quarta-feira, 22 de julho de 2015

Mini Guia da Ilha do Mel / Paraná, na Pousada das Meninas - Tudo o que você Precisa Saber!

Esse era um destino que há muito tempo eu desejava conhecer no litoral paranaense: Ilha do Mel!

Famosa por ser a região de praias mais bonitas do Paraná (muitos dizem que é a única que realmente vale a pena conhecer), a Ilha do Mel, tombada pelo Patrimônio Histórico, Artístico e Natural pelo estado do Paraná, tem fácil acesso para quem estiver em Curitiba e isso é um grande atrativo.

Eu escolhi o feriado da Páscoa, em abril de 2015, para fazer algo diferente e curtir um novo destino. De quebra, aproveitei para passear um pouco em Curitiba e rever familiares e amigos do marido, que é natural do Paraná (tive que importar marido kkkk... as cariocas vão me entender porque a situação está triste)


Praia Grande

Bem... Vamos primeiro falar da Ilha do Mel e depois eu dou umas dicas rápidas de Curitiba, ok?

Nós fomos para o litoral, partindo de Curitiba, de carro, seguindo pela estrada sentido Paranaguá e gastamos cerca de duas horas. A estrada estava boa e tranquila, mas havia um trecho com obras e desvios, por isso é bom não confiar cegamente no GPS e ficar atento às placas.

Optamos pelo porto de Pontal do Sul, que pertence à Paranaguá, de onde saem barcos para Ilha do Mel para seus dois destinos:  Nova Brasília e Encantadas. A outra opção seria pegar o barco em Paranaguá, mas eu, que enjôo muito em viagens longas de barco, nem hesitei em escolher a saída de Ponta do Sul porque o barco levou cerca de 30 minutos, enquanto de Paranaguá poderia chegar a 1h e quarenta minutos.


Ao chegar em Pontal do Sul, fomos logo abordados por várias pessoas dos estacionamentos locais. A dica é não parar logo no primeiro que te oferece porque esses são mais caros e porque, quanto mais perto do porto, melhor.

Nós estávamos de carro (de carona com os amigos Dudu e Mari) e deixamos o carro no estacionamento do Pontal Park, que cobrou 50 reais pelas 3 diárias.


Estacionamento no Pontal do Sul

Demos sorte porque não havíamos comprado os bilhetes para o barco e, embora soubéssemos que a saída dos barcos era mais ou menos de hora e hora (isso porque era feriado! Mas era considerado baixa temporada. Em alta temporada, ou seja, no verão, a frequência passa a ser de meia em meia hora), nós conseguimos comprar os bilhetes logo que chegamos e era bem na hora em que o barco estava prestes a sair.

Mas se você não der essa sorte, também não é o fim do mundo porque há alguns restaurantes em Pontal do Sul onde você pode sentar e esperar o próximo barco.

Antes de embarcar, certifique-se, com a máxima certeza, qual o destino do barco: Nova Brasília ou Encantadas. Não vá pegar o barco errado, hein?


Pontal do Sul

Pontal do Sul

A caminho da Ilha do Mel

Dica: leve o essencial para a Ilha do Mel. Malas grandes e complicadas não são práticas para serem carregadas no barco. O estacionamento onde deixamos o carro tinha uma espécie de carrinho de mão para ajudar a carregar as bagagens. Mas na Ilha do Mel, a não ser que você pague por um carregador de malas ou que a Pousada te ofereça ajuda, o mais comum é que você tenha que se virar sozinho com sua bagagem!

As passagens do barco custaram R$30,00 o total pela ida e volta (abril de 2015)

Foi uma viagem tranquila, sem enjôos, graças a Deus!

E rapidinho avistamos a Ilha do Mel e já começamos a entender a sua geografia.


Nova Brasília

Chegando em Nova Brasília

Trapiche de Nova Brasília

Chegamos. Desembarcamos. Pé na areia. E a vibe estava no ar. Relax, natureza, sossego durante o dia, paz... a Ilha do Mel já foi muito famosa no passado por ser reduto dos hippies e dá para entender bem a razão disso: um pedacinho que se destaca da nossa realidade tumultuada, barulhenta, poluída e cheia de medos e violência ... lá é realmente uma fuga disso tudo!





Não há carros circulando na Ilha do Mel. O transporte mais utilizado, além dos barcos, são as bicicletas. Carrinhos de mão também fazem sucesso para carregar as bagagens, mas achamos o preço um absurdo (em torno dos R$30,00).

Então fomos direto para a Pousada das Meninas, onde a doce Suzi tão bem nos recepcionou, apoiando a nossa estada em parceria com blog, com muito carinho e atenção.

**POUSADA DAS MENINAS**

A Pousada das Meninas fica em Nova Brasília, que é uma das vilas da Ilha do Mel. Ela fica a cerca de 15 minutos de caminhada  (pode ser um pouco mais a depender da sua mala rsrs) do Trapiche de Nova Brasília.



Trapiche? Pois é, os não sulistas podem estranhar essa palavra, como eu. Trapiche é o termo utilizado para se referir ao cais / porto de entrada e saída da ilha.

A Pousada das Meninas já nos encantou logo de cara pela riqueza da decoração

A Suzi, dona da pousada, ao longo de seus quase 30 anos de morada na Ilha do Mel, reuniu diversos objetos e enfeites e os distribuiu pela pousada.

Sabe quando você passa por um lugar onde já esteve e a cada momento você consegue identificar algo novo que nem havia percebido antes? É mais ou menos essa a sensação que tive na Pousada das Meninas.


O Charme da Pousada à Noite

Pousada das Meninas à noite

Com elementos predominantemente rústicos, em madeira, a temática que predomina na decoração não poderia ser outra: o mar! Mas não se assuste se reparar que o banquinho de madeira onde você se sentou tem formato de sapo, por exemplo. E a mística também marca sua presença na decoração.





O nosso quarto era interno, ou seja, não era chalé nem tinha varanda com rede, mas era grande, muito confortável, com cama de casal e uma de solteiro. Acho que a única coisa de que não gostei na decoração foi o tom muito escuro da madeira, o que deixa o ambiente mais escuro também.





Outra coisa que me incomodou também na segunda e terceira noites foi o barulho do assoalho que fazia em cima da gente, pois há um quarto no mezanino, bem em cima do quarto em que fiquei, e o pessoal que entrou na segunda noite era extremamente mau educado e ficava arrastando mala e cama de manhã muito cedo. Foi muito irritante. Já na primeira noite em que dormimos lá, embora houvesse pessoas no mezanino, a gente nem notava a presença. Ou seja, demos azar nesse sentido.

Tudo simples, com ventilador e ar condicionado, TV e frigobar, estante, a suíte nos atendeu bem durante a nossa estada que foi de 3 noites.

O que mais me encantou na pousada, porém, não foi a suíte em que fiquei, mas sim as áreas comuns de lazer.




Uma sala de estar com uma estante repleta de livros e uma TV, uma varanda com sofás, poltronas, banquetas e um cantinho muito fofo e reservado... todos eram muito convidativos e nós aproveitamos bastante com nossos amigos essas áreas de lazer. Tomamos uns vinhos, bebemos cervejas e também petisca nos uma tábua de frutos do mar que a Suzi nos preparou porque a Pousada também tem restaurante.






Por falar no restaurante da Pousada, que funciona durante o dia como café, vocês têm que provar a torta de maracujá com chocolate - Maracolate - que é simplesmente divina! !!




Maracolate - torta de Maracujá com Chocolate

Essa torta é espetacular e só de lembrar já estou salivando aqui ... hummmmm...

Muito do que nos foi oferecido no café da manhã eu percebi que depois era colocado a venda no café. Portanto, além da torta de Maracolate, experimentem também o cupcake de limão que é dos deuses!




Ahhhhh. .. o café da manhã era muito especial e gostoso! Com tudo do que precisamos para começar bem o dia : pães, frios, bolos, tortas, cupcakes, sucos naturais, frutas... muito bom!




A Suzi foi muito atenciosa o tempo todo e nos orientou com o mapa e sobre os passeios que poderíamos fazer.

E no domingo de Páscoa, para nossa surpresa, ela nos deixou um coelhinho feito com as toalhas e "recheado" de ovinhos e bombons.



Dica: Se você optar por se hospedar na Pousada das Meninas, peça para ficar nos quartos dos fundos, pois os quartos da frente acabam sendo mais barulhentos em razão do café da manhã. Agora, se você acorda cedo e não se importa com isso, pois já estará acordado para tomar café da manhã no primeiro horário, então não tem problema.


Chalés do fundo da Pousada

Interior do chalé dos fundos

Chalé da frente, perto do restaurante/café

A Pousada das Meninas conta com nota 8,6 no site Booking.com e com nota 4,5 de 5 (ou seja, equivalente à nota 9 de 10) no site TripAdvisor, com Certificado de Excelência e na posição 9ª do ranking d 42 Pousadas na Ilha do Mel. 

Após a nossa chegada na Ilha do Mel, nós então conhecemos a Pousada das Meninas e fomos correndo para o Farol das Conchas  para assistir ao pôr do sol. Foi uma caminhada de uns 20 minutos até o Farol (em ritmo contemplativo e tirando fotos).










Fazia um dia lindo e o pôr do sol foi mágico! Lindo!

Lá do alto do Farol das Conchas, a visão panorâmica da ilha é sensacional! Tem-se uma bela noção da sua geografia e o que chama atenção é o Istmo, ou seja, uma faixa fina de areia com praia para os dois lados.

Depois descemos e fomos para a Praia de Fora apreciar o fim do dia e seu crepúsculo.





Contaram-me que no passado, não tão distante assim, a água passava de um lado para o outro. Mas hoje em dia, com um possível recuo do mar aliado ao assoreamento da área, tem que caminhar pela areia para ir de uma praia para a outra no istmo.

Além de assistirmos a um maravilhoso pôr do sol e ao nascer da lua, no primeiro dia ainda nós fomos ao Restaurante da Prainha e nos deliciamos com a moqueca de peixe e camarão que era para 3 pessoas, mas serviu bem 4!




E assim foi o primeiro dia na Ilha do Mel, explorando um pouco do ritmo de Nova Brasília.

Mais Dicas:

1) Leve um eficaz repelente! Os borrachudos da Ilha do Mel não perdoam e são vorazes rsrs... leve o seu repelente porque lá na Ilha é caro.

2) Pé na areia = sandálias rasteiras e chinelos... gente, é pé na areia mesmo! O lugar é rústico e simples. Logo, leve roupas leves para a praia e casacos também leves para a noite. Mas é recomendado que você olhe a previsão do tempo antes para não errar na roupa.

3) Leve dinheiro. Eu nem vi caixa eletrônico na ilha e arriscaria dizer que não tem.

4) Uma lanterninha para andar à noite por lá ajuda, viu? Não é frescura. Há vários trechos ficam num verdadeiro breu. Nós usamos por diversas vezes!

5) Não há carros circulando na Ilha nem qualquer tipo de veículo com tração animal. Logo, tenha um mapa em mãos para suas caminhadas, esteja atento às mares e seus horários e não vá para muito longe que não possa depois voltar.

6) Sinal de celular até pega às vezes  (o meu é Oi). Noutras vezes, ficávamos mesmo sem sinal nem 3g. O wifi na Pousada das Meninas era razoável.

7) Ter um mapa em mãos ajuda a entender melhor a geografia da ilha. Há placas indicando as atrações turísticas principais e as praias, mas se tiver dúvida, pergunte!




8) Melhor época: o verão costuma ser quente, porém, mais chuvoso. O inverno é muito frio, porém chove pouco ou não chove. Então eu indicaria mais o início do outono ou o final da primavera, para pegar temperaturas agradáveis e escapar das chuvas. Eu fui no início do abril, que já é início do outono, e fiquei 4 dias (sendo efetivamente 2 dias inteiros e 2 dias pela metade). Foram 3 dias de sol e 1 dia (o último) chuvoso.

No segundo dia, nós levantamos cedo, tomamos o café da manhã delicinha da Pousada das Meninas e fomos atrás de bikes para pedalar! Alugamos com o Toni  (fica no início de Nova Brasília, no caminho do Trapiche, perto da Toca dos Abutres).





Nós fomos pedalando pela praia até a Fortaleza. Como a maré estava rasa, foi um passeio super contemplativo dos cenários incríveis pelos quais passamos!





A Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres é o único monumento militar do século XVIII existente no Paraná, tendo sido concluída em 1769. Nós tentamos passar para a praia seguinte, depois das pedras, mas achamos melhor não arriscar porque a maré estava subindo. 

Depois descobrimos que dava para passar para a próxima praia por dentro da Fortaleza, pois há uma abertura, espécie de portal, que sai na praia seguinte, sem tanto esforço de ter que vencer as pedras. Mas aí já estávamos esperando o Toni levar a bike e ficamos pela Fortaleza mesmo








Dica: antes de sair para pedalar, dê uma olhada na Tábua das Marés. Se tiver dúvida, pergunte alguém da Pousada. A Suzi, da Pousada das Meninas, nos deu a informação do horário da maré mais rasa e do horário que a maré começaria a encher para a gente saber os limites.

Então, levamos um susto porque o pneu de uma das bicicletas estourou e tivemos que ligar para o Toni, que levou outra bicicleta para a gente (demorou um pouco, mas chegou lá, com seu cachorro, levando um pneu para trocar. Ele deixou a bike na qual foi para a gente.)

Nesse meio tempo, enquanto o Toni não chegava, a gente visitou o interior da Fortaleza e fizemos uma pequena trilha, subindo atrás da Fortaleza, até umas ruínas de um ponto de observação e mirante, com canhões ainda em bom estado.







Lembra que eu falei do repelente? Pois bem, essa trilha inocente foi um banquete para os borrachudos, que não perdoavam nada! É sempre bom repassar o repelente várias vezes ao dia porque o suor vai tirando a proteção. Aos alérgicos, redobrem a atenção!

Depois, já com as bikes, nós retornamos e seguimos para a Praia Grande, passando pela Vila de Nova Brasília.








Uma delícia pedalar na Praia Grande! Ela também é famosa pelas ondas que atraem muitos surfistas. Porém, como vocês podem ver pelas fotos, quando fomos, o mar estava bem calminho (ainda bem para mim! rsrs... e uma pena para os que estavam doidos para surfar...)




E ela é grande mesmo rsrs. Fomos até o final da praia e subimos as pedras para tentar alcançar a Praia do Miguel. Mas a maré já estava cheia e ficou difícil.  Nem dava para ir de bike para as Encantadas.

Vimos a Praia do Miguel do alto e descemos as pedras. 



Pegamos a bike e voltamos a pedalar pela Praia Grande até o Resort Grajagan


Praia Grande, vista das pedras que levam à Praia do Miguel

Praia Grande: a água estava uma delícia e não era gelada

Aproveitamos para conhecer o interior do Resort, que é bem bonito, e por lá ficamos, na praia.




Praia Grande, vista do Resort

Almoçamos e esperamos o pôr do sol.





Só um detalhe: a água do mar estava quente! Eu juro! Muito mais agradável do que a temperatura da água do Rio de Janeiro, por exemplo. Eu fiquei surpresa e adorei! Agora, por favor, não vá espera que seja na mesma temperatura das praias nordestinas, viu? rsrs...

Jantamos, nesse dia, em parte no Restaurante da Pousada das Meninas um maravilhoso prato de camarão com peixe grelhado (bem servido e muito saboroso que a Suzi preparou). Exatamente por isso que recomendo o restaurante da Pousada das Meninas para um café da manhã, da tarde ou jantar. Só confirmem o horário de fechamento do restaurante à noite quando estiverem por lá.





E, depois, complementamos com um pouco de comida japonesa bem gostosinha também do restaurante Sushi.



E ficamos na pracinha em frente à Toca dos Abutres, onde rolou uma música com DJ. Na pracinha tem de tudo um pouco: roda de violão, barraquinha de cachorro quente, tapioca, hambúrguer, pessoal conversando e, se quiser conferir, tem o espaço da Toca dos Abutres com mais música.



No terceiro dia de ilha, nós fomos para o outro lado: para a vila de Encantadas. Pegamos um barquinho no trapiche de Brasília (10 reais cada trecho) e fomos para Encantadas.


Enquanto aguardávamos o barquinho para Encantadas... 

Trapiche de Nova Brasília

Praias no caminho entre Nova Brasília e Encantadas, acessadas somente por barco

Trapiche de Encantadas

Chegamos rapidinho lá e, no caminho, passamos por diversas praias mais isoladas e lindas. Dava vontade de ficar nelas...

A vila de Encantadas é uma gracinha e fofa. Gostei mais de lá do que de Brasília, nesse sentido de parecer mais tranquila e mais fofinha.



Mal chegamos e fomos direto conhecer a famosa gruta das Encantadas! Ela é grande e impressiona já de longe. É, sem dúvidas, um grande atrativo.





reparem no tamanho da Gruta das Encantadas, no canto direito da foto

Para chegar nela, fizemos uma trilha muito tranquila e marcada. Havia placas pelo caminho, mas se tiver dúvidas, pergunte! Todos saberão dizer.

Depois de entrarmos na Gruta, caminhamos pelas praias e subimos em 3 morros para vermos do alto a paisagem que era deslumbrante! 





As subidas nesses mirantes naturais nem sempre é facílima, mas também não é muito difícil, viu? Lembrem-se sempre de que eu não sou uma trilheira. Eu fui de chinelo e bolsa de praia, com câmera semi profissional, e sobrevivi! kkkk... ou seja, a trilha será bem fácil para a maioria das pessoas! Pode ser um pouco cansativa, afinal, são morros, mas não deixem de ir!






Lá no final da praia, como se fosse para a Praia do Miguel (aliás, nós vimos a praia do Miguel do alto também!), existe o encontro de um riacho com o mar que é uma delícia para se banhar! Muito gostoso mesmo e a paisagem é belíssima!


Vejam só a Praia do Miguel lá no fundo

O encontro do riacho com o mar das Encantadas: lindo!

Gostei muito da vila de Encantadas. .. um charme! Ficamos na maior parte do tempo caminhando e, depois, corremos para pegar o último horário do barco que ia voltar para Nova Brasília (naquele dia, era às 17h). 

Outra dica, portanto, é sempre se informar sobre o horário do último barco que vai voltar para Nova Brasília (e vice-versa) para não ficar para trás ou ter que pagar por um barco particular.

Ainda deu tempo, pelo caminho até chegar no Trapiche de Encantadas, de comer um milho, açaí e bolo rsrs... São muitas as opções de lanchinhos rápidos, em barraquinhas de rua, ou mais arrumadinhos, em restaurantes.


Trapiche de Encantadas

Voltamos então para Nova Brasília com tempo ainda de subir o Farol das Conchas, de novo, para apreciar o pôr do sol, que foi entre nuvens, infelizmente, mais, ainda assim, muito bonito!





Na sequência, nós fomos almojantar no Restaurante Mar & Sol, que está em 2º lugar no ranking do TripAdvisor e, de fato, foi uma excelente pedida. Não sei se é por que a fome já era grande, mas achei tudo delicioso!

O problema, para variar, eram os mosquitos! Muitos! 

Nós pedimos uma moqueca, por supuesto, que estava dos deuses! Muito saborosa e gostosa! E também pedimos alguns aperitivos, como casquinha de siri e batata frita, para dar sustância (o povo estava com fome mesmo rsrs).





À noite, mesmo exaustos, fomos à Toca dos Abutres, onde teve um show de uma banda famosa no Paraná que é natural da Ilha do Mel. Na verdade, nós perdemos o show porque capotamos depois da moqueca e só acordamos lá para 01:30 da madrugada kkk... mas fomos, mesmo assim, lá na Toca para ver os amigos e curtir o restinho da noite, com muita música e animação!

No quarto dia, a gente acordou com o tempo chuvoso e feio... =(( 

A ideia até seria a de ficar e aproveitar a manhã na Ilha do Mel para voltar de tarde e passar o restinho do domingo de Páscoa com a família em Curitiba, mas São Pedro facilitou o nosso lado e nós nos despedimos mais cedo da ilha. 

Acordamos, tomamos café, juntamos nossos trapos e fomos para o Trapiche de Nova Brasília pegar o barquinho de volta para o Pontal do Sul.

Se eu tivesse um dia a mais, teria feito o passeio de barco ao criadouro de ostras ou até mesmo alugado um barco para chegar em praias de difícil acesso como a do Bananal, que fica no caminho entre Brasília e Encantadas. Ou seja, ficará para a próxima!

Então, gostaram? Espero que sim! A Ilha do Mel é destinada a muitas tribos, casais românticos, amigos, surfistas (a Praia Grande também é famosa pelas ondas, embora nós não tenhamos visto), famílias, crianças... ou seja, todos que gostam da natureza!

COMO CHEGAR NA ILHA DO MEL:

** Ônibus - Rodoviária de Curitiba: Pegar ônibus da viação Graciosa e solicitar como destino o porto de embarque para a Ilha do Mel em Balneário de Pontal do Sul. A passagem está em torno de R$25,00 (preço de abril de 2015) até o ponto de embarque para a Ilha.

Quando comprar a passagem de ônibus da viação Graciosa, solicite como destino o porto de embarque para a Ilha do Mel em Pontal do Sul. É importante avisar o destino, caso contrário você vai desembarcar na rodoviária de Pontal do Sul e precisará pegar táxi até o porto de embarque para a Ilha do Mel.

** De Carro - Saindo de Curitiba, pegue a estrada das praias em direção à Paranaguá. Depois da descida da serra, passando pelo posto da Polícia Rodoviária, pegue a segunda entrada à direita em direção à Praia de Leste/Pontal do Paraná. Siga então até o Pontal do Sul,onde irá guardar seu carro em um dos estacionamentos do trapiche de embarque para a Ilha do Mel. Na alta temporada e feriados, o barco sai de 30 em 30 minutos, a partir das 08:00 da manhã até às 20:00. Chegando na Ilha, caminhe à direita pela trilha principal por 400 metros até chegar na Pousada das Meninas.

** De Trem - Caso opte pela bela descida de trem, que é um passeio bem bonito, durante a semana, ele somente vai até a cidade de Morretes (aos domingos chega até a cidade de Paranaguá).

Em Morretes é possível pegar um ônibus com destino à cidade de Paranaguá, diariamente, pelas empresas Viação Graciosa ou Viação Marumbi. Intermunicipal, que opera de de 40 em 40 minutos, sendo esta a opção mais econômica, porém, menos confortável.

Em Paranaguá, tanto é possível utilizar o terminal de embarque para a Ilha do Mel, na Rua da Praia, com tempo de travessia em torno de 1 hora e quarenta minutos, e a saída do barco ocorre duas vezes ao dia: às 09:30 e às 15:30. Ou pode-se fretar uma Van ou táxi até Pontal do Sul.




32 comentários:

  1. Oie, adorei as dicas estou pensando em ir com meu namorado no feriado de carnaval, tu foste neste ano pelo que entendi... tens umas dicas de quanto se gasta por lá, pois realmente não tem banco e não queremos sair desprevenidos e queria saber se aceitam cartão por lá, a principio vamos de excursão somos do interior do RS e vamos ficar em pousada com quartos coletivos e tal.. então temos que cuidar a questão de segurança....
    Obrigada pelas dicas, abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    tudo bom?
    Que bacana! Espero que goste! É claro que no Carnaval o movimento na Ilha será bem maior do que o que eu vi. Provavelmente, nas vilas, o agito deve ser grande... mas acredito que dê para curtir bastante mesmo assim.
    Com relação aos valores, a média dos pratos que pedimos, que eram pratos que dividimos em até 4 pessoas, era em torno de R$100,00 a moqueca, por exemplo.
    Em relação à hospedagem, é bom mesmo você verificar a questão desse quarto coletivo. Os preços no carnaval são bem elevados.
    O passeio de bike ficou em torno dos R$30,00 a diária, salvo engano... mas terei que confirmar isso.
    Mas na Ilha há muitas opções de lanches mais simples, sanduíches, barraquinhas de rua de cachorro quente, tapioca... você consegue ir para lá sim e economizar, não gastar muito. E isso vale para Nova Brasília e para Encantadas também.
    Espero ter ajudado,
    bjos,
    Lily

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Olá, Luisa!
      Tudo bom?
      Que legal! Muito obrigada pelo seu comentário!
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  4. Jayane Nascimento30 de julho de 2016 21:27

    Amei muito as dicas, já anotei tudo. Tenho muita vontade de conhecer, estou pensando em ir no ferido de 15 de Novembro.
    Obrigada pelas dicas!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jayane!
      Tudo bom? Que bom que gostou das dicas! Nós tivemos ótimos momentos na Ilha do Mel!
      Depois volte aqui para contar para a gente como foi!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  5. Boa noite Lily, qual região da ilha você sugere se hospedar ? Pretendemos passear na Ilha no próximo feriado do dia 15 e gostariamos de ficar numa parte da ilha que fique próximo das praias calmas e restaurantes. Não gostaria de ficar numa pousada distante de tudo. Qual região da Ilha você aconselha se hospedar ? Obrigado, Cezar.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Cezar! Você chegou a ler a nossa matéria completa? Pois nela eu contei como foi a nossa experiência de hospedagem em Nova Brasília. Gostamos muito de lá e adoramos a Pousada das Meninas! Achei prática a localização para fazer os passeios e depois ir aos restaurantes. Mas isso é questão de estilo, pois tem quem prefira ficar na Vila das Encantadas, que é bem fofa...
    Depois me conte como foi a sua experiência e onde resolveu ficar.
    Abraços,
    Lily

    ResponderExcluir
  7. Adorei a matéria, mas gostaria de pedir uma opinião. Neste fim de ano vou passar oito dias na Ilha do Mel no lado da vila de Encantadas, mas estou em dúvida se realmente a Ilha do Mel vai conseguir preencher oito dias diferentes de estada...

    ResponderExcluir
  8. Olá, Amanda! tudo bom?

    Fico muito feliz por ter gostado. Sobre a quantidade de dias, olha... eu fiquei 3 dias e fiz tudo rsrs... mas não relaxei muito, sabe? Eu fiz na correria... acho que 4 dias você faz tudo com muita folga e tranquilidade... mas 8 dias serão muito sim... a não ser que você queira aprender a surfar, de repente... daí pode fazer aulas por lá também.

    Bjs e depois me conte o que decidiu e como foi.

    Lily

    ResponderExcluir
  9. Olá Lily, tudo bem? Adorei as dicas, são bem completas, parabéns pelo blog.
    É necessário levar cadeiras e guarda sol? ou lá tem para aluguel?

    Obrigada (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana!
      Primeiramente, desculpa por não ter respondido antes. Estive viajando e com restrição no acesso à internet. A depender das praias, há sim cadeiras e barracas para alugar. Mas as praias para o lado das Encantadas, as mais afastadas, não tinham tanta ifraestrutura quando eu fui em abril. De repente no verão até tem.
      Depois nos conte como foi a sua experiência na Ilha do Mel!
      Feliz 2017!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  10. Olá Lily!!! Maravilhoso relato sobre a ilha (um dos melhores que encontrei até agora)...
    Pretendo dar uma passada pela ilha no final de março e começo de abril, e gostei muito das suas dicas por ter passado por lá quase nessa mesma época do ano.
    Enfim, vou ir com minha esposa e um filho de 2 aninhos, pretendo passar 3 dias na ilha e sei que não vou conseguir fazer tudo mesmo já que vamos ter que ir com mais calma por conta dele, tenho uma dúvida que está me preocupando bastante, estou procurando por vagas em pousadas nos sites (booking, tripadivisor, etc...) e pra minha surpresa a maioria das pousadas aparecem estar lotadas já para o final de março, porém acredito que por conta do carnaval esteja tendo muita procura e estes sites não tem informação exata das datas, até porque entrei em contato com alguma das pousadas (e só uma me respondeu) dizendo que nem preço eles tinham ainda para o período de março/abril. Sem mais delongas, na época que você foi lá você acha que eu teria problemas em encontrar algum lugar para ficar sem ter reservado antes? A ilha estava cheia? Lembrando que camping não é uma opção para nós, precisamos de pelo menos um quartinho com banheiro privativo.

    Obrigado pela atenção, e mais uma vez parabéns pelo artigo, foi de muita ajuda!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Tim!
      Tudo certinho?
      Maravilha!! Vocês vão curtir bastante a Ilha. Nós demos sorte e pegamos um bom tempo por lá.

      Bem, sobre chegar lá na hora e procurar uma hospedagem, é sempre arriscado. Eu particularmente não gosto muito disso, sabe? Prefiro sempre viajar com tudo planejado, principalmente ser for feriado. Mas se não for feriado e já estiver em baixa temporada, após verão, você pode sim contar com a sorte.

      Você falou com a Pousada das Meninas, onde eu e Julio ficamos hospedados? Lá foi ótimo!

      Abraços e depois nos conte como fez e as novidades da Ilha do Mel!

      Lily

      Excluir
  11. Tinha lido o seu post antes de ir pra Floripa. A ideia inicial era a Ilha do Mel, mas acabamos deixando para resolver em cima da hora.. Gostei da sua dica de andar de bicicleta pela ilha e o forte parece ser bem interessante. Pena que a bike quebrou e vcs nao puderam ir mais adiante. Guardei suas dicas para uma proxima oportuniadde. Bjao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Dani! Que legal ver seu comentário aqui! Muito obrigada!

      E quando der para visitar a Ilha, vá sim! O lugar é uma gracinha, sabe? Eu estava dando nada por lá e planejei a viagem muito em função de estar com os amigos do Julio. No final das contas, foi uma grata surpresa e a gente se divertiu bastante!

      Beijo grande,
      Lily

      Excluir
  12. Parabéns pelo Post. Gostei muito, estou planejando de ir ao paraná em Agosto e tenho a intenção de passar uns dois dias na Ilha, como será o tempo nesta época lá? Obrigado pelas dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii! Tudo bom?
      Olha, não sei dizer como estará o tempo, mas agosto costuma ser um mês mais frio no sul. Então, pode até fazer sol por lá, mas talvez não esteja muito quente para curtir a praia, mergulhar etc... Quando fomos era início de abril e eu já sentia frio no final da tarde e início da noite.

      Depois conte para a gente se você foi e como foi a experiência.

      Abraços,
      Lily

      Excluir
  13. Olá, tudo bem??
    Adoreeei o blog, as dicas... tudo!!
    Queria saber sobre essa foto que vi algúem fazendo vôo livre rs sabe se lá na ilha tem alguma empresa que opera?

    Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gislaine

      tudo bom? Que bom que curtiu nossas dicas. Seja sempre bem vinda!
      Olha, realmente não sei informar sobre o ultraleve (era um ultraleve e não asa delta). Mas acho que o pessoal de lá mesmo, se você enviar email, até mesmo para a Pousada das Meninas, eles poderão ajudar.
      Depois me conte como foi!
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  14. Oi, LilY! O percurso do passeio que vocês fizeram de bicicleta dá para fazer a pé? Não sei andar de bicicleta e estou pensando em ir para Curitiba e dar uma esticada até a Ilha do Mel. Queria ficar só uma noite na ilha. Você acha que vale a pena? Obrigada e parabéns pelo relato completíssimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Suzy
      tudo bom?
      Esse passeio é ótimo sim e super recomendável fazer a pé. Só fique atenta à maré, para ir e voltar nos horários certos sem problemas com a maré.
      Eu acho que você pode ficar 2 noites para compensar o tempo de deslocamento, salvo se você chegar lá bem cedinho e for embora no dia seguinte de tarde, podendo aproveitar praticamente dois dias, sabe? Aí eu acho que compensa.
      Que bom que curtiu nosso roteiro!
      Aproveite bastante... essa ilha é um pequeno paraíso!
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir
  15. Olá! Antes de mais nada, obrigado por nos relatar a sua viagem, com certeza você ajuda muito outros viajantes... Descerei de trem pra Morretes, sabe dizer se tem transporte que vai para o porto de Pontal do Sul e vice versa? Se eu tiver que ir para Paranaguá, há transporte publico que vai para Pontal do Sul ou só táxi mesmo? Muito obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Israel
      tudo bom?
      Que legal! Esse passeio até Morretes é muito bonito. Olha, de Morretes até a Ilha do Mel, sugerimos que você pegue um ônibus da viação Graciosa até Paranaguá. Mas é ônibus normal, de linha, sabe?

      Em Morretes é possível pegar um ônibus com destino à cidade de Paranaguá, diariamente, pelas empresas Viação Graciosa ou Viação Marumbi. Intermunicipal, que opera de de 40 em 40 minutos, sendo esta a opção mais econômica, porém, mas menos confortável.

      Em Paranaguá, tanto é possível utilizar o terminal de embarque para a Ilha do Mel, na Rua da Praia, com tempo de travessia em torno de 1 hora e quarenta minutos, e a saída do barco ocorre duas vezes ao dia: às 09:30 e às 15:30. Ou pode-se fretar uma Van ou táxi até Pontal do Sul.

      Não sei informar se de Morretes há um ônibus direto para Pontal do Sul. Acho que não.

      Espero ter ajudado.
      abraços,
      Lily

      Excluir
  16. Lily

    que por do sol sensacional, fiquei encantada. Agora dizer que a água no mar do sul é quente foi inacreditável. Só acreditei porque foi você quem falou, porque nunca iria imaginar. Adorei a pousada e o passeio de bike, tudo do jeito que e gosto. PArabéns pelo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahah... eu juuuuro por tudo que é mais sagrado! Eu não sei informar se dei sorte ou se é sempre assim. Acho que pode ter sido influência de alguma corrente mais quentinha passando por ali na época. Em todo caso, é um lugar lindo que merece ser divulgado, viu? Muita gente costuma dizer que o litoral do Paraná não tem graça.... não posso falar do litoral inteiro, mas a Ilha do Mel tem seu valor!

      Beijos,
      Lily

      Excluir
  17. Que delicinha de cantinho.
    Super charmoso e rústico, ainda não conheço e adorei as diiicass

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manu vai amar, Cris! A minha única sugestão é ir em épocas mais quentinhas, para curtir mais, porque no inverno faz muito frio!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  18. Lily, como sempre seus posts são super completos e detalhados. Que destino lindo... Já havia escutado, mas nunca tinha pesquisado a respeito. Despertou minha curiosidade. Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que vocês vão lá um dia sim. Vale a pena. O lugar tem seu encanto... uma delícia, viu? Daquelas vibes gostosas que a gente guarda para sempre... quando forem, contem para a gente como foi!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  19. Lendo esse post pela 2x.. kkkk... ano passado estava muito na dúvida se iria para Floripa ou Ilha do Mel. Acabei optando por Floripa pois tinha pouco tempo e já conheço Florianópolis.
    Amo as suas dicas pois sempre são bem detalhadas. Que chato que houve um probleminha com a bicicleta. Atrapalha um bocado o tempo da viagem, não é?! Que bom que no final deu tudo certo.
    Dica de hospedagem anotada! Bjao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sim... foi mesmo, Dani! Mas sempre é tempo de curtir um novo destino, não é mesmo? O bom é que logo logo começará a esquentar mais e, no verão, deve ser ainda melhor para curtir o calor e dar um tibum por lá. O lance da bike foi chato, mas a pausa foi próxima ao forte, portanto, não prejudicou o passeio e o rapaz nos deu assistência. No final, foi resolvido. Faz parte, né?
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir