terça-feira, 17 de novembro de 2015

Aruba: explore o Lado B da Ilha com a ABC Tours! Confira aqui!

Dando continuidade aos posts de Aruba, vamos relembrar e falar um pouco mais do ótimo Jeep Safari, que fizemos no dia 10 de outubro, a convite da agência de turismo ABC Tourspelo lado mais selvagem de Aruba! O verdadeiro Lado B da Ilha Feliz!

O passeio foi agendado com antecedência de 1 semana e sugiro fortemente fazer a reserva antes. 

Dica: os passeios feitos aos finais de semana são mais em conta, com descontos, do que os passeios feitos durante a semana. Como o turismo de Aruba ainda é bastante dedicado aos viajantes vindos dos EUA, como a maioria dos voos chegam e partem aos finais de semana, os turistas norte americanos aproveitam o final de semana, de modo geral, para descansar e arrumar ou desarrumar malas para passear durante a semana. Isso não quer dizer que você não encontrará turista americano aos finais de semana, viu? Mas apenas que a procura pelos passeios é maior durante a semana e, por isso, há descontos para os finais de semana.




Bem cedinho, às 7:15 da manhã, Ralph, guia experiente e que sabe muito sobre Aruba, foi buscar a gente no Boardwalk Small Hotel, onde estávamos hospedados, e levou-nos à sede da agência ABC Tours, onde os grupos que fariam o passeio foram separados entre aqueles que fariam o passeio apenas em um turno daqueles que fariam o passeio durante todo o dia. Preenchemos também um formulário sobre responsabilidade do passeio.

Como lá na sede tem água e banheiro, é uma boa oportunidade para aproveitar para usá-lo rsrs.. principalmente para quem fizer o passeio de dia inteiro, porque, além desse momento, só terá mais outro momento durante a manhã para ir ao banheiro. E se apertar a vontade para fazer xixi, aí ficará complicado mesmo porque a gente não teve pausa para banho durante a manhã.



O passeio de dia inteiro é super completo, custa 105usd, começa efetivamente às 8:30 e termina por volta das 18:30, incluindo almoço na sede da agência onde fica o restaurante Waka Waka. Também inclui água durante o passeio e refrigerantes.

Passamos por diversos lugares super diferentes de  Aruba! Quem acompanha aqui o blog, deve ter lido sobre o post que conta um pouco do LADO B de Aruba, lembram? Então, fomos de Jeep explorar bastante esse lado B, mais selvagem, com menos ares caribenhos, porém, super interessante, exótico e curioso.





Como o grupo do passeio que faria o dia inteiro acabou sendo maior do que a quantidade de motoristas (cada jeep comporta até 8 pessoa, mais o motorista e o carona), o Ralph perguntou ao grupo quem gostaria de dirigir o outro jeep que estava sem motorista e logo o Julio se prontificou. Junto com ele, também o Robert, norte-americano, e o Sebastian, colombiano, e assim formamos um grupo (eu, os motoristas, o amigo do Robert e a Melina, namorada do Sebastian, fomos num jeep e ficamos super confortáveis porque nosso jeep foi só para a gente).

Julio amou a experiência de dirigir o jeep! E eu, obviamente, fiquei tensa kkkkk... principalmente quando passávamos perto de penhascos! Ai Jesus! Eu ria de nervoso, sabe? kkkk... e era um tal de sacolejar que parecia estar treinando para uma tourada em Barretos!



Acabou sendo uma verdadeira e louca aventura! 

Começamos bem lights, seguindo pelas praias no sentido norte da ilha, passando por Hadicurari, Malmok, Boca Catalina e Arashi, antes de chegarmos ao Farol Califórnia, na região de Arashi Beach.




No Farol, fizemos uma pausa para ouvir as explicações do Ralph, para fotografar e para ir ao banheiro do restaurante La Trattoria El Faro Blanco.



Nós não subimos no farol. Estava fechado e, para ser sincera, não sei informar se é possível subir nele. O Ralph nem deu essa sugestão para a gente.





Logo ali ao lado do restaurante, há um mirante de onde se pode observar praticamente toda a costa de oeste de Aruba. A névoa da manhã em que fizemos o passeio não deixava ver até o final, mas imagino que em dias ensolarados seja perfeitamente possível! Vale a pena passar por lá, porque também é acessível de carro, não precisa ser só de jeep!




O Farol California recebeu esse nome após um naufrágio, de um navio a vapor chamado U.S. California, que bateu na ilha por não haver sinalização alguma/farol, mais ou menos em 1891. Alguns anos após, em 1910, o farol foi construído.


Na sequência, fomos pelo lado leste da ilha, o lado mais diferente, sem praias de areias branquinhas, finas e mar azul neon calminho. Pelo contrário, cliffs, penhascos, pedras e mais pedras compõem um cenário totalmente rústico, com algumas praias formadas pelas bocas das rochas, muitas ondas, mar agitado, muitas pedras que são corais fossilizados e por lá fomos seguindo até a segunda pausa do passeio.



Paramos para observar a quantidade de pedras empilhadas! Pelo que entendi, trata-se de uma tradição: quem empilha a pedra, volta para Aruba! Mais conhecido como o Jardim dos Desejos!




Por via das dúvidas, o Julio foi lá garantir o nosso retorno e empilhou as pedrinhas!! rsrs... 




É impressionante ver a quantidade de pedras empilhadas! Mais impressionante ainda é pensar há quantos anos as pessoas não fazem isso e como a ação do vento e do mar não foram suficientes para destruir tudo isso.

Seguimos passando por mais penhascos até chegarmos na Igreja Alto Vista, onde fizemos mais uma pausa para fotos, explicações, alguns foram tomar drinks, piñas coladas, preparadas lá (pagas à parte) e nós fomos explorar os arredores da Igreja Alto Vista.

A Igreja, ou Capela, Alto Vista foi construída em 1952 no mesmo local onde havia a primeira igreja católica da ilha, que foi erguida em 1759 pelos índios e espanhóis. Interessante também observar que a Aruba não tem esse título de ilha feliz a toa! São mais de 50 nacionalidades e mais de 40 religiões convivendo em harmonia na One Happy Island! Contudo, pelo menos 70% da população é católica! E é na Igreja Alto Vista onde é feita a Via Crucis durante a época da Páscoa.


Entramos nela e aproveitei para fazer uma oração. Minha falecida avó portuguesa, que era muito religiosa, ensinou-me a sempre que entrasse em uma igreja antes nunca visitada a fazer uma oração, um pedido e assim venho fazendo a vida inteira. 




Os cactos ao redor da capela são lindos! Enormes! E, a depender do ângulo, eles parecem verdadeiramente serem mais altos que a própria igreja!


Mas calma! É só um efeito óptico rsrs... uma ilusão mesmo.


 

A manhã não havia terminado ainda e seguimos caminho com uma parada em uma praia, desse estilo boca, entre pedras. Eu peço desculpas por não lembrar exatamente o nome dessa praia, que pode ser a Boca Grandi, ou a Boca Cura ou a Chikito.

Nela, a gente brincou de achar pedras, que na verdade são corais fossilizados, em formato de coração, para colocar na rocha!





Certo é que essa praia é alguma boca antes de chegarmos à Ponte Natural de Wariruri, pois essa foi a nossa próxima parada!



Pudemos curtir um pouco da praia de Wariruri e da Ponte Natural! Há várias em  Aruba, mas, em 2005, a mais conhecida e visitada, que é a de Andicuri, desmoronou, como reflexo de furacões no Caribe que deixaram o mar mais revolto e, como efeito da erosão, a ponte não resistiu.



Ainda pela manhã, fomos visitar as históricas Minas de Ouro de Bushiribana!



E tome mais poeira!!! hahahahah... o tanto de sujeira na roupa e na mochila faz mesmo lembrar um bom rally, viu?

