terça-feira, 22 de setembro de 2015

O Paraíso se chama Fernando de Noronha... por Luiza Zarili - Guia Completo com seu Relato!

É com imenso prazer que compartilho com vocês dicas bem fresquinhas - ou melhor, quentinhas! rsrs - trazidas para nós Apaixonados por Viagens pela viajante Luiza Bernardi Zarili, que esteve há poucas semanas (final de julho e início de agosto) no nosso paraíso brasileiro, que desbanca muitas ilhas caribenhas: Fernando de Noronha!

Após ler seu relato tão completo e maravilhoso no grupo do Facebook que fala sobre Fernando de Noronha, eu convidei a Luiza para trazer para a gente suas preciosas informações atualizadas.

Como vocês sabem, eu estive em Noronha em 2009 - vejam aqui o Post Índice com várias dicas deste destino - e, desde então, por completo amor e paixão que tenho por esse arquipélago, eu acompanho as notícias, os relatos, os problemas - sim! 




Paraísos também sofrem com problemas e Noronha vem há tempos sofrendo com escassez de água potável, (em 2015, o arquipélago sofreu a pior seca em 50 anos - leia mais aqui informações sobre o abastecimento de água da ilha) pois é uma ilha vulcânica e a água advém de um processo de dessalinização e havia também um manancial/açude que está em níveis baixíssimos, também sofre com o abastecimento de energia elétrica e teve até um problema com coleta de lixo no ano passado... ou seja, eu estou atenta ao que se passa lá e fiquei muito feliz quando a Luiza aceitou meu convite para contar aqui para a gente como foi a sua experiência neste destino tão cobiçado por muitos e que nós desejamos que permaneça sendo bastante protegido... nosso paraíso!


RELATO DOS MEUS DIAS NA ILHA
por Luiza Bernardi Zarili
Primeiras dicas…

MELHOR ÉPOCA PARA IR: 

Noronha é sempre linda, mas ela muda em relação a cada época do ano.. se você curte surf, a época ideal é no verão: dezembro, janeiro e fevereiro são meses de muitas ondas por lá.

Já se prefere um mar mais calmo, de julho a outubro são os melhores meses, lembrando que setembro e outubro são ainda melhores para quem curte mergulhar, pois a visibilidade nesse período chega a ser de aproximadamente 50m embaixo da água. (Eu fui em julho/agosto).

CLIMA: 

Temperatura média de 28 graus, ou seja, é quente o ano inteiro.

COMO CHEGAR: 



Existem, se eu não me engano, 3 vôos diários para a ilha, vindos de Natal-RN (55 minutos) e Recife-PE (1:20h) e operados pelas cias aéreas Azul e Gol. Se você vem de outra cidade, será necessária uma conexão.

Obs. da Lily: São dois voos operados pela Azul (um saindo de Natal e outro de Recife) e um voo operado pela Gol, saindo de Recife. Esses dados estão sujeitos a mudanças, portanto, não colocarei os horários que podem ser alterados com o tempo, inclusive, até mesmo, essa quantidade de voos pode alterar. Em 2009, quando eu fui, a Tam voava para Noronha e não voa mais.

HOSPEDAGEM: 

É bom reservar o quanto antes. Assim que souber a data do voo, já busque pelas pousadas que gostar.

Vale olhar no Booking, mas, ainda assim, ligar para a pousada pode ser interessante por ser possível negociar descontos, principalmente para pagamentos à vista e antecipados. Quando fiz minhas pesquisas, a Ecocharme Pousada Miragem, por exemplo, dava até 15% a vista para 7 noites.

Lá é assim: tem desde as mais simples até pousadas de luxo! Então vai do orçamento de cada um, mas, vale ter em mente que se fica pouco dentro do quarto/pousada. 

Lembrem-se que acampar na ilha é proibido.



TAXAS: 

Existem duas taxas para se pagar em uma viagem à Noronha. 

- Primeira é a de permanência, que varia conforme os dias que for ficar. Eu, por exemplo, fiquei 7 noites e paguei aproximadamente 318,00 (pode ser paga antes da viagem pela internet ou no aeroporto quando chegar lá mesmo, mas eu optei por pagar antes para não perder tempo no aeroporto caso tivesse fila, porém, se for pagar antes, para não correr riscos é bom pagar uns dias antes, pelo menos uns 3 dias, se não acaba na fila de qualquer jeito).

- Segunda é a que dá acesso a várias praias da ilha (essa é um valor fixo e dura por 10 dias, em julho de 2015 custou R$81,00 para brasileiros). Essa também pode pagar pela internet, mas, chegando na ilha, tem que ir buscar a carteirinha e tirar uma foto. A vantagem de pagar antes é que você já gera o seu voucher e com isso pode pedir para a pousada agendar as trilhas que você quer fazer e não precisa esperar chegar lá para agendar e correr o risco de não ter disponibilidade.

RESTAURANTES: 

O famoso festival do Zé Maria é o que precisa ser agendado com maior antecedência, pois em determinadas épocas do ano lota e deixando para fazer a reserva lá corre o grande risco de ficar sem lugar. Portanto, se decidir que quer ir, recomendo se planejar antes, reservar e fazer o depósito do valor (reservei com cerca de 2 semanas antes da viagem e o valor em julho/agosto de 2015 era de 163,88 por adulto)

Uns em que eu não fui, mas também recomendam reservas antecipadas são o Mesa da Ana e o Palhoça da Colina. Por isso, verifiquem se há a necessidade de agendar antes e agendem caso queiram ir!

