terça-feira, 18 de outubro de 2016

Dicas e Passeios para curtir a região de Capitólio, o Mar de Minas de Gerais!

Estivemos na região de Capitólio, Minas Gerais, no mês de agosto, aproveitando um feriadinho bom demais sô das Olimpíadas (pois moramos no Rio de Janeiro) e não pensamos duas vezes: escapamos da cidade e fomos curtir a vibe zen da natureza estonteante do Lago Furnas, mais carinhosamente conhecido como o Mar de Minas!



Vejam aqui as matérias já publicadas:

- Onde se Hospedar: Conheça a Kanto da Ilha Suítes & Spa

- Qual passeio fazer: Passeio de Lancha com Acqua Turismo Náutico

- Onde Comer: Conheça o restaurante, casa de shows e festas Kanto da Ilha




Então, toda essa região linda do Mar de Minas foi, em grande parte, formada a partir da construção da barragem necessária para a instalação da Hidrelétrica de Furnas, dando origem ao Lago de Furnas, que banha 34 municípios mineiros e possui 1.440 km², sendo um dos maiores lagos artificiais do mundo, com tamanho que corresponde a quatro vezes a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.


Portanto, com lagos de água verde esmeralda de tamanhos impressionantes, a perder de vista, o nome dado de Mar de Minas não foi à toa e vamos combinar que é nada mal se considerar que se trata de local a 600km do litoral! 



Lagoas, cânions, grutas, cachoeiras, cascatas, piscinas naturais e a possibilidade de praticar alguns esportes aquáticos no lago são razões mais que suficientes para fazer crescer o turismo no Lago de Furnas, especialmente na cidade de Capitólio, que é a mais procurada para fins de hospedagem. Nos últimos anos, as cidades vêm se dedicando bastante ao ecoturismo e investindo mais em passeios e melhorias em infraestrutura. 

Já perceberam que vale a pena colocar Capitólio e o Lago de Furnas na sua wish list? Ainda não? Calma aí que eu vou te provar que valerá a pena e você voltará encantado com tanta simplicidade, beleza e uma natureza que impressiona!




** FORMAÇÃO DA REGIÃO **

A história de Capitólio, no entanto, vem desde antes da hidrelétrica! Lá para os idos de 1800, dois portugueses  descobriram o local que passou a ser conhecido como "Mata do Rio Piumhi" e, assim, Machado de Faria e Gonçalves de Morais podem ser considerados como os primeiros desbravadores da região. 



Com o passar do tempo, o movimento e o comércio foram naturalmente aumentando, principalmente pela presença de tropeiros e fazendas e lá para 1830 chegaram os primeiros moradores que desenvolveram a cidade, fazendo nascer o Arraial dos Franciscos que depois recebeu o nome de Arraial de São Sebastião dos Franciscos, elevado a distrito em 1923, ano em que foi desmembrado de Piumhi e criado o distrito de Capitólio, o qual, posteriormente, adquiriu status de vila e, finalmente, em 1948, transformado em município.



E em uma história mais recente, que fez despertar um grande interesse e muita curiosidade sobre a região, totalmente vocacionada ao ecoturismo nos dias atuais, o famoso reservatório, conhecido com Lago de Furnas, foi criado a partir da instalação da Usina Hidrelétrica de Furnas, que, como processo natural da sua construção, demandou o alagamento de parte dessa região, causando o desvio do curso do Rio Grande, em 1963, a formação de praias, cânions, cachoeiras, inundando vilarejos e mudando a história dos 34 municípios que são banhados pelo Mar de Minas, formando um dos maiores lagos artificiais do mundo!


** COMO CHEGAR ** 

O melhor acesso à Capitólio, cidade base para explorar a região do Lago de Furnas com uma boa infraestrutura de hotéis e restaurantes, é por terra. 




Localizada na base da Serra da Canastra, no sudoeste de Minas Gerais, com os seus cerca de 9.000 habitantes, Capitólio tem acesso pela rodovia MG-050 e os aeroportos mais próximos são:

- Ribeirão Preto / SP: 224km

- Belo Horizonte / MG: 290km

Algumas distâncias para vocês se localizarem, a partir de Capitólio:

. Franca: 180km
. Belo Horizonte: 284km
. Ribeirão Preto: 225km
. Campinas: 359km
. São Paulo: 475km
. Rio de Janeiro: 620km
. Brasília: 800km
. Piumhi: 17km
. Passos: 75km
. Formiga: 80km
. Divinópolis: 160km

A maior cidade dos arredores de Capitólio é Piumhi, que oferece mais recursos, se necessário. Capitólio está a 758 metros de altitude e é um dos municípios do Parque Nacional da Serra da Canastra. Aliás, para quem passar mais tempo na cidade, merece tentar encaixar um passeio pelo Serra. Nós, infelizmente, não tivemos tempo.