Aliás, prestem bem atenção se quiserem fazer esse jeep safari: SUJA MUITO! Sem frescuras, viram? E, por favor, evitem roupa branca, a não ser que vocês sejam desapegados e não se importem que a roupa branca fique marrom! kkkk... A mochila ficou imunda, mas como ela é emborrachada e à prova d'água, deu um bom banho nela que ficou tinindo de nova! É recomendável também levar toalha para o passeio do Jeep Safari.





Sobre as Minas de Ouro de Bushiribana, nos séculos 1400 e 1500, muitos exploradores passaram pelo Caribe em busca de tesouros e ouro. As minhas hoje estão abandonadas, mas já processaram toneladas do minério que foi descoberto na ilha em 1824. Chegou a produzir cerca de 1.500 toneladas de ouro!

Fizemos uma parada com mais explicações sobre a mina e a exploração do ouro. Também com direito a caminhar pelas ruínas, tirar fotos e contemplar um pouco a região.

É claro que cada pausa tinha um tempo determinado, de cerca de 30 minutos. Mas os guias não eram assim tão rigorosos e às vezes a gente acabava ficando um pouco mais. Praticamente eu e Julio sempre éramos os últimos kkkk... por que será?

Então, após essa maratona matinal, com muita poeira, muita aventura no jeep, fomos finalmente almoçar, no próprio restaurante da ABC Tours, o Waka Waka Restaurant

Para quem faz o tour completo de dia inteiro, o almoço está incluído no pacote

Antes mesmo de sairmos para o passeio, eles perguntaram qual era a nossa preferência entre salada de massa ou churrasco. Qualquer coisa diferente disso, como uma ceasar salad, por exemplo, é paga à parte.

Optamos pelo churrasco. Na verdade, era um buffet onde havia garçons servindo a gente. Ou seja, você podia fazer um prato bem farto se desejasse. 



Eu apenas não aconselho porque ainda tem muito passeio pela frente, com muito sobe e desce pelo Parque Nacional de Arikok, muito chacoalhar pelas pedras e mergulhos! Para não passar mal, melhor não exagerar na comida e bebida, ok?

Assim, após a pausa do almoço e depois de checar as notícias, zap zaps e instagram kkk (o wifi do restaurante Waka Waka é ótimo!), partimos rumo ao Parque Nacional de Arikok, para mais aventuras!!

Antes de chegarmos ao Parque, passamos pelo centrinho de Orejanstad!




Eu já havia passeado um pouco de carro pelo centrinho de Aruba. É muito fofo! 

Queria ter tido tempo de andar um pouco mais por ali, andar de bonde...



As casinhas que remetem à arquitetura holandesa, especialmente de Amsterdam, são lindas!





Aí sim, veio a aventura! E bota aventura nisso! Dessa vez, no revezamento dos motoristas, era o Julio que estava dirigindo e eu confesso que fiquei bem tensa com os ladeirões de pedras no caminho!




Por isso mesmo, para quem tiver ficado empolgado com a possibilidade de dirigir o Jeep, fica o alerta: só dirija se estiver muito seguro disso! Eu não sei dirigir, mas jamais me prontificaria para isso porque achei super arriscado!

 


E dá-lhe mais poeira! Pedra! Ladeiras! kkkkk... rally para ninguém botar defeito!

A primeira parada foi em Dos Playa, literalmente, duas praias separadas por uma rocha.

Mar mais agitado, típico desta costa, com muitas ondas... Julio fez a festa "pegando jacaré" e se acabou por lá! Ele curte um mar mais agitado, com ondinhas, para brincar e já estava cansado do marasmo das praias calminhas de Arashi, Baby Beach, Eagle e Palm Beach rsrs...



Eu, todavia, sou mais adepta a uma praia mais calminha para relaxar! Logo, fiquei quietinha e comportada na beirinha e só mesmo entrei um pouquinho para me banhar e tirar a poeira do corpo!

Em seguida, fomos direto para a Piscina Natural de Conchi!


