quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Paraíso dos Pândavas: a sua hospedagem na Chapada dos Veadeiros é aqui!

Paz, sossego, tranquilidade, equilíbrio... quem não busca essas cosias na vida? Em um mundo cada mais dinâmico, virtual, repleto de cobranças, de medos, de inseguranças, de crises, de relacionamentos frágeis, ou seja, de problemas, acredito que todo mundo procure de vez em quando um lugar especial para descansar, para relaxar e, quem sabe, encontrar consigo próprio, meditar, orar, compreender seus dilemas ou simplesmente esvaziar um pouco a mente. Eu falo por mim mesma, que sou muito ativa, elétrica e muitas vezes nem lembro direito o que é descansar de verdade. 




Então, se você curte essa proposta e precisa desse tempo com a natureza, com você e com seus pensamentos, o lugar perfeito para isso chama-se YOGA RESORT PARAÍSO DOS PÂNDAVAS!

Namastê!

E não poderia estar localizado em região mais apropriada, a Chapada dos Veadeiros, um lugar procurado por muitos pelo seus encantos naturais, trilhas e cachoeiras, mas também por todo o seu misticismo e sua energia... 



Em minha segunda vez na Chapada dos Veadeiros - em 2016 eu a visitei em maio e final de outubro, duas épocas bem distintas que depois vou explicar melhor - hospedei-me no Paraíso dos Pândavas junto com a Sy, do blog e instagram Viajando com Sy. 



Estava super animada para conhecer de perto este Yoga Resort por diversos motivos: primeiro, porque outros colegas blogueiros já haviam visitado e tinha achado tudo por lá muito diferente e bonito. Segundo, pelas filosofias difundidas pelo Paraíso dos Pândavas, sua essência religiosa e, terceiro, porque eu nunca - juro! - fiz yoga na vida e queria ver como é a rotina de um resort vocacionado a tudo isso. Portanto, um convite irrecusável! Pena que o Julio não pôde ir dessa vez, mas a Sy foi uma companhia incrível e a gente se divertiu um bocado por lá. 



No meio do cerrado, literalmente, com cerca de 400 hectares, em uma enorme propriedade que oferece trilhas, cachoeiras, mirantes e piscina natural, tudo isso muito perto da entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, na altura do famoso Morro da Baleia, que pode ser visto de alguns chalés, além de ser a área de berço do Rio São Miguel, um dos mais importantes, e do Córrego do Salto, o Paraíso dos Pândavas oferece retiros e hospedagem para pessoas de todas as idades, sem necessidade de qualquer experiência prévia em yoga ou meditação. 





Nestes retiros, os participantes têm uma experiência de paz profunda e bem-estar, com práticas de yoga, trilhas pela natureza, banhos de cachoeira, refeições saborosíssimas com base na culinária natural, além de um contato com a cultura milenar da yoga da devoção (bhakti) e a filosofia do yoga, o canto de mantras e técnicas de meditação. 



A proposta do Paraíso dos Pândavas é incrível e bem diferente. Com a meta de compartilhar a vida de autorrealização em yoga, ou consciência de Krishna, o resort também se preocupa em realizar atividades de proteção ao meio-ambiente e ajuda ao próximo. As atividades incluem:





a) Desenvolver programas de estímulo à consciência espiritual, enfatizando a espiritualidade autêntica, sana, não-sectária e não violenta como também a importância da consciência do divino em tudo que se faz e em todas as interações com outros seres vivos (humanos ou não);

b) Desenvolver programas de proteção ao meio-ambiente e reflorestamento;

c) Desenvolver programas de assistência social;

d) Desenvolver programas de educação nutricional e ambiental;


e) Realizar projetos de agricultura orgânica sustentável (permacultura, agrofloresta, etc.).





