sábado, 21 de março de 2015

Forte Duque de Caxias: Leme - Rio de Janeiro, uma trilha tranquila e muita história a contar!


Recentemente eu fiz um passeio bem legal no Rio de Janeiro, ao Forte Duque de Caxias, mais comumente conhecido como Forte do Leme.


É bem fácil de chegar lá: se for de metrô, você pode descer na estação Arcoverde em Copacabana e ir caminhando pela praia, no sentido do Leme, que é uma caminhada bem agradável e deve levar no máximo uns 20 minutos (em passos normais) até chegar ao final da praia do Leme, onde está o Forte.

Se preferir ir de ônibus, as linhas 472 e 190 também deixam ali perto. Ou, outra opção é ir de táxi ou de carro, pois, como a praia do Leme não é tão disputada como as demais praias da orla e tem bastante vaga na praia, não é difícil encontrar vaga para estacionar por ali.

Logo na entrada do Forte há uma guarita onde se deve pagar a entrada (preço em março de 2015: R$4,00 por pessoa). Mas os que apresentam identidade militar estão isentos desse valor.

Não se pode passar de carro desta guarita em diante. Então, nós que fomos de táxi, ficamos por ali mesmo e fomos caminhando.


Primeiro, entramos ao lado do Centro de Estudos de Pessoal e passamos por um pátio, já beirando o morro do Leme.






Dali, após algumas escadas, começamos a trilha, que é bem leve, tranquila, bem marcada em paralelepípedos e, em poucos minutos, começamos a avistar o mar de um lado.


O curioso dessa subida ao Forte do Leme é reparar nos Passos da Paixão de Cristo, que são mostrados ao longo do caminho.

Não deixem também de observar a natureza ao seu redor e os vários - são muitos - miquinhos que acompanhando a nossa subida.






É uma subida de 800 metros, bastante arborizada, com certa ventilação (não é abafada) e nós fizemos em cerca de 20 minutos ou pouco mais, pois fui parando para fotografar os miquinhos e ler um pouco dos textos que são apresentados pelo caminho (passos da Paixão de Cristo e sobre a APA - área de poteção ambiental da área).

Importante ressaltar que toda a região foi bastante desmatada no passado, até pela questão de defesa e atividades do Forte. Mas, já há alguns anos, vem passando por processos de reflorestamento bem sucedidos e de preservação ambiental.

Chegando ao topo do montanha, já de longe vemos a entrada do Forte!




Do lado de fora, vale a pena subir em uma espécie de pequeno mirante, de onde se vê bem o Cristo Redentor e as praias do Leme e Copacabana.

Mas se não quiser subir, também  não precisa porque há vários mirantes em cima do Forte de onde se pode avistar belas paisagens da orla.




Eu fui direto para a parte de cima, onde estão as "bocas" dos canhões e de onde se pode suspirar, de um lado, contemplando a orla e o Cristo Redentor, e de outro lado, olhando a bela paisagem que se descortina do Pão de Açúcar e da entrada da Baía de Guanabara, podendo-se observar um pouco de Niterói também.





É muito lindo mesmo! Eu não fazia ideia de como a vista lá do alto era tão legal e pude ter uma nova perspectiva do Pão de Açúcar.

O curioso é que ver que a linha do bonidinho do Pão de Açúcar não é em "linha reta" entre o Pão de Açúcar e o Morro da Urca e do Morro da Urca para a Praia Vermelha, mas sim em espécie de perpendicular. Achei engraçado perceber isso.





O Forte foi construiído entre 1776 e 1779, no período imperial, quando era conhecido como o Forte do Vigia com a missão de avistar com antecedência possíveis invasores, em uma época em que  ainda havia ameaças de invasões de corsários, franceses, holandeses e, principalmente, espanhóis, podendo avisar as fortalezas de Santa Cruz e do Rio de Janeiro, na Urca.

Em 1789, o Forte teve a presença de Tiradentes - Joaquim José da Silva Xavier, que lá serviu por um breve período.




Em 1895, ele foi reformado e, após a Proclamação da República Brasileira, passou a se chamar Forte do Leme. Em 1935, finalmente adotou o nome atual: Forte Duque de Caxias, como homenagem ao Patrono do Exército Brasileiro.

Todavia, a atividade do Forte não foi das mais intensas. Em 1922, o forte foi atingido por tiros de canhão do Forte de Copacabana, dentro do cenário da Revolta dos 18 do Forte, sendo que um dos tiros atingiu o refeitório e matou quatro praças. 

Em 1924, a artilharia forte disparou contra o Encouraçado São Paulo, dentro do contexto da revolta dos Tenentistas. 



Em 1930, teve participação na interceptação do navio alemão Baden, que tentava abondonar o porto do Rio de Janeiro sem permissão e recebeu tiros do forte em resposta e sinal de advertência.



Um episódio curioso aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial, em que o Forte do Leme começou a disparar contra supostos submarinos alemães e foi seguido no bombardeio pelos Fortes de Copacabana, Santa Cruz e São João. Depois, perceberam que eram baleias e não submarinos! Ainda bem que nenhuma delas ficou ferida.








Os últimos disparos foram em 1955 e, desde então, o forte não teve mais atividade. Hoje em dia, é uma fortificação militar inativa.

Hoje, na visita ao Forte, é possível chegar perto dos 4 obuseiros (pequenos canhões alemães da marca Krupp) e ver a exposição fixa sobre a história do Forte, sobre a vida de Duque de Caxias, assitir a um filminho que também mostra um pouco sobre o Forte.







Há exposições temporárias sobre a preservação ambiental também.

Lá dentro tem banheiro (estava bem fedorento quando eu fui) e bebedouro.

E você pode ver de perto alguns instrumentos usados na época para medir a precisão do alcance das balas lançadas pelos canhões.


O agendamento de visitas para grupos pode ser feito por telefone (21) 3223-5076, ou por meio do e-mail: divisaodoforte.cep@gmail.com

Visitação/ Visiting Hours:

Terça-feira a domingo: 9h30 às 16h30

OBSERVAÇÕES:
  • Maiores de 60 anos, crianças até 10 anos e militares das Forças Armadas/dependentes diretos têm gratuidade, válida somente para a a caminhada ecológica.
  • A visitação é gratuita às terças-feiras.
  • É proibido utilizar trajes de banho e transitar sem camisa na trilha ou visitação ao Sítio Histórico.
  • É proibido conduzir ou consumir bebidas alcoólicas na trilha ou na visitação ao Sítio Histórico.
  • Durante o horário de verão, o forte Duque de Caxias estará funcionando das 08h30 às 16h30. Em dia de chuva, as visitas são suspensas.
E depois de visitar o Forte do Leme, na descida também pudemos ver vários miquinhos fofos!!!

Uma fêmea estava até carregando dois filhotes nas costas... coisa mais linda!



E na sequência, para aproveitar o passeio, que tal dar uma voltinha no Leme e conhecer o Caminho dos Pescadores?

É um cantinho junto à pedra do Leme onde há pouco tempo a Prefeitura organizou quiosques bem estruturados de onde se tem uma bela vista para toda a orla do Leme e Copacabana. Aí o seu passeio fica ainda mais completo.







2 comentários: