quinta-feira, 30 de julho de 2015

Um passeio a Zaanse Schans, o Vilarejo dos Moinhos (bate e volta de Amsterdam)

Sabe aquele lugar fofo, bonitinho, arrumadinho, de fácil acesso, tranquilo para passear, lindinho demais, que tem tudo o que você espera ver na Holanda: moinhos, lago, queijos, tulipas, tamancos de madeira, casinhas que parecem de boneca... esse lugar existe sim e se chama Zaanse Schans.

Zaanse Schans

Ah sim, muitos dirão que lá é um programa turistão, que é feito para turista, que é montado para isso, que não é absolutamente genuíno etc etc etc... sabe o que eu acho desse mimimi todo sobre  Zaanse Schans? E daí se for turistão? Não acho que seja um programa "pega-turista", onde você vai gastar muito para ver algo sem graça.

Zaanse Schans

Pelo contrário! Foi um dos passeios mais legais que fiz na Holanda!

Eu já fui duas vezes a Amsterdam, em 2007 e em 2013.

Em 2007, eu aproveitei os quatro dias que passei em Amsterdam para passear também, no esquema bate-volta, para cidades próximas: Marken, Volendam e Monnickendam.

Já em 2013, novamente por quatro dias em Amsterdam, eu tirei um dia para ir a Keukenhof e ver de perto o maior jardim de tulipas do mundo, e outro dia para conhecer Zaanse Schans.



Diga-se de passagem que o passeio a Zaanse Schans cabe perfeitamente em uma manhã ou uma tarde. Você não precisa dispor de um dia inteiro para visitar o vilarejo.

Zaanse Schans

Eu fui em abril de 2013, início da primavera, mas, como o inverno daquele ano foi muito rigoroso e avançou na primavera, eu custei a ver as flores e aquela paisagem exuberante que eu desejava tanto ver.

Aliás, acreditem em mim: eu vi neve em Amsterdam em pleno abril!! rsrs.. sério mesmo! Neve! Eu nem acreditava direito e até filmei. Logo, o frio foi intenso.

Estava hospedada em Amsterdam no Hotel Aalders, muito bem localizado na região de Museumplein, perto do Museu de Van Gogh, perto do Museu Rijksmuseum (inclusive, deixo aqui reigistrado que eu adorei esse hotel! Mil vezes melhor do que o hotel em que me hospedei em 2007).

Fiz um roteiro intenso pela manhã, que começou cedo, com o tradicional passeio de barco pelos canais de Amsterdam - Canal Cruise - que eu super indico a todos que vão porque acho fantástica a forma de observar a cidade de dentro dos barcos e para ter uma ideia de localização.

Passeio de Barco

Canal Cruise


Depois, já de volta para o local de embarque do barco, que era bem perto do nosso hotel, em frente ao Rijksmuseum, e caminhamos sentido Leidseplein, com uma paradinha básica no Vondelpark, por onde passeamos mais um pouco, observamos as pessoas praticando exercícios físicos, mesmo com o frio de rachar que fazia, a galeria pedalava, corria.. o Vondelpark é o equivalente ao Central Park de NY rsrs.. guardadas as devidas proporções, é claro! Um lugar ótimo para descansar, fazer um piquenique ou simplesmente caminhar. Com o frio que fazia, fiquei só com a caminhada contemplativa para fotografar o lugar.

VondelPark

Então, já na Leidseplein, peguei o tram / bonde até a Centraal Station de Amsterdam (dá algo em torno de 10 ou 15 minutos de bonde... se for caminhando, é algo em torno de 35 minutos) e lá na estação central eu fiquei atenta aos letreiros para buscar a bilheteria e fui comprar o ticket do trem para ir para Alkmaar.

Centraal Station

Centraal Station

Dica: os holandeses falam inglês muito bem! Como Zaanse Schanz é um lugar bem turístico, se você esquecer o nome da cidade para onde vai o trem, diga que quer para Zaanse Schanz, mas preste muita atenção no bilhete do trem para ver qual o destino final dele, pois será com base nesse destino final que você vai procurar a plataforma de embarque do trem (e o seu destino final é Alkmaar). Ainda, se ficar com dúvida ou inseguro, não se acanhe e vá com seu bilhete para o quiosque de Informação Turística e peça ajuda para saber onde fica a plataforma de embarque e não perder o seu trem, viu? Tudo dentro da Centraal Station de Amsterdam é muito bem sinalizado!


