domingo, 11 de maio de 2014

Edimburgo, a capital escocesa, por Monica Barros

A minha querida colaboradora Monica Barros está de volta aqui no Apaixonados por Viagens! Que bom poder publicar mais um texto seu!! 

Vocês se lembram de quando a Monica nos prestigiou escrevendo sobre as fantásticas Highlands na Escócia? Vejam aqui o post dela para relembrarem!

Agora, para complementar o seu excelente relato, tenho a honra de publicar o seu texto sobre Edimburgo, a capital da Escócia

E tenho certeza de que vocês vão amar como eu! 


Edimburgo e a Gaita de Fole

** Edimburgo, por Monica Barros **

Estivemos em Edimburgo no inverno de 2012. Após rodar pelas Highlands da Escócia, fomos para a capital do país passar alguns dias descobrindo suas histórias.

Edimburgo é dividida entre old town e new town. Recomendo a hospedagem na área da old town, pois é lá onde você vai encontrar a verdadeira alma do local. É lá também que as construções medievais mantêm-se, e passear a pé é fácil já que as distâncias não são tão grandes. 

. Hospedagem: Nos hospedamos no excelente Hotel MacDonald Holyrood, que fica na Holyrood Road, paralela à principal via da old town, a Royal Mile


Hotel MacDonald Holyrood
 A poucos passos do hotel, encontra-se um dos ícones da cidade: o Arthur´s Seat, a maior colina de Edimburgo com 251 metros. 


Arthur`s Seat

As pessoas costumam subir essa montanha para apreciar uma das melhores vistas da região. E exatamente aos pés desta colina está o centro de ciências Our Dynamic Earth e o Parlamento Escocês, que também é possível visitar.


Our Dynamic Earth
Ainda nessa vizinhança, está um dos castelos que mais amei visitar em toda Europa: Palace of Holyroodhouse


Entrada do Palace of Holyroodhouse

Esse palácio é a residência oficial da Rainha da Inglaterra quando ela está na cidade. Data de 1128 e foi a principal morada dos reis e rainhas da Escócia no século XV. O que me fascinou mesmo foi o fato de ter sido a casa da famosa rainha Mary Stuart, ou Mary of Scots


Palce of Holyroodhouse

Essa rainha teve uma vida digna de filme de intriga e suspense. Resumidamente, depois de ter reinado na França por consequência de um casamento e na Escócia, e após um golpe fracassado para tomar o trono da Inglaterra (havia um conflito entre os católicos e protestantes no Reino Unido, os católicos queriam Mary reinando e os protestantes queriam a Rainha Elizabeth), foi aprisionada nesse castelo pela própria prima, a rainha da Inglaterra. 


Jardins do Palácio

Elizabeth era uma governante de pulso forte e soube como ninguém manter seu poder a qualquer custo, mesmo que isso significasse prender sua própria prima de descendência escocesa e mantê-la confinada durante 18 anos, já que era considerada uma ameaça ao seu reinado. Por fim, Elizabeth condenou à morte a Rainha Mary alegando que ela havia planejado seu assassinato.

Durante a visita ao palácio, conhecemos os aposentos de Mary e ficamos imaginando como foi a vida no confinamento. Além de diversos salões e quartos visitados, passamos também pela grande sala onde a Rainha condecora seus mais notáveis súditos com o título de Cavalheiro ou Dama. 

Nessa sala é exibido um vídeo da condecoração de Sean Connery, ator eternamente conhecido como James Bond e por alguns considerado o maior escocês vivo. É bem legal passar pelo recinto onde Sir Paul MacCartney, Sir Elton John e Dame Judy Dench, entre outros, foram agraciados com a homenagem da rainha.

Outra curiosidade foi que, como estávamos no Reino Unido no ano do jubileu de Elizabeth II, todo o palácio estava rendendo homenagem a ela com fotos e vários itens comemorativos. Aliás, todo o reino estava se preparando para a festa que aconteceria em junho e, para isso, vários pontos foram marcados no chão de Londres indicando o trajeto que a rainha faria no seu grande dia.

