quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Rio de Janeiro: Barzinhos descolados e Baladinha...

- Charleston Bubble Lounge Champanheria:

Uma Champaheria em Copacabana, praticamente ao lado do tradicional e famoso Copacabana Palace, localizada na Rua Rodolfo Dantas, n. 26, o Charleston Bubble Lounge tem mais a oferecer do que espumantes.




A decoração do ambiente é muito bonita, rica em detalhes, com um belo lustre central! O cardápio de espumantes é variado e atende bem todos os bolsos. Garrafas de espumantes bem dignos, argentinos e chilenos, podem ser compradas por algo em torno dos R$80.00.





Além de espumante, a casa oferece outras bebidas, como cervejas nacionais e importadas. Vinhos também podem ser escolhidos.

O cardápio de comidas é mais sofisticado. Experimentei o ceviche de atum e achei uma delícia. Também experimentei um prato à base de lulas que estava bem temperado e saboroso. Recomendo!




A casa é animada com música, comandada por um DJ do local bem antenado com sucessos da atualidade do pop rock e clássicos também. A vontade de dançar é grande! Como estive por lá para comemorar um aniversário, depois de muitos espumantes, os convidados ficaram animados para dançar um pouco. Foi em um sábado à noite e, embora não estivesse lotada, muitas mesas estavam ocupadas. Ainda assim, fomos os únicos a ensaiar uns passinhos para requebrar o esqueleto.

Acredito que a maioria não vá até lá para dançar, embora o DJ seja muito bom.

Outro detalhe importante é que a casa faz reserva de mesa. Para entrada, é cobrado um valor que é sempre bom confirmar, pois pode variar. Quando eu fui, há poucas semanas, era de R$15.00.

A pena que é os garçons são enrolados. O serviço, mesmo não estando cheio, pareceu muito lento e confuso. E, por fim, lá não é lugar para virar a noite! Inclusive, porque fecha cedo, por volta das 02h da madrugada.

Achei interessante o lugar, descontraído, com música ambiente animada e muito boa para o meu gosto. A decoração é realmente um diferencial. Tiro ponto para os garçons e para o horário de fechamento. Vale a pena conhecer.




- Jazz'in Champanheria:

Definir a a Jazz`in  Champanheria não é tarefa fácil: Lounge? Restaurante? Boate? Bar? Happy Hour? hummmmmm... ou seria um pouco de cada um em uma combinação que beira à perfeição?? Acho que seria isso... mais ou menos por aí! rsrs... ou seja, vai do seu estilo e do seu objetivo! Mas adianto logo que não vi azaração por lá quando eu fui. O pessoal estava tranquilo e poucos encararam a pista de dança. Embora todos parecessem bem animados.

Para quem conhece o Grupo Coordenadas, que organiza festas como a Coordenadas, Rock Me e Pessoas do Século Passado, vai reparar facilmente que o repertório musical é muito similar ao das festas acima! Sim, justamente porque os donos do Jazz`in são também sócios do Grupo Coordenadas. Tudo em casa, certo?

A pista de dança é animada muitas vezes pelo DJ Luizinho, residente também da festa Coordenadas. Além disso, algumas edições da Rock Me já aconteceram por lá.

É claro que também há uma programação dedica ao Jazz! Afinal, tem que fazer jus ao nome, não é?

Para saber a programação, o jeito é acompanhar pela página do Facebook do Jazz`in Champaheria e ficar por dentro do que vai rolar!

Sobre o ambiente, eu achei bastante amplo. Um casario na região que está sendo revitalizada, no entorno do Porto (projeto Porto Maravilha do Rio de Janeiro que se espelha em parte nos Portos revitalizados de Buenos Aires - Puerto Madero e também no de Barcelona - Barceloneta).

Chegar lá, no momento, não é fácil! Não tem metrô perto! A região, que está em constante obras para acelarar o Projeto do Porto Maravilha, está mudando o sentido das ruas com certa frequência e isso dificulta bastante até mesmo para os taxistas que precisam ficar dando voltas (e neste caso, não é malandragem para poder cobrar mais na corrida).

Quando eu fui, final do mês de novembro de 2013, percebi isso claramente. O taxista errou a entrada da rua, por conta das obras e mudanças de mão das ruas da região, e teve que me deixar um pouco à frente. Andei cerca de 5 minutos ou menos. O problema é que andar sozinho por ali também não é legal!

