quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Dois passeios imperdíveis em Nova York, por Rebeca de Souza

"Start spreading the news, I am leaving today.
I want to be a part of it, New York, New York.
These vagabond shoes, are longing to stray
Right through the very heart of it, New York, New York.
I wanna wake up in that city that doesn't sleep.
And find I'm king of the hill, top of the heap"

Como não lembrar dos olhos azuis mais famosos da história da música e cinema? Sim, Nova York respira Frank Sinatra! E sempre me vem à memória a sua clássica música em tributo à cidade mais amada, mais cosmopolita, mais agitada, mais destruída em filmes hollywoodianos... sim, Nova York é tudo isso e muito mais!

Para outras informações sobre Nova York, veja o nosso Post-Índice sobre tudo o que fiz por lá quando fui em 2010.

COMPRE AQUI SEUS INGRESSOS COM DESCONTOS PARA ATRAÇÕES TURÍSTICAS DE NY E EVITE FILAS!

Agora, com vocês, dois passeios que eu ainda não fiz e pretendo fazer muito em breve que minha amiga Rebeca, colaboradora do Apaixonados por Viagens, compartilhou conosco. Confiram!

Washington Square

** Dois passeios imperdíveis em Nova York, por Rebeca **

Nova York é um destino muito procurado por turistas brasileiros e, portanto, não é nada complicado encontrar roteiros e dicas sobre a cidade. Aqui mesmo no Apaixonados por Viagens, tem muitos posts escritos pela Lilly e por outros colaboradores, os quais foram utilizados para eu construir um  roteiro objetivo, diluído em nove dias na cidade que nunca dorme. 


Aliás, o meu planejamento para Nova York, para onde viajei em meados de maio deste ano (2014), foi literalmente, por água abaixo. Era primavera, mas fazia frio e chovia incessantemente, o que fez com que o roteiro fosse revisado diariamente em função da previsão do tempo e não mais da localização dos inúmeros pontos turísticos da cidade.  Parece que maio é o mês mais chuvoso em NY, mas só soube disso quando cheguei lá... Mas esse contratempo não nos impediu de conhecer a cidade.  Do que planejamos, apenas a visita ao Metropolitan Museum e ao Empire State foram prejudicadas: no MET o tempo foi muito curto e no Empire State, foi chegar no observatório, olhar, e voltar ao prédio, porque, contrariando a nossa previsão, caiu um temporal.

Eu sou apaixonada por cidades, gosto de observar os prédios, as praças, as ruas, as pessoas e tudo aquilo que compõe o “meio ambiente urbano” e como informações sobre as atrações turísticas e museus em Nova York é o que não falta, a minha intenção é compartilhar com o leitores do Apaixonados por Viagens os dois dias mais legais da viagem a Nova York, os quais passei  caminhando, observando e fotografando Williansburg, The High Line Park, Chealsea Market, Meetpacking, West Village e Washington Square.


** Williansburg **

A dica de Williansburg eu peguei no Viaje na Viagem, mas não seguimos exatamente o roteiro proposto pelo Ricardo Freire, não só porque não gostamos de roteiros muito fechadinhos, mas também por causa do tempo instável.


Programamos a ida a Wiiliansburg em um sábado e felizmente São Pedro colaborou e o sol apareceu logo pela manhã. Pra não perder tempo, fomos para Williansburg de metrô (linha L do metrô).  Chegamos por volta das 10:30 (estávamos hospedadas na 51E, peguei o metrô 6 até a Union Square e de lá o metrô L até a Bedford Avenue) e o local parecia ainda estar acordando... os cafés abrindo, algumas lojas fechadas, as ruas vazias. Pra começar o nosso passeio pelo charmoso bairro, fomos direto para Smorgasburg, uma feira de comida bem próxima a estação do ferry boat.

(Se optar pelo ferry boat, este tanto sai do Pier 11 - East River Ferry, à altura de Wall Street, quanto do Terminal/Píer entre as ruas 35 e 34, daí, depois de atravessar para a outra margem, você descerá no Píer da rua 6 Norte em Williansburg, que é a terceira parada do ferry).

Smorgasburg - Williansburg

Assim como Williansburg, a feira também estava abrindo e aproveitamos para conhecê-la antes de fazer o nosso lanchinho... Lá vende de tudo: caramelos, chás, temperos, embutidos, cupcake, picolé, sanduíche, taco, waffle com frango (não estou maluca, é isso mesmo), etc. 


Smorgasburg - Williansburg

Num piscar de olhos, a feira encheu e logo avistei a maior de todas as filas, a do Ramen Burger by Kenzo Shinamto, que apesar de já ter ouvido falar, não era a minha primeira opção de lanche, pois eu achava que era mais um hambúrguer... 

Smorgasburg - Williansburg

Na verdade é quase isso, porque ao invés do tradicional pão, a carne fica entre noodles prensados e grelhados! Bem, minha curiosidade gastronômica foi maior e decidi enfrentar a super fila para comer o “hambúrguer de miojo”, como eu o apelidei. E valeu a pena!! 


