domingo, 13 de agosto de 2017

Onde se Hospedar em Kuala Lumpur: Mandarin Oriental Hotel

A primeira vez que você se hospeda em hotel do porte do Mandarin Oriental, você definitivamente não se esquece jamais! E, em nossa viagem pelo Sudeste Asiático, entre os meses de fevereiro e março de 2017, nós tivemos o prazer e a honra de conhecer dois hotéis deste grupo tão prestigiado mundo afora, reconhecido por sua excelência em prestação de serviços de alto nível, por oferecer aos seus hóspedes uma experiência completa permeada de muito luxo, elegância, glamour e sofisticação em todos os hotéis da rede, sejam eles na Ásia, Europa, África ou Américas... ou seja, hospedar-se em um Mandarin Oriental é certeza de qualidade e de uma estada maravilhosa.



CLIQUE AQUI e veja como foi a nossa experiência gastronômica no Hotel Mandarin Oriental Bangkok. 

E se você for do tipo que adora aliar uma hospedagem confortável com uma localização perfeita, mais um motivo para você ler aqui o nosso review sobre o Mandarin Oriental Kuala Lumpur porque certamente esse hotel 5 estrelas soube muito bem conjugar esses dois critérios que são decisivos para muitos de nós viajantes que não dispensamos uma pitada de praticidade com bastante requinte, certo?






Nisso o hotel é impecável, a começar pela recepção simpática e cortês que nos levou a um salão muito lindo, o Grand Balroom, com destaque para os lustres e o seu pé direito que impressionam. Aliás, todo o primeiro piso do hotel é repleto de muito charme, com objetos de decoração refinados, espelhos, poltronas, sofás e, lá no fundo, a vista para os jardins... é tão grande esse espaço que comportaria um Boing 747.






Na recepção há também algumas poltronas para aguardarmos e o serviço de concierge que foi muito solícito e me ajudou a entender melhor o mapa da cidade, as opções de passeios, as distâncias, horários de funcionamento e as formas de chegar em cada lugar.



O Wifi funcionava muito bem em toda a área comum do hotel. Foi fundamental para chamarmos o Uber para nos levar para o aeroporto (nós fomos e voltamos de Uber porque era bem mais em conta do que um táxi comum e, dentro do aeroporto, logo que chegamos, o sinal do Wifi também era bom).

Localizado entre os jardins e lagos do Parque do KLCC, o Shopping Suria, a poucos passos da estação de metrô KLCC e o verdadeiro cartão postal da capital malaia que se impõe no skyline da cidade, as Torres Gêmeas Petronas (Petronas Twin Towers), o hotel proporciona vistas impressionantes da cidade, além de facilidades fabulosas a partir desta sua localização bastante central e altamente conveniente para ser um ponto de partida para explorar a cidade.




Portanto, sua localização na parte moderna e muito bem estruturada da cidade é algo que realmente facilita a vida com fácil acesso aos diversos meios de transporte e a passos de muitos restaurantes, do shopping, das torres... nós amamos! E não nego que a escolha do hotel foi bastante baseada na sua localização, mais ainda pela possibilidade de ter a vista incrível das Petronas diretamente da janela do meu quarto... um must go!

Nós já havíamos passado rapidamente por Kuala Lumpur bem no início da nossa viagem, contudo, foi basicamente um pernoite, uma passagem bem rápida mesmo que mal deu para sentir o quão interessante é essa cidade que recebeu uma influência multicultural tão grande ao ponto de percebermos essa harmonia existente entre malaios propriamente ditos, indianos, chineses, tailandeses, sul coreanos... dentre tantas outras nacionalidades que migraram para a Malásia e formaram o que o país é hoje: um país de diversidades sentidas na sua gastronomia, arquitetura, religião e que sabe respeitar e conviver bem com as diferenças.




Fomos recebidos pela Lee, da equipe de marketing e relações públicas do hotel, que nos apresentou alguns espaços do hotel antes de sermos direcionados ao nosso quarto, numa espécie de hotel tour para nos ambientarmos e entendermos melhor o conceito do Mandarin Oriental Kuala Lumpur.


Uma curiosidade: por terem sido ex colônia Britânica, eles falam inglês, em grande maioria, muito bem. O inglês da Lee, por exemplo, era absolutamente fluente, mil vezes melhor do que o meu rsrs... Ao perguntar para ela como seria o idioma malaio, ela respondeu que poucas pessoas efetivamente falam malaio da geração dela porque a maioria vem de família que migraram dos países vizinhos e próximos. No caso dela, por exemplo, sua família veio da China e, com a família, ela fala mandarin. Porém, por ter estudado em um colégio internacional, algo comum dentre as pessoas de condições sociais melhores, ela aprendeu inglês desde nova e domina os dois idiomas fluentemente. Mas, ao perguntar se ela saberia falar malaio para eu ouvir algo, ela disse que não. Interessante, não acham? Um país formado por malaios, considerando as gerações que já nasceram em Kuala Lumpur, mas cuja influência de suas origens é tão intensa que eles mantêm essas características, preservando o idioma de onde seus antepassados vieram e não se preocupando tanto em aprender o próprio idioma do país onde moram. Em outras palavras, diferentemente da Tailândia, onde o inglês era algo meio complicado de se compreender, na Malásia, ao menos em Kuala Lumpur, que foi a nossa experiência, eles falavam muito bem.




Ela nos apresentou os salões do lobby, passamos também por alguns restaurantes e bares, estivemos no mezanino onde há algumas salas de conferência e depois subimos para o andar da piscina.





Junto à piscina de borda infinita há também um restaurante e no mesmo andar encontramos outros serviços de lazer como as salas cobertas com simuladores para praticar golfe, o Spa e o fitness center, que é grande, com aparelhos novos, modernos, de última geração... deu até vontade de fazer uma esteira ali rapidinho rsrs... com a vista que tinha na frente da esteira, não faltaria estímulo!









Ainda, juntamente com a Lee, visitamos uma área destinada aos hóspedes filiados ao programa de membership do hotel, que, naturalmente, recebem um tratamento VIP merecido e que tem a melhor vista para as Petronas Towers.







Em resumo, esse tour mostrou para gente o quão enorme é o hotel, muito completo, contando até com quadras de tênis, salão de beleza, loja para compras, vários restaurantes e bares, lounges maravilhosos, sendo todos os espaços bastante harmoniosos, com uma decoração delicada, sem exageros (não chega a ser minimalista, mas não é algo que agrida aos olhos, sabem? Pelo contrário... tudo muito bonito mesmo!) repleto de detalhes que valem a pena serem observados.... o hotel é encantador!





** QUARTO ** 



Nós ficamos em uma suíte Twin Towers View Room que, pelo próprio nome já induz, tinha vista para as Petronas! E era justamente o que eu queria, ter essa vista que eu acho o máximo ficar ali observando os detalhes de tão pertinho (é muito perto mesmo) desse ícone malaio e ficava lembrando do filme Entrapment - Armadilha, com Sean Conery e Catherine Zeta-Jones rsrs... o máximo!




Falando um pouco sobre o quarto, nem preciso dizer que sua decoração é elegante e chique, mas com um toque vintage que eu adorei!




Uma iluminação mais leve em tons amarelados (não é propriamente um quarto super iluminado pela luz), uma janela enorme que confere vista para esse cartão postal da cidade, o quarto conta com 40m², que é um tamanho ótimo, portanto, bastante espaçoso e confortável!




O quarto apresenta uma ótima divisão dos ambientes, com um corredor de entrada, onde se encontra o armário bem completo, com roupão pós banho bem macio e um robe lindo, com o monograma símbolo da rede, além de uma capa ótima para colocar um terno, por exemplo, uma tábua de passar roupa e ferro, logo, comos vocês podem observar, super prático para quem desejar se hospedar e ir a uma festa ou algum jantar mais especial super bem alinhado.



O piso é de carpete o que, normalmente, eu não curto muito. Mas devo dizer que estava impecavelmente limpo e, apesar do clima bem úmido na cidade, porque estávamos na temporada de chuvas, não havia quaisquer sinais de mofo nem de qualquer coisa que pude me causar alergia, graças a Deus! Normalmente eu não gosto de carpete porque, em regra, eu fico mais sensível por ter muita rinite alérgica, só que eu adoro poder pisar no carpete (limpinho, né? rsrs) porque eu não sou fã de andar descalça justamente porque pisar em chão mais frio me incomoda um pouco.



Se bem que isso tampouco seria um problema porque o hotel, além dos roupões e robe lindos, também fornece aos hóspedes chinelos. Adoro!

Entrando no ambiente de dormitório, há um frigobar abastecido e facilidades para fazer café e chá, o que foi providencial porque estávamos nos últimos dias de uma longa viagem, tentando dar um gás no finalzinho, mas já estávamos super cansados. Logo, a gente tomou bastante café rsrsrs...



A cama é King Size, ótima, macia e foi uma delícia para dormir porque, à noite, o quarto ficou bem escuro e o isolamento acústico foi ótimo. A roupa de cama era perfeita, como não poderia deixar de imaginar.

Esse ambiente também apresenta uma TV Flatscreen com canais internacionais, que nem tivemos tempo de assistir e, ao lado da cama, criados mudos com abajures bem elegantes, telefone e um dock para carregar aparelhos da Apple, além de tomadas que sempre facilitam nossa vida (quarto com poucas tomadas já perde ponto comigo!).



O ar condicionado era ótimo, super potente, o que foi muito importante porque Kuala Lumpur, mesmo na temporada de chuvas e mesmo muito úmida é uma cidade tipicamente tropical e lá faz muito calor - muito mesmo! Lembra um pouco o clima de Manaus, na Amazônia, com aquele calor úmido que faz a gente transpirar bastante.

Poltrona e escrivaninha também compõem o quarto. Com destaque para a escrivaninha que era muito bem equipada com vários itens práticos para quem desejar trabalhar um pouco. O hotel também fornece aos hóspedes jornais diários.






Neste contexto dos mimos, o hotel também oferece garrafas de água diariamente. Eu acho isso muito cuidadoso por parte dos hotéis, principalmente quando chegamos de viagem super cansados. Nada mais gentil do que ter uma água ofercida pelo hotel para você se refrescar e não ser obrigado a consumir a do frigobar.



Outro ambiente do quarto que é lindíssimo e chama atenção pela decoração delicada, retrô e super chique é o banheiro do quarto. 



Impossível não amar esse banheiro composto por banheira separada do box com chuveiro e ambos separados do toilet.

Acho que o único detalhe que faltou foi uma porta para fechar o toilet e deixar o seu uso mais reservado e discreto para quem estiver no lavatório, por exemplo. Como não há essa porta, requer mais intimidade entre casais ou amigos rsrs...




Toalhas felpudas e grands, além de amenities ótimas que eu efetivamente usei (nem sempre uso amenities dos quartos porque gosto de carregar os meus com os quais já estou acostumada, mas fiquei curiosa e usei as do hotel. Aprovadas! Especialmente o shampoo e o condicionador, que são os itens mais críticos e nem sempre meu cabelo reage bem aos que são fornecidos pelos hotéis).

As amenities foram repostas no mesmo dia, apesar de somente termos ficado 1 noite no hotel, nós tomamos banho e depois saímos.  Nisso, quando retornamos ao quarto, o serviço de quarto já havia passado por lá e tinha não apenas reposto as amenities como também arrumaram a nossa cama para dormirmos.



Como não adorar ser mimado assim? É definitivamente para se sentir muito especial e VIP mesmo.

** LAZER **



A dedicação do hotel em oferecer aos seus hóspedes uma experiência completa e muito satisfatória também pode ser percebida nas opções de lazer que são cuidadosamente proporcionadas e, em maioria, de forma gratuita.


Infelizmente, nós não tivemos tempo de curtir propriamente as opções de lazer que o hotel oferece, pois, nosso tempo em Kuala Lumpur foi exíguo, muito muito curto mesmo. Acho até que fizemos milagre com apenas uma noite de hospedagem (que equivaleram a 1 dia e meio de passeios pela cidade).




Mas, é claro que percorremos boa tarde dos espaços disponibilizados pelo hotel para o lazer de seus hóspedes e vou te contar uma coisa: a concorrência entre ficar no hotel desfrutando das delícias que ele oferece e fazer os passeios possíveis em Kuala Lumpur é forte!



Isso porque o hotel é incrível e tem uma variedade impressionante que vai desde de sua magnífica piscina de borda infinita até outras atividades como golfe indoor com simuladores super modernos e bem reais além de poder fazer mais de 50 diferentes cursos, quadras de tênis outdoor com equipamento para alugar, além de aulas particulares, fitness center repleto de aparelhos de última geração, sauna seca e a vapor, um SPA recentemente renovado com diversos tratamentos... isso sem contar que dentro do hotel tem até um salão de beleza, para você ficar lindíssimo se for a um evento, um jantar chique ou simplesmente quiser tirar umas fotos mais produzidas!

Por exemplo, o Fitness & Wellness fundamenta-se em um approach holístico para atingir o bem estar do hóspede a partir de muitas possibilidades de atividades, tais como aulas revigorantes de natação, yoga, tênis, Personal Training, saunas a vapor e seca que são separadas com áreas para homens e mulheres, com hidromassagens quente e fria e lounges preparados para relaxar.


Mas falando um pouquinho da área da piscina, onde estivemos por mais tempo, vale destacar que ela é bem espaçosa e conta com cantinhos bem charmosos, com gazebos para relaxar, várias espreguiçadeiras, piscina para crianças, vasos lindos e tem até uma mesa de sinuca na área para quem quiser se distrair um pouco mais, além de observar o skyline de Kuala Lumpur...






Lembrando que a piscina que tem borda infinita e vista para os prédios que circundam o hotel. Não deixem de observar o prédio que reflete direitinho as Petronas Twin Towers! Acho que é do Marriott, mas não tenho certeza. Sei que fica lindo o reflexo nele observado da piscina do Mandarin Oriental.


E também tem o restaurante da área da piscina que pareceu bem descontraído. O cheirinho que vinha dele era sempre muito bom. E a Lee contou para a gente que a pizza dele é muito boa. Os valores do cardápio desse restaurante são mais em conta do que de outros restaurantes do hotel.




Nessa área da piscina também tem facilidades para banho se o hóspede, por exemplo, não quiser pagar uma diária extra para ficar umas horas a mais no quarto sendo que não vai dormir (e foi bem isso que aconteceu com a gente, pois nosso voo era à noite, mas não compensava pagar uma diária a mais para ter o quarto até às 20h sendo que iríamos passear pela cidade e só precisaríamos do quarto para depois tomar um banho antes de viajar) então basta deixar as bagagens no luggage room sob os cuidados da recepção e, quando voltar do passeio, nesta área há facilidades para banho.





Eles fornecem toalhas e amenities. Mas tem que avisar a recepção e combinar com eles, ok? Em todo caso, é uma solução bem prática para quem não quiser pagar uma diária extra para algumas horinhas a mais de hospedagem.

E se você está gostando de saber um pouco mais sobre uma hospedagem de luxo na Ásia, não deixe de conferir o próximo post onde falo sobre a gastronomia servida pelo Mandarin Oriental Kuala Lumpur e também dou dicas de passeios pela capital malaia! CLIQUE AQUI e veja mais!



Nenhum comentário:

Postar um comentário