12 maio 2018

Colônia, na Alemanha: bate e volta bem aproveitado

Colônia, na Alemanha: bate e volta bem aproveitado

A cidade alemã de Colônia é normalmente conhecida por causa da sua imponente Catedral em estilo predominantemente gótico, uma preciosidade medieval que resistiu a muitos bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial. Mas além da Catedral, Colônia também atrai as pessoas por ser uma cidade animada, especialmente por ter o Carnaval mais famoso da Alemanha, além da sua cerveja local super apreciada, a Kölsh e, é claro, a Água de Colônia! Afinal, quem nunca aí ouviu falar da água de colônia, hein? Sabia que ela é da cidade de Colônia? Venha aqui ver tudo isso e muito mais que vamos contar para vocês sobre essa cidade fascinante!




Aproveitando a hospedagem em Bruxelas, em abril de 2013, eu fiz dois passeios no esquema bate e volta a partir da capital belga: para Bruges e para Colônia. 

Pela proximidade entre Bruxelas e Colônia, distantes apenas 220km uma da outra, o que daria algo como 2:20 de carro, mas optamos ir de trem que é, inclusive, mais rápido do que de carro. Saímos de Gare Midi, uma das estações de trem de Bruxelas e atravessamos a fronteira entre os países, entrando na Alemanha e chegando em Colônia em cerca de 1:40.

Se você nunca viajou de trem pela Europa ou se tem dúvidas, veja nossas dicas para você fazer sua viagem da melhor forma - Viagem de Trem na Europa 



Então, era início do mês de abril, mas naquele ano de 2013 o inverno foi bastante rigoroso e avançou com tudo na primavera. Eu estava crente crente que veria finalmente a primavera no Hemisfério Norte, com cidades coloridas e cheias de vida... mas me deparei com muitos dias cinzentos, muito frio e alguns momentos de chuva. 


Portanto, se você quer muito ver a primavera, as flores e pegar dias mais coloridos e com sol, minha dica é deixar para ir final do mês de abril ou meados de maio, quando a temperatura fica mais quentinha e o céu mais ensolarado. A boa notícia é que, com clima temperado, Colônia é considerada como uma das cidades mais quentes da Alemanha e seus verões prometem bastante calor, enquanto o inverno pode ser bem frio. Por outro lado, é também uma das cidades mais nubladas do país e isso nós pudemos ver na prática, porque visitamos num dia bem cinzento mesmo.




Colônia (ou Köln ou Cologne), é a maior cidade alemã do estado federal da Renânia do Norte-Vestefália, a quarta mais povoada da Alemanha, depois de Berlim, Hamburgo e Munique, e está localizada em ambas margens do Rio Reno, sendo a maior metrópole alemã e uma das principais da Europa. Fica a cerca de 45km de Dusseldorf, a 25km de Bona, próximo das fronteiras com a Bélgica e Países Baixos. 

Curiosidade: A Universidade de Colônia (Universität zu Köln) é uma das mais antigas e maiores da Europa. Portanto, espere encontrar uma cidade animada pelos jovens universitários que nela vivem.



Seus registros mais antigos remontam a um assentamento romano de mais de 2 mil anos, chamado de Oppidum Ubiorum no ano 38 a.C.

Somente no ano de 50 d.C. que o assentamento recebeu o nome de Colônia Agripina, em homenagem à esposa do Imperador Cláudio, a mãe de Nero. Com o passar dos séculos e a conversão dos bárbaros em cristãos, Colônia ganhou respaldo em Roma e foi reconhecida como cidade santa junto ao Reno, a Roma do Norte, em razão do crescente número de igrejas e grande quantidade de fiéis ao ponto de ter sido sede episcopal e ter seus Arcebispos como Príncipes-Eleitores do Sacro Império Romano Germânico. 



Durante a Idade Média, Colônia foi uma das maiores cidades ao norte dos Alpes, figurando como importante entreposto das rotas comerciais entre leste e oeste da Europa, além de ter sido um membro importante da Liga Hanseática. Uma cidade rica e próspera, com muitos comerciantes em atividade, naturalmente despertou o interesse de muitos de seus vizinhos e, por conta disso, que ela também foi alvo de várias ocupações realizadas por franceses, britânicos nos séculos que se seguiram, além de ter sido uma das cidades mais bombardeadas durante a Segunda Guerra Mundial o que fez reduzir sua população em 95% e destruiu quase toda a cidade. 

