quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Dicas da Cidade do México e Teotihuacán, por Tati Maragno

Minha best friend Tati Maragno (Instagramer também - @tatty_81), esteve no México e conheceu vários lugares maravilhosos. Além do Caribe Mexicano badalado como Cancún, a Tati também passou pela Cidade do México, ruínas astecas e maias, dentre outros.

Ela escreveu um roteirinho super bacana que vamos compartilhar aqui no Apaixonados por Viagens e eu espero que vocês curtam tanto quanto eu! Até porque eu não sei quando irei ao México e já aproveitei para viajar um pouco aqui com as dicas dela e desejo o mesmo a vocês!



INTRODUÇÃO: ROTEIRO MÉXICO, abril de 2013, por Tati Maragno:

Vista Fabulosa e Contemplativa do alto da Pirâmide da Lua em Teotihuacán


***Dicas Gerais:

1) Decidi começar a viagem pela Cidade do México pra não sofrer de “depressão” depois, se invertesse e começasse pelas praias paradisíacas do Caribe. Preferi encarar a cidade grande de cara, conhecer o estilo de vida mexicano, aquele que quem vai apenas para o litoral caribenho não conhece e depois disso só relaxar e fazer compras! Conheci muita gente na Cidade do México que fez o percurso contrário e confirmou minha teoria, pois depois de dias de praia, sol, céu azul e o mar deslumbrante, passear na cinzenta cidade do México tornou-se um sacrifício! Enquanto pra mim, que estava começando a viagem, tudo era maravilhoso!

2) O roteiro incluía, além do México, Caribe Mexicano - Cozumel, Cancún e Playa del Carmen - Miami. Portanto, as compras ficaram paro final da viagem e assim evitei carregar quilos e quilos de bagagem e também não corri o risco de pagar excesso nos deslocamentos internos... foi a melhor coisa!

3) A melhor forma de ir pra cidade do México são os vôos com conexão no Panamá! Entretanto, como ia passar por Miami na volta, preferi encarar a viagem mais longa, fazendo conexão em Miami (confesso, foi muito cansativo!), pois a passagem aérea saiu pela metade do preço. Explicando melhor, se eu comprasse o aéreo ida e volta pela mesma cidade (RIO – MIAMI – RIO) a passagem ficava em cerca de 900 dólares; já se fizesse direto Rio – Cidade do México e a volta Miami – Rio, a passagem ficaria em torno de 1.700 dolares!!! O preço de cada perna equivalia ao preço IDA e VOLTA pela mesma cidade!!!! Resumindo, foi extremamente cansativa a ida, mas saiu pela metade do preço!

4) Época do ano: De dezembro até a Páscoa é alta temporada! Um pouco antes da Páscoa geralmente é a semana do Spring Break americano, espécie de mini férias que leva a turistada americana para o litoral que fica mais caro e mais cheio! 

Abril (após a Páscoa) e maio são, ao meu ver, as melhores épocas, que eu chamo de média temporada – preços mais baixos, zero chuva, temperatura agradável de 25 a 30º C (no litoral).

De junho a novembro é a baixa temporada, baixa mesmo. É até possível encontrar diversas promoções para atrair os turistas para a região já que se trata também da temporada de furacões. Não é sempre que acontece, porém, é algo imprevisível e nenhuma área no litoral mexicano está 100% seguro do acaso neste período...

5) Moeda: na cidade do México é o peso mexicano. Já no litoral, você pode usar tanto o peso mexicano, como o dólar, o real, o euro ou tudo junto (eles fazem qualquer negócio!!).

** Observações importantes quanto à conversão de moeda: trocar peso mexicano no aeroporto da Cidade do México é perder dinheiro (no aeroporto de Cancún, idem!!). A sugestão é trocar no aeroporto apenas o necessário para pegar o táxi para o hotel e procurar imediatamente depois a casa de câmbio mais próxima para trocar o que mais precisar!

Nas casas de câmbio, quando eu fui, em abril de 2013, a conversão era 1 dólar = de 11 a 12 pesos.

Em alguns lugares a conversão era melhor ainda, podendo o dólar chegar a valer 13 pesos! Enfim,  a variação é enorme!!!! Eu vi, por exemplo, muitos lugares do litoral que aceitam a moeda dólar  para pagamento estavam fazendo a conversão do dólar por 10 pesos... nesses casos, quando eu fui, o ideal era pagar em pesos! 

