terça-feira, 8 de março de 2016

Dica de Restaurante no Rio de Janeiro: Casarão 1903

Visitamos o Casarão 1903, em Botafogo, há poucos dias e vamos contar aqui para vocês como foi essa nossa excelente experiência gastronômica.

O restaurante ainda pode ser considerado como recém inaugurado, com cerca de 3 meses de funcionamento, na Rua Marquês de Olinda, n. 94, localizado no Bairro de Botafogo, um bairro muito querido por nós e que vem se destacando cada vez mais no cenário cultural-gastronômico com a inauguração nos últimos anos de ótimos bares, bistrôs, restaurantes, cafés, dentre outros.




Os arredores da estação de metrô Botafogo já estão consagrados como um dos locais preferidos para combinar um happy hour pós trabalho, por exemplo, pela quantidade e diversidade de bares, presença crescente de ótimos hostels que vêm surgindo e facilidade de acesso por causa do metrô.

Aliás, é bem fácil chegar no Casarão 1903 de metrô de você preferir. Basta descer na estação Botafogo, pegar a saída para a Rua Muniz Barreto (você vai sair do metrô em frente ao Hell's Burger.... resista à tentação, siga adiante porque valerá a pena), caminhe no sentido contrário dos carros, passando pelo Botafogo Praia Shopping até chegar na Rua Marquês de Olinda. Vire à esquerda, observe a numeração das casas e logo logo você vai se deparar com um edifício lindo, imponente, que se destaca pelas construções ao seu redor, reformado na sua parte estrutural, com a fachada, do início do século XX, tombada pelo Patrimônio Histórico e Cultural, e tudo isso estará te esperando para você conhecer.
Eis o Casarão 1903!



Eu dei toda essa explicação, mas, na verdade, eu fui de táxi porque eu estava no centro e seria mais rápido e mais prático.

Logo ao entrar, já ficamos encantados com a enorme estante ao fundo que exibe os cerca de 200 rótulos de cerveja que o Casarão 1903 oferece!




Eu confesso que não conhecia várias delas. Isso porque a proposta da casa é privilegiar as cervejas gourmets produzidas pelos cervejeiros de pequena escala, aqueles de "fundo de quintal", que ainda usam a garagem de casa para armanezar a cerveja, ou seja, os verdadeiros alquimistas que fazem por prazer o líquido mais querido pelos brasileiros.





Essa mesma estante apresenta diversos itens de decoração em perfeita harmonia com as garrafas e caixas de cerveja, tais como relógios e rádio antigos, máquina registradora, cabine de telefone londrina, livros.... tudo com um toque vintage que ficou lindo.






Reparem também nos quadros que adornam as paredes. Os da entrada são os mais legais, inclusive com imagens que a gente deduziu que foram registradas durante a Lei Seca nos EUA, fruto da Grande Depressão vivida nas décadas de 20 e 30.






As paredes em pedras também se destacam e o mais legal é saber que são originais da construção do casarão, que remonta ao ano de 1903.

Diga-se de passagem que sua fachada é tombada pelo Patrimônio Histórico e Cultural em razão do alto valor que possui e foi cuidadosamente reformada durante as obras que foram feitas no edifício ao longo de 6 meses que antecederam a sua inauguração.



Outro destaque vai para a cozinha que possui aberturas para quem quiser ver o que está acontecendo lá dentro e eu acho essa transparência muito importante porque quem não deve não teme, certo? A cozinha tem equipamentos muito modernos!



Até mesmo a decoração do banheiro é bacana e super moderna.


Mesas com bancos altos mescladas com algumas mesas baixas conferem ainda mais charme à casa e trazem um ar retrô que tem tudo a ver com o estilo do Casarão 1903.

Maaaassss, para quem tem problemas na coluna e de DNA (data de nascimento avançada rsrs), sentar-se nos bancos altos por muito tempo pode ser desconfortável já que o encosto para as costas é pequeno. Como eu acabei me mexendo muito para tirar as fotos, não tive problemas. Agora, se eu tivesse que ficar umas duas horas direto sentada, acho que minha lombar e minha cervical iam reclamar.


O salão do restaurante tem um bom tamanho e capacidade para 60 pessoas sentadas. Eles aceitam reserva de mesa desde que pelo menos a metade das pessoas esteja presente quando do horário agendado, o que é ótimo para comemorações.




Ou seja, pelo que vocês podem perceber nas fotos, trata-se de um ambiente que transborda personalidade, preservando alguns traços e histórias do local, embalados por uma pegada rock que é super marcante no Casarão e percebido nos vídeos clips que passam nas TVs, em alguns quadros de decoração. ... e, principalmente, no cardápio, assinado pela Chef Vivi Cabral, que, com muita criatividade e descontração substituiu os nomes dos pratos por títulos de músicas que são ícones e referências quando o assunto é Rock!




Fomos muito bem recebidos pelos proprietários Dudu, Renata e Rafael e conversamos bastante com eles durante toda a noite, conhecendo um pouco das suas vidas, suas paixões, suas trajetórias que se uniram neste empreendimento comum. 



