sexta-feira, 19 de maio de 2017

Por que Barbados? GUIA, ROTEIRO COMPLETO, PASSEIOS e DICAS!

Decidir um destino para passar as férias passa por diversos fatores até escolhermos aquele que mais nos interessa, certo? E não foi diferente com esta ilha caribenha, chamada Barbados!




Alguns bons motivos fizeram despertar em mim o desejo de visitar Barbados:

- Ser uma ilha caribenha com boa infraestrutura e fácil acesso para chegar com voos saindo do Rio de Janeiro, com a Avianca, que foi a minha escolha, e também com outras companhias aéreas, como a American Airlines (neste caso, precisa de visto americano). E o melhor: você não precisa voar com nenhum teco teco para chegar nela! Tudo é feito com muita segurança e é bem cômodo chegar lá.



- Eu já estava com saudades de visitar o Caribe, uma região que oferece muitas oportunidades de diversão e descanso e que ainda pouco explorei. Na verdade, só estive por lá duas vezes antes, em 2014, quando fui a Los Roques, que é o caribe venezuelano, e em 2015, quando visitei Aruba e Curaçao, que é o caribe das Antilhas Holandesas, pertencente aos Países Baixos.



Confira aqui os guias destes destinos:


- O mês que eu tinha escolhido para tirar férias e poderia contar com companhia para viajar seria maio, que é ótimo para passear pelo Caribe, como um todo, por ser uma época mais seca, sem muita incidência de chuvas, além do principal: fora da rota dos furacões, que acontecem mais no segundo semestre do ano, principalmente entre os meses de outubro e novembro (foi a tendência dos últimos anos). Não que isso fosse um problema para visitar Barbados que, assim como os demais países que eu visitei antes, está fora do cinturão de furacões do Caribe. Isso significa que será bem atípico e bem raro passar um furacão perto de Barbados. Porém, se houver um furacão das imediações, isso pode sim afetar seu clima, com chuvas, muitos ventos ou poucos ventos... enfim, algo semelhante que vivi em Aruba quando lá estive, bem na época em que passava um furacão em Cuba e que mexeu um pouco com o clima da ilha por pelo menos uns 2 dias.




- Há alguns anos eu já estava curiosa para conhecer esse destino, principalmente quando em 2014 o governo anunciou que apoiaria os turistas para justamente incrementar o turismo na ilha, dando cerca de 200 ou 300 dólares americanos em passeios e serviços para estimular a ida de mais pessoas. Acho que deu certo, viu? Porque desde então eu tenho visto mais gente falando sobre Barbados. Mas antes que vocês se animem em visitar a ilha por conta desse presentinho do governo, adianto logo que isso já não vale mais rsrs... eu bem que queria! Todo usd é bem vindo, não é mesmo?




Praias caribenhas de areias brancas e fininhas, mar azul turquesa calmo, contrastando com praias do Oceano Atlântico, cavernas, passeios de barco, de submarino, de carro, música, muito rum, muitas cores, carnaval, gente animada, festas, influência inglesa da sua colonização, idioma oficial o inglês, muita história... tudo isso e muito mais fizeram de Barbados o destino da vez!



Vejam abaixo como ficou o ROTEIRO e acompanhem as dicas de nossa viagem, que recebeu apoio da GVA – Global Vision – que representa no Brasil o órgão Visit Barbados, por meio da hash tag #LilySyTattyemBarbados, que já conta com várias fotos, vídeos e dicas incríveis desta viagem que fiz com as amigas Tati (do instagram @tattytoptrips) e a Sy (do blog e instagram Viajando com Sy). A aventura conta com o apoio dos hotéis, alguns passeios e restaurantes.



ROTEIRO BARBADOS: de 29/04 a 06/05

Observação sobre os hotéis: os 3 hotéis em que ficamos hospedadas não tinham elevadores, mas somente escadas. Se você tiver alguma restrição motora, veja direitinho isso antes de fazer sua reserva e peça, se for o caso, um quarto no andar térreo, mais baixo possível. No nosso caso, não tivemos problemas porque sempre havia alguém do hotel para nos ajudar a carregar a bagagem e, de brinde, ficando nos quartos mais altos, a gente ganhava uma vista incrível para a praia. Portanto, tudo tem seus prós e contras.

--> 29/04 - CHEGADA EM BARBADOS (clique aqui e leia como foi voar com a Avianca para Barbados) - hospedagem no Southern Palms Beach Club Barbados + jantar no hotel às 21h, onde fomos recebidas pela Britta Pollard, que é Managing Director - convite




SOUTHERN PALMS BEACH CLUB: nota 8,2 no Booking.com (com 35 comentários) / nota 4,5 no TripAdvisor com quase 1.000 comentários
endereço: Saint Lawrence Gap, Saint Lawrence, 15017 Christ Church, Barbados
telefone: +1 246-428-7171



HOTEL SOUTHERN PALMS BEACH CLUB BARBADOS



--------------------------------------------------------------------------------------------------

--> 30/04 - Hospedagem no Southern Palms Beach Club & Resort Barbados --> Passeio com o Atlantis Submarine às 10:00 (pick up time às 9:00 no lobby do hotel - 10usd por pessoa pelo transfer ida e volta - contato por email: Leeanne - convite) + curtir o hotel e a praia Dover (na frente do hotel) assim como a Maxuell +  jantar às 19:00 no Blakey's (proprietário: Fabian - convite)






- ATLANTIS SUMARINE: http://barbados.atlantissubmarines.com/ - o submarino comporta até 48 passageiros e a experiência de descer quase 130 pés (mais ou menos 40 metros de profundidade!) foi bem diferente. Adoramos o convite e pudemos ver de perto a vida marinha de Barbados, naufrágios, muitos peixinhos e corais. O passeio leva cerca de 1h, com opção de transfer para o hotel, e custa em torno de 100 usd para adulto. Para quem não mergulha com cilindro, é sem dúvidas uma experiência super diferente! No início, parecia até uma montanha russa descendo, de tão inclinado kkk... foi divertido.