PASSEIOS: 

Vale procurar antes o que se quer fazer, pesquisar sobre a maré e a proximidade dos locais antes para conseguir montar um roteirinho básico. Acho legal também pedir dicas para a pousada onde estará hospedado de guias, passeios e tal... às vezes eles podem ter bons contatos e muitas vezes a própria pousada realiza certos passeios.

Fora isso, eu acho que vale a pena deixar para fechar lá, pois lá dá para negociar preços, pagando em dinheiro.

TRILHAS: a maioria precisa agendar e, como falei antes, pagando a taxa antes você já tem o seu voucher e pode então agendar antes mesmo de chegar na ilha, o que é mais garantido e até mais prático.

OUTRA DICA: 

Existe um grupo no facebook que me ajudou bastante: Dicas de Fernando de Noronha. É um grupo de pessoas que foram, vão e amam Noronha com intuito de passar suas experiências e tirar dúvidas. Lá você encontrará vários relatos de viagens de quem já foi, fotos e pode tirar quaisquer dúvidas que tiverem.

Bom, agora quanto a minha viagem:


Fiquei 7 noites em Noronha, cheguei dia 28/07 por volta das 13h30 (fiz o vôo da Azul por Natal e até aproveitei pra passar uns dias lá antes) e fiquei até 04/08 (fui embora com vôo da Gol por Recife, saindo de Noronha as 16h35).


Fiquei hospedada na Pousada Pedras Secas, que eu AMEI e super indico!!! Fiquei na suíte 5, que é da categoria mais simples da pousada e portanto não tinha vista para o mar, como outras superiores..

Isso não foi nenhum problema, pois todo dia de manhã eu tinha a vista do mar no café. O quarto não era grande, mas tinha tudo do que precisava: cama grande e confortável, ar condicionado, TV, frigobar, cofre.


O café da manhã era uma delícia e sempre tinha um pão caseiro, pão francês, um salgado e um ou dois tipos de doce (bolo ou torta), sucrilhos e cereais, iogurtes, café, leite, chá e além disso podia pedir os frios, sucos, frutas, misto quente, omeletes, tapiocas (peito de peru, presunto, queijo e, das doces, a minha preferida era de nutella, mas também tinha goiabada, leite condensado e coco. hummmm... só de pensar da água na boca, hahah).


A pousada também conta com chá da tarde que era muito bom e a gente sempre queria voltar pra comer!! Tinha sempre duas opções de salgado e duas de doce. As meninas da cozinha mandam muito bem lá. As quiches, mousses e os bolos eram muito bons! 


As meninas da recepção também eram muito boazinhas, prestativas e davam boas dicas! Eles fizeram nosso transfer também e a localização eu achei ótima!! É na Floresta Nova, pertinho da BR, descendo pela ruazinha dos fundos da pousada, em 2min já chegava na Praça Flamboyant, onde há ponto de ônibus bem na frente do restaurante São Miguel.


Mais ou menos no meio do caminho entre os dois pontos finais do ônibus (porto e sueste), dava pra ir a pé para jantar e para as praias do centro (Cachorro, Meio e Conceição).



Preço: na diária da pousada eu consegui um desconto de 10% e paguei em 2x: 50% logo que reservei e o restante no mês seguinte (mas tudo isso antes do mês de ir pra lá.) sendo R$525,00 por casal.

DIA-A-DIA:


Dia 1: 

Chegamos no aeroporto e o transfer da pousada já estava a nossa espera. Eles têm uma troller e, como não caberiam as malas de 4 pessoas e mais as 4 pessoas, ele levou as malas no carro da pousada e chamou um táxi para nos levar (por conta da pousada) e em 5-10 minutos já estávamos na pousada.

Fomos recebidos com um drink de boas vindas, preenchemos nossas fichas, deixamos as coisas no quarto, passamos no guichê da Praça Flamboyant para retirar nossas carteirinhas e fomos dar uma volta.



Passamos pelo Palácio São Miguel e pela Igreja de Nossa Senhora dos Remédios e voltamos. A ideia era conhecer as coisas por ali e ter noção do que estava próximo à pousada. 



Às 16h, saímos com o passeio de barco no pôr do sol, com o barco Tubarão Branco, que é da pousada em que estávamos. Eles levaram a gente até o porto onde embarcamos. Fomos só nós 4! O barco vai até o Morro Dois Irmãos e volta até a Conceição, onde fica parado para banho e para o pôr do sol, aí servem sanduíches, água, refri e uma garrafa de espumante Chandon. Muito legal!!!! 





Depois o transfer levou-nos de volta para a pousada, arrumamos as coisas no quarto com mais calma, tomamos banho e mais tarde saímos para jantar no Xica da Silva



Não estávamos com tanta fome e então pedimos dois pratos e deu para nós 4 comermos e ficarmos satisfeitos. O pedido foi: um strogonoff de camarão, acompanhado de arroz branco e batata palha e um peixe com molho de manjericão, servido com purê de jerimum e camarão gratinado. Gastamos lá uns R$205,00 (para 4 pessoas). Cada prato era em torno de R$70-90 reais e todos bebemos sucos, que era R$8,00.