Toda essa sua história milenar de Colônia, que contamos brevemente aqui em poucas linhas, levou a muitos crerem que se trata da mais antiga cidade alemã. Porém, como muitos documentos do passado se perderam, esse título hoje em dia, de cidade mais antiga da Alemanha, é atribuído Trier.

Aproveite para conhecer também Trier na sua viagem. Clique aqui e veja nossa sugestão de roteiro. 

Inclusive, havia uma importante Estrada Romana que ligava Colônia a Trier no século IV, que foi parte da Via Agripa, uma rede de estradas de longa distância, que começava em Lyon. A seção de Augusta dos Tréveros (Trier) a Colônia Cláudia Ara Agripinênsio (Colônia), a capital da província romanda da Germânia Inferior, tinha uma distância de aproximadamente 147km. 




Na época, eu estava com meus pais e fomos de trem. Achei super prático mesmo. Viagem rápida, trem confortável e, ao chegarmos em Colônia, a alegria de desembarcar na principal estação de trem, a Hauptbahnhof (HB), que fica ao lado literalmente do maior símbolo da cidade, sua Catedral! Isso facilita tudo, não acham? Você já sai da estação olhando para cima e admirando as torres da Catedral.




Portanto, super indico de verdade que vão de trem! Além de tudo, a experiência de andar de trem na Europa é inesquecível!

E já que a grande estrela da cidade, a atração que nos atraiu até é a sua Catedral, vamos falar um pouco sobre ela?


A Catedral de Colônia, a Kölner Dom (em alemão), é uma igreja católica em estilo gótico dedicada a São Pedro e à Virgem Maria, sede do arcebispo católico, localizada na Domkloster 4. Seu nome oficial, em alemão, é Hohe Domkirche St. Peter und Maria.


Enquanto igreja católica mais famosa da Alemanha, a Catedral de Colônia recebe uma média de 20 mil pessoas todos os dias e foi declarada como Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1996.

 

Sua história começou em 1164, quando o imperador germânico Barba Roxa saqueou a cidade de Milão, na Itália, levando os supostos restos mortais dos Três Reis Magos, aqueles mesmos que visitaram Jesus recém nascido em Belém, levados pela estrela guia na noite de Natal.

 

O imperador tomou consigo essas relíquias para a cidade de Colônia. A notícia naturalmente espalhou-se e a cidade foi transformada em palco de fortes peregrinações de fiéis, fazendo-se necessária a construção de uma igreja de grande porte para recebê-los em suas romarias. Roma, Santiago de Compostela e Colônia eram os 3 lugares de mais intensas peregrinações católicas durante a Idade Média.


Assim, inspirada na arquitetura da catedral de Notre-Dame de Amiens, na França, a construção da Catedral de Colônia iniciou-se em 1248, no século XIII, mas, por falta de verbas, os trabalhos foram interrompidos inúmeras vezes, lembrando que, em 1288, Colônia ganhou sua independência dos arcebispos e tornou-se uma Cidade Imperial Livre até ser integrada ao Império da Prússia, séculos à frente.


Foram cerca de 630 anos para a conclusão da Catedral de Colônia!! Somente em 1842, com o apoio financeiro da corte prussiana e da própria população que houve maior empenho para finalizá-la, o que veio a ocorrer em 1880, com a conclusão das suas torre, já sob o reinado de Guilherme I da Prússia.

Concluída, a Catedral de Colônia, no século XIX, era o edifício mais alto do mundo, com suas torres medindo 157 metros. Hoje em dia, contudo, ela apenas ostenta o título de segunda igreja mais alta da Alemanha, perdendo para a de Ulm, construída em 1890, além de ser também a terceira mais alta do mundo.


A principal dica, ao chegar na na praça da catedral, é contemplá-la! Não vá direto ao bote, não entre na correria! Calma! Ela pede calma para que você consiga absorver um pouco da sua grandiosidade. Sua altura realmente impressiona e observe os andaimes ao redor dela que estão lá porque ela precisa de constante trabalho de restauração, especialmente em função da erosão que sofre por conta das chuvas, poluição, até mesmo fezes dos pássaros... tudo isso danifica bastante sua estrutura, sem contar os mais de 20 milhões de turistas e fiéis que a visitam ao longo do ano, o que contribui bastante para para sua deterioração. Para vocês terem ideia, os custos de manutenção da Catedral giram em torno de 10 milhões de euros por ano!


