quinta-feira, 8 de junho de 2017

Conheça a história por trás da expressão "Inês é Morta"

Mês de junho está aí e, com ele, todo um clima de amor está no ar com a chegada do Dia dos Namorados aqui no Brasil (lembrando que em boa parte do mundo, o Dia dos Namorados, ou Valentine's Day, é comemorado em 14/02). E como somos Apaixonados, nada mais justo do que trazer essa história de amor para compartilhar com vocês, diretamente de Portugal, a terrinha tão amada!

Rio Mondego, Coimbra

Fonte dos Amores

Esse romance que vamos contar poderia perfeitamente ter sido escrito por Shakespeare, a exemplo de "Romeu e Julieta", mas, na verdade, trata-se de uma história que de fato ocorreu no século XIV e se chama a "Lenda de Pedro e Inês". Uma pena que, assim como o romance fictício que aconteceu em Verona, esta história de amor lusitana também teve um fim trágico, com personagens verdadeiros que deixaram suas marcas na história e, hoje em dia, esse é mais um roteiro super diferente e interessante que os turistas podem fazer na região do Centro de Portugal. 

Como um bom romance, tinha que ter um amor proibido, certo? Parece clichê, mas o príncipe D. Pedro I de Portugal apaixonou-se perdidamente por Inês de Castro, dama de companhia de sua esposa com quem teve um casamento arranjado. Os dois viveram um intenso romance proibido por um tempo, só que o pai de D. Pedro, o rei D. Afonso IV, era contra essa relação. 

O rei chegou ao ponto de exilar Inês e expulsá-la da corte, porém, após a morte de Constança, esposa de Pedro, os dois se sentiram livres para viver sua história de amor e acredita-se que acabaram se casando em segredo.

Por dez anos, eles viveram felizes no antigo Paço de Santa Clara, localizado junto ao mosteiro na cidade de Coimbra. O local foi revitalizado recentemente e recebe visitas também pelo seu indiscutível valor arquitetônico, sendo um dos representantes máximos do estilo gótico português.

Mosteiro Santa Clara a Velha

O Mosteiro de Santa Clara-a-Velha fica na Rua das Parreiras, em Coimbra (Telefone: +351 239 801 160) e funciona de terça a domingo, das 10h às19h (última entrada às 18h30), com ingresso a 4 euros (há descontos para grupos, famílias, crianças, estudantes e maiores de 65 anos)

Uma pena que, quando estive em Coimbra, em 2005 (e como o tempo voa, não é?) eu não conhecia essa história e não fui lá visitar o Pátio. Mas vale dizer aqui rapidinho que Coimbra é muito mais do que uma cidade universitária. Eu gostei muito de passear por suas ruas, conheci a Portugal dos Pequenitos (http://www.portugaldospequenitos.pt/) e curti bastante com meus primos por lá a famosa noitada de Coimbra (ok que ser uma cidade universitária torna-a bem animada à noite com restaurantes, pubs e boates agitadas!). 

Eu em Coimbra, em cima, e na Serra da Estrela, embaixo, em 2005

Por falar em Coimbra, como muitos de vocês sabem, eu tenho ascendência portuguesa. Meus avós paternos são da Ilha da Madeira e tenho primos que moram na região central de Portugal, nas cidades de Viseu, Coimbra e Aveiro, considerada por muitos como a mais charmosa região portuguesa. Além dessas cidades, podemos citar Nazaré, Óbidos, Tomar, Fátima e tantos outras cidades e vilarejos que se estendem por todo o território ocupado por 2,3 milhões de habitantes. O Centro de Portugal possui inúmeros patrimônios da UNESCO, um litoral que é um paraíso do surfe, aldeias históricas, gastronomia riquíssima, vinhos inesquecíveis, natureza exuberante e muita cultura, que se somam a incontáveis motivos para uma visita. A principal cidade, Coimbra, está a apenas 200 quilômetros de Lisboa e a 135 quilômetros do Porto, ou seja, perfeita para um bate e volta também. Mas, sinceramente, vá por mim: fique pelo menos 2 dias por lá ou 3 dias, se puder, e eu juro que você não vai se arrepender!

Voltando ao nosso romance, foi na Quinta das Lágrimas, um palácio do século XIX, que Inês teve seu trágico final. O rei, ao descobrir tudo, mandou assassinar a moça, causando revolta e tristeza em seu filho, que nunca esqueceu sua amada. Hoje, o local é um hotel 5 estrelas e turistas que não estiverem hospedados no impressionante espaço também podem conhecer esse cenário tão importante para a história de Inês e Pedro. 

Fonte das Lágrimas

Fonte das Lágrimas



O Hotel Quinta das Lágrimas está localizado na Rua António Augusto Gonçalves (Telefone: +351 239 802 380 / e-mail: geral@quintadaslagrimas.pt / www.quintadaslagrimas.pt) A diária custa a partir de 175 euros, mas, se não estiver hospedados, pode visitar mediante pagamento de ingresso para a Fonte das Lágrimas e Fonte dos Amores por 2 euros. Horários de funcionamento: terça a domingo das 10h às 19h (última entrada às 18h30).

Entrada do Hotel Quinta das Lágrimas

Olhem que lindo, gente: A lenda diz que as lágrimas de Inês deram origem à Fonte das Lágrimas e seu sangue pintou de vermelho as algas rubras que crescem na água. Rodeada por belos jardins, a Quinta das Lágrimas foi também o local onde D. Pedro colocava cartas de amor em barquinhos de madeira para que suas mensagens chegassem até o exílio de Inês pelas águas da Fonte dos Amores, alimentada pelo rio Mondego.

Após o falecimento do rei D. Afonso IV, Pedro assumiu a coroa portuguesa e expôs para toda a corte a verdadeira história do seu casamento secreto. Segundo as crenças populares, ele teria exumado o corpo de Inês e ordenado um cortejo fúnebre pelas ruas de Coimbra com todas as honrarias da nobreza e depois a coroou rainha de Portugal, obrigando todos os membros da corte a beijarem sua mão. A história gerou a famosa expressão portuguesa “Inês é morta”, usada para afirmar que é tarde demais para realizar algo.


Pedro ainda construiu no Mosteiro de Alcobaça dois túmulos de pedra branca riquíssimos em detalhes, onde hoje repousam um de frente para o outro. O edifício é um dos mais impressionantes exemplares da arquitetura cisterciense e foi eleito como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1989. O espaço é aberto para visitação do público.

Mosteiro de Alcobaça

Sobre o Mosteiro de Alcobaça: localizado na Praça 25 de Abril (Telefone: +351 262 505 120) - Horários de funcionamento: todos os dias das 9h às 19h (última entrada às 18h30 - fechado nas seguintes datas:1 de janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de maio, 20 de agosto e 25 de dezembro). Ingressos por 6 euros

A Ponte Pedro e Inês, em Coimbra, foi construída simbolicamente sobre o rio Mondego em homenagem a essa linda história de amor. Projetada pelos arquitetos Adão da Fonseca e Cecil Balmond, é possível atravessá-la a pé ou de bicicleta e aproveitar a bela paisagem da cidade. 

E aí, gostou da nossa Love Story Lusitana? Então vamos entrar no clima do amor e curtir muito esse mês de junho que, além do Dia dos Namorados, também tem muito quentão, arroz doce, bolo de milho e outras guloseimas que amamos das festas juninas! 

 Crédito das Fotos: Visit Portugal


Um comentário:

  1. Adorei a história, Lili! Já tinha ouvido falar sobre, mas não com todos esses detalhes!

    ResponderExcluir