terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Florianópolis: réveillon, luxo, glamour e praias!!

Comecei a pensar onde passar o reveillón de 2011/2012 em meados de agosto. Alguns lugares foram cogitados, mas, no final, acabou vencendo Floripa, já que seria uma viagem feita com amigas solteiras, super animadas e que queriam curtir as festas e conhecer as famosas nights/baladas do lugar. Achei ótimo já que nunca estive em Florianópolis e seria uma oportunidade perfeita e com um grupo de amigas maravilhosas!!

Café de La Musique

De fato, Floripa é o que há de luxo, glamour e brilho para quem gosta desse tipo de vibe!! Ou MELHOR dizendo, a praia de Jurerê, principalmente Jurerê Internacional, é o lugar certo para quem procura "a cara da riqueza".

Jurerê Tradicional

Sim, eu pude constatar que é verdade mesmo que muitas pessoas vão para a praia e tomam champagne à beira mar em lounges super chiques, charmosos e com decoração fofíssimas, como é o caso da Taiko.

Taiko

É claro que eu quis participar desse clima "chique de ser" e entrei na onda de beber, no lugar da cervejinha, água de coco ou a mais tradicional caipirinha, por que não um champagne??? Vale a pena provar! Além de ser uma delícia, para os fãs como eu, é refrescante também.

Passei uma semana em Florianópolis, entre Natal e Reveillón (fui no dia 26 de novembro e voltei no dia 02 de janeiro de 2012).

O primeiro problema foi descobrir um lugar para a hospedagem!! Ficamos quase um mês caçando um lugar bem localizado, acessível financeiramente, razoável em termos de conforto e, principalmente, limpeza.

Como a festa de reveillón escolhida era em Jurerê - Reveillón Boutique - achamos melhor procurar uma hospedagem em Jurerê mesmo. Além do que, a maior parte das nights/baladas ocorre por lá também ou muito perto de lá, o que seria mais uma vantagem.

Também fui alertada de que, quanto mais próximo ao reveillón, o trânsito na ilha fica insuportável com muito engarrafamento para as praias e nights. Mais um motivo para ficar em Jurerê, onde a praia é bem bonita , perto da festa de reveillón e das nights.

Primeiro pensei em alugar um apartamento ou um loft, pois éramos quatro amigas no total. Todavia, após quase um mês procurando um lugarzinho bom (com bom preço!!), acabei desistindo porque todas as corretoras de lá com quem entrei em contato só queriam alugar por período mínimo de 10 dias e ninguém tinha esse tempo todo para tirar de férias. Logo, não compensava pagar por um tempo de hospedagem que não seria usufruído e, além disso, consideramos o fato de que perderíamos no conforto de ficar sem um serviço de quarto, sem recepção onde se pudesse deixar chaves e ainda teríamos que possivelmente levar alguns itens de cama/mesa/banho.

Sendo assim, comecei a procura por um hotel/pousada/apart. Todos estavam exigindo para o período uma hospedagem mínima de pelo menos 7 dias. Então, não teve jeito! Tive que fazer o enorme sacrifício de passar 7 dias em Florianópolis rsrsrs... 

O lugar escolhido foi o Hotel Hanisch, que fica no início de Jurerê (fizemos contato com a Ludmila, que sempre foi muito simpática e solícita), a duas quadras da praia (mais ou menos), e que na verdade é um apart hotel, equipado com cozinha. O quarto era razoavelmente amplo e acomodou bem as 4 pessoas e suas respectivas bagagens. Tudo muito simples, porém limpo e arrumado. Havia uma área de lazer até bem grande, com piscina, churrasqueira, mesas de jogos, sala de estar com TV. Mas sem café da manhã no hotel.

Como bem em frente havia um mercado, a ausência do café da manhã não foi algo ruim. Com cozinha equipada com alguns utensílios básicos, fizemos comprinhas no supermercado e o nosso café da manhã, quando tínhamos tempo para comer alguma coisa, até que era bem gostosinho.

O único inconveniente foi um forte dia de chuva que enfrentamos por lá, justamente no dia 31 de dezembro de 2011. Choveu o dia inteiro e descobrimos, assim, que havia um vazamento na janela da sala, onde ficava um sofá e uma beliche, e esse vazamento foi culpado por uma quase inundação de todo o apartamento. Sem solução para o momento, o jeito foi improvisar com várias toalhas para secar o chão, tirar as malas do chão e tomar cuidado para não escorregar.

A localização do hotel é privilegiada. Como já disse, bem perto da praia. Próximo também das boates como a Pacha, Café de la Musique, P12, o lounge Taiko, restaurantes como o Spazio e o Second Floor e o Open Shopping.

Parador 12/P12

São Pedro que não foi muito brother nessa viagem: dois dias de sol, dois dias de chuva, três dias nublados com mormaço de leve. Teria sido muito mais interessante com sol em todos os dias!! Mas, só resta mesmo lamentar, até porque a chuva massacrou vários estados no fim de ano e ainda segue assolando algumas cidades nesse início de 2012.

Jurerê Internacional

Com relação aos deslocamentos, eu viajei do Rio para Floripa de Gol e, tanto na ida como na volta, os voos foram com conexão/escala. Minhas amigas voaram de Avianca e Trip. A volta foi bem tumultuada porque, em função das fortes chuvas, o aeroporto Santos Dumont estava fechado e todos os voos foram direcionados para o Galeão e, dessa forma, foi instaurado o caos: meu voo deveria ter desembarcado às 9:30 no Santos Dumont, mas só consegui sair do Galeão às 12:00!!

Dentro de Floripa, a melhor forma de deslocamento é, com certeza, de carro, próprio, emprestado ou alugado. É bem complicado ficar dependendo de táxi, cuja frota é pequena e não atende muito bem nessa época do ano em que o número de turistas é enooorme. Ônibus nem pensar!! A malha rodoviária é mal servida nesse sentido. E as praias legais são distantes umas das outras. Por exemplo, para ir de Jurerê até a Joaquina, gasta-se, sem trânsito, algo em torno de 40 minutos!!

Praia Brava

Alugamos carro com a Mobilis Car que apresentou a melhor proposta de aluguel (fizemos contato com o Anderson), saindo em torno de R$75,00 a diária do carro, com retirada e devolução do mesmo diretamente lá no aeroporto. Mas esse era um carro básico, Gol, 1.0, de quatro portas e com ar condicionado, modelo 2012, e sem direção hidráulica. Haja malhação de braço para dirigir!! (Não no meu caso, pois eu não dirijo ainda!! rsrs...).

Por falar em deslocamento, de táxi, do aeroporto para Jurerê, à noite, fica em torno de uns R$90,00. Paulo, funcionário do Hotel Hanisch, fez o mesmo serviço de transfer por R$70,00 (fica a dica!). Aliás, todo o staff do Hotel Hanisch foi muito simpático e solícito aos nossos pedidos.

Não deixem de acompanhar os próximos posts: festas/nights/boates/baladas em Floripa, praias, restaurantes e reveillón!

Nenhum comentário:

Postar um comentário