quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Amsterdam: A Veneza do Norte!!

A cidade dos canais!!! Se bem que para quem já esteve em Veneza, tal comparação talvez seja um pouco equivocada porque são cidades tããão diferentes!! De todo modo, é impossível pensar em Amsterdam e não associar aos seus canais concêntricos que cortam toda a cidade!!


É claro que Amsterdam vai muito além dos seus canais, das bicicletas e das tulipas (embora eu ficasse andando pelas ruas com aquele "olhar de paisagem" contemplativo, porque é tudo tão lindo e eu queria tirar fotos de todos os canais, mesmo que, o final, eles sejam todos bem parecidos!! rsrs...): Amsterdam, é, sem dúvida alguma, uma das cidades mais agitadas, vivas, cheia de energia e cosmopolita em que já estive!! Ela explode de tanta cultura por todos os lados!!

Engana-se também quem pensa que em Amsterdam vale tudo, no melhor estilo "sexo, drogas e rock'n roll" de ser. Nada disso!! Há várias restrições, inclusive para quem quiser curtir um "wild on" por lá e, por isso, é importante estar atento às normas e fiscalizações. Tudo bem que o apelo sexual e para o uso de drogas é bastante difundido entre os turistas (até mesmo em lojas de souvenirs eu pude constatar isso, pois há um forte comércio em torno disso), mas é muito pouco, ao meu modo de ver, perto do que a cidade oferece de lazer, entretenimento e cultura!!

O mais curioso, no meu caso, é que uma lembrança forte que eu tenho de Amsterdam é de suas ruas com cheirinho de comida, de comida bem boa, diga-se de passagem!! rsrs...

Estive em Amsterdam no final de 2007 (meados de dezembro) e é claro que fazia muito frio!! Vou contar um pouco sobre essa minha experiência e, nesse primeiro post, vou colocar algumas informações gerais sobre a cidade.


Como estava antes em Praga, diante do curto tempo e das pesquisas que fiz na época, optei por chegar em Amsterdam de avião com a empresa British Airways (conexão em Londres). A depender de onde se estiver pela Europa, entretanto, vale muito a pena verificar se o trem, como meio de transporte, não seria a melhor alternativa de chegada (viagem muito mais agradável, sem as chatices dos aeroportos com suas revistas e limites de peso da bagagem!!).

Cheguei no Aeroporto Schiphol e já havia contratado e agendado diretamente com o hotel um serviço de transfer/traslado até o hotel, pois achei que iria me atrapalhar tendo que carregar as malas se deixasse para ir de trem para o centro da cidade.

É bom saber, contudo, que o mais comum talvez seja mesmo optar pelo trem cujo acesso do aeroporto Schiphol é bem fácil e leva diretamente para o centro da cidade em curto tempo, com saídas em vários horários durante o dia e à noite. 

De táxi provavelmente foram gastos uns 25 minutos e de trem talvez fosse parecido ou até mais rápido (parece que há um bilhete que pode ser comprado e que vai direto até a Estação Central de trens). A diferença está no preço, pois o táxi é bem mais caro. 

Fiquei hospedada por 4 noites/5 dias no hotel The Rookies, bem ao lado de uma das principais praças da cidade: Leidseplein Square.


Fiz a reserva pelo site booking.com e já estava mais ou menos preparada para o que iria encarar. Só que o preço e a localização, dessa vez, pesaram bastante!! O hotel é muito bem localizado e disso não posso reclamar. Fiz vários passeios a pé, até mesmo porque, em Amsterdam, é fácil andar a pé e muito mais gostoso e agradável (mesmo com frio!!). 

Mas, vamos aos problemas do hotel: não tinha elevador, não havia recepção 24h e tinha que carregar a chave da portaria do hotel, o quarto tinha forte cheiro de cigarro (embora eu tivesse reservado um quarto para não fumante), tomar banho exigia algum malabarismo para não alagar o banheiro inteiro (o que sempre acabava acontecendo!!) e ficava em cima de um Coffeeshop. Bem, como disse antes, o preço e a localização compensaram tudo isso e a simpatia do staff foi fundamental (cada dia era um homem diferente que fazia tudo: recebia as pessoas, carregava as malas, fazia o café da manhã ... fiquei até imaginando se seria ele quem arrumava os quartos também!! rsrsrs....).

