quarta-feira, 22 de junho de 2016

2º DIA NO ATACAMA: Tour Astronômico

Ainda em nosso segundo dia de passeio no Deserto do Atacama (26/03/16), lembram que nós visitamos as Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas? (confira aqui a matéria sobre esse passeio). Só que retornamos a San Pedro, almoçamos lá na agência da Flávia Bia Expediciones e aproveitamos para tirar umas 3h para descansar porque o dia ainda prometia e a noite seria longa porque faríamos o Tour Astronômico! 

O único problema é que tentei dormir no Hotel Takha Takha, mas o quarto estava muito quente e não tinha ar condicionado nem ventilador. Isso foi bem chato porque eu estava com sono, mas deu para relaxar um pouco para a noite.


 
DICA: Em San Pedro do Atacama, independentemente da época do ano, faz calor durante o dia e muito frio pela manhã cedo e à noite. É claro que no verão fará muuuuuuuito calor e no inverno fará muuuuuiito frio de manhã e à noite, mas sempre vai esquentar durante o dia. Nós fomos na transição do verão para o outono e, mesmo assim, fez muito calor durante o dia, passando dos 30ºC em alguns dias. Logo, a depender do seu roteiro, se você passar muito tempo no hotel, considere com muito carinho pagar um pouco mais e ficar em hostel/hotel/pousada que tenha ao menos ventilador no quarto e, se possível, uma piscina para relaxar, porque nós fizemos isso neste dia. Como o quarto estava muito quente, fiquei um pouco na piscina, descansando, depois fui para o quarto quando estava um pouco menos quente e fiquei lá tentando dormir em vão.

Logo, depois da tentativa frustrada de dormir, já tinha dado a hora de arrumar e saímos um pouco antes do horário marcado para o passeio para darmos uma volta na Calle Caracoles e comprar algo para comer. 

Acabamos comprando umas empanadas no Salón de Té e saímos às 22h para o Tour Astronômico, que fizemos com a agência Space que foi altamente recomendada como a melhor. Há outras agências que fazem esse tour, mas todo mundo fala tão bem da Space que eu nem comparei preços com as demais, sequer hesitei e tratei  logo de agendar com a Space com antecedência de mais de um mês.

Sim, com mais de um mês, por e-mail mesmo, eu agendei o meu passeio com a Space porque ela é famosa e altamente requisitada. Fiquei impressionada porque eles fazem alguns passeios por dia... eu chutaria que no nosso dia foram uns 4 ou 5 grupos. Tudo bem que era feriado de Páscoa e a cidade estava muito cheia. Porém, considerando que conheço a fama da agência de esgotar rápido, eu não quis correr risco de reservar lá e tratei de fazer contato bem antes de chegar em San Pedro. 



Muita gente que deixa para fazer em cima da hora, de véspera, acaba ficando em fila de espera se houver desistência. Custou 20.000 por pessoa (março de 2016), mas nós só pagamos no dia, até às 18h; porque eles são muito corretos e deixam para confirmar o tour no próprio dia que é quando eles poderão ter mais certeza se haverá condições climáticas favoráveis para a realização do tour. Eles são bem sérios quanto a isso. Embora não seja comum cancelar, até porque o céu do Atacama é procurado por astrônomos do mundo inteiro por ser conhecido como o céu (ou um dos mais) com mais dias claros ao longo do ano. Contudo, se houver nuvens, eles cancelam sem pestanejar.

Houve um pequeno atraso, mas nada muito grande. Fomos de ônibus em grupo pequeno e em cerca de 20 minutos, fora da cidade, chegamos na propriedade no astrônomo francês Alan que organiza esse passeio com sua esposa. Ele trouxe vários telescópios para o Atacama e ficou famoso justamente por isso. 



Esse Tour permitiu que pudéssemos desvendar um pouco mais dos mistérios do céu o que foi um prato cheio para o Julio que, quando criança, queria ser astronauta ou astrônomo. Acabou virando engenheiro, mas o amor pelo céu permanece tanto que foi com o Julio que eu conheci, há alguns anos, o aplicativo chamado Sky Map, no celular, que possibilita que a gente vire o celular para o céu e ele identifica os planetas e constelações. É muito legal! A diferença é que, no Tour Astronômico, em vez de olharmos o aplicativo, a gente olhava o próprio céu com as explicações fornecidas pelo Alan sobre a posição das constelações, a rotação da terra, sobre a lua... 

Bem, e por falar em lua, se for lua cheia tampouco haverá chances de sair o passeio. A melhor lua é a nova; que fica "escondida" e possibilita maior visibilidade do céu, suas estrelas, planetas, nebulosas... Só que nós não pegamos a nova, mas sim a transição da cheia para a minguante.




Na primeira parte do tour, portanto, logo que chegamos, fomos recebidos pela esposa do Alan, que nos passou algumas informações e, logo depois, ouvimos as explicações do Alan sobre o céu, algumas mais genéricas e outras mais aprofundadas, em que ele nos mostrava algumas constelações apontando com um laser. 

Na segunda etapa, a mais legal, nós fomos para os telescópios observar o que ele havia já deixado apontado para a gente! Pudemos ver a Lua em detalhes de suas crateras, Júpiter, Saturno, Marte, Nebulosas, Constelação do Cão Maior, Cruzeiro do Sul... e por aí foi com muitos ensinamentos sempre. 

Ao final do tour, um chocolate quente foi servido, dentro da casa dele, momento em que ele oferece também mantas e chás e tira as dúvidas das pessoas. 



Nós chegamos no hotel por volta de 1h da madrugada e o Tour em si, sem deslocamentos, tem uma duração média de 1:30. 

Foi uma experiência única já que o céu do Atacama é incrível! Por isso mesmo que recomendamos muito.

Dica1: vá MUITO  bem agasalhado. Pense que você estará praticamente no meio do deserto e ficará em pé do lado de fora por 1h, no mínimo.

Dica2: Nós estávamos com a câmera Canon T5i e foi com muito custo que tiramos essas fotos sem tripé. Uma peninha porque aquele céu estava mágico e queria muito ter registrado as nebulosas e constelações. Se você fizer questão de efetuar registros melhores e mais profissionais, leve um tripé e treine um pouco antes no modo Manual, porque no Automático é praticamente impossível. 

Dica3: Essas fotos da Lua não foram tiradas diretamente com minha câmera, até porque minha lente Canon é apenas de 18-200mm e não fotografa a lua com esses detalhes. Para começar a brincadeira de fotografar a lua, considere uma lente a partir de 300mm (mais informações que isso eu realmente não sei). 



Então como foram feitos esses registros da lua? Sim, as fotos são minhas!!! Muito simples: o Alan ajustou minha câmera e meu celular (porque os registros foram feitos em ambos) e tirou foto do visor do telescópio! Viram só? Para ele foi super simples e fácil... para mim, nem tanto! rsrs... mas ao menos ficou a lembrança dessa noite linda, estrelada e muito especial!



Nenhum comentário:

Postar um comentário