- Restaurante BLAKEY'S: Highway 7, Bridgetown, Barbados (localizado no The Boardwalk)
. distância entre o Blakey's ao Southern Palms: 10 minutos de carro - 4km
. TripAdvisor: com Certificado de Excelência, nº 5 dentre 35 restaurantes em Hastings, nota 4 (corresponde ao 8) e cerca de 690 avaliações

O restaurante Blakey`s surpreendeu com seu ambiente descontraído, música muito boa (música ao vivo às sextas, sábados e domingos na baixa temporada, que começa agora, de meados de Abril até Novembro), comida bajan deliciosa (comida típica de Barbados), com muita cor e muito sabor, além de drinks com Rum, porque o Rum não pode faltar aqui! Não deixem de experimentar o bolinho de flying fish, que é peixe voador, verdadeiro símbolo da gastronomia barbadiana!







- DOVER BEACH: localizada na costa sul - oeste (mar do caribe), é bastante badalada e fica na região de St. Lawrence Gap, onde há vários bares e restaurante. É uma das preferidas pelos turistas e apresenta infraestrutura que é formada basicamente pelos bares dos hotéis que ficam de frente para a praia. Mesmo que não seja hóspede de um desses hotéis, há a possibilidade de aluguel de espreguiçadeiras e barracas de praia.




- MAXUELL BEACH: logo após St. Lawrence Gap, ou seja, logo depois da Dover e antes do Hotel Turtle Beach, seu acesso é feito por meio de uma pequena viela que você mal enxerga. A praia é linda, sossegada, quase exclusiva, com um azul lindo caribenho que todo mundo quer ver e tem um coqueiro no meio dela (espero que ele não caia!) que é super fotogênico. Foi uma das minhas preferidas e acaba sendo mais frequentada pelos hóspedes dos hotéis à beira mar. Se você estiver pela Dover, aproveite e caminhe até lá. Até dá para ir pelo mar a partir da Dover (siga pelo canto esquerdo da praia - olhando o mar na sua frente, vá para o canto esquerdo), mas fique atento às pedras. É um trecho mais selvagem de praia, sem serviços e, durante a maré alta, mal sobra areia para colocar suas coisas. O ideal é visitá-la na maré baixa para curtir mais e evite o canto esquerdo dela onde há muitas pedras!


----------------------------------------------------------------------------------------------------

--> 01/05 - CHECK IN no Yellow Bird Hotel - DIA LIVRE - FERIADO (passeios pelas praias da região) - Caminhamos a partir do hotel, na praia que está na sua frente, e passamos pela Worthing Beach, Crystal Beach e chegamos na Accra Beach. De lá, pegamos uma van, que custou 1 usd, e fomos até a Peebles Beach (descemos em frente ao hotel Radisson Aquatica Resort e do Hilton Barbados Resort) e caminhamos por toda a Carlisle Beach, passando pela Brownes Beach, até chegar no Boatyard Club (um bar, restaurante, com música e festa). 







Era feriado, a Carlisle Bay estava muito cheia, com muitos eventos em comemoração do Dia do Trabalho, e o tempo acabou ficando nublado ao chegarmos por lá. Foi engraçado porque eu me sentia um ET kkkk... Todo mundo olhava. Uns vinham conversar com a gente... acho que nem na Ásia eu me senti assim (e olhe que lá na Ásia eu e Julio éramos parados muitas vezes pelas pessoas que queriam até tirar foto com a gente kkkk).  Portanto, nem curtimos tanto e voltamos para o hotel de van. O problema foi que, como já era por volta das 17, em pleno horário do rush, a maioria das vans passavam super lotadas e tivemos que encarar uma assim - ou pegaríamos um táxi por 25 a 30 dólares barbadianos.

Jantamos no Primo Restaurante este dia, a passos do hotel Yellow Bird.


YELLOW BIRD HOTEL: localizado bem em frente à praia, no coração de St Lawrence Gap, uma região repleta de bares, restaurantes, lojinhas e mercadinhos (lojas de conveniência). O hotel oferece apartamentos completos para curtir suas férias, piscina e todos os funcionários são muito simpáticos e solícitos. Tudo bem agradável, limpo e confortável! E fomos recebidas com um welcome drink que não poderia ser diferente: Rum Punch!
Booking.com: nota 9,2 com 132 comentários
TripAdvisor: nota máxima (5, que corresponde ao 10), com Certificado de Excelência e 259 avaliações, é o número 1 dentre os hotéis em St. Lawrence Gap 
endereço: St. Lawrence Gap, Christ Church,, Saint Lawrence, 15018 Christ Church, Barbados
site: http://www.yellowbirdbarbados.com/
telefone: +1 246-428-7171





HOTEL YELLOW BIRD:
Hashtags - #yellowbirdhotel #yellowbirdbarbados and #stlawrencegap.

**Praias Próximas ao Yellow Bird Hotel:

. CAMINHANDO SENTIDO SUL - OISTINS (distâncias a partir do Yellow Bird)
- Dover Beach: 600 metros (7 minutos de caminhada)
- Maxuell Beach: 2,2km (cerca de 30 minutos)
- Enterprise Beach ou Miami Beach: 4,5 km (11 de carro)

. CAMINHANDO SENTUDO NORTE - BRIDGETOWN (distâncias a partir do Yellow Bird)
- Worthing Beach: 900 metros (11 minutos)
- Accra Beach ou Rockley Beach: 1,5km (20 minutos de caminhada)
- Carlisle Bay e Brownes Beach: 4,5km (de carro, 12 minutos)
- Pebbles Beach: 5km (de carro, 12 minutos)
- Bayshore Beach: 5km (de carro, 12 minutos)
- Bridgetown: 6,5km (de carro, 18 minutos)

Sugestão de Passeio para o dia 01/5: caminhar sentido norte, passando pela Worthing Beach, Accra Beach... caminhar até onde der e depois voltar para o hotel de táxi.

