sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Fernando de Noronha: Passeios!!

Passeios em Fernando de Noronha:



Como fui para Fernando de Noronha em setembro, as praias do mar de dentro estavam bem calmas, enquanto que as praias do mar de fora estavam com o mar mexido e agitado. Portanto, não sei como ficam os passeios nessa época em que o vento muda de direção (de dezembro a março mais ou menos). A paisagem muda bastante e acho bom para quem for nessa época que consulte uma agência de turismo local para se informar sobre as trilhas, o passeio de barco e o mergulho (especialmente o mergulho, porque os pontos de mergulho mudarão).

·         Trilhas: há trilhas para todos os gostos e dificuldades em Fernando de Noronha. Mencionarei algumas apenas, as que eu fiz e as que eu considerei fazer, mas desisti.

- Caminhada Histórica: Essa é uma trilha leve, pela vila principal, que é a Vila dos Remédios, contando um pouco sobre a história do Arquipélago e passando pelo Forte, finalizando no Bar do Cachorro. Passa pelo Palácio São Miguel, Igreja de Nossa Senhora dos Remédios e Forte dos Remédios. Museu Histórico e ruínas também são visitados. Os pacotes turísticos costumam incluir essa trilha, realizada quase sempre na parte da manhã e de duração curta (em torno de 2 horas).



- Trilha dos Golfinhos Rotadores: essa eu não fiz porque eu vi tantos golfinhos bem de pertinho durante o passeio de barco que percorreu as praias do mar de dentro e também do barco que me levou até o ponto de mergulho para fazer o batismo e, por isso, não achei interessante fazer essa trilha que, quando eu fui, começava às 5 horas da manhã para chegar ao Mirante dos Golfinhos (um paredão de aproximadamente 60 metros) às 6 horas e poder vê-los entrando na Baía dos Golfinhos, e observar um pouco do seu comportamento nessa baía que é o maior aquário natural do mundo desses animais. Essa aí é para quem gosta de acordar bem cedinho!!

Algumas agências de turismo incluem um passeio pelas praias após a observação dos golfinhos, descendo o mirante e caminhando pelas praias do Sancho, Baía dos Porcos, Cacimba do Padre, do Bode, Americano, Praia da Conceição, do Meio e terminando na praia do Cachorro. Feito dessa forma, a caminhada se torna mais difícil e cansativa, contudo, o turista poderá conhecer melhor essas praias. Só não sei quanto a paradas para banho/mergulho se são feitas e em quais praias.

- Trilha pelas praias do Mar de Dentro: caminha-se facilmente da Praia do Cachorro, passando pela Praia do Meio, e finalizando na Praia da Conceição, indo até o Morro da Conceição, sem maiores dificuldade, sendo uma caminhada feita pela areia da praia.

- Trilha das Tartarugas: não fiz porque quando eu fui não era época de desova (ocorre mais ou menos em dezembro). Mas essa trilha passa pela Praia do Leão, Ponta das Caracas, terminando na Baía do Sueste, onde geralmente há a opção de mergulho para ver as tartarugas marinhas (quando estive na Baía do Sueste, achei a água bastante turva e as fotos aquáticas das tartarugas ficaram ruins).

- Trilha do Atalaia: essa é uma trilha que pode ser feita em duas versões: a longa e a curta. Eu fiz a longa! Tive que assinar um termo de responsabilidade, pois a trilha é bem difícil e perigosa. Antes de iniciar a trilha, fomos direto para a piscina natural do Atalaia. Todos são informados que para entrar na piscina natural não se pode usar protetor solar, não pode ficar em pé na piscina natural, apenas boiando o tempo todo, e não pode encostar nos corais. Há fiscal do Ibama o tempo todo presente e observando os turistas. Só é permitida a entrada de 100 pessoas por dia e de forma revezada, em grupos pequenos de 25 de pessoas, para mergulho na piscina natural que dura, em média, 30 minutos. Da praia do Atalaia pode-ser ver perfeitamente a Ilha do Frade.

Quando eu fiz a trilha do Atalaia, em função da variação das marés (a trilha deve ser feita na maré baixa) iniciamos a trilha pela praia do Atalaia e terminamos na praia da Caieira (ela costuma ser feita ao contrário).

É uma trilha com paisagens maravilhosas! Falésias, piscinas naturais (Piscina Natural da Pontinha), pedras vulcânicas soltas... foi uma grande emoção! Mas, como disse antes, a dificuldade também foi enorme, pois, durante mais ou menos umas 2 horas, percorremos um trajeto formado exclusivamente por pedras vulcânicas soltas e a sensação de cair era enorme.

Portanto, algumas dicas: sapato antiderrapante é excelente para essa trilha, mochila com água e lanchinhos também, pois o desgaste é grande e o passeio, no todo, desde a piscina natural do Atalaia, leva em torno de umas 4 a 5 horas, boné e protetor solar (para passar depois da piscina natural) porque o sol é de lascar e não há sombras durante o passeio! E, é claro, andar com cuidado para não cair e não se machucar. É bom ter equilíbrio para ficar pulando de pedra em pedra solta! Aliás, depois dessa trilha, eu me senti um pouco preparada para participar de um “No Limite” rsrs...

A trilha termina na Praia da Caieira com pausa para banho e descanso. Mas, quando chegamos lá, a maré já estava começando a subir e não pudemos aproveitar tanto essa praia.








- Trilha do Leão: essa eu não fiz com agência de turismo local, mas é bastante famosa. A que eu fiz foi uma trilha simples. Peguei o ônibus e desci no ponto final, na Baía do Sueste. De lá eu me informei para saber o início da trilha para chegar à Praia do Leão. Foi uma trilha curta, de no máximo 15 minutos, passando por uma vegetação bem seca. Ao chegarmos na praia, a mesma estava vazia e não me arrisquei a entrar no mar porque, como já disse, na época em que eu fui (mês de setembro), as praias do mar de fora estavam mais agitadas e com alertas para correntezas.

A trilha feita feita pelas agências de turismo passa pelas praias do mar de fora. Inicia-se a caminhada indo em direção ao mirante dos Abreus, passando pelo único mangue em ilhas oceânicas do atlântico sul e em seguida chegando na Baía do Sueste, local de alimentação de tartarugas marinhas e  parada para banho e mergulho livre.


Continua a caminhada em direção ao Mirante da Maré Gráfica, antigo medidor de maré e de onde se tem uma linda vista de toda a Baia do Sueste. Posteriormente, segue em direção à praia do Leão, a preferida das tartarugas marinhas para desovarem.


·         Ilhatour:
Esse passeio é realizado de buggy, começando pela manhã e durando o dia todo. Costuma terminar por volta das 18:00 com o pôr do sol visto do Mirante do Boldró.

Ele confere uma visão panorâmica da ilha e, para quem acabou de chegar, é bem legal realizá-lo. Eu gostei muito e indico! Passamos pela Vila dos Remédios, Baía do Sancho e Baía dos Porcos (com pequena trilha sendo realizada e com paradas para banho nessas duas praias), passamos também pela Baía do Sueste com parada para mergulho para ver as tartarugas marinhas e percorremos algumas praias do mar de fora, como a Air France, vimos o Buraco da Raquel e havia um museu sobre tubarões para visita. O almoço estava incluído quando eu fiz o passeio.

Considerando que muitas praias são distantes das Vilas Centrais e que o deslocamento em Noronha não é algo assim tão fácil (a não ser que se alugue um buggy, pois ficar dependendo de ônibus é um pouco complicado e táxi, que é um buggy, vai cobrar o preço que achar “justo” na hora), esse passeio tem a vantagem de proporcionar ao turista uma visão geral do arquipélago e de levar para as praias mais distantes, podendo-se, depois, a critério de cada um, retornar naquelas que mais agradaram.









·         Passeio de Barco:
Ele sai do Porto de Santo Antonio, percorre as praias do mar de dentro (quando eu fui, em setembro, é sempre bom lembrar que, em função do vento, o mar de dentro estava bem calmo), passando por todas as praias do mar de dentro, pelos Morros Dois Irmãos, pela Baía dos Golfinhos, onde eu pude ver os golfinhos beeem de pertinho mesmo, indo até a Ponta da Sapata. No retorno, o barco parou na Baía do Sancho para mergulho por 1 hora. Adorei o passeio e acho legal para ter outra visão da ilha, pelo mar, e também podendo ver melhor as ilhas secundárias.





·         Mergulho Livre:
Mergulhos para flutuação ou apnea podem ser realizados nas praias, observando-se as normas de preservação e fiscalização ambiental existentes.

Eu pude aproveitar bastante para mergulhar na praia do Porto de Santo Antônio, na Praia do Cachorro e na Praia da Conceição, que são praias mais próximas às vilas centrais, onde se concentram a maior parte das hospedagens.

