segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Polinésia Francesa e a ilha de Rangiroa, por Thais Eller

Dando sequência aos posts sobre a paradisíaca Polinésia Francesa, agora a Thais, do instagram @thatapelomundo, que já nos contou sobre como planejar uma viagem dos sonhos para lá (se você perdeu, volte um cadinho e confira a matéria clicando aqui), vai compartilhar conosco como foi a sua experiência na ilha, ou melhor, o atol de Rangiroa! 



Já ouviu falar em Rangiroa? Ahhhh... quando pensamos em Polinésia Francesa já vem logo à mente Tahiti, Bora Bora ou Moreea, certo? Então venham com a gente e conheçam mais esse paraíso no mundo!

Rangiroa 

Depois da noite obrigatória no ilha do Tahiti, nossa primeira parada na Polinésia Francesa foi a ilha de Rangiroa, ainda pouco explorada pela maioria dos turistas. Rangiroa é um atol do arquipélago de Tuamotu, localizado a noroeste, cerca de 350 km da capital, ou 1h de voo. 




É um dos maiores atóis do mundo, com uma superfície total de 1640 km², e uma lagoa de 78 km de largura com uma profundidade entre 20 e 35 m. O recife é composto por 241 ilhéus e restingas de uma largura entre 300 e 600 m. Apenas algumas dezenas de metros separam a lagoa (parte interna) do mar aberto. 

As duas ilhas mais importantes são Avatoru e Tiputa que concentram a maior parte da população. Sendo Avatoru a mais povoada, onde está localizado o aeroporto do atol e a maior parte das opções de hospedagem e restaurantes. A ilha de Avatoru é limitada pelos Avatoru Pass e Tiputa Pass, que não os canais que comunicam o mar aberto com a Lagoa. A população vive do turismo, da pesca e do cultivo de pérolas negras. 



Onde se hospedar? 

A maior oferta de hospedagem está em Avatoru, sendo que a ilha possui 2 hotéis principais: o Kia Ora Resort e Spa, um hotel 4,5 estrelas muito bonito, de frente para a lagoa, com 60 quartos distribuídos em diferentes categorias, inclusive bangalôs overwater; e o Hotel Maitai Rangiroa, onde eu fiquei, categoria 3 estrelas, também de frente para a lagoa, possui 38 bangalos de 2 tamanhos diferentes, distribuídos entre jardim e frente mar. 

Outras opções de hospedagem ficam por conta de inúmeras pensões e guest houses espalhadas pela ilha. 

Minha experiência: Eu fiquei 4 dias em Rangiroa e me hospedei no Hotel Maitai, que atendeu nossas expectativas. Ficamos no bangalô standard no jardim, um bangalô geminado de madeira, rustico, silencioso, com ar condicionado e ventilador de teto, TV e banheiro divido em 3 ambientes garantindo mais privacidade. 


Diariamente éramos acordados pelo galo cantando a nossa porta, bem no clima de interior mesmo. O hotel possui uma pequena piscina de frente para a lagoa, mas a água era um tanto gelada, pois ventava bastante. O restaurante, onde são servidos o café da manha e refeições, também possui vista para o mar e ainda se tem a opção de fazer as refeições no deck quando o clima está bom. 


O atendimento foi correto. O café da manha não tem muitas opções, mas foi o suficiente, destaque para o croissant que era delicioso. Ficamos no regime de meia pensão e jantamos todos os dias no hotel. Dentro do pacote, era possível escolher 2 cursos – entrada e prato principal ou prato principal e sobremesa; bebidas são à parte. O cardápio tinha boa variedade, a comida era gostosa e bem servida. 

Apesar de ser de frente para o mar, não possui praia (muitas pedras e corais), mas acesso direto ao mar ou através um deck. Também disponibiliza caiaques, snorkel e nadadeiras aos hóspedes sem custo adicional. Há a possibilidade do aluguel de bicicletas para andar pela ilha e marcação de passeios diretamente na recepção. O wi-fi é pago e o sinal ruim. 




De um modo geral, é um bom hotel, promete o cumpre. Como ficamos 2 semanas, precisamos economizar um pouco na hospedagem nas primeiras ilhas e que considerávamos menos luxuosas. Se quiser investir mais em Rangiroa, a opção é o hotel Kia Ora, que conheci apenas superficialmente, mas que aparenta ter uma estrutura melhor, assim como o mar em sua frente era mais calmo e bonito. 

Entretanto, nos 4 dias que fiquei em Rangiroa, a diferença no valor entre a hospedagem no Maitai e no Kia Ora era de cerca de US$ 1000,00 a mais para ficar no segundo. Assim como vale registrar a opção para economizar mais hospedando-se nas inúmeras pensões existentes na ilha. 

Onde comer? 

Como eu disse no primeiro post, é altamente recomendável fechar o pacote com regime de meia pensão. Não ha vida noturna nas ilhas e jantar no hotel é muito mais cômodo. Durante o dia, quando não estávamos nos passeios com almoço incluído, almoçamos 2 vezes no Café Obelix, que ficava a poucos metros do nosso hotel, um restaurante super simples no quintal de uma casa, muito simples mesmo, como tudo na ilha. 



