segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Pernambuco: Rural Tur por Paudalho e Gravatá

Quando o Apaixonados por Viagens recebeu o convite do SEBRAE Pernambuco para participar do RuralTur 2017, fiquei bastante curiosa pelo projeto e pelo objetivo de divulgar um roteiro diferente daquele mais conhecido e badalado do estado. 



Quando você pensa em Pernambuco, tenho certeza de que logo vem à sua mente destinos como Porto de Galinhas, Carneiros, Muro Alto, Recife, Olinda e, por fim, o mais desejado e talvez o mais caro destino de viagem do Brasil, Fernando de Noronha, que pertence a este estado.

Por isso mesmo encantei-me com essa iniciativa de resgatar tradições, de valorizar os costumes regionais, de preservar a história do Estado, de investir num turismo que sai do lugar comum, zero convencional, que vai muito além de roteiros massificados e pasteurizados, buscando um verdadeiro turismo de experiência com fins pedagógicos e culturais. 

Afinal, quem também não gosta de cochilar numa rede e deixar as horas passarem, sem pressa, sentindo aquele cheirinho gostoso de mato verde? Ou participar de uma mesa farta, onde não faltarão motivos para para praticar um cadinho do pecado da gula? Refrescar as ideias em banhos de rio, cachoeira, de bica... ou simplesmente degustar uma cachaça ao ritmo de uma boa prosa sobre os templos e a magia do ciclo do açúcar em Pernambuco? Um universo que parece perdido no tempo, perfeito para se desconectar (ou seria para se conectar de verdade consigo próprio...), pois é exatamente isso que a Rota Rural em Municípios como Vicência, Gravatá, Goiana, Paudalho, Cabo de Santo Agostinho e outros desejam proporcionar aos que se permitirem fazer algo novo, descobrir uma nova experiência e curtir a vida naturalmente, contemplar a natureza... sem pressa!


Vocês podem ver tudo o que foi postado no instagram acessando a tag #ApaixonadosPorViagensPernambuco17 , onde há cerca de 30 fotos e dicas!


Proooonto, lá estava eu embarcando no dia 30 de novembro de 2017 para esta aventura de 3 dias intensos de passeios, visitas técnicas, acordando cedo, dormindo pouco, absorvendo muito conhecimento para transmitir aqui para vocês e fazendo uma genuína imersão gastronômica e também religiosa neste universo rural do Estado de Pernambuco que está intimamente interligado à história dos Senhores de Engenho, da produção de cana de açúcar para a fabricação do açúcar, da cachaça, com tradições sendo passadas de geração em geração de Senhores de Engenho que movimentaram a economia de Pernambuco durante séculos e cuja história as atuais gerações estão se esforçando para manter viva na memória das pessoas.



Gente... eu rodei, viu? Olhem só no Mapa abaixo a quantidade de quilômetros que andei por lá!!!



Assim, eu, que sou apaixonada por história, fui conferir o que o SEBRAE e a APETURR - Associação de Turismo Rural e Ecológico - haviam preparado para mim! Viajei com a companhia aérea Gol, que tem ótimas opções de voos diretos do Rio de Janeiro para Recife, o que me permitiu otimizar bem o meu tempo, pois cheguei na quinta à noite e já fui direto para Gravatá, cidade do Agreste de Pernambuco, que fica a cerca de 1:50 de Recife (87 km de distância), e é muito procurada como destino de inverno porque lá – segundo me disseram – faz frio. 


Bem, eu não vi esse frio rsrsrs... mas ok porque estávamos em dezembro e vou dar esse desconto. Deve fazer frio em junho, julho e agosto, perfeito para curtir os festejos de São João que também movimentam bastante a região.

A alegria de quem chegou de madrugada e se deparou com vários presentes!!

O hotel que primeiro me hospedou foi o Hotel Portal de Gravatá, pioneiro em aliar a agradável vida do campo a uma estrutura aconchegante.

