quinta-feira, 14 de abril de 2016

João Pessoa / Paraíba: Roteiro de Passeios para 4 dias, com a Luck Receptivo!

Eu comecei o ano de 2016 muito bem, vocês se lembram? Estive em João Pessoa, a linda capital paraibana, onde passei 5 dias maravilhosos com a amiga Monica, do blog Le Touriste.


Complexo histórico e religioso de São Francisco

Praia do Coqueirinho

Vamos rever os posts já publicados no Apaixonados por Viagens sobre a Paraíba?

- João Pessoa: Dicas 1 (viagem de 2009)
- João Pessoa: Dicas 2 (viagem de 2009)

Essa foi a minha segunda vez em João Pessoa, cidade que merecia que eu retornasse porque, quando eu fui no carnaval de 2008, choveu tanto, mas tanto, que eu aproveitei muito pouco as belezas desse belo litoral, um dos mais bonitos do Brasil.
Praia do Coqueirinho

Dessa vez, em janeiro de 2016, a chuva passou longe e tive dias ensolarados de muito mar azul mesclado com um verde, num resultado incrível de cores fluorescentes!

Fui convidada pela Luck Receptivo a desfrutar o melhor dos passeios feitos em excursões pelo litoral.

Centro Histórico

Tambaba

**RESUMO DOS PASSEIOS COM A LUCK RECEPTIVO**

1º DIA: Transfer de chegada

2º DIA: City Tour Completo

3º DIA: Litoral Norte com Cabedelo + Entardecer na praia do Jacaré com o Bolero de Ravel

4º DIA: Praias da Costa do Conde - Litoral Sul: Praia Bela, Tambaba, Coqueirinho 

5º DIA: Ilha da Areia Vermelha + Transfer de retorno para o aeroporto 

Eu, que não sei dirigir, já fui muuuuito adepta a contratar agências de turismo local para a realização de passeios, principalmente no Nordeste. Afinal, quando não se sabe dirigir, ou quando se pretende beber, ou seja, não se quer dirigir, o ideal mesmo é contratar um receptivo local, ficar à vontade sem se preocupar em ter que estudar o caminho, as estradas, poder beber sem problemas com Lei Seca nem blitz... tem, portanto, suas vantagens.

Inclusive, eu já conhecia os serviços da Luck Receptivo de outras viagens que fiz ao nordeste porque esse receptivo é muito conhecido, possuindo sede em várias cidades nordestinas, como em: Recife, Natal, Maceió, Salvador e Fernando de Noronha.


Praca Antenor Navarro

Igreja de São Frei Pedro Gonçalves

Assim, no dia 2 de janeiro de 2016, desembarquei em João Pessoa e já fui recebida pelo receptivo da Luck Receptivo que fez o transfer in/out do aeroporto para o hotel.

Neste primeiro dia, nós ficamos à vontade e aproveitamos para caminhar pela orla de Manaíra, Tambaú e Cabo Branco.


Manaíra

Tambaú

No segundo dia em terras paraibanas, a Luck Receptivo nos convidou a fazermos um City Tour cultural pelo Centro Histórico de João Pessoa, que é a terceira cidade mais antiga do Brasil!!

Ruas próximas à Igreja de São Francisco

Hotel Globo

Estivemos nas Praças dos Três Poderes, João Pessoa, Antenor Navarro, bem como passamos pelo Parque Sólon de Lucena, o verdadeiro cartão postal da cidade que, infelizmente, estava em obras e, por isso, nem paramos. 



O ponto alto do passeio, ao meu ver, foi a visita ao complexo histórico e religioso de São Francisco, que é riquíssimo em adornos, resquícios de um Brasil ainda colonial.




Não deixem de admirar os azulejos azuis tipicamente portugueses... são lindos! 

Outro momento interessante do passeio foi a visita à Praça Antenor Navarro, onde está a imponente Igreja de São Frei Pedro Gonçalves e o tradicional Hotel Globo. Infelizmente, senti um certo abandono desta região, observando paredes pichadas e um certo aspecto de sujeira também. Uma pena ver um centro histórico tão rico, porém tão largado.


Hotel Globo (à direita)

Igreja de São Frei Pedro Gonçalves

Mas as casinhas em frente à igreja, com a fachada tombada pelo Patrimônio Histórico Cultural, eram muito fofas e nos levavam de volta a um período colonial de muito esplendor da nobreza paraibana, muito expoente no cenário político do país.