Magnânima que só, a Catedral sobreviveu a 2 Guerras Mundiais e a um severo bombardeio durante a Segunda GM, quando foi atingida por 14 bombas!! Gente... isso é muita coisa! E ela manteve-se de pé.


Obviamente que sofreu danos graves na sua estrutura e durante os anos 1950 e 1960 foi gradativamente restaurada. Não é a toa que a Catedral de Colônia é considerada como o prédio sacro mais famoso da Alemanha!

Agora sim... você chegou, observou a Catedral do lado de fora, deu a volta para entender sua arquitetura, suas fachadas (e que volta! prepare-se para uma boa caminhada porque ela é gigante)... pronto, agora eu te deixo entrar!
 



 

Caminhe devagar pela nave central e olhe o teto, as capelas nas laterais, o órgão, os vitrais...  permita-se um momento de silêncio, faça uma oração...

 

Imagine como ela foi construída com a escassa tecnologia medieval! Pensem que ela inteira possui 6.900 m² de área, incluindo 5 naves e 7 capelas, sendo que as duas naves principais, dispostas em formato de cruz latina, possuem 43 metros de altura, e os mais de 10 mil m² de vitrais coloridos dão um espetáculo à parte, uma verdadeira obra de arte do estilo gótico que representam imagens das histórias do Velho Testamento. Seu coro, com 104 bancos de carvalho, é o maior da Alemanha.

 

O ponto alto da visita ao seu interior não poderia ser outro senão o sarcófago com as relíquias dos Reis Magos, onde estão supostamente guardados os seus ossos. A urna mede 1,10 m e tem 2,20 m de comprimento, protegida por uma redoma de vidro, localizado na parte de trás do altar. Trata-se de uma verdadeira obra prima da ourivesaria medieval, do século XII, mais precisamente, construída em 1181 pelo artesão francês Nicolas de Verdun, sendo coberta por prata folheada, ouro e centenas de pedras preciosas. É o maior sarcófago da Europa!


Para facilitar sua visita, se preferir, uma dica é comprar o folheto informativo dentro da Catedral. Normalmente ele está disponível em inglês e espanhol, além de alemão, é claro.


A Catedral de Colônia está aberta todos os dias, de novembro a abril, das 6h às 19:30, e de maio a outubro, das 6h às 21h. Para entrar na Catedral não se paga, mas se desejar visitar a Câmara do Tesouro, aí sim terá que pagar algo em torno de 10 euros. Eu não fiz essa visita à Câmara, mas fiz outra que me interessava muito mais: venci o frio e a preguiça e subi os mais de 500 degraus para chegar em uma de suas torres!!

 

Sim! Eu fui inclusive sozinha porque meus pais pediram arrego e não quiseram encarar tantos degraus, numa subida bastante claustrofóbica (já fica aqui o alerta para quem não se sente bem em lugares fechados, estreitos e houve momentos, durante a subida, como é uma via de mão única, em que eu tinha que grudar na parede para que outra pessoa pudesse passar do meu lado).


Seria super tranquilo se não fosse uma via de mão única, uma subida em caracol, com muitas curvas. Logo, se você não se sente bem em lugares assim, apertados e estreitos, se tem problemas com labirintite ou alguma outra fobia, melhor nem arriscar.


Como eu sou a louca das vistas panorâmicas e estava me acabando com os chocolates belgas kkkk... eu achei o desafio merecido para ganhar créditos para comer mais chocolates e para poder ver a cidade do alto!

Nossa... e que recompensa, viu? Super valeu a pena! Apesar do dia mais nublado e cinzento, eu juro que faria de novo! Subiria novamente para poder contemplar a cidade do alto. 

Se você tiver uma boa câmera com zoom, fará a festa com fotos como estas que tirei de lá. 




A subida até a Torre da Catedral é paga e tem horário de funcionamento. De março a abril, época que fui, era das 09:00 às 17:00, e custava 2.5 euros. A subida fica do lado de fora da Catedral, perto da entrada principal. São 100 metros de altura, 533 degraus, com subida em caracol e, como recompensa, uma visão inesquecível da cidade.
 
