terça-feira, 26 de abril de 2016

Melhores Hotéis RJ: Casa Beludi

Estivemos de 15 para 16 de abril visitando a charmosa e acolhedora Casa Beludi, no bairro de Cosme Velho, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Apoiando nosso projeto de conhecer algumas das melhores opções de hospedagem do Rio de Janeiro, que selecionamos a partir das avaliações e notas dos sites Booking.com e TripAdvisor, Adir, um dos proprietários da Casa Beludi, que nela reside, nos recebeu com muito carinho e atenção.




A Casa Beludi, que adota o conceito europeu de Bed & Breakfast, pode ser considerada como uma Pousada Boutique e funciona como tal há 3 anos e meio em um casarão da década de 50, projeto de Lúcio Costa, em uma pacata, silenciosa e quase escondida rua do bairro, na Rua Marechal Purês Ferreira, n. 92.

Estar na Casa Beludi é vivenciar uma experiência totalmente diferente e bastante intimista. A proposta é sentir-se na casa de um amigo onde o lema principal é ficar bem à vontade, com muitos espaços comuns para descansar, ler um livro, ouvir uma música, tocar o piano, balançar, ouvir o barulho da cachoeira que cai ao lado da casa, dentro do terreno que pertence ao Colégio Sion.... portanto, a ideia é colecionar momentos de descanso com muito aconchego. 




Nós ficamos na Suíte U, que é considerada a mais romântica da casa, no seu terceiro andar, com uma decoração muito peculiar e totalmente diferente de tudo que já vi.



Primeiramente, como ela fica no terceiro andar, o acesso por escadas pode ser um limitador para alguns. De qualquer forma, o Adir ajuda com a mala.

O quarto é enoooooorme! Muito mesmo! E é o que tem melhor vista para a Cachoeira do Colégio Sion. Portanto, dormimos ao som maravilhoso da cachoeira e a sensação de estarmos em uma cidadezinha pequena, de interior, no meio da natureza!





Obs1: A cachoeira fica dentro da propriedade particular do Colégio Sion e a visita só é permitida se o Colégio permitir. Todavia, ela é poluída e não recomendável ao banho, mas tão somente para contemplação.



Obs2: Pelo fato de ser cercada de muita natureza, há mosquitos na região. A Casa Beludi disponibiliza repelentes aos hóspedes, o que achei super cuidadoso. Eu sempre carrego o meu porque eu tenho "sangue doce" e atraio sempre! Para dormir, não precisei usar nem tive problemas no quarto com mosquitos e dormi bem demais.

Ainda sobre nosso quarto... ele era, na verdade, a sala da casa antes de virar o Guest House. Então, é bem interessante observar as adaptações que foram feitas para transformar a sala em um quarto! E a maior dificuldade foi o banheiro.






É muito diferente mesmo porque o lavabo e o toalete ficam na entrada do quarto e não há portas, mas sim cortinas.




Daí, a janela do banheiro é voltada para o solário e quarto. Você pensa que está ali escondidinho atrás da cortina, mas tem a janela para te entregar kkkk... ainda bem que só o seu acompanhante que pode te ver porque não há ângulo desta janela que permita que um estranho te observe rsrs...




Já o banho foi improvisado dentro do dormitório, onde há uma banheira em estilo retrô, em uma espécie de ambiente separado, igualmente muito diferente. Fiquei pensando em como deviam ser os banhos das famílias reais do passado. E o melhor de tudo  é que o banho quente é super eficiente e esquenta bastante.





Adir revelou para a gente que foi ele mesmo quem cuidou dessa parte da arquitetura do quarto e criou esses espaços do banheiro e banheira. Ele ainda pretende implementar outras melhorias e mudanças. Como o quarto ficou fechado recentemente por motivo de uma viagem que o Adir fez e, como é ele quem cuida de tudo, nós vimos sinais de infiltração nas paredes e manchas de mofo em algumas cortinas, provocadas pelas chuvas de março, que ele providenciará a restauração muito em breve.

Se você quiser um pouco mais de privacidade para tomar banho, basta fechar as cortinas. A Casa Beludi também oferece amenities aos seus hóspedes, além de toalhas de banho e roupões.

O quarto é para duas pessoas e a cama é de casal. A decoração faz lembrar um chalé na montanha por ser todo de madeira, com cortinas de voile claro, com uma lareira no centro, que confere mais charme e com certeza deve ser bastante útil nas noites frias para esquentar o quarto e torná-lo mais aconchegante e romântico.




Como fomos em um dia bem quente - há algumas semanas que vem fazendo um calor senegalês no Rio - a ideia de acender a lareira ficou só no desejo de termos um inverno de verdade no Rio. Apelamos mesmo para o ar condicionado que funcionou muito bem e o quarto, que é bem grande, ficou super geladinho.

