quarta-feira, 15 de junho de 2016

Serrinha do Alambari: Roteiro para 1 Dia



** SERRINHA DO ALAMBARI **

Veja AQUI as informações e dicas introdutórias para a viagem de 4 dias na região de Visconde de Mauá (feriado de Tiradentes de 2016). 

Na ida para Visconde de Mauá, para aproveitar o embalo da viagem, nós resolvemos explorar as cachoeiras e poços da Serra do Alambari, um distrito que pertence a Resende, ao sul do Estado do Rio de Janeiro, e fica entre Penedo e Mauá (mais perto de Penedo, dando uns 20 minutos entre os dois e cerca de 40 minutos para Mauá), localizado no sul fluminense do estado do Rio de Janeiro.



São aproximadamente 176km do Rio e 276km de São Paulo. Sugerimos ir pela Rodovia Presidente Dutra em direção a Resende até o KM-311, onde você pegará a saída para Penedo/Visconde de Mauá e seguirá como se fosse para Mauá, ou seja, não precisa entrar em Penedo.

Você vai passar pelos portais de entrada em Penedo, que são dois, mas não entrará neles, e deverá seguir adiante na estrada RJ 163 no sentido de Visconde de Mauá. Continue atento às placas para a entrada da Serrinha do Alambari, que fica antes de subir a serra para Mauá, em cerca de 4km da entrada de Penedo.




Já dentro da Serrinha do Alambari, prepare-se para uma estrada mais acidentada, com muito sacolejo e siga nela uns 4km até chegar na pracinha principal, onde tem um mercadinho tipo padaria e um restaurante. Se você tiver dúvidas, pare e peça informações antes de seguir. Mas nessa praça você já verá a placa para o Camping Clube Brasil, para onde seguimos (mais uns 2km até a entrada do camping) e mais estrada ruim pela frente.

Nós fomos direto para o Camping e, como saímos do Rio por volta das 7:20h, chegamos lá no Camping já perto das 11h. Ficamos até umas 17h e foi tempo suficiente para explorar os poços e cachoeiras dentro da área do camping, que são os de trilhas mais fáceis da região, que é uma Área de Proteção Ambiental desde a década de 90 e vem despertando o interesse e curiosidade dos visitantes nos últimos 5 anos. Lá foi criada a primeira Guarda Florestal Municipal do Brasil!




Obs: Nós alugamos carro com a Avis porque somos mesmo desmotorizados. Mas se você tiver muito apego ao seu carro, sugiro alugar um também. Outra forma de se chegar é de ônibus que funciona todo dia da rodoviária de Resende para a Serrinha do Alambari (ligue para 24 3381-8861 para maiores informações) até porque lá na Serrinha você terá que caminhar um bocado ou tentar uma carona.




Eu e Julio ficamos impressionados com o tamanho e a organização do Camping Clube Brasil. Pagamos a entrada que custou  menos de R$10,00 por pessoa e estacionamos o carro mais para frente. É muito bacana ver a estrutura que eles oferecem aos campistas, que podem até parar seu carro em frente às barracas.

Por falar em barracas de camping, fiquei admirada em ver barracas super modernas, que parecem verdadeiras casas, abrigando famílias inteiras de forma que parecia até confortável. Confesso que, vendo essas barracas mais "chiques", eu pela primeira vez na vida fiquei até relativamente animada em acampar kkkk... mas sabe aquela vontade que dá e passa logo que você chega na pousada e se joga na cama e toma um banho quentinho?? Bem, a minha vontade passou rapidinho kkk..




Mas aos mais desapegados e aventureiros, eu, que não sou expert no assunto, preciso deixar registrado que achei o camping bem legal, muito bem cuidado, limpo, muito bonito, com banheiros suficientes, restaurante, parece até que tem chuveiros com água quente, além de quadras de esportes, playground, sauna rústica, pavilhão de lazer... isso tudo sem contar com as trilhas e poços que são verdadeiras piscinas naturais!

Contudo, se preferir ficar em pousadas com mais conforto, recomendamos as pousadas de Penedo, que são mais próximas, ou fazer como nós e seguir para Visconde de Mauá e aproveitar a mesma viagem para explorar as duas regiões. Se ficar em Penedo, o que também vale muito a pena (a última vez que estive lá faz exatos 10 anos e por isso nem tenho muita dica bacana e atual para passar... está na hora de voltar, né?), poderá aproveitar para ir ao Parque Nacional de Itatiaia que é lindo também e merece uma visita.


Não precisa de guia para essas trilhas! Elas são bem marcadas, sinalizadas por meio de placas e, na dúvida, basta perguntar lá na recepção que eles explicam direitinho. Quando eu fui, nem tinha mapa (e acho que não tem nem precisa). 

Dica: todas as trilhas tem descidas que requerem atenção para não escorregar. Se você for época de chuvas, aí é melhor pensar se vale a pena mesmo ir porque eu percebi que as trilhas ficam com lama. Eu fiz todas de crocs e Julio de tênis. O crocs foi suficiente porque estávamos em um período de secas. Não chovia há uns dias por lá. Mas vejam bem: isso não significa que eu iria de chinelo! Apesar de ter visto algumas pessoas por lá com chinelos, eles não me dão firmeza nas trilhas e escorrego mais fácil. 



  
A gente já sabia que o poço mais lindo e, por isso mesmo, mais disputado era o das Esmeraldas (cerca de 20 minutos da recepção do camping até o poço). Eu já não tinha muita esperança de encontrá-lo vazio porque não era cedo, embora fosse ainda a quinta feira e muita gente estivesse na estrada. Só que era feriado, né? O próprio camping estava bem cheio, mas não estava lotado e ainda havia muito espaço por lá para montar a barraca. 