 


E como Colônia não tem só a Catedral a oferecer, apesar de ser o principal motivo que leva a todos nós incluirmos esta cidade no nosso roteiro de viagem, vamos mostrar um pouco mais para vocês. Lembrando que eu estava com meus pais, adaptei um roteiro que fosse mais light para eles acompanharem, especialmente em relação a museus. Infelizmente, quando fazemos viagens muito longas (neste caso em especial, a viagem foi de 28 dias, em 2013), às vezes temos que abrir mão de uma ou outra coisa para não ficar tão cansativo, ainda mais a depender do tipo de passeio. 




Como fomos à Colônia no esquema daytrip (bate e volta a partir de Bruxelas) foquei na Catedral, na sua visita e em passear pela cidade, contemplar um pouco, além de fazer algumas comprinhas e experimentar a cereja Kölsh, claro!


Seguindo então nossa sugestão de roteiro para um 1 de passeio em Colônia, tão visível quanto a Catedral, a Igreja Groß Sankt Martin, na Altstadt, bem como a St. Maria im Kapitol, de 1065, inspirada na Igreja da Natividade de Belém, valem a visita.   
 
 

 


Visitei as principais igrejas do centro histórico que são bem fáceis de achar até porque, praticamente em frente à Catedral de Colônia, há umas 3 igrejas grandinhas. 




E visitei também a que fica bem de frente para o rio Reno. Mas não vá tão cheio de expectativa, especialmente se você fizer como eu fiz e for logo visitando a Catedral porque essas outras igrejas em nada se comparam à Catedral.


Agora, se você não for tão  fã assim de um turismo religioso e arquitetônico medieval, seguem outras sugestões de passeios contemplativos pela cidade. 



Na Town Hall, por exemplo, localizada na Rathausplatz 2, você poderá observar a fachada renascentista de 1569 da Prefeitura, que é bem bonitinha. Não sei vocês, mas eu curto bastante este estilo arquitetônico bem típico da Alemanha.




Provavelmente, como quase tudo na cidade, a prefeitura também foi muito destruída durante a 2ª GM, mas a restauração foi tão perfeita que fica difícil distinguir o que é novo do velho, a não ser quando o estilo arquitetônico é bem moderno mesmo. 





Outra sugestão para incrementar seus passeios pela cidade é dedicar-se a um circuito mais cultural e artístico, já que a cidade de Colônia, importante centro cultural, conta com cerca de 36 museus e mais de 100 galerias de arte!!



Museu de Arte Moderna e Contemporânea da cidade, que é Museum Ludwig, abriga uma coleção de arte do século XX, com acervo que inclui Picasso, Dali, entre outros. Localizado ao lado da Catedral, na Heinrich-Böll-Platz, ele funciona de terça a domingo, das 10h às 18h, e toda primeira quinta do mês, com horário diferenciado, das 10h da manhã até às 22h. Custa 12 euros a entrada. Eu até cheguei a entrar no Museu Ludwig, até porque fica no caminho para chegar na pracinha onde começa a ponte. Mas não me animei a fazer a visita, pois as exposições em cartaz eram muito pós modernas para o meu gosto... e isso é algo realmente pessoal, mas não é o tipo de arte que me agrada tanto.


O Museu de Arte Medieval abriga um acervo de arte que abrange este período até o Século XIX.  Em alemão, o Wallraf-Richartz-Museum está localizado ao lado da Town Hal, bem em frente à praça da Prefeitura Rathaus Platz na Obenmarspforten, funciona de terça a domingo, das 10h às 18h, e às primeiras e terceiras quintas do mês, das 10h às 22h. Custa 9 euros a entrada.

E tem também o Museu do Chocolate, chamado de Schokoladen Museum (https://www.schokoladenmuseum.de/en/), localizado na Am Schokoladenmuseum 1A, que deve ser uma visita interessante, mas nós dispensamos também até porque já tínhamos dispensado o Museu do Chocolate de Bruges. Sei lá... acho que chocolate me interessa mais entrar nas lojas e sair provando os sabores rsrs... acho mais válido entrar em uma loja da Godiva, por exemplo, e fazer degustações, do que ir ao museu. Porém, mais uma vez, isso é pessoal, viu? Se vocês forem lá no Museu do Chocolate e descobrirem que super valeu a pena e eu perdi, venham me contar como foi a experiência. Pode ser uma boa opção de passeio para quem estiver com crianças.

