terça-feira, 5 de agosto de 2014

Chichén Itzá: muito mais que ruínas, por Monica Barros

Mais um post da minha querida colaboradora (segue sendo a campeã em matérias que tão gentilmente compartilha conosco), a Moniquinha (visitem o instagram dela: @monica.barross), que agora também é membro do seleto grupo do Luxury World Traveler (chique demais!!!).

Acompanhei sua viagem pelo México e fiquei encantada com tantas dicas lindas, além das fotos incríveis, que ela postou no Instagram. Para minha alegria, já que ainda não conheço o México, ela nos brindou com essa matéria fofa sobre Chichén Itza. Muito obrigada!

Então vamos viajar juntos para o México? Vamos?

A famosa pirâmide
** Chichén Itzá, muito mais que ruínas **
Por Monica Barros (instagram @monica.barross)


Recentemente, estive viajando pelo México e um dos principais lugares que queríamos visitar era o sítio arqueológico de Chichén Itzá. Mas como considero esse lugar importante demais historicamente, não queria fazer apenas um bate volta a partir de Cancun.

Decidimos então logo no início da viagem nos hospedar por 2 dias em Chichén Itzá. Foi a melhor decisão possível!

Detalhe da Serpente
A partir de Cancún leva cerca de 3h de carro para chegar. A estrada, como todas do Estado do Yucatán, é excelente. E são as mais bem sinalizadas que já vi, talvez até mais fáceis de se conduzir do que as da Europa, porque são muitas placas ao longo de todo o percurso e todas são enormes. Não tem como se perder! Então, no próprio aeroporto já pegamos o carro alugado e seguimos para o nosso destino.

O hotel escolhido também foi importante em nossa estratégia, pois como queríamos aproveitar bem a visita ao sítio arqueológico, não poderia ser muito distante. Foi outra decisão muito acertada. Ficamos no maravilhoso Mayaland Hotel &Bungalows (cerca de 250 reais pelo booking.com), que fica exatamente dentro do sítio arqueológico de Chichén Itzá. Que lugar especial!!! 

Mayaland Hotel
O hotel fica dentro da floresta que cerca as ruínas, estando completamente inserido naquela atmosfera da cultura maia. A natureza dentro dele é muito exuberante, muito verde e pássaros de diversos tipos para todos os lados, contando também com uma infra estrutura excelente. 

Resort em meio ao verde
O hotel oferece quartos, bungalôs, três piscinas, spa, restaurante, bar, um anfiteatro que recria os antigos observatórios astronômicos, uma grande loja de souvenirs e, para minha alegria, um museu do chocolate!

Pavão do Resort

Spa Mayaland
A recepção ao chegar já nos conquistou: como em todo hotel em que ficamos nessa viagem, nos deram um drinque de boas vindas e foram muito cordiais. 



Uma das Piscinas do Mayaland

Piscina do Mayaland
E quando achamos que não poderia ficar melhor, fomos levados para o nosso quarto enorme, com um banheiro muito espaçoso com banheira e roupões, uma cafeteira com café e chá à disposição, e janelões de vidro que davam para uma grande varanda com vista diretamente para a pirâmide de Chichén Itzá. Um sonho!

O amplo banheiro do nosso quarto

No dia seguinte à chegada, o café da manhã nas mesas ao ar livre do pátio em estilo yucateco, foi o início de um dia de encantamento. 

Estilo Yucateco
Café da Manhã ao Ar Livre
Pavões passeavam por entre as mesas e pássaros vinham nos fazer companhia enquanto saboreávamos as delícias da cozinha mexicana. 

Lindo Pavão
Toda essa descrição é para ressaltar que pudemos fazer essa primeira refeição com bastante calma e relaxamento que o lugar inspira, porque estávamos a apenas poucos passos da pirâmide. 

Quarto com vista para a Pirâmide
Então, ao contrário dos tours que saem muito cedo de Cancun, levam cerca de 4h dentro do ônibus na estrada, parando de hotel em hotel para fazer o pick up dos turistas, e ainda param em lojinha de souvenir no caminho, fazendo com que a visita às ruínas acabe sendo curta e apressada, nós acordamos sem pressa já dentro daquele resort lindo e caminhamos só cinco minutos do hotel até a bilheteria do monumento

Entrada de Chichén Itzá
Entramos cedo no local das ruínas, ainda vazio sem a presença dos grupos turísticos, e ficamos o tempo que desejamos vendo tudo com calma, fotografando e imaginando como era a vida dos maias naquela época.

Chichén Itzá
Chichén Itza é muito bela e impressionante. Datada de cerca de 455 A.C. e declarada Patrimônio Mundial da Unesco em 1988, era o centro político e econômico da civilização maia. 

Possui um cenote sagrado e diversas construções.

Cenote Sagrado de Chichén Itzá
A mais importante é o Castillo de Kukulkán, e ainda o Templo de Chac Mool, a Praça das Mil Colunas, o Campo de Jogos e o observatório astronômico

Castillo de Kukulkán
Todo antigo centro político da civilização maia possuia um campo de jogos, onde era praticado a famosa atividade que utilizava uma bola e alguns chamam do “futebol dos maias”. Na linguagem maia, que ainda é falada nessa região, o nome Chichén Itzá significa “aqueles que vivem na beira da água”. Na verdade, essas cidades eram quase que fortalezas, sendo muito bem protegidas contra invasores. Certamente aqui e também na cidade-estado de Uxmal, um gigantesco sítio arqueológico próximo à Mérida, capital do Yucatán, o apogeu dessa civilização foi atingido, e ainda não se sabe ao certo como se extinguiu.

Praça das Mil Colunas
Depois de algumas horas, os turístas começam a chegar em peso e os vendedores de artesanato típico também. Eles montam suas barraquinhas ali mesmo e são muitas opções para quem quer levar de recordação algumas das belas peças, como tapeçaria, relógios astronômicos, totens e máscaras de deuses maias. A essa altura, já havíamos explorado bem as ruínas e a outra vantagem de estarmos hospedados tão perto era a de que poderíamos retornar mais tarde ou no dia seguinte se desejássemos.

Voltamos para o hotel, onde também fiquei fascinada em poder admirar na própria entrada do lobby o antigo observatório maia. Ele fica bem em frente ao hotel, o que me fez imaginar as descobertas que os antigos habitantes fizeram ao desvendar os céus.


Antigo Observatório Maia
E foi nesse clima que à noite resolvermos assistir a apresentação que o Mayaland faz no observatório da propriedade. Aí realmente nos envolvemos na atmosfera de fascínio e mistério da civilização maia, com o belíssimo filme em 360 graus contando toda a história desse povo desde seu surgimento. Aprendemos muito com essa apresentação, e saímos da sala de projeção diretamente pro ambiente em que eles viviam, já que o resort está dentro de Chichén Itzá.

Observatório Astronômico
Foi uma experiência maravilhosa e inesquecível. O fato de estarmos hospedados lá ainda nos deu oportunidade de explorar com bastante tempo as cavernas da região, o povoado local e o mais importante cenote da área, o famoso Ik Kil. Poder visitar todas essas atrações no nosso ritmo foi fundamental para tornar essa viagem mais marcante. Quem puder optar por esse tipo de passeio certamente não vai se arrepender.

Mas mesmo quem não dispor de muito tempo e só puder fazer o day trip a partir de Cancun, não deve deixar de ir. Afinal, não é todo dia que podemos visitar uma das 7 Novas Maravilhas do Mundo!


Texto e fotos: Monica Barros






Nenhum comentário:

Postar um comentário