terça-feira, 12 de julho de 2016

Bar Astor, em Ipanema: Cardápio com Novidades!

Reduto da boemia contemporânea, localizado em um dos melhores pontos da cidade, com vista para a orla mais charmosa e para o pôr do sol que sempre nos arranca suspiros, quem diria que uma fórmula de sucesso em São Paulo daria tão certo na Cidade Maravilhosa ponto de parecer genuinamente carioca, repleto de bossa e muita ginga?



Pois este é o Bar Astor, inaugurado em 2010, no início da praia de Ipanema, pertinho da Pedra do Arpoador, com um conceito paulistano que ganhou toda uma energia e um colorido com o nosso Lifestyle Carioca, conquistou nossos corações e os dos turistas com sua atmosfera inspirada nas antigas brasseries, sendo um lugar ótimo para reunir amigos num happy hour, para tomar bons drinks ou bons chopes, para um almoço pós praiana, para um jantar a dois ou uma reunião familiar e, até mesmo, para paquerar... por que não?

Com um ambiente descontraído, mas que conserva na sua decoração um quê da boemia dos bares da Vila Madalena aliado a uma jovialidade e muita alegria do bairro de Ipanema, o Bar Astor apresenta uma versatilidade incrível que vai agradar a todos.

VEJA AQUI o nosso GUIA GASTRONÔMICO DO RIO DE JANEIRO, em que mencionamos o Bar Astor como ótima opção para sair de casa e se divertir. 
Eu me lembro bem de quando comecei a  tentar frequentar o bar lá para os anos de 2006, ocasião em que estava solteira e que as filas no Astor eram intermináveis. Bem... o tempo passou, estou casada, mas as filas no Astor, principalmente se for no final de semana e happy hour, continuam grandes rsrs. Por isso é bom chegar um pouco mais cedo, se conseguir.



Inclusive, há pouco tempo estivemos por lá para o Against Bartender no recém inaugurado Sub Astor, que é um bar dentro do bar. Na verdade, embora esteja localizado dentro do Astor, a proposta do Sub Astor é totalmente diversa, muito mais focado na excepcional e criativa carta de drinks, em um ambiente muito intimista, com clima de lounge que em nada se parece com o Bar Astor. Ficaram curiosos? Então CLIQUE AQUI e veja como está o Sub Astor. 

E na semana passada nós retornamos ao Bar Astor para conferir de perto as novidades de seu cardápio, que continua valorizando receitas típicas da gastronomia boêmia, aquela bem de boteco, e a nova carta de vinhos, mas acrescentou algumas releituras e também opções mais leves e vegetarianas.

Canapés, saladas e um prato principal foram criados cuidadosamente pelos novos gerentes de gastronomia, os chefs Benny Novak e Marcelo Tanus, e a convite da casa nós experimentamos essas novidades e contaremos aqui para vocês!

Nós iniciamos a noite, todavia, com excelentes drinks preparados pela casa. Aliás, o cardápio de drinks também tem novidades bem como o de cervejas gourmets e artesanais. Vale a pena pedir para dar aquela espiadinha. Aposto que vocês "cairão em tentação" rsrs...


Colegas presentes à mesa pediram os drinks II Cardinale e o Gin Gin Mule. Experimentei os dois, mas, para o meu paladar que prefere algo mais doce, não foram os meus favoritos, mas são bem interessantes e possuem uma apresentação linda.




Diga-se de passagem que, em matéria de apresentação dos pratos e drinks, o Bar Astor simplesmente arrasa. Tudo muito caprichado que até destoa um pouco da ideia de boteco. Com isso podemos até dizer que estamos em um boteco chique! 

E vejam como o cardápio de drinks ajuda na hora de escolher: além de informar os ingredientes dos drinks, ele também ilustra como é servido o drink, seu copo ou taça e cor. Adorei!! Principalmente quando se trata de drinks signature, que são exclusivos da casa, facilita muito ter essa "colinha"

O meu primeiro drink foi o Hemingway Daiquiri, feito com Rum Cubano, Grapefruit, Limão e Licor Maraschino. Ainda não era bem bem o que eu queria, mas já se aproximava bastante do meu paladar para drinks. Bem, para quem é super fã de Cosmopolitan e Piña Colada, acredito que vocês vão me entender, certo? Isso não significar que eu só beba drinks mais doces em hipótese alguma, até porque amo experimentar criações diferentes e ousadas. 


O Hemingway é muito saboroso e está no meio do caminho entre um drink mais cítrico e um mais para doce. Portanto, ele com certeza conseguirá agradar a todos os paladares.

À essa altura, os belíssimos canapés chegaram e foram pedidos os três sabores para provarmos: o de Rosbife (R$ 32) com picles e toque de mostarda dijon; o de Salmão (R$ 39) com o peixe defumado e limão; e o de Tartar (R$ 32), todos são servidos em 9 unidades. 




