terça-feira, 26 de julho de 2016

7º DIA NO ATACAMA: Trekking Guatín

No dia 03 de abril, pela manhã, nós saímos às 8h e fomos para mais uma aventura: Trekking Quebrada de Guatín.

A partir de San Pedro do Atacama, pegamos o caminho que vai no sentido dos Geysers el Tatio e, em cerca de 1 hora, ou menos, chegamos na Quebrada de Guatín, onde começamos a caminhada.




Esse trekking, na verdade, pode ser feito de várias formas, a depender da época do ano, do nível da água do rio e demais condições climáticas.

. TREKKING DE GUATÍN: cerca de 3km (da forma como fizemos, descendo o rio), em torno de 2:30 / 3:00 de duração 
- Considerado de nível fácil se feito subindo no sentido das Termas de Puritama. Mas o que fizemos, descendo o rio, foi um nível mais intermediário de dificuldade.
- Tour: 60.000 cl
- Incluído: Lanche de Trekking com água, gatorade, cereais e nuts (castanhas, nozes, amêndoas...)
- Agência de Turismo: Flavia Bia Expediciones. Nós fomos convidados pela Flávia a fazer os passeios com sua agência. Gostamos de tudo e super indicamos!




Quem nos acompanhou dessa vez foi o motorista Felipe e a Valentina, que também esteve conosco nas Termas de Puritama (clique aqui para ler a matéria sobre as termas) fazendo uma massagem super relaxante na gente. Dessa vez, a Valentina foi para nos guiar no Trekking, pois ela também é fisioterapeuta esportista. E foi ótimo o passeio, totalmente diferente do que eu imaginei porque achava que faríamos o roteiro tradicional e adoro quando sou surpreendida, ainda mais quando a surpresa é com paisagens ainda mais belas e desafios super diferentes.




Como nós já havíamos feito o Tour às Termas de Puritama na nossa primeira etapa de passeios no Atacama, antes de irmos para a Bolívia, Flávia e Valentina combinaram de fazermos um roteiro diferente, descendo o rio ao invés de fazer subindo o rio, como normalmente é feito para quem conjuga o trekking com as termas.





Portanto foi uma grata surpresa mesmo e, como já disse, achei bem mais bonito e mais interessante descer o rio, escalar as pedras, observar os cactos gigantes, admirar as pequenas cachoeiras... Aliás, a região é também conhecida como o Vale dos Cactos!




Nós fomos seguindo o rio, dentro do cânion, pulando o rio, subindo pedras, descendo pedras rsrs... é um desafio light, bem tranquilo para quem não quer se arriscar muito, mas gosta de ecoturismo. A elevação não ultrapassa muito os 300 metros, ou seja, fomos mais ou menos de 3.500 metros de altura até uns 3.200 metros de altura.



Não deixe de observar o tanto que puder os cactos ao seu redor. Alguns são centenários e chegam a quase 7 metros de altura! É algo muito impressionante e bonito de ver. 

Assim fomos até chegarmos em um ponto onde iniciamos a subida. Nesta subida, nós vimos também uns refúgios de pedras de muitos e muitos anos onde povos nômades se abrigavam.





Foi uma linda aventura, no melhor estilo Indiana Jones rsrs... pulando pedras, escalando algumas, passando pelo rio... muito bom mesmo!






A dica da roupa é ir com um casaco quentinho, porém leve, que dê para tirar e carregar com facilidade porque à medida que se começa a fazer o esforço físico, é natural sentir calor.  Eu, após uns 20 minutos, já estava só com a última blusa de malha fina, porque fui no modo cebola, com uma blusa de malha fina, uma térmica por cima e um casaco. Também coloquei uma calça térmica, uma legging e uma meia térmica. Foi até muito porque fiquei com calor no final.






E foi super importante, para mim, ter o tênis apropriado para trekking da North Face que tem a membrana GoreTex que é waterproof, isso porque a gente pisou muito em água, ao ponto de às vezes mergulhar o tênis em parte no rio para cruzá-lo (morri em 110.000 pesos na loja da North Face de  San Pedro do Atacama, mas não me arrependi porque o tênis foi fundamental!).



Voltamos para San Pedro com folga para almoçar e descansar. Dessa vez, como Julio sentia-se melhor, fomos ao Restaurante El Toconar. Eu e Rebeca dividimos um menu completo que incluía entrada (escolhemos um ceviche), prato principal  (salmão com batatas assadas e legumes), de sobremesa uma torta de três leites e uma taça de pisco sour, por 7.000 pesos. Já o Julio escolheu um lomo salteado por uns 9.000 pesos.

Depois, ainda caminhamos um pouco pela Caracoles e tomei um sorvete. Há várias sorveterias (heladerias) pela Caracoles e nas transversais.


  



Voltamos para o Hostal La Ruca e ainda deu tempo para descansar de novo até o próximo passeio.

** VEJAM MAIS FOTOS DA AVENTURA **


















Nenhum comentário:

Postar um comentário