Os três são grandes entusiastas e empreendedores, já detentores do know how para lidar com restaurantes, já que Renata e Rafael, que são primos, também são proprietários do Restaurante Manolo, que fica literalmente em frente ao Casarão 1903 e foi inaugurado há 50 anos por seus pais, que vieram da Espanha fugindo da Guerra Civil, em busca de melhores oportunidades.

Mas vamos então falar da melhor parte? Que tal?



Nós "iniciamos os trabalhos" rsrs com uma deliciosa entrada, a Stand by Me, de lâminas de ciabatta, queijo brie derretido, lascas de presunto de Parma desidratado e figo (6 unidades por R$26.90). Muito saboroso, essa entrada realmente nos surpreendeu porque eu achei que era goiaba e Julio que fosse romã.



O figo foi realmente um toque especial na finalização da entrada, cuja apresentação do prato estava impecável. O prato vem com unidades e custa. O valor talvez seja um pouco elevado se for comparar com bares e outros restaurantes, mas vale a pena experimentar e dividir com os amigos.



Servida junto com a entrada, experimentamos a cerveja Fraga, uma Ipa artesanal, com 50% IBU e 6% de álcool, de fabricação carioca, que harmonizou muito bem com as entradas que nos foram servidas. A cerveja é forte, com um amargor bem definido, mas que não deixa resquícios após engolir. Gostei bastante até porque eu sou fã de cervejas de paladar mais encorpado.





Na sequência, foi-nos oferecido, ainda como entrada, o Hey Joe, que se trata de croquetes de rabada com pesto de agrião picante, servido em porção de 6 unidades, no valor de R$34,90.



Hummmmm... gente, que sabor!! O que me chamou atenção foi encontrar pedaços de carne desfiada dentro do croquete que estava muito saboroso, sequinho, com ótima consistência e o molho estava perfeito!



Também experimentamos (de olho grande rsrs) os croquetes que a Renata e o Rafael pediram para eles, o Smoke on the Water que são croquetes de linguiça de churrasco com molho de vinagrete agridoce (porção de 6 unidades por R$31.90). Igualmente saboroso! Mas o de rabada é mais ousado e tem sabor mais marcante.



Ainda estávamos aguardando o carro-chefe da casa, que são os hambúrgueres, quando aceitamos a sugestão da Ana Paula, garçonete que nos acompanhou durante a noite com muita simpatia e com ótimas sugestões para as cervejas, e degustamos a Hocus Pocus, outra cerveja artesanal, em estilo Belgian Golden Strong Ale, também carioca, mas que possui um aroma e um leve sabor de banana, que pode até soar estranho em um primeiro momento, mas que realmente nos surpreendeu por ser saborosa, não era doce nem enjoativa.



E muito rapidamente chegou o My Generation, um suculento hambúrguer formado pelo blend de fraldinha, patinho e bacon moídos juntos, perfeitamente colocado em cima do molho especial de cebolete e finalizado com o delicioso e levemente derretido queijo cheddar, servidos em um pão de aipim e acompanhados de chips de aipim ou batata rústica - no meu caso, serviram as duas - e salada da casa, por R$29,90.



Ou seja, o hambúrguer pode ser mais barato do que uma opção de entrada e isso é algo muito curioso até, mas que pode ser um ótimo atrativo da casa para os famintos rsrs...

Embora o hambúrguer não seja um dos maiores que já comi, ele foi suficiente para quem já havia dividido duas entradas e ainda estava na expectativa pela sobremesa rsrs... O preço é compatível com o que é cobrado por outros bares e restaurantes que servem burgers gourmets. A única queixa vai para o chips de aipim que, embora muito crocante, chegou à mesa já meio frio.

Os chips de aipim são feitos lá no Casarão 1903, mas as batatas rústicas são de um fornecedor.


Outras opções da casa são:

- House of the rising sun: hambúrguer 180g de ossobuco e bacon moídos juntos, queijo gruyère e molho negroni no pão de hambúrguer de aipim – (R$32,90)
- Fortunate Son: hamburguete de bacalhau moído, cebolas roxas, tomate, alho poró, queijo de cabra e molho de brócolis, servido no pão preto australiano – (R$31,90).
- Viva la Vida: mini porções de fritas noisettes gratinadas com queijo coalho e molho picante - (R$27,90)
- Hey Joe: croquete de rabada com pesto de agrião picante - (R$34,90)
- We will rock you: pirulitos de cordeiro com molho maçã verde, ou de camarão com molho de curry vermelho - (R$32,90)
- Pastéis de costela bovina: R$29,90 com seis unidades. 
- Come together: arroz de rabada com mini agrião - (R$29,90) 
- I got you babe: ninho crocante com molho de atum - (R$32,90)

Já deu para perceber que uma visita apenas ao Casarão 1903 não será suficiente para você desgustar tantas gostosuras presentes no cardápio, né? Ai ai ai ai ... eu mesma já preciso voltar logo!!