Os canapés já fizeram parte de cardápios anteriores do bar e retornaram com tudo. Eu amei todos, sem saber dizer qual foi o meu predileto.

Pode parecer exagero da minha parte, mas eu realmente gostei muito do sabor deles, todos muito bem temperados, com elementos bem destacados e marcantes.


O preferido do Julio foi o de Rosbife e talvez, só para dizer que eu gostei um pouco mais de um do que dos outros, eu adorei o de Tartar. Minha sugestão é reunir os amigos e pedir logo os 3 sabores para experimentar e tirar sua própria conclusão porque, no meu caso, está difícil rsrs... 



Julio pediu uma Cerveja Dubbel da Cervejaria Mineira Wäls, bastante densa em aromas e sabor. Eu provei e gostei bastante, Julio também (R$33,00). Achei lindíssima a garrafa em que ela é armazenada que lembra uma garrafa de espumante.


Na sequência da noite, também experimentamos outras duas entradas da casa, que tem um cardápio para petiscar excelente: Bolinho de Arroz, com 15 unidades (R$27,00) e o Besteira à Milanesa (R$44,00).


O Bolinho de Arroz estava irretocável: ótimo tamanho enquanto petisco, uma porção muito boa, com 15 unidades, sequinho, embora seja frito, e viciantemente gostoso, daquele tipo que você começa a comer e quer mais e mais rsrs... ainda bem que estávamos em grupo grande, ou eu teria comido sozinha! 


O Besteira à Milanesa eu já conhecia de outras idas à casa e é uma espécie de canapé quente bem interessante também. Sua apresentação é uma graça com os palitinhos que montam o canapé que vem servido com pequenos pedaços de carne à milanesa. É uma pedida muito boa para dividir.


Então já estava na hora de eu experimentar o meu segundo drink rsrs... pedi o Old Cuban, que é feito à base de Rum Cubano escuro, limão, melaço de cana, hortelã e espumante seco. Como havia melaço de cana, imaginei que ele fosse um pouco mais adocicado. Só que me enganei rsrs.. eu ainda estava na busca de um drink mais docinho. Por outro lado, esse estava mais próximo ainda do meu paladar e a combinação de seus ingredientes foi uma novidade para mim. Achei o drink muito harmonioso, muito bonita a apresentação dele e bastante saboroso.


Dando continuidade à degustação dos novos pratos, com a proposta de oferecer boas opções a quem prefere refeições mais leves e vegetarianas, o Bar Astor agora oferece também suas novas saladas que combinam diferentes tipos de folhas, queijos e grãos. 


Provamos a Salada de Abóbora Cabotiá assada com ricota de Búfala, composta por um  mix de folhas verdes, amêndoas e molho com toque de hortelã (R$34). Eu não sou grande fã da mesclagem de doce com salgado, embora eu tenha plena consciência de que essa mistura é muito mais sofisticada para o nosso paladar. 


Todavia, eu achei essa salada bem gostosa, até mesmo porque a abóbora fica separada e não misturada e isso me agradou muito, pois pude comer de forma separada e provar o mix de folhas primeiro, depois somente a abóbora pura, depois provei tudo junto com a ricota de búfala rsrs... mas ainda prefiro de forma separada. De todo modo, para quem não curte muito essa união de ingredientes doces com salgados, fica a dica de que vem separado no prato e não misturado. 

Já a salada Phi Phi, cujo nome já me conquistou, pois estou louca para conhecer a Tailândia, foi a de que mais gostei, feita com quinoa, que amo - mais ainda depois da viagem ao Atacama e Uyuni, pois voltei apaixonada por quinoa - e camarão temperado ao molho oriental de ostra, além do mamão verde, pepino, amendoim, broto de feijão e o gengibre (R$41).

Adorei essa salada! Leve, saborosa, muito bonita visualmente, bem preparada e uma delícia!

A mesma salada Phi Phi pode ser servida substituindo o camarão por frango (R$38,00) o que eu consideraria um verdadeiro sacrilégio, mas gosto é gosto e também tem muita gente que é alérgica a frutos do mar e não poderia mesmo comer camarão. Nesse caso, eu perdoo, ok? rsrs..


As saladas são muito bem servidas e atendem de forma satisfatória enquanto pratos principais. 

Ainda na sequência de pratos principais, um clássico da boemia mundial foi incluído no cardápio: o Boeuf Bourguignon, prato típico da culinária francesa que consiste em carne bovina guisada em vinho tinto, com vegetais e condimentos, mas que na releitura feita pelo Bar Astor, ele vem acompanhado de purê de batata com um toque de brasilidade que não poderia deixar de ter (R$49).


É um ótimo prato principal em termos de tamanho e considero muito bom para dividir também, caso vocês se percam nas entradas e petiscos da casa - o que eu acho super válido - e depois queiram somente dividir um prato principal. 

Foi até engraçado porque, logo ao avistar o prato, como era noite e estávamos sentados na varanda, que, aliás, é um lugar ótimo para se sentar em noites frescas de inverno, eu olhei rapidamente e achei que era feijão, já que no cardápio não há a descrição deste prato.