Com 210 mil m2 de área, por onde atravessa o Rio Ipojuca, sua estrutura é bem completa como hotel de serra, disponibilizando 88 apartamentos e 206 unidades de apart-hotel, além de oferecer diversas atividades recreativas, para a alegria das crianças e adolescentes. Inclusive, o hotel estava bem cheio de crianças. 

Quarto espaçoso, simples, com design clean, completo e bastante limpo.




Com quadra de tênis, piscinas, sauna, parques, área kids para crianças mais novas e bebês, restaurante, muito verde e criações de animais na Fazenda Modelo, pescaria, passeio de charretem, jogos de salão, dentre outras atividades, foi neste hotel que ocorreu ao longo da semana passada, até o dia 30/11/7, o Rural Tur 2017, que reuniu diversos empresários que atuam no ramo rural do Estado de Pernambuco, de variados segmentos como o hoteleiro, turismo pedagógico, turismo de aventura, gastronômico e artesanato, que juntos fizeram cursos de capacitação, assistiram a palestras e participaram de rodadas de negócios. 

Quem for lá, não deixe de conhecer a Vila do Portal, uma réplica de uma pequena cidade que ocupa uma área de 1.7 mil l2 e tem como finalidade reproduzir a atmosfera serena do interior, com direito a tudo que se espera de uma cidade pequena: capela, pátio com coreto, escola com oficinas, correios, mini sala de cinema...  certamente é um espaço que encantará os pequenos e os adultos, especialmente porque é nele que são ministradas as oficinas do Portal Pedagógico, para aprender a fabricar queijo, por exemplo, chocolates e artesanatos... 





Eu já cheguei no final do encontro e, apesar de não ter participado, achei muito interessante essa valorização do produto rural e todas as sua nuances. 




Após um café da manhã delicioso no Hotel Portal de Gravatá (www.portaldegravata.com.br / reservas@portaldegravata.com.br)a, segui para a região de Paudalho com a Angelina, que já estava por lá me aguardando bem cedinho e fomos juntas conhecer um pouco da história dessa cidade setecentista e de seu Engenho São Bernardo.


Foi meu primeiro contato direto com um Engenho de Cana de Açúcar! Angelina, que é uma pessoa muito acolhedora e querida, comunicativa e apaixonada pelo que faz, levou-me para conhecer o belíssimo casarão onde reside sua mãe, cujo mobiliário parece ter saído diretamente de um filme de época! Móveis centenários lindos demais!





Estivemos também rapidamente em seu restaurante, o Sabor do Sertão, que costuma receber muitos grupos que vão de Recife para almoçar, passar o dia, fazer confraternizações, para andar de charrete... dentre outros. 




A especialidade da casa não poderia ser outra: comidas regionais típicas, como carne de bode, carne de sol, muita macaxeira, carne de charque, feijão verde, farofa de jerimum, galinha de cabidela... uma explosão de sabores que eu tive a oportunidade de experimentar na própria casa da Angelina.


O ambiente todo do restaurante Sabor do Sertão é uma gracinha! Apesar de estarmos na Zona da Mata pernambucana, e não no sertão, a Angelina soube trabalhar o espaço muito bem, que ficou harmonioso, com toda a decoração rústica que é esperada de um espaço assim, mas sem perder o charme e o jeitinho acolhedor de interior.





Paudalho encontra-se a 40 km de Recife, cerca de 1h, às margens da BR-408.

Portanto, é bem pertinho e ótima opção de passeio daytrip para passar o dia, conhecer sua história, dar uma volta na cidade, combinando com um banho bem gostoso de piscina, açude ou de bica nas Águas de São Bernardo que a Angelina vai inaugurar em breve para o público em geral e já está recebendo alguns grupos, uma passadinha na Igreja de Nossa Senhora da Luz do Engenho Ramos, para onde seguem romarias de centenas de peregrinos dentre os meses de outubro até o Domingo de Ramos para agradecer ou fazer seus pedidos à milagrosa imagem de São Severino (o ápice da peregrinação é no Domingo de Ramos), finalizando com um almoço bem gostoso no Sabor do Sertão! 






Vejam aí que potencial de roteiro histórico-cultural-religioso-gastronômico que pode ser feito facilmente partir de Recife num dia, no famoso esquema bate-e-volta!





Eu confesso que, com o calor que estava fazendo, eu fiquei doida para me refrescar num bom banho de bica, viu? Mas tínhamos muito o que ver ainda e o dia estava só começando!


Mas falemos um pouco mais da região de Paudalho: 





Vocês lembram do filme “Lisbela e o Prisioneiro”? Então as várias cenas do longa metragem foram gravadas na cidade de Paudalho! 






O centrinho é fofinho, com jeitinho de cidade pequena mesmo, com direito à Prefeitura em edifício do século XIX, Catedral, pracinha com coreto, casinhas coloridas, decoradas com azulejos portugueses, algumas do século XVII, com fachadas que guardam a história de séculos e muito charme. Além de oferecer um carnaval de raiz, com grupos de maracatu rural, ursos, troças e caboclinhos.






Sobre o Engenho São Bernardo, sua história é super cativante: Angelina contou-me que a construção inicial do Engenho data do século XVII, localizado estrategicamente no alto da colina, de onde se podia avistar tudo e proteger-se de possíveis ataques, e que ele conseguiu manter-se preservado tal como encontramos hoje por estar um pouco mais no interior e não ter sofrido com a invasão dos holandeses na época em que eles estiveram por lá e dominaram boa parte do território pernambucano.





Os holandeses iniciaram a invasão do território pernambucano em 1630 e por lá permaneceram até 1654.




Inclusive, recentemente os empregados da Angelina descobriram na sua propriedade, fazendo a limpeza do gramado, duas moedas de cobre de 1735! Incrível, não é?


     

Ocupando 800 hectares, além do cultivo da cana de açúcar, são exploradas atividades de turismo rural e pedagógico. A Mata Atlântica ocupa cerca de 200 hectares que abrigam várias espécies de animais, nascentes de águas límpidas e lindas paisagens.

A casa grande conta com 2.800 m2 e encontra-se na Rodovia BR-408, km 77.

Infelizmente, por ora o Engenho São Bernardo não está aberto ao público em geral, mas sim para grupos agendados ou no caso de você ir ao restaurante Sabor do Sertão e encontrar a Angelina por lá, pedindo para mostrar o Engenho São Bernardo, com certeza ela terá grande prazer em apresentar essa relíquia da qual cuida com tanto carinho. 


E se for tomar um belo banho refrescante no Águas de São Bernardo, que já está recebendo grupos (sugiro ligar para lá para confirmar a visita e os valores), você verá no alto da colina o Engenho São Bernardo.





Uma pena que passou super rápido esse meu contato com a Angelina e sua história. Mas como no Engenho São Bernardo não há opção de hospedagem, a Angelina levou-me para a cidade de Vicência, ainda na Zona da Mata Norte, mas não se fazermos alumas paradinhas rapidinhas pelo caminho, como na cidade de Tracunhaém, conhecida pelo Artesanato de Barro!





Por falar em artesanato de barro, vejam só a bonequinha linda que eu ganhei! Blogueirinha, com câmera no pescoço, como eu!


Dessa forma, encerrei meu tour com a Angelina que me levou para a cidade de Vicência, onde eu passaria um tempo com os simpáticos e queridos Seu João e Dona Zélia, que me receberam muito bem no Engenho Jundiá, sobre o qual eu contarei para vocês no próximo post. 

Engenho São Bernardo: 
- Contato: engenho_saobernardo@hotmail.com / engenhosaobernardo@hotmail.com
- Telefone: 81 3636-1273 / 81 99952-0177

Acompanhem as postagens também pelo Instagram, na hashtag
 #ApaixonadosPorViagensPernambuco17



Nenhum comentário:

Postar um comentário