A decoração do quarto ainda contava com muitos detalhes seguindo uma tendência vintage, percebidos em alguns móveis, como a própria cama em si que me fez lembrar a da minha avó rsrs... Também muitos livros, flores, um ventiladorzinho antigo... tudo fofo!

Só tivemos problemas com a Net no quarto que não funcionou quando chegamos, mas avisamos o Adir que depois trocou o aparelho. O quarto é equipado com TV, ar condicionado, lareira e frigobar.

Outro detalhe importante no quarto é o solário com jardim de inverno e uma espreguiçadeira super convidativa. O espaço é pequeno e tem mesmo só uma espreguiçadeira, mas dá para um casal ficar ali sossegado, num ambiente de silêncio, ouvindo a cachoeira e curtindo o momento.

É curiosa a forma de administração que o Adir adota porque, como ele mora lá, ele tem um quarto seu, com seus pertences, mas ele busca dormir cada noite em um dos quartos da Casa Beludi que esteja vago para poder ver também se tudo está em ordem, funcionando direito. Já imaginou você poder dormir todo dia em um quarto diferente?


Detalhe: o nome, Casa Beludi, tem a ver com a junção das iniciais dos três proprietários que iniciaram o projeto. Hoje em dia, somente Adir e Isabela que permaneceram juntos no projeto.


**DEMAIS QUARTOS**

São 6 quartos e de todos é possível escutar a pequena cachoeira. As acomodações da Beludi podem ser arrumadas de várias possibilidades e assim, podem receber no mesmo quarto um casal ou um grupo de amigos. Você escolhe como fica mais confortável: 

- QUARTO B -  Suíte Privativa para 2 a 6 pessoas. É um big room, o maior quarto da Casa Beludi. Tem um banheiro bem espaçoso, com hidro, uma ante sala perfeita para servir de escritório ou sala de jantar privê. O quarto ainda tem uma varanda que fica frente à queda d’água.


- QUARTO E - Quarto Privativo para até 5 pessoas. Trata-se de um cômodo múltiplo sem banheiro, mas que pode servir para camas ou lounge extra do quarto. Também é possível montar nele um quarto de amigos já que ele acomoda até 5 pessoas confortavelmente

- QUARTO L - Suíte Privativa para 2 a 6 pessoas. Outro big room onde se pode acomodar duas pessoas com muita privacidade, uma grande área de quarto + lounge + uma grande ante sala, que pode virar um outro grande quarto. A vista é para a frente da casa e, à noite, é possível ver por entre as árvores, o Cristo iluminado.

- QUARTO COMUNA D E I (COMPARTILHADOS) - ÁREA COMUNA - Este é o espaço coletivo. São dois quartos com beliches - Comuna I e Comuna II - um banheiro com charme antiguinho e uma varanda coberta, ideal para uma leitura ou uma rodinha de bate-papo. No lounge/varanda ainda ficam os lockers e um cantinho para se jogar e relaxar!

Outra coisa que me chamou muito a atenção lá é a questão da segurança! Logo quando chegamos, na sexta, já era noite e os portões da Casa Beludi estavam abertos.

Eu pensei que era por causa do evento que estava acontecendo, evento promovido pelo Atelier no Escuro que nós já divulgamos aqui no Apaixonados por Viagens (Veja Aqui a Matéria publicada sobre o Atelier no Escuro). Só que não era por isso. A Casa Beludi costuma mesmo ficar com suas portas abertas pela sensação de segurança que o local onde ela está transmite.




É incrível porque a gente realmente não se sente em plena Zona Sul do Rio! A rua é tão pacata e repleta de casas, casarões e há também uma cancela próxima e alguns vigias circulando por lá. Aliás, vaaaaaaaários desses casarões estão à venda, caso interesse a alguém comprar rsrs... isso impressionou mesmo a gente. Talvez por conta da crise que o país enfrenta, mas são muitas as casas à venda naquela região. Eu só não compro porque casa dá muito trabalho, né? Kkkkkk...

Sobre a Casa Beludi, exatamente por ter acontecido o evento na sexta, a gente só pôde explorar e conhecer melhor seus cantinhos no dia seguinte pela manhã.

Obs.: A Casa Beludi abre seu amplo salão no térreo para a realização de eventos, jantares, coquetéis, brunches etc. As pessoas interessadas podem contratar somente o aluguel do espaço, que varia de R$800,00 a R$2.500,00, a depender do porte do evento, e levar o buffet de fora, bem como podem contratar o serviço de buffet que o Adir oferece e elabora, com cardápios sugeridos por ele ou pela pessoa que o contratar.