Sendo assim, iniciamos a nossa trilha direto para o Poço das Esmeraldas para depois passar nos demais. Como adiantei acima, as trilhas são fáceis - lembrem-se de que eu não sou tão trilheira assim como eu finjo ser kkkk - em outras palavras, se eu disser que é fácil, pode acreditar em mim. Exatamente por isso que não precisa de guia para fazer essas que estão dentro do Camping. 




Poço das Esmeraldas, obviamente, estava já com pessoas, mas longe de estar cheio até porque a água é congelante! Absurdamente gelada e o dia não estava muito quente, com solzinho mais tímido. Logo, a maioria das pessoas entrava, dava um mergulho, tirava uma foto e saía rapidinho porque o frio batia logo!




Dica2: Vale muito a pena levar uma toalha!! Principalmente para os mais friorentos. Além da toalha, leve também uma muda de roupa extra, mais quentinha, para vestir após o passeio. Aproveite os banheiros do Camping para se arrumar e ficar agasalhado porque no final do dia começa a esfriar bem.

Sim, eu e Julio encaramos e mergulhamos no Poço das Esmeraldas! Nossa! Ele é lindo! Faz totalmente jus ao nome porque sua água é cristalina de um colorido esverdeado ímpar e belíssimo! Pena que foi enchendo e enchendo de mais gente... puxa! Mas não tem jeito, ele é o mais lindo mesmo e as pessoas sabem disso.



Tiramos fotos, é claro! E caminhamos por trás das pedras, indo atrás da queda d'água que tem lá. Cuidado com as aranhas, viu? Havia umas enormes grudadas nas pedras de cor marrom que um cara lá até nos chamou a atenção para não corrermos o risco de sermos picados, pois, segundo ele, elas eram extremamente venenosas. Vai saber, né? Na dúvida, eu nem cheguei perto. 



Continuamos a fazer as trilhas e, com o sol mais forte e o sobe e desce das trilhas, até que foi ficando mais quentinho! 

Animamos a dar mais um tibum no Poço do Bananal, que também nos agradou bastante! 





Repleto de pequenas quedinhas, com uma piscina natural muito gostosa e uma hidromassagem natural também, nós poderíamos ter ficado horas ali nesse poço que, diga-se de passagem, estava praticamente vazio! 





Isso é importante dizer, pois, tirando o Poço das Esmeraldas, mesmo em se tratando de feriado, todos os demais poços estavam praticamente vazios ou com pouquinha gente. 

Aliás, o Poço das Esmeraldas e o do Bananal foram os nossos preferidos. 

Nós continuamos a trilhar, até mesmo para secar e ficar mais quentinho, e passamos por todos os Poços dentro do Camping:

- Poço Dourado




- Poço Champagne


- Confluência e Rio Pirapetinga


- Poço da Pinguela


  

Começamos a trilha por volta das 11h e terminamos às 16h. Voltamos para a entrada do Camping, onde fica o restaurante e onde também ficam a piscina natural, de facílimo acesso por uma escadaria atrás do restaurante (a mais fácil) e a sauna a vapor bem rústica, que é cobrada à parte (cerca de R$7,00). 


Almoçamos por lá mesmo, mas como era tarde, a comida não estava lá grandes coisas. Deu para salvar e comer um pouquinho só. Pior que foi caro, viu? O quilo estava custando R$43,00. Agora, se você preferir os pratos prontos, eles custavam na faixa dos R$25,00. 


  

Trocamos de roupa, colocamos os agasalhos (era abril, mas já estava bem friozinho à noite) e partimos para Mauá por volta das 17:00.

Seguimos, portanto, pela RJ-163 e subimos a serra! Lindas paisagens que ficaram ainda mais deslumbrantes com o anoitecer e pôr do sol!

Obs2: Na região da Serrinha do Alambari há outras cachoeiras e poços fora do Camping Clube Brasil, como o Poço do Céu e o do Dinossauro, que são muito recomendados a quem curte um pouco mais de aventura, desafio, pois a trilha é mais difícil. Nós não pudemos ir porque o nosso tempo foi suficiente para fazer as trilhas dentro do Camping. Ficamos com vontade voltar e encarar o desafio, mas, neste caso, nós vamos procurar um guia para ir conosco porque é recomendado e também porque esses poços ficam dentro de propriedades privadas



ATENÇÃO: Se começar a chover, não fique perto das cachoeiras. Sempre há risco de tromba d'água! Ainda mais nessa região, que é cercada por serras, onde o tempo pode mudar bruscamente.


4 comentários:

  1. Boa noite, qual câmera vocês usaram para as fotos dentro d'água? Ficaram ótimas!
    Visito constantemente a Serrinha, mas não tenho fotos tão legais das cachoeiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigada! Que bom que gostou =)
      Usamos a GoPro Hero 4 Siver!
      Uma ótima aquisição, com certeza.
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  2. Tb fiquei com a mesma curiosidade quanto a camera, as fotos ficaram tops. Vou lá nesse próximo fds e quero tirar fotos legais, hehe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Laís!
      Tudo bom?
      Obrigada! Fico feliz por gostar das fotos.
      É uma GoPro 4 Hero Silver
      Ela é excelente para as fotos embaixo d'água.
      Depois me conte como foi a sua visita lá na Serrinha!
      Beijos

      Excluir