E realmente servi no meu prato achando que fosse caldo de feijão rsrs... só rindo mesmo! Grata surpresa a minha ao perceber que se tratava de vinho tinto... muito melhor! 

O prato é muito rico em sabores e bem interessante também. Foi uma novidade para a gente. Para dias mais friozinhos, é uma ótima pedida como prato principal. 


Bem, agora já estava na vez de eu pedir meu terceiro drink - e juro que encerrei nele rsrs - e, após conversar com o garçom que estava atendendo nossa mesa e expressar meu desejo de experimentar um drink mais doce, tal como o Cosmopolitan, por exemplo, ele se sensibilizou com a minha causa e me ofereceu um drink que ainda não entrou no cardápio. Na verdade, ele foi primeiro se certificar de que havia os ingredientes necessários para o preparo do drink e, para minha sorte, havia! Então ele me ofereceu o Berry Fizz, feito à base de Vodka, Espumante Seco, Licor de Cassis e Puré de Frutas Vermelhas!


Nossa! Agora sim!!! Acertaram em cheio o meu paladar! OMG!!!! Eu amei esse drink e fiquei  muito feliz em ter a oportunidade de experimentar algo super novo, que ainda nem entrou no cardápio de drinks. Por isso mesmo não sei dizer qual será o valor dele, mas não deve fugir da média de preços. Lembrando que cada drink custa R$28,00 nesta na carta de drinks.



Vocês acham que a noite havia terminado? Nada disso, antes mesmo de pedirmos as sobremesas (que só de lembrar eu já desejo mais), nós provamos outro petisco clássico da casa e muito muito bom: a porção de pastéis, que podem ser de queijo, carne, camarão ou mistos, são servidos em 6 unidades e custam R$31,00. 


Nós pedimos o misto para provar um de cada. Na verdade, acabei experimentando o de camarão e o de carne, que são os meus preferidos. Não se assustem com o preço porque o tamanho dos pastéis é bom e o recheio é caprichado. Portanto, vale a pena como entrada. 


O Julio já estava em sua segunda cerveja e, dessa vez, ele foi de Goose Island Ipa, uma cerveja importada dos EUA (R$34,00) 


Por fim, agora sim o momento que mais espero: as sobremesas! E eu já estava super curiosa para provar algumas das sobremesas da casa, pois não me recordava de já ter experimentado em alguma ocasião anterior. 

Neste caso, pedi o Pavê de Sonho de Valsa, que estava divino (R$21,00)!!! E o Merengue de Morangos, que acompanha calda de frutas vermelhas do Astor (R$21,00). 


Nem preciso dizer que amei mil vezes mais o Pavê de Sonho de Valsa, né? Eu sou chocólatra assumida, portanto, nada contra os morangos e o merengue, que estavam bem gostosos também, mas esse pavê que, inclusive, disseram-me ser a sobremesa mais pedida, faz jus à fama porque é maravilhoso! 


Ambos são servidos em uma taça, de forma muito sofisticada e bem fácil de comer. Gostei bastante da apresentação das sobremesas e super indico... como não? rsrs...


Para harmonizar com nossas sobremesas, foi-nos servido um Vinho do Porto Ramos Pinto Adriano Reserva, que caiu como uma luva, como um bom vinho do Porto deve ser. Foi um fechamento perfeito para essa noite maravilhosa no Astor.


Mas, por falar em vinhos, não obstante termos somente experimentado este Vinho do Porto, não posso deixar de contar para vocês sobre a nova carta de vinhos do Astor, elaborada de forma bem democrática pela sommelier Ana Amaral, com o objetivo de agradar a todos os gostos. Um pouco mais enxuta, abriu espaço para novos rótulos brasileiros, como o Vinho da Kombi (R$76), produzido na região da Campanha Gaúcha com as uvas Cabernet e Merlot. 

Dessa forma, encerramos nossa experiência gastronômica no Bar Astor, a quem agradecemos o convite e esperamos voltar, mais uma vez, para provar outros pratos do cardápio e mais drinks que não deu tempo de experimentar. Afinal de contas, nós adoramos, recomendamos já há muitos anos e sempre voltamos! =)


** FICHA TÉCNICA DO BAR ASTOR **

- Endereço: Av. Vieira Souto, 110, Ipanema

- Telefone: 2523-0085

- Capacidade: 200 lugares

- Horário de Funcionamento: Segunda a quarta, das 18h à 1h; Quinta, das 18h às 02h; Sexta e sábado, das 12h às 03h; Domingo, das 12h às 22h. 

- Cartões: C.c: todos. C. d.: todos

- Manobrista: sim



- TripAdvisor: com mais de mil avaliações, o Bar Astor encontra-se em 156º lugar dentre mais de 12.300 restaurantes/bares avaliados pelos viajantes no site, além de possuir Certificado de Excelência. Vejam aqui os comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário