segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Disney com bebês de até 1 ano: Uma viagem inesquecível para a família toda!

Tenho a honra de compartilhar com vocês a experiência de viagem relatada por minha amiga Rosana Rocco, que viajou pela primeira vez de avião com sua filhinha linda e gostosa, a Clarinha, e seu marido também e o destino escolhido pela família foi a Disney!! 


Que máximo, não acham? Gente, a Clarinha é muito chique, além de ser uma fofura, é claro, pois, não bastasse ser a primeira viagem de avião da vida, ainda foi uma viagem internacional para o reino da fantasia, a terra mágica do Mickey e seus amigos... "where dreams come true", ou seja, onde os sonhos se realizam! E que sonho lindo foi esse realizado pela Rô e que vocês poderão ler em detalhes, com várias dicas para as mamães de primeira viagem e informações que certamente ajudarão a muitas não desanimarem a viajar com seus pimpolhos. Afinal de contas, quem tem crianças pequenas não precisa se restringir a somente viajar para  hotéis fazenda, certo? Há um mundo de oportunidades por aí. Basta se planejar e tudo dará certo... ou quase tudo, não é Rô? Mas fato é que, ainda que não dê "certo" do jeito que você idealizou, tudo se transforma em aprendizado. Então, sem mais delongas, confiram as ótimas dicas da Rosana!

** DISNEY COM BEBÊS, POR ROSANA ROCCO **

Quem disse que bebês não curtem a Disney?

Olá leitores do Blog Apaixonados por Viagens, sou a Rosana, mãe da Clarinha que agora está com 11 meses e acabamos de voltar da experiência mais incrível de nossas vidas: Uma viagem de 15 dias para Orlando!



Vou contar tudo pra vocês que pretendem viajar com seus bebês, mas falta coragem por não saberem nem por onde começar. Que tal começarmos pelo começo? rsrsrs

Planejando a viagem:

1- Escolha da Companhia Área

Eu fui de Copa Airlines e não gostei nada nada da experiência. Primeiro, porque o avião que eles usaram mais parecia avião de ponte aérea (3 assentos de um lado, 3 do outro); segundo, porque tentamos agendar previamente o assento, mas não conseguimos nenhum lugar na janela, só no corredor. Chegamos cedo ao aeroporto antes do check in abrir e a fila de prioridades demorava mais que a fila normal. 

Sobre o horário do vôo, achei que seria uma boa viajar de madrugada, mas vi que é furada total. Ficamos horas e horas no aeroporto esperando a hora do embarque com a bebê dormindo no canguru comigo.  Dentro do avião, achei os comissários de bordos mal-educados, passavam com o carrinho no meu pé sem nem pedir licença, estavam pouco se importando que eu estava com bebê de colo. Não recomendo mesmo a Copa para viagens com bebês para Orlando. Fora que ainda tem a escala no Panamá antes de chegar a Orlando.

No trecho Panamá-Orlando, enfim uma janelinha

A minha sorte é que a Clarinha dormiu 4 horas seguidas das 7 horas de voo. Depois, quando acordou, viu que estava em um lugar diferente e quis explorar tudo... rsrsrs. Mas não chorou nem nada. No trecho Panamá-Orlando que tem a duração de 3 horas, ela dormiu praticamente todo o tempo, mas me resolveu fazer um “cocô estronda” faltando 10 min antes de pousarmos em Orlando. Como tive que trocá-la antes de sairmos da aeronave, fomos os último a passar na imigração, pegando toda a fila (detalhe: Lá nos EUA, pessoas com crianças de colo NÃO têm prioridade em lugar nenhum... tem que pegar fila como todo mundo). Aí você imagina: cansados, com criança exausta, ainda tendo que enfrentar fila e a criança ficou com fome, tive que dar a papinha lá mesmo. O cara da imigração não localizou de cara o endereço de nosso hotel e com isso nos levou para uma sala chamada de “Segunda Inspeção”. Aff ninguém merece!

Esses perrengues ninguém te conta quando você viaja...kkkkk. Mas calma que depois tudo compensa! Acredite em mim!

Outras companhias aéreas que me falaram bem para viajar com bebês: TAM e AVIANCA. Como nunca voei com elas com a Clarinha, não posso afirmar.

Dicas para o voo:
  1. Levem 2 mudas de roupas para cada 2 horas de voo. Na muda de roupa inclua casacos, pois no “cocô estronda”, ela sujou até o casaco que tinha e ainda bem que eu tinha outros casacos de reservas.
  2. Inclua também na muda de roupa deles: bodies, calças e meias
  3. Bebês fazem muito cocô e xixi em vôos e isso não é exagero! Uma amiga minha teve que passar com o bebê dela na imigração só enrolado na manta pois tinham acabado as roupas extras da mala de mão. Melhor levar e não usar do que faltar.
  4. Levem umas 6 fraldas descartáveis pelo menos na mochila do bebê e deixe o saco com as outras na mala de mão para ter fácil acesso caso necessário.
  5. Se seu filho usa mamadeira, leve todas as mamadeiras com água + as medidas do pó separados, pois até vocês chegarem no hotel terá passado muito tempo
  6. Levem para o voo uma ou duas papinhas daqui do Brasil com a qual seu filho esteja acostumado, mas não sei como seria no caso das papinhas congeladas. Não fiz a experiência e acabei levando a papinha Nestlé mesmo, que a minha filha odeia, mas não tinha o que fazer. Ela só come comida de casa refogada. Depois eu contarei os desafios com a alimentação que tive.
ATENÇÃO SOBRE A QUANTIDADE DE MALAS POR PASSAGEIROS: Eu tinha recebido a informação de que bebês de colo tinham direito a UMA mala de até 32kg. Mas cada companhia aérea funciona de um jeito e descobri da PIOR forma, na hora do embarque de volta pra casa, que ela NÃO tinha direito a mala nenhuma, só a mochila dela e ao carrinho. Conclusão: Tivemos que pagar excesso de bagagem. Mais um motivo pra ficar com raiva dessa porcaria de Copa Airlines.

Dica: LIGUEM para a sua companhia aérea e se informem direitinho sobre o bebê de colo ter direito ou não mala, caso a informação não esteja clara na internet na parte sobre bagagem.

2. A mala do bebê

O ideal é levar todos os remédios e itens que o bebê já fez uso, ou que faça uso frequentemente. Montei uma mochilinha com os seguintes itens:
  • Tylenol
  • Luftal
  • Xarope pra indisposição estomacal
  • Xarope expectorante
  • Supositório de glicerina
  • Nosefrida
  • Soro fisiológico pra limpeza do nariz
  • Cotonete de nariz
  • Cotonete de ouvido
  • Tesourinha pra cortar unha
  • Sabonete líquido para banho
  • Água de colônia pós banho
  • Toalha de banho dela
  • Naninha para dormir (levei 2)
  • Roupinhas que já estavam apertadas nela, pois caso acontecesse algo, já descartava por lá mesmo.
  • Casacos que estejam próximos de o bebê perder por causa do tamanho
  • Manta bem grossa
  • Manta mais leve
  • Várias Fraldas de pano (levei 6 unidades e lá comprei mais 8)
  • Muitas meinhas
  • Gorrinhos para o caso de fazer frio
  • Chupetas
  • Bodies / blusinhas / calças / pijamas
  • Brinquedinhos de banho
  • Mordedores
  • Termômetro de testa
  • Um pacote de fralda descartável. O resto comprei lá. 

3. Escolha do Hotel

- Localização: Se o objetivo da viagem a Orlando é levar o seu pequeno aos parques da Disney, dê preferência por escolher hotéis (ou alugar apartamentos) nas áreas próximas aos Parques: Celebration ou Kissimme. Você vai ver que chegar rápido e voltar rápido dos parques para a “casa” fará toda a diferença.




Obs: a Rosana me informou que achou o hotel escolhido por ela, o Quality Suites the Royale Parc Suites, razoável, mas não indicaria pelo hotel em si, pois achou que as fotos de divulgação não condiziam com o que o hotel oferecia na prática e o café da manhã não era bom. Além disso, o quarto, embora espaçoso, tinha carpete e a Clarinha, que já está engatinhando para todos os lados, ficava com a calça encardida depois. Porém, pela localização em que o hotel se encontra, ou seja Kissimmee, ela diria que vale experimentar, com essas ressalvas, ou buscar outro melhor nessa área. 

RESERVE AQUI UM HOTEL EM ORLANDO NA REGIÃO DE KISSIMMEE

- Facilidades: Eu optei por um hotel que tivesse cozinha no quarto: fogão elétrico, micro-ondas, geladeira e utensílios de alimentação . Isso facilitou muito a nossa vida, pois nos dias em que a Clarinha estava muito cansada, eu comprei no mercado comida congelada para mim e para o Carlos (meu digníssimo marido), e jantamos “em casa” mesmo. Fizemos isso umas 3 ou 4 vezes na viagem.

- Berço Portátil: Observem se o hotel oferece o berço portátil como cortesia. Em caso positivo, basta solicitar no ato da reserva ou quando fizer o check in que eles levam para o quarto. Não sugiro que seu bebê durma na cama com vocês se ele não tem esse hábito.


4- Escolha dos Parques.

O parque mais legal para bebês com certeza é o Magic Kingdom da Disney. Tem várias atrações para bebês que são super divertidas também para os adultos. Esse foi o parque que a minha filha mais gostou junto com o Hollywood Studios. Vale a pena se programar para fazer 2 ou mais dias de Magic Kingdom pois é um parque grande. 


Agende o fastpass com antecedência para as atrações do seu pequeno. Eu agendava 2 atrações para ela e 1 para mim e para o Carlos, afinal temos que ser democráticos com todo mundo né? rsrsrs


Mas vale a pena levar os pequenos aos outros parques também e mais para a frente eu falo sobre as partes mais legais de cada parque.

Levei-a ao Sea World também. Ela curtiu mais ou menos esse parque.

Os parques da Universal eu achei que não valeria a pena levá-la pois tem muitas montanhas russas que são para crianças mais velhas. Mas se você estiver na pilha para curtir com seu companheiro(a), vá por vocês e não pelo seus pequenos.


Como manter a rotina do bebê

1-Alimentação do bebê

Essa para mim foi a pior parte. Peguei algumas indicações de papinhas, mas quando chegou lá a minha filha rejeitou todas completamente. Quando eu mesma experimentei, achei HORRÍVEIS. Sem gosto, sem consistência, sem sal, argh!

Até que descobri uma comida menos pior chamada Lil’s entrée. Comprei de vários sabores, esquentava no micro-ondas, amassava com o garfo e levava no pote térmico para os parques. O jantar, infelizmente, acabava sendo o leite mesmo, pois cada dia era num horário e o pote térmico não comportava mais de 7 horas e eu tinha medo de a comida estragar.

As papinhas salvadoras da pátria

Nos parques da Disney, existe o Baby Care Center que é um espaço super bacana com micro-ondas, trocadores, cadeirinhas para alimentação, potinhos descartáveis, talheres descartáveis, filtro d’agua. Usei algumas vezes, mas como eles ficam no começo do parque e às vezes você está lá do outro lado do parque, nesses casos acabei usando os trocadores dos banheiros comuns mesmo.

Se você for cozinhar para o seu filho, basta separar as marmitas dele e dar nas horas normais de alimentação.


2- Rotina de sono

Importante respeitar os horários das sonecas do bebê senão eles ficam bem enjoadinhos. A Clarinha acordava às 08:30h/09:00h, e dormia de novo 10:00/10:30h até quase 11:30h. Aí quando ela acordava nós íamos para o parque. Não vale a pena querer ficar o dia todoooo no parque porque eles não aguentam. Se seu filho acorda cedo e só vai tirar a próxima soneca depois do almoço, acorde e vá para o parque e volte de tarde para o hotel.

Ela dormia mais uma soneca às 16:00h/16:30h. Nessa hora aproveitávamos para irmos nas nossas atrações ou lancharmos algo...

A gente ficava em média entre 7 e 8 horas no máximo no parque.

3- Rotina do Banho

Sugiro dar o banho à noite, depois que voltarem para o hotel e antes de dormir. Então eu fazia assim: banho + mamadeira + dormir. Isso que eu já faço aqui em casa no dia a dia. Dessa forma, mantivemos essa rotina na viagem. 


Informações importantes:

Fuso Horário:

Nós adultos nos acostumamos rápido ao fuso local, mas nossos bebês não. Demora pelo menos 1 dia para eles começarem a se acostumar com o horário. Assim, se por exemplo vocês chegarem em um domingo em Orlando, agende a primeira visita para os parques para a terça feira, pois na segunda eles ainda estão sonolentos, entendendo onde estão e ficam cansadinhos...

Em viagens desse tipo não é hora de fazer muitas experiências novas!

Leve alguns brinquedos com os quais eles já estejam acostumados, roupinhas que eles já usem, principalmente aquela naninha babada e fedida com que eles amam dormir agarrados rsrsrsrs.


Eu deixei para comprar um carrinho novo mais compacto lá e de cara minha filha rejeitou o carrinho. Ela não adormecia nele. O que me salvou foi o canguru (uso o da marca ERGOBABY que é o melhor em minha opinião). Ela acabava adormecendo no canguru e depois eu passava para o carrinho. Demorou algum tempo para ela se acostumar com o carrinho.

O famoso canguru

Eu também comprei um carseat pra ela. Esse foi fácil dela se acostumar. O difícil foi depois trazê-lo para o Brasil. Rsrs.

No próximo post, teremos mais dicas e informações bem úteis para vocês planejarem a viagem com os babies, viu? Portanto, aguardem aí e não percam que tem mais dica pela frente!! - CLIQUE AQUI E LEIA A CONTINUAÇÃO DESTE POST!



2 comentários:

  1. Amei as dicas!!! Parece que viajamos com você! Ansiosa pelo segundo post

    ResponderExcluir
  2. Também adorei, Cristiane! Bem práticas e úteis!
    Beijos,
    Lily

    ResponderExcluir