Em todo caso, o Museu é facilmente alcançado por uma caminhada, a partir da Catedral, seguindo pelo rio, depois de passar pela ponte Deutzer Brücke. A entrada custa 11.50 euros e abre de segunda a sexta, das 10h às 18h, e sábado, domingo e feriados, das 11h às 19h. 



Outra caminhada que eu recomendo que façam é a travessia dos 409 metros de extensão da Ponte Hohenzollern, uma ponte em arcos que conecta a Hauptbahnhof (principal estação de trem da cidade) com a estação de Köln-Messe, cruzando o rio Reno. A ponte, que foi construída entre 1907 e 1911, foi destruída durante a Segunda Guerra Mundial pelos próprios alemães com o intuito de evitar a invasão das tropas aliadas na cidade de Colônia. Após sua reconstrução, foi aberta em 1948 somente para pedestres. Hoje em dia, pedestres e trens dividem os espaços da ponte que recebe mais de 1.200 trens diariamente. 



Verdadeiro cartão postal da cidade, é impossível não notar a quantidade de cadeados ao longo dela! Promessas, juras de amor, e muitas histórias que certamente deixaram suas marcas nesta ponte. Curioso é que esse movimento de colocar cadeados nela começou em 2008.  

Não... eu não deixei nenhum cadeado lá com meu nome e do Julio rsrs... Mas se você quiser deixar o seu lá, o ritual mais comum é gravar o cadeado com as iniciais dos amantes e apaixonados, pendurar o cadeado nas grades entre a calçada e os trilhos do trem e jogar a chave no rio. Em tese, isso representa o comprometimento de um amor duradouro. 





Apenas atravessei a ponte, contemplei a vista e de vez em quando eu parava para ver um ou outro cadeado que me chamava atenção pelo formato ou texto. Super vale a pena parar alguns minutos para observá-los. Alguns são meio bizarros até... outros são engraçados. 

Do outro lado da ponte, a vista que se tem da Catedral é linda e rende belas fotos que são verdadeiros cartões postais.




Se o dia estiver agradável, aproveite para fazer uma pausa à beira do Rio Reno para comer salsichão com salada de batatas... super típico deles! Eu dispensei por causa do frio. Ainda, aproveitando a caminhada às margens do Reno, outra opção de passeio é o de barco




Também não fiz porque achei melhor caminhar por ali, atravessar a ponte, curtir a paisagem e me esquentar kkkk... De todo modo, fica aqui como sugestão a empresa Köln Tourismus que faz o passeio de barco, localizada na Rheingarten/Köln Porz. Na época que fui, custava uns 10 euros por pessoa e havia várias saídas durante o dia, entre às 10h e às 15h. 


Vamos falar de comprinhas? Se tem algo que vocês não podem deixar de comprar em Colônia é a sua famosa fragrância: Água de Colônia! 


 

O Perfume Água de Colônia é originário da cidade Colônia e uma loja bacana para você visitar é a da marca 4711, que fica no início da rua Hohe Strasse. 


A verdade é que a Hohe Strasse é o principal endereço de compras na cidade de Colônia, além de ser uma das ruas de pedestres mais antigas de toda a Alemanha. Nela, se você estiver com alguns $$ sobrando e quiser fazer umas comprinhas, poderá encontrar marcas como Zara, H&M, Sfera, bem como lojas de sapatos... ôôôhhhh tentação!! Sim, repleta de lojas e beeeeem pertinho da Catedral, ou seja, fácil de achar, de se perder nas lojas e de ficar um pouco mais pobre kkkk... Nessas horas, só Nossa Senhora do Cartão de Crédito para nos proteger mesmo, viu?


Mas bora focar na Água de Colônia! Pelo menos esta você, mesmo que não goste tanto desta fragrância, acho legal comprar como lembrança. Nesta loja da Hohe Strasse, você encontrará todos os subprodutos da marca. Como fica praticamente em frente à Catedral, é claro que entrei nela, né? Afinal, ir à Colônia e não comprar a Água de Colônia, não dá!!! 

Bem, a fragância em si tem nada de muito especial para os dias de hoje. É tipo uma lavanda, um perfume mais fresco, quase como uma espécie de body splash, sem grande fixação. Mas vale a recordação e a importância histórica do perfume. 

A água de colônia original, da firma Farina Gegenüber, foi criada pelo italiano Johann Maria Farina (1685-1766), no início do século XVIII. À época, foi uma grande novidade por ser uma fragrância fresca, suave, com notas cítricas e florais, confrontando os aromas fortes que existiam. E foi graças a isso que Colônia, entre os séculos XVIII e XIX, foi reconhecida como Cidade da Fragrância. 

Com o passar do tempo, outras fábricas passaram a produzir a famosa água, como é o caso da Colônia 4711, instalada em 1804, cujo nome deve-se ao seu endereço, na rua Glockengasse 4711. Assim, popularizando o produto, colônia acabou sendo relacionado, de forma genérica, a qualquer água de toilette. Mas a água de colônia mesmo, a verdadeira, é unicamente fabricada na cidade de Colônia pela Farina Haus, na Obenmarspforten 21, e pela 4711 Haus, na Glockengasse 4711.


A loja que eu visitei foi a da 4711. E a boa notícia é que ela voltou a ser vendida no Brasil nos últimos anos. Agora, se você quiser fazer uma imersão mais profunda na história da colônia, uma sugestão é visitar a sua sede, no número 4 da Glockengasse. 



A promessa é de que esta visita vai te levar a um fascinante passeio pela história da cidade, com a possibilidade de conhecer o museu, localizado no segundo andar do prédio, que abriga fotos, pôsters de propaganda e antigas embalagens do perfume. Vitrines colocadas no chão exibem frascos encontrados após a guerra, nas ruínas de casas bombardeadas.

Outra rua que está mais na moda em Colônia, se você tiver um tempo e$$$tra  na cidade, é a Ehrenstrasse, repleta de novas lojas de roupas, além da padaria Zimmermann, fundada em 1875, onde você poderá comprar o doce Schnenke, outra iguaria local. O bairro belga, conhecido como Belgisches Viertel, também abriga muitos artistas e pode ser uma boa pedida para quem gosta de explorar mais o turismo gastronômico da cidade, deliciando-se por seus cafés, restaurantes e mais lojas interessantes para compras. 

Por fim, até porque depois de tantas caminhadas, de subir tantos degraus, nada mais justo do que terminarmos o dia saboreando as iguarias clássicas da cidade, certo? E fomos de Kölsh com salsichão!

E onde fomos? Na tradicional Cervejaria Cölner Hofbräus Früh, que há mais de 100 anos fabrica a cerveja típica da cidade, a Kölsh. No edifício ao lado da Catedral, rua Am Hof 12, mais de 40 milhões de litros são vendidos por ano. 
 

Todavia, infelizmente, a cervejaria original não sobreviveu ao bombardeio durante a 2ª GM. Teve que ser reconstruída.

Hoje em dia, além da cervejaria, há também um restaurante. A cerveja custa em torno de 2 euros e a casa funciona de segunda a domingo, das 8:00 às 24:00. Um típico café da manhã é servido das 8:00 às 11:00. 


Atenção: a casa é tão tradicional que nós tivemos um probleminha com o atendimento. Os garçons que me atenderam só falavam somente alemão. Afffeee... bem, eu que não falo alemão, tive que me virar um cadinho "nos 30" e consegui me fazer entender sem errar o pedido. Afinal, pedir cerveja Kosch, linguiça e chucrute não é tão difícil!!! rsrsrsrs... porém, se eu quisesse algo mais diferentinho, estaria lascada. Portanto, fiquei no básico mesmo.



Conclusão: a experiência foi super válida! E a Kölsh passou no teste. É uma cerveja leve, saborosa, que deve cair muito bem no verão, em dias quentes. 


Outra casa famosa na cidade que não deu tempo de conhecer, boa para tomar uma cerveja é o Braustelle, uma micro-cervejaria e pub que funciona como ponto de encontro, no distrito de Ehrenfeld, onde a pedida é a Helios, uma releitura feita pela casa da cerveja local, embora não seja filtrada. Ou uma Alt, preparada nos moldes feitos pela cidade de Düsseldorf. 

Bem... mas você não é tão cervejeiro assim ou já está viajando pela Alemanha há mais tempo e queria provar algo diferente... temos aqui outra boa dica: que tal experimentar os vinhos locais? Essa região do Rio Reno também é famosa por suas vinícolas, algumas das mais queridinhas da Europa. Aproveite então para degustar os melhores na Wein am Rhein, onde há mais de 20 safras de Rehingau, Rheinhessen, Mosel e outros terroirs do Velho Mundo disponíveis em taças. 


 

E foi assim a nossa experiência pela cidade de Colônia, uma cidade que rende um ótimo passeio durante um dia inteiro ou até mais (viram a quantidade de coisas que eu não fiz??). Daria para ficar tranquilamente dois ou três dias explorando a cidade, observando a sua reconstrução tão bem sucedida após a Segunda Guerra Mundial, com uma paisagem urbana mista, única, repleta de história e de marcos significativos. 



E se você for durante o Carnaval, vai aproveitar muito mais o mais famoso, louco e animado carnaval alemão que, desde 1823, com a fundação da primeira Associação Carnavalesca na cidade, vem atraindo multidões de foliões fantasiados com muita irreverência e disposição para curtirem os dias de festa, que coincidem com o calendário mundial para o carnaval. 

DICAS PARA A ALEMANHA:

. Gorjetas são absolutamente voluntárias, adicionalmente ao pagamento. Se resolver dar, que seja pelo menos 0,50 euros. Porém, em restaurantes de alto nível, a gorjeta deve corresponder ao consumido.

. Ao fazer compras em mercado, você mesmo deve ensacolar os produtos. Como regra, sacolas plásticas são cobradas à parte. Se você já tiver sua sacola, tanto melhor. Eles têm bastante consciência ambiental quanto a isso.

. Usando os elevadores: Ground Floor é o botão “E”, que seria o nosso Térreo. Logo vem o primeiro andar (1), e assim em diante. Subsolo é designado por “U” ou “K”.

. Na Renânia, fumar não é permitido dentro de restaurante, exceto se houver um ambiente separado destinado a fumantes.

. Cartões de crédito são bem aceitos, principalmente Master e Visa. Porém, há alguns supermercados que aceitam apenas o Maestro Card alemão.

. Inglês é frequentemente compreendido e falado, principalmente pelos jovens.

. O passaporte não é requerido para conferência entre os países: Alemanha, Luxembourg, França, Holanda e Bélgica. Eles integram o Tratado de Schengen. Mas é recomendado estar sempre com seu passaporte original em viagens de trem entre países diferentes.


DICAS PARA O CARDÁPIO ALEMÃO 

Geralmente, em grandes cidades alemãs, já o cardápio vem com tradução para o inglês. Porém, no meu caso ao visitar a Cervejaria Cölner Hofbräus Früh, se eu não tivesse um pouco de conhecimento sobre os pratos, teria bastante dificuldade. Portanto, fica aqui a dica para quem desejar entender um pouco sobre os pratos típicos alemães.

1) Saladas Frescas = Frische Salate: 

. Kleiner gemischer Salatteller mit Hausdressing (salada mista com molho da casa)
. Großer bunter Salatteller mit Rohkost und Blattsalaten, mit gebratener Putenbrust und frischen champignons (salada grande misturada com vegetais crus e salada verde, peito de peru assado com cogulmelos frescos) 
. Blattsalaten (salada verde, só alface, rúcula, e outros)
. Großer bunter Salatteller mit Rohkost und Blattsalaten, mit gebratener Spanaferkelkoteletts (salada grande, mista com vegetais crus e salada verde, com costelas de porco assado). 
. Großer Salatteller na frischen Rohkost und Blattsalaten, Käse und Kochschinkenstreifen und Ei (salada grande mista de vegetais crus frescos, salada verde, queijo e tiras de presunto cozido e ovo) 
. Großer Salatteller na frischen Rohkost und Blattsalaten, Oliven, Hirtenskäse, Thunfisch un Zwiebeln (salada grande de legumes crus frescos, salada verde, azeitonas, queijo de cabra, atu e cebola)
. Grosser Salatteller mit saftigem Rumpsteak und Tomaten-Chilli und Salsa (salada grande com bife de picanha, tomate, pimentão e salsa)
. Bratwürste mit Soße und Brot (salsinhas com molho e pão) 
. Rukkolasalat mit Oliven-Zitronendressing, zweielei Schinken, Parmesan (salada de rúcula com azeite de oliva, vinagre de limão, presunto e queijo parmesão)
. Rehterrine mit Orangen-Johannisbeersoße, Maronen-Kübissalat (terrina de carne de veado com molho de laranja, groselha, salada média de abóboras) 
. Kartoffelsalat (salada de batatas, temperada com pepino em conserva, cebola e maionese fresca)