E você sabe o que significa Pândavas? Em minha total ignorância, eu até achei que era alguma flor do cerrado ou árvore rsrs... ai ai ai ... quase paguei um mico falando que era isso para outras pessoas. Por sorte, perguntando para o pessoal lá do Resort, descobri que os Pândavas eram os cinco irmãos da família imperial da cultura Védica, muito forte no Sudeste Asiático há cerca de 5.100 anos, filhos do imperador Pandu, que perfeitamente viveram esse ideal em suas vidas pessoais e na administração do império. A história de suas vidas ficou gravada no famoso épico Mahabharata, dentro do qual encontramos um dos maiores tesouros da sabedoria humana, o Bhagavad-gita.

Assim estávamos lá, eu e Sy, em meio a esse sentimento de muita paz, onde ficamos de quinta a domingo e pudemos voltar renovadas para casa!

Vou contar para vocês um pouco da nossa experiência!

Nossa hospedagem foi no chalé Bhakti que só tinha o único problema de ser um pouco afastado da sede e Templo, que é o local onde ocorrem as palestras, aulas de Yoga, entoação dos mantras, meditação e refeições.



Para quem está sem carro, recomendo pedir um chalé mais perto da sede para não ter que ficar andando por lá a pé, principalmente à noite. 

Nós alugamos carro e íamos de carro para a sede/recepção. Eu acho que a caminhada daria uns 15 minutos mais ou menos. 

Sobre o nosso chalé, assim como a proposta do Paraíso dos Pândavas é o detox da alma, da mente e a busca pela paz interior, já esperávamos que fosse uma hospedagem simples. De fato, foi mesmo, mas era um simples fofo, limpo e o chuveiro tinha até água quente!





Porém, mais uma vez, a ideia é fazer um detox. Portanto, não tinha TV no quarto (nem em qualquer outro local do Paraíso dos Pândavas a que os hóspedes pudessem ter acesso), não tinha Wi-Fi nos quartos e, quando mal pegava, era somente perto da recepção. Não tinha frigobar nos quartos nem ar condicionado. Mas tinha ventilador de teto.

Eu confesso que já estava feliz com o chuveiro elétrico rsrs... Como normalmente na Chapada a temperatura cai bastante à noite e pela manhã, não havia necessidade mesmo de ar condicionado. Só não sei dizer se no verão é assim também. 

No geral, o quarto é funcional, atendeu bem a gente e está de acordo com a proposta do lugar. Tinha serviço de quarto e limpeza diárias. O banheiro era guarnecido com sabonete e toalhas de banho e rosto. E havia um jarro de água que eles abasteciam para a gente todo dia também. 




Muita paz, muito silêncio, um ritmo diferente do que estamos acostumados... aliás, o silêncio só era interrompido mesmo pelas manhãs, cedinho, quando os pica-paus do ninho que ficava no forro/telhado do Chalé resolviam acordar e fazer a festa com muito "tuc-tuc" rsrs.. ... já que a ideia é interagir mesmo com a natureza, os pássaros estavam lá fazendo a sua parte.

Uma outra questão, que na verdade não era própria do chalé, mas da região mesmo, foi a falta de luz que aconteceu algumas vezes, não apenas na pousada como também em São Jorge e Alto Paraíso. O gerador do Paraíso dos Pândavas atende somente ao Templo e Sede e nem dá muita conta de tudo por lá. Por isso, quando falta luz, os chalés ficam sem luz memso. Demos sorte de só faltar luz em momentos em que ou já tínhamos tomado nosso banho quentinho ou ainda não, mas ela voltava quando precisávamos. 

Dica: LEVE BATERIAS EXTRAS DE CELULAR! Teve uma noite que faltou luz quase que toda e, por sorte, como sempre carrego umas 2 ou 3 baterias extras de celular, não tive problema algum. A Sy carregou o dela depois no carro. 

O Paraíso dos Pândavas deixa conosco uma lanterna para ajudar na hora de chegar no chalé e abrir a porta. Quando a cai a noite, é um breu danado rsrs... 



Pelas fotos, vocês podem ter uma noção melhor do nosso quarto. Eram duas camas de solteiro, uma mesa de apoio, cadeira, banheiro... um chalé bem rústico e bem arrumado. Impagável mesmo é essa vista linda para o cerrado, não acham??? 



E as cores do céu no amanhecer e no anoitecer??