Quanto ao Coffeeshop, na verdade, em si, não era um problema, porque o barulho não incomodava e a fumaça era bem contida lá dentro. Para quem não sabe, em Amsterdam, onde a maconha é tolerada, permitida, mas há lugares específicos para o seu consumo que são justamente esses Coffeshops. Aliás, é bom registrar que não se pode comprar nem consumir as drogas permitidas pelas ruas (é claro que sempre haverá um que vai dizer que fez isso, mas aí é por conta e risco próprios!!) e que há lugares específicos para adquirir e consumir, como em lojas e nos Coffeeshops. Confesso que entrei nesse que ficava embaixo do hotel onde estava hospedada e não consegui ficar nem 5 minutos lá dentro, pois era tanta fumaça que eu mal enxergava um palmo em minha frente!! No hotel em que fiquei, inclusive, havia uma área que parecia um jardim interno, liberada para todos os tipos de fumantes.


***Algumas informações básicas sobre a cidade:

- Idioma: para quem não sabe falar holandês, não se preocupe porque eles falam inglês fluentemente.

- Moeda: euro.

- Clima: frio no inverno, ensolarado no verão, bastante agradável na primavera e outono, podendo ser chuvoso nessas duas últimas estações. Eu cheguei em Amsterdam com muita chuva e logo fiquei arrasada!! Mas os dias seguintes foram ótimos, com direito a sol em alguns dias e muito frio!!

- Como chegar em Amsterdam: de trem pela Central Station ou de avião pelo Schiphol Airport.

- Como se locomover: bicicletas!!! Pior é que eu não andei =(( .... Estava frio e os milhões de agasalhos que eu usava não ajudavam muito para andar de bike pela cidade, mas fiquei morrendo de vontade!!! Barcos/boats, bondes elétricos e metrô também são ótimas formas de locomoção pelo centro da cidade. Mas, sinceramente, sugiro andar a pé o máximo que puder!! Aproveite que a cidade é bem sinalizada, os mapas são ótimos e é super fácil mesmo andar a pé por lá sem se perder!! Quanto aos táxis, eu realmente só andei de táxi para ir e voltar do aeroporto e não achei válido andar de táxi pelo centro da cidade, além do que deve ser bem caro.

- Segurança: eu li bastante, antes de viajar para lá, para ter cuidado com batedores de carteira, pequenos furtos e, até mesmo, roubos. Confesso que não vi nada disso!! Mas, como boa brasileira e, principalmente, carioca e desconfiada, eu tomei minhas cautelas, principalmente quando fui visitar o famoso Red Light District. Achei meio estranho andar por lá, não só pelo apelo sexual do bairro e por ver as prostitutas se exibindo nas vitrines (o que, por si só, já é algo diferente e um tanto quanto deprimente), mas também porque percebi nos arredores do Red Light District alguns bares frequentados por pessoas esquisitas e já estava anoitecendo, o que fez piorar todo o contexto!! Sei lá, pode ser neura minha, mas, se eu voltar lá, não andarei sozinha menos ainda à noite!!

- Restaurantes: Amsterdam é um lugar que agrada a todos, até os mais frescos em termos gastronômicos!! Para quem curte culinária internacional, vai se deliciar com os restaurantes italianos, franceses, gregos, tailandeses, japoneses, mexicanos, churrascarias argentinas (nunca vi tanto restaurante argentino na minha vida, nem mesmo em Buenos Aires tinha tanto assim!! rsrsrs...), entre outros!! Mas também há fast food como Burguer King e McDonald's, além de outros locais (esqueci os nomes!!) para refeições rápidas!! Muitos restaurantes servem menus especiais (entrada + prato principal + sobremesa) com preços mais baratos, antes das 21:00.

Voltei um pouco frustrada por não ter conhecido a culinária holandesa!! Aliás, até hoje não sei como seria!! Vi restaurantes de todas as partes do mundo em Amsterdam, mas holandês mesmo, eu não encontrei!!