Passear por Edimburgo é uma festa para os olhos. Percorrendo a Royal Mile, vemos as diversas casas e construções da época medieval, que são a cara da cidade!

Royal Mile

É quase como ser transportado para outra era. 

Royal Mile

Umas das mais grandiosas e belas construções é a Catedral Saint Giles. Ela se encontra exatamente entre o Palace of Holyroodhouse e Edinburgh Castle, já que seguindo reto pela Royal Mile é possível chegar de um ponto a outro. 


Catedral Saint Giles

Então, subindo um pouco mais adiante nessa rua, chega-se ao imponente Castelo que é a maior atração local, cuja origem vem do século IX. Encravado numa rocha de origem vulcânica, ele domina a paisagem da cidade e de seu topo podemos apreciar uma bela vista panorâmica. Essa é uma visita que não se deve perder. 

A fortificação é muito impressionante e realmente nos transporta para era medieval. Além de uma aula de história que cada ala do castelo nos ensina, o clima já na entrada é de uma viagem ao tempo, principalmente à noite, quando em frente aos grandes portões de acesso grandes tochas são acessas.


Edinburgh Castle

E diariamente ao meio dia, os canhões do castelo disparam tiros, muitos se aglomeram no pátio para presenciar o evento. Em agosto acontece a grande parada militar chamada Edinburgh Military Tattoo, atraindo muitos turistas todos os anos.

Edinburgh Castle

Edinburgh Castle à noite

Edimburgo tem um lado de seu passado bastante sombrio, muito ligado a histórias de caça às bruxas, torturas e à peste negra. Caminhando pela Royal Mile e pelas ruazinhas transversais dá pra imaginar como foi esse passado, e quem circular a pé verá muitas placas aqui e ali indicam algum “close”


Royal Mile, a principal rua de Edimburgo

Os famosos closes de Edimburgo eram na verdade os becos onde a grande maioria da população, que era muito pobre, morava. Com o crescimento desordenado da cidade, os moradores foram se amontoando nesses locais por falta de espaço e de condições, e embaixo desses closes todo um mundo de comércio e moradia existia. Não são lendas as histórias sobre a falta de higiene da época, tampouco as histórias sobre torturas e enforcamentos. Por isso, uma das mais divertidas atrações da capital escocesa são os night tours, como a Ghosts & Ghouls


Cartazes dos Tours Noturnos


Muitas agências promovem tours noturnos onde o guia nos leva pelos closes, pontes, igrejas e locais subterrâneos onde a vida acontecia antigamente, onde os cidadãos que agiam contra o reino eram torturados, e onde aqueles que iam contra a igreja eram queimados. O guia nos conta os fatos desses tempos sombrios de forma muito teatral e bem humorada, ele consegue envolver a todos com o clima da época, e alguns lugares onde nos leva dá até um certo medinho. Afinal, entre becos tão estreitos que mal passa uma pessoa, ou túneis subterrâneos escuros onde não se escuta nada além da voz do guia narrando contos de fantasmas, em plena noite de inverno na Escócia, chega a dar um arrepio! Vale muito a pena, pois passamos por locais onde somente as agências têm permissão de entrar.

Ainda nesse clima medieval, preste atenção na placa pendurada no muro bem em frente à entrada do castelo de Edimburgo, na Castlehill (próximo ao restaurante The Witchery by the Castle), indicando o local onde várias “bruxas” foram queimadas. 

E ainda na Grassmarket Street, além de ser uma rua com ótimos pubs e restaurantes, é famosa por ter sido o local da última execução à forca da cidade.


Grassmarket Street


Como toda capital europeia, Edimburgo tem muitos museus interessantes. Visitamos o imponente Scottish National Gallery, onde os grandes pintores e artistas do mundo estão expostos, e o meu preferido, o National Museum of Scotland. Este é muito abrangente, mostra toda a cultura do país, desde a antiga até a moderna, e a arquitetura do prédio em si é muito interessante de se ver.