E como nós fizemos então? Voamos do Rio/SDU até Belo Horizonte/Confins e lá mesmo no aeroporto já tínhamos reserva de carro feita com a Avis e seguimos pela estrada até Capitólio. A gente se guiou pelo Google Maps mesmo e, depois de cruzar, por fora, a cidade de BH, a gente em pouco tempo alcançou a MG-050 e por ela seguimos.


A distância entre BH e Capitólio fica em torno das 4h. Se fôssemos direto do Rio, de acordo com o Google Maps, seria algo em torno de 9h de estrada. Friamente falando, não ganhamos tanto tempo assim, pois temos que colocar na ponta do lápis o tempo de deslocamento até o aeroporto, mais o tempo de antecedência antes do voo e o próprio tempo do voo em si... assim, somando tudo, talvez tenhamos economizado em termos de tempo umas 3 horas apenas. Por outro lado, não nos cansamos tanto, porque dirigir 9 horas em estrada que não se conhece, subindo serra e não tendo com quem revezar (só o Julio dirige), pode ser bem cansativo para alguns.

Dica: Na estrada MG-050, após o primeiro pedágio (acho que é o primeiro, mas se não for, é o segundo), há um ponto de apoio ótimo para parar, ir ao banheiro, fazer um lanche e descansar um pouco a perna, com bom sinal de wifi, inclusive, que se chama Mar de Minas. Lá, comam o pão de queijo com linguiça que é dos deuses!




No caminho, até chegar a Capitólio, passamos por uns 4 pedágios (ida e volta), perfazendo uns R$20,00 mais ou menos, no total.

A estrada era boa na maior parte e não tivemos problemas com sinalização (o Google Maps foi muito bem), nem com buracos na estrada.

Obs: você também pode chegar em Capitólio de ônibus! A partir de:

- Ribeirão Preto: todas as sextas-feiras – Viação União - 9h35

- Belo Horizonte: todos os dias – Expresso Gardênia - 8h10, 18h10 e 1h
 
- São Paulo/Via Campinas: todos os dias – Viação União - 22h05 / Segunda a Sexta - 7h05



** COMO SE DESLOCAR **

Se você for apenas fazer passeio de barco, não sabe ou não gosta de dirigir, talvez seja interessante dispensar o carro e valer-se de táxis ou transfers na cidade. 

Mas eu, mesmo não sabendo dirigir, não indico essa opção. Acho muito melhor estar com carro por lá para poder também visitar outros pontos de interesse, como o mirante para o cânion, o Paraíso Perdido, Lagoa Azul (pelo alto), Cacheira do Fecho da Serra, dentre outros, que são somente acessíveis de carro. 



Agora, se você não tem esse interesse e estiver hospedado em algum dos hotéis que beiram o lago, principalmente se o hotel já oferecer serviço de passeio de barco/lancha, como é o caso das Pousadas Lagoa Azul (MG-050, Km 311 / Tel: (35) 3527-4000 / http://www.lagoazul.tur.br) e a do Rio do Turvo (MG-050, Km 306 / Tel: (37) 3373-1066 / 3527-1007 / http://www.pousadadorioturvo.com.br/), aí basta mesmo combinar um transfer com a pousada e curtir as possibilidades de passeios pelo lago. Eu, co muita honestidade, acho desperdício ir para lá para só curtir o lago, salvo se você já foi outras vezes e já fez tudo o que poderia fazer. 

Nós ficamos hospedados na Kanto da Ilha Suítes & Spa. Amamos e indicamos muito!

LEIA AQUI A MATÉRIA COMPLETA SOBRE A KANTO DA ILHA SUÍTES & SPA






** MELHOR ÉPOCA DO ANO PARA IR **

Estivemos em Capitólio no mês de AGOSTO DE 2016!

Já havia lido que essa é uma região que pode ser visitada o ano inteiro, mas eu tinha por base a experiência de dois amigos que tinham ido antes de mim: a Lu (do instagram @TeVejoPeloMundo) e o Carlos (do blog e instagram Fantrip), sendo que a Lu foi em outubro de 2015 e Carlos em meados de abril de 2016. No caso, a experiência da Lu foi boa, com dias de sol, mas pouca água perto da exuberância que a região é capaz de atingir em épocas de cheia. Já o Carlos, que primeiro havia programado para ir em janeiro e cancelou em razão de chuvas, teve por experiência ver as cachoeiras mais volumosas, mas não pegou dias de céu tão azul e aberto.




E como foi a nossa experiência? Eu e Julio gostamos bastante desse período que escolhemos, embora possa não ser o mais perfeito e termos dado sorte em certo aspecto. Primeiro, agosto é temporada já de estiagem. Bom, por um lado porque não chove. Ruim, por outro lado porque algumas cachoeiras somem ou ficam com pouca água. 

Demos sorte de ver algumas cachoeiras com água. Na verdade, somente uma estava sem água, dentre as que visitamos, que era uma das cachoeiras dos Cânions de Furnas (de um lado tinha água e de outro não tinha). 

Outras cachoeiras da região falaram para a gente nem ir porque estariam mais para secas. 

Uma vantagem da época é a pouca chance de chover. Pela manhã, um friozinho gostoso que logo passava com o raiar do sol que esquentava bem. E tem que esquentar mesmo porque a água dos lagos e cachoeiras é fria.

À noite, a temperatura podia cair até uns 15ºC ou menos (leve roupa para mergulhar nas lagoas, mas também leve roupa de frio para noite e manhã cedo).



No verão, a temperatura fica mais quente e mais convidativa a dar um tibum nas lagoas. Só que também coincide com o período de chuvas e, como sabemos, há sempre um risco em fazer passeios que envolvam cachoeiras em períodos de chuvas pelo perigo de ocorrer uma tromba d'água. Outra questão a ser considerada é que, quando chove muito, a cor da água muda e de verde esmeralda por de ficar castanha.





Bem, e aí? Afinal de contas, qual a melhor época? Acho que é pessoal mesmo porque também envolve um pouco de sorte e de oportunidade. Se hoje eu tivesse que voltar, ou eu voltaria na mesma época que fui, entre julho e setembro, até outubro também, ou ficaria monitorando o tempo para acompanhar se tem chances de chuvas porque eu realmente tenho muito medo de tromba d'água e não gosto de fazer ecoturismo em períodos que já sabemos que têm alta probabilidade de serem chuvosos. 


** QUANTOS DIAS FICAR **

Nós ficamos exatamente de quinta a domingo, sendo que na quinta chegamos no final do dia e no domingo fomos embora por volta das 13h.

Dessa forma, tivemos dois dias cheios de passeios - sábado e domingo - que foram muito bem aproveitados por nós! 



Se tivéssemos mais um dia, teríamos feito mais passeios e curtido mais a Kanto da Ilha Suítes & Spa que é uma delícia de lugar para curtir (muitas hospedagens de Capitólio têm esse conceito de proporcionar ao hóspede um lazer dentro da própria pousada, para ele relaxar).

Em resumo, eu sugiro 3 dias inteiros para aproveitar bem a região e sua oferta de passeios. 


** MELHOR REGIÃO PARA SE HOSPEDAR **

O município de Capitólio ainda é bem pequeno, bem de interior, com jeitinho mais mineiro e acolhedor impossível! Fomos muito bem tratados em todos os lugares e vamos combinar que mineiro tem um jeito muito especial e simpático de lidar com as pessoas, certo? 

Com os seus quase 9 mil habitantes, o melhor lugar para se hospedar em Capitólio é dentro ou perto do condomínio Escarpas do Lago, um balneário que possui mais de 800 casas, 1.400 km², sendo 200 mil metros de área verde preservada, em torno do lago.



Nós ficamos no Kanto da Ilha Suítes & Spa, onde foi uma delícia de hospedagem, entre Capitólio e Escarpas do Lago. A única coisa que faltou no Kanto da Ilha para ser absolutamente irretocável de perfeito foi estar à beira do lago. Mas isso não diminui o meu encanto pelo local que é uma graça, de um paisagismo belíssimo, com ambientes bem decorados, acolhedores e repletos de muito charme e sofisticação no melhor estilo rústico-chique. 




Se desejar ver outras opções de hospedagem, CLIQUE AQUI e veja no Booking.com. Só cuidado com o município e a distância para Capitólio. Não raro, nas pesquisas que fiz antes de viajar e de escolher a hospedagem, que foi um convite no final das contas, eu verifiquei que, não obstante ter colocado como base da pesquisa a cidade de Capitólio, os resultados mostravam hospedagem em outros municípios, como São Roque de Minas, Piuí ou Carmo do Rio Claro, que ficam, às vezes, até 70km de distância (o que dá mais de 1 hora de deslocalmento).





Obs: Escarpas é um Bairro de Capitólio, com o nome de Engenheiro José Mendes Junior e fica a 7km do centro da cidade. Idealizado pelo empreendedor Marcos Valle Mendes, as primeiras casas foram construídas em 1978. A partir daí, iniciou-se a atividade turística em Capitólio.



** PASSEIOS QUE FIZEMOS **

A melhor forma de absorver um pouco da grandiosidade dessa região é fazendo o passeio de barco (que pode ser de lancha, de chalana ou de escuna) pelo Lago de Furnas.

Nós fizemos o passeio de lancha com a Acqua Turismo Náutico e adoramos! Super indicamos, pois ele consegue passar por mais lugares, demora um pouco mais de tempo do que a chalana e acaba sendo mais exclusivo. Se você fechar a lancha, por exemplo, poderá combinar o itinerário, sendo bem mais divertido, com mais pausas para banho ou mais tempo para curtir o banho... incrível!




VEJA AQUI A MATÉRIA COMPLETA SOBRE O NOSSO PASSEIO DE LANCHA COM A AQCUA TURISMO NÁUTICO. 

Se desejar fazer o passeio com outra lancha ou até mesmo escuna ou chalana, só fique atento ao itinerário, horário de saída e de retorno, duração do passeio, quantas pausas para banho fará e por onde passará. 