Hambúrguer de Miojo do Ramen Burger by Kenzo Shinamto

Após o lanche, saímos da feira e fomos conhecer melhor o local.  Começamos pelo Hotel Whyte (esquina da rua 11 com Whyte), conhecido pelo roof top bar, perfeito para um drink no fim de tarde. Mas era cedo e o bar só abria as 16hs... 



Hoel Whyte - Williansburg

Este hotel fica bem em frente a cervejaria Brooklyn Brewery e aproveitamos para pegar nossa pulseirinha para visitá-la no fim da tarde.  Seguimos caminhando pelas charmosas ruas do Williansburg, que já estavam bem movimentas, pois lá é repleto de restaurantes, bares, cafés e lojinhas descoladas. 

Williansburg

Williansburg

Williansburg

Após esse passeio, retornamos à Brooklyn Brewery para beber uma cervejinha e visitar a fábrica.  Para quem, como eu,  não é super fluente em inglês, a visita é um pouco cansativa... os visitantes são majoritariamente americanos, o guia fala super rápido, usa muitas gírias, contas muitas piadas e a fábrica...  não tem nada demais. 



Brooklyn Brewery - Williansbur

Mas matou a minha curiosidade cervejeira e me deu uma informação importante: Wiiliansbourg está ficando popular e não vai demorar muito para perder as  suas características tão peculiares e a prova disso, segundo o guia, é a chegada da primeira loja da franquia do Dunkin Donuts!

Williansburg

Saímos da cervejaria por volta das 17hs, o tempo já estava fechando, mas caminhamos até a estação do ferry e a chuva fina voltou a cair enquanto esperávamos... A volta no ferry é tranquila, perfeita para dar uma relaxada, apreciar o skyline de Manhatan e as suas famosas pontes. E assim, se passou mais um dia em NY.

Manhattan vista do ferry, voltando de Williansburg

** The High Line, Chelsea Market, West Village, Washington Square **



High Line

Por estarmos hospedadas na E 51st, decidimos começar o passeio pelo que, teoricamente seria o final do High Line nas proximidades da W 30st. Após 7 dias na Big Apple, os pés já estavam pedindo arrego e decidimos ir de metro, já que conseguíamos fazer o trajeto sem baldeações.

High Line

O  High Line é um dos parques mais interessantes que visitei. Ele ocupa uma área onde se localizava uma antiga linha férrea. É um espaço perfeito para uma corridinha, passear com bebês, tomar um solzinho. O parque é novo e está muito bem cuidado. Também tive a impressão de que ele está transformando aquele cantinho de NY, prédios velhos e acabados se misturam a novos e modernos, lindos painéis de grafite e muita gente interessante. 


High Line

Caminhamos por toda a extensão do High Line, paramos no finalzinho para eu comprar um picolé na barraquinha do “La Newyorkina” (que já havia visto em Smorgasburg) e descemos bem nas proximidades do Chelsea Market.

Chelsea Market


O Chelsea Market, como diz o nome, é um grande mercado. Perfeito para um lanchinho. Comemos sushi vegetariano no Beyond Sushi e tacos com refrigerante mexicano, no Los Tacos n. 1.  


Beyond Sushi - Chelsea Market

Los Tacos - Chelsea Market

Como era segunda feira, as famosas galerias de arte estavam fechadas, e do Chelsea seguimos na direção do Meetpacking e do  West Village, onde finalmente eu conheci a NY de Woody Allen, muito diferente daquela agitação e dos arranha céus da Times Square, que nós achamos irritante!

West Village - NY

Nossa referência era a Blecker Street, onde está localizada a primeira loja da Magnolia Backery, famosa pelo seriado Sex and the City. Como não somos fãs de Carry e suas amigas, só entramos  por curiosidade e nem comemos nada, porque os famosos cupcakes foram incapazes de nos atrair depois das delícias do Chelsea Market. 

Mas para flanar a Blecker é uma delícia... A rua é charmosa, chique, sem ser esnobe e foi lá onde encontramos as melhores lojas da MAC e da Sunglass Hut de NY. As lojas são pequenas, mas o atendimento foi atencioso e personalizado.  Na MAC, a Kam nos deixou lindíssimas para continuarmos passeando pelas ruas de NY, sem falar do fofíssimo Frankie, um americano apaixonado pelo Brasil (sem nunca ter estado aqui) e que por esta razão está aprendendo português.  

Na Sunglass Hut, o vendedor super sincero, depois de torcer o nariz para a minha cara usando um Rayban Clubmaster, me convenceu a comprar um Wayfarer e sai de lá me sentindo a Audrey Hepburn! Ainda na Blecker, tomei um maravilhoso sorvete de queijo de cabra com framboesa (goat cheese with forest berry swirl) no Van Leeuwen, um trailler amarelo estacionado na rua.  Literalmente, de lamber os beiços (e os dedos!)