Nossa! Eu fiquei enlouquecida com esses dois momentos do dia. Nem sei dizer qual achei mais bonito... só sei que foram ambos muito especiais!

E vocês, de qual gostam mais??

AMANHECER:





ANOITECER:





Adotando toda a filosofia Hare Krishna, as atividades propostas aos hóspedes (tudo incluído na diária) começam bem cedo, às 6:45 da manhã, com entoação de mantras. Após, uma aula de meditação é realizada e, na sequência, a aula de Yoga.

Perceberam que precisa ter disposição, não é mesmo? Confesso logo que não demos conta de acordar tão cedo rsrs... só conseguimos chegar para aula de Yoga de manhã, mas como algumas atividades acontecem de tarde também, nessas nós fomos.





Às 8:45, é servido o café da manhã, mas se você sair antes para fazer passeios pelas trilhas e cachoeiras da Chapada dos Veadeiros, não tem problema algum! Basta avisar na véspera que eles preparam um lanche de trilha. 

Mas se você resolver ficar pelo Paraíso dos Pândavas, após o café da manhã, por volta das 10h, eles fazem trilhas pela própria propriedade que é enorme, com seus cerca de 400 hectares.

Essas trilhas, a depender do dia, das condições climáticas e do grupo, podem ser para as duas cachoeiras, o mirante e piscina de água natural. 

Infelizmente, eu e Sy, nos dias que deixamos para curtir a pousada, só conseguimos conhecer uma das cachoeiras. A outra estava com o acesso mais complicado, porque tinha chovido muito à noite. Não nos aconselharam ir ao mirante porque a visibilidade não estaria boa e a piscina natural também não estava bonita como normalmente vemos, também por causa da chuva, que trouxe sedimentos e deixou a água turva.

Porém, a cachoeira que visitamos, apesar do dia nublado, estava com a água tão verde e cristalina que ficamos imaginando como seria em dia de sol!


Aliás, essa trilha da cachoeira foi uma grande aventura! kkkk... a trilha em si é fácil. Nada demais! Porém, eu deslizei de alguma forma, pisando errado ou sei lá como, e acabei caindo na ribanceira, perto já da cachoeira, na descida que tem para vê-la de frente, e acabei caindo de um jeito que virei até cambalhota para trás! kkkk..

Agora peeeeeeensem na menina fresca que vos fala dando conta de que tinha caído, rolado ribanceira abaixo, literalmente, virando cambalhota para trás, e só não caiu mais nem chegou no poço da cachoeira porque a mochila ficou presa na árvore??? Bem... lembrando hoje, foi razoavelmente engraçado e uma grande aventura! Mas na hora eu quase tive um treco! Coração foi para a boca e as pernas tremiam!

Ah sim... as pernas ficaram afundadas na mata ciliar, que é bem densa de galhos e folhas, de modo a não me permitir ver meu pé nem onde eu o fincava. Por sorte, estava de calça e blusa de manga comprida ou teria me arranhado mais. 

Só que o desespero maior mesmo foi quando eu comecei a subir de volta, fincando o pé onde dava e buscando galhos e raízes para me apoiar, quando a Sy gritou e me alertou de uma aranha na minha direção que eu simplesmente não via! Claro que eu não via kkkk.. estava com óculos de sol e não havia tirado! kkkk... Quando tirei, Meu Deus!!!! A aranha era marrom e enorme!!! 

Aí eu me lasquei e comecei a pensar nas cobras também e no pé fincado naquela mata que eu nem via onde pisava... não dava para travar de medo e segui por outro caminho, subindo, meio que escalando de volta para a trilha, enquanto a Sy vigiava a aranha para avisar se ela andasse, pulasse ou qualquer coisa parecida... só digo uma coisa: foi tenso! kkkkk... Mas ok ok... estou aqui para contar, voltei para a trilha, tive uma crise de risos de nervoso e sobrevivi! rsrs... 


Após tanta aventura, nós fomos almoçar kkk... Todos os dias, às 13:30, é servido o almoço. A tarde é livre! 