Ao meu ver, um bom passeio precisa ter pelo menos umas 3 horas de duração, fazer ao menos 3 pausas para banho. Nesse ponto, a chalana, embora seja mais barata, perde porque ela leva muita gente, só faz duas pausas para banho (cânions e Lagoa Azul) e cada pausa de cerca de 30 minutos somente. Acho bem pouco. 

Nosso passeio com o Aqcua Turismo Náutico saiu do restaurante Kanto da Ilha e passou pelo Vale dos Tucanos, Cascatinha do Eco Parque, Cânions de Furnas Diquada e Diquadinha, Lagoa Azul, Cachoeira do Sabiá e Cachoeira da Ilha. As pausas para banho foram no Vale dos Tucanos e nos Cânions, mas isso foi decisão nossa, pois poderíamos também ter mergulhado em outros lugares, como na Cachoeira do Sabiá ou Cascatinha Eco Parque. 

Só não mergulhamos mais porque ficávamos molhados muito tempo e depois de ter secado todinho dava até preguiça de molhar de novo.

- DICAS PARA O PASSEIO DE BARCO: Leve toalha, leve um lanche e leve papete/sandália de neoprene se quiser subir em alguma pedra. Atenção para não se machucar tentando subir em pedras ou pulando delas. 


- CANYONS: enormes paredões com mais de 20 metros de altura que impressionam bastante! Você está lá no passeio de barco, no meio do lago e, de repente, as fendas e os paredões abrem-se e dão espaço a um cenário maravilhoso: cachoeiras com muitas quedas. Aqui a natureza caprichou na sua magnitude. O acesso aos Canyons é pelo Lago de Furnas, por meio de lanchas, chalanas e escunas. Um passeio tranqüilo que leva você ao encontro da natureza. Perfeito para todas as idades e não precisa ser um exímio nadador para fazer o passeio até porque todas as embarcações possuem coletes salva-vidas e aqueles "macarrões" de isopor.




- LAGO DE FURNAS: criado para a instalação da Usina Hidrelétrica de Furnas, mais conhecido como o mar de Minas, compreende 34 municípios, entre eles Capitólio, considerada a “Capital do Lago de Furnas”. Um dos maiores lagos artificiais do mundo, com 1.440km² que surpreende a todos pela beleza. A grande atração são os cânions Diquada e Diquadinha.






- CACHOEIRA LAGOA AZUL: estivemos lá por cima e por baixo, mas confesso que curti mais quando fomos por cima, estacionando o carro na Pousada Lagoa Azul e depois fizemos uma trilha de uns 10 minutos, pois, quando fomos, no final da tarde, estava super vazio e pudemos apreciar melhor a área. Uma pena que já estava caindo a temperatura, ficando friozinho e com muitos mosquitos.




Com  águas cristalinas, a queda forma piscinas naturais com tons de verde, em predominância. Achei até engraçado porque ela se chama Azul e outros amigos que conhecem a região me disseram que sempre a viram. 



A Pousada Lagoa Azul oferece também restaurante e passeio de escuna. Para conhecer a cachoeira, é cobrada uma taxa para preservação ambiental que eu achei cara (cerca de R$30,00 por pessoa). Rodovia MG-050, km 311. Telefone: (35) 3527-4000 / (37) 9983-7022.www.lagoazul.tur.br


- MIRANTE DOS CÂNIONS: logo no primeiro dia em que chegamos, na quinta de tarde, nós fomos ao mirante só para matar a curiosidade de ter a noção do gigantismo dos cânions e lagos. Já era por volta das 17h e o sol estava quase se pondo, fazendo uma grande sombra no lago.




Bem, o famoso cartão postal que tem cor verde, naquele momento estava com cor castanha em razão da sombra. Foi lindo mesmo assim, já que acompanhamos o sol baixando e fazendo aquele colorido lindo e alaranjado no horizonte.




Voltamos depois ao mesmo mirante, que tem acesso pela estrada MG-050. Se não tiver um mapa de lá e tiver dificuldade de encontrar, a dica é seguir o Google Maps, porque ele vai direitinho. Ou, vá até a Pousada do Lago Azul e siga adiante, no sentido da Hidrelétrica, e fique sempre olhando para a sua esquerda e de olho em algum recuo onde haja carros. Se você for em final de semana, feriado ou datas comemorativas, provavelmente haverá muitos carros nesse recuo na estrada.



A propriedade parece privada porque é toda cercada, mas tem um pedaço "aberto" por onde passamos e fomos caminhando pela trilha até os pontos de visualização dos cânions. São três pontos bem legais para ver as cachoeiras e a profundidade do fiorde, das entrâncias e curvas do Lago de Furnas.




É deslumbrante!! E é um local obrigatório para visitar. O melhor horário, na época em que fomos, para apreciar a paisagem com pouca ou nenhuma sombra, é ao meio dia, quando o sol incide bem em cima!


- PARAÍSO PERDIDO: Outro passeio que fizemos em Capitólio foi para o Paraíso Perdido, onde também funciona um camping. A entrada custa R$35,00 por pessoa, o que eu achei meio caro, mas tudo bem que ao menos o lugar tem infraestrutura de banheiros, restaurante e um vigia que fica lá no estacionamento. Para uma família grande, sai bem caro o passeio.





É um local onde você consegue fazer todas as trilhas e curtir os poços em 3h, com folga. A princípio, não precisa de guia e vimos muitas crianças por lá. Mas vale a pena redobrar a atenção para evitar acidentes. 



Ou seja, perfeito para ir numa manhã ou numa tarde. Porém, na época do ano que fomos, com o avançar da tarde, os paredões fazem sombra e aí bate um frio desanimador de entrar nos poços e cachoeiras que têm água congelante. 




Logo que chegamos, passamos por alguns poços pequenos, cascatinhas até chegarmos em um grande poço. Lá ficamos um bocado, nadamos, tiramos fotos e curtimos boa parte do dia ali. 




É bem gostoso ficar por ali, mas fiquei um bocado incomodada com a quantidade de mosquitos e tive até que passar repelente. Mas eu sou um caso fora do normal, pois atraio bastante os mosquitos. 

Obs: disseram-me que em outras épocas do ano há instrutores por lá orientando os visitantes. Não havia quando estivemos lá e nos sentimos, no início da caminhada, um pouco perdidos sem saber para onde ir ou o que fazer. Senti falta de um mapa ou mais informações





Depois fomos seguindo os pezinhos vermelhos! Sim... achei isso bem fofo! As trilhas que indicam o lugar certo para seguir, que nós deduzimos que ser o caminho mais seguro, são marcadas com pezinhos vermelhos e nós fomos por ela. 



Portanto, a dica é ir cedo! Por volta das 10h já está um bom horário e dará tempo para curtir e pegar um solzinho, principalmente para aproveitar mais os poços que surgem no meio dessa trilha até chegar na última cachoeira, pois esses poços, quando fomos, estavam em maioria já na sombra e aí não animei muito a mergulhar. 




Julio até deu o seu tibum rsrs... mas eu dispensei essa.



Se tiver uma sapatilha de neoprene - papete - para andar em pedras, tanto melhor! Para subir pela trilha, há um bom trecho de pedras molhadas e escorregadias até chegar na última cachoeira até onde podemos ir.



Dica: a papete ajuda muito porque há várias pedras que parecem sabão! Todo cuidado é pouco. 

Quando chegamos na última cachoeira, a mais bonita, a sombra já estava lá e ficamos sentados um cadinho, contemplando a paisagem e descansando... mas fiquei com muita vontade de mergulhar ali, caso estivesse ao menos fazendo um solzinho... 




Em resumo: vale a pena conhecer o Paraíso Perdido? O lugar é muito bonito sim, mas achei essa cobrança de entrada absurda, ainda mais para quem está com família grande. Ao menos tem banheiro que estava limpinho e restaurante, onde não comemos e por isso não sei informar se é bom. 

O acesso é pela MG-050 e a entrada é depois da usina Hidrelétrica de Furnas. Mais uma vez, o Google Maps levou a gente direitinho. Na dúvida, vá observando a represa e a Hidrelétrica. Quando passar por ela, haverá uma placa indicando o caminho para entrar para o Paraíso Perdido. Depois você seguirá por uma estrada de chão meio ruizinha, mas não é das piores que já vi. 



Dica: leve canga e/ou toalha porque, perto dos poços, não tem infraestrutura alguma para sentar e leve repelente também se você atrair os bichinhos como eu. 


- CACHOEIRA FECHO DA SERRA: 

Outra cachoeira que visitamos em Capitólio e que vale muito a pena, pelo belo cenário que a rodeia, pelos poços que parecem ser uma delícia para mergulhar e passar o dia.

Contudo, mais uma vez, como era já de tarde, chegamos lá depois da sombra e não animamos a dar um tibum. Na verdade, quanto mais perto da principal queda d'água, mais bate aquele ventinho frio e cheio de partículas de água... sem sol, sem chance! Não encaramos! Dê preferência a ir de manhã, perto do meio dia.


Como estávamos de carro alugado, o que foi fundamental para fazer esse passeio e também para ir ao Paraíso Perdido, seguimos pela estrada MG-050 e, dessa vez, como o Google Maps não ajudou muito, a gente teve que parar e pedir informações.


Paramos primeiro na Pousada da Lagoa Azul para pedir ajuda e eles orientaram a gente a seguir para a Pousada do Fecho da Serra e Pousada do Turvo. Aí facilitou um pouco porque o Google Maps sabia identificar a localização dessas duas e nos levou direitinho para lá.

Porém, a dica era seguir uns 3km depois da Pousada do Turvo... a estrada era de terra e meio ruim. Após uns 3km, avistamos nada e achamos estranho. Voltamos tudo até a Pousada do Fecho da Serra e pedimos mais explicações. Na verdade, são uns 6km de estrada de chão, passando por algumas fazendas e lugares vazios, até achar uma escola municipal abandonada. 