O trem é super rápido! Algo em torno de 20/25 minutos e você deve desembarcar na quarta parada que se chama Koog Zaandijk (mais uma vez, se tiver dúvida com relação ao nome, vá contando.. é a quarta! Mas a verdade é que certamente muita gente vai desembarcar lá para ir a Zaanse Schanz, daí você pode seguir o fluxo dos turistas)

Chegando na estação Koog Zaandijk, você vai caminhar uns 10 minutos, ou mais, se for parando para tirar fotos rsrs, e logo vai avistar o grande canal (ou seria um lago?) e os moinhos de Zaanse Schanz!

OBS.: outra opção para chegar a Zaanse Schanz é com o ônibus nº 391, que sai do lado de fora da Centraal Station de Amsterdam, a cada meia hora, e para em frente ao St. Michael College, perto do Zanns Museum. 




Já na ponte, antes de chegar no vilarejo, há vários pontos bem legais para tirar fotos dos moinhos!



E chegamos em Zaanse Schanz, que é um vilarejo com casas do século XVII e XVIII, moinhos, fábrica de queijos, de tamancos... lindinho demais!



Vale a pena, se quiser, ir ao Centro de Informações, que funciona das 9h às 17h, e fica dentro do Zaans Museum para pegar o mapa do vilarejo. Agora, se você estiver com pressa, não se aperreie muito porque andar pelo vilarejo é bem simples e fácil. Acho que ninguém se perde por lá.





Caminhamos um pouco por lá e fomos visitar um moinho que estava aberto (nem todos os moinhos abrem todos os dias, depende do moinho e do dia da semana). A entrada é paga (na época foram 3 euros) e o horário de funcionamento era das 8:30 às 17:00.






Foi muito legal ver o moinho por dentro, em funcionamento, com um senhorzinho rodando a engenhoca responsável pela engrenagem do moinho que era para moer grãos (acho que era trigo).




Infelizmente, não pude fazer o passeio de barco =(

O passeio de barco era a partir de abril e eu fui a Zaanse Schans no dia 1º de abril e não estava ainda em funcionamento por causa do frio intenso que fazia.

Mas pudemos caminhar por lá, ver de perto mais moinhos, admirar os campos ao longe e não dava para se cansar de ver os moinhos tão lindos.

Na sequência, fomos conhecer a Queijaria Catharina Hoeve! Peeeeensem numa pessoa transbordando alegria e felicidade? Eu! EU! rsrs... Gente, eu amo muito queijo! E os queijos holandeses são divinos!



Fui à loucura com a quantidade e variedade de queijos dentro da loja, com várias opções para degustações. Eu praticamente almocei ali dentro experimentando todos os queijos que eu pudesse kkk... e uma coisa interessante dos holandeses é o hábito de comer queijo com molhos, mostardas e pães. Booom demais!





Eu amei os queijos de cabra! Sabor forte, marcante, com ou sem tempero, eu juro que experimentei todos lá. E é claro que comprei, né? Eu tinha que arriscar levar para o Brasil alguns queijos holandeses (já adianto aqui que deu tudo certo, graças a Deus, e meus queijos chegaram bem e não foram barrados pela Vigilância Sanitária... mas é bom ter em mente que isso sempre é arriscado e se encrencarem com você, não há o que fazer além do que se despedir do seu produto perecível trazido de fora - A dica é embalar à vácuo em sácos hermeticamente fechados! As chances serão muito reduzidas de ter os produtos barradados nos aeroportos do Brasil).


Ainda, dentro da Queijaria, tivemos uma aula com demonstração de como fazer um queijo holandês bem curado. Nada diferente do que fazemos no Brasil. Acho que a diferença é o leite mesmo e a vaca e o clima e o solo ... bem, o resultado sai diferente por algum motivo, né? rsrs...



Outra visita imperdível em Zaanse Schans é a da Fábrica com Workshop de Tamancos de Madeiras!





Sabe aqueles tamancos de madeira clássicos da Holanda? Fica até difícil imaginar alguém usando algo tão pesado no pé, não é?

Eu realmente achava que isso era algo de uma tradição antiga, não mais vigente nos dias atuais. Ledo engano! Muitos camponeses ainda usam os tamancos de madeira que são mais quentes e impermeáveis.



E na Fábrica, além de uma breve aula do histórico do uso dos tamancos, da sua importância e utilidade, a gente presenciou a produção de um tamanco. Um trabalho artesanal, com ajuda de poucos equipamentos, com resultados belíssimos!




Não... eu não comprei um tamanco para o mim... Não foi por falta de vontade, mas sim porque ele é pesado e a Holanda era apenas o primeiro país da minha Eurotrip de 2013, quando eu visitei 16 países e ainda teria voo interno com a companhia Air Berlin, com limite de 23kg por pessoa. Ou seja, eu já havia extrapolado e muito comprando os queijos... não dava nem para cogitar comprar os sapatos!




Acabamos não fazendo nenhuma refeição em Zaanse Schans, embora eu tivesse planejado comer algo no Restaurante De Hoop Op'd Swarte Walvis (fechado às segundas), que é famoso por lá. Depois das degustações dos queijos com molhos, mostardas e pães, eu não tinha condições de almoçar lá.




Por fim, cabe lembrar que os melhores dias para visitar Zaanse Schans são de terça a sábado, quando a maioria das atrações e moinhos estão abertos, ok?




Mas vocês pensam que o dia acabou aí? Nananinanão! Fiz muita coisa depois disso!

Voltei para Amsterdam e, em vez de pegar o tram de volta, resolvi caminhar da Centraal Station até a Dam Square e segui no sentido do Red Light District para visitar o interior da Ode Kerk, a igreja mais velha de Amsterdam.

O bonde elétrico - a caminho da Dam Square

Entre a Centraal Station e a Dam Square

Curioso pensar que a Igreja mais Velha e uma das maiores está localizada no coração do Red Light District, bairro famoso pela existência de garotas de progama nas vitrines, exibindo-se para atrair clientes (OBS.: não é permitido tirar fotos das vitrines com as prostitutas! Já li que muitos tiveram confusão com isso, porque logo chegam seguranças e o clima fica tenso).

Oude Kerk

Oude Kerk

Vitrais da Oude Kerk

Oude Kerk

E depois de caminhei mais pelo Red Light District, após visitar a Oude Kerk no seu interior, que é muito bonita, com vitrais lindos e repleta de brasões da nobreza holandesa - uma pena que eu não consegui subir na sua torre porque cheguei perto do horário de fechar, mas dizem que lá do alto da torre tem-se uma vista panorâmica de Amsterdam maravilhosa!), segui caminhando pelas ruas, contemplando as paisagens, observando o vai e vem, os comportamentos, os canais e as bicicletas!!



Red Light District

Dam Square

Dam Square

caminhando para a Heineken Experience

Agora sim, no final do dia, fui para a fábrica da Heineken para fazer o passeio da Heineken Experience, que já contem aqui para vocês!

E assim foi o meu dia intenso em Amsterdam! E nem era verão, hein? Imaginem só se tudo isso tivesse sido feito com dias longos, anoitecendo depois das 21h? Nossa! Seria muito melhor! Mesmo assim, fiz render bastante o dia, com aproveitamento máximo, e foi um dos melhores passeios que fiz por lá! Recomendo =))



4 comentários:

  1. Fantásticas dicas! Obrigada por partilhar sua experiência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou!! Seja sempre bem vindo ao blog.
      Abraços

      Excluir
  2. muuuuito obrigada pelo Post Lily. Quase comprei aqueles pacotes de bus saindo de Amsterdam, quando comecei ler que fazem tudo a correr nessas half/day trip. Ao ver se era possível conhecer os Moinhos, fabrica de queijo e tamancos por conta própria, fiquei super aliviada pela economia! lol beijinhos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Carol! Tudo certinho? que legal... que bom que o post te ajudou!

      Com certeza, indo sem pacote, você vai economizar e aproveitar mais, fazendo no seu tempo o passeio.

      Espero que curta bastante e depois nos conte como foi, viu?

      Beijos,
      Lily

      Excluir