Dia 2: 


Depois do café, pegamos um táxi e fomos para o Sancho.



Chegamos no mirante da Baía dos Porcos primeiro e então descemos para a praia (fizemos uma pequena burradinha, pois só percebemos que esquecemos de alugar a máscara e tal quando chegamos na praia. Então, eu e meu namorado subimos tudo de novo pra alugar. Logo, para quem não sabe: alugue antes de ir! Ali na lanchonete, antes de começar a trilha para os mirantes é onde aluga).



Praticamente meia hora depois é que pudemos aproveitar então a praia mais bonita do mundo! E realmente ela é linda!!! 



A água lá é hiper clara e a visibilidade é ótima. 




Ficamos lá até começar a bater uma fominha e então voltamos de ônibus até o Mundo Verde - Raízes, onde comemos um açaí. Eu pedi o com creme de cupuaçu e adorei!! Minha mãe pediu o com sorvete de tapioca e gostou também, eu já não gostei pois vai coco. Cada açaí de 500ml custou R$25,00 e compramos lá também uma água de 1,5L por R$7,00. 

De tarde, descemos para a Praia do Cachorro e ficamos lá na sombra das árvores.. depois, subimos para a pousada e tomamos o chá da tarde.




Saímos rapidinho na sequência e fomos para o Forte de Nossa Senhora dos Remédios onde vimos o nosso primeiro pôr do sol na ilha!



Nessa noite, jantamos no Cacimba Bistrô e pedimos dois pratos que serviam duas pessoas. E olha que acabou sobrando comida! Gastamos uns R$330,00 (divididos por 4 pessoas).


Os pratos foram R$149,00 e R$139,00, o suco custou R$8,00 e a caipirinha de sakê R$24,00. Como não demos conta dos pratos principais, não sobrou espaço para a sobremesa (mas voltei lá outro dia para comer.. esperem que já chego nisso.. haha)



Dia 3: 

Tínhamos agendado a Trilha Longa do Atalaia e, então, passaram pegar a gente de buggy e levaram lá pra onde começa a trilha. O guia estava nos esperando, mas infelizmente não podia entrar na primeira piscina.





Fomos lá apenas para ver e seguimos pela Trilha Longa, que eu acho super válida de se fazer, pois o trecho de caminhada é lindo demais e as outras duas piscinas onde paramos para banho são lindas e tem muita vida marinha.






Só não tenho como comparar com a primeira! Vimos muitos peixes, polvo, moreia, lagosta e tartarugas (a primeira vez que nadei com elas :D). 

O buggy estava nos esperando no fim da trilha e nos levou de volta pra vila, onde almoçamos açaí de novo, mas dessa vez fomos experimentar o do Açaí da Villa! Pedi o com cupuaçu de novo e adorei também!

Não tive um lugar que preferi.. mas no desse dia eu pedi uma porção extra de nutella e ficou ótimooo! 

Nesse, inclusive, era mais barato. O açaí com cupuaçu de 500ml custou R$20,00 e a porção de nutella foi R$3,00. De tarde, fomos para a Praia do Boldró.

À noite, para o jantar, fui somente com meu namorado no Restaurante Corveta, onde experimentamos um filé do porto que estava muuuito bom e foi suficiente para dividir em dois (custou R$89,17). O suco lá custou R$12,17,  o refri R$7,17 e a cerveja Heiniken custou R$10,17.


Dia 4: 

Pegamos o ônibus e paramos no ponto da Cacimba do Padre!

De de lá fizemos a trilha para a Praia do Americano, mas acabamos só vendo lá de cima e seguimos para a Praia do Bode, por onde passamos e chegamos na Cacimba.



Praia lindaaa!! Ficamos lá de manhã e fomos até a Baía dos Porcos também. 




Depois pegamos o ônibus e fomos até o Porto para fazer o mergulho com o Bodão e o Cosme, que trabalha com ele e fez nossas fotos e uns vídeos que ficaram bem legais.

O mergulho é super tranquilo! Eu achei que não vai tão fundo. Talvez por isso que eu não tenha sentido tanto o desconforto no ouvido, como já vi gente falando antes.




Tem uma boa vida marinha para contemplar! Nós nunca tínhamos mergulhado antes, então valeu bastante a experiência e agora vimos que gostamos da coisa hahaha...

Mas para falar a verdade, eu esperava um pouco mais do mergulho. Apesar de ser lindo lá embaixo, o instrutor que foi comigo não me largava (ele era gente boa, mas me incomodei com isso e vacilei em não ter falado nada ali na hora. Eu estava esperando a hora em que ele ia largar, haha).

Eu não estava com medo de ficar um pouco sem ele e queria ter tido uma sensação maior de liberdade. Numa próxima vez, vou querer fazer o mergulho embarcado para ver como é que é também e ter uma comparação (pretendo ainda fazer o curso de mergulho também, já que com a certificação é possível fazer outros mergulhos).

