quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Capitólio: a melhor forma de explorar o Mar de Minas é de Lancha!

Não tem jeito: a melhor forma de compreender a imensidão do Mar de Minas é diretamente nele, fazendo um passeio de barco!

É claro que os passeios por cima complementam e vão te dar uma noção abrangente da geografia da região, mas o passeio mais divertido que há por lá é o de barco. No nosso caso, fomos de lancha com a Acqua Turismo Náutico, que eu achei excelente, muito melhor do que ir de catamarã, e vamos contar tudo para vocês!





A lancha é bem mais rápida, né? Logo, você consegue curtir mais lugares e, em cada lugar que você para, você ainda consegue aproveitar um tempo maior do que se fosse de catamarã. Isso sem contar que o catamarã não faz um roteiro tão completo assim.

Bem, se o seu orçamento estiver beeeeem apertado, então o catamarã pode ser uma boa saída para você não perder esse passeio que é fundamental em Capitólio. O catamarã é mais em conta e deve ser legal também. Apenas não é tão exclusivo nem percorre tantos lugares pelo Lago de Furnas.





Obs: para quem tiver interesse no catamarã ou chalana, elas saem bem ao lado da Ponte do Turvo e em frente ao Restaurante do Turvo, na estrada MG-050, Km 306, o passeio dura em torno de 3h, faz apenas duas paradas para banho de 30 minutos cada - na Lagoa Azul e no Canyon de Furnas - e custa cerca de R$60,00 por pessoa. Saídas costumam ser diárias entre 9:30 e 10:00, mas sempre confirme antes (Chalana (31) 4042-0234 http://www.chalanalagodefurnas.com.br / Catamarã (35) 8869-2687 http://www.catamaraescarpas.com.br )


Nós fomos convidados a desbravar esse marzão mineiro pela empresa Acqua Turismo Náutico (telefones para contato: Bill 0055 31 97504-0387 / Anderson 0055 37 99954-3018) cujo deck de saída do passeio é lá no restaurante Kanto da Ilha. Achei simplesmente perfeito, primeiro, porque o passeio é para menos pessoas, com a liberdade para opinarmos no itinerário e pedir para ficar mais tempo em determinados lugares.

VEJA AQUI A MATÉRIA COMPLETA SOBRE O RESTAURANTE KANTO DA ILHA




O passeio padrão dura cerca de 3:30 a 4h, mas o nosso foi beeeeeeem extenso, pois a gente foi acompanhado por uma equipe de filmagem que estava fazendo um vídeo institucional da região e do passeio. Acabamos, sem querer, virando os apresentadores desse vídeo rsrs... No final, foi bem divertido e proveitoso. Mas a gente saiu por volta das 10:30 e só voltou já perto do pôr do sol, lá para umas 17h. Ou seja, dia intenso e muito completo!



Porém, antes de falarmos do passeio, acho justo explicar um pouco da formação do famoso Mar de Minas, que tem um volume extraordinário, equivalente a 2,6 bilhões de metros cúbicos, com 1.440km², sendo um dos maiores do mundo, quatro vezes maior do que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro!!! 




Nós não vimos, até porque ele estava um verdadeiro espelho, calminho calminho, mas em épocas de fortes ventos, há quem relate ter visto até mesmo ondas por lá, dando a impressão de ser um verdadeiro braço de mar. 

E esse famoso reservatório, conhecido como Lago de Furnas, foi criado a partir da instalação da Usina Hidrelétrica de Furnas, que, como processo natural da sua construção, teve que alagar uma boa parte da região, formando esse lago artificial que banha 34 municípios.


No dia 9 de janeiro de 1963, o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo acabaram criando praias, formando cânions e cachoeiras, inundando vilarejos e mudando a história dos 34 municípios que seguem ao longo do Lago de Furnas. 





Imaginem que alguns municípios ficaram praticamente submersos e tiveram que mudar de lugar!! Pastos foram alagados e diversas cidades que viviam da agropecuária tiveram que mudar de vocação para o comércio, o turismo e a pesca. Foi uma grande obra, que, apesar de trazer melhorias, progressos e de gerar eletricidade, também pode ser questionada pelas modificações feitas na natureza. 

Em todo caso, à parte da discussão - que é válida, mas em outra ocasião - sobre as vantagens de se construir uma hidrelétrica, nós estivemos lá para conhecer as maravilhas do Lago de Furnas e valeu muito a pena!




E é a mais pura verdade quando chamam essa maravilha de Mar de Minas, viu? Pois parece mesmo um mar pela imensidão sem fim em cores verde-esmeralda... lindo!

Pois bem, o passeio, que começou no Kanto da Ilha Restaurante, seguiu em primeiro lugar para o VALE DOS TUCANOS.





Para a minha decepção, não havia mais tucanos por lá (mas eu bem vi depois uns tucanos lindos na estrada!). Disseram para a gente que os passeios de barcos por ali acabaram por afastar os tucanos, mas o nome ficou.

Ali sim pudemos ver o verdadeiro verde esmeralda de impressionar!

Paredões banhados por pelo lago formavam algumas entrâncias e, no meio, uma lagoa, onde paramos por cerca de 1 hora para banhar, tirar fotos, filmar... foi uma diversão só!




Confesso que deu aquela preguicinha para entrar, ainda mais que, durante o passeio de lancha, acaba ventando muito e, depois molhado, você sente mais frio. Só que fica aqui a dica: vença essa preguiça e dê sim um tibum!!! 



