quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Rio de Janeiro: o estonteante nascer do sol do Mirante Dona Marta!

No último final de semana do mês de agosto de 2015, nós nos aventuramos num verdadeiro programa de índio (só faltou colocar o cocar rsrs).

Como assim? Pois é, às vezes  (ou pelo menos uma vez na vida) eu embarco nas idéias malucas dos amigos e topo uns programas diferentes e inusitados.

Quando recebi o convite da Lu (@aventurasdalu) para assistir ao nascer do sol lá no Mirante Dona Marta, um mirante localizado no Morro Dona Marta, entre os bairros de Botafogo e Flamengo, dentro do Parque Nacional da Floresta da Tijuca, no caminho para o Corcovado, logo pensei: "Nossa, que doido! Como vou chegar lá às 5:00 da madrugada para esperar o sol nascer?".

Olha, só posso adiantar uma coisa agora: Foi Sensacional!



Então vamos contar aqui para vocês os detalhes dessa aventura!

O convite, como já disse, partiu da Lu que já havia combinado tudo com a Nathy (@nex.trip). Acabou que, ao expor para um grupo de colegas blogueiros e instagrammers no whatsapp, onde estávamos tentando marcar uma trilha, sobre a idéia de ver os primeiros raios de sol lá do Mirante, a maioria aderiu e topou embarcar nessa idéia supostamente maluca kkk... Afinal de contas, uma doideira coletiva tem mais graça e é mais divertida.

O Mirante Dona Marta, a 364 metros de alturaencrustado no meio da floresta da Tijuca, tem entrada gratuita, não fica vedado por portões nem grades, ou seja, acesso é livre (mas há restrições para animais, como cachorros, pois, se os fiscais estiverem presentes, podem barrar a entrada deles) e é dele que se tem a vista mais famosa da Baía de Guanabara com o Pão de Açúcar, aquela que aparece em várias fotos oficiais da cidade, de fotógrafos famosos e, principalmente, das novelas globais.

Você sabia que a construção do Mirante Dona Marta foi uma Homenagem à mãe do Vigário Geral Clemente Martins de Mattos, antigo proprietário da Quinta São Clemente, além de ter sido o primeiro ponto turístico no caminho que leva ao Corcovado?

Outra que talvez vocês não saibam ou não lembrem, que elevou o Morro Santa Marta ao conhecimento internacional, foi a vinda do Michael Jackson, em 1996, ao Brasil, ocasião em que ele gravou o clipe da música "They don't care about us" e usou cenários como o da Favela Dona Marta e do Pelourinho, em Salvador, para fazerem parte do clipe. Isso deixou a comunidade mais conhecida, eu diria até que Pop e foi o início de uma série de projetos de pacificação, levando mais insfraestrutura, eventos... eu mesma já fui a algumas festas na Quadra do Santa Marta e me diverti bastante.

Mas vamos voltar a falar do nascer do sol! Gente, tem que ter muita vontade mesmo, muito amor pelo nascer do sol, para acordar às 4:00 da madrugada de um domingo e sair de casa para chegar lá às 5h!

Um breu que impedia até mesmo de enxergar o Pão de Açúcar ao longe

Os primeiros raios surgindo e já dava para ver o Pão de Açúcar, por volta das 5:30 da manhã

Contraste lindo da cidade iluminada e o céu alaranjado

Mas lá fomos nós, dividindo táxi com o Bruno (@viajandocombrunosgromo)!

Aliás, para as pessoas desmotorizadas como nós, a primeira dica é baixar os aplicativos para celular de Táxi  (99 Táxis dá um desconto de R$30,00 para a primeira corrida solicitada, desde que a forma de pagamento seja cartão de crédito) para solicitar o táxi de madrugada por ele.

Estávamos na Zona Sul e o trajeto que pegamos foi pelo Túnel Rebouças, saindo no Cosme Velho, Ladeira dos Guararapes, pegamos a Rua do Cosme Velho, a Estrada das Paineiras e, por fim, a Estrada do Mirante Dona Marta.

Trajeto entre a Lagoa Rodrigo de Freitas e o Mirante Dona Marta, pelo Túnel Rebouças e Cosme Velho


Esse trajeto é muito parecido, em parte, com o trajeto que se faz para subir de carro o Corcovado até o Cristo (se seguíssemos direto pelas Paineiras, chegaríamos à Estrada do Corcovado).