Você entra nesse lugar onde fica a escola e pode descer de carro até onde der para estacionar. Daí você segue por uma trilha curta, de uns 200 metros até chegar na cachoeira. Pronto!!

Não tem como escapar das pedras, por isso não recomendo que se vá de chinelo. Inclusive, para chegar beeeeem pertinho da cachoeira, tem que pular de uma pedra para outra e aí vale a pena redobrar a atenção e ter cuidado para não cair na água que, embaixo dessas tais pedras, forma uma corredeira.



A Cachoeira é muito bonita!!! Valeu a aventura de pular pedras, apesar do medinho rsrs... Para o Julio foi moleza!!

Havia muitas famílias por lá com crianças, mas ninguém estava na água.

Lembrando que a água da região é gelada!! Cachoeiras, piscinas naturais, poços... tudo gelado!



Obs: Lá no Paraíso Perdido, o vigia que fica no estacionamento nos alertou sobre o perigo de visitar cachoeiras cujo acesso era diretamente pela estrada MG-050. Ele disse que estavam ocorrendo muitos roubos a carros que, pela placa, os ladrões já sabiam que eram de turistas. Há algumas cachoeiras na região, especialmente nesse trecho entre Paraíso Perdido e Lagoa Azul, cujo acesso é pela própria rodovia. Aí os turistas precisam deixar o carro no acostamento da rodovia para irem lá na cachoeira. O mesmo ocorre quando fomos ao Mirante dos Cânions, já que o carro ficou em um recuo também na estrada e seguimos para lá. A diferença é que o mirante tem sempre muita gente e muitos carros estacionados, com maior movimento de pessoas por ali, chegando e saindo carro o tempo todo. No caso das cachoeiras, nem sempre é assim. Portanto, deixarei aqui esse alerta a todos para que, no caso de resolverem conhecer algumas outras cachoeiras e se tiverem que deixar o carro na estrada, retirem dele todos os pertences de valor para não correr risco.


** LUGARES QUE NÃO TIVEMOS TEMPO DE VISITAR **

- IGREJA MATRIZ: com arquitetura contemporânea e traços simples em seu interior, foi undada em 1947 e teve o seu altar modificado quando do aniversário dos seus 50 anos. A Igreja possui, em seu interior, doze colunas, quadros e pinturas retratando a vida de Jesus.

- MORRO DO CHAPÉU: um dos pontos mais altos da cidade, com altura de 1.293m, formado por um planalto com vegetação rasteira, várias espécies de flores silvestres, diversas nascentes de água límpida correndo em pedra e lageados, além de algumas cachoeiras. Em agosto, infelizmente, não nos indicaram visitar as cachoeiras porque disseram que estavam com pouca ou nenhuma água. Mas fiquei curiosa por fazer essa trilha. Pena que não deu tempo. Parece que a fauna é rica em lobos, tatus e tamanduás. Entre as aves, destacam-se os inhambus e as codornas. Por fim, o brinde do passeio: avista-se de forma privilegiada privilegiada a grande extensão do Lago de Furnas, do Município de Capitólio, Guapé, Alpinópolis e São José da Barra. Deve ser bem legal!

- CACHOEIRA DO LOBO: com infraestrutura completa para receber bem o turista, a belíssima cachoeira do Lobo está localizada no Município de Guapé, só que o acesso é mais fácil por Capitólio, a 14km do centro, sendo 6km de estrada de terra. Telefone: (37) 9983-9070. Essa foi outra cachoeira que não tivemos tempo de visitar e também não nos indicaram porque, em razão da estiagem já própria da época do ano que fomos, estava com pouca água - www.pousadacachoeiradolobo.com.br




- PRAIA ARTIFICIAL: Praia Artificial Municipal Domingos Gonçalves Machado foi fundada em 1988 e fica dentro do perímetro urbano, no final da Rua São Sebastião. É banhada pelo Rio Piumhi e possui 24.895,12m². O local contém quadras poliesportivas, calçadão para caminhadas e ampla área para realização de grandes eventos.

- CASCATA ECO PARQUE: estivemos na cascata chegando de barco por baixo, mas nem mergulhamos porque estava com muitas folhas e tipo um "lodinho" decorrente da decomposição desse material orgânico. Quem desejar curtir o parque, a entrada é paga e o atrativo principal é uma trilha que, na ida, passa por cima das cachoeiras e, na volta, por dentro d’água, passando por lindas quedas d’água e piscinas naturais. Além disso, oferece área para camping, hotel e bar. Localização: Rodovia MG-050, km 315,5. Telefones: (35) 9 9904.0001 / 9 9981.3276 - cascataecoparque

- CACHOEIRA TRILHA DO SOL: a Lu fez esse passeio em 2015 e havia me dito que só valeria mais a pena se estivesse com água nas quedas/cascatas, pois ela disse que boa parte da trilha ém em terreno descampado, embaixo de sol forte e, com pouca água, é bem desgastante. Como meu tempo foi curto e como a época que fui já era de estiagem, acabei desistindo de fazer esse passeio. Dizem que, no seu esplendor, o local é repleto de belezas naturais, possuindo estrutura para a prática de esportes de aventuras como trekking, rapel e marcha aquática. Conta com pousada, restaurante, cachoeiras, piscina de água corrente, redário, chuveirão e trilhas. Rodovia MG-050 - km 305. Telefone: (35) 9981-1855. www.pousadatrilhadosol.com.br



** ONDE COMER ** 

Bem, não é de se estranhar que o carro-chefe da maioria dos restaurantes da região seja à base de peixes, certo? Afinal, com tanta água (peeeeeensem que é 4x maior do que a Baía de Guanabara), tinha que ter muito peixe por lá! E os mais presentes nos cardápios capitolinos são as traíras e as tilápias, preparadas de várias formas, grelhadas, assadas, recheadas, empanadas ou até mesmo como churrasco. 

Para os não muito fãs de peixe, calma! Nem só de peixe se vive em Capitólio e o tradicional frango caipira também faz sucesso, além de outros pratos preparados com carne bovina. 

Infelizmente, não deu tempo de comer na pousada Kanto da Ilha Suítes & Spa, mas eu soube que o Filé de Tilápia deles é incrível!

Não deixe de tomar alguns rótulos da cerveja Scarpas, cujos fabricantes são da mesma família dos donos da Kanto da Ilha Suítes & Spa e do restaurante Kanto da Ilha. As cervejas, artesanais e com uma pegada gourmet, são bem interessantes e saborosas. 

Se tiver a oportunidade de conhecer o restaurante Kanto da Ilha, programe-se para ir de manhã para almoçar ou de tarde para lanchar/almojantar no final do dia. Por lá é bem comum também, em feriados e alta temporada de verão, haver festas, shows e muita badalação, até porque, neste quesito de baladas, Capitólio é um destino fraco. Salvo na alta temporada que me disseram que a cidade fica bem cheia e animada. 

LEIA AQUI A MATÉRIA COMPLETA SOBRE O RESTAURANTE KANTO DA ILHA

E já que Capitólio está no "pé" da Serra da Canastra, por favor (façam isso por mim!), comam muito Queijo!!! De preferência, procurem pelo verdadeiro queijo da Serra da Canastra, bem curado, com aromas e sabor forte... hummmmm... ainda bem que eu trouxe uma peça bem grande que está em casa, na geladeira, devidamente guardado para ocasiões especiais e curando com o tempo! 

Nossa dica para poder degustar e comprar ótimos queijos, além de poder comer um espetacular pão de queijo recheado com linguiça, fica na própria MG 050, antes de entrar na cidade de Capitólio, e se chama Califórnia





Lugar simples, honesto com atendimento bom e que só tinha como problema, no dia que fomos, aceitar somente dinheiro porque a máquina de cartão não estava funcionando.

Outra boa dica para poder encontrar bons restaurantes na cidade, que está crescendo mais e mais a cada ano (até espero que não cresça tanto, para não perder seu charme de cidade rústica e pequena), vale a pena dar aquela consultada no site TripAdvisor, que traz a lista dos Melhores Restaurantes de Capitólio - clique aqui e veja. (lista referente ao ano de 2016)

Olhando a lista, vemos o Restaurante da Roça em primeiro lugar. Ele fica praticamente ao lado da Kanto da Ilha Suítes & Spa e até fomos lá para conferir. Mas estava rolando um sertanejo alto e como se trata de uma casa de família que abre como restaurante também, achamos que poderia estar acontecendo algo mais familiar por lá e não ficamos, até porque esse ritmo musical não é dos nossos favoritos. 

Em segundo  lugar na lista do TripAdvisor encontra-se o restaurante Hud's Lounge Escarpas do Lago. Nele nós estivemos e achamos o ambiente lindíssimo! Com decoração bem rústica, música ambiente menos regional rsrs... valeu a pena ir lá e comer uma tilápia bem gostosa, tomar uma Scarpas e comer um aperitivo de peixe. 




O terceiro lugar da lista é o Restaurante do Turvo, bem conhecido porque é na frente dele que saem os tradicionais passeios de chalana, um pouco antes da Ponte do Rio Turvo, que também funciona como ponto de referência dentre os locais. 






Até estivemos lá, sabem? Mortos de fome, a gente deu de cara na porta kkkk... não sabíamos que, apesar de ser um sábado, o restaurante fecharia às 16h e depois não abriria para o jantar. Não sei informar se é sempre assim ou somente em baixa temporada. Eu fui em agosto, que é baixa temporada para eles. Diante disso, sugiro confirmarem antes de ir o horário de funcionamento. O que nos salvou foi essa Queijaria Califórnia. Não apenas degustamos vários tipos de queijos, compramos alguns quilos também, como também comemos um delicioso pão de queijo recheado com linguiça que realmente nos conquistou!