Depois das paradas pelo centro de João Pessoa, o grupo foi levado a um restaurante, cujo almoço não estava incluído no passeio e deveria ser pago à parte. O restaurante era um buffet self service honesto, com preço acessível e a comida era boa, com opções de saladas, carnes, massas, algumas comidas típicas, dentre outros.



O grupo seguiu, após o almoço, para o mirante do Farol do Cabo Branco e depois para o Mercado de Artesanato.

Obs.: Farol do Cabo Branco, na Ponta do Seixas, é considerado o ponto mais Oriental das Américas, lugar onde o Sol nasce primeiro, onde também está localizada a Estação Ciências, única obra do renomado arquiteto Oscar Niemeyer no Nordeste. 

Farol do Cabo Branco
Porém, como a gente já havia visitado o mirante pela manhã, quando o André, dono da Pousada Verde Mar, viu a gente fotografando o nascer do sol em frente ao hotel, e nos levou para ver o sol nascer de Cabo Branco e ainda esticam os até o Farol, decidimos não continuar com o passeio e pedimos para a guia nos deixar na praia.

Para completar, o Mercado de Artesanato ficava bem perto da pousada onde estávamos, a cerca de 10 minutos de caminhada, então, como estávamos "secas" por um banho naquele mar de água quentinha e verde, resolvemos ir para a praia =)

Assim, nós encerramos o dia em Tambaú e ficamos por lá algumas horas curtindo a praia e alguns tibuns bem gostosos!

Tambaú é uma ótima opção de praia urbana em João Pessoa, assim como Cabo Branco. Costumam ser bem frequentadas e me inspiraram certa segurança.

Mas como boa carioca que sou, fico de olho em tudo e não entro na água sem pedir para alguém próximo dar uma olhadinha nas minhas coisas para mim. Além disso, de dentro da água, eu também fico de olho rsrs...

À noite nós fomos jantar no tradicional e enorme restaurante Mangai, que oferece mais de 200 pratos típicos e regionais!

No dia seguinte, acordamos cedo e fomos no sentido do litoral norte, para a cidade de Cabedelo.

Cabedelo

Mais um dia lindo de sol pela frente e a Luck Receptivo nos buscou no hotel em um ônibus, junto com outros turistas. Dentro do ônibus havia água e eu adorei isso.  Aliás, é um padrão dos ônibus da Luck, pelo que pude perceber. Apenas o micro-onibus ou van que não tinham essa opção.


Praia do Bessa
Primeiro, nós fizemos uma parada na praia de Intermares para aprendermos um pouco sobre o projeto de proteção das tartarugas marinhas desenvolvido por uma ONG local. Eles cercam os ninhos para identificá-los e protegê-los e monitoram para ajudar no nascimento das tartarugas.

Proteção às tartarugas marinhas

Intermares
Isso porque a Praia de Intermares é urbana e muitas tartaruguinhas, atraídas pelas luzes dos carros, postes e prédios, quando nascem, elas caminham no sentido das luzes e morrem muitas vezes asfixiadas e presas na vegetação de restinga ou atropeladas pelos carros.

Após passarmos pelo Bessa e Intermares, rapidamente já estávamos em Cabedelo, cidade vizinha a João Pessoa e bem próximas.

Lá, nós fomos direto visitar a Fortaleza de Santa Catarina, já em Cabedelo, construída em tempos coloniais pelos portugueses, no encontro do rio com o mar para fins de proteção da região. O valor da entrada é praticamente simbólico e custa R$2,00.




Dentro da Fortaleza, um guia local nos recebeu supostamente para passar informações históricas. Mas foram bem poucas as informações que ele passou porque ele estava mais para humorista do que para guia e fez muitas brincadeiras com o grupo, algumas sem graça e outras engraçadas. No final, é claro que ele pediu dinheiro. Deu a gorjeta quem quis.




Então, antes de seguirmos rumo à Praia da Ponta da Campina, em Cabedelo, ainda paramos rapidamente no Marco Zero da estrada Transamazônica (BR-230), uma obra faraônica do período da Ditadura Militar que se inicia na Paraíba, na cidade de Cabedelo e vai até a cidade de Lábrea, no Amazonas. 



Agora sim, já na Praia da Ponta da Campina, foi o nosso momento de pausa do dia para relaxarmos no beach club muito famoso e recomendado da região, o Lovina.