- Gorjetas: já estão incluídas na conta a pagar, em torno de 5% e, por isso, não é necessário deixar gorjeta extra.

- Hospedagem: fiz a reserva pelo booking.com e, como sempre, correu tudo bem. Fiquei por 5 dias e, mesmo tendo conseguido fazer absolutamente tudo o que eu queria em Amsterdam e até mesmo aproveitado um dia para conhecer cidades vizinhas (Volendam, Marken e Monnickendam), para curtir um pouco mais a atmosfera da cidade, eu ficaria mais uns 2 dias se pudesse.

- Principais Praças (as mais movimentadas): Leidseplein, Dam Square, Rembrandtplein. Como já disse, fiquei praticamente ao lado da Leidseplein, onde havia muitos restaurantes, bares, teatros, bastante movimento o tempo todo e eu me senti muito seguro andando por ali. Pude caminhar bastante a pé para outros pontos turísticos que eram bem próximos, como o Vondelpark (espécie de Central Park para eles), para Museumplein (praça rodeada de museus onde fica o famoso letreiro I AMsterdam), mercado das flores, Rembrandtplein, Dam Square, entre outros. Ou seja, eu realmente adorei ficar ali ao lado de Leidseplein e ficarei novamente quando voltar.

Leidseplein
Dam Square e Royal Palace ao fundo

- Coffeeshops e Brown Cafes: nos Coffeeshops é permitido fumar maconha e são facilmente identificados pelo tipo de ambiente fechado, mas escuro, com muita fumaça e música alta. Já os Brown Cafes são lugares típicos onde os holandeses se encontram à noite para tomar uma cerveja, espécie de pubs, pequenos, decoração de madeira escura, tetos baixos e pouca luz. A cozinha nos cafés, para refeições maiores, costuma fechar por volta das 21:00.

- Comprinhas: mesmo sendo eu uma compulsiva declarada por compras, em Amsterdam, pelo curto tempo de estada e pela quantidade enorme de atrações e pontos turísticos para ver, eu realmente não pude aproveitar para fazer compras. Vi muitas lojas na Leidsestraat (em frente à Leidseplein), entrei no belíssimo edifício do Magna Plaza (muito próximo a Dam Square e ao Palácio Real) onde há muitas lojas e é uma espécie de galeria e conheci o lindo mercado de flores. Dizem que as lojas mais próximas das principais praças são mais caras, mas eu não pude confirmar isso diante das poucas compras que eu fiz por lá.

Magna Plaza
Leidsestraat

- Centro de Informações turísticas: Eu usei e abusei de um site que achei formidável -> The Internet Guide Amsterdam, onde eu pude encontrar várias informações e dicas super úteis e maravilhosas. Mas também há centros de informação turística no aeroporto, na estação de trem, na Leidseplein, como o Amsterdam Tourist Office


- Dicas de viagem:

1) Não ouse tirar fotos das prostitutas do Red Light District.
2) Maconha é tolerada, mas a droga, até onde eu sei, não foi legalizada. Drogas pesadas não são permitidas. E, mesmo em relação à maconha, seu consumo e aquisição só são permitidos em lugares específicos e de forma discreta. Portanto, nada de andar fumando pela rua!!
3) Cuidado com as bicicletas e bondes elétricos!!! Não seja atropelado (como eu quase fui algumas vezes!!! rsrsrs...). Há faixas destacadas pelas ruas que indicam o caminho do bonde e delimitam a ciclovia. É só prestar atenção!!
4) Atenção com batedores de carteira, especialmente nas áreas próximas a Central Station e Red Light District.




Não percam os próximos posts: Museus, Pontos Turísticos, Moinhos, Red Light District, Igrejas, Agitos Noturnos, Passeios em Amsterdam e em cidades vizinhas!!!

2 comentários:

  1. Ai que lindoooooo!!!! Fiquei mais empolgada para viajar pra lá! hehehe. Amanhã aguardo mais informações sobre a cidade!
    Muito Obrigada!
    beijinhossss

    ResponderExcluir
  2. Que vontade de viajar!!!!!!!!!!!! Esses posts estão me deixando muito empolgada!!!!!!!!

    ResponderExcluir