Pude contemplar muita vida marinha, principalmente tartarugas, na praia do Porto de Santo Antônio e na praia da Conceição.

Quem gosta de ficar horas mergulhando, como eu, recomendo já levar o seu snorkel para poder fazer os mergulhos sem ficar dependendo de aluguel do mesmo, cujo valor, em 2009, era em torno de R$15,00 por dia.

Durante os passeios do Ilhatour e do Barco pelas praias do mar de dentro, os principais e mais belos lugares para mergulho foram nas Baías do Sancho e dos Porcos. Destaco a Baía dos Porcos que encanta pela quantidade de cardumes e pelos animais mais diferentes e exóticos que pude ver perto dos Morros Dois Irmãos, já que era bem tranqüilo nadar até os Morros.





·         Mergulho com cilindro / batismo:
Quem não tem credencial para mergulho tem como opção fazer o curso de mergulho em Noronha (que custa bem carinho) ou fazer o batismo (opção escolhida por mim e que custou, na época, algo em torno de R$260,00 a R$300,00).

Aqueles que não possuem problemas cardíacos, labirintite, que não estejam resfriados, dentre outros impeditivos (melhor consultar seu médico antes!!), podem e devem fazer esse passeio que é indescritivelmente espetacular! É uma experiência única!!

Confesso que tive um pouco de problema com o tal do equalizar, pois eu sofro de uma rinite alérgica maldita e, embora estivesse tomando meus antialérgicos com antecedência, ainda assim tive dificuldade. Desci uns metros e depois, por não conseguir equalizar e achar que meus ouvidos fossem estourar, subi e só depois desci de novo.

Mas consegui descer os 12 metros de profundidade, limite para iniciantes no batismo, e contemplei mais tartarugas marinhas, corais belíssimos e até mesmo uma moréia. Não vi tubarões, graças a Deus!

A visibilidade era impressionante, ou melhor, assustadora. Tudo muito clarinho e nítido mesmo.

O barco para mergulho saiu do Porto de Santo Antônio e levou a gente em direção a uma das ilhas secundárias, do lado do mar de dentro. Durante o trajeto, os instrutores vão dando informações sobre o manuseio do equipamento todo. Ao chegarmos ao ponto de mergulho, cada turista fica com seu instrutor particular e é feita uma adaptação em água antes de mergulhar. O mergulho dura em torno de 30 minutos, apenas. Bem que poderia durar mais um pouquinho!!

Cuidado apenas com a escolha do dia de mergulho: não se pode mergulhar nem no dia de chegada de avião nem nas 24 horas que antecedam a partida de avião. Há quem diga que nem mesmo nas 48 horas que antecedam a partida de avião seria recomendável.


·         Pranchinha a Reboque ou Aquasub:
O passeio é realizado na Praia do Porto de Santo Antônio. O aventureiro é puxado por um barco, segurando uma prancha e usando uma máscara e snorkel.

Embora o barco esteja bem devagar, a sensação de quem está na água é de que está sendo arrastado e bem rápido pelo barco.
Foi difícil administrar o fato de estar segurando a prancha e ao mesmo tempo não deixar água entrar na máscara rsrs... Diante disso, optei por deixar minha câmera aquática no barco mesmo e registrar o que eu vi apenas na memória. Como o passeio é feito na Praia do Porto, pode-se ver perfeitamente o navio grego que naufragou ali na praia. Vi também mais tartarugas marinhas e muitas arraias.



**O QUE FAZER À NOITE: Não há muitas opções noturnas em Fernando de Noronha até mesmo porque os passeios, em grande maioria, começam de manhã cedo e, no final do dia, estão todos bem cansados, com pouca disposição para nights/baladas, sabendo que no dia seguinte vai acordar cedo novamente.

O que eu fiz por lá foi aproveitar bastante as palestras do Centro de Visitantes do Projeto Tamar (assisti à palestra sobre tubarões e outra sobre as tartarugas marinhas). E o Bar do Cachorro tradicionalmente reúne os resistentes que conseguem ficar acordados para um forró. O forró costuma começar bem tarde (por volta da meia noite), provavelmente para que todos possam descansar antes. E, para quem fizer amizades com os residentes da ilha, eles foram todos muito simpáticos comigo e me convidaram para jantar em suas casas e para um luau na praia.




Sites sugeridos para pesquisas:

8 comentários:

  1. heheh... você acredita que eu não encontrei o nosso trabalho da pós?? Tive que reescrever o texto pelos roteiros que eu tinha guardado!! agora fica aqui registrado e não perderei mais!! =))

    ResponderExcluir
  2. Lili.. .adorei as dicas!!!!! Quero usar esse roteiro de Noronha um dia com as crianças!!!! Vou esperar eles crescerem um pouquinho.. hahahah!! Bjss

    ResponderExcluir
  3. Ameiiiiiii, é a sua cara!!!!!!!
    Estava demorando rsrrs
    Parabéns amiga, pode ter certeza que vou consulta-lo sempre, nem que seja para viajar nele rsrs
    Bj
    Lu

    ResponderExcluir
  4. Lili ameeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeiiiiiiiiii... vc arrasou loirissima.. escreve muito bem.. deixou tudo explicado..e deu vááárias dicas de roteiros.. amei parabééns

    ResponderExcluir
  5. Vi hoje no telejornal "Bom Dia Brasil" (16/01/13) que Fernando de Noronha está em estado de alerta em razão das ondas que podem chegar a 5 metros de altura. Como expliquei no post, durante o verão, o Mar de Dentro de Noronha fica mexido, com ondas que atraem muitos surfistas. Não é tão legal para mergulhos e para curtir praia (a não ser que você goste de furar ondas gigantes... rsrs). A reportagem disse, inclusive, que alguns barcos estavam danificados e que a Praia do Porto era uma das mais atingidas pelas ondas.

    Sendo assim, mais uma vez, recomendo aos que preferem mergulhar e curtir uma praiana tranquila, que se organizem para visitar Noronha (isso porque é um destino caro e é bom se organizar para aproveitar o que o lugar tem de melhor: praias!!) de Julho a início de Novembro, temporada que tem chuvas reduzidas (EU FUI NO INÍCIO DE SETEMBRO E NÃO VI UMA GOTA DE ÁGUA SEQUER!!), com o MAR DE DENTRO calmo... a Enseada do Sancho (eleita como a mais linda praia do Brasil) transforma-se em verdadeira piscina.

    Nessa época (de julho a início de novembro), é o Mar de Fora que está mais mexido e com ondas, mas como o Mar de Fora é formado em sua grande parte por praias de pedras vulcânicas, você não vai perder nada!!

    Pode confiar em mim!!! Eu garanto que não vai se arrepender!!

    ResponderExcluir
  6. Lili, parabéns pelos seus posts sobre Noronha! Só de ler, já me senti lá! Mtas dicas interessantes!
    Queria saber com qual empresa vc fez o mergulho com cilindro. Vou fazer com certeza! E vou querer as fotos profissionais, depois do que me aconteceu em Cozumel. Na hora em que entramos no mar para fazer o mergulho, a câmera aquática que levamos pifou! Acredita? E lá eles não tem o serviço de fotografia. Um pena! Não tenho nenhuma foto desse mergulho. :(
    Em Noronha, não quero correr esse risco!
    Obrigada!
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Paula! Tudo bom?
      Que maravilha! Adorei o comentário aqui! Sempre são bem vindos, viu? Você vai amar Noronha! É uma natureza tão exuberante, tão linda, tão incrível! Parece um sonho! As fotos dos profissionais durante o mergulho são excelentes... vale a pena... é caro, mas é uma recordação para sempre! E câmeras aquáticas nem sempre descem os 12 metros (a minha só desce 10 metros e eu não arriscaria... acho que ela pode explodir kkkk). Com relação ao batismo, logo que cheguei em Noronha, eu fechei praticamente todos os passeios com a empresa de turismo Receptivo Atalaia. No momento, não me lembro se eles também fizeram o mergulho. Parece que hoje o Receptivo Atalaia foi incorporado pela Luck Receptivos. Então, como foi tudo pago logo quando cheguei com o pessoal do Atalaia, acho que era parceiro deles ou eles mesmos. Espero ter ajudado! Você já fechou algum passeio? Uma dica é pedir orientação na pousada onde você ficará.
      Depois me conte tudo, viu? E quero ver as fotos!
      Inclusive, está desde já convidada a escrever sobre Noronha quando voltar para o blog kkkk.. assim a gente ganha dicas bem fresquinhas sobre esse paraíso!!!
      Beijinhos,
      Lily

      Excluir