Mas calma aí que a melhor parte (para as formiguinhas de plantão!!) ainda não havia chegado: A SOBREMESA!

Não resisti quando vi no cardápio a presença do sorvete de parmesão. Eu juro para vocês que poderia ser até mesmo puro que eu escolheria esse sorvete, pois amo muito muito tudo o que é feito com queijo e as sobremesas são o meu ponto fraco.

Então eu pedi o Piece of my heart que é um rolinho crocante (lembra um harumaki) de doce de leite caseiro feito lá mesmo na casa, servido com sorvete de parmesão (R$19.90) e era maravilhoso!! Especialmente para quem estava (do verbo não estava mais naquele momento) fazendo dieta, sem comer doce há quase 2 semanas, aquele sorvete de parmesão foi dos deuses para mim e a combinação com o rolinho de doce de leite foi incrível!


Já o Julio optou pelo Paint it, black, um petit gateau de 80% komabo, servido com sorvete de creme e calda de chocolate (R$24.90), muito saboroso também, como tudo que experimentamos, com sabor forte de chocolate, mas não chegava a ser amargo. Era na medida.


Eu só tenho uma reclamação: acabou rápido demais! kkkk... bem que podia vir mais porque era muito bom!


Foi-nos servida uma cerveja para acompanhar a sobremesa que se não tivessem me dito que se tratava de cerveja, eu certamente não adivinharia. Parecia um vinho rosé ou um espumante, servida com gelo, com coloração rosada, bastante frutada tanto no aroma como no sabor, com toque marcante de frutas vermelhas. Muito leve, doce, realmente foi bastante adequada para tomar junto com a sobremesa.



Mas a noite não havia acabado ainda. Aliás, devo dizer que nós praticamente fechamos o restaurante rsrs... vimos todos os clientes irem embora, a cozinha ser lavada, as cadeiras sendo levantadas... e o papo estava tão bacana com o Rafael, a Renata e o Dudu que nós fomos ficando mais e mais (ninguém tinha que trabalhar na sexta, né? rsrs... #sóquenão!).


Portanto, seduzidos rsrs nós ainda degustamos o delicioso licor de cerveja que foi a grande surpresa do final. Muuuuito gostoso, embora super docinho e apropriado como digestivo ao final da refeição. Aliás, nós degustamos uma segunda vez só para ter certeza de que é bom demais! 


E ainda conhecemos o sorvete de cereja com chocolate! Sim, sorvete de cerveja! Super diferente, né? Olha, ele é diferente e só mesmo experimentando para saber descrever. De todo modo, não foi o nosso preferido, até porque depois do sorvete e parmesão, que eu amei, dificilmente outro roubaria o seu posto e não foi o cerveja que me encantou. Acho válido provar, até porque a casa tem essa proposta de oferecer todos os possíveis produtos à base de cerveja. Mas eu não morri de amores pelo sorvete de cerveja e acho que não pediria novamente.


Agora, percebam que o Casarão 1903 tem em sua carta de cerveja, desenvolvida por Fabiano Velho, cerca de 200 rótulos e vocês devem ter reparado que nós apenas conhecemos 3 delas. Você poderá também se deliciar com as cariocas como a Funk IPA (R$32,00 – 500ml) e Rio de Colônia (R$34,00 – 500ml) da cervejaria 2cabeças; Matilda Weiss (R$33,00 – 500ml), Virgulino (R$29,00 – 300ml) e Bill’s Beer (R$30,00 – 600ml) da Mistura Clássica, Ninã (R$19,00 – 300ml) da Jeffrey, Summer Ale (R$19,00 – 355ml) da Röter e Bianca (R$29,00 – 600ml) e Amara (R$38,00 – 600ml) da Noi. As internacionais também estão presentes, a exemplo da Anderson Valley Summer Solstice (R$39,00 – 355ml), Paulaner Salvator (R$19,00 – 330ml), Weihenstephan Korbinian (R$39,00 - 500ml) e Anchor Brewing Bock Beer (R$31,00 – 355ml).



E aí gente, deu água na boca? Gostaram? Então não fiquem aí aguando e vão lá conhecer o Casarão 1903! Nós adoramos, recomendamos e voltaremos!





** FICHA TÉCNICA **

Nome: Casarão 1903
Endereço: Rua Marquês de Olinda, nº 94 - Botafogo
Telefones: 2551-9749
Capacidade: 60 pessoas
Estação do metrô: Estação botafogo - saída Muniz Barreto
Horário (inclusive em feriados): Domingo e terça a quinta – 17h30 à 01h, Sexta e sábado – 17h30 as 02h – fecha as segundas
Acesso para deficiente físico com banheiro adaptado: Não
Área de fumantes: Não
Entrega em domicílio: Não
Wireless: Wifi,grátis
Inauguração: Dezembro de 2015



2 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá, Antonio!
      Fico feliz por ter gostado!
      Nós que agradecemos o convite!
      Adoramos tudo.
      Muito obrigada e até a próxima!
      Abraços,
      Lily e Julio

      Excluir