Sorvete de queijo de cabra no Van Leeuwen

Da Blecker seguimos em direção a Washington Square, em busca da famosa dosa do Thiru Kumar, indicada pelo Pedro Andrade, no livro “O Melhor guia de Nova York” (que eu super recomendo). Bem, o caminho era longo e paramos em um pub pitoresco, o 3 Sheet Saloon , em frente ao famoso Blue Note, onde já rolava um happy hour (dose dupla das cervejas selecionadas). Bem, quando chegamos na Washington Square, seu Thiru Kumar já estava limpando a barraquinha pois suas dosas já haviam acabado. Fica a  dica: Thiru Kumar só trabalha no horário de almoço, mais ou menos, entre 11hs e 15hs.

Thiru Kumar - Washington Square

Mas o dia não terminou aí... estávamos relativamente próximas ao Public Theater, onde está em cartaz o musical offbroadway Here Lies Love, cuja dica também encontramos no blog Viaje na Viagem (verifique antes de ir se o musical ainda está em cartaz, pois havia previsão de ficar até 2014 e em seu site oficial apenas se pode comprar os tickets até novembro).  Assim, decidimos caminhar até lá pois não conseguimos comprar ingressos pela internet.  Cerca de duas horas antes do espetáculo, que começava às 20hs, a bilheteria ainda estava fechada e a informação era de que os ingressos estavam esgotados, mas que próximo aos horário da apresentação eles verificariam a sua disponibilidade.  Após esperar no saguão do teatro, onde aproveitamos para descansar, lanchar e checar mensagens no whatsapp, facebook, postar fotos no Instagram, etc, graças à rede wifi do local, conseguimos comprar ingressos com um fabuloso desconto. E o musical não decepcionou: dinâmico, divertido, surpreendente! Foi o “gran finale” para um dia perfeito. 


Washington Square

Em tempo:  Como escrevi no início do post, o tempo no MET foi curto e, pra quem gosta de arte, isso gera uma certa frustração... o problema é que o MET é muito, muito grande, e tem um acervo bastante variado. Portanto, pra não perder tempo ou não se frustrar, eu recomendo identificar quais as partes do museu lhe interessam mais, pois ainda que você fique o dia inteiro por lá, será impossível ver tudo. O site do museu é super completo, mas o material que eles disponibilizam impresso no saguão deixa a desejar... Eu escolhi as áreas destinadas a arte americana e oriental por serem as mais originais, em comparação aos outros museus que visitei na Europa e eu curti!

Texto e Fotos: Rebeca, que é amiga da Lily, de Petrópolis, mora no Rio, torce pro Botafogo, é cricri, gosta de cerveja, vinho e comida boa, curte arte moderna, cinema europeu e música francesa, aliás, acredita que viveu na França em outras vidas... viaja com amigos e sozinha.



7 comentários:

  1. Beca, belissimo texto!!!! Super concordo com seu relato!!! Esses foram, sem duvida, os melhores dias dessa nossa viagem! NY é muito mais que compras, Broadway, Empire State e outros passeios pega-turista. Se for pra ver essa NY que tem alma e personalidade e que adoramos, volto (logo e sempre) à cidade! 😉

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Wyncia! Que bom que vc gostou do texto, afinal, vc fez parte dessa experiência. Bjs

      Excluir
    2. Wyncia e Rebeca, eu adorei esse circuito e o Brooklyn já estava em minha wish list há tempos.. quando eu fui, diferentemente de vocês que enfrentaram chuva, eu enfrentei neve, muito vento e frio! kkkk... teve um dia inteiro de neve caindo... lindo de ver! Corri para os museus e tentei aproveitar o meu tempo da melhor forma... dessa vez, retorno no outono e estou torcendo para ver dias bonitos e aquele dourado típico do outono... quero tentar fazer os caminhos sugeridos pela Rebeca e esticar ao Parque do Brooklyn Bridge... tomara que eu consiga! Quando eu voltar, eu conto! =))
      beijinhos,
      Lili

      Excluir
    3. Wyncia, está desde já convidada a escrever para o Apaixonados por Viagens! A casa está de portas abertas, viu? Se quiser e puder, será um prazer divulgar também seus relatos de viagens!!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  2. Beca, parabéns pelo post! Adorei!!! Super detalhado e informativo! Fechei os olhos e imaginei vc contando pra mim a viagem, tim tim por tim tim! Fiquei com muita saudade de NY e doida para voltar e fazer os passeios que vc sugeriu!!! Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Bibi,
    eu também quero!
    Volto em breve, no outono, e já posso me imaginar caminhando pelo West Village, onde não explorei... quando fui, era inverno, muita neve, vento e frio... consegui passear bastante pelo sul de Manhattan e norte do Central Park também... mas West Village, Soho e Brooklyn ficaram na wish list para voltar... agora já estou por dentro e já me sinto por lá passeando! Uma delícia, né?
    Beijinhos,
    Lily

    ResponderExcluir