Em quarto lugar na lista, figura o Restaurante Kanto da Ilha, que também é uma cervejaria (lá fica a cervejaria da Scarpas). Estivemos lá e adoramos! Ambientes riquíssimos, muito bem decorados, com um jeito rústico sem perder a sofisticação. Lá é enooooooorme e não é a toa que o lugar é bastante utilizado para a realização de festas e eventos. 





Por fim, também estivemos no Restaurante Chico Pintado, que aparece em 6º lugar na lista do TripAdvisor! Lá, nós comemos a famosa tilápia empanada e recheada de queijo da serra da Canastra que estava espetacular!! Noooooosssa... eu amei! E a minha batida de maracujá também estava uma delícia. 






Obs: falar sobre valores e preços quando a gente mora no Rio de Janeiro fica até injusto porque hoje em dia até Tóquio deve estar mais em conta do que o Rio kkkk... mas sério, de fato, nós achamos os valores dos pratos e bebidas em Capitólio bem justos e compatíveis com o lugar, que é pequeno e ainda está aprendendo a lidar com esse boom do turismo na região. E, em comparação com o Rio, é beeeeeem mais em conta. 

** DICAS FINAIS ** 



Tucanos que avistamos na estrada, quando estávamos voltando do Restaurante do Turvo (que não conseguimos conhecer porque estava fechado)

- CENTRO DE INFORMAÇÕES AO TURISTA:

R. Dr. Avelino de Queiroz, 466 - Centro
Tel: (37) 3373-1977

- POSTOS DE COMBUSTÍVEIS:

Posto Beira Rio – MG 050 Km 248 - Fone: (37)3373 1333 / 3373 1050.
Posto Ale – Rua Dr. Avelino de Queiroz, 360 - Fone: (37)3373 1344.
Posto Petroquali – MG 050 Km 264 - Fone:  (37) 3373 1223 / 3373 1199.
Posto Beira Rio (Escarpas) – Rua Galeota, s/n - Fone: (37) 3326 5111.

- OFICINAS MECÂNICAS:

Auto Car – Rua Vicente Goulart Alves, 175 - Fone: (37) 3373 1766.
Auto Elétrica Blackout – Rua Cel. José Leite, 7 - Fone: (37 3373-2176 / 9955-3737.
Auto Elétrica Buda – 9904-1742
Auto Peças Crisdu – Rua Cel Lourenço Belo, 737 - Fone: (37) 3373 1573 / 9966 7205
Auto Peças Pinheiros - Rua Dr. Avelino de Queiroz,717 - Fone: (37) 3373 1013 / 9983 7874
Auto Peças Capitólio – Rua Cel. José Leite, 31 – Fone: (37) 3373-1117





- TÁXIS:

Abeia – Telefone: (37) 3373-1053 / 99962-8873(vivo) 99120-9607 (tim)
Ailton - Telefone: (37) 99106-9639 / 99946-7865
Alessandro – Telefone: (37) 99963-1105(vivo) / 99186-0135(tim) / 99955-5110(vivo)
Artur- Telefone: (37) 99902-9381 / 99126-5433
Cláudia - Telefone:(37) 99805.2055
Neném – Telefone: (37) 99966-4927(vivo)
Vonei – Telefone: (37) 99961-7143(vivo) / 99111-3590(tim)


- BANCOS:

. CAIXA (LOTÉRICA PONTO DA SORTE)
Rua Dr. Avelino de Queiroz, 591 – Telefone: (37) 3373-1654 – Horário de funcionamento: das 7h30 às 18h.

. BRADESCO
Rua Cel. Lourenço Belo, 462 – Telefone: (37) 3373-1483 – Horário de funcionamento: das 9h às 12h e das 13h30 às 16h.


. BRADESCO - POSTOS DE ATENDIMENTO
Castelo Supermercado
Rua Monsenhor Mário da Silveira, 133 – Telefone: (37) 3373 1215 – Horário de funcionamento: 8h às 18h.


. Imóveis Escarpas
Rua Das Ancoras, 1 (Balneário Escarpas do Lago) – Telefone: (37) 3326 5270 - Horário funcionamento: 8h às 17h.

. Mercearia Nossa Senhora Aparecida
Rua José Sabino Tiago, 350  – Telefone: 3373 1985 - Horário de funcionamento: 7h às 20h
 
. SICOOB CREDIALTO
Rua Cel. Lourenço Belo, 499 – Telefone: (37) 3373-2050 - Horário de funcionamento: das 9h às 15h.

. SICOOB CREDICAPI
Praça Padre João Machado, 400 – Telefone: (37) 3373-1200 - Horário de funcionamento: das 8h às 15h.



5 comentários:

  1. ARRASARAM! POST EXCELENTE

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Perfeito! Não poderia ter discrição melhor!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Muito obrigada!
      Beijos,
      Lily

      Excluir