Havia vários bangalôs no lugar, que é enorme! Porém, quando chegamos, os poucos bangalôs destinados à Luck já estavam ocupados e as pessoas do grupo estavam dividindo o mesmo porque eles era grandes.

Bem, achei o lugar lindo, mas não curti a ideia de dividir o bangalô com pessoas desconhecidas nem de ficar em cima,  afastado do mar.

Descemos e alugamos 2 cadeiras e uma barraca de praia por R$20,00. Foi a melhor decisão porque ficamos perto do mar e com um espaço mais exclusivo para a gente.



O único problema é que o Lovina não servia na areia, pelo que entendi. Nós também tínhamos diversos snacks e ficamos muito bem com a água de coco que custava R$3,00 na praia e o queijo de coalho por R$5,00.

E esse mar no melhor estilo caribenho, hein? Espetacular!


Disseram depois que esse mar azul (ou verde, ou neon rsrs) não fica assim o ano inteiro, mas sim no verão. Que bom então que demos sorte!





É bem legal porque de lá da Praia da Ponta da Campina a gente consegue ver direitinho a orla de João Pessoa e o contraste de seus altos prédios!

Após esse momento ultra relax e quase caribenho na Praia da Ponta da Campina, nós fomos para a Praia do Jacaré, que na verdade não é praia de mar, mas sim de rio rsrs...

Esse é um programa imperdível em João Pessoa e eu fiquei impressionada em ver como a região mudou desde quando eu fui em 2009.




Em 2009, eu fiquei em um restaurante às margens do rio, que era uma espécie de palafita, aguardando o pôr do sol e a arrepiante apresentação do Bolero de Ravel pelo famoso Jurandir do Sax, que até já conquistou um espaço no Livro Guinness, o livro internacional dos recordes, por ter sido a pessoa que mais vezes executou o Bolero de Ravel na história. 



Dessa vez, vi uma Praia do Jacaré bastante modificada, repleta de lojas, bares, restaurantes, pois fizeram uma espécie de passarela junto ao rio para que as pessoas possam ficar por ali aguardando o pôr do sol. Confesso que fiquei triste em ver as palafitas abandonadas e até destruídas. O que restou delas ainda está lá, mas fica um pouco mais para cima do rio.



Então, com a Luck Receptivo, nós embarcamos em um catamarã de dois andares que navegou por um trecho do rio Jacaré, ao som de muito forró, muita música local, de dança com direito a uma quadrilha! Parte da tripulação estava a caráter no melhor estilo "Lampião e Maria Bonita", reis do cangaço, e os dançarinos, verdadeiros animadores, além de se apresentarem arrasando no rastapé, também chamavam as pessoas para participarem e ensinavam alguns passos aos mais desengonçados. Também houve música ao vivo com um grupo de forró e uma moça que cantava.





Assim, neste ritmo embalado de muito regionalismo, aos poucos foi se aproximando o pôr do sol e a expectativa pela apresentação do Jurandir do Sax, que, mais uma vez, em suas vestes brancas, na sua canoa, apresentou-se na despedida do Astro Rei!




Foi lindo! Pena que não tivemos propriamente um pôr do porque as nuvens chegaram antes e pena também porque a caixa de som dentro do nosso barco estava ruim, com ruídos e chiados que prejudicaram esse momento.

Obs.: Se você não quiser fazer o passeio de barco, também pode ficar na "praia do Jacaré", na passarela ou bares, onde há muita gente que fica aguardando todo dia a apresentação do Jurandir.





Aliás, um dos diferenciais da Luck Receptivo é que o seu barco tem um combinado com o Jurandir e, após a execução do Bolero de Ravel, que é beeeeem longo, ele subiu em nosso catamarã e executou outras 3 músicas exclusivamente para a gente. Porém, a caixa de som no segundo andar continuava com chiados bem chatos.



Depois, o Jurandir foi para a terra firme rsrs... Naquela passarela com bares, lojas e restaurantes à qual me referi antes, há dois palcos e ele se apresentou lá com uma Ave Maria. Foi muito bonito!


Dica: por ser rio, com vegetação, perto do pôr do sol os mosquitos já começam a atacar. Para quem atrai e tem sangue "doce" como eu, a dica é passar o repelente logo que entrar no barco. Ainda sobre o catamarã, nós ficamos em cima para podermos apreciar melhor a paisagem e fotografar mais. Porém, em cima bate muito sol! E ainda tivemos esse problema do som com ruído que eu espero que tenha sido pontual e azar da nossa parte.