Obs: Pebbles Beach, Brownes Beach e Bayshore Beach ficam na mesma enseada, a de Carlisle Bay (mesma faixa de areia)

. PRAIAS DO NORTE:
- Sandy Lane Beach: 19km (30 minutos de carro)

. PRAIAS DO SUDESTE (southeast coast):
- Crane Beach: 18km (25 minutos de carro)

. PRAIAS DO LESTE (east coast):
- Batsheba:

**Distâncias do Yellow Bird Hotel para outras áreas de interesse:

. SENTIDO NORTE - BRIDGETOWN
- The Boardwalk (vários bares, restaurantes e ótimo lugar para ver o pôr do sol): 2,5km (7 minutos de carro) onde fica o restaurante Tapa's
- Tapa's: 2,3km (6 minutos de carro)
- Black Pearl Seafood & Steakhouse Wine Bar: 2,1km (6 minutos de carro)

. SENTIDO SUL - OISTINS
- Oistins Fish Friz Market (programa para sexta à noite): 3,8km (8 minutos de carro)
- Uncle George's Fish Net: é o quiosque mais badalado perto da Miami Beach (3,8 km do hotel Yellow Bird - 8 minutos de carro)

-------------------------------------------------------------------------------------------------------

--> 02/05 - Hospedagem no Yellow Bird Hotel --> passeio às 12:00 (lunch tour) no Mount Gay Rum (pick up no hotel às 11h - contatos: Darrio e Hasani - convite)




MOUNT GAY RUM: http://www.mountgayrum.com/
endereço: Exmouth Gap, Brandons, Spring Garden Highway, St. Michael, Barbados

É a mais antiga destilaria de rum ainda em funcionamento do mundo (de que se tenha registro), operando desde 1703. Você sabia que o rum é feito a partir da cana de açúcar? Portanto, podemos dizer que o rum é a cachaça de Barbados!

Habemus Rum! Já que estávamos na terra do Rum, nada mais justo do que conhecer a mais antiga destilaria desta bebida! Em atividade desde 1703, a Mount Gay Rum oferece vários tours aos visitantes e nós fomos convidadas para fazer o Lunch Tour, que incluía um autêntico almoço barbadiano. Tivemos uma verdadeira aula de sua história, fizemos degustação de 5 tipos de Rum fabricados pela casa e aprendemos bastante sobre suas notas, aromas e harmonizações. Depois, já bem alegres kkkk, fomos almoçar algumas especialidades bajans, como o macaroni pie (torta de macarrão) e o flying fish. Uma experiência completa! Super recomendo.






Ao retornarmos da Mount Gay Rum, fomos para a Worthing Beach novamente, pois o calor era intenso. Aproveitamos para mergulhar e vimos tartarugas marinhas com muita facilidade perto dos barcos. Ficamos impressionadas em ver como era possível "dar pé" com uma distância enorme da areia. A gente caminhava e caminhava e ainda dava pé.


E encerramos o dia no Cafe Sol (do lado do hotel Yellow Bird, especializado na gastronomia mexicana e sempre muito animado).




--------------------------------------------------------------------------------------------------------

--> 03/05 - Hospedagem no Yellow Bird Hotel --> Aniversário da Tati - Café da manhã às 9:00 no Yellow Bird Hotel com a Diretora do Hotel (nome: Geeta) + DIA LIVRE PARA PASSEAR (opções: praias, passar pela Boardwalk, Bridgetown, compras, Animal Flower Cave, Boatyard etc)


Mais uma opção de passeio: Museu em Barbados Concorde Experience, dedicado ao avião Concorde, que voava mais rápido que a velocidade do som e que, no passado, chegou a ter uma rota regular para a ilha, inaugurada em 1977 por nada menos do que a rainha. Hoje em dia, o avião encontra-se aposentado e, neste museu, seus visitantes poderão ver de perto a máquina supersônica e até mesmo fazer uma simulação de como era decolar e voar no Concorde, além de conhecer seu interior, além de ter acesso a várias outras curiosidades. A localização do museu é próxima ao aeroporto.

Na prática, fizemos assim: percorremos as praias da Costa norte-oeste. Passamos novamente pela Peebles Beach, Brownes, Bayshore, Brighton-Brandon, Sandy Lane (nesta apenas para ver a mansão da cantora Rhianna) e terminamos na Mullins. Como saímos mais tarde do hotel, por volta das 12h, para não perder tempo, fomos até a Mullins parando nas praias com um taxista de confiança do hotel por 100 dólares barbadianos, mais 20 de gorjeta que nós demos por ele ter sido simpático e ter parado nas praias. 






Depois voltamos para a Boardwalk com o Scott da William's Tours, passando por vários lugares históricos da ilha, que foi colonizada pelos britânicos. Assistimos ao pôr do sol da Boardwalk e depois fomos para o Tapas's (especializado em tapas espanholas) dar uma tapeada na fome kkk... 


À noite, fomos no Sharkey`s Tropical Cafe, que ainda tinha algum movimento por volta das 21:30. Estava bem animado, assim como o Cafe Sol. 


Dica:
o Cafe Sol é um dos bares mais animados, pelo que pudemos perceber.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------

--> 04/04 - Hospedagem no Yellow Bird Hotel --> passeio com William Tours (http://www.williamstoursbarbados.com/ - Scott foi nosso motorista e guia - contato por email foi com a Raquel - itinerário que deve incluir a Harrison's Cave - tentar percorrer as praias da costa oeste e leste, passando por Bathsheba)

Começamos o dia com a visita à Harrison's Cave (http://www.harrisonscave.com/), considerada como principal atração turística de Barbados (30usd de entrada para adultos para fazer o tour básico de 1 hora num carrinho elétrico que percorre alguns de seus túneis e galerias/salões).





Depois visitamos uma fábrica local de porcelana e artesanato, a Earth Work Pottery - http://earthworks-pottery.com/ -  e, na sequência, fomos de van, bastante confortável e espaçosa percorrer diversas praias do litoral barbadiano a partir de Miami Beach!