A programação está na sede e nos quartos dos hóspedes. Todos são convidados a participar do que desejar ao longo do dia. Mas, em relação às refeições, para não haver desperdício, eles pedem para a gente informar antes de vai almoçar ou jantar.






Ainda sobre a alimentação oferecida pelo Paraíso dos Pândavas, que está totalmente incluída na diária, vale registrar que, de acordo com todos os preceitos da filosofia adotada pela casa, eles prezam por alimentos orgânicos, o mais natural possível, havendo uma horta na propriedade onde eles plantam alguns itens que entram no cardápio, bem como eles seguem a linha vegetariana "quase" vegana. 


   
Ou seja, não há carnes no cardápio, nem ovo, quase tudo sem lactose (uma ou outra coisa tem e eles avisam quando tem), muitas verduras, legumes, sopas, frutas, tofu, mel, chás, sucos... e antes que me perguntem: "Isso fica bom?" Sim! Permita-se surpreender com as criações da casa. 

Como eles capricham bastante nos temperos e fazem todo dia pratos diferentes (enquanto estive lá, de quinta a domingo, todo dia era algo novo), os pratos realmente são saborosos e apetitosos.



  

Amei muiiiiito um pão feito lá com alecrim que estava maravilhoso! Com azeite então... huuuummm... Uma barrinha de cereal que eles mesmo fizeram e carregamos para a trilha no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros estava sensacional!! As tortas, as sobremesas, a massa (sim, teve um dia de culinária italiana lá também!)... tudo muito gostoso, muito bem preparado e você sente que tem muita dedicação e carinho em tudo que é feito por lá.


Então, ingredientes muito comuns são: pães feitos na casa mesmo, milho, soja, lentilha, tofu, vegetais, legumes, frutas, temperos, geleias de frutas... teve até batata frita que estava uma delícia!!

Outro detalhe importante aos viciados em café: Sem cafeína! Os ingredientes estimulantes como a cafeína ficam de fora do cardápio. Tudo lá é pensado no bem estar do hóspede, sem luxo, mas com uma simplicidade e conforto que fazem todos sentirem-se relaxados... 






As refeições ocorrem no Templo. Nele, nós entramos descalços ou com meias. Todos sentam-se no chão e o clima é assim, de leveza e simplicidade.



Após o almoço, você fica livre para descansar, ler, pois há vários livros sobre a filosofia e religião seguidas pela casa que você pode pegar para ler, entender melhor, ou caminhar pela propriedade ou aproveitar para passear pela região, ir até a Vila de São Jorge ou Alto Paraíso, conhecer a Fazenda São Bento e as cachoeiras das Almécegas, que fica, de carro, a menos de 10 minutos do Paraíso dos Pândavas.

Daí, no final do dia, as atividades reiniciam-se às 18:30 com entoação de mantras e depois segue com uma palestra comandada pelo Giridhari, sobre o transcendental, ocasião em que conversamos bastante sobre os darmas. Surpreendeu-me bastante e foi uma palestra meio "bate-papo" em que pudemos nos abrir, expor algumas questões pessoais e trabalhar um pouco certas aflições da vida.





Às 20h (mais ou menos), é servido o jantar e assim encerramos um dia!


No dia seguinte, toda a programação é repetida para quem desejar seguir. Vale a pena, viu? 

DICAS SOBRE A CHAPADA DOS VEADEIROS

A Chapada tem uma energia incrível! Muitos atribuem à enorme pedra de cristal que existe na região, que dizem ser a maior do mundo e refletir ao ponto de ser vista, à noite, pelos pilotos de avião ao sobrevorarem o lugar... outros juram ter visto extraterrestres... rsrs... seja como for, é um lugar para se conhecer. Como disse no início, essa foi a minha segunda vez lá e recomendo pelo menos 5 dias se quiser conhecer o principal! 

São muitos os passeios de trilhas, cachoeiras e mirantes possíveis para serem feitos e a região é enorme, indo muito além do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. 

