sexta-feira, 12 de julho de 2013

Santa Catarina: passeio à Guarda do Embaú

Ahhhh... nesse dia de passeio à GUARDA DO EMBAÚ, São Pedro super caprichou no tempo!!

Na verdade, saímos de Floripa com o dia meio nublado, com mormaço e eu jamais poderia imaginar que lá na Guarda poderia estar um céu tão lindo, tão azul, tão claro como o que nós encontramos!! E assim eu conheci esse verdadeiro paraíso!! Não foi a toa que o gatíssimo modelo Paulo Zulu adotou a Guarda do Embaú como seu local de moradia e instalou uma pousada sua lá.

Foi uma grata e maravilhosa surpresa!!

Uma pena foi que demoramos a sair de Floripa, pegamos um trânsito razoável e já chegamos na Guarda por volta das 14:30 mais ou menos. Conseguimos aproveitar bastante, só que, se tivéssemos chegado mais cedo, teria sido ainda melhor.

Então, a Guarda do Embaú fica no Município de Palhoça, a mais ou menos 55km ao sul de Florianópolis. O Balneário está no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro e conta com aproximadamente 400 moradores. No verão, a vila fica lotada de turistas!!

O passeio foi muito legal. Logo em que chegamos, já nos deparamos com a travessia do calmo Rio da Madre, que pode ser feita de barquinho que é pago (por volta dos R$2,00 ida e volta), quando a maré está cheia. Com a maré baixa, dá para atravessar o rio a pé mesmo. Para chegar até o outro lado onde estão as praias, tem que atravessar o rio ou seguir pela trilha.

Praia de Rio logo que chegamos 




Optamos por passar pela Vila e seguir por uma trilha para chegar até a região das praias. A vila da Guarda do Embaú pareceu ser bastante simples, arrumadinha, com carinha de veraneio e rústica. Pelo que vi, tinha o básico, com mercadinho, bares, lanchonetes, lojas e pousadas. Curti o lugar e consideraria me hospedar por ali em outra oportunidade para explorar melhor os arredores.




O carro do meu amigo, que nos levou e foi nosso guia, ficou estacionado em uma rua perpendicular à principal rua para chegar lá no Rio da Madre. Mas, passando pela Vila, vi que havia também estacionamento mais próximo do rio e da trilha para chegar até as praias. O problema é que no verão, com o lugar abarrotado de gente, é comum ter engarrafamento para chegar nessa parte mais central da Vila e, por isso mesmo, como chegamos de tarde e queríamos aproveitar ao máximo o dia, deixamos o carro na primeira vaga que havia no caminho e não tivemos que pagar por isso. Em estacionamentos, é claro que tem que pagar. 

A trilha que fizemos, passando pela Vila, foi bem simples, sem grandes dificuldades e com muitos hippies vendendo artesanato pelo caminho...  rapidamente chegamos em uma área de pedras já com uma bela visão das praias e do rio... um cenário lindíssimo!!!! 


Muito artesanato ao longo da trilha


Chegando do outro lado da trilha, já se vê a paisagem de rio e mar!

No canto esquerdo é possível ter uma ideia de onde o rio encontra com o mar


Se entendi direito, essa trilha pode ser prejudicada pela variação da maré e, nesse caso, só mesmo de barco para chegar até as praias. Logo que a trilha termina, a gente chega num ponto em que o rio se encontra o mar. A paisagem continua sendo linda, aliás, com o dia perfeito que fez, eu fiquei encantada com tudo que estava conhecendo por lá.

Chegando na praia bem local onde o rio encontra com o mar

Daí, seguimos por outra trilha para subirmos o morrinho que fica no canto da praia de onde me prometeram que eu teria uma visão ainda mais espetacular. 

Mais uma vez, a trilha não apresentava dificuldade. Como eu estava de sandália rasteirinha, daquelas que escorregam com facilidade, fiquei até surpresa em constatar que a trilha era tão tranquila que nem a minha sandália me atrapalhou. O sol já estava quente a essa altura e a subida do morrinho, embora sem dificuldade nem cansativo, deu para suar bastante. Não cronometrei a subida porque a fiz de forma suuuuuper contemplativa, com paradinhas estratégicas para fotos. 

Alguns pontos da trilha pedem mesmo uma foto!!! 







Um ou outro ponto da trilha exigia paciência porque só passava uma pessoa por vez. Por não ter muita proteção e ser bem rústica mesmo, eu  não recomendo para crianças pequenas. 

Depois, lá no alto do morrinho, me deparei novamente com outra paisagem deslumbrante!!! De um lado as praias da Guarda do Embaú e o rio da Madre. De outro lado um cenário de rochas, com um mar mexido, belíssimo que me lembrou as praias do Mar de Fora de Fernando de Noronha!!! Sensacional!!!


Aquela pontinha aparecendo lá embaixo no canto direito da foto é o sul da Ilha de Florianópolis

Lá no alto da trilha e do Morrinho que subimos o que não faltam são bons lugares para fazer aqueles registros com fotos memoráveis!!! Eu adorei e fiquei com dedo nervoso de tanto fotografar os cantinhos de lá... Amei muito!!!




Lá de cima também era possível observar melhor a praia, que estava cheia, os surfistas. Aliás, a Guarda do Embaú é um local muito conhecido pelos surfistas que dizer haver ótimos picos de ondas!!! Portanto, aos surfistas de plantão, eis aí o paraíso!!!




Descendo a trilha, a gente encarou a travessia daquele ponto em que o rio se encontra com o mar e fomos para a outra faixa de areia, por onde não havíamos passado ainda, a faixa de areia que fica exatamente entre o rio e o mar.

Nesse lugar específico, a correnteza é um pouco forte e atravessar a pé não foi tão fácil assim. Fomos devagar e com certa força (ao menos para mim, é? Os meninos foram mais rápido... ) para vencer a correnteza... Portanto, mais uma vez, não indico para crianças. Alguns trechos, inclusive, a água já ficava na altura cintura ou pouco mais que isso. 




E como não somos de ferro, nada melhor do que uma pausa para banho no rio. Água transparente, cor verde esmeralda, calmo, relaxante, com alguma correnteza sim... foi uma ótima pausa para renovar as energias depois das trilhas. 




Como infelizmente o dia já estava acabando, e como teríamos que encarar a travessia do rio de volta, achamos melhor não esperar anoitecer e fomos logo seguindo a romaria de pessoas - eu fiquei impressionada com a quantidade de gente atravessando o rio a pé. 

A dica é seguir mesmo essa procissão porque quem vai na frente já te passa a noção do melhor caminho, ou seja, o mais raso!!!

Fazendo isso, houve poucos pontos em que tive que segurar a bolsa mais no alto... Houve um momento em que a água chegou próxima ao meu ombro. Mas, de modo geral, atravessei o rio com água na altura da cintura. Tudo vai depender da variação da maré. E, se não quiser atravessar a pé ou a nado, basta contratar um dos barqueiros. Havia um monte dando sopa por lá, mas percebi que as pessoas em maioria preferem atravessar a pé. 



Daí, quando finalmente atravessamos o rio, eu me deparei com essa simpática placa embaixo alertando aos turistas sobre a FALTA DE SANEAMENTO BÁSICO há mais de 600 dias. Pois é, naquela hora bateu um certo nojinho e uma raiva do governo local por não providenciar isso, prejudicando os moradores, que ficam sem saneamento básico e os turistas.

Afinal, para onde você pensa que vão os dejetos da Vila da Guarda?? Além dos poços artesianos, muita coisa deve ser despejada no rio mesmo... deu muita raiva mesmo, pois um lugar tão lindo e tão famoso para o turismo deveria receber melhor atenção do governo local.

Bem, depois disso só me restava vibrar positivamente para não ter pego nenhuma pereba e abstrair o fato, já que eu tinha acabado de atravessar o rio.




No final do dia, depois de trilhas, banhos de rio e travessia de rio, fomos nessa bem simpático e agradável lanchonete, onde os meninos se esbaldaram com o açaí e eu fiquei com a tortinha integral de carne seca. Lugar bem natureba e com ótimas opções para um lanchinho pós praia.






Retornando para Floripa, passamos por algumas praias do caminho só para conhecer um pouco mais da paisagem. Como o dia estava prestes a anoitecer, só fizemos rápidas paradas para registrar mesmo e olhar um pouco. 





Foi um lindo passeio, muito bem aproveitado, que pretendo repetir em outra oportunidade, principalmente com dia ensolarado, pois voltei com aquela sensação e o gostinho de quero mais!!!




4 comentários:

  1. Visite também: Pousada Riviera Bombinhas. Seu próximo destino, conforto, lazer e comodidade na mais bela praia de Santa Catarina.

    http://www.pousadarivierabombinhas.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ótimo post!!
    Adoro Guarda do Embaú, na verdade sou fascinado por todo litoral de SC, um lugar que adoro é Penha, ótimas praias, tem para todos os gostos, desde as mais agitadas até as quase desertas!!
    Tem o Beto Carrero também para quem gosta ou quer levar as crianças, minha dica para quem pensa em ir para Penha é ficar em um lugar que seja perto da praia e do parque.. Eu fiquei na Casa Mirian Santa Catarina na ultima vez que fui.. gostei muito do lugar, aconchegante, tranquilo, bom preço.. Recomendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Tony!
      Ainda não conheço a Penha nem o Beto Carrero. Obrigada pelas sugestões.
      Abraços,
      Lily

      Excluir