terça-feira, 25 de junho de 2013

Florianópolis: passeios pela Ilha

Ainda nas minhas andanças pela ilha, pude conhecer esse lugar lindo, o Convento do Morro das Pedras, na Praia da Armação.

Na verdade, eu não entrei no Convento Vila de Fátima, construído em 1956 por jesuítas, com pedras (nem sei se era permitida a entrada), mas fiquei  mesmo foi encantada com a paisagem de lá. O mirante nessa região do convento proporciona uma linda visão para a Praia da Armação e de Matadeiros. Uma pena que o dia estava nublado, com alguns chuviscos.

Ainda assim, para um passeio pela ilha, principalmente para quem estiver de carro (e eu sempre recomendo o aluguel de carro em Floripa porque acho que o transporte público de lá é pouco eficiente - poucos ônibus que passam em horários praticamente marcados pelo ponto em intervalos grandes... e poucos táxis!!).

Fica na Praia da Armação, Rua Manoel Pedro Vieira, n. 500. O lugar é muito romântico e rende belas fotos para casais (fica a dica!!).






Seguindo pelo sul da Ilha, fomos no sentido do Pântano do Sul, para almoçar a sequência de frutos do mar do famoso e muito bem conceituado restaurante e Bar do Arante

E não é que a praia da região tem uma areia que lembra um pântano? É de lá que se pode começar uma trilha que dizem ser irada para a Lagoinha do Leste, praia deserta, cujo acesso se dá somente por trilha. Não fiz esse passeio porque vocês podem perceber pelas fotos que o dia não estava lá muito firme e fazer trilha com a possibilidade de chover não é legal. A trilha mais curta leva cerca de 1 hora. Dizem que a Lagoinha do Leste é divina e merece ser visitada. Para quem curte trilhas, inclua essa aí no roteiro!!




Depois do almoço, permanecemos no sul da ilha.

Durante o reveillon, em Floripa, a maior parte das pessoas - turistas - fica concentrada no norte da ilha, porque lá estão as famosas praias de Jurerê, Jurerê Internacional, mas também onde fica praticamente todas as boates badaladas do lugar, como a Posh e a Pachá... para completar, é para o norte que ficam as praias queridinhas dos surfistas como a Joaquina, a praia Brava... a praia Mole, considerada bem descolada, e a enorme e rodeada de bares Lagoa da Conceição. Imaginaram como fica o trânsito nessa região?? Sim, isso mesmo: INSUPORTÁVEL!! Posso dizer isso por experiência própria, pois no ano anterior eu fiquei justamente em Jurerê e só consegui conhecer as áreas mais próximas, da Lagoa da Conceição para o norte, em função do trânsito que desanimava muito a fazer grandes deslocamentos.

Por isso mesmo, seguimos para o sul, para conhecer algo novo e fugir do trânsito insano do norte da ilha. Daí, chegamos em  Ribeirão da Ilha, onde fica o também super conhecido e famoso Restaurante Ostradamus (preciso dizer qual a sua especialidade? rsrs). 

É no Ribeirão da Ilha, localizado a 36km do centro, que fica um dos povoados mais antigos de Santa Catarina, e o primeiro povoado de Floripa, que ainda mantém, além de um fiel estilo arquitetônico açoriano dos remotos tempos coloniais, alguns de seus costumes e cultura, lugar onde as manifestações religiosas e folclóricas do passado podem ser vivenciadas. 

Os casarios realmente impressionam pela conservação. São bem bonitinhos!! E as cores vibrantes, principalmente em tons rosados, janelas amarelas ou brancas, com cortinas em renda... quase como voltar no tempo... 

Pude também perceber que as pequenas praias da região são bem calminhas, de areia grossa e realmente não sei dizer se são frequentadas para banho, pois o dia estava nublado e levemente chuvoso. 

A Igreja Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão fica em uma linda pracinha, em espécie de ladeira, onde fica também está um casario datado de 1933, em tons rosados/avermelhados. O lugar, como um todo, é muito bonitinho e vale a pena ser visitado e costuma atrair muita gente fã da culinária típica da região pelos seus ótimos restaurantes.











Igreja Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão


Casario de 1933

Outro cartão postal de Floripa, especialmente em razão da ponte Hercílio Luz, iluminada à noite, que liga a ilha ao continente, um passeio pela Avenida Beira-Mar revelou um pouco mais da cidade para mim.

Junto à Beira-Mar, além de hotéis de luxo como o Majestic Palace Hotel e do famoso Shopping Beira-Mar, temos também provavelmente o metro quadrado mais caro de Floripa (acho que é mais caro do que Jurerê Internacional). 

Localizada na região central da ilha, construída sobre um aterro da década de 60, conta com calçadão, ciclovia, áreas de lazer, locais para descanso e contemplação da paisagem.

É na Beira-Mar que acontece a festa de Ano Novo de Floripa, organizada pelo Governo, pública, com direito a palco, shows e um público médio de 400mil pessoas. Exatamente por ser fim de ano, ainda estava ali montada uma grande árvore de Natal e, como ainda não tinha acontecido a virada, eu vi o palco sendo montado e muitas pessoas trabalhando na região da festa.

Senti muita - MUITA - falta mesmo de bares, quiosques ou até mesmo vendedores ambulantes com seus carrinhos. Acredita que tive que atravessar toda a pista e ir na direção do Shopping Beira-Mar para comprar água? Como havia um posto de combustível com loja de conveniência ali perto do Shopping, acabei comprando um picolé para aliviar o calor. 

Pois é, embora estivesse fazendo um dia nublado, havia mormaço e calor - por incrível que pareça - e depois de caminhar um bocado pela Avenida Beira-Mar, até a Ponte Hercílio Luz, depois voltar, a sede bateu forte e, na falta de bares/quiosques pela Avenida, a loja de conveniências do posto me salvou!!

Depois de caminhar mais no sentido da Universidade Federal, encontrei o Koxixos Beer, um simpático bar, na Beira-Mar, onde pude saciar mais a minha sede e fazer uma pausa para descansar. 

Quanto ao mar, ao longo da caminhada pela Avenida, houve alguns momentos em que senti um odor ruim, mau cheiro, tipo esgoto. Acredito que toda essa região seja imprópria para banho. Embora eu tenha visto vários barquinhos de pescadores, não vi banhistas, mas vi alguns esportistas em jet ski, por exemplo. Esse trecho da ilha fica de frente para o Continente e recebe dejetos tanto do continente quanto da ilha, um dos possíveis fatores para a água não ser absolutamente limpa. 

Um bom lugar para caminhar e curtir a paisagem!!















Encerrando meus passeios pela Ilha da Magia, fui conhecer o terceiro famoso mirante da região!!! Eu já tinha visitado o Morro da Cruz, o Mirante da Armação (Morro das Pedras) e, para completar, fui ao Mirante da Lagoa da Conceição!!

Eu acho a região da Lagoa da Conceição super fofa. Cercada de bares, casinhas baixas, o lugar lembra bastante uma região de praia, de veraneios. Na verdade, o que mais tem por lá são estudantes. Muitos estudantes preferem ficar por ali por ter um custo de aluguel de casa mais acessível para dividir com amigos e também pelo prazer de estar em uma região repleta de opções de lazer, bares, festas... e, ainda super perto, tem a Praia da Joaquina e a Praia Mole!!! Essas duas praias, em especial, fazem espécie de "divisa" com a Lagoa, ficando bem perto dela. 

Usando um mega zoom na câmera (só ia até 16x o zoom ótico... a atual vai até 42x!!! Da próxima vez, consigo fotografar até a casinha!! kkkkk...), é possível ver as dunas da Joaquina, onde, durante o dia, é comum encontrar a turistada se acabando no "esquibunda" da região. 

Outro lugar lindo e romântico, que rende belas fotos!!! E depois, nada mais justo do que descer até o entorno da Lagoa e escolher um excelente café para brindar o fim do dia e ouvir um pouco os manezinhos da ilha (como os locais são chamados por lá) conversarem e trocarem ideias do dia a dia!! 





Nenhum comentário:

Postar um comentário