Scottish National Gallery
Fachada do National Museum

National Museum of Scotland
São extensas as atrações de Edimburgo, difícil listar todas, e muitas personalidades famosas nasceram ou viveram aqui. Ao seguir para a New Town, não deixe de passear pela Princess Street, seus belos jardins e seu vasto comércio com lojas de marcas famosas são muito procurados. Visite também o belíssimo Scott´s Monument, em homenagem ao escritor Sir Walter Scott, onde se pode subir para mais uma vista geral da capital.

Falando em vista, a mais famosa é a que se tem do Calton Hill. Numa rápida subida à sua colina os turistas tem uma vista total de Edimburgo, é possível até mesmo avistar o mar. Lá em cima existem vários monumentos escoceses como o National Monument of Scotland, que se parece com colunas do império romano, mas na verdade é uma homenagem aos soldados que morreram nas batalhas napoleônicas. 


Vista de Calton Hill

National Monument of Scotland

Um fato histórico fofo: na Ponte George IV foi erguida uma estátua de um cãozinho, o Greyfriars Bobby, que ficou conhecido em Edimburgo no século XIX por ter passado 14 anos guardando o túmulo de seu dono, até sua própria morte em 1872. Depois disso, mandaram fazer essa estátua que é uma das atrações turísticas do local, todos querem fotografar, e muitos filmes baseados nessa história já foram feitos.


Greyfriars Bobby
 Entre inúmeras opções, o viajante pode ainda contratar o tour de alguma agência para visitar uma destilaria de whisky, programa obrigatório na Escócia, ou fazer uma day trip a alguma cidade próxima.

Mesmo deixando de lado as inúmeras atrações dessa cidade, caminhar pelas suas ruas é uma delícia e propicia muitas descobertas. São tantas coisas típicas que encontramos pelo caminho que é impossível não se encantar. Você passa por alguma ponte e vê um músico tocando a notória gaita de fole, esbarra na calçada com um autêntico escocês vestindo o kilt – mesmo num frio congelante – e entra num bar e percebe que foi nele que nasceu uma das histórias de ficção mais famosas de nossos tempos: Harry Potter. A maior parte dos visitantes quer saber onde fica o Elephant House para matar a curiosidade em ver onde J.K. Rowling escreveu o primeiro livro da série, que mudaria sua vida e se tornaria uma febre mundial de proporções gigantescas.


Kilts

O nascimento de Harry Potter

Edimburgo, assim como toda a Escócia, é surpreendente e apaixonante. Oferece atrações para todos os gostos e sai um pouco do lugar comum, é uma cidade de personalidade marcante.  Diferente de outras capitais europeias, mas tão encantadora quanto. Considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, à primeira vista pode parecer apenas um conjunto de casarios cinzentos, mas por trás de seus muros desvenda-se uma história fascinante e muito rica, certamente cheia de tons muito além do cinza!

Ruas de Edinburgh

6 comentários:

  1. Muito bom! Vou colocar Edimburgo na minha wish list depois de ler este texto tão detalhado e cuidadoso.

    ResponderExcluir
  2. Eu amei Edimburgo e a Escocia! O texto está um arraso pra variar! Me deu saudades!!!! Quero de novo! Rsrs bjs

    ResponderExcluir
  3. Meninas, obrigada pelas palavras! Quem conhece a Escócia sabe como ela é linda e interessante. Quem não conhece precisa por na lista e programar uma viagem, certeza que irão gostar!!!!

    Bjoss

    ResponderExcluir
  4. Eu amo a escócia e adoreiiii o post! Pretendo voltar lá e vou pegar as dicas para ir nos lugares que não consegui visitar! Beijinhos, @bia_molinari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia a Escócia é demais né!!!! Tem certos lugares que na verdade nem consigo explicar direito o fascínio que tem sobre mim, mas a Escócia é um deles.
      Que bom que gostou do post, muito obrigada!!!!!!!
      Beijinhos!!!

      Excluir
  5. Moniquinha já é colaboradora Mor do Apaixonados por Viagens!! Obrigada querida pelos textos sempre maravilhosos!! Quero mais, viu?? Seja sempre bem vinda!!

    ResponderExcluir