Para preços já em dólar (passeios, boates, etc) aí pode pagar em dólar mesmo... lembrando que na Cidade do México só se aceitava o peso mexicano! 

Logo, concluindo, não vale a pena trocar muito dinheiro de uma só vez, mas também é importante manter um pouco de cada na carteira e, antes de voltar ao Brasil, gaste todo o peso mexicano que tiver, nem que seja no Duty Free!!!! Aqui no Brasil você não conseguirá trocá-lo e realmente ele não valerá muito, virando moeda de recordação... rsrs

** CUIDADOS ESPECIAIS (principalmente na Cidade do México):

- Nunca, jamais pegue táxi nas ruas!! Apenas no aeroporto ou no hotel (peça para o hotel chamar um táxi de confiança para você)! E o mais importante é: não entre em NENHUM táxi antes de combinar o preço (lembre-se de que lá tudo é negociável!).

 - Cuidados com os pertences são normais como como em qualquer cidade grande! Esteja atento.

 - O metrô é uma excelente forma de locomoção na cidade. São 14 linhas e você consegue ir facilmente pra qualquer lugar!

- É recomendável ter um seguro de viagem/ saúde antes de ir.

- A Cidade do México está a 2000 metros de altitude. Para quem não está acostumado, poderá sentir falta de oxigenação, náuseas, enjoos, sangramento no nariz... É NORMAL! Meu amigo sentiu um pouco de falta de ar e no final do 2º dia até o meu nariz sangrou um pouco... mesmo no verão, por causa da altitude, faz frio à noite! E, de dia, queima DEMAIS!!!! Muito calor! 

Portanto, não façam como eu, que saí correndo do hotel logo que cheguei e, sem ter me precavido com protetor solar, voltei com marcas do vestido e da bolsa, ROXA, queimada do sol! Durante o dia, é essencial carregar o protetor solar e boné! À noite, lembre-se ter um casaco! 

- Para os curiosos baladeiros de plantão, a Cidade do México não tem noitadas. Por outro lado, tem alguns bares e pubs bem legais, mas que fecham cedo, no máximo por volta de 1h da madrugada (por questões de segurança!).

Beijos e acompanhem os próximos relatos.


6 comentários:

  1. Belo Texto Tati.

    Tive uma impressão parecida com a sua quando fui para a Patagonia. Comecei em Ushuaia e terminei em Buenos Aires, Resultado? Detestei Buenos Aires e não via a hora de voltar pra casa.
    Preciso voltar pra la pra manter ou tirar de vez esta má impressão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clayton,

      isso aconteceu comigo e com a Tati quando fomos a Punta del Este e terminamos em Montevideo! Decepção pura! kkkkkk... depois de 07 dias de festas e noitadas em Punta del Este, com praia, sol e muita gente bonita, ir para Montevideo, que estava vazia por causa de um feriado, foi uma grande frustração... sensação de depressão mesmo... o bom é que fizemos um passeio a Colonia de Sacramento e a estada em Montevideo foi diminuída por isso rsrsrs...

      Mas volte sim a Buenos Aires, viu? Não desista! Eu já fui 4x lá e, mesmo com aqueles ares de decadência da região do centro, eu curti todas as vezes em que fui. Acho que merece sim uma segunda chance! =))

      Abs.
      Lili

      Excluir
  2. Cidade do México não tem noitadas ???
    Hahahahaha... Então vc não procurou ;)
    A Zona Rosa é lotada de Bares e Boates e a maioria funcionam todos os dias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo,
      tudo bom?
      Eu, Lily, ainda não conheço a Cidade do México. Quem nos relatou sobre lá foi minha amiga Taty. Mas vai ver que ela realmente não esteve lá na Zona Rosa.
      Você foi? Gostou? Recomenda? Qual o estilo?
      Abraços,
      Lily

      Excluir
  3. Oi Lily, tem MUITA noitada boa na Cidade do México sim! Mas sou um pouco suspeito pra falar, porque depois de viajar o México inteiro, foi na Cidade do México que fiquei mais impressionado, na verdade. No meu blog eu conto um pouco dessa experiência. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieee! Que legal!
      Eu ainda não conheço o México, mas quando eu for, consultarei suas dicas também!
      Abraços,
      Lily

      Excluir