As cidades mais procuradas como base são: Alto Paraíso, São Jorge e Cavalcante. Na primeira vez, montei base em Alto Paraíso, que tem melhor infraestrutura. São Jorge é uma gracinha e tem uma vibe mais rústica, pé no chão, sabe? Mais hippie! Já Cavalcante, a mais distante de todas, só vale a pena mesmo dormir lá para chegar bem cedo no dia seguinte na Cachoeira Santa Bárbara, que é um espetáculo.

Na segunda visita, portanto, fiquei no Paraíso dos Pândavas, entre Alto Paraíso e São Jorge, pertinho da Fazenda São Bento, que abrange 3 cachoeiras, inclusive as cachoeiras das Almécegas I e II, perto também de São Jorge e da principal entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, que tem duas trilhas bem famosas, a dos Saltos e a dos Canyons.


Vale a pena alugar carro para explorar bem a região.

✔ Melhor época para ir é na seca, quando não há risco de chuva nem de relâmpagos ou trombas d'água, ou seja, entre Junho e Agosto. O período de chuvas começou início de Novembro e vai até Fevereiro ou Março.

✔ O ruim da estação das chuvas, além dos riscos que mencionei acima, é o fato de pegar cachoeiras fechadas ou de ver a água mais escura, barrenta porque a chuva leva os sedimentos. Mas o lado bom é poder ver as cachoeiras caudalosas e ver uma vegetação no cerrado mais verde e florida, além de coincidir com um tempo mais quentinho.

A entrada no Parque Nacional é gratuita

✔ São 3h de carro entre o aeroporto de Brasília e Alto Paraíso


** FICHA TÉCNICA **

- Site: http://www.pandavas.org.br/

- Telefone: 61 9 9108 2009

- Funcionamento: aberto o ano todo

- Endereço: no estado de Goiás, localizado mais ou menos no Km 60, na estrada entre Alto Paraíso e a Vila de São Jorge, a 17 km de Alto Paraíso e a 250 km de Brasília. 

- Acomodações: chalés e camping

- Valores: FAÇA SUA RESERVA AQUI! A diária inclui toda a alimentação (café da manhã, almoço e jantar) e uma programação que começa cedo, às 6:45 da manhã, com mantras, meditação, aula de Yoga, palestras, trilhas pela propriedade, para a piscina de água natural, duas cachoeiras e mirante.





- COMO CHEGAR:

. De Carro: eu e Sy alugamos carro pela internet com a Hertz e retiramos no aeroporto de Brasília. Usamos o Google Maps para ajudar e seguimos até a GO-239. 400 metros depois do Km 60 avistamos a placa marcando a entrada da fazenda Paraíso dos Pândavas, à esquerda.

Observação: RECOMENDAMOS O ALUGUEL DE CARRO para melhor explorar a Chapada dos Veadeiros. 

. De Transfer: No caso de retiros temáticos em grupo, o Paraíso dos Pândavas organiza transfer (consulte sempre o site para saber quais serão os próximos retiros e entre em contato).

Chegando de ônibus: o melhor ônibus é o das 10h da empresa Real Expresso (http://www.realexpresso.com.br/), que chega em Alto Paraíso por volta das 14h. Dessa forma, recomenda-se chegar em Brasília cedo para dar tempo de chegar na Rodoviária e pegar esse ônibus. A Real tem venda online.

Outra empresa que faz o trecho é a Santo Antonio (0800 727 8774). Porém, a venda é somente direta na agência, além de ser um ônibus parador e uma viagem mais longa. 

Chegando na Rodoviária de Alto Paraíso, sugere-se contratar previamente um táxi até o Paraíso dos Pândavas. Contatos: Delson (62) 3446 1020, (62) 9 9952 9718 ou Eli (62) 9 9669 1229 ou 9 9853 4022.


- Booking.com: nota 9,1, com cerca de 100 comentários. Clique Aqui e veja mais.

- TripAdvisor: nota 9, encontrando-se em 7º lugar no ranking de 62 hotéis especializados em Alto Paraíso, com certificado de excelência. Clique Aqui e veja os comentários

- Instagram: @paraisodospandavas

- FAÇA SUA RESERVA AQUI!





Nenhum comentário:

Postar um comentário