Tem que ter cuidado para não errar o caminho e acabar entrando em alguma favela da região. Se seguir direitinho pelas estradas indicadas, não terá problema nem verá as comunidades. Além disso, há sinalização nos pontos que podem gerar dúvida, indicando o caminho a seguir.

O aplicativo de celular Google Maps tem o Mirante Dona Marta marcado e traça direitinho a rota a ser seguida.

Nós gastamos cerca de 20 minutos para chegar lá  (foi bem rápido porque era madrugada) e a corrida ficou em R$35,00. Como o Bruno chamou o Táxi pelo aplicativo do 99Táxis, no final das contas, a corrida ficou em R$5,00.

Lá chegando, encontramos a Nathy (@nex.trip), seu marido Felipe e primo dele, também a Amanda (@prefiroviajar) com mais 3 amigas. Logo depois chegaram a Lu (@aventurasdalu) e a Tati (@tattytoptrips).

Pronto! O grupo estava completo, com 12 pessoas no total, unidos na louca paixão por belas paisagens, fotos e pelo sol!

Como chegamos super cedo, fazia frio e sugiro levar agasalho.



Também recomendo que somente se vá em grupos, porque não acho legal ir para o Mirante Dona Marta tão cedo e sozinho ou só em 2 pessoas, porque todo o entorno é deserto , coberto por um breu que chega a dar medinho.

Tudo absolutamente escuro e só as luzes da cidade, lá embaixo, a nos situar na Cidade Maravilhosa.

E os primeiros raios solares foram surgindo no horizonte, despontando para o novo dia que chegava lindo e radiante!

Da esquerda para a direita: eu, Lu, Bruno (abaixado), Tati e Amanda



Perto das 6h da manhã, as luzes alaranjadas foram tomando conta do céu, num espetáculo de cores que nenhuma foto é capaz de reproduzir tão fielmente ao que vimos com nossos olhos.
  

É lindo de viver!!

E não é que essa doce maluquice, essa proposta que soou tão inusitada num primeiro momento, estava ali se transformando num dos espetáculos da natureza mais belos que já presenciei?



Que bom que venci a preguiça e até mesmo o cansaço e consegui acordar às 4h da madrugada em pleno domingo para assistir ao nascer do sol, bem ao lado do Pão de Açúcar, grande cartão postal da Cidade Maravilhosa!






Foi uma linda manhã, com pessoas queridas e embaladas pelo mesmo encanto, admiração e eu diria que até mesmo uma leveza espiritual por estarmos ali juntos e curtindo esse momento tão especial.

Outras pessoas também chegaram já depois das 6h. E eu que achava que só nós éramos loucos o suficiente para isso kkkk...

E o sol raiou de vez! Acompanhem pelas fotos como foi lindo o amanhecer!




Quando ele desponta no horizonte, é muito rápida a sua subida. 

Logo logo ficou tudo muito claro e aquele alaranjado belíssimo cedeu lugar a um dia bem iluminado.







E a turma estava animada, curtindo o sol nascer!!

Difícil mesmo era reunir todo mundo para tirar foto junto, já que ninguém conseguia parar de olhar para o sol e de tirar fotos dele! kkkk... mas conseguimos e estamos aí!!

Da esquerda para a direita: Amanda, Bruno, Lu, Tati, eu, Julio e Nathy

Da esquerda para a direita: Bruno, eu, Lu, Tati, Nathy e Amanda

Assim, as luzes da cidade apagaram-se, o sol brilhava no alto do céu e nossa aventura chegava ao fim.




E pudemos apreciar uma das melhores vistas panorâmicas da cidade! 

De frente, a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar.


De outro lado, a Ponte Rio-Niterói, a Zona Norte, o Maracanã e toda a imensidão verde da Floresta da Tijuca.


Olhando para trás, o Corcovado e o Cristo Redentor, de braços abertos para a Guanabara.

Da esquerda para a direita: eu, Lu, Tati, Nathy e Amanda (em cima), Felipe e Bruno (embaixo)

E para o outro lado, a Lagoa Rodrigo de Freitas!


Ou seja, um brinde para nós com tanta beleza!! E a cidade acordava, vagarosamente, para um domingo que começava.

Fim? Calma aí... e como faz para descer de lá?

Ah.... essa foi outra grande aventura do dia que mal começava rsrs... Nós tentamos pelos menos uns 7 taxistas que foram chamados pelos aplicativos Easy Táxi e 99 Táxis. Eles aceitavam e depois cancelavam.

Um até chegou a ligar de volta perguntando onde exatamente estávamos.


Após meia hora sem saber como iríamos descer, eis que a Nathy sugeriu de descer de carro - ela foi esperta e estava lá de carro rsrs... - e levou com ela a Tati e a Lu. A essa altura do campeonato, a Amanda já tinha ido embora. Então a Nathy deixou a Tati lá embaixo, perto da entrada do bondinho para subir o Corcovado e a Tati ficou por lá chamando o táxi à moda antiga e depois subiu tudo de novo com ele para nos buscar - eu, Julio e Bruno, que havíamos ficado para trás. 

No final das contas - agora sim, no final! - a gente desceu por volta das 7:30 da manhã e já havia guarda florestal por lá, o dia estava claríssimo, apareceram três corredores que muito provavelmente subiram correndo pela Estrada das Paineiras, que é super famosa para prática de esportes, ciclismo, skate, dentre outros... ou seja, já estava com certo movimento.

E ao lado do Mirante Dona Marta está um heliponto, de onde saem voos panorâmicos que sobrevoam o Rio de Janeiro.

Como Chegar:


Nós fomos de táxi, os amigos foram de carro (lá tem estacionamento), mas também é possível chegar no Mirante Dona Marta por meio de uma trilha que começa na Favela Santa Marta, localizada no Bairro de Botafogo. Tem que pegar o elevador até o ponto mais alto e fazer uma trilha de 30 a 50 minutos de caminhada em terreno que pode ser escorregadio e íngreme.

Detalhe: ônibus não chegam lá no Mirante Dona Marta!

Então, o que acharam? Um programa de índio digno de quem ama a Cidade Maravilhosa e é apaixonado pelo sol - seja o seu nascer, seja a sua despedida - nós realmente nos surpreendemos e tivemos uma experiência maravilhosa e inesquecível!

Mais uma vez, não recomendo que se vá sozinho nem em grupos pequenos. Quando a gente chegou lá e viu aquele breu todo, absolutamente escuro, deu medo, viu? Mas em grupo grande, sendo tudo combinado direitinho, a experiência é realmente daquelas que levamos para o resto da vida!

Pôr do Sol:

Há quem vá para o Mirante Dona Marta para assistir ao pôr do sol. Mas, nesta época do ano, eu acho que o sol está se pondo atrás do Corcovado, portanto, não tem muito ângulo para fotografar o pôr do sol propriamente. Todavia, será possível ver os tons de cores do céu, a cidade ganhando suas luzes. Deve ser bem bonito também! Ainda assim, mais uma vez, eu recomendo que se vá em grupo e, de preferência, com carro para não ter perrengue na hora de descer, ok?

O que levar: 


- agasalho, pois faz frio de madrugada
- repelente, aos mais alérgicos
- óculos escuro, principalmente quando o sol nasce
- roupas confortáveis
- não levei câmera profissional por medo, mas até drone o pessoal levou. Portanto, vai da responsabilidade de cada um
- água
- lanchinho, já que nem deu tempo de comer algo às 4h da madrugada em casa

Quando ir:


Qualquer época do ano é possível ir lá. A dica é verificar na véspera os sites de previsão do tempo para saber se terá sol ou não. Se houver muita chance de chuvas, eu recomendo não ir. Não vale a pena ir em dias chuvosos nem em dias de muito nevoeiro.

É preferível ir aos finais de semana, quando tem mais movimento e, por consequência, a sensação de segurança é maior, ainda mais quando chegam os guardas florestais. Durante a semana, o local fica mais deserto ainda.

OBS.: Todas as minhas fotos foram tiradas com meu celular, que é um Samsung Galaxy S4, pois não levei câmera profissional por medo mesmo. 








2 comentários:

  1. Parabensss Lili, que demais seu texto.
    Vc é show!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieeeeee!!!
      Que bom ver seu recadinho aqui, Bruno!
      Tivemos um dia incrível, né?
      Deu tudo certo e os passeios foram maravilhosos com companhias excelentes!
      Obrigada pela mensagem!
      E até a próxima trilha, né?
      Bjs,
      Lily

      Excluir