Passamos por Ocean city; Foul Beach; Crane Beach; Shanty; Bottom Bay; Bathsheba e encerramos o dia com um sunset divino na Peebles Beach! Praticamente demos a volta na ilha com o Scott, que foi nosso motorista e guia de turismo que nos contou várias curiosidades sobre Barbados! Você sabia que, apesar de ser uma ilha, os barbadianos preferem geralmente comer frango a peixe? Ou que Barbados faz parte do British CommonWealth? O sistema é o parlamentarismo, a ilha tem mais de 60 praias e várias cavernas, a desova das tartarugas marinhas vai de Maio a Dezembro enquanto o nascimento delas costuma ser entre Janeiro e Fevereiro... dentre muitas curiosidades!



O Tour privado com Williams Tours é realizado para até 5 pessoas, com 5h de duração e roteiro livre. Custa 250usd no total. Já o Tour para a Harrison's Cave custa 70usd por pessoa e inclui as entradas (que custam 30usd se você for por conta própria) com duração média de 4h e normalmente esse Tour é feito em grupo e inclui a visita à fábrica de cerâmica. Lembrando que até a Harrison`s Cave, a partir de St. Lawrence Gap, leva cerca de 1h de carro, sem trânsito. Ou seja, é longe!

Recomendamos bastante o Williams Tours (www.williamstoursbarbados.com) especialmente para quem tem medo ou insegurança em dirigir na mão direita (mão inglesa) para ter uma ótima noção da ilha e aprender bastante sobre seis costumes. Vale muito muito a pena!

Acabamos o passeio na Peebles, onde aproveitamos para tomar um bom banho de mar, relaxar, nadar (fomos atrás de mais tartarugas marinhas, mas não vimos) e assistimos a um magníficos pôr do sol.





Neste dia nós saímos tarde do hotel e não conseguimos jantar em alguns dos restaurantes que pretendíamos conhecer, como o Castaways (em frente ao Yellow Bird e com vista linda para o mar), o Harlequin (que era muito fofo e todo coloridinho), pois a cozinha já estava fechada, em plena quinta feira, antes mesmo das 22h!!!

Então, conseguimos a benevolência do pessoal do Cocktail Kitchen Barbados que abriu a cozinha para a gente e preparou o nosso jantar (mas já estava para fechar também).


ATENÇÃO: apesar de ser uma ilha movimentada, as cozinhas dos restaurantes fecham bem cedo, entre 21:30 e 22h. Muitos restaurantes e bares até seguem movimentados com petiscos e drinks depois desse horário, mas não rola jantar um prato principal.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------

--> 05/05 - CHECK IN no Infinity on the Beach Barbados (contato: Nahila) --> Jammin Catamaran - Sun Blast Cruise - (das 9:00 às 14:30 - check in às 8:30 no endereço: Docking Location - BTI Car Park, Cavan’s Lane, Bridgetown, St. Michael - levar toalhas - decidir sobre o serviço de pick up no hotel, custa 10usd por pessoa. O passeio inclui um pequeno café da manhã, almoço, drinks ilimitados, snorkeling com tartarugas, naufrágio, relaxing... contato: Krista Ward) + Oistins Fish Market no final do dia

JAMMIN CATAMARAN:O passeio de catamarã no Sun Blast Cruise certamente é um dos mais divertidos, quiçá O mais divertido de Barbados! O catamarã sai do píer em Bridgetown, que é a capital de Barbados, e começa às 9h e vai até às 14:30. Portanto, cerca de 5:30 de passeio pela costa caribenha da ilha, ou seja, o lado oeste! Fizemos pausa para mergulhar com tartarugas marinhas, pausa para ver de perto dois naufrágios, ambas pausas foram na Carlisle Bay.

Logo no início do passeio, eles servem um lanche como café da manhã. Água, suco, refrigerante, chope e drinks com Rum (o MELHOR Rum Punch) são servidos o tempo todo sem limites!! (eu até enchi uma garrafa de água que eu tinha no final do passeio com Rum Punch e levei para o hotel para continuar bebendo kkkk). Há também uma parada de cerca de 1:30 para almoço (comida simples, bem preparada, com macaroni pie, frango, flying fish... bem gostosa, bem temperada e tinha até vinho branco para acompanhar), descanso e brincadeiras no escorrega do barco! Tem muuuuita música, muito Bob Marley, com direito à dancinha e coreografia pela tripulação que é bem simpática e animada!





✔ O Tour custa 90 usd para adulto e 40 usd para crianças de 3 a 12 anos. Crianças menores de 3 anos não pagam
✔Transfer para o hotel está incluído no valor
✔ Eles têm snorkel, mas eu prefiro levar o meu
✔ Recomendo levar toalha ou canga, além de filtro solar 



HOTEL INFINITY ON THE BEACH BARBADOS: localizado em St. Lawrence Gap, de frente para a praia de Dover, com quartos bem amplos e ótimo restaurante também, além de 2 piscinas disponíveis aos hóspedes... uma delícia de lugar para passar suas férias em Barbados
Booking.com: nota 8.2, com 175 avaliações
TripAdvisor: nota 4.5 (corresponde ao 9), a partir de 626 comentários
Endereço: St. Lawrence, Saint Lawrence, BB15028 Christ Church, Barbados

OISTINS FISH MARKET: fomos de táxi do hotel Infinity on the Beach até lá e custou 20 dólares barbadianos. Recomendaram para a gente chegar às 18h, pois disseram que era o melhor horário para quem ia lá para comer e passear. A não conseguiu chegar cedo, pois tivemos que fazer mudança de hotel. Acabamos chegando em torno das 21h. Ainda assim, pudemos aproveitar bastante e constar o porquê de sua fama: estava lotado!

Vários restaurantes, muitas mesas, palcos com artistas se apresentando, música, muita fumaça e muita gente andando para cima e para baixo. Há também um corredor dedicado ao artesanato e muitas barraquinhas vendendo bijoux e souvenirs.