Observação da Lily: Em mergulhos de Batismo, que são aqueles para pessoas que não tem o PADI- o certificado de mergulhador, obtido após fazer cursos adequados para isso - a pessoa sempre vai acompanhada pelo instrutor e ele realmente não largará sua mão, pois isso é uma medida de segurança que deve ser observada. Em outras palavras, se você não tiver o PADI, sempre que fizer o mergulho, ainda que não seja o primeiro, ele será chamado de Batismo e obrigatoriamente haverá um instrutor com você. No meu caso, quando mergulhei em Noronha, nós embarcamos e fomos para bem longe da ilha principal. Ficamos próximos às ilhas secundárias e lá fizemos o mergulho. Desci a 12 metros, limite imposto para mergulhos de Batismo. Essa é outra diferença, porque se você tem o PADI, pode mergulhar mais profundo, a depender do curso, pois cada nível de curso vai permitir uma profundidade específica, por exemplo, a open dive, mais básica, permite o mergulho em dupla, mas só até 18 metros de profundidade, sem ter que dar a mão para o instrutor, e aproveitar essa visibilidade absurda de Noronha, que nessa época do ano - de julho a meados de outubro - pode alcançar os 50 metros de profundidade! Mas para chegar a 50 metros de profundidade, tem que fazer muita especialização. Não é um curso básico que vai permitir

Nessa noite jantamos no Bar do Cachorro. Fui só com meu namorado e pedimos duas porções: uma de batata e outra de lula. Tomei um drink e ele uma cerveja e, se não me engano, a conta deu uns R$130,00. 




Como nessa noite choveu um pouco e nós não tivemos pique de ficar até mais tarde ver o famoso forró do Cachorro. Por volta da meia noite já tínhamos ido embora e o forró estava só começando. O bom é que antes disso havia um cantor lá tocando MPB e estava ótimo!

Dia 5: 

Fizemos o passeio de barco com a Trovão dos Mares e foi sensacional!!! 



Passeio imperdível, na minha opinião, por ser super completo. 

Logo que entrei no barco, já me ajeitei na parte da frente e fomos ao encontro dos golfinhos! Coisa mais linda de ver! Um espetáculo!



Todo mundo pirou quando eles começaram a aparecer e tinham muitos!

Depois disso, o barco foi até a outra ponta da ilha, na Ponta da Sapata e, na volta de lá, ele parou no Sancho por 1h para banho,




Lá foi servido um almoço no barco mesmo, bastante simples, porém bem gostoso: tinha sashimi, saladas, arroz, pirão, purês, dois tipos de peixe. Além disso, para quem não come peixe, poderia até mesmo pedir carne, avisando antes para a agência que faz o passeio, que eles providenciariam. 



Na volta de lá, ainda vimos mais golfinhos de novo, perto do Porto. 

E, chegando no Porto, trocamos de embarcação para fazer o planasub, que é muuuito legal!!! Para quem tiver medo, pode ir com a prancha de um jeito que não tem como mergulhar e ai vai realmente sendo rebocado e só vendo tudo de cima.



Já pra quem quiser, e que vale muito a pena, pode ir com a prancha do jeito que mergulha e, assim, poderá ver muita vida marinha de perto e, até mesmo, tentar umas manobras e se divertir ainda mais.

Nessa noite fomos ao festival gastronômico do Zé Maria! 

Já havia lido muitos comentários contra e muitos a favor do festival. Para tirar a dúvida, eu quis ter a MINHA experiência. E sinceramente adorei!!! 

Realmente tem muita gente lá e, na hora da apresentação do prato, se você não vai logo para perto da mesa, você não enxerga nada (ainda mais se forem baixinhos como eu, hahaha). Eu só consegui ver direito a apresentação das sobremesas, que foi o Tuca, filho do Zé, quem fez naquele dia. 

A apresentação do Zé para os pratos principais eu só ouvi, por exemplo. Porém, é muuuuuita comida e tem tempo mais do que suficiente para você ficar cheio (mais que satisfeito). 



Logo que ele apresenta, fica cheia a mesa. Uma dica: você pode esperar uns 10 minutos sentado que então será mais tranquilo fazer seu prato e garanto que terá tempo de repetir mais 2, 3, 4 vezes ainda, se desejar! 

Outra super dica: guarde espaço para os doces, que são mais muuitas as opções. E, de novo, terá tempo de repetir quantas vezes quiser. Achei a comida muito boa e o ambiente é lindo. 



Observação: melhor internet da ilha, que funciona suuper bem! Uma pena que os visitantes têm direito a usar apenas 30 minutos.

Dia 6: 

Foi a vez da Trilha do Morro São José.

Até tínhamos agendado com guia, mas ele acabou atrasando. Como ficamos meio bravos, resolvemos fazer por conta própria e isso foi muito bom, pois iríamos pagar R$70,00 por pessoa de forma desnecessária porque dá para fazer de boa sozinho. 









Basta verificar o horário das marés e ir quando ela está mais baixa, em seu nível mais seco, para dar tempo de passar pelas pedras. Ainda assim, elas são mesmo escorregadias, então toda atenção é pouca! 

Já que é uma reta a seguir e o guia não tem como atravessar as pedras por você mesmo, então eu não acho que vale contratar um guia (mas essa é minha opinião). 

A piscina natural de lá realmente é linda! Uma delícia entrar depois da caminhada.

Quando voltamos, pegamos o ônibus ali no Porto e fomos para o Varanda almoçar. Pedimos um filé a parmeggiana delicioso que deu muito bem para duas pessoas. Gastamos em torno de R$115,00 (total para 2 pessoas). 

De lá, descemos a pé até a Vila dos Remédios e fomos então conhecer a Praia do Meio e depois ficamos na Praia da Conceição

Nesse dia estávamos cansados. Por isso, à noite nós comemos tanto no chá da tarde oferecido pela Pousada que nem saímos jantar.

Dia 7: 

Alugamos um buggy para nosso último dia inteiro de passeio!



O Valmir, que fica próximo à agência do Trovão dos Mares, foi com quem fechamos o aluguel por R$200,00. Ele deixou na noite anterior o buggy na pousada e colocou gasolina para nós (R$60,00).

Então, logo após o café da manhã, fomos ao Porto alugar máscara, snorkel, nadadeira e colete e acabei alugando uma câmera fotógrafica GoPro também (gopro hero 4 custava R$70,00, mas barganhamos e fechamos por R$50,00). 

Dica da Lily: Se você tiver o seu equipamento de mergulho - máscara e respirador / snorkel - leve o seu mesmo, pois você usará todos os dias e acabará gastando mais em aluguel do que se comprar um equipamento bem legal que será seu! Além disso, é mais higiênico usar o seu próprio, pois nós nunca sabemos como é feita a higienização desses equipamentos, certo? Com relação à câmera, eu não tenho GoPro - ainda sou resistente a esse efeito "bola" e confesso que detesto aquele cabo aparecendo o tempo todo rsrs... - mas tenho uma câmera aquática da Sony que  me atende muito bem fora e dentro do mar. Sony, Canon, Nikon e Olympus possuem bons modelos de câmeras aquáticas.

Cruzamos a imensa estrada federal rsrs - a BR que liga o nada ao lugar nenhum! - e fomos para a Praia do Leão.,

No caminho, paramos no Mirante das Caracas antes de chegarmos no Leão.




Andamos na praia para conhecer e lá encontramos uma câmera GoPro na beirinha do mar (não tinha mais ninguém na praia e era daquele modelo que não tem como ver foto. Pegamos e guardamos porque sabíamos que encontraríamos o dono). 

Fomos então para a Baía do Sueste onde fizemos snorkel. Não contratamos guia,  mas conseguimos ver tartarugas, raias, muitos peixes e um tubarão.



Pena que não deu tempo de clicar o tubarão com a GoPro.

Fizemos depois a Trilha dos Abreus (sem guia também) e foi de boa. 




Nosso almoço foi de novo no Açaí na Vila!

Depois, eu quis ir de novo ao Mirante do Sancho e no da Baía dos Porcos porque achei lindo demais e queria me despedir.

Não satisfeita ainda com a despedida (também, quem é que fica contente em ir embora de um paraíso??), fui nadar na Baía dos Porcos





Com o fim da tarde fomos ao Porto devolver os equipamentos de mergulho e subimos para a Capela de São Pedro e para a Enseada dos Tubarões, de onde avistamos os tubarões de longe. Não dava para vê-los tão bem, não sei se por causa da maré, do horário, da água naquele dia.

Seguimos, então, para o Fortinho do Boldró na esperança de assistirmos ao pôr do sol, que infelizmente se pôs nas nuvens. Mesmo assim, o céu estava lindo e lá de cima a vista é espetacular!

O cara do Porto com quem aluguei a GoPro foi na pousada para passar as minhas fotos pro meu notebook e para um CD, quando então pedimos pra ele emprestar o leitor dele para conseguirmos baixar o conteúdo da GoPro que achamos na Praia do Leão.

Conseguimos ver as fotos que estavam nela, só que, infelizmente, não tinha nenhuma pista ali, nada de pousada ou qualquer dica. 

Nosso jantar, nessa noite, foi no Sabor Noronha, onde comemos uma pizza, que é quadrada e gostamos bastante! Não lembro direito quanto deu a conta, mas acho que uns R$80,00 reais apenas. A pizza custou R$55,00.

Partimos, na sequência, para comer a sobremesa tão famosa do Cacimba: os churros. Chegamos no Cacimba por volta das 23h e já estavam para fechar!!! Disse que era minha última noite e que eu queria muito o churros, daí eles fizeram pra mim!!! 

O pessoal lá é muito gente boa e os churros são sensacionais!!!! Ele vem tipo um pastelzinho. Na verdade são 2: um recheado com nutella e outro recheado de doce de leite, acompanhados de sorvete e uma farofa de castanhas.. hummmmmm... que delíciaaa!!! Custou R$23,00 + 10%.

O problema é que fomos dormir pensando no que fazer com a GoPro já que iríamos embora no dia seguinte e pelas fotos vimos que o casal já estava na ilha há 7 dias também. Logo pensei em divulgar no grupo do Facebook para tentar achar o dono.

Dia 8: 

Acabamos deixando para arrumar a mala no último dia pela manhã, o que nos tomou um certo tempo.

Depois dessa função, passeamos pela Praia do Cachorro. Chegando lá, demos de cara com o casal das fotos da GoPro sentados na barraca!!!!! 



Fomos então falar com eles e devolvemos a câmera! Ficamos todos muito felizes! Quando as coisas têm que dar certo, elas dão né? 