2) Pratos Principais = Hauptgerichte  

. Putenbrustmedaillons (medalhões de peito de peru)
. Schweinefilet (filés de porco), geralmente servidos com Champignonrahmsauce (molho de champignons) ou com Pfefferrahm (molho de pimenta)
. Spätzler (nhoque mais comprido, servido com molho de manteiga e com queijo ralado)
. Schweinshaxe (joelho de porco), servido com Sauerkraut (chucrute) e batatas.

3) Filés: 

. Schweinfilet (filé de porco)
. Rindfilet (filé de boi)
. Kalbfilet (filé de bezerro)
. Lammfilet (filé de carneiro)
. Hirschfilet (filé de veado)

4) Schnitzel = Filé empanado de porco 

. Schnitzel Wiener Art: Schnitzel mit Pommes Frites und Kleinem Salatteller (file de porco empanado estilo vienense, com batatas fritas e salada pequena)
. Schnitzel Zigeuner Art: Schnitzel na frischer Zigeunersauce mit Pommes Frites und Kleinem Salatteller (file empanado de porco tipo cigano, bife com molho fresco de cigana com batata frita e um prato de salada pequena)
. Shcnitzel Champignon-Rahm, Schnitzel na frischer Champignonrahm-Sauce mit Pommes Frites und Kleinem Salattteller (file empanado de porco com crème fresco de cogumelos e batata frita, com pequeno prato de salada)

5) Batata Assada = Folienkartoffel  

. Folienkartoffel mit Kräuter-Knoblauchdip, Räucherlachs und Kleinem Salatteller (batata assada com ervas e alho, salmões defumados e prato de salada pequena)
. Folienkartoffel mit gebratenen Putenbruststreifen, Kräuter-Knoblauchldip und kleinem salatteller (batata assada com tiras de peito de peru assado, alho com ervas e um prato pequeno de salada)

6) Flammkuchen = massa tipo pizza, mais fina 

. Mit Schinkenspeck und Lauchzwiebeln (com bacon e alho-poró)
. Mit Thunfisch und Zwiebeln (com atum e cebola)

7) Pratos com peixe = Fischgerichte 

. Lachssteak: Gedünstetes Lachssteak auf Gemüsereis mit Kräutersauce (filé de salmão em posta, cozido, arroz com vegetais e molho de ervas
. Spaghetti mit gebratenen Krabben in Sahnesauce (espaguete com camarão frito com molho de nata)

8) Für den Kleinen Hunger = para pequeno apetite 

. Bockwurst mit Brötchen (salsicha cozida com pão)
. Currywurst mit Brötchen (salsicha com pão e molho curry)
. Currywurst mit pommes frites (salsicha com pão e molho curry, batatas fritas)
. Pommes Frites (batatas fritas)
. Chicken Nuggets
. Weisswurst mit Bretzel (lingüiça branca com pãozinho típico da Alemanha, que lembra o Pretzel americano.

9) Cafés, chás e especialidades com cacau = kaffee und kakaospezialitäten  

. Tasse Creme Kaffee (taça de café com creme)
. Grosse tasse Creme Kaffee (taça grande de café com creme)
. Milchkaffee (café com leite)
. Tasse Kakao mit Sahne (taça com chocolate com creme)
. Tasse Kakao ohne Sahne (taça de chocolate sem creme)
. Grosse tase kakao mit sahne (traça grande com chocolate e creme)
. Tee (chá)

10) Sucos =  Säfte  

. Tomatensaft (suco de tomate)
. Roter Traubensaft (suco de uva vermelha)
. Kirchsaft (suco de cereja)
. Apfelsaft (suco de maçã)
. Bananensaft (suco de banana)
. Orangensaft (suco de laranjas)

11) Bebidas = Getränke 

. Mineralwasser (mit oder ohne kohlensäure) = água mineral com ou sem gás
. Apfelschorle (refrigerante de maçã)
. Wein – rosé, Weiss, Rot (vinho – rose, branco, vermelho)
. Weissbier (cerveja de trigo) 

Postar um comentário

Botão do Whatsapp só funciona no celular

Digite o que procura e tecle "enter" para buscar