domingo, 20 de março de 2016

Um dia em Niterói: Trilha no Costão de Itacoatiara e Parque da Cidade!

Final do mês de fevereiro, nós estivemos em Niterói, onde passamos um domingo, atrás de aventuras, muito ecoturismo, novas paisagens e vou contar tudinho aqui para vocês!

Acordamos bem cedo e saímos de casa por volta das 7h da manhã, a partir de Copacabana, rumo à Itacoatiara! Tem que ir tão cedo assim? Sim, infelizmente, é altamente recomendável.



Primeiro, porque é distante, bem longe mesmo! Nós levamos cerca de 1:20 para chegarmos lá, em pleno domingo, de manhã cedo, sem engarrafamento. Porém, a cidade de Niterói, quando fomos (e acredito que ainda esteja assim) estava repleta de canteiros de obras, pistas interditadas... às vezes até o Google Maps não entendia direito o caminho e errava rsrs... Por isso, outra dica é: não confie cegamente no Google Maps nem no Waze por conta dessas obras. Leia as placas também e, na dúvida, pare em algum posto de gasolina e pergunte.

Em segundo lugar, mesmo a gente tendo chegado em Itacoatiara por volta das 8:30, não foi fácil encontrar vaga! Demos umas 3 voltas por lá para encontrar uma vaga. E sei que lá é bem disputado mesmo.

** COMO CHEGAR **

Nós optamos por alugar um carro com a Avis, para ficarmos mais à vontade com nossos horários e passearmos mais.

Outra alternativa é ir de barca e de ônibus, mas logo alerto que eles demoram MUITO e podem estar bem cheios. Algumas são as possibilidades:

- Ir de barca até Niterói e lá pegar as Linhas n. 38b ou 39b (Itaipú - Centro), que saem da estação próxima ao Terminal das Barcas, no centro de Niterói, e vão te deixar perto da praia, a cerca de 3/4 quadras.

- Linha 1910D, faz o itinerário Itaipu x Castelo, e pergunte ao motorista o ponto para você descer em Itacoatiara.

Minha opinião: se você puder ir de carro, será bem melhor.


Logo que conseguimos estacionar o carro, a gente caminhou no sentido da praia e, como nunca havíamos estado por lá, fui pedir informação a um salva vidas que por acaso estava lá. Para terem ideia de como eu estava perdida, eu n em sabia dizer para qual lado era o Costão! kkkk

Itacoatiara é uma praia bem reservada, fechada, com muitas casas de veraneio por lá. E é cercada por pedras para quase todos os lados. Então eu fiquei na dúvida se o famoso Costão era para o lado direito ou esquerdo, olhando a praia de frente.

O salva vidas orientou a gente e fomos para o lado esquerdo (olhando a praia de frente) e entramos na última rua da praia onde, em curta caminhada, já estávamos na entrada do Parque Estadual da Serra da Tiririca, onde há uma guarita logo na entrada e um guarda armado (achei estranho ele estar armado) e informações sobre a trilha.


- Horário de Funcionamento do Parque: das 8h às 17h


** O QUE LEVAR **

Como eu costumo dizer em todas as matérias de trilhas, nós costumamos levar o seguinte:

- filtro solar fator alto (ainda era verão e o sol estava de lascar)

- boné/chapéu e óculos escuro


- tênis (acho fundamental o tênis para subir o Costão de Itacoatiara). Vi uma pessoa tentando descer de chinelo e simplesmente o chinelo arrebentou. Lembre-se de que se trata de uma pedra que esquenta - muito - com o sol e chega às vezes a queimar! Mas leve chinelo também para usar depois na praia.

- luva, se você for muito fresco, tipo as de academia (essa eu não levei nem tenho), por causa da quentura da pedra, pois você em algum momento terá que colocar a mão nela para ter apoio e equilíbrio na hora de subir e descer.

- álcool em gel (esse eu levei rsrs), para limpar suas mãos que ficarão bem sujas depois de tanto se apoiar na pedra na subida ou descida.


- lenços umedecidos, para se limpar (aí é mais frescura mesmo rsrs... só que pode ser válido para muita gente, né?)

- ÁGUA!!! Importantíssimo! Levem a água suficiente para ficar umas duas horas no sol e com certo esforço físico, ok? No alto da pedra não tem ambulante, não tem venda de água.

- lanchinho / snack / frutas são sempre muito bons, principalmente para quem não gosta de tomar café da manhã cedo e vai subir a pedra. Leve algo para não passar mal. Mas pelo amor de Deus, não deixem lixo pelo caminho! Carreguem seu lixo com você de volta, por favor!

- biquíni / roupa de praia, pois, afinal de contas, após fazer uma trilha super cansativa, você vai querer mergulhar na praia de Itacoatiara.

- muda de roupa extra se você tiver intenção de continuar passeando depois da pedra. Isso porque a sua roupa, pós trilha, ficará bem nojenta rsrs...



** A PEDRA ** 

A trilha em si não é das maiores, embora seja uma trilha para se respeitar. No início, algumas escadas naturais entre pedras e raízes de árvores vão até te deixar animado... mas não se empolgue muito porque logo logo você vai encarar a pedra do costão!


O pior trecho é bem íngreme e ele leva cerca de 10 minutos ou mais. Neste pedaço, você necessariamente terá que apoiar as mãos na pedra e subir no "modo aranha", sabe? Vejam nas fotos.

Não é fácil, mas também não é impossível! Tenham sempre em mente que eu, apesar de fazer várias trilhas, não sou muito aventureira, sou super fresca, medrosa e faço tudo com meus riscos calculados kkkk... eu só finjo ser trilheira! =P

Logo, se eu consegui, muita gente também consegue! 




Dica: na subida, para ter mais firmeza no pé, pise com firmeza com os dedos que é melhor do que se pisar com o pé todo ou calcanhar.

Vencido esse pedaço, aí é só mesmo subir com cautela, em pé mesmo (mas se você não se sentir firme, não abuse e suba até onde se sentir seguro no "modo aranha", agachado). O importante é estar seguro!


Daí você vai caminhar... caminhar mais um pouco... e caminhar até onde você desejar ir para ter a vista mais espetacular da Praia de Itacoatiara, eleita como uma das 25 praias mais bonitas no Brasil de acordo com o site TripAdvisor!! 



A vista é totalmente recompensadora de todo o esforço para chegar lá em cima! Vale a pena, eu juro!

Nós sentamos um pouco, tiramos fotos, fizemos um lanchinho, tiramos mais fotos... e ficamos lá observando a paisagem, as praias de Itacoatiara, Itaipu, Lagoa de Piratininga... é lindo demais!

Mas, após uma hora lá em cima, tínhamos que encarar a descida.




O bom é que para baixo todo Santo ajuda! rsrsrs... a gente desceu com mais facilidade e maior rapidez também.

Na descida, em diversos momentos, para não arriscar cair nem escorregar, eu fui agachada de bumbum para ter mais firmeza e equilíbrio. Deu certo e nós subimos e descemos sem problemas! O ruim é que a pedra já estava muito quente, pelando mesmo, e às vezes machucava colocar a mão na pedra para se apoiar.

Sensação de vitória!

Observações:

1) Nós gastamos cerca de 3 horas no total (subida, lá em cima, descida). Subimos efetivamente às 9h e já estava super quente. Sugiro ir antes, logo quando o parque abre, para não sofrer tanto com o sol.



2) Use e abuse do filtro solar.

3) Não tem banheiro! Nem lá na entrada, onde fica o guarda, não há banheiro (ou foi o que eu entendi, tá?).

4) O guarda que estava na entrada no parque disse para a gente que o único caso de morte registrado na trilha, que ele saiba, foi de uma pessoa que fazia rapel e estava bem acima do peso e acabou enfartando. Mas que já houve sim casos de pequenos acidentes, nos quais as pessoas se cortaram, por exemplo, por escorregar na subida ou descida da pedra.



Daí, super animados por termos feito a trilha, paramos em um quiosque bem bacana, com produtos naturais, de frente para a praia, com música gostosa e tomamos água de coco super gelada e doce e sanduíches naturais.


Voltamos para o carro, onde deixamos as tralhas que não seriam mais usadas, como os tênis, trocamos por chinelos e corremos para a praia, para mergulhar e tirar toda o suor e poeira do corpo!

Alugamos cadeiras e barraca de praia (R$5,00 cada) e ficamos curtindo o mar, descansando, relaxando e por algumas horas nós ficamos lá na praia.




Ainda demos sorte (quer dizer, eu dei!), porque Itacoatiara é bem famosa por ser uma praia de ondas, de campeonatos de surfs... mas, quando fomos, o mar estava calmo, com algumas ondinhas sim, mas que estavam arrebentando perto já da areia e, nos intervalos delas, dava para entrar tranquilamente e nadar, mergulhar, boiar... quase flat!



Se quando você for o mar estiver de ressaca, não abuse e respeite as bandeiras de atenção / perigo e correnteza! Respeite o mar. 

A ideia era até ficar um pouco lá e depois partir para Camboinhas, para dividir o tempo e curtir duas praias, só que, além da preguiça, porque estava muito gostoso em Itacoatiara, a gente também ficou com medo de ir para Camboinhas e não achar mais vaga

Então, como a fome bateu, fomos almoçar no Restaurante Seu Antônio, localizado em Cafubá / Piratininga, bem perto de Itacoatiara (cerca de 10 / 15 minutos de carro) - Rua Dr. Heleno de Gregório, n. 312.



O restaurante tem uma parte que é o próprio restaurante de um lado da rua e de outro lado da rua é o bar, onde são servidos somente os petiscos (vários petiscos) e bebidas. Todo mundo recebe um pager para controle da sua mesa e ele vibra e acende quando chega a sua vez.



Nós chegamos por volta das 15:30 e estava bem cheio. Acabamos ficando lá no bar e pedimos vários petiscos para experimentar. Ao final, a gente estava tão satisfeito com os petiscos, que, quando o pager vibrou, a gente nem quis entrar no restaurante. Ahhhh... o carro chefe da casa no quesito petiscos / entradas é o bolinho de bacalhau!! E devo dizer que estavam divinos!!




Mas é claro que a gente ficou com vontade de retornar para experimentar os pratos principais e sobremesas que são somente servidas dentro do restaurante.


Depois, ainda com tempo, nós resolvemos ir ao Parque da Cidade, que já era um desejo antigo meu de conhecer aquele lugar que confere vistas de tirar o fôlego da Baía da Guanabara.



Como não conhecíamos o caminho, a gente foi se guiando pelo Google Maps e deu direitinho (Estrada da Viração, sem número). Não tivemos problema para chegar lá. O Parque da Cidade fica no bairro de São Francisco, no alto de uma colina / morrinho, chamado de Morro da Viração, cuja altura é de aproximadamente 270 metros.

Para subir, só achamos um pouco tenso porque estávamos num carro alugado 1.0 de potência, com 4 pessoas dentro e há momentos de curvas sinuosas e estrada estreita. Portanto, muito cuidado com os outros carros, que estiverem no sentido contrário ao seu para evitar acidentes!


Lá em cima tem um estacionamento até bem grande, só que estava lotado quando chegamos. Afinal, acho que muita gente teve a mesma ideia. Depois de um dia lindo e ensolarado, a gente estava esperando aquele show no pôr do sol.

Ainda assim, foi fácil achar vaga na rampa de subida e deixamos lá, bem perto já do estacionamento, que fica no alto do morro.

O Parque da Cidade de Niterói é uma área de proteção ambiental que ocupa uma área de cerca de 150.000m² e foi inaugurado em 1976

A gente foi bem pertinho do horário do pôr do sol para tentar ver de lá, pois eu já havia visto fotos maravilhosas do pôr do sol de lá. Mas, infelizmente, as nuvens chegaram com tudo e impediram que o espetáculo fosse ainda mais bonito.


É claro que valeu a pena ter ido porque a vista continuou linda e lá dos dois mirantes no Parque da Cidade a gente pôde ver as praias de Piratininga, Itaipu, Camboinhas, São Francisco, Jurujuba, Charitas e Icaraí, além das lagoas, Baía de Guanabara, Ponte Rio-Niterói e até onde a visibilidade puder te permitir ver.

Meus destaque vão para o Pão de Açúcar e Cristo Redentor que ficaram lindos avistados lá do parque.



Há também rampas para a prática de voo livre e parapente, que são bem comuns por lá, mas quando fomos não havia corajosos desafiando o vento.

Como fomos lá focados no pôr do sol, confesso que não reparei muito no que mais tinha para fazer por lá, mas sei que tem um café, por exemplo. A visitação nele é diária, das 9h às 18h. Não tem acesso de ônibus (ainda bem! porque a estrada é cheia de curvas), portanto, o acesso é somente de carro ou passeios privados.



No site TripAdvisor, o Parque da Cidade aparece como nº 2 dentre as mais de 80 atrações turísticas avaliadas pelos leitores do site. Portanto, já perceberam que o lugar merece mesmo uma visita, não é?

Então, curtiram o nosso dia em Niterói? Esse roteiro é plenamente possível a todos que estejam de carro, com disposição de acordar bem cedo e curtir o dia inteiro!

E agora já quero voltar para explorar novas trilhas e praias...



Nenhum comentário:

Postar um comentário