sexta-feira, 25 de maio de 2018

Vinhos da Península de Setúbal, em breve no Rio e SP

Ano passado, tive a honra de prestigiar pela primeira vez o evento Vinhos da Península de Setúbal, que aconteceu no icônico hotel Belmond Copacabana Palace e foi simplesmente incrível fazer essa imersão no universo da vitivinicultura lusitana, mais especialmente desta região, que está localizada na área metropolitana de Lisboa, nascida do rio e do mar, cuja história remonta desde o período Neolítico e que recebeu forte influência dos fenícios, gregos, cartagineses e romanos. 



E é com alegria que vimos divulgar com vocês que a próxima edição do Vinhos da Península de Setúbal será em breve, reunindo produtores e vinícolas desta região portuguesa que é pioneira na elaboração de vinhos de reconhecida qualidade, como o Moscatel de Setúbal, além de celebrar conosco o aumento de vendas no Brasil dos vinhos portugueses, que teve aumento de 23,42% nas importações em 2017.

E, em 2018, mais uma notícia boa: a exportação dos vinhos de Setúbal para o Brasil aumentou 88% nos três primeiros meses do ano em relação ao mesmo período do ano passado, com destaque para o Moscatel de Setúbal, que cresce também de forma sustentada.
Vamos combinar que essa temperatura mais fresquinha tem tudo a ver com um bom vinho, não acham? E nada melhor do que um vinho português para abrir essa temporada de inverno no Brasil, acompanhando diversos pratos dada a diversidade de harmonizações possíveis, desde queijos, fondues a carnes, os vinhos de Setúbal vão te encantar.

Assim, as principais vinícolas associadas à Comissão Vitivinícola da Região da Península de Setúbal (CVRPS)de grande produção de vinhos e de um efervescente enoturismo, ao Sul de Lisboa, em Portugal, promovem novamente provas de seus vinhos no Rio e em São Paulo. Serão dias para convidados - enófilos e profissionais do setor – com encontros no Copacabana Palace (RJ) e no Consulado Geral de Portugal (SP), nos dias 5 e 7 de junho, respectivamente. Haverá também palestras nas Associações Brasileiras de Sommeliers (ABS) do Rio e de SP, ministradas pelo presidente da CVRPS, Henrique Soares, que estará no Brasil em ambas ocasiões.



A Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS) tem como principal missão a defesa das DO Setúbal e Palmela e IG Península de Setúbal, bem como a aplicação de regulamentação, fomento e controle dos vinhos produzidos nas respectivas áreas geográficas com a finalidade de garantir sua origem, genuinidade e qualidade. Na Península de Setúbal, produzem-se três tipos de vinho certificado: Vinhos DO Palmela; Vinhos DO Setúbal e Vinho Regional Península de Setúbal. 

Entre os destaques das provas, rótulos já consagrados no mercado mundial, vinhos tintos, brancos e rosés tradicionais, além dos famosos Moscatéis de Setúbal. Entre os produtores participantes: Jaime Quendera, Adega de Pegões, Luis Simões e Pedro Santos, da Quinta do Brejinho da Costa; Joana Freitas, da Casa Ermelinda Freitas; Joana Vida, da Venâncio da Costa Lima; Filipe Cardoso, da Sivipa e Quinta do Piloto; Mário Cravidão, da CW - Comporta Wines; António Saramago Filho, da António Saramago Vinhos, Nuno Palhoça, da Filipe Jorge Palhoça Vinhos e Nuno Cândido, da Adega Camolas. 



Na prova do Rio, a Orquestra Maré do Amanhã, que foi tema do documentário “ContraMaré”, lançado recentemente, formada por jovens músicos de comunidades do Complexo da Maré, será uma das atrações. A orquestra tem repertório eclético, misturando Mozart, Michael Jackson e Pixinguinha, além de uma versão para o tema de abertura da série de TV Game of Thrones. E faz parte de um projeto social, criado por Carlos Eduardo Prazeres, que hoje atende cerca de três mil jovens e adolescentes da comunidade da Zona Norte do Rio.


Os eventos contarão também com a participação do sommelier Diego Arrebola, que mediará as masterclasses, com a participação dos produtores, nos dois estados.   

Brasil foi o primeiro mercado de exportação, fora da união Europeia, para os vinhos de Setúbal neste primeiro trimestre de 2018Para o presidente da CVRPS, Henrique Soares, este é um excelente resultado, considerando a crise econômica brasileira, consequência do desempenho firme da estratégia promocional adotada, aliado, obviamente, ao reconhecimento da qualidade dos vinhos portugueses, que hoje ocupam uma das primeiras posições no ranking de bebida importada no paísde acordo com dados divulgados pela Consultoria Ideal.