E eu acho que Noronha tem uma energia muito positiva também!! Enfim.. lá no Cachorro fiz stand up, nadei um pouco e fomos ao Buraco do Galego.



Adorei essa praia! Pena que já era o dia de partir! Voltamos de carona no buggy do casal que havia perdido a GoPro e foi o tempo de tomar banho, fechar a mala e fazer o check out na pousada.

Como acabamos optando por almoçar no DuMar. não usamos o transfer de volta oferecido pela pousada porque o DuMar também oferece (super prático: pegam a gente na pousada, levam para o aeroporto para adiantar o check in, depois levam para o restaurante para almoçar e depois levam de volta pro aeroporto). 

A comida lá é bem gostosa! Pedimos uma picanha e um risoto... ambos uma delícia!



Depois disso, só restou aquele aperto no peito da despedida. 


**MAIS INFORMAÇÕES GERAIS**

PARA QUEM VAI COM CRIANÇAS:

Dá para ir sim, só precisa de mais atenção e talvez um pouco mais de tempo nas trilhas por ter que andar em pedras e tal.

Mas lá o mar é tranquilo nessa época (a que eu fui - julho/agosto) e super limpo. As crianças amam ver os peixinhos e tartarugas pela facilidade de se deparar com elas logo no raso ainda.

Porém, dependendo da idade da criança, a Praia do Sancho por terra, por causa da escada, pode se tornar um problema e trilhas como a do Morro São José, por ser um caminho todo de pedras meio soltas e escorregadias, não seriam muito adequadas. 

Vale lembrar ainda que é bom sempre repor o protetor solar nas crianças porque lá você queima bem. As blusas com protetor solar são bastante úteis e muuuita gente usa!!! Os pais, assim, ficam um pouco mais sossegados também! Há lojas lá ilha que vendem, ms com certeza os valores devem ser mais elevados.

Dica da Lily: a Loja UV-Line vende roupas e acessórios com filtro solar. Além de lojas físicas, você também pode comprar na loja online e pedir para entregar em casa. 

ESTRUTURA NAS PRAIAS:

A Praia do Cachorro é a mais próxima da Vila dos Remédios, e nessa você encontra uma melhor estrutura, pois as barracas já ficam ali na beira da praia mesmo.

Na Praia da Conceição tem uma barraca também, mas ela fica, na verdade, entre a Praia do Meio e da Conceição, antes da praia. É possível alugar guarda sol e 2 cadeiras por R$50,00. Há também uma pessoa lá na Conceição que aluga guarda sol e 2 cadeiras, mas cobra R$40,00. É só isso que tem, sem a estrutura da barraca.

Na Praia da Cacimba do Padre, tem um homem alugando o guarda sol por R$20,00.

Apenas nestas praias acima onde eu vi aluguel de barracas. Por se tratar de um Parque Nacional, Noronha tem boa parte protegido de forma integral, com a proibição de comércio, por exemplo. Esses valores são para o dia inteiro, independente de quanto tempo você fique na praia.

Dica: você pode levar seu guarda sol em todas as praias que for. Vi gente descendo com guarda-sol até no Sancho. Verifique junto à sua pousada se eles oferecem. Isso já seria um diferencial e ajudaria muito! Na Pousada Pedras Secas, onde eu fiquei hospedada, eles ofereciam!

SOBRE AS TRILHAS:

Atalaia Longa: precisa agendar com o órgão de fiscalização ambiental ICMBio e o guia é obrigatório. Apenas na trilha curta do Atalaia que o guia é opcional.

Achei o visual todo da trilha lindo, são paisagens únicas. E, apesar de longa, não é super difícil, pois quando começa a cansar já é hora de mergulhar numa piscina linda. O tempo total do passeio foi e aproximadamente 4h, entre caminhadas, paradas para fotos e mergulho nas piscinas. Como já comentei, a pousada que agendou com o guia para mim antes mesmo de eu chegar na ilha, e paguei no dia do passeio.

Morro São José: precisa agendar também junto ao ICMBio, mas o guia é opcional.

A trilha é tranquila! O caminho é bem curto até e quando você chega lá até pensa: ''só isso que vai andar?!", mas é o problema é que o caminho é inteiro de pedras meio soltas e só com a maré bem baixa fica sem água ali e as pedras secam um pouco.

Essa é a dificuldade da trilha, caminhar pelas pedras soltas! Leva-se em torno de 25min para fazer cada trecho (de ida e volta). A trilha começa/termina na Air France, ali pertinho do Porto… (você vai e volta pelo mesmo caminho) e nós fomos sem guia.

Abreus: precisa agendar junto ao ICMBio, mas o guia é opcional.

Apesar de ser considerada de dificuldade alta, eu não achei. 

Ela é parte feita num caminho de terra mesmo. Depois, tem um lugar em que você desce meio que entre umas pedras e é escorregadio, mas aí tem uma corda para gente ir se segurando. 

No dia em que fomos, estávamos de buggy, então facilitou muito porque começamos a caminhar logo no começo da trilha mesmo. Qem não está com o apoio do buggy tem que começar a andar bem antes, desde o Sueste, o que aumenta o esforço da caminhada. 

O caminho de buggy do Sueste até o começo da trilha deu quase 5 minutos de buggy. Sendo assim, estimo que a caminhada a pé será em torno de 20 minutos.