Sinceramente, eu não sou muito fã da região, do seu entorno e não me sinto segura. Portanto, sugiro ir em grupo e não chegar lá sozinho.

Voltando ao ambiente do Jazz`in, eu achei bem refrigerado (depois que a pista de dança começa a ficar animada, a vasão do ar dá uma vacilada e não dá conta). O banheiro, todavia, estava um forno e isso é incompatível com o que se espera do lugar.

A casa segue o estilo de um casario antigo reformado. Um telão ao fundo da pista de dança mostra cenários do mundo inteiro (ao menos quando eu fui) e deve ficar por conta das projeções das festas que rolam por lá.

Ao fundo, havia um espaço mais reservado, que achei muito interessante para reuniões mais sossegadas, longe da pista de dança.

Em cima do bar e de frente para a pista de dança, também reservado, mas não muito silencioso, fica um mezanino, outro lugar bem legal para verificar se reservam para grupos de amigos ficarem mais à vontade e até mesmo comemorações de aniversário, por exemplo.

Os preços estão mais para salgados, não sendo propriamente um programa econômico. Drinks na faixa dos R$25.00, pratos especiais, como bruschetas e comida japonesa também agradam bastante o público, mas eu  não experimentei. Aliás, eu só bebi dessa vez rsrs...

Um ponto negativo foi o bar. Achei que havia poucos garçons para atender. Além disso, quando eu fui, havia no chão um isopor para guardar algumas bebidas. Não curti esse isopor.

Por fim, o drink super famoso da casa, que é uma caipirinha de espumante de frutas vermelhas, ainda no início da noite, tinha acabado. As frutas vermelhas, na verdade, tinham acabado. Outra falta foi também com relação aos espumantes do cardápio, pois uns dois que pedimos não tinham naquele dia.

Acho que isso tudo são detalhes que podem ser facilmente contornados e não denigrem a casa, onde pretendo voltar. Mas há que ter em mente que esses transtornos, como falta de itens do cardápio, podem acontecer.

Por fim, também foi chato a questão do pagamento. A casa cobrou R$60.00 de consumação no dia em que fui. Com mais duas amigas, resolvi pedir um drink de caipirinha de espumante e depois dividir um espumante por nós 3. Ocorre que foi meio tumultuado na hora de pagar porque não quiseram contabilizar o espumante dividido por 3 pessoas. Ou seja, uma sozinha pagaria o espumante, que foi mais caro do que o valor da consumação, e as demais pagariam o valor cheio da consumação, já que o drink de espumante era menor que este, custando em torno dos R$25.00 mais ou menos.

Foi bem confuso e o pagamento demorou um pouco. No final das contas, com tudo bem esclarecido, conseguimos dividir os valores por 3 pessoas. Mas fica a dica para evitar colocar tudo em uma comanda só e depois tentar dividir, porque eles não aceitam bem esse esquema.

E para voltar, a questão do táxi também é importante. Chame um táxi de cooperativa conhecida ou valha-se dos aplicativos já famosos, como o Easy Taxi, dentre outros. Lá não é bom ficar zanzando tarde a procura de táxi.

Fica na Rua Sacadura Cabral, número 63, na Zona Portuária.

A casa faz muito sucesso durante a semana, em happy hour, logo, é um lugar para curtir com os amigos depois do trabalho e não rende muito depois das 24h. Aos finais de semana podem rolar as festas, como o Rock Me.

Portanto, acompanhe pela fanpage deles no Facebook e escolha o dia da semana ou final de semana que mais te agrade!!






- Paxeco Bar: Mudou para SOBE BAR



Locazido no bairro Jardim Botânico, em um trecho chamado de Horto (espécie de sub-bairro), o Paxeco Bar fica também em cima de um casario antigo da região, com boa parte do ambiente aberto e de onde se pode admirar o Corcovado e o Cristo Redentor.

Na Rua Pacheco Leão, n. 724D, em cima do restaurante Couve-Flor, que já indiquei aqui neste post sobre o passeio até a Vista Chinesa!

A decoração da casa é alegre e muito fofa com guarda-chuvas coloridos que lembram um pouco o frevo pernambucano.