Ou seja, esse Adir é porreta, viu? Surpreendeu a gente o tempo todo!

Na manhã do dia seguinte, acordamos um pouco mais tarde, até mesmo porque o café da manhã só começava a ser servido às 9h.

Agora sim poderíamos observar todos os detalhes das salas, varandas, decoração super fofa, com diversos elementos retrôs que podem ser observados para todos os lados. Aliás, são tantos os enfeites que a gente tinha que parar um pouco para olhar com calma: desde um balanço muuuuuito gracioso no meio da sala, até um piano, um móvel antigo de máquina de costurar, uma geladeira vermelha super vintage... nossa! Muita informação super interessante que compõem 7 ambientes bem definidos no primeiro andar da Casa Beludi:

- cozinha.



- a varanda de entrada, que também é dividida em dois ambientes, com destaque para as molas de cama velha que serviram de suporte para pendurar velas no corredor... muuuuuito criativo e diferente!




- a sala de estar de frente para a escada, onde fica o balanço, com o sofá que é o cantinho cativo do Mário, o cachorrinho da casa que tem até uma almofada personalizada com o nome e desenho dele.





- a sala de refeições, com uma grande mesa onde todos se sentam juntos para o café da manhã. Aliás, achei isso muito bacana. É uma forma de poder conhecer um pouco mais sobre os demais hóspedes e, até mesmo, fazer amizades, combinar passeios pela cidade... para quem viaja sozinho, por exemplo, é uma boa oportunidade.



Falando um pouco sobre o café da manhã, é o próprio Adir, com a ajuda de uma auxiliar, que comanda a cozinha pela manhã e prepara um café da manhã super delicioso e sofisticado para seus hóspedes. 



Fiquei encantada com a forma de servir, os recipientes utilizados, tudo com um toque gastronômico muito requintado. 

Frutas, leite, café, suco, pães, frios, ovos, tortas... um café da manhã que foi servido individualmente, na grande mesa de madeira retangular, com a presença de todos os hóspedes que estavam na Casa Beludi naquela ocasião, de maneira bem farta e tudo muito bem preparado. Os detalhes da apresentação do café do café da manhã realmente chamaram a minha atenção. Além de muito saboroso, tudo estava muito bonito.




- outra ante sala de estar, com sofás, pufes, livros e uma parede em tijolos muito linda.





- uma saleta de entrada com mesa, onde fica a geladeira, o piano e a cristaleira. Destaque para o lustre desse ambiente que é muito bonito.





- mais uma varanda de frente para a cachoeira, com mesa, cadeiras e sofá, super convidativa para relaxar ao barulho da água, ler um livro, atualizar s mensagens do celular... uma gracinha!




Como diz a própria descrição da Casa Beludi em seu site, embora os proprietários sejam paulistas, a casa é carioca e repleta de criatividade na sua decoração o que reflete todo o bom humor e o clima sereno que ela trâmite. Muitos livros, muitos objetos que me fizeram lembrar souvenirs de viagens pelo mundo... uma mistura exótica de inspirações dos vários continentes, culturas e artes!




​Vez ou outra a gente cruzava com os mascotes da casa: o cachorrinho Mário e os gatinhos Breu e Padê. Já fazem parte da dinâmica da casa e muitas vezes aparecem para dar as boas vindas aos hóspedes. Eu, que não tenho muito jeito com animais, achei bem tranquila a presença deles na casa e em nada me incomodou.




Toda a atmosfera da Casa Beludi é muito relaxante, gostosa e os ambientes são extremamente harmoniosos.

Nós gostamos muito de conhecer esse Bed and Breakfast e entendemos por que boa parte de seus hóspedes são gringos, principalmente europeus, que se identificam bastante com essa proposta acolhedora, personalizada e intimista de hospedagem.

** SOBRE O BAIRRO COSME VELHO **


O Cosme Velho é um bairro da Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, situado no sopé do morro do Corcovado e do morro Dona Marta, ocupando a parte mais alta do vale do rio Carioca. Antes, conhecido como "Águas Férreas", tem como rua principal a Rua Cosme Velho, que é a continuação da Rua das Laranjeiras.

O Cosme Velho, considerado um bairro literário do Rio de Janeiro, é marcado pelo passado, tanto pelos monumentos históricos como pela memória dos moradores ilustres. Foi endereço de artistas, escritores e compositores como Machado de Assis, Manuel Bandeira, Euclides da Cunha, Austregésilo de Athayde, Alceu Amoroso Lima, Cecília Meireles, Jorge Mautner e muitos outros. 

Também é um ponto turístico importante, pois nele se localiza a primeira estação do Trem do Corcovado que leva os turistas ao principal ponto turístico da Cidade Maravilhosa: Cristo Redentor.

Ideal para quem busca um circuito alternativo que a cidade oferece.


** FICHA TÉCNICA DA CASA BELUDI **

- Endereço: Rua Marechal Pires Ferreira, 92  •  Cosme Velho  •  Rio de Janeiro, RJ  •  Brasil

- Phone: 55 21 3563-8759 / 21 7155-3612
- Contato / Reservas: casabeludi@gmail.com
- Site: http://www.casabeludi.com.br/
- Número de Quartos: 6
- Animais na casa: 1 cachorro e 2 gatos bem amigáveis 
- Como chegar: táxi, Uber,  metrô da estação Largo do Machado + ônibus 580)
- Acessibilidade: somente por escadas
- WiFi: gratuito e disponível aos hóspedes

- TripAdvisor: nota máxima, que é 10, com 39 avaliações (na data de hoje), encontrando-se na posição 56 dentre as 293 pousadas listadas no site. Confira aqui.
- Booking.com: nota 8.7, com 34 avaliações (data de hoje). Confira aqui.




- Da Casa Beludi para:

. Santa Teresa - 12 min carro / 30  min a pé
. Copacabana - a 6km de distância, tem ponto de ônibus na Rua Cosme Velho bem perto da Casa Beludi. Em condições normais de trânsito, 25 min
. Lagoa - 8 min carro
. Ipanema - 18 min carro
. Leblon - 12 min carro
. Aeroporto Santos Dumont - 17 min carro
. Centro da cidade - 19 min carro (ou ônibus 580 que deixa na estação de metrô Largo do Machado e seguir no sentido centro para as estações Cinelândia, Carioca ou Uruguaiana)
. ​Aeroporto Internacional - 30 min de carro / 20km de distância 
. Rodoviária Novo Rio - 7km de distância 
. Estádio do Maracanã - 9km de distância






** FAZENDO TURISMO **



• Estação do Bondinho no Cosme Velho - A estação do trem que leva ao Cristo Redentor sai da Praça São Judas Tadeu, bem em frente à igreja dedicada ao mesmo santo. O passeio é magnífico e deve constar no roteiro de todo mundo que visita a cidade.

• Igreja São Judas Tadeu - Igreja de São Judas Tadeu, o santo das causas impossíveis. Padroeiro do time Flamengo.

• Museu Internacional de Arte Naif do Brasil‎ - O museu fica em um belo casarão do século XIX e dispõe do maior e mais completo acervo de Arte Naif do mundo.

• Largo do Boticário - Pequeno e charmoso conjunto habitacional tombado pelo patrimônio histórico e belamente preservado pelos moradores locais.

• Bica da Rainha - A primeira fonte de água ferruginosa descoberta no Brasil, foi construída no início do século XIX, pela Rainha D. Carlota Joaquina, esposa de D. João VI, que vinha ao Cosme Velho tratar de um problema de pele nas águas ferruginosas que emanavam desta fonte. O passeio era frequentemente realizado por D. Carlota, que trazia em sua companhia D. Maria - A Louca e seu séquito de damas, dando origem à expressão popular "Maria vai com as outras", em referência as damas que acompanhavam a rainha mãe à todos os lugares. Por seu valor cultural, a Bica foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1938.
Endereço: Rua Cosme Velho, 381


• Feira da Praça General Glicério, em Laranjeiras, que ocorre pelas manhãs aos finais de semana

** SUGESTÕES GASTRONÔMICAS DA REGIÃO **

É possível ir caminhando em todos esses ou, se preferir um táxi, a distância será bem curtinha. Nós optamos por ir ao Boteco DOC, que havíamos conhecido no final do ano passado o de Ipanema. Aliás, soubemos que o de Ipanema fechou, infelizmente... Como não conhecíamos ainda o de Laranjeiras, fomos lá conferir e adoramos! Cervejas artesanais a preços bem honestos e um trio de mini burgers maravilhosos fizeram da nossa noite ainda mais especial! Super recomendamos. Fomos caminhando mesmo e voltamos de uber, só porque já passava da meia noite e achamos melhor do que caminhar.

- Boteco DOC: R. das Laranjeiras, 486 
- Assis, o Bistrô do Harmann (onde morou Machado de Assis): R. Cosme Velho, 174
- Mamma Rosa: R. das Laranjeiras, 506
- Prana Vegetariano: Praça Rua Ererê, 11 Loja D - Praça São Judas Tadeu - Cosme Velho
- Orange Burger Food Truck: 15 - R. Sebastião de Lacerda, 1 - Laranjeiras
- Balada Mix: R. das Laranjeiras, 430




Nenhum comentário:

Postar um comentário