 
Nem sempre a maré é favorável para o mergulho em Conchi, portanto, se você for por conta própria, além de precisar de um carro mais Off Road, verifique com o pessoal local qual o melhor horário para ir e se o mar estará bom para mergulhar para você não perder seu tempo, ok? 




Essa piscina de água do oceano é protegida do mar bravo por uma barreira de enormes rochas de lava. Alinhada na base dos penhascos, a noroeste de Dos Playa, eu achei incrível a quantidade de peixinhos e a transparência da água, mesmo não estando com sol naquele momento. Tudo bem que rolou uma forcinha por parte dos guias da ABC Tours kkk... eles levarão migalhas de pão para atrair os peixinhos e funcionou direitinho!!

Nesse dia, do nosso passeio, o sol meio que sacaneou a gente. Começamos com sol, depois mormaço, depois sol de novo, depois nublado e, no final do dia, o céu limpou e veio um solzão perto do pôr do sol...



Com sua paisagem única, é difícil não se sentir tentado a entrar na água para se refrescar, e esse é um dos poucos pontos do parque onde nadar é permitido. Tanto nativos quanto turistas adoram praticar snorkel na piscina.




Ainda pelo Parque Nacional de Arikok, nós fomos explorar um pouco da caverna de Guaridikiri!

Essa é a mais visitada dentre as várias cavernas de calcário da costa norte, no Parque Nacional Arikok.






Famosa pelas brechas de luz natural que penetram por fendas, exploradores podem aventurar-se pelas várias camadas da gruta, que vão de largas e altas a baixas e estreitas. 


Mas se você tiver medo de morcegos, fica o alerta: há vários morcegos lá dentro! E também não ande sozinho por lá para não correr o risco de se machucar ou se perder (apesar de que as galerias da caverna que são abertas à visitação não são muitas e nem dá para se perder assim... mas principalmente tenham atenção com as crianças!!).



Há uma pedra bem curiosa dentro da caverna. Reza a lenda que a filha do Deus Sol da Tribo Arawak teria desobedecido ao pai, pois ela estaria proibida de se apaixonar por quem quer que seja, mas acabou apaixonando-se. Como punição, seu pai a aprisionou nesta caverna. 

A pedra teria o formato de um rosto e estaria posicionada estrategicamente para escorrer lágrimas do olho em dia dia de chuva, por isso os índios acreditavam tratar-se da própria deusa aprisionada. E seu espírito estaria até hoje dentro da Caverna Guadirikiri.


Por fim, da caverna nós fomos direto para Baby Beach, onde finalizamos o passeio com um ótimo snorkeling guiado pelo Ralph. 

Não havíamos feito snorkel em Baby Beach, embora tenha sido a nossa terceira vez nesta praia, porque não sabíamos direito para onde ir. 

Na verdade, o melhor local para snorkeling é do lado esquerdo da Baby Beach (lado oposto ao da refinaria), onde há muitas pedras e uma placa alertando para o perigo de não ultrapassar essas pedras por conta da correnteza forte que há lá e pode puxar para alto mar. Portanto, atenção mesmo para isso e não vá além! 



Entre ali nas pedras (estar com a papete/sapatilha de neoprene/crocs ajuda bastante por causa das pedras) e você já perceberá que a correnteza é forte e vai te levar direto para a Baby Beach mesmo. 

Muitos peixinhos farão valer a pena o mergulho lá!

 



Não apenas peixinhos, como corais lindos também!!!




Assim, nós terminamos o passeio e fomos para a sede da ABC Tours, onde deixamos os jeeps e fomos para um microônibus para cada um ser levado para seu respectivo hotel.

  
Embora tenha sido mega cansativo esse dia inteiro de passeio no qual terminamos no melhor estilo "Cascão" de ser, eu super recomendo que o façam porque é muito animado e mostra um lado de Aruba pouco explorado, diferente, com contrastes maravilhosos para aquela Aruba da areia branca e mar azul... eu achei fascinante!

Recomendo!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário