sábado, 6 de dezembro de 2014

China: um dia no Jardim de Verão, por Roberta Clarissa Leite

Passeios pela China – um dia no Jardim de Verão
por Roberta Clarissa Leite


Uma viagem a grandiosa China é uma possibilidade única de presenciar muitas cidades interessantes, um povo simpático e uma comida exótica e saborosa.

Não é difícil imaginar o quando o país é variado, guardando surpresas de norte a sul, desde os campos de chá, às montanhas e as populosas metropólis.  Minha viagem foi dividida nas seguintes cidades: Peking, Xian, Chengdu, Xangai e o Tibete, que desde 1950 pertence à República Federativa da China.

Colina da Longevidade
No artigo de hoje vou destacar um passeio feito Peking, o Palácio de Verão, em chinês, “Yiheyuan" significa Jardim da Harmonia Cultivada. É uma grande área com um lago artificial, o Lago Kunming está tão bem incorporado à paisagem que para o visitante mais desavisado parece natural. É um belo modelo de jardim imperial, construído por volta de 1750. Serviu como local de estadia durante o verão para imperadores.

O Jardim foi atacado duas vezes, na invasão aliada anglo-francesa de 1860 e durante o Levante dos Boxers, um ataque por parte das forças aliadas em 1900. Passou por reconstruções em 1886 e 1902. Já em 1990 entrou para a lista da Unesco, além de local de visita turística serve como parque recreativo para os chineses.

**O que ver no Jardim de Verão**

O destaque é a arquitetura em várias partes do Jardim. Na Colina da Longevidade, se vê ao longe o Pagode do Incenso Budista, uma construção que se impõe em toda a vista.  Mas antes de chegar lá você vai passar pelo Pátio Principal, onde já avista vários palácios, com detalhes em madeira e telhados típicos chineses.

Longo corredor: um corredor com 728 metros leva você para a outra parte do Jardim Imperial, sobre o corredor há uma estrutura de madeira, toda trabalhada e pintada à mão, com imagens de pássaros, flores, paisagens, uma bela obra de arte.



Longo Corredor
Barco de Mármore


Barco de Mármore

Após percorrer todo o corredor você encontra um barco feito em mármore, “atracado” à beira do lago. É um luxuoso barco e mais uma vez uma peça da arte chinesa. Na época em que foi construído, serviu de metáfora para o imperador da dinastia Tang, “a água que suporta um barco de mármore é a mesma que o afunda”, a frase foi dita por um conselheiro e significava a força do povo comparada à água, para que o imperador sempre cuidasse do seu povo e nunca deixasse o barco afundar.

Seguido adiante próximo à Colina da Longevidade há vários prédios, pequenos palácios e jardins. É um conjunto arquitetônico chinês onde no centro se ergue o Templo da Virtude Budista. O templo fica à uma altura de 60 metros, do topo uma bela vista com o lago no fundo do cenário.

Há um passeio no barco Dragão, através do qual é possível ver o Palácio ao redor e inclusive observar a ponte dos Dezessete Arcos e a Ponte Cinco de Jade, destaques da arquitetura local também. Há também pequenos barcos, alugados no local, para grupos de apenas 5 pessoas.

Toda a viagem pela Ásia foi tranquila, comida excelente e, para minha surpresa, um povo extremamente hospitaleiro. Optei por fazer o seguro viagem Ásia porque englobava também outros destinos seguidos durantes meu mochilão de 22 dias pelo continente. 

Um conselho: nunca deixe de levar um bom protetor solar e ter uma garrafinha de água sempre com você, já que a China, no mês de agosto quando fui, é muito quente!! 

Mais detalhes sobre o Palácio, indico este site (clique aqui).


Detalhes do Telhado






Nenhum comentário:

Postar um comentário