domingo, 5 de agosto de 2012

Câmbio de $$ para viajar para o exterior PARTE 2!!!


E SAGA PARA ESCOLHER A MELHOR FORMA DE CÂMBIO CONTINUA AQUI!!!

Viajei recentemente para o Canadá, onde fiquei por quase 20 dias passeando pelas províncias de Ontário e Quebec.

Levantando alguns prós e contras, comecei a avaliar a melhor maneira de GASTAR MEU DINDIM em terras canadenses... VEJAM COMO:

Visa Travel Money foi o primeiro descartado por mim. Explico: embora a ideia de usar esse cartão fosse sensacional pela praticidade, segurança e pela garantia da cotação da moeda do momento da recarga, pois se trata de um verdadeiro cartão de crédito, onde você pode carregar com um valor X em dólares e depois efetuar novas recargas se necessárias (pode ser recarregado à distância), eu teria que pagar sempre uma tarifa no momento do seu uso para qualquer aquisição que fosse no Canadá, uma tarifa referente à conversão do dólar americano para canadense.

Sabendo que a cotação do dólar americano não é muito diferente da do dólar canadense, embora esteja no momento o dólar canadense mais alto do que o americano, custando R$2,27 para compra, além de pagar pelo dólar canadense mais caro, teria que pagar uma tarifa plus pela conversão.

Mas... deixo claro aqui que se houvesse o cartão Visa Travel Money com recarga já em dólar canadense, eu certamente o compraria.

1º - a segurança e a praticidade de andar com um cartão de crédito e não ter que andar com muito dinheiro
2º - a garantia da cotação da moeda no momento da carga efetuada
3º - poder fazer recargas à distância quantas vezes forem necessárias, inclusive pelo celular, e conferir o saldo/extrato do cartão
4º - alíquota de IOF é diferenciada e menor, no valor de 0,38%  Infelizmente, isso mudou no final de 2013. Agora a alíquota é igual, de 6.38%, inclusive para os cartões Travel Money.
5º - existe uma série de benefícios trazidos pelo cartão, como seguros para compras e viagem, entre outros
6º - poder usar o cartão em outras viagens, principalmente se houver saldo, enquanto estiver na validade dele.

Percebam, portanto, que a quantidade de vantagens é grande!! Uma pena que ele só exista em dólar e em euros. Logo, para qualquer outra moeda, ao usar o cartão Visa Travel Money, como a conversão do dólar para a moeda será necessária, a cada operação será cobrada uma tarifa (CONSULTAR COM O DISTRIBUIDOR DO CARTÃO QUAL É A TARIFA DE CONVERSÃO PARA A MOEDA DO PAÍS QUE IRÁ VISITAR, POIS NÃO SEI SE EXISTE VARIAÇÃO NESSA TARIFA). Você consegue obter o Visa Travel Money em casas de câmbio que trabalham com ele, como a Casa Aliança.

SENDO ASSIM, já que fiz algumas contas e verifiquei que não seria o ideal para essa viagem para o Canadá o uso do Travel Money, eu iniciei a saga de ligar para algumas casas de câmbio de confiança e indicadas para barganhar a melhor cotação.

Lembro a vocês que acima de determinados valores, principalmente acima de 1milUSD, é muito comum as casas de câmbio oferecerem uma cotação menor quando se pede!!

Além disso, não se esqueça nunca de perguntar se a casa de câmbio possui alguma parceria com empresas, como Petrobrás, com instituições públicas, com cartões de crédito ou bancos/instituições financeiras... enfim.. pergunte porque perguntar não ofende e você pode cravar mais descontos!!!

Por exemplo, a Casa de Câmbio Cotação oferece, a partir de uma quantidade maior de dólares comprados, uma pontuação no Programa Smiles da Gol. Só não fechei com a  Cotação porque o IOF não estava sendo considerado no valor do câmbio (teria que pagar a parte) e eles só aceitavam o pagamento por meio de DOC, ou seja, mais um valor que eu teria pagar a título de tarifa bancária pela transferência.

Entonces... quem não chora não mama... e depois de ligar para 3 casas de câmbio e de negociar com elas, fechei uma excelente cotação com a Casa Aliança que me fez o dólar canadense de R$2,23 por R$2,19, já sendo incluído no valor o IOF e aceitando que o pagamento fosse feito por depósito no Banco Itaú.

Tanto a Casa Aliança, como a casa de câmbio Cotação, que possuem lojas no Rio de Janeiro, foram ótimas no atendimento, com funcionários/atendentes atenciosos, prestativos, que souberam muito bem negociar e contam com a opção de entregar o valor comprado no lugar onde você desejar!!! Você não precisa se deslocar para pegar a quantia comprada, basta combinar o lugar e horário de entrega da moeda e eles levam tudo bem direitinho.

Finalizando essa minha saga, acabei levando uma quantidade em dólar canadense que fosse o suficiente para pagar os hotéis e uma quantidade extra para gastos normais da viagem (comida, deslocamento, algumas compras)...  pena que não consegui dessa vez escapar do cartão de crédito e, depois de 14 dias de viagem, o $$ em cash acabou e não restou outra alternativa: cartão de crédito + oscilações do dólar + IOF ... afinal, gastar também faz parte!!! 

Tentem ver com as casas de câmbio se é possível fornecer notas pequenas, valores pequenos, de 5, 10, 20, 50... (as casas de câmbio, se você não pedir, tendem a entregar sempre notas bem grandes) ... quanto mais alto for o valor nominal expressado na moeda, mais complicado será para depois trocar quando estiver viajando e sempre rola uma desconfiança de quem recebe o valor alto, achando que pode ser uma nota falsa. Facilita sempre e muito, principalmente na hora do troco, ter notas pequenas!!! 

Ah, escolher o melhor dia da semana para comprar a moeda estrangeira pode ser uma loteria: SORTE!! Bom mesmo é acompanhar as oscilações e, sabendo que houve uma queda da moeda, comprar logo!! Já ouvi dizer que o dólar americano costuma fechar com melhor cotação na sexta-feira, mas sinceramente não tenho provas disso e acho que o mais indicado é acompanhar a variação cambial e comprar quando souber que está estável ou quando caiu.

Outra dica importante: raramente vale a pena voltar com a moeda estrangeira para o Brasil para depois vendê-la!!! Dificilmente você conseguirá recuperar o valor pago (a não ser em casos de grandes oscilações favoráveis da moeda... mas não dá para contar com isso!!!). E, além disso, as casas de câmbio não trocam as moedinhas (os valores representados por moeda e não por papel). Se você tiver muitas moedas no final da viagem, trate de gastar tudo, nem que seja no Duty Free... ou ficará com elas para guardar como souvenir!!!

Espero ter contribuído um pouco para os que compartilham das minhas mesmas dúvidas e inseguranças sobre o assunto!! 

E boa viagem!!! =))


Nenhum comentário:

Postar um comentário