quinta-feira, 31 de julho de 2014

Viaje para a Indonésia: Dicas Gerais, por Lara Giannotti

A Lara (instagram @laraginannotti) foi ganhadora do concurso que promovemos pelo Instagram, em parceria com os lacres para mala do SealBag, com uma foto espetacular do pôr do sol nas ilhas Gili.

Como eu nunca fui e nem sei quando terei a oportunidade de ir, conversando depois com a Lara sobre sua viagem incrível pela Indonésia, convidei-a para relatar um pouco dessa sua experiência para nós que somos Apaixonados por Viagens! Sorte nossa que ela topou e nos presenteou com uma série de textos e fotos de tirar o fôlego!

Muito obrigada, Lara, por compartilhar conosco a sua viagem e que seja inspiração para muitos leitores que desejam desbravar a Indonésia e suas ilhas e praias paradisíacas! 

Kuta Lombok

A Indonésia – Dicas Gerais, por Lara Giannotti


Quando a Lily me convidou para escrever sobre a Indonésia fiquei muito feliz. Tive bastante dificuldade em encontrar informações sobre o destino e, principalmente, outros lugares que não fossem Bali. Então resolvi dividir a minha experiência em partes, ilha a ilha, quem sabe ela não ajuda outros viajantes por aí?

Estávamos dentro do carro rumo ao aeroporto. O destino: nossa casa. Depois de 22 dias rodando pela Indonésia, resolvemos fazer uma retrospectiva de todas as aventuras vividas. Foi quando coloquei as duas mãos na cabeça e soltei: Meu Deus, como esse país é maluco!

Não era pra menos. São mais de 17 mil ilhas entre o Sudeste Asiático e a Austrália. Além de falar Indonésio, cada ilha possui ainda sua língua própria (Balinês, Bimanês e assim vai). 

Bali é a única hindu, assim como Flores (sim, Flores como o nosso bom português) e Sulawesi as únicas católicas, as demais são todas muçulmanas. É um mundo de gente (a Indonésia possui a quarta maior população do planeta), com um trânsito caótico, uma cultura completamente diferente e uma comida deliciosa e exótica. Ou seja, um destino de férias imperdível. Pelo menos para mim, meu marido e o casal que viajou conosco.

Bali

Ao contrário do que a grande maioria pensa, a Indonésia não é apenas Bali. Em nossa viagem, além dela, incluímos também Lombok, Sumbawa e Java e algumas ilhas menores das redondezas destas principais. 

Ok, confesso que o roteiro foi traçado primeiramente com o objetivo de agradar ao esporte preferido dos meninos, o surfe, mas nos levou por um mundo cheio de lugares a descobrir, de paisagens de tirar o fôlego e do pôr-do-sol mais lindo da minha vida. Devo falar que ficou sobrando vontade de conferir alguns lugares e faltando tempo para fazer isso...

**O que você precisa saber da Indonésia antes de embarcar?**

- Não espere muito luxo dos lugares onde ficar hospedado. Principalmente, se assim como nós, você resolver desbravar por aí. A maioria dos hotéis onde ficamos não tinha água quente (o que necessariamente não é um problema, pois faz um calor infernal) e em alguns casos até insetos. Compramos um inseticida que foi nosso companheiro inseparável e tava tudo certo...

Bali

- É um país muito seguro. Não há roubos ou assassinatos. Em compensação os fenômenos da natureza podem assustar um pouquinho. Nós vivemos isso na pele... rs

- A moeda, Rupiah, é muito desvalorizada, então as coisas são assustadoramente baratas. Especialmente comida. Come-se extremamente bem por uma quantia irrisória.


- Vá de coração aberto e sem preconceitos. Em alguns lugares o choque cultural é grande e você se sentirá uma celebridade com crianças e adultos pedindo por uma foto, te seguindo ou sussurrando assim que passar.

Templo Uluwatu 

- Não existe horário e voos são cancelados e atrasados como se nada fosse.

- Para os surfistas esse é o paraíso. Direitas, esquerdas, para manobras, tubos, begginers ou pros, existe sempre uma onda perfeita esperando por você. Para as namoradas/esposas é a chance de colocar a leitura em dia e apreciar paisagens lindas em lugares exóticos.

- Toda a locomoção é difícil. Dentro de Bali, sempre que perguntávamos quanto tempo levava para chegar há algum lugar a resposta era a mesma: duas horas. Para outras ilhas é necessário encarar aviões minúsculos, horas de estrada, balsas ou speed boat. Mas vai valer a pena, confie em mim!

- Na alta temporada (de julho a setembro) prepare-se para se deparar com australianos a perder de vista. A Indonésia é o quintal deles e as ilhas são dominadas durante essa época do ano.

- Mapa! Não tente encarar Bali sem um. Fizemos isso nos primeiros dias e se arrependimento matasse eu estaria aqui dura e esturricada. O Lonely Planet tem um guia em inglês sobre o destino, que vende por aqui. Mas na chegada do aeroporto você pode (e deve) já comprar um.

Lakey Peak

- A taxa de desemprego na Indonésia é altíssima. Portanto, não se espante ao ver pessoas sentadas em tablados (parecidos com um palquinho) de madeira o dia todo pelas ruas e cobrando por serviços como indicar uma rua, ou desesperados por carregar a sua mala até o carro.

- Eles são muito felizes e extremamente receptivos com o Brasil. Fomos antes da Copa e todos nos perguntavam se estávamos prontos para o campeonato dizendo que torceriam por nossa seleção... Uma pena que não deu! Rs

Uluwatu Temple

- Se você acha que o trânsito de São Paulo é caótico, depois de andar de carro pela Indonésia irá rever seus conceitos. Ruas completamente paradas, animais cruzando a pista, ultrapassagens que farão você perder o fôlego e vias não muito conservadas, tudo isso, somado a motoristas dirigindo na mão inglesa, com certeza fará você rever seu conceito.

Bom, a partir de agora você acompanha um pouquinho do que foi minha viagem com o Rico, meu marido, a Patricia e o Henrique do outro lado do mundo. Obrigada Lily novamente pela oportunidade e espero que esses textos sirvam pra alguém. Nem que seja para simples diversão...




Texto e Fotos: Lara Giannotti



Nenhum comentário:

Postar um comentário