Também há música ambiente, mas é mais baixinha. O lugar é mais apropriado para conversar e nada de pista de dança. 

Ainda assim, é um restaurante tipo bar descontraído, um lugar que possui um charme gostoso com a iluminação de velas, plantas e palmeiras imperiais (do Jardim Botânico que fica bem à sua frente) e as bênçãos do Cristo!

O cardápio de comidas e bebidas é bem bacana também. O melhor de tudo é que o site (não sei dizer se está super atualizado) da casa informa os valores de alguns pratos para quem quiser consultar e ter noção de preços.

Eu experimentei uma burrata que estava incrível! Temperada, com torradas e tomatinhos, não poderia ser melhor! Adorei.








- Barzin:






Esta é uma casa versátil em Ipanema! Se quiser apenas um barzinho, dirija-se ao primeiro andar. Se preferir um lounge mais social, vá para o segundo andar. Se o clima for de pista de dança e boate, confira a programação do terceiro andar que sempre tem algum DJ badalado ou show. 

O melhor de tudo é que no Barzin os três ambientes encontram-se integrados e você pode facilmente mudar de um para o outro. A diferença única é que para ter acesso ao terceiro andar, é cobrada comumente uma entrada ou consumação, a depender do dia e do show ou DJ. 

Localizado na Rua Vinícius de Moraes, n. 75, em Ipanema, o lugar já foi inaugurado sendo um sucesso. Vale a pena conhecer. Com clima descontraído, boas opções de aperitivos e bebidas, eu recomendo as caipirinhas e também comidinhas como o bolinho de acarajé ou o filé aperitivo.

Outra boa dica é dar uma olhadinha no cardápio disponibilizado no seu site. Mais uma vez, eu não sei dizer quão atualizado está este cardápio, mas já dá uma boa ideia dos valores e do que há de bom por lá para degustar. 

O acesso à Ipanema está regularizado após a reabertura da estação de metrô da General Osório. Da estação de metrô até a Rua Vinícius de Moraes, a caminhada é curta, nem 10 minutos. Outra boa opção é comprar o bilhete do metrô na superfície, que integra um ônibus à saída da estação sem custo extra. Um dos pontos do metrô na superfície é perto da rua do Barzin.

Reparem que eu falo muito sobre chegar nos lugares de táxi ou outras vias de acesso diferentes do próprio carro. É sempre bom lembrar que aqui no Rio de Janeiro a Lei Seca é levada a sério e para quem não quer perder pontos na carteira ou ter carro apreendido, se a intenção for a de beber algo alcóolico, sugiro fortemente optar por condução diferente do seu próprio veículo.

Sobre o Barzin, eu infelizmente ainda não pude conferir o terceiro andar da casa. Nas vezes em que fui, fiquei no primeiro andar, no boteco e fui dar uma espiadinha no Lounge, que sempre estava cheio. Mas tenho vontade de um dia ver como é o terceiro andar e curtir alguma festa ou DJ bacanas por lá.






- Cabaret Lounge:




Casa relativamente nova, localizada no bairro de Botafogo, na Rua Voluntários da Pátria n. 449, praticamente em frente à Cobal do Humaitá, o Cabaret Lounge é um outro lugar excelente para um happy hour com amigos, um mix de discoteca com bar e restaurante. 

Para quem for sem reserva, fica difícil conseguir mesa, principalmente às quintas-feiras, dia em que a casa tradicionalmente costuma ficar bem cheia.

A sua decoração, bastante inspirada nos cabarés franceses da década de 1920, é super interessante, em clima elegante e sensual, bastante apropriado para combinar com o forte das bebidas servidas pelo lugar: espumantes!

Quando eu fui, era super interessante chegar cedo e pegar uma espécie de comanda separada que permitia beber quantas taças de espumante (de marca já pré determinada, ou seja, não vá pensando que isso vale para o Veuve Clicquot rsrsrs...) que conseguisse consumir até às 21:30h, por algo em torno de R$40.00. Super válido, não acham?




Também é cobrada entrada/consumação, mas eun fui isenta porque estava em uma tal de lista Vip de aniversariante. Ou seja, é um bom lugar também para comemorar o aniversário e levar os amigos (tem que verificar quantos podem entrar como VIPs... acho que são 02 apenas, mas tem esquema de mulher ser VIP até às 21:30. Veja aqui no site da casa o que pode ser oferecido com as reservas).

Aliás, quando eu fui, não faltou animação das pessoas! Cheguei por vota das 20h e a casa ainda estava meio vazia. Não tardou a encher e ficar com a pista de dança bem agitada.

O repertório musical foi maravilhoso, para o meu gosto, repleto de sucessos e hits do pop rock nacional e internacional, principalmente das décadas de 80 e 90.

A faixa etária era de um pessoal mais velho. Chutaria em torno dos 35 anos. Logo, para a galera dos "novos 20" que não curtem as boates da gurizada, o Cabaret Lounge é um lugar super adequado onde você vai sentir bem e vai adorar as músicas também!




- Mud Bug:



Eis o meu queridinho!! Mud Bug, pub super descolado que fica em Copacabana, na Rua Rodolfo Dantas n. 16 (não confundam com o outro Mud Bug, dos mesmos donos, que também fica em Copacabana, em outro endereço, na rua Paula Freitas), bem pertinho do Copacabana Palace e na mesma calçada, quase vizinho ao Charleston Bubble Lounge (descrito lá em cima).

O Mud Bug, na minha opinião, é bom para tudo: happy hour, comidinhas, drinks, degustação de várias cervejas nacionais e internacionais, uma boa música, um bom papo com amigos, clima descontraído que muitas vezes conta com banda que toca de tudo um pouco ou também um DJ super legal e antenado com as músicas do cenário pop que fazem sucesso... ou seja, um lugar interessante para comemorar aniversários, para sair com amigos, para dar uma esticada depois do trabalho e também para uma azaração mais light.

Não nego que sou fã da casa e acho que ficou bem melhor, mais arejada, depois da obra que foi feita. Para quem quiser reservar mesas para sentar, sugiro que peça as mesas mais próximas à porta de saída, que agora ficam abertas, em tamanho mais largo do que antes da obra, e assim deixa o espaço ali da entrada com boa circulação de ar e menos barulhento.

O Mud Bug cobra entrada que é convertida em consumação. Em termos de bebidas, a carta de cervejas é bem convincente e agrada a maioria. Drinks como caipirinhas também tem seu respeito e o Apple Martini é uma delícia!





Se estiver com vontade de experimentar algo para comer, eu realmente gosto bastante das pizzas, como a Mud Bug, os pastéis, o filé aperitivo e os sanduíches. Detalhe é que os sanduíches são bem fartos e grandes, bons para dividir também.

No site tem os cardápios de bebidas e comidas com preços, ótimo para já dar uma espiadinha no que te espera por lá.

O melhor horário para chegar e evitar filas, que costumam ser grandes às quintas-feiras, dia em que a casa bomba no movimento, e eventualmente durante o final de semana ou em véspera de feriado, é até àsn 21h. Muito depois disso, como o acesso tem sido bastante controlado, prepare-se para enfrentar um pouco ou muito de fila.

As comandas são individuais e é possível fazer reserva para aniversários ou encontro entre amigos.




A decoração do Mud Bug é outro detalhe muito bacana: lagartos, aviões, lustres, madeira... um clima de pub e bar, bem no estilo carioca de ser.

O público em média costuma ser da faixa etária dos 30 anos. Mas, a bem da verdade, é bastante diversificado.

A programação da casa pode variar. Música é certeza garantida, nem que seja a escolhida pelo freguês através da jukebox que o Mud Bug tem.

Não deixem de conferir! Eu realmente indico.





4 comentários:

  1. Bem bacana esse post! Vou Alguns eu conheço, mas vou seguir as indicações e conhecer os outros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Kátia! Não sou nenhuma especialista gastronômica rsrsrs, mas fui bem honesta nas minhas avaliações! Quando você for a algum deles, depois me conte como foi a sua experiência, viu?
      Beijinhos

      Excluir
  2. como adicionar uma nova casa de lounge nesse post?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cassio,
      tudo bom?
      O post é feito baseado nas nossas experiências. Adicionamos as casas, boates, restaurantes, à medida que visitamos e conhecemos.
      Abraços,
      Lily

      Excluir