! 


O Madeleine é uma verdadeira patisserie com produtos sofisticados, elaborados e apresentação dos pratos impecável! Vamos combinar que nada melhor do que começar o dia degustando uma salada deliciosa, um corque madame ou um croque monsieur, ou talvez um crepe ou ainda uma sala de frutas com iogurte grego... OMG!! Só de pensar, já morro de saudades dessa experiência magnífica!








Vejam só como o nosso café da manhã foi um verdadeiro brunch, uma explosão de sabores mais que perfeitos!




Se você puder passar por lá para tomar seu café da manhã ou um lanche de tarde, você não vai se arrepender. Inclusive, vale também provar seus sorvetes divinos!




Assim foi a nossa experiência no Grand Hyatt Baha Mar Nassau, que desde a sua belíssima recepção, com aquários, lustres imponentes, corredores largos, tapetes vermelhos, piscinas enormes, esbanjando muita simpatia por parte de seus funcionários, fizeram-nos sentir muito bem recebidos e, apesar de não ser o resort a nossa acomodação preferida, tivemos que morder a língua e realmente dar o braço a torcer porque este hotel proporciona uma experiência de turismo que é inesquecível! 


Por isso mesmo que, se você for a Nassau, capital das Bahamas, e desejar uma hospedagem maravilhosa, num resort completo, de frente para uma praia linda, ou seja, um ambiente completo que te fará pensar duas vezes antes de querer sair de lá para fazer qualquer outra coisa diferente.. não hesite e escolha o Grand Hyatt Baha Mar 





Já imaginou passar sua lua de mel em lugar assim? Ou até mesmo comemorar seu casamento? Quem sabe, não? Eu já quero voltar para comemorar bodas com o Julio! Porque só sei de uma coisa: todo mundo merece um momento de luxo para dar um break e esquecer os problemas da vida, certo?

Quer saber mais como foi nossa viagem pelo Caribe em 2018? Então acompanhe tudo pela Tag #apaixonadosporviagensCaribe18 

E, especificamente sobre as Bahamas, veja mais na tag #apaixonadosporviagensBahamas18



Postar um comentário

Botão do Whatsapp só funciona no celular

Digite o que procura e tecle "enter" para buscar