Realmente, é o programa que todos devem fazer às sextas e, apesar de ser bem turistão, eu gostei. De fato, você consegue comer lá um pouco mais barato do que em restaurantes. Porém, não é nada sofisticado. O flying fish, por exemplo, cada posta frita e empanada custava uns 7 a 10 dólares barbadiano. A lagosta já era mais cara, começando a brincadeira a partir dos 40 dólares barbadianos, a depender do tamanho dela, e ia ficando mais caro. Percebi que o forte mesmo deste mercado são os peixes e frutos do mar, fazendo jus ao seu nome - Fish Market.

Se vale a pena? Sim, com certeza! Havia turistas, locais, música, dança... foi engraçado observar todos por lá e valeu a pena para comer alguns pratos típicos também.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------

--> 06/05 - Hospedagem no Infinity on the Beach Barbados e PARTIDA (voo da Tati às 8:00 / voo da Lily e Sy às 19:00)

Tati saiu bem cedo pela madrugada, enquanto eu e Sy ainda curtimos um bocado do nosso dia. Tomamos café da manhã no hotel Infinity on the Beach, depois caminhamos para conhecer as praias Turtle e Sandals, que ainda não tínhamos conhecido.





Voltamos caminhando pela Maxuell e fechamos o dia na Dover Beach, em frente ao hotel, que oferece serviço de praia (cadeiras estão inclusas na diária, assim como toalhas de praia, mas a barraca de sol tem que pagar 10 dólares barbadianos, ou 5 usd). Almoçamos no hotel e depois fomos para o aeroporto.

Nosso voo era às 19h e saímos do hotel às 16:30. Era um sábado e não pegamos qualquer tipo de engarrafamento. Chegamos no aeroporto em 25 minutos e pagamos 40 dólares barbadianos pelo táxi, desde o hotel Infinity on the Beach até o aeroporto.

------------------------------------------------------------------------------------------------------

** Alguns valores/custos na moeda local**

Lembrando que 1 usd = 2 dólares barbadianos:

↘- Táxi do aeroporto até St Lawrence Gap: 31$
↘- Táxi do hotel Southern Palms Beach Club Resort até o Yellow Bird: 20$
↘- Táxi do Southern Palms Beach Club Resort até o Blakey's Bar: 25$
↘- Sanduíche de Fly Fish no Steak House Grill (em frente ao Southern Palms Beach Club Resort): 18$
↘- Ímã de geladeira no Atlantis Submarine: 12$ ⠀
↘- Hot Dog no quiosque da Rockley Beach na pracinha de alimentação: 10$ ⠀
↘- Sanduíche de frango nesta mesma pracinha: 14$
↘- Cerveja nesta mesma pracinha: 5$
↘- Cerveja Banks na loja de conveniência: 2.50$
↘- Sunbed e Barraca de Sol: 10$ cada peça ⠀
↘- Loja de Conveniência:
. Água de 1.6L: em média (depende da marca) 5$
. Iogurge: o potinho custa em média 2.50$
. Compra que fizemos para café da manhã com 1 pacote de pães, queijos cheddar e mussarela, peito de Peru defumado, iogurte, suco de laranja, água, cream cheese: 90$
↘- Jantar no Primo Restaurante: a média de preço das massas é de 45$. Pedi um pene com Cuttlefish (tipo lula), 53$, e um Punch Rum (16$). Mais serviço e taxa, deu 76$ o meu jantar. ⠀

De modo geral, podemos dizer que os valores em Barbados são um pouco acima do que estamos acostumados a gastar em viagens (dá para dizer que está num nível Paris rsrs), menos se formos comparar com Aruba e Curaçao. Em Aruba, a média de gastos num jantar para mim e Julio (com bebida) fica em 150usd. Em Barbados, a média de um prato principal num bom restaurante era de 25usd, a bebida ficava em torno de 8 a 10 usd.



Se você busca um destino caribenho econômico, Barbados não vai te atender nesse quesito, salvo se você conseguir emitir suas passagens aéreas com a Avianca por meio de programa de milhas, se você abrir mão de alugar carro, de ficar em hotéis mais chiques e de jantar todo dia à noite. A maioria dos hotéis em Barbados possuem facilidades dentro do quarto, como pequenas cozinhas, para que seus hóspedes possam cozinhar.

Obs: tome uma Banks por mim! Cerveja local bem leve e ótima para o calor que faz durante o dia em Barbados!


---------------------------------------------------------------------------------------------------

** CLIMA EM BARBADOS **

Apesar de ser considerada uma boa época para visitar o Caribe, de modo geral, a gente não pegou todos os dias super ensolarados. Ficamos 7 dias em Barbados e foi mais ou menos assim: 3 dias de sol forte, 1 dia que começou com sol depois choveu e depois voltou o sol no final do dia, 3 dias que começaram com mormaço e depois ficom revezando sol com nuvens.

Porém, uma coisa era certa: CALOR! Com sol, calor ainda mais forte! Mesmo à noite, com a brisa vinda do mar, não fazia frio. A temperatura oscilava entre 25 graus a 35 graus. Para terem uma ideia, eu não precisei usar casaco nenhum dia sequer! Ok, eu sou calorenta... mas a Tati, que é friorenta, também não usou casaco. Só sentimos um leve friozinho, muito leve mesmo, no dia que visitamos o Oistins Fish Market, mas lá dentro mesmo do mercado é quente também... em resumo, abuse das roupas leves, de praia, sandálias e, no máximo, por desencargo de consciêncie, leve um casaco bem fino para usar à noite.



Agradável, portanto, a temperatura se mantém na média dos 28°C e é um convite aberto durante o decorrer do ano para qualquer tipo de viagem, já que garante mais  de 3.000 horas de sol por ano. Detalhe: Uma brisa suave sopra até mesmo nos dias mais quentes. É difícil imaginar um lugar com um clima mais perfeito que Barbados.

Vale registrar que Barbados está fora da rota de furacões.

A estação das chuvas vai de Junho a Outubro. 

Fomos final de Abril e início de Maio, de 29 de Abril a 6 de Maio e

--------------------------------------------------------------------------------------------------

** TEMPERATURA DA ÁGUA **

Uma das perguntas que mais ouvi foi essa: a água é quente lá?

Infelizmente, lamento dizer que NÃO! A água de Barbados não é quente nem morna. Ela está mais para fresca. Ou seja, ela também não é gelada. Longe disso... ela estaria perto do morna, mas também não chega a ser morna.






Por isso prefiro dizer que ela é fresca, ou seja, refrescante, especialmente porque o calor durante o dia é intenso mesmo.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

**UM POUCO SOBRE BARBADOS **

Este país insular das Pequenas Antilhas é soberano (ou seja, é país mesmo e vai lá para minha contagem de países visitados rsrs...), além de ser o país mais oriental do Caribe, por isso mesmo que uma costa dele é voltada para o Oceano Atlântico. Possui 34 quilômetros de comprimento e 23 quilômetros de largura, cobrindo uma área de 432 km².

Descoberta pelos espanhóis em 1492,  a ilha foi foi identificada pela primeira vez em um mapa espanhol de 1511. Apesar disso, recebeu inúmeras visitas dos portugueses de 1536 até 1625, que tampouco a ocuparam. Engraçado isso, não acham? Os espanhóis nem os portugueses se interessaram pela ilha.

Já o primeiro navio inglês a deslocar-se para a região, o Olive Blossom, chegou à Barbados em 1624. Nesta data foi reclamada pelos britânicos em nome de Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra, que lhe iniciaram a colonização em 1627-1628, com a chegada dos primeiros colonos permanentes, oriundos da Inglaterra, tornando Barbados uma colônia britânica a partir de então, o que perdurou até 1966, ano de sua independência política.

Hoje em dia, Membro da Comunidade Britânica, o país é governado por um primeiro-ministro apoiado pelo Senado e pela Assembleia. Com cerca de 300 mil habitantes, cuja maioria é de ascendência africana (descendentes dos escravos), apesar de ser classificada como uma ilha do Atlântico, Barbados é considerada uma parte do Caribe, sendo um importante destino turístico e uma das ilhas mais desenvolvidas da região, com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,776, considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

A capital do país é Bridgetown, que é também sua maior cidade.


Barbados é uma monarquia constitucional, onde há a presença de um governador-geral, mas o chefe de governo mesmo é o primeiro-ministro.

↘ - Como Chegar: eu viajei com a cia aérea Avianca num voo direto do Rio à Bogotá e uma conexão curta para Barbados. Saí às 8h do Rio e cheguei às 18h em Barbados, em que o fuso horário é de 1h a menos em relação ao horário de Brasília.

Hoje em dia, só tem voo da Avianca aos sábados e às quartas. Outra opção é voar para Miami, nos EUA, com uma das várias cias aéreas que faz esse trajeto e depois pegar um outro voo de lá para Barbados, onde a frequência é bem maior. Neste caso, há mais oferta de voos e dias, porém, precisa de Visto dos EUA para passar por Miami e, muitas vezes, é necessário dormir lá ao menos uma noite para casar os voos com mais tranquilidade.

Não tem mais voo direto do Brasil! Infelizmente, a passagem não costuma ser barata, mas é possível emitir também com milhas do programa de fidelidade Amigo da Avianca ou até mesmo ir para os EUA com milhas de outros programas (Multiplus, Smiles, Flying Blue) e comprar a partir de lá a sua passagem com cias aéreas americanas que oferecem voos mais regulares e frequentes.

A boa notícia é que aeronaves grandes (não é teco teco) chegam em Barbados! ⠀




↘ - Documentos necessários: brasileiros não precisam de visto para entrar em Barbados. Porém, são necessários o passaporte válido e o certificado internacional da vacina contra a Febre Amarela.

↘ - Economia: O país tem uma economia baseada no turismo, nas finanças (paraíso fiscal) e na exportação de açúcar e seus derivados (rum). Com exceção da cana-de-açúcar, os produtos cultivados são para consumo local. O petróleo e o gás natural são produzidos em pequenas quantidades. O Governo incentivou o investimento na produção de medicamentos, de vestuário, de cerâmica, de vidro e de compostos electrônicos.

↘ - Idioma: inglês (mas com muito sotaque e nem sempre fácil de compreender)

↘ - Moeda: dólar barbadiano (1usd = 2BDS$), mas o dólar americano é amplamente aceito, caso você não queira trocar.

1) Atente-se para as taxas de comissão ao trocar. No aeroporto, eles cobram 5$ para qualquer quantia que você deseje trocar.

2) Na prática, você só vai mesmo precisar de dólar barbadiano, ou seja, a moeda local, para pagar ônibus. Portanto, se optar por trocar, faça em pequenas quantidades para não levar para casa a moeda deles que sobrar.

↘ - Câmbio: não recomendamos levar reais, mas somente dólares americanos ou sacar diretamente em máquinas ATM que são amplamente encontradas pela ilha, especialmente no aeroporto e em St. Lawrence Gap (em Bridgetown com certeza também tem).

↘ - Direção: como ex colônia britânica, em Barbados a mão é a inglesa, ou seja, a direita. Por isso não alugamos carro por não nos sentirmos confortáveis em dirigir na mão inglesa. Vale registrar que não é necessária a habilitação internacional para dirigir por lá, mas sugiro sempre perguntar antes.



↘ - Quantos dias ficar em Barbados: Se for com Avianca num sábado, você poderá ficar até quarta (4 dias), até o outro sábado (1 semana) ou até a outra quarta (11 dias). Eu fiquei 1 semana e achei ótimo!