** SOBRE OS VINHOS DE PORTUGAL **

É impossível falar de Portugal e não lembrar da extensa variedade de seus vinhos, marca registrada em todo o mundo. Afinal, são mais de 250 castas de uvas que proporcionam ampla oferta de todos os tipos. A grande presença de regiões vinícolas de norte a sul coloca o país no mapa do enoturismo e tem atraído cada vez mais visitantes que desejam não apenas experimentar os sabores, mas também conhecer todo o processo de fabricação e sentir o vinho.


Apesar de seu território não tão extenso, Portugal oferece uma série de roteiros que proporcionam a ampla dimensão do enoturismo, que inclui não somente as adegas, vinhas e caves portuguesas, mas também uma viagem cultural pelas tradições e costumes das regiões, quintas e casarões históricos, desfrutando vinhos e outros produtos de produção própria, como os frutos e compotas, queijos, azeites e doçaria artesanal. No fim do verão, há também as emblemáticas vindimas, o período da colheita e de celebrações típicas.

De norte a sul

Duas regiões concentram os maiores espaços dedicados ao enoturismo português. No Norte, o Vale do Douro é a grande referência em produção vinícola e naturalmente possui uma tradição em receber turistas, sobretudo o Alto Douro Vinhateiro, Patrimônio Mundial da Unesco, onde se produz o famoso vinho do Porto. Além das vinhas e adegas, a região traz um misto de vilas calmas e aprazíveis com paisagens de vinhedos, castelos e outros lugares onde vale muita a pena fazer uma parada e olhar o horizonte. 

Outro roteiro imperdível é a visita às dezenas de caves do vinho do Porto, onde é possível conhecer detalhes históricos da fabricação da bebida (desde a colheita das uvas ao processo de envelhecimento), além da emblemática degustação de vinhos. Elas ficam abertas para visitação durante todo o ano. Ainda no Douro, há a região de Favaios, que é sinônimo de Moscatel, com visitas guiadas por adegas e caves. 

A Rota dos Vinhos Verdes também é destaque turístico no Norte, na região do Minho. Além de descobrir as origens e sabores da milenar cultura vinícola, quem optar por esse roteiro poderá aproveitar desde praias a montanhas, vales e rios, além de uma paisagem única onde o verde, que dá nome ao vinho, é a cor dominante.

O outro grande ponto enoturístico de Portugal é o Alentejo, no Sul do país, onde se encontram vários dos principais produtores nacionais, considerada como a melhor região vinícola do mundo para visitar em 2014. A vinha corre ao longo de extensas planícies e acompanha olivais e florestas. É nesta paisagem de vastos horizontes que se inserem quintas e herdades produtoras de vinho com créditos firmados na hospitalidade e na gastronomia por que são conhecidas, sobretudo em Évora, que também é Patrimônio Mundial, e em outras sete localidades: Portalegre, Borba, Redondo, Reguengos, Vidigueira, Amareleja/Granja e Moura.


No Centro, ao redor de cidades como Viseu, Coimbra e Aveiro, há propriedades de antigas caves portuguesas, embora todas elas tenham acompanhado as atuais tendências de produção vínica e desfrutem dos mais modernos métodos de produção. São casas que trazem um legado histórico, por vezes até com núcleos museológicos.

Na região de Lisboa, mais precisamente no Vale do Tejo, estão concentrados alguns dos melhores produtores e também ótimos roteiros turísticos, a se destacar os percursos do Tesouro Gótico, Touros e Cavalos, Beira Tejo e Tesouro Manuelino, todos com uma série de adegas e quintas para visitação. Nos arredores da capital, há de se lembrar também das regiões de Carcavelos, Colares e Bucelas, cidade que abriga o Museu do Vinho e da Vinha.

E, é claro, como não poderia deixar de ser, a Península de Setúbal, com sua variedade de tintos e brancos de qualidade, produzidos a partir das uvas maturadas nas encostas da Serra da Arrábida, com destaque para o Moscatel de Setúbal, de origem demarcada centrada em Azeitão, que eu pude experimentar na edição do ano passado e me surpreendeu bastante, pois, apesar de eu não ser fã desta casta, especialmente os espumantes de Moscatel do Vale dos Vinhedos do sul do Brasil, pude constatar que o Moscatel de Setúbal tem nada a ver, especialmente o Vinho de Moscatel Roxo, de produção mais limitada e menos conhecido, se se apresenta mais licoroso e é uma delícia!

PROVAS DE VINHOS DA PENÍNSULA DE SETÚBAL

SERVIÇO

Rio de Janeiro
Data: 5/6
Hora:  17h - Coquetel com moscatéis, com pocket show da Orquestra Maré do Amanhã
Local: Belmond Copacabana Palace

São Paulo
Data: 7/6
Hora: 16h30
Local: Consulado Geral de Portugal
Outras informações estão acessíveis pelos sites: 
www.vinhosdapeninsuladesetubal.pt e www.moscateldesetubal.pt

Nenhum comentário:

Postar um comentário