Voltamos tarde esse dia para o hotel, já de noite, mas ainda deu tempo de nos arrumarmos e fomos jantar no Restaurante Noi, que pertence ao mesmo grupo e donos do Mangai. Porém, embora a casa seja enorme, linda, muito bem conceituada e indicada, nós nos decepcionamos muito com o atendimento que foi demorado e confuso.

Primeiro, porque chegamos tarde e famintas, mas ficamos 1h na espera de mesa e depois ainda esperamos muito para sermos atendidas, quando sentadas, demoraram também para levar os sucos e erraram o pedido. Segundo, porque os ambientes estavam congelantes, muito muito frio mesmo o que era incompatível com o calor que fazia do lado de fora, em João Pessoa, porque uma coisa é manter um lugar refrigerado e agradável, outra coisa é causar um choque térmico nos clientes. Por fim, sendo a casa especializada em frutos do mar, bem mais chique do que o Mangai, esperávamos mais do prato que pedimos, principalmente por ser também um restaurante mais caro que a média local.




Enfim, valeu a pena conhecer, mas ou fomos em um dia ruim ou realmente não é tudo isso que dizem.

No dia seguinte, terça-feira, que foi o nosso quarto dia de passeios em terras paraibanas, fizemos um dos passeios mais lindos pelo litoral nordestino: Litoral Sul da Paraíba!

Partimos cedo, mais uma vez, com a equipe da Luck Recptivo, e fomos dessa vez de micro ônibus para a Região do Conde. Infelizmente, dessa fez não tinha água nem banheiro no veículo.

Eu confesso que cochilei no caminho e não seu afirmar muito sobre a estrada que me pareceu razoável. Portanto, nosso objetivo era explorar as Praias Bela, Tambaba e Coqueirinho, que visitamos nesta ordem.

Primeiro, paramos em um lugar onde havia a venda de doces e onde o Rodrigo, do passeio da Penélope Charmosa se apresentou para a gente e explicou como seria seu passeio, que foi cobrado à parte e não estava incluso. (Custou uns R$30,00 por pesoa). Essa pausa de cerca de 30 minutos ou mais, ao meu ver, foi desnecessária nesse momento. Era bem cedo e todo mundo queria chegar logo na primeira praia. É claro que reconheço a iniciativa de ajudar o povoado local que vende seus produtos, só que acho que isso poderia ter sido na volta, no final do dia, porque todo mundo já teria almoçado e muitos ficariam com mais vontade de comprar um docinho para sobremesa. 

Então, fomos direto para a Praia Bela, onde há o encontro do rio com o mar e muitas mesas com cadeiras na areia e também na água do rio. 




Como era a semana pós réveillon, ainda estava muito cheio. Eu até preferiria o lugar se estivesse mais vazio. Ainda assim, como chegamos cedo, não prejudicou muito.





Pudemos curtir o rio, que estava uma delícia, caminhar pela areia à beira do mar e avistar muitas e muitas falésias. Para os que têm mais tempo, é possível alugar caiaque por lá e entrar mais pelo rio, ver de perto o mangue que o margeia. Só não curti ver uns lixinhos na água do rio perto das mesas. Lamentável ver como tem gente sem consciência, sem respeito com o meio ambiente. Triste mesmo.




Bem, eu não fiquei muito tempo por lá porque combinei de fazer o passeio com o Rodrigo, uma figura pitoresca que encarna a Penélope Charmosa (sim, aquela do desenho "A Corrida Maluca" e se veste de rosa todinho e o carro é rosa também!). Após cerca de 1h de Praia Bela, um grupo partiu com a Penélope no sentido da Praia do Coqueirinho, passando por falésias e mirantes incríveis.


Fui sozinha dessa vez porque queria muito relembrar essas paisagens lindas. Em 2009, quando lá estive, o próprio passeio que fazia o litoral sul passava por parte dessas falésias, como no caso do Mirante para o Castelinho da Princesa. Porém, 7 anos depois, agora somente buggys e off roads que vão até lá.



O passeio com a Penélope, portanto, apesar de bobo tem o seu valor se você for como eu que adora explorar bem o lugar e não resiste a mirantes para paisagens deslumbrantes. Mas, como já disse, é um passeio engraçadinho, até meio bobo, só que o pessoal do carro divertiu-se muito e eu amei as paisagens. Logo, eu indico.






Além do mirante para a formação de falésias que tem o nome de Castelinho da Princesa, que é lindo, estivemos em outros 3 mirantes para o mar, mais falésias e vegetação.



E que mar, viu? Visto do alto então é surreal de tão lindo e tão verde florescente.

Dentre esses mirantes, outro que impressiona é o Dedo de Deus de onde se tem uma vista espetacular para a Praia do Coqueirinho. Incrível mesmo!




Eu já me lembrava de que a praia do Coqueirinho era linda, mas foi minha primeira vez neste mirante e até sem palavras. Aproveitei para pular e deixar a marca só Apaixonados por Viagens lá.

Esse passeio com a Penélope dura pouco mais de 1 hora. Ao seu término, o Rodrigo levou a gente ao encontro do ônibus da Luck Receptivo que estava em um mirante, igualmente lindo, voltado para a as falésias da Praia de Tambaba!



Então descemos para curtir um pouco da Tambaba (pouco mesmo, porque foi somente 1 hora e ela é linda demais para tão pouco tempo!). Tambaba é uma praia super emblemática e famosa por ter sido a única praia de naturismo oficializada no nordeste!



Calma calma que eu não tirei o biquíni kkk... ainda sou muito apegada a ele e lá, em Tambaba, tudo é feito de forma muito discreta, com regras a serem observadas e uma divisão natural entre os dois lados da praia, sendo um voltado para quem deseja ficar pelado e outro para quem não quer. 

O acesso ao lado naturista se dá por uma escada em uma espécie de morrinho que separada naturalmente as praias. Eu cheguei lá apenas para fotografar a placa e a parte não naturista e o fiscal que fica de olho já veio me dar bronca. Expliquei que eu não iria para o outro lado e não tinha como ver dali de onde eu estava. Eu realmente não queria ir nem ver pessoas peladas porque já tive minha cota na Grécia, principalmente em Mykonos kkk... 




As regras são claras, devem ser seguidas e há fiscalização. Só entram casais! Não pode fotografar e, para quem ficou curioso, só indo lá mesmo para ver! 

Quem não ficou curioso e tem apego às roupas, ainda assim poderá curtir uma das praias mais lindas do nordeste! Eu adoro o cenário desta praia e a pedra com o coqueiro solitário que fica à mercê da maré compõe uma paisagem deslumbrante!


Em 2009, quando fui, caminhei no sentido oposto ao da praia de naturismo, na direção das falésias que possuem um colorido inesquecível e pensei em fazer o mesmo desta vez, também para relembrar. Mas não era possível porque a maré estava alta! Impressionante a diferença na paisagem que vi há 6 anos, com a maré baixa, quando pude caminhar tranquilamente. Mas nem por isso foi menos proveitoso. Ficamos por lá curtindo as piscinas naturais, relaxando com um delicioso banho e tirando muitas fotos, obviamente!




Ai que saudade daquele mar quentinho!!

Na sequência, fomos para a Praia do Coqueirinho! O ônibus foi estacionando no alto da falésia e o grupo foi convidado a almoçar no restaurante que a Luck Receptivo havia reservado. Contudo, como o restaurante ficava bem no alto da falésia sem vista que me agradasse para o mar, decidimos descer e procurar um à beira da praia para não desperdiçarmos aquela paisagem deslumbrante.




Os quiosques estavam cheios, menos o Beach House Restaurante e Pousada, de frente para o mar, onde acabamos ficando pela praticidade e também porque não tínhamos muito tempo (cerca de 2 horas somente para almoçar e curtir a praia). Muitos do nosso grupo nem desceram a ladeira depois do almoço e, já pensando nisso, na preguiça que daria de descer a ladeira e depois subi-la, já que ela é bem íngreme, acho que foi uma decisão acertada ficar logo lá embaixo, de frente para a praia, curtindo o visual.



Sobre o restaurante, em si, a comida estava mais ou  menos. Achei a carne de sol que pedimos meio dura. Mas estava Ok! Afinal, a intenção era beliscar algo simples e o principal era curtir a praia. 


Pude caminhar duas vezes pela Praia do Coqueirinho, fotografar bastante suas pedras, seu mar esverdeado... até vimos pessoas fazendo ensaios fotográficos por lá... o lugar é lindo mesmo e já foi escolhido pela Revista Quatro Rodas como uma das 10 Praias mais bonitas do Brasil!!!



Super justo, não acham?

Nem mergulhei, embora estivesse convidativo, mas fiquei com preguiça de depois ficar toda molhada... aproveitei mesmo para caminhar!! Pena mesmo foi ter que partir (e encarar a ladeira da volta kk)!



A volta para João Pessoa foi tranquila e direta, sendo cada um deixado em seu hotel.

Neste mesmo dia, nós ainda tivemos disposição para jantar - e foi um jantar maravilhoso e delicioso - no L'Entrecôte de Paris. Foi nosso último jantar em João Pessoa e fechamos com chave de ouro!

E agora, em nosso último dia em terras paraibanas, com muita tristeza e pesar no coração, pois tínhamos que voltar para nossos maridinhos lindos que estavam morrendo de saudades da gente rsrs... fizemos um passeio maravilhoso para a Ilha da Areia Vermelha, que eu já havia feito em 2009, mas fiz em dia horroroso, com chuva, nuvens negras no céu e precisa expurgar isso da minha memória!

São Pedro caprichou na nossa despedida! Aliás, ele caprichou em todos dias com muito sol e céu azul. Só faltou combinar com a Tábua das Marés, porque pegamos uma tábua super desfavorável, com dias de maré bem cheia que nos impossibilitaram de curtir as piscinas naturais do Seixas e do Picãozinho... uma peninha, até porque minha experiência no Picãozinho, em 2009, também foi igualmente horrível, com chuva, céu cinza... 


Bem, não se pode ter tudo e, graças a Deus que ao menos o passeio para a Areia Vermelha a gente conseguiu fazer e foi lindo demais!!

Saímos mega cedo, antes das 7h da manhã, porque neste dia não poderíamos atrasar de forma alguma, já que nosso voo de regresso ao Rio saía às 16h. Ou seja, tínhamos tudo cronometrado e contamos com a ajuda da Luck Receptivo para que desse certo - e deu tempo de fazer tudo e curtir muito!

Chegamos em Cabedelo, no litoral Norte, e em pouco tempo embarcamos em um catamarã de dois andares na direção da paradisíaca Ilha de Areia Vermelha, que fica a 1,5km da Praia do Poço.



Pelo caminho, um mar verde quase fluorescente, super caribenho, tornava o nosso passeio ainda mais belo. É interessante notar que a Ilha da Areia Vermelha só aparece quando a maré está mais seca e por isso que é tão importante a questão da Tábua das Marés. Fiquei realmente chocada em acompanhar a rapidez com a qual a maré subiu e invadiu a ilha, tomando conta dela ao ponto de ela desaparecer.


A guia que nos acompanhou disse que a variação da maré poderia chegar em até 2 metros de altura!! Agora peeeeeense que aquela ilha ali toda, enorme, que vimos logo cedo seria completamente coberta pelo mar ao ponto de ter em cima dela 2 metros de altura de água???


É ou não é impressionante!! Um verdadeiro espetáculo da natureza!

Então, quando chegamos, logo avistamos aquele banco de areia comprido, em tons verdadeiramente avermelhados e muitas barracas e cadeiras de praia. Por lá, há serviço de bar que oferece (pago à parte) uns espetinhos e bebidas. Mas chegamos tão cedo que nem tínhamos vontade de comer algo e eu, para completar, estava muito indisposta naquele dia.




Ahhh... um detalhe importante: não tem banheiro!! Nem no catamarã nem lá na Areia Vermelha, viu? Digo isso porque, como eu estava indisposta e parte disso tinha a ver com um revertério intestinal, eu fiquei tensa! Mas, ainda em terra firme, antes de embarcar no catamarã, a guia nos indicou onde haveria um banheiro de um bar para a gente usar, que seria justamente o restaurante para onde a gente iria depois de regressarmos da Areia Vermelha.

Portanto, é bom se precaver rsrs..

Ainda sobre a Areia Vermelha, reparem que o tempo de passeio depende totalmente da variação da maré e não poderia ser diferente já que, à medida que a maré vai subindo, a ilha, ou melhor, o banco de areia vai desaparecendo.

O bom é que tivemos tempo suficiente para curtir bastante o lugar, caminhar, mergulhar, nadar, relaxar, tirar trocentas fotos porque lá é lindíssimo!! Você estar ali no meio do oceano e poder caminhar e caminhar sem afundar é uma sensação incrível!

