quinta-feira, 8 de junho de 2017

Ilha da Madeira: O que fazer por lá? Veja aqui um Roteiro!

Aproveitando que estamos em clima lusitano (vejam o post anterior) que tal darmos uma voltinha pela Ilha da Madeira? Eu já contei para vocês que meus avós paternos são de lá, certo? E era um grande sonho do meu pai visitar a Ilha e tentar encontrar possíveis parentes ainda vivos.


Funchal
Funchal
Ele realizou esse sonho em 2007, quando foi lá com minha mãe, e lembro bem do que eles me contaram, das impressões que tiveram da ilha e sim, ele realmente conseguiu encontrar alguns primos ainda vivos por lá. Lembro direitinho de minha mãe dizendo o quão apavorada ela ficou ao chegar na ilha, pois o aeroporto da Ilha da Madeira é um teste para ver quem tem ou não pânico de avião! kkkk... 

aerorporto da Ilha da Madeira
O clima mais bucólico da ilha contrasta bem com os resorts de luxo que ela oferece e desde muito tempo que a Ilha da Madeira é um destino clássico de lua de mel para muitos portugueses. Portanto, sem mais delongas, vamos descobrir juntos um pouco do que a ilha nos oferece? Segue abaixo uma sugestão de Roteiro para passear por 5 dias pela Ilha da Madeira, repleto de atividades e lugares que não podem faltar na sua lista!


Pôr do sol em Ponta do Sol - crédito: Greg Snell
Santana
Bem, como o próprio nome já sugere a Madeira é uma ilha! Belíssima, no meio do Oceano Atlântico, ela oferece um clima ameno o ano inteiro, além de balneários excelentes, montanhas com vistas incríveis, monumentos históricos e ótimos restaurantes, sem contar as atividades focadas em enoturismo e muito contato com a natureza. Afinal, uma vez pertencente a Portugal, tinha que ter vinho também, não acham?

Walking Tour na Levada do Ribeiro Frio
E não é a toa que a Ilha da Madeira é eleita por muitos europeus como destino de férias e lua de mel, pois ela é muito bem servida de infraestrutura hoteleira, que mescla hotéis modernos e quintas decoradas em estilo provençal, cheias de charme, com valores muito mais atraentes e acessíveis do que os balneários franceses, espanhóis, italianos, dentre outros destinos de praia do Mediterrâneo. Se você está em busca do seu próximo destino de viagem, não deixe de conferir este roteiro de cinco dias pelo fabuloso arquipélago. 

1º dia 

Funchal é a capital e o ponto de partida para desbravar a maior ilha do arquipélago, a Madeira. Essa pequena cidade cosmopolita esbanja cultura, charme e boa comida. A Zona Velha possui bares e restaurantes ideais para provar lapas - um tipo de molusco local - e a poncha, bebida típica feita com aguardente de cana, limão e açúcar.

Porto de Funchal
Dentre as atrações mais importantes, visite o Mercado dos Lavradores, com arquitetura magnífica que oscila entre o Art Déco e o modernismo, e a famosa fábrica de bordados típicos da Madeira, a Bordal (e a pessoa lê isso e imediatamente lembra da sua avó que só fez isso a vida inteira - bordava! Que recordação linda e seu legado, com trabalho esplendoroso, ainda temos em casa. E foi com ela que eu aprendi a bordar lenços quando criança e vendia na escola para ganhar um dindim e comprar papel de carta kkk... sim sim, eu sou da época do papel de carta minha gente... e aposto que meus sobrinhos não saberão o que era um papel de carta!)

Mercado Municipal de Funchal
Um passeio que deve ser realizado nessa região é o famoso teleférico. A viagem até Monte, parte alta da cidade, dura cerca de 20 minutos e a paisagem é belíssima.

Teleférico na Zona Velha de Funchal
No topo, o Jardim Tropical Monte Palace é imperdível. O espaço ocupa uma área de 70 mil metros quadrados e abriga uma rica e abundante coleção de plantas exóticas, provenientes dos quatro cantos do mundo, além de azulejaria portuguesa, coleções de arte e um museu com uma vasta exposição de minerais. 

Jardim Monte Palace - crédito: Greg Snell
Jardim Monte Palace
Na volta, que tal se valer de um meio de transporte inusitado, diferente e totalmente tradicional da ilha? Os carros de cesto! Gente, que barato isso... deve ser engraçado! Agora, será não rola dali, hein? Aposto que esse aí deve ter mais emoção do que os buggys pelas dunas do Nordeste Brasileiro rsrs... Com adrenalina e ladeira abaixo kkkkk... daí você desce até o Livramento, que corresponde à metade do percurso para Funchal. 

carro de cesto
A tradição do carro de cesto
O centro da cidade também tem seus atrativos como a catedral e o Palácio de São Lourenço, além de concentrar a maior parte dos museus, entre eles, o Museu de Arte Sacra e o Museu da Madeira Wine, edifício com as adegas mais antigas da ilha. 

Museu de Arte Sacra
Palácio de São Lourenço, em Funchal

2º dia

Caminhar por um dos inúmeros canais de irrigação, mais conhecidos como levadas, é obrigatório. Um pouco de ecoturismo faz bem também, não acham?

Levada do Furado - crédito: Francisco Correia
Walking Tour na Levada dos Balcões
São cerca de 2 mil quilômetros de caminhos que dão acesso aos cenários raros da floresta Laurissilva, nomeada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. Aproveite para esticar o período de contato com a natureza e praticar diferentes esportes radicais como canyoning, rapel, mountain bike, entre outros.

Canyoning em Rib Frio

Para finalizar o dia de exercícios, um merecido descanso e muita comida boa caem bem, não acham? Que tal então currasco ao ar livre, a tradicional espetada!

3º dia

Não apenas a parte continental do país é reconhecida mundialmente por seus vinhos de altíssima qualidade, como também a tradição da viticultura foi levada para a Ilha da Madeira que surpreende e encanta os apreciadores de Baco!

Blandy's Wine em Funchal - crédito: Greg Snell

Por isso, um passeio temático não poderia faltar  no seu roteiro (aproveite para comprar uns vinhos também e trazer para casa!). O tour sai de Funchal em direção às vinhas de Câmara de Lobos, principal município vitícola e produtor da bebida.

Vinícolas da Ilha da Madeira
O trajeto ainda percorre regiões emblemáticas do norte da ilha, como São Vicente e Porto Moniz, e inclui provas em adegas, passeios pelas vinhas, almoço típico madeirense e muitas descobertas.

Vista para o Vale de São Vicente do Paul da Serra

Quem aí ficou curioso para ter essa experiência, hein?

Porto Moniz
4º dia 

É possível ir para Porto Santo - a outra ilha habitada do arquipélago - em avião ou barco. A forma mais comum é utilizar o ferry que sai pela manhã da Ilha da Madeira e retorna no fim da tarde, bem mais prático e mais tranquilo para quem medo de fazer voos assim em aeronaves menores.

Praia da Ponta da Calheta, em Porto Santo
Seus extensos areais dourados lhe renderam o apelido de Ilha Dourada, já que percorrem praticamente toda sua costa sul e se unem ao mar azul turquesa.

O clima é ideal para passar o dia todo na praia relaxando e curtindo a vista e a areia, que tem propriedades terapêuticas comprovadas. No melhor estilo "tranquilo e favorável".

Porto Santo
A água do mar do Porto Santo também é usada em tratamentos de talassoterapia, devido às quantidades elevadas de estrôncio, crômio e iodo, elementos benéficos para a saúde.

Vila Baleira é a única cidade e abriga a Casa-museu Cristóvão Colombo, que recria o ambiente primitivo onde o famoso descobridor da América viveu. 

Museu Colombo, em Porto Santo
5º dia

No último dia, aproveite para fazer atividades tranquilas, até porque você merece descansar nas suas férias também (olhe só quem está falando kkkk.. .justo eu - Lily - que não entendo direito o conceito de descansar kkkk).

Assim, a sugestão fica para tentar realizar um passeio de catamarã pela costa chamada de Rota dos Fajãs. Saindo da Marina de Funchal, o trajeto percorre todo o sudoeste da ilha até chegar a Ponta do Pargo, passando por cenários cinematográficos e, muitas vezes, ainda intocados.

Ilha da Madeira
A embarcação faz uma longa parada para a prática de esportes aquáticos, como snorkeling, stand up paddle e caiaque. Também é possível observar a diversidade marinha e avistar golfinhos, baleias e tartarugas.

E aí, curtiu o Roteiro? Então aproveite que o verão europeu está chegando, planeje bem suas férias e vá lá aproveitar tudo isso!! 



Nenhum comentário:

Postar um comentário