Diferentemente de outras ilhas caribenhas, Barbados oferece muitas atividades além de curtir praia, tais como: passeio de submarino, Jeep Tour, museu Concorde, Harrison's Cave, Animal Flower Cave, catamarã Jammin, tours pela ilha, como o que fizemos com o William`s Tours, praias paradisíacas, destilaria de Rum Mount Gay, naufrágios que você poderá ver de snorkel ou com um cilindro, bares, festas, Oistins Fish Market... ou seja, se não der a sorte de pegar dias super ensolarados, em Barbados você terá ao menos muitas outras opções de diversão que não dependem tanto assim de sol...
 ⠀
↘ - Origem de seu Nome: Barbados foi descoberta por portugueses ou espanhóis? Já li as duas versões, mas parece mais coerente a que explica que a ilha foi descoberta pelos espanhóis em 1492, mas eles não se interessaram. Daí os portugueses estiveram por lá de 1536 até 1625, visitando a ilha e seu nome é atribuído aos portugueses, pois, ao chegarem na ilha, depararam-se com árvores repletas de cipós que se assemelhavam à barba dos homens... daí veio o nome Barbados! Mas já no século XVII virou colônia britânica e assim permaneceu até a década de 60, quando se tornou independente em 1966.




↘ - O que não pode faltar na Mala: lembre-se que o clima em Barbados é bem parecido durante todo o ano, bem estável, no melhor estilo tropical!

Leve roupas leves, sapatos confortáveis para um clima bem praiano, mas deixe também uma roupa mais arrumada (uma calça para homens assim como sapato fechado) se quiser jantar em algum de seus restaurantes bem chiques, pois neste o acesso se dá com um certo dress code mais elegante.

De modo geral, não vi necessidade de usar a papete nas praias (sapatilha de neoprene) aquelas para evitar se machucar das pedrinhas, sabe? Basta ter cuidados para não dar topada com pedrinhas rsrs... como a água é bem transparente, é só caminhar com atenção. Mas a areia é de areia mesmo e não de pedrinhas, salvo nas praias voltadas para o Oceano Atlântico, onde há mais pedras e também não são próprias para banho e sim para a prática de esportes, como o surf.

↘ - Fuso Horário: 1 hora a menos, em relação ao horário de Brasília.

** OPÇÕES DE PASSEIOS EM BARBADOS **


Sobre as opções de passeios em Barbados, achei a variedade oferecida em Barbados incrível, até mesmo para você ter alternativas de diversão num dia nublado ou chuvoso (a gente viaja para o Caribe e a última coisa que deseja é ver chuva e nuvens, mas é bom saber que o destino oferece o que fazer nessas situações, certo?).




✔ @atlantissubmarinesbarbados é um passeio diferente num submarino que chega a quase 130 pés de profundidade! Especialmente para quem não curte mergulhar, é uma forma legal de ter contato com a vida marinha e naufrágios sem se molhar 


✔ @mountgayrum é a destilaria de rum oficialmente mais antiga do mundo, em funcionamento desde 1703! Rum é a clássica bebida dos piratas e é feita a partir da cana de açúcar! E sabem como a cana de açúcar chegou em Barbados? Ahhhh... aqui entra o Brasil na história da ilha: os holandeses, ao serem expulsos do Brasil por Portugal, ao retornarem para a Europa, fizeram uma paradinha estratégica no Caribe, no caso, em Barbados, e lá plantaram a cana de açúcar! Por essa vocês não esperavam, não é mesmo? Ou seja, o Rum é a cachaça de Barbados. E a Mount Gay Rum oferece vários tipos de tours.


@jammincats é um passeio de catamarã muito divertido!




✔ Harrison's Cave: custa 30usd para adulto no tour simples no carrinho elétrico e é uma caverna no coração da ilha, considerada por muitos como principal atração da ilha. Mas há outros tipos de tours, uns com muita aventura, inclusive, que duram até umas 4h e incluem trilhas dentro da caverna.






✔ @williamstoursbarbados é uma agência de passeios que oferece tours em grupo e privados. Scott foi nosso motorista e guia e nos levou à Harrison's Cave e também para conhecermos as praias do litoral Sul e Leste, desde Miami Beach até Bathsheba

✔ Museu Concorde oferece informações sobre esse que foi o avião mais rápido do mundo e já fez voo de Barbados para a Inglaterra. Nele há um simulador para ter a sensação de voo no Concorde 
✔ Animal Flower Cave fica no norte da ilha e oferece uma piscina natural e belezas de uma caverna à beira mar ⠀

✔ Vida noturna bem agitada com muitos bares e boates em St Lawrence Gap, além do famoso Oistins Fish Market às sextas que fica lotado ⠀

 Gastronomia em Barbados: se você gosta de comidas bem temperadas, com pimenta e muitas ervas, vai se dar muito bem com a culinária bajan (barbadiana). Se não, sugiro logo escolher pratos do cardápio que possam ter menos tempero e deixar claro ao garçom que você não gosta (se você não suportar mesmo nem um pouco sequer, melhor dizer que você tem alergia, viu? Pois mesmo perguntando se o prato tinha pimenta, pois a Tati não come, eles diziam que não tinha e sempre tinha um pouco). 

Neste quesito gastronômico, além de aproveitar muito todos os bares e restaurantes de Lt. Lawrence Gap, região em que ficamos hospedadas (os 3 hotéis ficavam lá), também sugiro passear pela The Boardwalk, perto de Bridgetown, onde há vários restaurantes e bares bem legais, alguns com ótimos preços, e proveite para ir antes e apreciar o belo pôr do sol que pode ser contemplado de lá.





Não deixem de experimentar o peixe que é quase cartão postal de Barbados, o flying fish. Você encontrará muitos sanduíches por lá feitos com ele. A torta de macarrão é uma delícia também (macaroni pie), bolinho de peixe... huuummmm... dentre outros! E, é claro, com muita cerveja Banks e Rum Punch! 

✔ Praias do lado oeste são caribenhas e do lado leste são voltadas para o Oceano Atlântico ⠀

✔ Ver o PÔR DO SOL todos os dias, se conseguir. Nós não demos tanta sorte, porque sempre as nuvens chegavam e impediam o espetáculo da despedida do Astro Rei. Contudo, ao menos por 2 vezes, ele nos deu o gostinho de podermos nos encantar com o do fim do dia lindo de Barbados, onde o sol encontra-se com o mar. 

Nesta época do ano que fomos - ABRIL/MAIO - a gente só conseguia ver o pôr do sol do lado Oeste da costa barbadiana, voltada para o mar caribenho, a partir da Boardwalk, já chegando ali na Peebles. Antes disso, não dava para ver. Na Dover, não tínhamos vista para o pôr do sol.

O pôr do sol ocorria por volta das 18:30, mais ou menos. Vale sempre a pena dar uma olhada nos sites de previsão do tempo, como Accuweather, para checar o horário certo do sunset.

Obs: se quiser ver o nascer do sol nesta época do ano que fomos (abril/maio) tem que ir para a costa leste, do mar voltado para o oceano Atlântico.

Vejam as fotos do pôr do sol em Peebles:





Vejam as fotos do pôr do sol na Boarkwalk:






✔ Passear pela capital - Bridgetown - e conhecer alguns de seus edifícios históricos e também fazer compras nas lojas Duty Free que dizem ter preços ótimos (nós não fomos, apenas passamos por Bridgetown algumas vezes para ver um pouco da cidade de dentro do carro e paramos para tirar algumas fotos em pontos mais estratégicos, como no canal, perto da ponte histórica que deu origem ao nome da capital).



** SOBRE AS PRAIAS DE BARBADOS **

Em Barbados é muito comum conseguir encontrar praias calmas, vazias e com pouca ou nenhuma infraestrutura dentre as mais de 60 praias que a ilha possui. Detalhe: nós não vimos nenhum - NENHUM - brasileiro durante nossas andanças por lá. Não quer dizer que não houvesse, mas sim que simplesmente não ouvimos ninguém falar português nem se comportando como brasileiro. Isso é bem curioso porque mostra que Barbados ainda não é tão procurada por nós e que é um destino mais exclusivo. ⠀




Pelo que reparei, todas as principais praias do lado caribenho possuem uma pracinha com quiosques de bares e lanchonetes, banheiros e chuveiros gratuitos. Já no lado do oceano Atlântico, com praias mais selvagens e voltadas para prática de esportes como o surf, não identifiquei essas facilidades.

TODAS AS PRAIAS DE BARBADOS SÃO PÚBLICAS! Isso é bem importante, especialmente se for comparar com praias de Aruba e Curaçao, mais até no caso de Curaçao, onde várias praias são tidas como "privadas"e você tem que pagar para ficar na praia e depois pagar, se quiser, para usar uma sunbed ou barraca de praia.



Porém, algumas praias de Bardados têm um acesso mais escondido, como no caso da Maxuell, da Turtle, da Sandals, da Sandy Lane. No caso delas, ou você tenta achar uma viela ou tenta ir caminhando pela praia ou acabará tendo que pedir para passar por dentro de algum hotel que fique de frente para a praia para ter acesso a ela. De modo geral, os hotéis não gostam assim muito muito de ter não hóspedes passando por seu lobby para ter acesso à praia. Portanto, minha sugestão é buscar mesmo achar o acesso público que existe e evitar algum tipo de constrangimento. Isso acontece porque essas praias têm os hotéis no estilo "pé na areia" que praticamente fecham a sua frente, não permitem ter vista do mar pela rua e aí passa essa falsa impressão de ser praia privada, mas não são.



É claro que, por conta disso, essas praias ficam mais reservadas, mais exclusivas e acabam sendo frequentadas, na grande maioria das vezes, pelas pessoas hospedadas nestes hotéis.

As praias mais calmas e caribenhas ficam na Costa Oeste enquanto que as praias de mar mais agitado e voltadas para o Oceano Atlântico ficam do lado leste. Na minha opinião, na sua lista de passeios pelas Praias não deve faltar:⠀

- Costa Oeste (caribe):

. Enterprise ou Miami Beach



. Sandals Beach



. Turtle Beach


. Maxuell




. Dover Beach



. Worthing Beach (a Crystal fica do lado)




. Accra ou Rockley Beach


. Hastings Rocks (na Boardwalk)

. Carlisle Bay: Peebles, Brownes




. Brighton Beach


. Brandon's Beach

. Sandy Lane Beach, de passagem, para ver a mansão da cantora Rihanna, que é natural de Barbados e a maior promotora do turismo do seu país!

. Mullins




Essas praias acima estão listadas em ordem do Sul para o Norte, na costa oeste⠀

- Costa Leste (Atlântico):

. Foul Beach



. Crane Beach



. Shanty ⠀


. Bottom Bay


. Bathsheba ⠀ ⠀


A melhor forma de percorrer essas praias e otimizar seu tempo é alugando um carro. Porém, a MÃO É INGLESA! Logo, se você não se sentir confortável nem seguro, opte por andar de táxi (da Dover Beach até a Mullins custou 100 dólares barbadianos = 50usd), ou van e ônibus que servem bem o lado caribenho e custam 1usd (mas às vezes demoram a passar e, se for no rush, passam sempre lotadas).

Para o lado do Atlântico, que não tem tanta oferta de transporte público, se não alugar carro, o jeito é contratar um Tour. ⠀

Por isso mesmo que nós optamos por fazer o Tour privado com a William`s Tours Barbados e deu super certo, pois o Scott, nosso motorista e guia, levou a gente para melhores pontos de observação da costa Atlântica e para tirar fotos. Super indico!

AGUARDEM QUE VIRÃO MAIS POSTS DE BARBADOS!!


2 comentários:

  1. Fiquei com vontade de conhecer Lily. As fotos estão maravilhosas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Day!!! Que bom que gostou! Olha, está agora pertinho de você, viu? Aproveite sim!! Você vai adorar, com certeza!
      Beijo grande,
      Lily

      Excluir