É revigorante mergulhar por ali e foi uma delícia de banho... no início, a água é um pouco fria. Mas rapidinho o corpo acostuma. E, para quem mora no Rio de Janeiro, a água é menos fria do que no Rio. 





Em seguida, a gente foi para a CASCATINHA DO ECO PARQUE, que também tem acesso pela estrada, para quem desejar ir lá por conta própria. Contudo, eu acho que tem que pagar entrada no Eco Parque. Nós fizemos uma outra pausa aí para tirar fotos e poderíamos mergulhar, mas eu confesso que não curti muito o "lodinho" que estava boiando perto da cascatinha. 



Esse "lodinho" com certeza é fruto de material orgânico em decomposição porque tinha muita folha na água. Mas, mesmo assim, não animei e fiquei na lancha.






Daí, partimos para a próxima parada, que é sem dúvida o ápice do passeio: os CÂNIONS DE FURNAS, Diquada e Diquadinha!




A formação do lago de Furnas proporcionou que por toda a sua extensão tenham-se formadas inúmeras cachoeiras, grutas, piscinas naturais e cascatas, além de cânions de até 20 metros de altura!! O cenário é absolutamente deslumbrante e é o verdadeiro cartão postal da região!

Esse foi um outro local onde nós mergulhamos, até porque é imperdível! Incrível ver como a água é transparente, num tom de verde inesquecível!





Nós não chegamos no melhor horário do sol, que nesta época do ano que fomos (mês de agosto) o sol incide em cima deste ponto por volta das 12h. À esta altura do campeonato, já passavam das 14h e a sombra em cima de uma parte dos cânions já estava formada. 




Ainda assim, nós mergulhamos ali, nadamos até a cachoeira que ainda tinha água e o Julio até subiu nela!! Eita coragem sô!




Eu, naturalmente, só cheguei perto kkkk... a força da água e do vento é tão intensa que, quanto mais perto da queda d'água, menos você consegue enxergar. Fiquei com muita dificuldade de abrir o olho e enxergar qualquer coisa, por isso mesmo voltei. 



Dica: leve sua papete / sapatilha de neoprene se você pretende mergulhar e subir em pedras, pois terá mais segurança e correrá menos risco de escorregar e se machucar. Além disso, vale sempre dizer que a região é bem rústica ainda. Não vi qualquer tipo de apoio em termos de segurança, como um salva vidas. Logo, não se aventure se você não se sentir seguro o suficiente e evite acidentes.





Após essa pausa deliciosa nos cânions, partimos para a LAGOA AZUL! Como já tínhamos visitado a Lagoa Azul no dia anterior, pelo alto, nem nos animamos muito a ficar ali, porque tinha muita gente, um povo com isopor... achei um pouco farofada e não curti. 




Achei muito melhor quando fomos no dia anterior, que estava praticamente vazio, só a gente... o chato é que não tinha muito sol e estava friozinho para mergulhar por ser final da tarde. Logo, se você quiser curtir a Lagoa Azul menos cheia, vá cedo, de manhã, por cima mesmo. Basta pegar a MG-050 e seguir para a Pousada Lagoa Azul. Eles cobram entrada para ir para a Lagoa, mas é mais exclusivo do que se for no auge dos passeios de barco, quando ficará mais cheio de gente e meio estranho.



Então, prosseguindo no passeio, passamos por lagoas rodeadas de muita vegetação e num dado momento era como se estivéssemos em um verdadeiro espelho, refletindo o céu e as nuvens! Coisa linda de ver!





Chegamos na CACHOEIRA DO SABIÁ, que requer uma pequena trilha de uns 5 minutos até chegar na Cachoeira. 

Aí, como já era por volta das 16h, ou pouco antes, o vento estava friozinho e eu, de casaco, não ia entrar na água de jeito algum! kkkk... Uma pena porque lá é lindo também!!




Essa Cachoeira do Sabiá, ao menos na época em que fomos, com pouca vazão de água (LEMBRANDO QUE AGOSTO É MÊS DE ESTIAGEM), era como se fossem duas cachoeiras, com um lago na frente.


ATENÇÃO: nesta trilha para chegar na cachoeira nós avistamos uma cobra que provavelmente era peçonhenta, talvez uma jararaca. Logo, ande sempre na trilha, atento a isso, evite andar descalço e, de preferência, acompanhado, em grupo. 

Por fim, nossa última parada foi na CACHOEIRA DA ILHA, onde a sombra já tinha avançado bastante por causa do horário, de ser fim de tarde. Uma peninha também porque lá parecia lindo para dar um mergulho. Porém, com sombra não rola de jeito nenhum! kkkk.. peeeeeeeeense que depois você ainda tem que encarar o vento do passeio de lancha, viu?





Assim foi o nosso passeio pelo Lago de Furnas, que contou com a participação do Danilo da @beeagenciadecomunicacao e do Will do @parasempreagencia, que fizeram vídeos e fotos da região e da gente também, para um trabalho de divulgação de Capitólio que mal posso esperar para ver o resultado!




Agradecemos ao Acqua Turismo Náutico ((telefones para contato: Bill 0055 31 97504-0387 / Anderson 0055 37 99954-3018) pelo convite, pelo passeio que foi deslumbrante! A lancha era bem novinha, com um ótimo motor, assentos sempre limpos, com água a bordo e muito conforto.




Acho que só faltou mesmo uma musiquinha rsrs... e também faltou que a gente tivesse se planejado para levar mais lanchinhos e umas bebidinhas, como uma cervejinha rsrs... mas, no final, estava tudo certo e tudo ótimo! 

Curtimos e recomendamos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário