quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Stopover em Londres: O que fazer em 1 dia e meio?

Nossa lua de mel começou em Londres, num stopover que fizemos de 2 noites lá antes de seguirmos para a Grécia.

Foi uma passagem bem ligeira, de 1 dia e meio de passeio apenas, mas deu para fazer muita coisa, principalmente porque estava anoitecendo lá para às 21:30/22:00. Ou seja, rendeu bastante!

LEIA AQUI DICAS RÁPIDAS PARA VOCÊ PLANEJAR SUA VIAGEM PARA LONDRES!

Isso porque nós chegamos em Londres em 02/06/15, ainda na primavera, mas os dias estavam longos e frios.
Você sabe como funciona o Stopover e as suas vantagens? É simples até:

1) você faz a cotação da sua viagem já com o destino final desejado (no meu caso foi Rio - Atenas), e você pode fazer isso com a ajuda de sites buscadores de passagens aéreas como o Skyscanner, por exemplo. Então, vi que a cia aérea BritishAirways tinha a melhor tarifa. Como a British tem que entrar na Europa por Londres (assim como a TAP entra por Portugal, a Iberia pela Espanha, a KLM pela Holanda, Air France por Paris... e por aí vai, ou seja, você não escapa de uma conexão no país de origem da cia aérea se o destino final desejado for diferente do país da bandeira da cia aérea... e como a Grécia não tem uma cia aérea internacional que eu conheça, eu não escaparia da conexão) então, eu verifiquei que o tempo de conexão seria de quase 9h de espera. Nesse caso, achei muito pesado ficar tanto tempo no aeroporto, ainda mais depois de toda a maratona do casamento.
2) o segundo passo foi verificar quanto seria se eu fizesse a compra no site da British Airways com a opção múltiplos destinos (múltiplas cidades) e coloquei assim: Rio - Londres (1/06), Londres - Atenas (04/06), Atenas - Rio (com conexão em Londres, no vôo de volta - 28/06) e a diferença de valor foi de uns 40 dólares apenas se comparado com a passagem que ia direto para Atenas com aquela conexão honrosa em Londres de 9h de espera.

3) na verdade, stopover mesmo é quando nem tem diferença de valor. Mas nesse meu caso a diferença foi tão pequena que eu até considero rsrs... Logo, eu comprei a passagem com a opção de múltiplos destinos e fiquei 2 noites em Londres para curtir um pouco dessa cidade maravilhosa, que eu já havia visitado em 2010, quando passei 5 noites lá, e agora pude conhecer algumas atrações novas e revisitar outras que são imperdíveis!



Então, essa foi a minha segunda vez na cidade e, exatamente por isso, eu foquei no queria ver e revisitar, principalmente porque o Julio, que já morou em Birmingham, só esteve em Londres para um passeio de barco pelo Tâmisa. Ainda assim, o ritmo de passeios foi digno de um maratonista.


Kensigton Palace

Vejam mais dicas de Londres aqui, com informações, dicas, passeios e fotos de quando fui em 2010.

- Moeda: o Reino Unido não faz parte da Zona do Euro. A moeda é a libra esterlina. Veja aqui a cotação para a libra/Pound, que costuma ser a mais cara.

- Visto: brasileiros que vão para o Reino Unido a turismo, para permanecerem por até 3 meses, não precisam de visto.

- Seguro Saúde: o Reino Unido e a Irlanda não assinaram o Tratado de Schengen, portanto, não é obrigatório aquele seguro de cobertura de até 30 mil dólares que foi chamado de Seguro Schengen para entrar lá.

London Eye

- Validade do Passaporte: precisa ter mais de 6 meses de validade, contados da data de retorno ao Brasil.

- Melhor Época do ano para ir: cada estação do ano é bem definida. De modo geral, é um país frio, por estar localizado bem ao norte, com clima temperado. E tem fama de ser um lugar chuvoso com os famosos fogs, ou seja, os nevoeiros. Eu, em 2010, peguei dias ensolarados, nublados e chuvosos e fui em novembro, ou seja, muito frio. Agora, em junho de 2015, os dois dias foram frios, mas com nuvens e sol. Sem chuva, graças a Deus!

Vinopolis

Buckingham Palace

Abadia de Westminster

Ai gente, que saudade que eu estava dos táxis pretos – Black cabs, dos ônibus de dois andares – Double deck bus, da mão inglesa, do fish and chips, do metrô que não é subway, mas sim Underground, do sotaque londrino, da educação do povo .... Londres é o máximo! Eu que fiz quase 9 anos de curso de inglês na Cultura Inglesa sou uma pessoa fascinada pela Inglaterra! Adoro!

Metrô na Inglaterra

Tower Bridge, vista de Tower of London

Dessa vez, ao invés de ir de táxi do aeroporto para o hotel, que ficava perto do centro, e eu chuto que custaria algo em torno das 80 libras por corrida, nós optamos pelo Heathrow Express.

Chegamos no Terminal 5 do aeroporto Heathrow, após 11 horas de viagem, que é o maior e o principal de Londres, e pegamos o trem Heathrow Express (custou 35 libras ida e volta por pessoa).


Foi bem fácil pegar esse trem, embora a gente tivesse que mudar de setor dentro do aeroporto porque o Terminal 5 é gigante! Nós seguimos a linha roxa e as placas... Não teve erro! Você precisa pegar uma espécie de monorail para ir ao local de embarque do Heathrow Express.

Eu achei tudo absolutamente tranquilo. Estávamos com uma mala grande e uma média e cada um com sua mochila nas costas apenas.  Isso facilita o deslocamento. Dentro do trem tem maleiro e ficamos perto dele, de olho.

Não acredito que Londres seja uma cidade com muitas ocorrências de furto dentro de trem e metrô, mas eu recomendo sempre ficar de olho nas bagagens e pertences dentro de trens e metrôs, ainda mais com toda essa crise dos imigrantes, em que pessoas desesperadas, com fome, às vezes doentes e sem dinheiro chegam aos milhares na Europa e o desespero leva muita a gente a fazer coisas erradas, né?


DICA: Em outras viagens de trem que eu fiz, levei cadeados grossos de bicicleta para entrelaçar as bagagens nas grades do maleiro. Nunca tive problemas!

O Heathrow Express vai direto para o centro, sem paradas e, em cerca de 20 minutos, chegamos na estação Paddington, perto da qual ficamos hospedados, no Tune PaddingtonHotel.

Estação Paddington de Trem e Metrô

Esse hotel foi escolhido principalmente pela localização e por ter boa classificação no site Hotéis.com, onde fiz a reserva. E o preço era dos menos piores.

Peeeeense na libra custando R$5,50 naquela época?? (agora deve estar pior, porque já passou de R$6,00) Agora Peeeeense numa noiva que estava gastando o que podia e o que não podia com seu casamento e lua de mel ??... Pensou? Agora some tudo e lembre que eu só teria 2 noites em Londres (= 1 dia e meio) e só precisava de um lugar decente, limpo e digno para dormir.

quarto simples do Hotel Tune Paddington

Acho que deu para entender que o hotel é super simples e ideal para poucos dias e para quem só quer hotel para tomar banho e dormir. Logo, não era ali que nós iríamos curtir a lua de mel kkkk... até porque o quarto era muito pequeno e mal dava para abrir as malas e o banheiro era daquele tipo que o lavabo fica do lado de fora, de frente para a cama.

O hotel não serve café da manhã, mas dá um cupom de desconto para uma lanchonete ao lado. A rua do hotel, Praed Street, é movimentada, perto de uma grande e bem conectada estação de trem e metrô - Paddington - repleta de restaurantes, pubs, cafés e tem até um mercado de médio porte perto do hotel, onde compramos água e lanchinhos para o passeio e nem nos preocupamos com o café da manhã do dia seguinte porque já estava nos planos ir ao Borough Market para experimentar delicinhas londrinas no dia seguinte e, na outra manhã, a gente ia mesmo sair de madrugada do hotel para voltar para o aeroporto e seguir viagem para a Grécia (foram só 2 noites, né? Não ter café da manhã não fez diferença).

Rua do Hotel Tune Paddington e da estação de metrô e trem

Restaurantes, cafés, bares na rua do hotel

Além disso, a poucos passos do hotel (menos de 10 minutos), fica o Hyde Park.



Como desembarcamos no aeroporto às 13h, até passar pela imigração, pegar malas, achar o Heathrow Express, chegar no Hotel e fazer check in,  já saímos um pouco tarde do hotel para passear, por volta das 16h. 


No primeiro dia, nós caminhamos pelo Hyde Park um bocado. O parque é gigante!






Em 2010, eu já vi andado um pouquinho por ele, mas tinha sido na sua face sul, próxima ao Wellington Arch.

Dimensão do Hyde Park e o caminho que fizemos desde perto de Lancaster Gate até o Kensington Palace

Dessa vez, caminhamos por sua face norte, sentido Palácio de Kensington, que é uma das residências oficiais da Coroa Britânica, fica nos Jardins de Kensignton. Começou a ser construído em 1605 e desde o século XVII serve de residência oficial para membros da Coroa. Moram lá, hoje em dia, o Duque e a Duquesa de Cambridge, o Príncipe Harry, o Duque e a Duquesa de Goucester e o Duque e a Duquesa e o Príncipe e a Princesa de Kent.



Alguns cômodos são abertos ao público e o palácio abriga uma exibição fotográfica da princesa Diana, além de uma Coleção de Vestidos Reais de Cerimônias – Royal Ceremonial Dress Collection, com vestidos usados por princesas e rainhas britânicas desde o século XVIII até os dias de hoje.

Pelo caminho, até chegarmos no Palácio, passamos por lagos, monumentos e vimos todo um parque verdinho e ainda florido da primavera!


Chegamos no Kensington Palace e ficamos um pouco por ali, curtindo o lugar, já que não conseguimos pegar o Palácio aberto para visitação  (estava para fechar e já não permitiram nossa entrada).


Então, já que nosso tempo era curto, fomos caminhando até a estação de metrô High Kensington Station, que fica perto do Palácio. Mas antes a gente comprou uma comida japonesa bem na porta do metrô e levamos para comer onde desse.


Dica: nesse lugar da comida japonesa, o preço era um se fosse para viagem e era outro - e mais caro - se fosse para a gente sentar e comer lá.

Restaurante Japonês na entrada da estação de Metrô High Kensington

Nós perdemos um tempinho dentro do metrô para entender qual seria a melhor opção de bilhete para a gente que teria só 1 dia cheio pela frente e já tínhamos o Heathrow Express comprado para voltar para o aeroporto.

Honestamente falando, se eu estivesse sem o Julio, eu teria comprado o bilhete unitário mesmo rsrs... mas como eu sou da área jurídica e ele é o engenheiro, é claro que ele quis entender todas as possibilidades de tickets, de valores ... e no fim, ele concluiu (até agora não entendi a conta dele e desisti lá mesmo de entender... apenas acatei! Kkk) que seria mais interessante comprarmos o OysterTicket, que vale para o metrô e ônibus e para uso durante 24 horas. Ele custou 12£ (sendo 5£ para adquirir o cartão e 7£ para as viagens de metrô. Tivemos que recarregá-lo depois porque esse valor não foi suficiente. 

Ah, o legal do Oyster Ticket é que conseguimos recuperar os 5£ de aquisição do cartão no aeroporto no guichê perto da estação de metrô que chega no aeroporto. Na verdade, disseram para a gente que só daria para recuperar esse valor após 48h de uso, mas conseguimos fazer isso antes das 48h.

Depois desse debate sobre qual melhor bilhete de metrô que iríamos comprar, fomos até a estação Westminster, onde descemos já de frente para o Big Ben. 



Essa estação de metrô Westminster é muito bem localizada e é a melhor, na minha opinião, para começar a explorar as principais atrações turísticas de Londres. Ali você vai dar de cara com o Big Ben, o Parlamento, avistará a Abadia de Westminster, o London Eye, a saída dos passeios de barco pelo Tâmisa... caminhando um pouco, você chegará a vários outros lugares, como o Palácio de Buckingham, Trafalgar Square, Leicester Square, Piccadilly Circus, dentre outros!!



Estação de metrô Westminster e todas as atrações turísticas que a cercam

Fomos ver a Westminster Abbey, que também estava fechada!


Dica: verifique antes os horários de funcionamento das atrações porque muitas fecham por volta das 17h/18h mesmo na primavera e no verão! Como nosso intuito era caminhar e ver os lugares bem mais do que entrar neles, nesse primeiro dia, não teve problema algum. Mas para quem nunca foi e está com o tempo corrido, chegar no lugar e dar de cara na porta, com a atração já fechada, pode ser bem frustrante.


E já que ali em frente à Abadia tinha uma pracinha, sentamos e comemos o lanchinho japa.

Na sequência da caminhada contemplativa que estávamos fazendo, ficamos admirando o belíssimo conjunto arquitetônico gótico do Parlamento e do Big Ben.



Atravessamos a ponte Westiminster e fomos ver de perto o London Eye, verificamos os horários de funcionamento dele e do Aquarium e seguimos caminhando pelo Jubilee Gardens e atravessamos novamente o rio Tâmisa, só que agora pela ponte Hungerford.

De Westminster até Trafalgar Square

Ponte Westminster
Ponte Westminster



London Eye, Parlamento e Big Ben vistos da Ponte Hugerford

Do outro lado do rio, caminhamos até a Trafalgar Square (outra opção mais preguiçosa teria sido pegar o metrô e descer na estação Charing Cross ou Embankment).

Trafalgar Square e National Gallery

Coluna de Colombo

Admiralty Arch que dá início à avenida The Palm, que liga a Trafalgar Square ao Palácio de Buckingham

Vocês conhecem o mapa do metrô de Londres? Veja aqui abaixo:



Parece complicado, né? Mas é basicamente brincar de ligar pontos e verificar qual o melhor trajeto a percorrer para chegar no seu destino final. Prestar atenção na cor das linhas, não perder as conexões e, principalmente, olhar o destino final da linha que você vai pegar porque muitas vezes é o nome do destino final que vai aparecer na placa (da mesma forma como é no Brasil em várias cidades que têm metrô, como no Rio de Janeiro).


Dica: o The National Gallery fica na Trafalgar Square e sua entrada é gratuita. Já o seu vizinho, National Portrait Gallery, tem entrada paga.

Seguimos caminhando no sentido da Leicester Square, que é um lugar ótimo também para fazer lanchinhos e refeições, repleto de bares e restaurantes e sempre muito movimentada pela presença de cinemas.

Ali pertinho fica o restaurante paquistanês Salt andPepper, que fomos conhecer. O lugar estava até meio vazio, mas é bem conceituado e o Julio queria matar a saudade da comida paquistanesa que ele comeu em Birmingham quando lá morou.



Ele adorou! Apimentado do jeito que ele gosta. Já eu tive dificuldade rsrs... pedi ao garçom que me indicasse o prato menos apimentado ou sem pimenta (porque eu já imaginava que o sem pimenta já teria alguma coisa).

Infelizmente, o primeiro prato que me foi sugerido era impossível para o meu paladar com baixa tolerância à comida apimentada. Estava num nível de sentir minha língua dormente. Conversei com o garçom que muito gentilmente recolheu meu prato e sugeriu outro.


O segundo prato era ainda apimentado (embora a propagando tenha sido que este não teria condimentos apimentados rsrs), mas estava em um nível aceitável por mim. Ou melhor, estava no limite! Comi, mas saí de lá um pouco decepcionada comigo mesma, porque descobri que minha experiência com comidas apimentadas no Brasil em restaurantes mexicanos e tailandeses não é o suficiente para encarar um autêntico restaurante paquistanês fora do Brasil, até porque, os restaurantes brasileiros tendem a adaptar bastante para o paladar nosso e devem maneirar, pegando mais leve.

Fiquei encantada em observar que era já 22h e o céu estava com aquela penumbra do crepúsculo, mas ainda não era noite. Estava razoavelmente claro!

Entre Leicester Square e Piccadilly Circus

Continuamos a caminhar e fomos até a Piccadilly Circus para pegar o metrô ali de volta para a estação Paddington e encerrar o dia de passeios, afinal de contas, tínhamos viajado 11 horas de voo e estávamos cansados da maratona do casamento.




Dica: Se chegar na Piccadilly Circus em horário comercial e estiver com disposição para gastar uns pounds, siga pela Regent Street até a Ofxord Street e você verá VÁRIAS lojas maravilhosas de grifes e outras não conhecidas, mas que merecerão uma visita, como lojas especializadas em chás como a Wittard of Chelsea, MNG, Coach, Nespresso, Guess, Juicy Couture, Zara, H&M, Armani Exchange, farmácias... será uma caminhada tentadora! E ali perto da estação de metrô da Piccadilly Circus há vários teatros com peças da Broadway em cartaz que talvez possam interessar a vocês.

Em Londres, você poderá assistir a vários espetáculos, shows, musicais da Broadway que também são apresentados lá. Tem uma cabine da TKTS (a famosa cabine que vende ingressos bem baratos que fica na Times Square de NY) onde é possível comprar ingressos para os espetáculos com descontos incríveis! Mas só vale para aquele mesmo dia da compra. A TKTS de Londres fica na Leicester Square.