O cardápio era fixado num quadro negro, as mesas de madeira cobertas com toalhas de plástico. O Obelix era o chef de cozinha e sua esposa a garçonete. A comida era preparada na hora, com ingredientes frescos, alguns que ele pegava no próprio quintal da casa. Escolhia-se uma proteína (normalmente peixe ou carne), o molho e o acompanhamento (fritas ou arroz). Prato bem servido, perfumado, tempero muito gostoso. Destaque para o Mahi Mahi (um peixe branco da região) com molho de Vanilla. Preço mais em conta que o hotel. Há outras opções de pequenos restaurantes na ilha também. 

O que fazer? 


Nossa escolha por Rangiroa foi devido a ilha ser considerada um dos melhores pontos de mergulho do mundo. Mas nem só de mergulho vive Rangiroa, muito pelo contrario. É perfeitamente possível aproveitar Rangiroa sem fazer um só mergulho. 


Os 2 principais passeios da ilha e que duram o dia inteiro são:

  1. Ile aux Récifs (Ilha com Recifes): passeio de dia inteiro com almoço incluído que para em diversos corais onde é possível fazer snorkeling e apreciar intensa vida marinha. Não fizemos esse passeio, mas conhecemos um casal de brasileiros que fez, gostou muito e recomenda. 
  2. Le Lagon Bleu (Lagoa Azul): passeio de dia inteiro com almoço incluído. Um dos lugares mais lindos que já vi em minha vida. Após 1h de navegação chega-se a uma lagoa imensa, rasa (pouco mais de 1h de profundidade nas partes mais profundas), com diversos tons de azul, circundada por pequenas ilhotas desertas e habitada por dezenas de filhotes de tubarão galha preta. É possível entrar nas aguas com os tubarões que simplesmente ignoram a sua presença. Passa-se o dia ali, onde é servido o almoço num estrutura rustica montada numa das ilhas, um churrasco de peixe e frango. Na volta do passeio, ainda há parada em 2 pontos para snorkeling, o primeiro com tubarões adultos e o segundo no Avatoru Pass, já próximo ao local de retorno do passeio. O translado entre o seu hotel e o porto de onde sai o barco está incluído, e o passeio custa US$ 85,00 por pessoa. 

Além desses, ainda é possível fazer mergulhos com cilindro, batismo, visitar fábrica de perolas negras, conhecer a ilha de bicicleta. No final do dia, turistas e moradores se encontram no Tiputa Pass, onde golfinhos dão o ar da graça em saltos que encantam a todos. 

Nós fizemos 4 mergulhos com a Top Dive, que fica anexa ao hotel Kia Ora. Os mergulhos em Rangiroa são mais técnicos, de maior profundidade (em torno de 30 metros), alguns com correnteza. 



A vida marinha é exuberante, é possível ver diversos peixes, alguns muito grandes como o Napoleão, tubarões, e com sorte até golfinhos. A temperatura da água gira em torno dos 26-28º C. 

Para quem é mergulhador e tem interesse em fazer mergulhos em várias ilhas, a Top Dive possui pacotes de 10 e 20 mergulhos (podendo ser compartilhado entre 2 pessoas), o que torna o valor mais atrativo. Por exemplo, o mergulho com 2 cilindros (ou seja, 2 mergulhos num mesmo dia) custa US$ 190,00 com todos os equipamentos incluídos – US$ 95,00 cada mergulho. Já o pacote de 20 mergulhos para 2 mergulhadores, podendo usar em diferentes ilhas, custa US$ 1580,00, ou seja, US$ 79,00 por mergulho. 



A Top Dive possui Dive center nas ilhas de Rangiroa, Fakarava, Tikehau, Tahiti, Moorea e Bora Bora.

Não percam os próximos posts!




2 comentários:

  1. Olá, bom dia !!!! Por favor, vc teria alguma informação de como comprar o Passe múltiplas da Air Tahiti ? Entrei no site e simulei as ilhas q compõe o passe ....fazendo os trechos na sequencia do passe, mas ao finalizar o valor ficou muito superior ao valor do passe q para 7 ilhas com bagagem 23kgs na baixa temporada ficaria por volta de 531,00 euros.

    BORA BORA-TUAMOTU PASS – 531,30 euros (Baixa temporada 23 kgs) / 575,70 euros 46 Kgs de bagagem).
    Moorea, Huahine, Raiatea, Maupiti, Bora Bora, Rangiroa, Tikehau, Fakarava

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi, Marcelo, tudo bem?
      Aqui quem responde é a Thaís, do @thatapelomundo. Tentei fazer uma simulação semelhante e realmente o valor das passagens está dando maior que o valor do Bora Bora-Tuamotu Pass. Não sei porque isto está acontecendo... No site da Air Tahiti, tem uma area para contato, pode ser uma opção tirar essa dúvida com a empresa. Na época, comprei as passagens e as reservas dos hotéis por uma agencia de lá, a E-Tahiti Travel, como descrevi nos posts. Achei que valeu muito a pena, inclusive financeiramente, além da praticidade, comodidade e assistência que você terá nas ilhas durante a sua viagem. Você pode contacta-los e fazer uma cotação da sua viagem com eles.

      Bjs!

      Excluir