Fui sem guia (e nem vi necessidade de um.. o caminho é um só, é só seguir reto e uma única vez que tem um mirante à frente ou a trilha para esquerda, com uma plaquinha indicando a trilha). Eu gostei bastante! Como estávamos com o buggy, foi rapidinho! De trilha mesmo, uns 15-20min. Agora, sem buggy, o caminho acaba se tornando maior, leva mais tempo e cansa mais.

PREÇO DOS PASSEIOS:

- Pôr-do-sol no barco Tubarão Branco: R$800,00 (dividimos em 4 pessoas: 200 reais para cada - pagamos no cartão de crédito na hora do check out da nossa hospedagem, já que estávamos hospedados na pousada que é dona do barco, mas acredito que para quem não esteja lá eles peçam 50% do valor em depósito bancário para reservar e o restante possa acertar lá em dinheiro ou cartão. Como não tenho certeza, sugiro entrar em contado com a pousada. Pousada Pedras Secas: (81) 3619-1625. Eles oferecem outras opções de passeios no barco também.

- Trilha longa do Atalaia: R$100,00 por pessoa para o guia de uma agência que a pousada marcou pra nós.

- Mergulho com o Bodão no Porto: R$250,00 por pessoa + R$180,00 (para 2 pessoas) pelas fotos e vídeos que o Cosme fez.

- Barco Trovão dos Mares com almoço e planasub: R$230,00 por pessoa (sem o planasub é R$190,00). O valor pode ser pago em dinheiro ou cartão, estando lá na ilha (deixar o dinheiro antecipado na recepção da pousada e eles passam para pegar ou então ir até a agência da Trovão e pagar lá no cartão)

ALUGUEL DE EQUIPAMENTOS:

Nos PIC's sempre tem equipamento de mergulho e snorkel, e no Porto também tem uma loja só de aluguel dessas coisas. Se não me engano, pagamos R$15,00 por kit (máscara, snorkel, nadadeira) no Sancho. No porto foi R$20,00 o kit (máscara, snorkel, nadadeira e colete).

A vantagem de pegar no Porto é que, se você pretende usar o dia todo, fica mais fácil devolver, pois, pegando nos PIC's, só poderá usar naquele local.

É importante lembrar de levar seus equipamentos quando for fazer as trilhas, pois só na Atalaia, onde começa a trilha, que tem local para alugar (não lembro quanto foi, mas deve ter sido mais ou menos o valor do Sancho). As demais trilhas, como Abreus e São José, não oferecem lugar para alugar. (Para a trilha São José, você precisa apenas de máscara e para a Abreus, colete e máscara).

Obs.: Existem locais em que o uso de colete é obrigatório. Atalaia, Sueste e Abreus, por exemplo, exigem o uso de colete. (Observação da Lily - quando eu fui em 2009, não era obrigatório usar colete na Piscina Natural do Atalaia. Achei ótimo obrigarem ao uso agora porque é realmente difícil ficar boiando o tempo todo sem tocar nos corais. Meu irmão, que foi comigo, e é grande, acabou levando bronca do fiscal do ICMBio - naquela época era IBAMA mesmo - porque acabou ajoelhando em um momento por não conseguir ficar boiando sem se apoiar).

PAGAMENTOS:

É sempre bom levar dinheiro! Para alugar esquipamentos, para pagar o mergulho com o Bodão, as fotos do mergulho, a trilha longa do Atalaia, o aluguel da GoPro.. tudo isso paguei em dinheiro!

Já para os restaurantes, a maioria deles aceita cartões de débito e crédito: Xica da Silva, Cacimba Bistrô, Bar do Cachorro, Corveta, Varanda, DuMar, Sabor Noronha... em todos esses eu passei cartão de crédito.

OBSERVAÇÕES FINAIS:

1 - a internet na ilha é realmente ruim. O melhor horário para usar é bem cedinho, entre 5:00 e 7:00 o wi-fi ainda é bom. E 3G do meu celular (Vivo) não pegou em nenhum dos dias em que estive lá. Até tinha sinal de telefone para ligar, mas 3g não. Falam que a Oi é a melhor que tem lá.


2 - quem precisar usar banco, pode passar aperto, por isso que o ideal é levar dinheiro. Tem uma agência do Santander e tem a Lotérica para Caixa Econômica Federal e para o Banco do Brasil. Também cheguei a ver um Bradesco lá, mas não sei dizer se era agência. Atenção também para os horários de funcionamento que são diferentes.


3 - a voltagem é 220V.


4 - eu achei bem úteis as blusas com proteção solar. Uma vez que em várias trilhas não pode ir com protetor solar por conta da proteção ambiental, acabei comprando uma da loja Amo Noronha (a branca, tradicional.. mas também tem azul marinho e vermelha, se não me engano). Para comprar da Amo Noronha, tem a loja deles no aeroporto e para falar a verdade não vi outra loja por lá que vendesse. A recepcionista da pousada ligou para uma vendedora de uma loja e ela foi na minha pousada levar para eu ver as blusas.


5 - aproveitem cada minuto lá, pois quando forem embora só vão pensar em voltar pra lá de novo.