Outra dica é que ali também na Piccadilly Circus fica a loja enorme do chocolatinho mais fofo do mundo: M&M. A criançada vai adorar!






Outra loja queridinha de muitos - que não foi dessa vez que eu conheci, até porque não dava para gastar muitas libras por lá - é a Primark! Quem vai lá, jura que vale cada pound gasto! Tem uma na Oxford Street, n. 499, pertinho da estação de metrô Marble Arch.

Nosso segundo dia prometia ser movimentado! Aproveitando a desculpa de que o Tune Hotel não tinha café da manhã, fomos de metrô até o BoroughMarket (estação de metrô London Bridge),  onde tomamos café da manhã experimentando várias guloseimas, comidinhas típicas londrinas, outras nem tanto, queijos, embutidos, cereais, doces, hambúrgueres, sanduíches... havia de tudo um pouco por lá e me surpreendi com seu tamanho!

  


O mais legal é que há várias barraquinhas que oferecem degustações e é uma ótima oportunidade para provar coisas diferentes. Por exemplo, nós comemos uma torta tipicamente londrina com carne de porco e blue cheese e um hambúrguer com um suco detox. 

Aliás, reparei que havia muitos produtos com esse apelo de ser detox, saudável, sem glúten também por lá.



E bem ali ao lado fica o Vinopolis, lugar que eu queria muito conhecer por ter uma obra de arte a céu aberto que são várias sombrinhas penduradas no teto aberto!


Combina muito com Londres, lugar famoso pelas chuvas, terra da emblemática personagem do cinema Mary Poppins e seu guarda-chuva... ou seja, tem que passar pela Vinopolis nem que seja para ver as sombrinhas penduradas!

Como era cedo, tinha nada aberto ainda na Vinopolis, mas pude observar que havia restaurantes bem interessantes para jantar.



O Borough Market funciona para almoço às segundas e terças das 10h às 17h. E funciona integralmente quarta e quinta das 10h às 17h, Sexta das 10h às 18h e Sábado das 8h às 17h. VALE MUITO A PENA CONHECER! 





Você conseguirá degustar muita coisa diferente e bacana (eu destaco os cereais sem glúten, o sorvete de leite de cabra, as comidas indianas, os hambúrgueres... ou seja, a variedade é grande! E, é claro, muitos queijos!)




Dali mesmo, nós seguimos caminhando e primeiro fomos rapidinho até uma parte da London Bridge, para poder ver a Tower Bridge.


London Bridge

Obs.: ali perto também fica o Shakespeare's Globe, uma recriação de um teatro da época das apresentações das peças teatrais de Shakespeare (fica bem perto de onde havia um verdadeiro teatro) na direção da Millennium Bridge. Nunca fui, mas quem foi disse ser interessante. Ele é dedicado às obras de Shakespeare. 

Em seguida, caminhamos pela margem do rio Tâmisa, passando por píers, por navio aberto à visitação (acho que era algum navio da 2ª Guerra Mundial), e seguimos caminhando, olhando a Tower Bridge e a Tower of London.


Tower of  London 

Tower Bridge

Atravessamos a Tower Bridge a pé, que é uma delícia! Lembou-se bastante - guardadas as devidas proporções - a Brooklyn Bridge, que liga o Brooklyn a Manhatan, em NY.




Dentro da Tower Bridge já uma exposição, que não visitamos, porque o nosso tempo era curto e tínhamos muita coisa para ver e fazer. 

Fomos, então, direto para a Tower of London, onde entramos para fazer a visita! Eu já havia feito essa visita em 2010, mas não resisti e fui lá novamente para o Julio conhecer. 




Um lugar fantástico, que já foi residência oficial de reis e rainhas britânicos, que já foi depósito de armas, tesouraria, Casa da Moeda, casa das jóias da coroa e presídio, onde alguns foram executados, como Ana Bolena, nos séculos XVI e XVII, tem muita história para contar ao longo dos seus mais de Mil anos de existência!





O início da sua construção data de 1066, com expansões pelos séculos, até chegar à configuração atual. As atrações imperdíveis dentro do complexo são: as coroas e jóias reais, a Torre Branca, com exposições de armaduras medievais, entrar nas torres com acesso permitido, observar os corvos e tirar a foto clichê com os guardiões da Torre de Londres, que são os guardinhas mais simpáticos da face da Terra! rsrs...

  



Não deixe de tirar foto com os guardinhas! Os guardiões da Torre são os mais fofos! kkkk...



Pegamos o metrô ali colado na Tower of London e fomos até a estação de Westminster de novo!




Dessa vez, chegamos a tempo de fazer a visita com áudio guia na Westminster Abbey! A Abadia de Westminster é um espetáculo! E o áudio guia é imprescindível! Não deixem de fazer a visita guiada pelo áudio guia porque vale a pena para entender a sua história, as coroações, os casamentos, os ilustres que foram nela sepultados em caixões ou não chão! Mas não pode tirar foto lá dentro.





Foi construída em pedra, entre os anos de 1045 e 1050, modificada posteriormente por Henrique III, que adotou um estilo gótico à sua arquitetura. É impressionante se você parar para pensar que a Abadia resistiu aos bombardeios durante a 2ª Guerra Mundial! Mas ainda é possível encontrar em algumas de suas paredes lembranças desse episódio lamentável da história da humanidade. 

Por ser o local das coroações, não deixem de reparar no Trono de Eduardo, o Confessor, onde os monarcas sentam-se e se encontra dentro da Abadia desde 1308.

A visita completa, ouvindo cada passo do áudio, leva algo em torno de uma hora e meia. Foi a minha segunda vez fazendo essa visita e é sempre muito interessante, até porque são tantas as informações 


Cumprida essa etapa e aproveitando o dia longo - que nem dava sinais de anoitecer - fomos visitar o Palácio de Buckingham!

Caminhamos da Abadia de Westminster até o Palácio, passando pelo belíssimo Parque St. James, que vale o passeio pela ponte e lago! Vistas incríveis dele!




Ah, e se der sorte, verá esquilos e patinhos, que estavam mais presentes quando eu fui no outono (aqui eles se escondem na primavera e verão rsrs)


Nossa ida ao Palácio de Buckingham era apenas para ver mesmo.




Nem cogitei de assistir à troca da guarda, até porque ela acontece pelas manhãs, às 11:30h, e dura em média 45 minutos. Agora em setembro, a troca acontece somente nos dias pares. De abril a julho, ela é realizada diariamente.


Também caminhamos um pouco pelo Green Park, que estava verdadeiramente green (verde) e belíssimo!



Quando eu estive lá em novembro de 2010, eu vi uma paisagem totalmente diferente, um parque praticamente dourado, tomado por folhas em tons amarelados, alaranjados e avermelhados... maravilhosa a paisagem de outono! Portanto, vê-lo agora verdinho verdinho foi algo bem legal para comparar.

Mas, na minha humilde opinião, eu prefiro a paisagem de outono!

Depois, nós voltamos caminhando tudo de novo! hahahahha... a gente gosta de caminhar mesmo! Lembrem-se de que estávamos vindo de uma maratona intensa e exaustiva do casamento, porque eram os nossos primeiros dias de lua de mel e, mesmo assim, estávamos tão animados e bem dispostos, que aproveitamos o pique para explorar bastante a cidade.




De volta para a Westminster Bridge, pudemos olhar de novo o Parlamento e o Big Ben!


É possível agendar uma visita ao Parlamento Britânico para assistir a uma das sessões dos Lords ou assistir a um debate da Câmara, além de poder fazer um tour pelo parlamento. Veja mais informações sobre a visita ao Parlamento aqui.

Fomos então para o London Sealife Aquarium! Em 2010, eu não tive curiosidade de entrar, mas dessa vez eu fui conferir!



Como chegamos muito perto do horário de fechamento (funciona das 10h às 19h), a gente teve só uma horinha para percorrer tudo. Acabou sendo o suficiente para apreciarmos os aquários e lermos algumas legendas.



Tem muita informação para quem gosta da vida marinha!


Mas, sinceramente falando, eu esperava muito mais dele! É super organizado, tudo muito limpinho, bonito, o aquário dos tubarões impressiona e é legal observar dentro dos aquários toda a estrutura montada como se fosse o fundo do mar mesmo, com objetos como âncoras e até mesmo Muais (aqueles grandões de pedras da Ilha de Páscoa) aparecem por lá.

No fundo, é um passeio fofo, porém, acho mais interessante para quem está com crianças. Há outros aquários e Zoológicos mais legais do que o Aquarium. E confesso que achei bem caro para o que é, pois custou 23.50 libras quando fui.

Então, já perto do pôr do sol - mais ainda não era o pôr do sol! Aliás, ele estava custando muito a se despedir - resolvemos subir logo na London Eye!



Eu penso que esse seja um passeio indispensável! A vista panorâmica que se tem para a cidade é incrível! O ingresso custa 21.50 libras, mas vale cada centavo! Dá direito a um passeio de 30 minutos dentro da cápsula da roda gigante (que eu juro que parece ser bem mais rápido do isso), e também a assistir a um filme 4D! Não vimos esse filme porque fomos bem no final do dia. Funcionamento das 10h às 20:30h.



Para evitar filas, o legal é comprar com antecedência o ingresso.

A dica é ir em dia claro, de preferência, sem nuvens nem névoas, para poder ter maior alcance de visibilidade.




Como a luz já era de um quase pôr do sol, estava muito claro, o que não favoreceu alguns ângulos para fotos. Mas estava lindo para observar tudo lá do alto!

É muito bom ir depois de ter uma ideia da cidade ou, se não tiver, com um mapa em mãos você poderá localizar facilmente algumas das pontes, o Palácio de Buckingham, o Parlamento, Big Ben, Igreja de St. Paul, jardins, parques, lagos, dentre outros.

Cúpula de St. Paul Cathedral - Dica: vale a pena fazer a visita ao seu interior e subir para a cúpula (eu fiz em 2010!)

Palácio de Buckingham visto da cápsula da London Eye

Após o passeio, pegamos o metrô em Waterloo Station e fomos direto para o Covent Garden, que é um bairro bem perto de Leicester Square e é repleto de pubs e restaurantes descolados. 





Primeiro fizemos uma caminhada para reconhecimento kkk... eu nunca havia estado lá e fiquei encantada com o movimento de gente. Tudo bem que era happy hour, em plena quarta feira, e tinha feito um dia ensolarado, embora frio, portanto, havia muita gente mesmo andando pelas ruas, sentados nas calçadas bebendo um típico chope inglês... gostei bastante do lugar!

Há muitas opções de restaurantes renomados e famosos no Covent Garden, como o Da Mario ou o  Jamie's Italian, do consagrado chef Jamie Oliver.

Caminhamos até o Market de Covent Garden e o Museu do Transporte. Reparei na quantidade de lojas de grifes maravilhosas por lá. Para minha sorte (e alegria do marido), já estavam fechadas kkk..

Ali no Market tem uma franquia do novaiorquino Shake Shack, conhecido pelos turistas de NY pelos seus hambúrgueres e filas!

Mas eu estava com desejo de algo mais típico, mais londrino e escolhemos o Pub Sussex para comer o tradicional fish and chips com uma boa cerveja (fica na 20 Upper St Martins Lane). Não ficamos só no fish and chips e acabamos experimentando novamente a torta londrina de carne de porco e blue cheese. Agora, quentinha, estava bem mais gostosa do que a do Borough Market, que comemos fria. 



Matando meu desejo de comer Fish and Chips

Famosa torta de porco com blue cheese

Os restaurantes começam a fechar por volta das 22h e o preço médio das refeições em pub estava por umas 12 libras. 

COMPRE AQUI OS TICKETS PARA ATRAÇÕES TURÍSTICAS DE LONDRES COM DESCONTOS ONLINE.

Por fim, não compramos o London Pass porque nem tínhamos ideia do quanto conseguiríamos visitar, mas ele é extremamente vantajoso. Alguns valores do que fizemos: London Eye 21,50£ , Westminster Abbey 20£ , Tower of London 24,50£, Aquarium 23,50£.

E assim encerramos a nossa passagem maratonista por Londres! See you soon!!!! And God save the Queen! 

Veja mais dicas de Londres aqui!

Que tal um passeio no carro anfíbio que anda na terra e também navega pelas águas do Rio Tâmisa??


3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Amei as dicas, em especial as de Londres. Lindas fotos!
    Gostaria de saber o modelo da câmera que aparece em algumas fotos, pois estou pesquisando alguns modelos para a minha próxima viagem.
    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kariana
      tudo bom?
      Muito obrigada pelo comentário! Que bom que curtiu nossas fotos.
      Usamos uma Canon T5i com lente 18-200mm
      Além de celular rsrs... e câmera aquática, que tinha na época. Hoje em dia, meu celular é um Samsung Galaxy S6 e tenho também uma GoPro Hero 4 Silver.

      Espero ter ajudado.
      Beijos,
      Lily

      Excluir