Havia uma pessoa com prancha de SUP para alugar, mas eu sinceramente nem queria saber disso, mas tão somente ficar registrando aquele paraíso e curtindo suas piscinas naturais. Havia também um cardume enooooorme de tambaquis rodeando os barcos. Tão grandes que eram que eu até pensei que fossem cações, ou seja, filhotes de tubarões.

Nós até chegamos perto para tirar umas fotos deles, mas sem tocar, é claro! E não é que depois que voltamos de viagem a gente viu uma série de reportagens falando sobre "ataques" de tambaquis no litoral paulista? Fiquei horrorizada!! Pois os da Areia Vermelha pareciam tão dóceis...



Fato é que não se pode brincar com isso e os tambaquis tem uma espécie de ferrão que é altamente cortante como uma faca e que, se fincado na pele da pessoa, não pode ser retirado porque ele tem uma serra e pode causar um estrago ainda maior se for puxado. Logo, pelo amor de Deus!!!, fiquem longe dos tambaquis e, se ocorrer um acidente como esse, não tentem tirar o ferrão sozinhos e corram para o hospital para não infeccionar!

Aos poucos a gente foi se despedindo da Ilha de Areia Vermelha e da Paraíba também... foi tão curioso ver a velocidade do mar cobrindo-a totalmente e também a correria das pessoas em recolher as cadeiras e barracas e não deixar a maré levá-las!




Voltamos para a Praia do Poço, onde tivemos mais cerca de 1 hora para descansar, curtir a praia ou comer no restaurante indicado pela Luck Recpetivo. Confesso que o atendimento deste restaurante estava bem ruim e confuso, mas conseguimos comer alguma coisa enquanto admirávamos a bela praia que estava ainda mais espetacular e fluorescente com o sol forte!




Foi uma despedida maravilhosa da Paraíba! Fechamos uma viagem incrível em que tudo deu certo, com passeios maravilhosos, paisagens inesquecíveis e muito aprendizado da cultura paraibana e de sua história.



Muito obrigada pelo carinho e recepção que tivemos por toda a equipe da Luck Receptivo, com guias simpáticos, solícitos, bem informados, carros e ônibus em bons estados e motoristas atenciosos e responsáveis. 



O que faltou fazer ou revisitar na Paraíba:

- Piscinas naturais do Picãozinho: fui em 2009, mas peguei chuva e preciso um dia fazer novamente com sol

- Piscinas naturais do Seixas: não conheço

- Praias do Litoral Sul, ao meu ver o mais bonito, que ainda não conheço: Carapibus, Barra do Gramame, Praia do Amor e Tabatinga

Portanto, se você quiser passear por todos os lugares maravilhosos que a Paraíba oferece, sugiro que fique pelo menos 6 dias por lá! 

João Pessoa, vista de Cabedelo

em algum lugar da orla de João Pessoa

Bessa

**Vantagens de contratar excursões com a Luck Receptivo**

- Poder ficar despreocupado com mapas, não ter que estudar ou pensar nisso e ficar tranquilo que chegará no destino

- Conforto de poder dormir um pouco durante os deslocamentos em poltronas reclináveis dentro do ônibus

- Facilidade e Praticidade de ter alguém que montará seu roteiro de passeios já levando em conta o seu perfil, seus gostos, condições da maré etc

- Organização e Planejamento que farão com que você possa aproveitar mais o local se você for do tipo que dorme até mais tarde rsrs... afinal, o fato de estar pagando os passeios (sempre é solicitado um sinal antes para confirmar os passeios e, muitas vezes, você conseguirá bons descontos se pagar tudo de forma antecipada)

- Guias que vão te acompanhar e que te ajudarão nas suas dúvidas, passarão informações locais e estarão presentes para te auxiliar no que for necessário, o que é uma comodidade necessária para muitas pessoas.


Praia da Ponta da Campinha, em Cabedelo

Praia da Ponta da Campina, Cabedelo

** Desvantagens de contratar excursões em grupo **

- O horário muitas vezes é mais apertado e pode acontecer de você gostar mais de um lugar do que de outro que esteja no roteiro, mas terá que cumprir os horários determinados pelo guia. Muitas vezes, quando estamos por nós mesmos, com carro alugado ou com um serviço privativo e exclusivo de passeios, você faz o seu horário e fica quanto tempo desejar no local de que mais gostou.

- Passar de hotel em hotel para buscar e devolver as pessoas pode ser muito chato e enfadonho para alguns. No meu caso, é o momento que uso para cochilar ou para ler emails, whatsapp e postar no Instagram.

- Torcer para a ter sorte de ir com um grupo legal, de pessoas responsáveis que respeitarão tudo quanto for combinado. Pois, se não for assim, aí o passeio pode ficar bem chato porque não é legal ficar dentro de um ônibus esperando os "atrasildos".

- Quase sempre os restaurantes para onde as excursões nos levam para almoçar não são necessariamente os melhores em termos de preços e qualidade. Como eles recebem comissão por indicar um determinado restaurante, o turista acaba ficando amarrado a isso. Porém, por exemplo, você poderá remediar isso quando possível, como foi no caso da gente lá na Praia do Coqueirinho em que o restaurante sugerido pela Luck ficava no alto, praticamente sem vista para o mar. Daí a gente desceu e procurou um de frente para a praia o que nos permitiu curtir a praia, caminhar, fotografar... aí também é algo que depende de cada um.

Ilha da Areia Vermelha

Praia do Poço

** HORÁRIOS E VALORES DOSPASSEIOS FEITOS **

. Esses horários podem sofrer alterações a depender da época do ano e os valores costumam sofrer mudanças a cada ano. Confira no site da Luck os valores. Valores abaixo referentes à consulta feita hoje no site.

- Transfer in/out, a partir de R$44,00 por pessoa

- City Tour: das 9:15 às 16:00, R$29,00 por pessoa

- Litoral Norte / Cabedelo + Pôr do Sol no Jacaré: das 7:00 às 18:30, R$69,00 por pessoa (preço normal é de R$85,00)

- Litoral Sul / praia do Conde: das 7:00 às 16:00, R$85,00 por pessoa

- Areia Vermelha: das 6:30 às 13:00, R$85,00 por pessoa

Obs.: os passeios não incluem refeições.



13 comentários:

  1. Adorei suas dicas.Pretendo ir em breve e vou copiar alguns de seus roteiros.Obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Adorei suas dicas.Pretendo ir em breve e vou copiar alguns de seus roteiros.Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Silvia!
      Fico feliz por ajudar!
      Se tiver alguma dúvida, conte conosco.
      João Pessoa é um lugar bem bacana e as praias da Paraíba são lindas!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  3. Amei as dicas, entrei em contato com a luck e já montei um pacote "basiquinho" de passeios.
    Semana que vem tô desfrutando desse paraíso ...Se Deus quiser !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Josy!
      Tudo bom?
      Muito obrigada! Que bom! Tenho certeza de que vai gostar!
      Esse litoral paraibano é muito especial.
      Beijos e depois me conte como foi.
      Lily

      Excluir
  4. Adorei as dicas. Irei usá-las bem em dezembro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Daniela! Fico muito feliz! Espero que goste tanto como eu. E depois volte cá para nos contar as novidades, viu?
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  5. Nossa muito legal o que vc relatou! Vou pela 3 vez a JP mas como vamos com um bebe de 2 anos não dá pra fechar nada para o dia todo,então estamos pesquisando passeios mais perto e com boa estrutura né!
    Abçs

    ResponderExcluir
  6. Oi, David! Tudo bom? Muito obrigada. Quero depois que você nos conte como foi a sua viagem com o bebê e quais passeios fez! Com certeza, dará tudo certo!

    Segue aqui o link para o nosso Guia de João Pessoa - http://www.blogapaixonadosporviagens.com.br/2016/04/paraiba-e-joao-pessoa-post-indice.html

    Espero que ajude!

    Abraços,
    Lily

    ResponderExcluir
  7. Nada como desfrutar das melhores praias do litoral paraibano com o passeio de buggy. Você tem acesso a trilhas, falésias e mirantes. São lugares que poucas pessoas chegam, pois o acesso é bem difícil. Vale muito a pena fazer este passeio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, o passeio de buggy deve ser bastante divertido também! =)
      Feliz 2017!
      Abraços,
      Lily

      Excluir
  8. Adorei suas dicas! Você é sincera e comprometida com seus seguidores. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz por ter gostado! Seja sempre bem vinda aqui no blog.
      Beijos,
      Lily

      Excluir