21 comentários:

  1. Excelente conteúdo, dicas maravilhosas com muito detalhe nas postagens e belas referencias.
    Estou aproveitando para acrescentar no seu Post uma pagina que pode esta faltando no seu conteúdo. Uma pagina com vários pacotes para Fernando de Noronha.
    http://goo.gl/9Vre1F
    Boa Viagem!

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post!!! Estou indo para Noronha amanhã... Super ansiosa!!! Pelo seu post vou acrescentar no meu roteiro o Restaurante Cacimba Bistrô e o Morro São José.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post!!! Estou indo para Noronha amanhã... Super ansiosa!!! Pelo seu post vou acrescentar no meu roteiro o Restaurante Cacimba Bistrô e o Morro São José.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vivi! Tudo bom?
      Nossa, que incrível!! Você já foi para Noronha hoje?? Que tudo, viu?
      Muito obrigada pelo recadinho aqui. Espero que sua viagem seja simplesmente linda e inesquecível! Fico feliz pelo post ter te ajudado no seu roteiro.
      Depois venha aqui contar para a gente como foi, hein?
      Beijos,
      Lily

      Excluir
  4. Muito legal, descrição detalhadas e dicas super úteis. Irei passar o carnaval nesse paraíso, ansiosa!!!
    Tenho uma dúvida: vou levar óculos e snorkel, é possível alugar apenas colete e nadadeiras por valores menores?
    valeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carol,
      eu estive em Noronha em 2009 e também levei minha máscara e snorkel. Eu não gosto de nadadeiras porque sempre me dão cãibras... com relação ao colete, seria tipo o salva-vidas? Olha, eu penso que tudo seja negociável sim. Vale a pena tentar na hora um precinho melhor. Mas se você gosta de nadar com pé de pato e se você costuma fazer viagens assim para mergulho, que tal comprar o seu próprio pé de pato? É bem capaz de ser o mesmo preço do que o total que você pagará em Noronha se alugar as nadadeiras todos os dias.
      Depois me conte como foi!
      Beijinhos,
      Lily
      PS: Noronha é um sonho!

      Excluir
  5. Oi Lily,
    Vc lembra o nome (ou a localização) da lojinha que vc alugou a GoPro?!
    * Ótimas dicas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pati,
      tudo bom? Vou perguntar para a Luiza porque, quando eu fui, em 2009, nem existia GoPro kkkk...
      beijinhos,
      Lily

      Excluir
  6. Olá, Lily!

    Excelente post. O mais completo que achei (e olha que eu pesquiso muito!)
    Gostaria de saber mais detalhes do mergulho e tb do aluguel da Gopro.

    Beijinhos e obrigada, desde já! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna! Tudo bom?
      Que legal! Fico feliz! A viagem da Luiza foi ótima, não é?
      Quais detalhes você quer saber?
      Daí eu faço uma pergunta mais objetiva e direta para a Luiza responder. Pode ser? Coloque exatamente quais são as suas dúvidas.
      Beijos,
      lily

      Excluir
  7. vC FOI COM QUAL ag DE VIAGENS OU VC FOI POR CONTA PROPRIA?

    ResponderExcluir
  8. Olá, Fernanda! Eu fui em 2009 por uma agência de turismo cujo nome nem lembro mais, pois faz tempo e era uma colega que trabalhava nela... ou seja, a colega organizou tudo e acho que nem existe mais essa agência. Acho válido ir com agência se a passagem aérea estiver muito cara. Naquela época, em 2009, eu lembro bem que o valor da passagem ficaria em quase 2 mil reais e o pacote com a agência, incluindo passagem, hospedagem e alguns passeios ficou em 2,400 reais... ou seja, diferença pequena. Mas, se você conseguir uma boa promoção no aéreo, ou conseguir ir com milhas para Recife ou Natal e depois comprar uma passagem por lá com um preço bom, aí acho legal ir por conta própria.

    Espero ter ajudado.
    Abraços,
    Lily

    ResponderExcluir
  9. Muito bom o post! Lily, vale a pena o retorno, por mais que Luiza tenha atualizado super, só não tive o folego dela, aluguei buggy por quase todos os dias.

    Todos falam que nos últimos anos a ilha desenvolveu muito. Só ali no Sueste eu iria mergulhar com guia, pois é onde estão os tubarões adultos e foi atacado um turista no ano passado.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Tudo bom?
      Pois é.. preciso sim voltar! Até porque Julio ainda não conhece.
      Obrigada!
      Abraços,
      Lily

      Excluir
  10. Oi !!!!! bom dia !!!!!

    Amei todas as dicas, estou indo pra esse sonho de viagem em abril. Super ansiosa. Vamos em casal e duas crianças, de 1 e 11 anos. O bb já está curtindo as fotos que mostro e ampliando seu vocabulário com peixinho e tartaruga !!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieeee!! Tudo bom, Giselli?
      Que delícia, hein? Preciso muito voltar a Noronha!!! Imagino sua ansiedade... estará no paraíso!!
      Depois quero saber como foi a sua experiência lá com bebê, viu? Volte aqui para compartilhar conosco!
      Beijos,
      Lily

      Excluir
    2. Já estou no aguardo de saber as novidades!
      Beijos

      Excluir
  11. Que post ótimo!!! O melhor que já li sobre Noronha, parabéns!! Muito bem escrito!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigada pelo carinho!
      Noronha é um sonho.
      Abraços,
      Lily

      Excluir